25/08
16:18

Sergipe no século XXI (8): Serviços Industriais e Construção civil

Ricardo Lacerda
Professor da UFS

Em vista do seu peso da geração de energia elétrica no PIB sergipano, vale a pena examinar como o comportamento dos Serviços Industriais de Utilidade Pública- SIUP afetou o crescimento estadual.

Como apontado anteriormente, esses serviços respondiam por 12,1% do Valor Adicionado Bruto (VAB) sergipano de 2002 e, por conta da redução da vazão do rio São Francisco, tal participação caiu para 5,2%, em 2016.

UH de Xingó
A queda abrupta na geração de energia elétrica explicou parcialmente porque a desaceleração no crescimento do PIB sergipano se antecipou em três anos em relação à maioria dos demais estados da região, como vimos anteriormente. A simples retração da participação dos SIUP, entre 2012 e 2014, de 7,7% para 3,3% no VAB equivale, grosso modo, à queda de 4,4% do PIB sergipano, apenas associado a esse efeito, impulso para baixo que não teria como ser compensado pela aceleração das demais atividades.

A figura 1 apresenta as evoluções da vazão natural do reservatório de Xingó, na média de 365 dias, e a defluência no referido, reservatório na média de 30 dias, indicando a retração acentuada e quase contínua do fluxo de água entre 2012 e 2017, com recuperação parcial e relativamente modesta desde então.
Enquanto a vazão (na média de 365 dias) se situou acima de 2,5 mil m3/s no inicio de 2012, três anos depois se posicionava em torno 1,0 mil m3/s. Ao final de 2017, essa média era inferior a 800 m3/s. Com a elevação da precipitação no a montante do reservatório, a vazão média na média de 365 superou 1,2 mil m3/s, em maio de 2019.



A figura 2 apresenta os efeitos da queda da vazão sobre a geração de energia na UHE de Xingó, de 2.199 MV médio/ano, em 2012, para somente 585 MV médio/ano, em 2018, retração de 73% no período. Em termos estatísticos, a retomada da geração de Xingó ao patamar de 2012 propiciaria por si própria um incremento de cerca de 2,5% no PIB sergipano.


Construção Civil
É importante destacar que a atividade de construção civil, como é usual, iniciou sua expansão com certa defasagem de tempo em relação aos demais setores da economia. Somente quando o ciclo de crescimento do PIB brasileiro já se encontrava no seu terceiro ano, com o mercado de trabalho aquecido e o acesso do crédito em plena aceleração, a expansão do mercado imobiliário se firmou. As contas nacionais trimestrais, do IBGE, na série dessazonalizada, assinalam o último trimestre de 2006 como o momento da aceleração do crescimento do setor.

As contas regionais (IBGE), os dados de emprego formal (RAIS), e de produção e consumo de cimento (SNIC) confirmam o ano de 2006 como sendo, também, o de início da expansão das atividades do setor da construção civil em Sergipe.

A evolução do volume de Valor Adicionado Bruto da atividade indica crescimento acelerado do setor da construção civil em Sergipe entre 2006 e 2008, desaceleração, em 2009, por conta do impacto da crise financeira internacional, e o boom da atividade entre 2010 e 2012 (ver Figura 3).

Com o estouro da bolha imobiliária e com o início do período de restrições mais rígidas do tesouro estadual e a redução dos repasses voluntários federais para realizar investimentos em infraestrutura, a construção civil parou de crescer, entre 2012 e 2014, e, nos anos seguintes, entrou em descenso acelerado.


Cimento
O consumo de cimento tem correlação direta com a evolução da atividade da construção civil e Sergipe é detentor de importantes jazidas de calcário. Na média dos anos 2001-2013, a fabricação de cimento em Sergipe foi 6,5 vezes maior do que o seu consumo.

