08/11
17:38

UFS 2010 - Medicina, Nutrição e Zootecnia entre os melhores do Brasil

O resultado do  Exame Nacional de Desempenho de Estudantes (Enade) 2010, divulgado no final de semana pelo MEC  mostra os cursos de Medicina, Nutrição e Zootecnia da UFS com nota 5, a maior do processo de avaliação.  Nutrição e Zootecnia são cursos novos e já tem sido bem avaliados nacionalmente. Aparecem no listão com nota 4, a segunda maior, os cursos de Enfermagem, Fonoaudiologia e Odontologia. O reitor da UFS, professor Josué Modesto, disse ontem, durante reunião com assessores, que professores e estudantes estão de parabéns.

Josué Modesto aproveitou a reunião para anunciar que o Ministério da Educação autorizou a UFS a realizar seleção para c ontratação de mais 50 professores. A instituição de ensino saiu de cerca de  480 professores concursados para mais de 1200. Novos cursos deverão ainda ser autorizados no próximo ano.


Variedades
Com.: 16
Por Eugênio Nascimento
08/11
16:45

SERGIPE - Petroleiros terceirizados estão em greve em Carmópolis

Funcionários da CEMON estão em greve há 28 dias. Empresa nega-se a negociar.

Desde o dia 13 de outubro, 180 petroleiros terceirizados da empresa CEMON estão em greve em Carmópolis. As negociações não avançaram nem em audiência na justiça trabalhista. "A empresa nega-se a negociar com o Sindipetro, apesar de todo o esforço que temos feito para avançarmos na negociação", disse Gilvani Alves, diretora do Sindipetro AL/SE.

A CEMON entrou com a ação na justiça pedindo a ilegalidade da greve, mas a justiça garantiu liminar favorável aos trabalhadores e determinou que caso a empresa seguisse com as pressões aos grevistas pagaria multa de R$50 mil.

"O Sindipetro está disposto a negociar. Participamos de uma reunião de negociação na justiça do trabalho, mas a empresa diz que não negocia e pronto", disse a diretora do Sindipetro.

De acordo com a entidade sindical representativa dos trabalhadores, a pauta de reivindicação foi aprovada em assembleia pelos trabalhadores e depois protocolada junto à empresa. "Coma a CEMON não apresentou uma contraproposta, não abriu diálogo para negociação, a saída foi à greve", afirmou Gilvani Alves.

Os principais pontos de reivindicação dos trabalhadores são: aumento do piso e reajuste salarial de 17,02%; ticket alimentação no valor de R$500; auxílio creche; licença maternidade automática de 6 meses; convênio com lavanderias industriais; melhoria no plano de saúde e no transporte.

Ato Público

Amanhã, os grevistas realizarão um ato público pelas ruas de Carmópolis. "Vamos fazer uma passeata para conversar com a população, informar porque os trabalhadores estão paralisados e pedir solidariedade e apoio à greve", disse Gilvani Alves.

De acordo a diretora do Sindipetro, será entregue também uma carta à prefeita e aos vereadores de Carmópolis. "Queremos que a Prefeitura e a Câmera de Vereadores exijam que a empresa negocie com os trabalhadores", concluiu a sindicalista. (Da assessoria)



Economia
Com.: 1
Por Eugênio Nascimento
08/11
16:17

A UFS - NA SEGUNDA DÉCADA DO MILÊNIO

A UFS - NA SEGUNDA DÉCADA DO MILÊNIO - (republicado por incorreções)

 

Prof. Angelo Roberto Antoniolli - Vice-Reitor

 

Estamos à beira dos 12 anos da virada do novo milênio, a Universidade Federal de Sergipe (UFS), nesse espaço de tempo, se inseriu no contexto das mais expressivas instituições públicas de ensino superior do país. Tornou-se uma Universidade diferente, inclusiva, crescente, diversificada. Para tanto, vivenciou momentos mais democráticos, mais participativos e maior atuação no espaço geograficamente mais amplo do Estado de Sergipe. Essa nova dimensão da UFS contribuiu para consolidar uma imagem de instituição responsável e solidária junto à sua comunidade externa.

 

A nova imagem da UFS se fez, amplamente, a partir de uma política de inserção mais agressiva e mais profissional, com o propósito, de não só defender a universidade pública e gratuita, mas também de mostrar à sociedade o que realiza e o que produz, expandindo-se, interior a dentro, tanto em sua modalidade presencial quanto a distância, o que possibilitou uma maior recepção de alunos, um maior espaço de trabalho para docentes e técnico-administrativos.

