17/03
14:06

Heleno Silva: PRB ficará com o candidato de Belivaldo em Aracaju

O presidente de honra do PRB, Heleno Silva, revelou que,  independentemente de ter cargos no governo, o seu PRB vai apoiar, na disputa da Prefeitura de Aracaju,  no pleito de 2020, o candidato que conquistar o apoio do governador de Sergipe, Belivaldo Chagas (PSD),  e do seu arco de alianças.  “Essa opção poderá recair sobre o atual prefeito, Edvaldo Nogueira, até porque em todas as eleições de Edvaldo, estivemos com ele”, comentou.



Política
Com.: 0
Por Eugênio Nascimento
17/03
11:52

Crônica do avesso do mesmo lugar

Cezar Britto
Advogado e ex-presidente da Ordem dos Advogados do Brasil 

"Como dizer que não merece uma crônica a birra pública entre um presidente da República e um de seus mais íntimos ex-ministro, em que ambos, comprovadamente, acusam-se de mentirosos e chantagistas, ameaçando-se em diálogos reciprocamente gravados?"

Luís Fernando Veríssimo nos ensinou que “a principal matéria-prima para a crônica são as relações humanas. O modo como as pessoas se amam, se enganam, se aproximam ou se afastam num ambiente social definido. Ou qualquer outra coisa”. Seguindo a lógica do genial escritor gaúcho, escrever crônica seria uma tarefa extremamente fácil, mesmo porque as relações entre as pessoas são exercidas no modo automático, assim como é o pulsar do coração na manutenção da vida corpórea. Ama-se, engana-se, aproxima-se, afasta-se ou se faz alguma coisa a todo instante, queria-se ou não.

Esqueceu-se de dizer que para o cronista, especialmente aquele que tem a obrigação de escrever com regularidade, o problema está exatamente na fartura do material a ser escolhido como tema. Não é tarefa simples pinçar o assunto que, convertido em palavras amontoadas em único texto, possa servir de moldura narrativa dos fatos vividos em determinado lapso temporal. Ainda mais quando o hiato entre as crônicas produzidas é quinzenal e o período a ser abordado é fértil em acontecimentos que extrapolam qualquer raciocínio lógico.

Afinal, como dizer que não merece uma crônica a birra pública entre um presidente da República e um de seus mais íntimos ex-ministro, em que ambos, comprovadamente, acusam-se de mentirosos e chantagistas, ameaçando-se em diálogos reciprocamente gravados? Como dizer que é irrelevante o ministro da Educação, deseducada, ilegal e inconstitucionalmente, mandar gravar crianças em compulsória propaganda do mote da campanha eleitoral que o tornou encarregado de educar aqueles em que acusou serem filhos de “canibais”? Como não entender importante as redes sociais privadas interferirem nas escolhas e exonerações públicas, como admitiu o ministro da Justiça ao recuar na nomeação de uma suplente para o Conselho Nacional de Política Criminal e Penitenciária? Como se recusar a escrever sobre o vídeo de conteúdo restrito postado pelo próprio presidente, em que acusa a maior festa popular brasileira de ser o “apogeu fetichista da chuva dourada”?

Realmente é de extrema dificuldade trazer para esta coluna o assunto eleito como tema principal, até porque quase estivemos em guerra fratricida contra os hermanos venezuelanos, apenas para agradar os plantonistas que governam nos EUA. Neste mesmo período, os militares foram indicados guardiões-mor da democracia e o vice-presidente se tornou o mais abalizado intérprete do pensamento presidencial, o Itamaraty voltou-se para a cela escura das perseguições internas, a imprensa foi outra vez ameaçada e se tornou pública a nomenclatura “olavetes” para designar a posse privativa de vários cargos importantes no governo.

Eleger o campo legislativo como assunto também é tarefa árdua, pois também nesta área reina a fertilidade de eventos à disposição do cronista regular. De logo, teria que se dedicar ao projeto que pretende retirar da Constituição Federal o instituto da aposentadora digna ou mesmo um dia alcançável para homens e mulheres. Teria que se dedicar ao projeto de lei que criminaliza os movimentos sociais e suaviza a vida dos que praticam caixa 2 e irrigam seus queridos laranjais. Em medidas ainda provisórias, não poderia deixar de registrar a assumida pretensão de se castrar as organizações não governamentais e matar por inanição financeira as entidades sindicais, salvo no que se refere ao Ministério Público Federal, que planeja criar uma esdrúxula fundação privada com o dinheiro público da empresa brasileira que se diz proteger contra ataques externos.