Tal relação fez com que a economia estadual tenha sido muito impulsionada quando o consumo nacional de cimento apresentou crescimento acelerado, entre 2006 e 2013, mas, por outro lado, com a sua queda, a partir de 2015, a crise do setor puxou para baixo o crescimento da economia estadual. O consumo de cimento no país, segundo o SNIC recuou 25,4% entre 2014 e 2017. Em Sergipe, a produção e o consumo de cimento já registravam retração no ano de 2013, o último com dados disponíveis.

Perspectivas
Em 2019, quinto seguido de recessão ou baixo crescimento da economia nacional, a atividade da construção ainda se encontra prostrada, sem apresentar sinais mais decididos de alguma retomada. Muitos economistas prescrevem, o autor do presente artigo inclusive, que a economia brasileira não encontrará o caminho da retomada do crescimento enquanto não forem elaborados novos instrumentos para impulsionar a cadeia produtiva da construção civil, por tudo que representam em termos de efeito multiplicador de emprego e de renda na economia.

Mais recentemente, tem se formado um crescente consenso em torno da defesa da flexibilização do teto do gasto público com o objetivo de expandir os investimentos na construção civil residencial e de infraestrutura pública. Meus votos para que os iluminados do mercado financeiro e de Brasília se convençam rapidamente dessa necessidade.

*Assessor Econômico do Governo do Estado de Sergipe


Coluna Ricardo Lacerda
Com.: 0
Por Eugênio Nascimento
24/08
19:01

Coluna Primeira Mão

 Menos 443 empregos

 

 

Informações divulgadas pelo Caged, órgão do Ministério da Economia, revelam que Sergipe encerrou o mês de junho com -443 postos de trabalhos. No acumulado do ano, foram perdidos 3.856 postos de trabalho. Já a análise dos últimos 12 meses mostra um saldo positivo de 544 empregos. As informações fazem parte do Radar do Emprego, divulgado pelo Observatório de Sergipe/ Superplan.

 

 

Impulsionou

 

 

O resultado foi impulsionado, sobretudo, pelos setores de Serviços e Comércio, e indústria de transformação. Entre os setores observados, tiveram ganhos: Agropecuária’ (+124), ‘Construção Civil’ (+62), ‘Indústria de Transformação’ (+53), ‘Extrativa Mineral (+47)’, ‘Administração Pública’ (+35) e  Serviços Industriais de Atividade Públicas’ (+5). Dois registraram perda de emprego: ‘Serviços’ (-469), e ‘Comércio’ (-300).

 

 

Mais e menos

 

 

O Observatório divulgou ainda os municípios, com mais de 30 mil habitantes, que mais geraram emprego: Estância (+99), Nossa Senhora de Socorro (+32) e Capela (+12) e aqueles com mais de 30 mil habitantes, que mais perderam emprego: Aracaju (-529), Itabaianinha (-18) e Itabaiana (-13).

 

As preferidas

 

 

As prefeituras mais disputadas nas eleições de 2020 serão as de Aracaju, Itabaiana, Lagarto, Barra dos Coqueiros, Nossa Senhora da Glória, Estância, Nossa Senhora do Socorro, São Cristóvão, Tobias Barreto, Boquim e Itabaianinha. Apesar de parecerem estar numa situação financeira melhor do que as demais, essas prefeituras também vivem suas crises.

 

 

Sobre o 6 a 1

 

 

Ao tomar conhecimento que o TRE-SE tinha cassado o seu mandato, o governador Belivaldo Chagas declarou o seguinte:" Não estou nem um pouco abalado". Essa coluna acredita que ele estava mesmo sendo sincero. Provavelmente, seus advogados devem ter tomado a temperatura dos magistrados sobre a cassação de mandato e a perda de seus direitos políticos. Já sabia também que teria de recorrer ao TSE para tentar reverter uma decisão quase unânime do tribunal eleitoral em Sergipe. Agora ele só depende das cortes superiores. É possível que possa completar o seu mandato, mas pode ser que não. Um certo grupo político da terra do governador vibrou com o placar de 6 x 1. É bom não haver precipitação da parte de ninguém. O governador ainda está no jogo.

