20/01
12:49

Zé Toicinho

José Lima Santana*
Padre e professor da UFS

Não sei, e disso preciso certificar-me, se os doutores Netônio Bezerra Machado e José Hamilton Maciel, diletos amigos deste sofrível escrevinhador, conheceram, em Pão de Açúcar, nas Alagoas, pois de lá eles dois são filhos, o famoso rezador Zé Toicinho. Aliás, em Aracaju há uma verdadeira “República” do Pão de Açúcar. Na capital sergipana tem mais gente do Pão de Açúcar do que cearenses como garçons em São Paulo. Pois bem.

Zé Toicinho era o vulgo de José Augusto Bernardes da Fonseca Ribeiro, nome de ministro do Supremo para cima. Interessante, não sei como, no ano passado, ou melhor, no ano antepassado, 2017, veio à minha lembrança o nome de Zé Toicinho. É que eu ainda não me acostumei com 2019. Penso que ainda estou em 2018. Também com tanta coisa acontecendo no Brasil e mexendo com a cabeça da gente, inclusive com um capitão como presidente e um general como vice, que, se fosse nos tempos de coronel Fulgêncio Argolo, o Argolão, cabra matador como poucos em qualquer lugar do mundo, isso seria motivo para se tirar a coisa a limpo. Um capitão ser maior do que um general? “Só no Brasil, nesta terra de caiporas e sacis-pererês”, haveria de dizer o citado coronel, cuspindo longe uma cagada de pato, escura, arrancada dos pulmões consumidos pelo fumo de rolo dos cigarros pés-duros, que ele fumava a três por dois. 

Eu conheci Zé Toicinho, exatamente em Pão de Açúcar, na beira do rio São Francisco, quando, num começo de tarde de sábado, eu consumia, deliciosos pitus, iguaria muito melhor do que lagosta, comidinha de grã-finos, que só tem preço. Mas, algum enxerido há de ter a petulância de dizer: “Você só diz isso porque é pobre e não pode pagar um prato de lagostas na manteiga de ervas”. Ah, infeliz! Era o que eu haveria de responder. 

Voltemos ao Zé Toicinho. Antes, porém, eu preciso dizer que um lombo de frigideira, como minha mãe costumava fazer, recheado com toicinho, bem marinado, para se comer dentro de alguns dias, velho, bem curtido, era uma delícia dos céus. Agora, por conta do diabetes, nem pensar em carne de porco. Porém, pensando bem, será que carne de porco faz mal a um diabético? Hei de consultar o Dr. Darcy Tavares, outro que veio das bandas do Pão de Açúcar. Menino, se olhar bem, talvez tenha mais gente do Pão de Açúcar do que sergipanos, no Aracaju. Ai já não será mais uma “República”, e, sim, uma “Confederação”. Deixe para lá! Afinal, é tudo gente boa, gente da gente. Vai aqui outra enrolação: banha de porco, toicinho, torresmo e carne de porco salgada, tudo isso, era comprado na casa de Barroso da finada Odília, lá no meu subúrbio, nas Dores. Todavia, carne fresca de porco era comprada a Arnaldo Pafó, no Talho de Carnes, construído em 1918, pelo intendente Álvaro de Souza Brito.

Agora, sim, vamos ao Zé Toicinho. Não haverá mais desvios. Eu prometo. É que tem uns leitores exigentes demais e querem que eu dê logo conta do serviço. Pois bem. E este é o segundo “pois bem”. Zé Toicinho tornou-se rezador nos sertões das Alagoas. Com o tempo, ele veio descendo pelas ribanceiras do Velho Chico e bateu em Pão de Açúcar. Eu duvido que o Dr. Netônio e o Dr. Zé Hamilton não o tenham conhecido. Estava ali um sujeito que não gostava de trapicolas. Com ele, era tudo na chincha. Arrochado. O pai de Zé Toicinho tinha sido um grandola da política da região de Maravilha e Ouro Branco. Prefeito algumas vezes, gastador, pôs tudo que tinha a perder, para eleger sujeitos da capital aos cargos de deputado, senador e governador. Quando se viu de esmola, Antônio Felício da Fonseca Ribeiro entregou o pescoço a uma corda de caroá. Pobre homem! A família não encontrou guarida da parte de nenhum dos políticos para os quais Antônio Felício carreara votos em seguidas eleições. 