 

Mostramos, com mais sinergia, mas sem retórica e sem vaidade, à comunidade universitária e a comunidade externa que é impossível separar o processo de gerenciamento institucional da construção e implementação do projeto de universidade que imaginamos, sempre pautado nos eixos fundamentais da autonomia universitária indissociável da democracia.

 

Hoje, as variáveis para que se alcance a universidade ideal se multiplicam e se visualizam, haja vista o nível de excelência docente, discente e técnico-administrativo que, atualmente, se exibe. No entanto, é próprio do pensar (ou do comportamento) acadêmico enxergar os modelos como incompletos, exigindo sempre aperfeiçoamento. Onde acharemos um corpo de professores absolutamente homogêneo pela excelência? Onde se encontram estudantes nivelados por cima, em sua totalidade? Onde haverá, nos campi das universidades, grupos de administradores infalíveis? Em lugar nenhum.

 

Tenhamos em mente essa premissa, com humildade, antes de desdobrarmos reflexões sobre o tema em foco. O que pretendemos, daqui para frente, é mais um esforço para aclarar um debate necessariamente interminável. E é bom que a discussão se instale, mas jamais se esgote. A nossa universidade (UFS), como toda universidade, exige de todos nos uma obstinada busca do impossível. É a utopia que nos alimenta. O processo cumulativo de idéias trará resultados sempre insuficientes, mas cada vez mais úteis. A missão acadêmica é algo que se reconceitua incessantemente. Hoje, a universidade trabalha (e se esmera) para 'quitar' a sua dívida social. No lema do pluralismo e da diversidade, a UFS precisa criar e/ou ampliar espaços para muitas outras ações na mesma linha. Nesse sentido, nos cumpre defendê-la, com ênfase, das acusações que ainda flamejam, de omissão, de vez em quando incorporadas ao discurso de algum segmento interno e que repercutem na mídia.

 

 

Entre os vários aspectos da missão acadêmica, avulta, por sua relação direta com a excelência, o processo de avaliação e auto-avaliação. É exatamente a avaliação da prática acadêmica que consolida a excelência e a solidariedade. São, pois, valores necessariamente complementares, decisivos na preservação da qualidade em nosso desempenho acadêmico e no cumprimento de nossos irrenunciáveis compromissos sociais.

(Com fragmentos extraídos de Jacques Marcovitch  - Revista Adusp 1997)



Variedades
Com.: 0
Por Eugênio Nascimento
08/11
16:00

Preço da cesta básica subiu 6% em Aracaju em outubro, mesmo assim ainda é a mais barata do país

Análise realizada pelo Boletim Sergipe Econômico (FIES/UFS), com base nos dados da Pesquisa Nacional da Cesta Básica, realizada pelo Departamento Intersindical de Estatística e Estudos Socioeconômicos - DIEESE, compreendendo 17 capitais brasileiras, apontou que o custo da cesta básica na capital sergipana aumentou 6% no décimo mês do ano, na comparação com outubro do ano anterior, com valor de R$ 182,68.

 

Apesar deste crescimento a cesta básica da capital sergipana ainda continua sendo a mais barata do país.

 

No comparativo com o mês anterior (setembro/2011), o preço da cesta básica caiu 0,51%. De janeiro a outubro deste ano, o preço da cesta básica de gêneros alimentícios essenciais acumula alta de 3,87%.

 

Desempenho dos preços

 

Na comparação com outubro do ano passado, os produtos que registraram alta nos preços em Aracaju foram o açúcar (29,23%), o óleo de soja (23,97%), a carne (11,67%) e o tomate (10,83%). Os preços do leite e do arroz foram os que apresentaram os menores aumentos, de 1,22% e 0,49%, respectivamente nesta comparação. A queda nos preços foi verificada no feijão (-6,66%), na banana (-6,06%), na farinha (-1,60%), e na manteiga (-0,98%).

 

Em relação ao mês anterior, as reduções de preços foram no tomate (-11,92%), na banana (-3,95%), no arroz (-3,43%), no feijão (-0,67%) e no leite (-0,60%). Os demais apresentaram alta nos preços de 4,49% para o pão, 3,28% para o açúcar, 2,39% para o óleo, 1% para a manteiga, 0,88% para a carne, 0,81% para o café e 0,55% para a farinha. (Da assessoria)



Economia
Com.: 0
Por Eugênio Nascimento
08/11
11:49

Produção de petróleo tem leve crescimento e de gás natural recua em Sergipe

 

Análise realizada pelo Boletim Sergipe Econômico (FIES/UFS) com base nos dados da Agência Nacional do Petróleo e Biocombustíveis (ANP), revelou queda na produção de petróleo do estado de Sergipe no mês de setembro. A ANP divulgou que neste mês a produção foi de quase 1,27 milhões de barris equivalentes de petróleo (bep), cerca de 10% menos que a produção do mês de agosto.