Entre trancos e barrancos, reconheço que preciso decidir o assunto que servirá de matéria-prima, sem correr o risco de ser tentado a plagiar o Barão de Itararé, quando nos contou que “este mês, em dia que não conseguimos confirmar, no ano 453 a.C., verificou-se terrível encontro entre os aguerridos exércitos da Beócia e de Creta”. Segundo relatam as crônicas, venceram os cretinos, que até agora se encontram no governo. Então escolho a Estação Primeira de Mangueira, para esclarecer que crônica quer “contar a história que a história não conta, avesso do mesmo lugar, pois é na luta é que a gente se encontra”.


Colunas
Com.: 0
Por Kleber Santos
17/03
11:09

Teoria dos Complexos

Clóvis Barbosa
Blogueiro e conselheiro do TCE/SE

Carl Gustav Jung (1875-1961), psiquiatra e psicoteraupeuta suíço, é o fundador da chamada psicologia analítica que, dentre outros estudos, desenvolveu os conceitos de personalidade extrovertida e introvertida, arquétipo e inconsciente coletivo. Aproximou-se de Freud no começo do século XX, dado que ambos elaboravam projetos inéditos nas áreas da medicina e da psiquiatria. Mais tarde, ambos romperam a amizade, já que Jung não aceitava as teses de Freud sobre as causas dos conflitos psíquicos, que seriam provenientes de algum trauma de natureza sexual. Já Freud, não admitia o interesse de Jung pelos fenômenos espirituais. Mas não é o meu interesse aqui discutir as divergências desses dois grandes teóricos da psicanálise. Interessa-me, sim, a questão dos complexos, tão arraizados hoje no nosso dia a dia. O professor Walter Boechat, estudioso de Jung, Mestre pelo Carl Gustav Jung Institut Zurich – Universitat Zurich, em brilhante artigo sobre a “A teoria dos complexos de C.G.Jung aplicados aos estudos da cultura”, diz que o autor suíço designa o termo complexo afetivo como um grupamento de representações mentais mantidas juntas pela emoção, que se organizam a partir de experiências emocionais significativas do indivíduo. Essa questão do complexo afetivo foi abordada por um trabalho de Jung em 1934. Ele diz: o que é, portanto, cientificamente falando, um complexo afetivo? É a imagem de uma determinada situação psíquica de forte carga emocional e, além disso, incompatível com as disposições ou atitude habitual da consciência. Esta imagem é dotada de poderosa coerência interior e tem sua totalidade própria e goza de um grau relativamente elevado de autonomia, vale dizer: está sujeita ao controle das disposições da consciência até um certo limite, e por isso, se comporta, na esfera do consciente como um corpus alienum (corpo estranho), animado de vida própria. 

Sobre o conceito de arquétipo, Jung descreve como um conjunto de imagens psíquicas presentes no inconsciente coletivo, ou seja, a parte mais profunda do inconsciente humano. São essas informações que influem nos determinados tipos de comportamento. Evidente que essas imagens psíquicas absorvidas durante o tempo fazem com que a pessoa perca, aos poucos, os seus mecanismos de proteção e acabe desenvolvendo um certo tipo de complexo, digamos, afetivo. Nesse diapasão, encontramos vários tipos de conflitos emocionais, alguns explicados cientificamente, outros acrescentados por novos estudos sobre a matéria e alguns, ainda, formalizados pela criatividade popular. Enfim, a palavra complexo tornou-se comum em todas as áreas e serve para explicar qualquer tipo de comportamento humano. Vejamos alguns de seus tipos: Complexo de Inferioridade: constitui-se num sentimento em que uma pessoa se considera inferior a outras. Acredita cegamente nisso e passa a agir como se fosse verdade. Daí os sintomas de comparação, a busca por reconhecimento, preocupação excessiva com as opiniões alheias a seu respeito, mania de apontar defeitos nos outros para se proteger, isolamento, inveja, vitimismo, baixa autoestima, ausência de autocrítica, etc. Saliente-se que a psicanálise apenas postulou dois tipos de complexo, o de Édipo e o de Castração. Mas, na verdade, todos eles são derivados do complexo de inferioridade, que teve como maior estudioso o psicóloco austríaco Alfred Adler (1870-1937), considerado o fundador da psicologia do desenvolvimento individual. Complexo de Superioridade: é a tentativa de compensar os problemas de inferioridade que a pessoa possui, ou seja, ele projeta para outrem aquilo que ele é. Ele marginaliza, ofende e exclui aqueles que ele tem como subordinados. Complexo de Édipo: desenvolvido por Freud, inspirou-se na tragédia grega de Sófocles, Édipo, o Rei, escrita por volta do ano 427, a.C.