 

 

Atingiu Sergipe

 

 

Os comentários de políticos que pensam um Sergipe melhor e mais desenvolvido garantem que o Estado sofre hoje as consequências das ações de Pedro Parente na Presidência da Petrobras. Parente desestimulou a produção no Nordeste para explorar mais no Sudeste, naquela região marítima entre São Paulo, Rio de Janeiro e Espírito Santo. .

 

 

Sergipe bem na fita

 

 

Em volume, os Estados da Bahia, Ceará e Pernambuco lideram os investimentos. Mas Sergipe está bem na fita por conta dos projetos de energia elétrica e exploração de petróleo e gás.  Na agenda da infraestrutura, o saneamento ê a prioridade, e quase todos os estados iniciaram projetos de PPP para as concessionárias de água e esgoto.

 

 

Reunião ABDIB em Teresina

 

 

Belivaldo Chagas apresentou no fórum organizado pela Associação Brasileira da Infraestrutura e Indústrias de Base, as oportunidades de investimento em Sergipe e os seus projetos iniciais para parcerias público-privadas. Todos os estados do nordeste  estavam presentes no fórum, organizado também pelo Governo do Piauí. Todos estão dando prioridade a agenda de atração de investimentos, para amenizar os efeitos da crise econômica nos Estados.

 

 

Opção turismo

 

 

O turismo como opção de desenvolvimento econômico não pode ficar sendo apenas objeto de retórica das autoridades sergipanas. Os guias turísticos não dizem boas sobre Sergipe. Será que essas autoridades pararam para pensar sobre como turistas quando decidem ir a esse ou aquele lugar? Não é só problema de divulgação, de publicidade. Turistas querem se divertir, querem ter opções sobre o que fazer durante o período de sua visita, querem tirar fotos e mandar para parentes e amigos, enviar cartões postais, etc. E o que nós sergipanos apreciamos em nossa terra, não é necessariamente o gosto ou o interesse dos turistas.

 

 

Lampião

 

 

Insistimos que o local onde Lampião e seu bando foram mortos tem um potencial turístico muito grande. Visto que nada é feito nesse sentido, turistas que vão visitar Alagoas pedem para atravessar o Rio São Francisco para conhecer a Grota de Angicos. Os turistas que vão a Canindé teriam muito interesse em fazer uma parada no lugar morreu em 1938 o maior cangaceiro brasileiro. Nesse sentido seria importante abrir uma estrada asfaltada para os turistas que gostem do conforto dos seus carros e ônibus, e não apreciem a ideia de usar trilhas. 

 

 

Vacinação

 

É importante e urgente que pais e responsáveis levem suas crianças para tomar a vacina contra o sarampo nos postos. Vereadores e seus assessores e cabos eleitorais podem ajudar muito, já que são políticos que trabalham diretamente com seus eleitores. Tomar a vacina contra o sarampo é um alerta das autoridades sanitárias estaduais, posto que tem crescido o número de casos registrados em diversos estados brasileiros.

 

Poluição visual

 

A prefeitura de Aracaju está fazendo algo que já feito na capital paulista e deu certo. A medida é no sentido de acabar a poluição visual nas lojas do velho centro comercial de Aracaju, retirando cartazes e propaganda desses prédios. Quando for completado esse trabalho, os aracajuanos poderão apreciar a beleza de muitas casas comerciais. Bola pra frente!

 

Pautas encalhadas

 

O poder de agenda equivale ao poder detido por presidentes de instituições, políticas ou não, de determinar o que entrará em pauta nas suas reuniões. Na semana que passou, deputados estaduais reclamaram que só ficam sabendo qual a pauta praticamente em casa. O presidente da Assembleia Legislativa, Luciano Bispo, acatou o pedido de deputados para que a pauta seja fornecida com alguma antecedência, para que seus colegas tenham mais tempo para se preparar para a discussão dos projetos. O problema parece ter sido resolvido e, claro, não mexeu o poder de pautar. O mais interessante, todavia, é que, dessa reivindicação, fomos informados que existem "centenas" de projetos de lei que estão encalhados há muito tempo. Como tudo isso está no computador, seria interessante que o mesmo presidente divulgasse essa lista para a opinião pública.