Um ano depois da morte do pai de Zé Toicinho, Dona Eleonora jogou-se no mundo com sete filhos, dois homens e cinco mulheres. O mais velho era José Augusto, que tinha dezoito anos. Nas barrancas do São Francisco, bem mais acima de Pão de Açúcar, onde a família fez pousada, um celerado desonrou Maria Rosa, que tinha quinze anos. Perdida, a mocinha lançou-se nas águas barrentas do rio, numa manhã invernosa. Foi, então, que José Augusto teve que se fazer nas armas. Enfiou um punhal enferrujado na goela do deflorador, que, segundo se dizia, era useiro e vezeiro em fazer aquilo, ou seja, em colher a preciosa flor de mocinhas pobres. José Augusto foi dar com o bandido numa bodega de pé de pau. De acordo com testemunhas, ele se achegou para o futuro defunto e gritou: “Tu tá morto, cabra”! Pegou o sujeito de supetão, mas não pelas costas. Foi de frente. O aço entrou na goela, atravessando-a, e o sangue espirrou no peito do matador. Serviço feito, José Augusto benzeu-se e balbuciou uma reza. Depois, saiu como se nada tivesse acontecido. 

Zé Toicinho, isto é, José Augusto, aos dezoito anos de idade aboletou-se no mundo. A família ficou sob a proteção do coronel Tancredo, desafeto da família do morto. Uns meses depois, o coronel mandou dar conta de José Augusto. Botou advogado e o livrou no júri formado por pessoas da sua intimidade. E foi então que José Augusto passou a fazer uns “servicinhos” para o coronel Tancredo. Fez um, fez dois, fez três... e foi fazendo. Após cada serviço, ele costumava benzer-se e rezar. Daí veio a fama de rezador. 

Passou o tempo, José Augusto bandeou-se para São Paulo. Largou a vida antiga, após ser preso e comer cadeia por doze anos. Àquela altura, era um homem de trinta e poucos anos. Constituiu família. Com sessenta e alguns anos de idade, aposentado como motorista de ônibus, ele retornou para Alagoas. Fixou-se no Pão de Açúcar, por volta dos anos 1970. Ele e a esposa. Os filhos e netos ficaram em São Paulo. No Velho Chico, Zé Toicinho tornou-se pescador. Eu o conheci vendendo pitus salgados, já na década de 1980. Ele devia beirar os oitenta anos. Mas, ainda era forte, estava bem para a idade. E pelas saudações recebidas de várias pessoas, ele parecia ser bem quisto. 

Conversa vai, conversa vem, eu fiquei sabendo um pouco de sua vida. Não por ele, mas por um primo, que era dono do bar onde eu comi uma moqueca de pitus, no sábado em que o conheci. Aliás, dele eu comprei dois quilos de pitus salgados. 

Só uma coisa eu não soube: de onde veio o apelido de Zé Toicinho. 

Puxa vida! Mas, será que o Dr. Netônio e o Dr. Zé Hamilton não conheceram Zé Toicinho? Hei de tirar isso a limpo. Quem sabe se eles não sabem de onde veio o apelido? 

* Advogado e membro da ASL. da ASLJ e do IHGS


Coluna José Lima
Com.: 0
Por Kleber Santos
19/01
21:41

Coluna Primeira Mão

Comissão de Descanso


Na sexta-feira, 18, em visita à Redação do Jornal da Cidade, o vereador Lucas Aribé, disse que as comissões mais atuantes da Câmara Municipal de Aracaju são as de Finanças e de Justiça e Redação. Uma que anda “devagar quase parando” é a de “Obras, Serviços Públicos, Transporte e Meio Ambiente”, que não promoveu sequer uma reunião em 2018. Lucas é membro dela e declarou que, de tanto não se reunir não lembra os nomes de todos os vereadores que compõem o grupo.


Boqueira


De vez em quando um vereador vai à tribuna e diz “senhor presidente, este microfone está com fedor”. Esse tipo de comentário seria de Soneca? Para quem é dirigido, não se sabe. Um vereador tem um salário de R$ 18.991,68 para esse tipo de coisa.