Esse complexo se desenvolve numa fase da criança do sexo masculino que se sente atraída psicosexualmente pela figura materna, rejeitando e se rivalizando com a figura paterna. Surge na “fase fálica”, entre os 3 e 5 anos de vida, após, conforme Freud, as chamadas fases oral e anal. Como todos sabem, a tragédia grega conta a história de Édipo, filho de Laio e Jocasta, abandonado ainda criança no Monte Citerão, entre Tebas e Corinto, com os pés amarrados e deixado ali para morrer. Um pastor encontrou a criança e levou-a para Corinto onde foi criado pelo rei Pólibo. Já adulto, consultou o Oráculo de Delfos para saber de sua origem, sendo esclarecido sobre um terrível destino: sua sina seria matar o pai e desposar a mãe. Tentando fugir da profecia, ele abandona Corinto. Mais tarde, numa encruzilhada, discute com um velho homem e, fora de si, mata o mesmo e sua comitiva. Ao chegar em Tebas, a Esfinge propõe-lhe um enigma. Se errasse, morreria, se acertasse a sua vida estaria salva bem como a cidade. Como recompensa, recebe de Creonte, irmão da rainha e então regente de Tebas, o título de rei e a mão de Jocasta, viúva de Laio, o rei assasasinado misteriosamente numa encruzilhada com toda sua comitiva. Anos mais tarde, depois de muitos fatos ocorridos, descobre-se que ele, Édipo, fora o assassino do próprio pai, Laio (o velho assassinado na estrada) e casou-se com a própria mãe, Jocasta, tendo com ela quatro filhos. Jocasta suicida-se e Édipo fura os próprios olhos e passa a ser andarilho. Vale a pena conhecer essa obra, tida por Aristóteles, em sua Poética, como a mais perfeita tragédia grega. Aliás, observe-se que há uma tremenda contradição de Freud ao escolher o escrito de Sófocles como influenciador do seu complexo. Ele diz em sua obra A interpretação dos Sonhos que quem sofre desse mal tem consciência de quem são os seus pais, diferentemente, portanto, de Édipo na tragédia, que não sabia da identidade de seus pais.

Complexo de Electra: desenvolve-se na criança do sexo feminino e consiste na etapa em que a filha passa a se sentir atraída pelo pai, disputando com a mãe sua atenção. Electra é uma personagem da mitologia grega, filha de Agamemnon e Clitemnestra, irmã de Orestes, Crisotemi e Ifigênia. É personagem de duas peças e uma paródia, escritas por Sófocles, Eurípides e Ésquilo, respectivamente. Electra induziu seu irmão Orestes a matar a própria mãe, acusada de ter mandado executar o seu pai. O complexo de Electra é, na verdade, a versão feminina do complexo de Édipo. Complexo de Castração: diferentemente do que o nome diz, esse complexo nada tem a ver com a ideia de mutilação dos órgãos genitais, mas com uma experiência que se repete em várias fases da vida. Freud desenvolveu essa tese em 1908, após tratar um caso de fobia num menino de cinco anos. Ele parte de quatro premissas para explicar esse processo psíquico, tanto no menino como na menina. No menino, inicialmente, ele descobre que tem um pênis e acha que todo mundo possui um órgão idêntico; o segundo momento é a ideia da ameaça, quando o menino deseja substituir o pai em relação à mãe (complexo de Édipo). É a etapa em que ele constrói a imagem de que esse seu comportamento – rechaçado pelos pais com ameaças – é o castigo da castração que poderá sofrer. A seguir, a descoberta da ausência de pênis nas mulheres, mas vagina; essa realidade é associada ao fato de que a ausência de pênis é uma castração. Finalmente, a fase da angústia, quando descobre que a sua mãe é mulher e não tem pênis, surgindo a noção de que a mesma teria sido castrada. Mas esse processo se encerra na fase de resolução, quando o menino não quer mais assumir o lugar do pai em relação à mãe, aceitando a lei paterna. Já o complexo de castração das meninas possui comportamentos idênticos, só que, para elas, o clitóris representa o pênis; como é pequeno, fixam-se na ideia da castração. 