 

 

Marechal Rondon

 

 

Se estivesse vivo, o marechal Cândido Rondon, militar e sertanista descendente de índios, não estaria nem um pouco contente com o que sido feito com a Amazônia e seus povos indígenas. É dele a frase em relação aos indígenas da grande floresta tropical, ameaçados pela invasão de suas terras: "Morrer se preciso for, mas não matar nunca".

 

 

Disputando a floresta 

 

 

As potências imperialistas ocidentais (norte-americanos e europeus) querem todas um pedaço da Amazônia brasileira - que também é colombiana e peruana. Mas o presidente boquirroto Jair Bolsonaro já optou por entregá-la aos americanos.



Coluna Afonso Nascimento
Com.: 0
Por Eugênio Nascimento
23/08
17:52

João Daniel denuncia irresponsabilidade de Bolsonaro ao acusar ONGs por queimadas na Amazônia

Deputado classificou como uma falta de responsabilidade do presidente tais declarações infundadas e inverídicas

Enquanto as queimadas devastam boa parte da Amazônia, o presidente Jair Bolsonaro insiste em culpabilizar as organizações não governamentais (ONGs) que atuam na preservação da área, mesmo sem apresentar nenhuma prova das denúncias que faz. O deputado federal João Daniel classificou como uma falta de responsabilidade do presidente tais declarações infundadas e inverídicas, que além de não colaborar em nada prejudica ainda mais a imagem do país no exterior, especialmente no que se refere à sua falta de política ambiental e destruição de tudo que vinha sendo feito na área.

 

O deputado destacou a nota emitida pela Associação Brasileira de Organizações Não Governamentais (Abong), assinada por mais de 100 organizações da sociedade civil, chamando a atenção para o aumento dos focos de incêndio em todo o Brasil e em repúdio as declarações do presidente Bolsonaro. “Ao invés de tomar as providências sob sua responsabilidade, o presidente desestrutura os órgãos de fiscalização e incentiva a ocupação de territórios indígenas, a exploração ilegal dos nossos recursos naturais, além de incentivar o uso de armas por fazendeiros e buscar criminalizar os movimentos sociais que lutam por direitos e por justiça”, afirmou João Daniel.

 

Os focos de incêndio em todo Brasil aumentaram 84% desde o início deste ano, para um total de 75 mil registros feitos pelo Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais (Inpe), dos quais 54% ocorreram na Amazônia. No entanto, mesmo diante da escandalosa situação, Bolsonaro afirma e reafirma suas acusações sobre as ONGs.

 

Efeito estufa

Para João Daniel, o crescimento do desmatamento e das queimadas representa, também, o aumento das emissões brasileiras de gases do efeito estufa, distanciando o país do cumprimento das metas assumidas no Acordo de Paris. “Enquanto o governo justifica a flexibilização das políticas ambientais como necessárias para a melhoria da economia e as emissões desses gases explodem, o aumento do PIB se aproxima do zero”, ressaltou.

 

Segundo o deputado João Daniel, o aumento das queimadas não é um fato isolado. Nesse curto período do governo Bolsonaro, disse ele, também cresceram o desmatamento, a invasão de parques e terras indígenas, a exploração ilegal e predatória de recursos naturais e o assassinato de lideranças de comunidades tradicionais, indígenas e ambientalistas. “Ao mesmo tempo, Bolsonaro desmontou e desmoralizou a fiscalização ambiental, deu inúmeras declarações de incentivo à ocupação predatória da Amazônia e de criminalização dos que defendem a sua conservação”, disse João Daniel, ao acrescentar que o país merece um  melhor destino do que esse que estamos vivendo, com um governo eleito sem falar com o povo e sem respeitar os trabalhadores e trabalhadoras.