Calamidade financeira


O governador Belivaldo Chagas poderá decretar calamidade financeira até no mais tardar o final de abril próximo. Sergipe vive momento péssimo e teme-se o agravamento da crise, pois implicaria em dificuldades para pagar as dívidas e salários. Chegamos a essa situção por que o Estado gasta mais do que arrecada e ainda a sua previdência tem um rombo crescente, o tesouro tem que bancar  metade dos gastos com previdência.  A receita corrente líquida é cerca de R$ 7,3 bilhões e o Governo manda anualmente R$ 1 bi para tapar a obturaçao da previdência.

Procura-se secretário


Por mais insistentes que sejam os pedidos para que o engenheiro Valmor Barbosa permaneça ocupando a Secretaria sucedânea da pasta da Infraestrutura, o governador Belivaldo Chagas mantêm-se avaliando perfis que possam ocupar o cargo de titular e também quem poderia comandar o DER/SE e a Cehop. Na sexta-feira, 18, empresários da construção civil pediram a manutenção de Valmor, durante reunião-almoço com o governador, que pareceu não ouvir os apelos.


Sistema penitenciário


Segundo agentes penitenciários, presidiários com algum dinheiro ou status social recebem tratamento especial em todos os presídios de Sergipe. A superlotação só existe para a raia miúda. É aquela história dos iguais e dos mais iguais




Bons tempos aqueles


A Petrobras, outrora principal agente de desenvolvimento de Sergipe, hoje puxa o Estado para o retrocesso. A empresa, que produzia 40 mil barris de óleo/dia, reduziu muito a sua produção e rompeu contratos com terceirizadas, o que motivou a redução de contratações, gerando desemprego. Nos anos de 1970, 80 e 90 e parte dos anos 2000 a estatal era o xodó do Estado e hoje, com a redução dos royalties, virou uma dor de cabeça para Sergipe.


Crise no MDB


Há um claro clima de insatisfação entre os jovens emedebistas e o pessoal da “velha guarda’. Por causa disso, há um risco de esvaziamento. Os mais jovens querem espaços maiores no comando da agremiação e os antigos militantes estariam resistindo. As insatisfações estão entre políticos com mandatos e expressivas lideranças. Ninguém da velha guarda se manifesta sobre o assunto.


Armas no mercado

Loja localizada no mercado velho vende armas de fogo. Segundo seu proprietário tem crescido a procura por revólveres, escopetas, espingarda, pistolas etc. Preços variam entre um mil e quatro mil reais.

Uma sugestão

O trabalho informal pode ser notado em várias partes de Aracaju. Um exemplo disso é o número de calçadas ocupadas com pessoas vendendo queijo coalho, manteiga, massa pra fazer mingau de puba etc . Por que o prefeito de Aracaju, Edvaldo Nogueira, não cria " frentes de trabalho urbano" para criar postos de trabalho e arrumar ainda mais a cidade?

 

Educação

A Secretaria Estadual de Educação enfrenta a sua primeira crise em 2019. As lideranças sindicais estão confusas quanto a em quem bater: o governador ou o secretário?

Sem entusiasmo


Em entrevista à GloboNews nessa semana que acaba, o político Sérgio Moro não se mostrou muito à vontade com o que faz ou com seus coleguinhas de Ministério. Como juiz ele tinha mais liberdade para atuar. Não pareceu particularmente entusiasmado com o combate ao crime organizado. Pode ser o primeiro ministro a pular da canoa de Bolsonaro. Talvez caia fora antes mesmo de a aposentadoria do ministro Celso de Mello. A sua missão de xerife depois da missão de justiceiro pode estar com os dias contados. Vamos ver o que acontece.


Avanço problemático

O uso de tecnologias avançadas por repartições públicas só faz piorar o atendimento dos contribuintes/usuários. Exemplo. Um usuário de certo serviço público para resolver um problema acessa o saite da repartição, quebra a cabeça e não resolve nada. Telefona mais uma vez e recebe a informação que "tá tudo lá". Pergunta: nesses casos de atendimentos que substituem o atendimento pessoal, o que fazem esses servidores?