Muitos outros tipos de complexos surgem a todo momento, nem todos reconhecidos cientificamente, mas sempre irradiados pelo complexo de inferioridade. São vários os tipos: Messias, Deus, Napoleão, Aristóteles, Doctor Who, Narcisista, etc. Mas tem um tipo de complexo que está em voga atualmente em Sergipe. É o Complexo de Geração, urdido nas profundezas de um sentimento doloroso: a inveja. O senador Alessandro Vieira foi escolhido pelo povo nas últimas eleições com uma votação estupenda, mandando para a aposentadoria velhos caciques da política sergipana. A sua atuação parlamentar – menos de dois meses – está sendo fiscalizada de forma veemente por setores da imprensa e alguns cidadãos que, aqui e ali, deixam transparecer seus conflitos psíquicos. Tudo porque o senador nomeou quatro profissionais de fora do Estado para compor sua assessoria, ato visto como uma estupidez e falta de compromisso do parlamentar com o povo que o elegeu. Os perfis de seus algozes são bastante evidentes: frustrados em suas vidas, não permitem o sucesso de seus conhecidos e, principalmente, daqueles de sua geração. Para tanto, utilizam-se de um discurso para esmigalhar, em segundos, a performance que este ou aquele homem conseguiu edificar. Aliás, a Bíblia, no livro de Tiago, registra que “Toda espécie de feras, de aves, de répteis e de animais marinhos é domada e tem sido domada pela espécie humana. Mas a língua, ninguém consegue domá-la: ela é um mal irrequieto e está cheia de veneno mortífero. Com ela bendizemos ao Senhor, nosso Pai, e com ela maldizemos os homens feitos à semelhança de Deus. Da mesma boca provém bênção e maldição”. Aquele que ridiculariza quem está onde gostaria de ter chegado é porque não está posicionado profissionalmente onde acredita que merece estar. Na verdade, sente uma ponta de inveja daquele que conseguiu algo que ele não conquistou. É o tal complexo de geração.

Clóvis Barbosa escreve aos sábados, quinzenalmente.


Coluna Clóvis Barbosa
Com.: 0
Por Kleber Santos
17/03
09:36

Coluna Primeira Mão

Ulices Andrade

O presidente do Tribunal de Contas de Sergipe, conselheiro Ulices Andrade, descartou a possibilidade de disputar o Governo de Sergipe em 2022. Ele disse à coluna que “não tenho intenção nenhuma nesta direção”. Ele acrescentou: “no momento estou na torcida para que o governador Belivaldo faça uma grande administração”.


Cargos federais

Somente na próxima terça-feira, 19, o segmento da bancada federal próximo do Governo Bolsonaro definirá as suas indicações para os cargos públicos da União no Estado de Sergipe. A senadora Maria do Carmo (DEM) disse que o seu filho, empresário João Neto, não indicou Walmor Barbosa para a Codevasf. O deputado Fábio Mitidieri afirmou que o nome de Walmor conta com a simpatia da bancada.

Bate boca

Os enfrentamentos entre petistas e comunistas, do PC do B, empçafrtgicular com o prefeito de Aracaju, Edvaldo Nogueira, nunca passam de bate boca. Na verdade, essas críticas que uns fazem aos outros nunca terminam em racha político. Até parfece que PT e PC do B nasceram para caminhar juntos. Só os abestados levam esses atritos a sério.

Assistência Social

Na próxima segunda-feira, às 11h, o professor e vereador Bitencourt assume a Secretara Municipal de Assistência Social. A solenidade de posse acontecerá no Centro Administrativo da PMA.

Camilo vereador

O suplente de vereador Camilo Feitoza Daniel (PT) será empossado como vereador na Câmara de Aracaju na próxima terça-feira, 19. Substitui Bitencourt (PC
do B


Direita sergipana


De Flávio Oliveira Rodrigues, um dos coordenadores do Movimento Direita Sergipana: “O movimento não está indicando pessoas, mas estamos de olho nas indicações que estão sendo feitas e fiscalizando para evitar que oportunistas e pessoas não alinhadas as ideias defendidas por Bolsonaro durante a campanha possam ocupar cargos e atrapalhar o projeto do novo Brasil que começa a acontecer. Desde sempre também defendemos o enxugamento da máquina pública com a redução do número desses cargos, os quais a nível nacional Bolsonaro cortou mais de 20 mil deles esta semana”.