Já em comparação com o mês de setembro de 2010, a produção cresceu 0,2%. O total acumulado da produção de janeiro a setembro de 2011 também foi superior ao de 2010, com aumento de 0,2%.

Ainda de acordo com a ANP, o volume da produção de gás natural em Sergipe no mês de setembro foi o menor desde janeiro deste ano, com pouco mais de 442 mil bep. O recuo foi de 29,4% em relação ao mês de agosto e 32% em relação ao mês de setembro de 2010. Apesar da expressiva queda, o total acumulado da produção de janeiro a setembro de 2011 foi 2,7% superior ao total do mesmo período de 2010.(Da asserssoria)

 



Economia
Com.: 0
Por Eugênio Nascimento
08/11
11:39

A produção industrial de setembro

Ricardo Lacerda*

O anúncio, na semana passada, da retração de 2% na produção física da indústria brasileira em setembro, em relação a agosto, na série sem efeitos sazonais, provocou um grande susto. Tal resultado deixou patente que a desaceleração do nível de atividade da economia brasileira, meta desejada e planejada pelas autoridades econômicas, veio com mais força do que se projetava.

Depois do crescimento de 7,5% do PIB e de 10,4% da produção física da indústria em 2010, cristalizou-se a percepção de que a economia brasileira estava crescendo acima do seu produto potencial, com efeitos perceptíveis e preocupantes sobre a evolução da inflação e sobre o resultado da conta corrente.

Mesmo considerando que retração tão elevada da produção física da indústria em apenas um mês deveu-se, em grande parte, à queda de 11% na produção de automóveis, em função de férias coletivas adotadas por algumas montadoras para reduzir os estoques no pátio, a queda da produção industrial foi abrangente, atingindo 16 dos 27 ramos pesquisados.

Desaceleração industrial
O Gráfico, a seguir, apresenta a taxa de crescimento do produto industrial na série acumulada em doze meses. O que chama atenção é o ritmo da desaceleração.O ano de 2011 deverá fechar com um crescimento pífio da produção industrial, como antecipa a expansão dos últimos doze meses encerrados em setembro, em relação aos doze meses anteriores, que se limitou a 1,6%.



Alguns analistas têm atribuído o comportamento ruim da produção industrial nos últimos meses a um conjunto de fatores que abrange a perda de competividade de parcela da nossa produção industrial no mercado interno e no mercado externo, decorrente da valorização cambial, as medidas adotadas para restringir o crédito e a elevação do seu custo, e a corrosão do poder de compra pela aceleração inflacionária.  Um fator novo tem chamado atenção. Com o agravamento da crise europeia, a queda da confiança no futuro, de empresários e consumidores, também vem afetando as decisões de compras.

A reversão das expectativas atingiria, particularmente, a produção de bens de capital e de bens de consumo duráveis, ainda que os resultados desses segmentos possam estar muito influenciados pelo comportamento da indústria automobilística. Mesmo a produção de bens intermediários estaria sendo contaminada pelos efeitos do agravamento do cenário sobre as decisões de empresários e consumidores.

Na série livre de efeitos sazonais, a produção física do setor de bens de capital recuou 5,5% entre agosto e setembro, os bens duráveis se retraíram 9%, enquanto a produção de bens intermediários manteve o patamar do mês anterior e a produção de semiduráveis e não duráveis recuou 1,3%.

Investimentos
Os investimentos industriais vinham retomando fortemente, estimulados pelo crescimento do consumo que impactava positivamente a produção interna de bens de capital. Com a deterioração do quadro econômico externo e a desaceleração da produção industrial interna, a taxa de crescimento do setor vem caindo rapidamente, de forma que, nos doze meses encerrados em setembro de 2011, a expansão da produção física de bens de capital se limitou a 5,5%. A Tabela, a seguir, mostra como a desaceleração do crescimento da atividade industrial também vem alcançando as demais categorias de uso.



No início do ano, o aquecimento excessivo da economia brasileira levou à tomada de medidas restritivas que somadas ao agravamento mais recente do cenário externo estão provocando uma desaceleração muito rápida do nível de atividade da economia brasileira.As autoridades econômicas precisam ficar atentas para não permitir que se instale uma onda de pessimismo, quando a economia brasileira, por tudo que avançou no passado recente, tem respondido de forma positiva àsdificuldades do cenário internacional.