 

De acordo com o deputado, é importante destacar que os fazendeiros, estimulados pelo discurso do presidente, promoveram o “dia do fogo”, no último final de semana, ao longo da BR-163, no Pará. O ato que queria chamar a atenção do governo causou devastação e resultou em densas nuvens de fumaça sobre várias cidades.

 

João Daniel acrescentou que o momento requer que o presidente e o governo como um todo aja com responsabilidade, sem atitudes e medidas que não constroem. “O presidente deve agir com responsabilidade e provar o que diz, ao invés de fazer ilações irresponsáveis e inconsequentes, repetindo a tentativa de criminalizar as organizações, manipulando a opinião pública contra o trabalho realizado pela sociedade civil”, disse.

Fonte: Ascom/João Daniel
Foto: PT



Política
Com.: 0
Por Redação
23/08
17:50

Codevasf realiza peixamento em Itaporanga d’Ajuda

Na ação, foram lançados alevinos de espécies como tambaqui, tilápia e curimatã

A Companhia de Desenvolvimento dos Vales do São Francisco e do Parnaíba (Codevasf) realizou peixamento na zona rural de Itaporanga d’Ajuda nessa sexta-feira (23). Açudes públicos nos assentamentos Dom Helder Câmara, Vitória da Conquista e 08 de Março foram repovoados com 20 mil alevinos de variadas espécies de peixes. A ação teve a participação do superintendente regional da Codevasf, César Mandarino, e do prefeito de Itaporanga d’Ajuda, Otávio Sobral.

Os alevinos utilizados no peixamento foram produzidos pela Codevasf no Centro Integrado de Recursos Pesqueiros e Aquicultura de Betume (CIB), unidade de produção e pesquisa localizada em Neópolis. Na ação, foram lançados alevinos de espécies como tambaqui, tilápia e curimatã. Os peixamentos ajudam a recompor os estoques pesqueiros de rios e açudes, contribuindo para a segurança alimentar nas comunidades rurais contempladas.

Atualmente, a Codevasf realiza uma série de projetos em parceria com a Universidade Federal de Alagoas (Ufal) para a produção de espécies consideradas em extinção na bacia do rio São Francisco, como o camarão pitu e o pacamã. Além disso, um experimento para o cultivo consorciado de tilápia e camarão gigante da Malásia busca fomentar essa produção no Baixo São Francisco.

Fonte e foto: Ascom/Codevasf


Variedades
Com.: 0
Por Redação
23/08
17:47

Museu da Gente Sergipana voltará a funcionar próxima terça, dia 27

Suspensão das visitas e atividades culturais pelo período de três semanas se deu por conta de um princípio de incêndio no prédio da subestação de energia

O Instituto Banese comunica que após serviços preliminares de correção elétrica, o Museu da Gente Sergipana Gov. Marcelo Déda voltará a funcionar na próxima terça-feira, dia 27. A suspensão das visitas e atividades culturais pelo período de três semanas se deu por conta de um princípio de incêndio no prédio da subestação de energia, causado por um curto circuito nas baterias do nobreak (dispositivo responsável por estabilizar a corrente de energia elétrica).

A medida teve como objetivo manter a integridade do prédio e todo seu acervo, além de continuar oferecendo segurança e conforto aos seus visitantes. Tendo em vista a realização de serviços capazes de garantir essa segurança, a partir de terça reabriremos para visitação no horário normal, de terça a sexta, das 10h às 16h, e aos sábados, domingos e feriados, das 10h às 15h, com entrada gratuita. Ressaltamos que o projeto Teatro no Museu para o público infantil já volta a acontecer neste sábado, 24, às 16h, com o espetáculo ‘Meu pé de laranja’, da Então Cia. de Arte. Os demais projetos e ações também serão retomados de acordo com as datas previstas.

Com a reabertura do museu, a Loja da Gente e o Café da Gente voltam a funcionar em horário normal. Agradecemos todas as mensagens de apoio e torcida para o retorno das atividades do nosso museu. 