Rearrumação em Itabaiana


A notícia política mais importante da semana que passou foi a libertação do prefeito de Itabaiana, Valmir de Francisquinho, e a autorização para que ele reassuma o governo daquela cidade. Inevitavelmente, um novo rearranjo das forças políticas locais já está ocorrendo. Os ânimos estão um tanto agitados por lá.


Sergipe-Alagoas


Comenta-se em Alagoas que tudo está sendo encaminhado, inclusive o projeto, para a construção da ponte Neópolis (SE) - Penedo (AL), sobre o rio São Francisco. A ponte terá 1.072 metros de comprimento e 21,10 metros de largura. Quando era governador de Sergipe, Marcelo Déda brigava para que a ponte ligasse Brejo Grande (SE) a Piaçabuçu (AL), mas, pelo visto, essa ideia já morreu.


Sinais da crise


Centenas de apartamentos estão à venda ou à disposição para aluguel em Aracaju. Mas não aparecem compradores. Os mais caros e com maior dificuldade para venda estão nos bairros 13 de Julho, Jardins, Atalaia, São José, Garcia, Grageru, Coroa do Meio


Nordeste é destaque


O governador Belivaldo Chagas acompanhou o leilão do aeroporto de Aracaju esta semana e saiu satisfeito em ver a confiança de investidores internacionais no potencial econômico do Nordeste. O bloco de aeroportos que Sergipe estava incluso foi um dos mais disputados e foi arrematado pela empresa espanhola Aena por R$1,9 bilhão. “Sergipe está de parabéns. A empresa Aena tem conhecimento na área turística e quem vai sair ganhando é Sergipe”, disse Chagas. Vale lembrar que a última reforma realizada no aeroporto de Aracaju ocorreu no Governo Albano Franco.


PPPs


O anúncio de formalização de Parcerias Público-Privadas (PPP's) para administração da Central de Abastecimento de Itabaiana (Ceasa) e do Centro de Convenções de Sergipe, feito pelo governador Belivaldo Chagas, animou até nomes da oposição, como Milton Andrade. O jovem comentou a decisão e a considerou acertada. “Vai melhorar o turismo, o fornecimento, diminuir gasto público e melhorar a receita do Estado. É disso que estamos precisando”, disse em vídeo publicado nas redes sociais.


Vale a sensatez


Pais e mães de estudantes de escolas públicas não escondem sua preocupação quanto à segurança de seus filhos, depois da matança em Suzano. Da mesma forma que os atiradores de lá imitaram o que não raramente acontece em escolas americanas, alunos sergipanos podem querer imitar seus colegas de São Paulo. Por incrível que pareça, a situação nas escolas privadas pode ser ainda mais preocupante porque são verdadeiras fortalezas, tornando difícil a fuga de estudantes. Dificultar o porte e a posse de armas ainda é o caminho da sensatez.


Bons serviços


Taxistas e motoristas do Uber e do 99 prestam serviços bons na praça de Aracaju. A vantagem do transporte por aplicativos é que os motoristas, homens e mulheres, são mais educados, o valor da corrida é muito mais barato e os carros parecem receber mais atenção dos taxistas. A receita é simples.


Parceria saudável


Todos os sergipanos estão torcendo para que funcione a parceria entre o governo do Estado e o Hospital de Amor, oriundo de Barretos, em São Paulo. Aparentemente serviços prestados pelo Hospital de Cirurgia e do HUSE estão ultrapassados. Vamos esperar os resultados.


Desgaste político


O senador Alessandro Vieira conseguiu dar uma pisada na bola ao anunciar aos quatro ventos que seus assessores passariam por processo seletivo etc. e tal. Que nada disso! Colocou o seu suplente de senador como assessor, bem como pessoas de suas ligações políticas e partidárias de outros estados. Onde já se viu isso?


Fim de festa


Por seis votos a cinco, o STF transferiu crimes de caixa dois para o Tribunal Superior Eleitoral. Acabou com a festa da "República de Curitiba" que parecia mesmo ter mais poderes que a suprema corte brasileira. Os objetivos da Operação Lava Jato já tinham sido alcançados em muitos sentidos. O Brasil precisa voltar à normalidade de antes dessa operação, que fez o país desandar até hoje.