*Professor do Departamento de Economia da UFS e Assessor Econômico do Governo de Sergipe.
Artigos anteriores estão postados em http://cenariosdesenvolvimento.blogspot.com/



Publicado no Jornal da Cidade em 06/11/2011


Colunas
Com.: 0
Por Eugênio Nascimento
08/11
11:29

Inscrições para o Bolsa-Atleta começam hoje

Mariana Dantas (Foto: Alejandro Zambrana)

A Prefeitura de Aracaju, através da Secretaria Municipal de Esporte e Lazer (Semel), torna público o
edital de seleção para os esportistas que serão beneficiados com a Bolsa-Atleta. As inscrições iniciam nesta quarta-feira, 9, e se encerram no próximo dia 18, sem possibilidade de prorrogação.

O incentivo financeiro será dado a 80 atletas de rendimento, residentes em Aracaju, na faixa etária de 12 a 35 anos, nas diversas modalidades olímpicas, não olímpicas e paraolímpicas. Para concorrer ao benefício é preciso comprovar a filiação no respectivo comitê da categoria em que compete.São ofertadas bolsas em três categorias: Ouro, Prata e Bronze, a depender do nível de competições do candidato, durante o período de 12 meses, contando a partir do próximo mês de dezembro.

Segundo Mariana Dantas, coordenadora de esportes de alto rendimento da Semel, o Bolsa-Atleta vai ajudar os competidores a ter uma maior estabilidade financeira, o que refletirá nos resultados alcançados nas competições. "A maioria dos atletas não têm o esporte como profissão e precisam trabalhar para poder praticar o esporte. Com o benefício financeiro, o competidor poderá ter uma preparação muito melhor para atender seus objetivos. O resultado serão mais medalhas e títulos para nossa cidade", comenta Mariana Dantas.

Os interessados em concorrer ao benefício devem encaminhar os documentos exigidos juntamente com a ficha de inscrição anexa ao edital à sede da Semel, localizada na Rua Arauá, 292, bairro São José. O resultado final da seleção será divulgado até o dia 24 deste mês. Mais informações através do telefone (79) 8862-4991.

Clique aqui e confira o edital

Clique e imprima a ficha de inscrição e ficha do curriculo



Esportes
Com.: 0
Por Kleber Santos
08/11
11:26

Coordenadora de Políticas para Mulheres é nomeada

Fotos: André Moreira

Na tarde desta segunda-feira, 7
, o prefeito Edvaldo Nogueira nomeou Adriana Oliveira como
coordenadora municipal de Políticas Públicas para as Mulheres. Durante a assinatura do
termo de posse, Edvaldo enfatizou a trajetória de Adriana nos movimentos sociais como um
dos principais méritos para que ela tenha sido escolhida para o cargo. "Ela sempre lutou
pelos interesses da mulher como presidente da Coordenação do Movimento de Mulheres do
Estado de Sergipe (Conan-Mulher), e tenho certeza que continuará realizando um grandioso
trabalho aqui na Prefeitura de Aracaju", destacou.

Para a coordenadora, que tem uma trajetória de luta em defesa da mulher de mais de 8
anos, a nomeação é motivo de grande orgulho. "Darei continuidade ao trabalho que venho
desenvolvendo. Agora, com o desafio de montar uma equipe, idealizar projetos e ir às
comunidades levar inclusão e cidadania paras as mulheres. Sinto-me muito honrada com a
escolha", expressou Adriana.

Bastante atuante, a coordenadora recém empossada já faz jus à nomeação. Ela representará
a Prefeitura de Aracaju durante a 3ª Conferência Estadual de Política para as Mulheres,
que se realizará nos próximos dias 8 e 9, no clube do Banese. A realização é do Governo
de Sergipe por meio da Secretaria Especial de Políticas para as Mulheres (SEPM).

Presenças
A nomeação foi realizada no gabinete do prefeito com as presenças da vereadora Karla
Trindade; da secretaria de Políticas Públicas para as Mulheres, Ivânia Pereira; da
secretária de Governo, Tânia Soares; da chefe de gabinete, Fabiana Passos; do presidente
da Federação Estadual das Entidades Comunitárias, Manoel de Barros e do presidente
estadual do PCdoB, Alisson Souza.


Variedades
Com.: 0
Por Eugênio Nascimento
Primeira « Anterior « 1648 1649 1650 1651 1652 1653 1654 1655 1656 1657 1658 » Próxima » Última

Enquete


Categorias

Arquivos