Fonte e foto: Ascom/Instituto Banese


Variedades
Com.: 0
Por Redação
23/08
17:44

Prefeitura homenageia 42 anos do Imbuaça com edição especial do Ocupe a Praça

Toda a programação do Ocupe a Praça do mês de agosto será dedicada a um panorama desse coletivo de teatro de rua que é o mais antigo do Brasil

A expressão corporal e a entonação vocal tomarão conta da praça General Valadão com o Ocupe a Praça Imbuaça - 42 anos. O projeto, idealizado e executado pelo Núcleo de Produção Digital (NPD) Orlando Vieira, equipamento da Prefeitura de Aracaju vinculado à Fundação Cultural Cidade de Aracaju (Funcaju), acontece na próxima quarta-feira, dia 28, objetiva honrar a arte estabelecida pela companhia durante esses anos e apresentar, de maneira dinâmica, o eixo-central do grupo, o teatro de rua. 
 
Reconhecido em sua história por elementos da cultura popular nordestina, o Imbuaça chega aos 42 anos com a convicção de que a rua sempre foi, e continua sendo, ocupada pelo teatro. Toda a programação do Ocupe a Praça do mês de agosto será dedicada a um panorama desse coletivo de teatro de rua que é o mais antigo do Brasil, e que influenciou o surgimento de grupos por todo o país. 
 
Programação

O primeiro momento do Ocupe a Praça de agosto será com uma degustação sonora e visual,  com a realização de um ensaio aberto do grupo de teatro Imbuaça. Encontro acontecerá neste sábado, dia 24, e será a parte formativa do projeto, que visa promover o acesso público a diversas manifestações cultural. A apresentação ‘Mar de Fitas Nau de Ilusão’, espetáculo que propõe um olhar sobre as quatro décadas do grupo e as razões pelas quais o Imbuaça se tornou conhecido como uma trupe de teatro de resistência e de defesa da cultura popular, ocorre no Teatro João Costa, no Centro Cultural de Aracaju, das 9h às 12h. Já na quarta-feira, dia 28, o Ocupe a Praça completa a sua programação com uma série de ações. A partir das 18h, o Liquidifca Diálogos trará um rico debate sobre o teatro de rua, uma modalidade teatral que une diversos atores e suas habilidades corporais e orais para uma construção estética específica, excepcionalmente executada em espaço aberto. Em seguida, terá exibição audiovisual. Para finalizar, o Imbuaça encena propondo um olhar sobre os 42 anos do grupo. O espetáculo apresenta, de forma reflexiva, como o grupo se mantém firme durante todos esses anos e faz tributo aos que o edificaram. Com direção e roteiro de Iradilson Bispo, o teatro musical tem duração de 60 minutos, livre para todos os públicos, e promove o cantar da cultura popular como um instrumento marcante para expressar como é ser artista de grupo. Nove atores interpretam 22 canções que fizeram parte da dramaturgia nessas quatro décadas, numa celebração sobre ser artista popular e mostrar sua arte em praça pública.

Fonte: AAN
Foto: Secom/PMA


Variedades
Com.: 0
Por Redação
23/08
17:33

Tribunal de Contas e Governo do Estado assinam TAG que beneficia militares reformados

Governo deverá encaminhar o novo Projeto de Lei na próxima semana

O Tribunal de Contas do Estado (TCE/SE) e o Governo do Estado de Sergipe assinaram um Termo de Ajustamento de Gestão (TAG) nesta sexta-feira, 23, na sala de reuniões da Corte de Contas. O TAG busca sanar irregularidades na aplicação da Lei Complementar 310/2018, que criou vantagens para os policiais militares inativos e pensionistas, em descumprimento à Lei de Responsabilidade Fiscal (LRF).

Assinaram o Termo o procurador-geral do Estado, Vinícius Soares de Oliveira, representante do governador Belivaldo Chagas e, representando o TCE/SE, o conselheiro Carlos Alberto Sobral de Souza. Também participaram da assinatura do TAG o procurador-geral do Ministério Público de Contas (MPC), João Augusto Bandeira de Mello e o secretário Estadual da Fazenda, Marco Antônio Queiroz.