Contra fraudes


O combate às fraudes no INSS tem provocado muitos transtornos a aposentados e a pensionistas. O objetivo é bom, mas tem sido feito de uma forma errática. Tem gente que precisa ir mais de uma vez à repartição para provar que não está morta.


Ar condicionado


Em algum momento, todas as escolas públicas estaduais e municipais sergipanas terão de ter aparelhos de ar condicionado. Temos ouvido relatos de professoras sobre o quão desagradável é dar aulas nessa época de verão. Aí, segundo um gaiato, os alunos não quererão faltar às aulas, principalmente aqueles do Sertão.


Assédio


O assédio moral no local de trabalho agora é crime. É preciso que alguém explique aos "chefes" do setor público e do setor privado o que isso significa, pois essa é uma prática muito corrente em repartições e escritórios. Nos dois setores, mais na esfera privada, "chefes" que esculhambam funcionários acham que isso é a coisa mais normal do mundo.



Coluna Eugênio Nascimento
Com.: 0
Por Eugênio Nascimento
15/03
18:11

Adema devolve animais silvestres para a natureza

Carcará, jiboia, e jabutis são reintegrados aos seus habitats naturais em Sergipe 

O trabalho da equipe de fauna da Administração Estadual do Meio Ambiente (Adema) resultou no resgate de mais de cem animais silvestres nesta semana. Na manhã desta sexta-feira (15), por exemplo, 91 jabutis foram entregues voluntariamente por uma moradora de Aracaju.  Os animais foram avaliados e encaminhados ao Centro de Triagem de Animais Silvestres do Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e dos Recursos Naturais Renováveis (Cetas/Ibama) e estão em quarentena.

Em outro caso, uma jiboia foi resgatada no conjunto Santa Lúcia, bairro Jabotiana, Zona Oeste da capital. O réptil foi avaliado clinicamente pelo veterinário Daniel Allievi e não apresentou nenhum problema de saúde. Fator que motivou a soltura imediata em uma área de reserva cadastrada. Também nesta semana, um carcará, que estava com uma asa fraturada, foi capturado em um bar na região da praia de Aruana, Zona de Expansão de Aracaju. A ave precisou ser imobilizada pela equipe técnica e, após essa primeira intervenção, foi encaminhada para o Centros de Triagem de Animais Silvestres (Cetas) do Ibama. Lá, o animal passará por um tratamento específico e, assim que estiver completamente reabilitado, será devolvido à natureza.

A incidência de chuvas em todo o estado, de acordo com Allievi, tem influência no aparecimento de alguns répteis em áreas abertas E a explicação está justamente no comportamento natural desses animais. “Esses animais são ectotérmicos, que é o termo técnico para caracterizar as espécies comumente conhecidas como de ‘sangue frio’, por essa razão eles precisam se aquecer com a luz solar para ativar seu metabolismo. Acontece que, em dias chuvosos, devido a temperatura está mais amena, a ocorrência desses animais em ambientes abertos é maior, devido a necessidade de se aquecerem. Por isso, é comum o aumento de ocorrências de serpentes e demais répteis nessa época”, explicou. Por conta disso, o veterinário ressalta a importância de comunicar imediatamente ao órgão estadual para que seja feito o manejo adequado dos animais. “As ocorrências podem ser direcionadas a Adema, de segunda a sexta-feira, das 07h às 13h, pelo telefone 31987150”, acrescentou.

Fonte: ASN
Foto: Ascom/Adema


Variedades
Com.: 0
Por Redação
15/03
17:23

Confira o funcionamento dos serviços municipais no dia do aniversário de Aracaju

Veja que abre o que fecha neste feriado

No próximo domingo, 17, será comemorado o 164º aniversário da cidade de Aracaju. Mediante a data especial, será feriado na capital sergipana, no entanto, o funcionamento não será alterado, seguindo o andamento comum aos dias de domingo. Confira o que abre o que fecha neste feriado:

Saúde

As Unidades de Pronto Atendimento (UPA) Nestor Piva e Fernando Franco e os Centros de Atenção Psicossocial (Caps) 24 horas funcionarão normalmente durante o feriado.