Coluna Eugênio Nascimento
Com.: 0
Por Eugênio Nascimento
18/01
19:30

Reestruturação organizacional da Secretaria de Estado da Educação, do Esporte e da Cultura é iniciada pelo Governo

Estudo técnico é desenvolvido em parceria com o Instituto Sonho Grande e envolve todos os departamentos administrativos e Diretorias Regionais de Educação da Seduc que abrangem as áreas de Educação, Esporte e Cultura

No decorrer das próximas dez semanas, a Secretaria de Estado da Educação, do Esporte e da Cultura (Seduc) elaborará diagnóstico completo da pasta para dimensionar a estrutura organizacional e validar alterações. Para apresentar e discutir esse projeto, o secretário Josué Modesto dos Passos Subrinho reuniu nesta sexta-feira, 18, todos os assessores e diretores dos departamentos administrativos e das Diretorias de Educação da Seduc.

Acompanhado do superintendente especial de Esporte, professor Antônio Hora, o secretário Josué Modesto afirmou que o projeto irá possibilitar a reestruturação do organograma atual da Seduc e a redefinição das atribuições de cada área de atividade de competência desta nova pasta, resultado da unificação da Educação (Seed), Esporte e Lazer (Seel) e Cultura (Secult). Para execução desse estudo técnico, o Governo de Sergipe conta com a parceria do Instituto Sonho Grande (ISG) – instituição sem fins lucrativos que atua pela melhoria do ensino público no Brasil.

Consultor do ISG, Rafael de Souza explicou que, até o final de março, o projeto de dimensionamento geral da Seduc irá resultar em um novo organograma da pasta, adequado às novas competências da Secretaria. Com agenda de reuniões semanais e quinzenais, o projeto de dimensionamento da Seduc é gerido pela Superintendência Executiva da Seduc e executado em oito frentes de trabalho por equipes de todas as áreas do órgão, com facilitação de consultores do Instituto Sonho Grande. Conta, ainda, com um comitê central gerido pelo secretário de Estado da Educação, do Esporte e da Cultura e pelo ISG.

Fonte: ASN
Foto: Ascom/Seduc


Política
Com.: 0
Por Redação
18/01
19:26

LIRAa 2019: Secretaria de Saúde divulga primeiro resultado do ano

O objetivo do levantamento é identificar em tempo hábil a população de vetor existente no estado e todos os 75 municípios fizeram a investigação

Os municípios sergipanos, com acompanhamento e supervisão da Secretaria de Estado da Saúde (SES), realizaram, neste mês de janeiro, o primeiro Levantamento Rápido do Índice de Infestação (LIRAa) do ano. O objetivo do levantamento é identificar em tempo hábil a população de vetor existente no estado e todos os 75 municípios fizeram a investigação. O Ministério da Saúde (MS) estabelece que sejam realizados, no mínimo, quatro levantamentos por ano, mas, em Sergipe, são realizados seis, a cada dois meses.

O índice de classificação de janeiro de 2019 aponta que 46 municípios estão em baixo risco, 24 em médio e cinco em alto risco. Os municípios Nossa Senhora das Dores e Tomar do Geru que em 2018 estavam com alto risco de infestação, passaram para médio e baixo, respectivamente. Já Feira Nova e Riachão do Dantas passaram a fazer parte do nível alto, juntamente com Salgado, Simão Dias e Nossa Senhora de Lourdes que terminaram o ano de 2018 em alto risco e permaneceram com o mesmo nível em 2019.

O Aedes aegipty é o vetor transmissor de três doenças preocupantes, a dengue, a chicumgunha e a zika vírus e os municípios que apareceram ou permanecem em alto risco precisam verificar onde estão ocorrendo as falhas no trabalho de combate ao mosquito, o que está havendo para que o número de infestações não reduza.