A Lei 310/2018 prevê aumento na tabela dos subsídios de militares que cumpriram mais de 30 anos de serviço, o que tem por consequência um impacto superior a R$ 3 milhões nas contas do Governo Estadual. Em relatório, foram identificadas irregularidades para aplicação da lei, pois não estava demonstrada a origem dos recursos necessários para concessão dos benefícios e a lei foi promulgada com menos de 180 antes do final do mandato – período proibido pela LRF. O TAG objetivou, então, a resolução dessas questões de uma maneira que não prejudicasse os militares e garantisse a sustentabilidade financeira do Estado. Para Bandeira de Mello, foi encontrada a melhor solução para sanar os problemas: haverá diminuição nos gastos do Governo para compensar os benefícios concedidos aos militares.

Fonte: ASN
Foto: Mário Sousa


Política
Com.: 0
Por Redação
23/08
17:30

Educação disponibiliza mais duas provas para o último simulado online na preparação para o Encceja

Outras provas foram colocadas no portal da Seduc ao longo dos últimos dois meses, todas as sextas-feiras

Faltando apenas dois dias para a realização da prova do Exame Nacional para Certificação de Competências de Jovens e Adultos (Encceja), a Secretaria de Estado da Educação, do Esporte e da Cultura (Seduc), por meio do Serviço de Educação de Jovens e Adultos (SEJA), disponibiliza nesta sexta-feira (23), mais duas provas do Simulado Online. Outras provas foram colocadas no portal da Seduc ao longo dos últimos dois meses, todas as sextas-feiras. Cada edição contém questões referentes a uma área específica do conhecimento para os níveis fundamental e médio: Ciências da Natureza e suas Tecnologias, Ciências Humanas e suas Tecnologias, Matemática e suas Tecnologias, e Linguagens, Códigos e suas Tecnologias. São 30 questões para cada nível, devidamente comentadas por professores da rede pública estadual. "É um preparatório para os alunos da rede estadual e também para os cidadãos que não têm tempo para cursar uma modalidade regular ou EJA, mas que podem utilizar esse material para os seus estudos em casa", explicou Vlademir Silva Santos, chefe do Serviço de Educação de Jovens e Adultos (Seja).

Prova do Encceja

No próximo domingo (25), em Sergipe, as provas acontecerão em Aracaju e nas sedes dos municípios de Nossa Senhora do Socorro, São Cristóvão, Estância, Lagarto, Itabaiana, Nossa Senhora da Glória, Propriá e Simão Dias. A aplicação das provas ocorrerá nos turnos da manhã e tarde. Os candidatos que serão submetidos às provas nas modalidades de Ensino Fundamental e Médio devem se atentar às seguintes recomendações: os portões de acesso aos locais do exame serão abertos às 8h e fechados às 8h45. O início será às 9h para as provas que serão aplicadas pela manhã. À tarde, os candidatos podem entrar às 14h30, até às 15h15, e o exame será aplicado às 14h30, de acordo com o horário oficial de Brasília.

Os participantes também já podem acessar o cartão de confirmação do Encceja 2019 e consultar o local de prova. As informações estão disponíveis na página do participante (www.enccejanacional.inpe.gov.br/encceja). Para ter acesso, basta logar com CPF e senha cadastrados. No dia da prova, é necessário apresentar um documento oficial com foto e utilizar caneta esferográfica de tinta preta, fabricada em material transparente. A entrada com lanche será permitida, mas passará por vistoria. Os Simulados Online podem ser conferidos no portal da Seduc, através do link: www.seduc.se.gov.br/supletivo.

Fonte: ASN
Foto: Divulgação


Variedades
Com.: 0
Por Redação
1 2 3 4 5 6 » Próxima » Última

Enquete


Categorias

Arquivos