Educação

A Casa de Ciência e Tecnologia Galileu Galilei (CCTECA) funcionará em horário normal das 14 às 17h.

Funcaju

Todas as unidades pertencentes à Funcaju não abrem em dia de domingo.

Mercados

Os mercados centrais Thales Ferraz e Antônio Franco funcionarão em horário normal das 6h ao meio-dia; e o Maria Virgínia Leite Franco (antigo Albano Franco) das 5h30 ao meio-dia. Os mercados setoriais ou de bairros também manterão seu funcionamento em horário habitual.

Feiras Livres

As feiras livres dos bairros Santa Maria, Coqueiral, América e nos conjuntos Jardim Esperança, Bugio e Dom Pedro I, serão realizadas, normalmente, no turno da manhã.

Parque da Sementeira

O Parque Augusto Franco (Parque da Sementeira) abrirá em horário normal, das 5h às 21h45, neste domingo, 17.

O Centro de Artesanatos Chica Chaves

Funcionará em horário normal, das 13h às 17h.

Fonte: AAN
Foto: Secom/PMA


Variedades
Com.: 0
Por Redação
15/03
17:17

Edvaldo empossa Carlos Cauê na Secretaria da Comunicação Social

Ele é jornalista e publicitário, já tendo assumido outros cargos públicos durante sua carreira

O prefeito Edvaldo Nogueira empossou, na manhã desta sexta-feira, 15, o jornalista e publicitário Carlos Cauê como secretário municipal da Comunicação Social de Aracaju. Ele substitui o jornalista Luciano Correia, que passa a ocupar a função de secretário-adjunto na mesma pasta. A mudança, de acordo com Edvaldo, representa “um reforço na equipe, para comunicar mais e melhor” com foco sempre na população. 

O novo secretário se disse muito feliz em assumir a nova função e ressaltou a maneira “honesta, tranquila e responsável” como se deu a sucessão. Em seu discurso, Carlos Cauê destacou o trabalho que a administração municipal realizou em seus primeiros dois anos e pontuou as expectativas para o futuro.  Luciano Correia agradeceu a oportunidade de ter liderado a Comunicação municipal nos dois primeiros anos da gestão e se disse disposto a continuar contribuindo com o governo de Aracaju.
 
Carlos Cauê é jornalista e publicitário. É especialista em marketing político; foi presidente da Funcaju; foi secretário da comunicação de Aracaju na gestão anterior de Edvaldo; foi secretário da comunicação do Estado de Sergipe. Foi secretário de Governo de Aracaju em 2017.
 
Para mais detalhes, clique aqui.
 
Fonte: AAN
Foto: Ana Lícia Menezes/PMA


Política
Com.: 0
Por Redação
15/03
17:11

Projeto de Lei propõe a proibição de instalação e uso de tomadas de energia nas celas penais

Delegados e diretores dos estabelecimentos prisionais no estado deverão providenciar a retirada das tomadas já instaladas em até 30 dias após a revogação da lei

O deputado estadual Capitão Samuel (PSC), apresentou na Assembleia legislativa de Sergipe (Alese) Projeto de Lei nº 14/2019 de sua autoria que dispõe sobre a proibição de instalação e uso de tomadas de energia elétrica nas celas dos estabelecimentos penais do Estado de Sergipe.

De acordo com o PL, os delegados e diretores dos estabelecimentos prisionais no estado deverão providenciar a retirada das tomadas já instaladas em até 30 (trinta) dias após a revogação da lei. A medida alternativa, de acordo com justificativa, se trata na prática, de bloqueio do sinal de telefonia para auxiliar no cumprimento da legislação castrense, em consonância com PLS federais 285/2017 e 32/2018.

Segundo Capitão Samuel, o uso de aparelho celular em estabelecimentos prisionais tem aumentando cada vez mais e o encarceramento tem se tornado medida ineficaz para combater a criminalidade. “Os criminosos agem de dentro dos próprios presídios para comandar tráfico de drogas, roubos e homicídios através do celular”, explicou o deputado acrescentando que, ” a retirada de tomada elétrica é uma medida que garantirá a incomunicabilidade dos detentos, auxiliando a segurança da sociedade e reforçando a força estatal”.

Fonte: Rede Alese
Foto: Divulgação/Internet


Política
Com.: 0
Por Redação
1 2 3 4 5 6 » Próxima » Última

Enquete


Categorias

Arquivos