Fonte: ASN
Foto: Ascom/SES


Variedades
Com.: 0
Por Eugênio Nascimento
18/01
19:02

Secretaria do Turismo doa computador para agilizar serviços da BPTur

A ação tem como objetivo facilitar o atendimento das ocorrências atreladas aos turistas em toda a área de monitoramento da Orla de Atalaia

A Secretaria de Estado do Turismo (Setur), realizou na manhã desta sexta-feira, 18, a doação de um computador completo ao Batalhão de Policiamento Turístico (BPTur). A ação tem como objetivo proporcionar mais agilidade nos serviços administrativos daquele Batalhão, além de facilitar o atendimento das ocorrências atreladas aos turistas em toda a área de monitoramento da Orla de Atalaia. O ato aconteceu no gabinete do secretário Manelito Franco Neto, que fez a entrega do equipamento ao subcomandante do BPTur, capitão Moura.

Após a assinatura do Termo de Doação, o secretário destacou a parceria com o policiamento da capital. “A Polícia Militar tem contribuído bastante nas ações da Secretaria de Turismo em toda a extensão da Orla, dando um suporte direto à equipe que administra esta área. E quando tivemos conhecimento da necessidade que o Batalhão tinha de um computador, não medimos esforços para efetuar a doação através de recursos oriundos do Prodetur”, disse.

Ao pontuar a parceria entre os dois órgãos, o capitão Moura, falou que o equipamento contribuirá para garantir a normalidade dos serviços. “Esta parceira entre a Setur e o Batalhão de Policiamento Turístico é de extrema importância, pois é uma ferramenta que irá viabilizar o nosso policiamento em toda a região da praia, facilitando os serviços administrativos para que eles tenham mais efetividade”, finalizou o subcomandante do BPTur.

Fonte: ASN
Foto: Ascom/Setur


Variedades
Com.: 0
Por Redação
18/01
18:55

Fiscalização do Coren-SE gera a contratação de 12 profissionais de enfermagem no Hospital Gabriel Soares

O presidente do Coren-SE solicitou à direção administrativa do Hospital que apresente no prazo de 30 dias, um cronograma de contratação de novos profissionais

O Conselho Regional de Enfermagem de Sergipe (Coren-SE) recebeu nesta quinta-feira (17/01), os representantes do Hospital Gabriel Soares, a diretora administrativa, Silvania Elen de Melo e o enfermeiro RT, Leoaldo Santana, para tratar de questões relacionadas ao dimensionamento de profissionais no serviço de Enfermagem.

Após receber o relatório de fiscalização do Coren-SE, a direção do Hospital contratou 06 enfermeiros e 07 técnicos de enfermagem. Apesar da contratação, o dimensionamento da equipe de enfermagem ainda não atende a Resolução Cofen nº 543/2017.

Os representantes da unidade hospitalar relataram que possuem o objetivo de cumprir a demanda do Conselho, solicitaram uma nova inspeção afim de verificar as informações apresentadas na reunião. O presidente do Coren-SE, Diego Rafael, solicitou à direção administrativa do Hospital que apresente no prazo de 30 dias, um cronograma de contratação de novos profissionais para se adequar à Resolução Cofen nº 543/2017.

Fonte e foto: Coren-SE


Variedades
Com.: 0
Por Redação
18/01
18:33

Procuradorias municipais integram-se ao TJSE para recebimento de comunicações eletrônicas

Anteriormente, apenas o Estado de Sergipe, a Procuradoria Municipal de Aracaju e Procuradorias Federais estavam aptas ao recebimento de comunicações eletrônicas

No final de 2018, o Tribunal de Justiça de Sergipe (TJSE) concluiu a integração das procuradorias municipais de Lagarto, Nossa Senhora do Socorro, Itabaiana e Propriá ao Sistema de Controle Processual virtual (SCPv) do TJSE, viabilizando o envio e recebimento de comunicações eletrônicas entre o Judiciário e os respectivos municípios.

Antes, apenas o Estado de Sergipe, a Procuradoria Municipal de Aracaju e Procuradorias Federais estavam aptas ao recebimento de comunicações eletrônicas. Com a inclusão das procuradorias municipais, o processamento das ações em que os municípios são parte ou mesmo interessados torna-se mais célere, na medida em que as citações e intimações serão feitas em meio eletrônico, por meio do SCPv, sem a necessidade da expedição de mandados físicos, cumpridos por oficiais de justiça.

“Potencializar a prestação jurisdicional e garantir maior celeridade na tramitação dos processos foram pilares da gestão do Des. Cezário Siqueira Neto e foi com essa orientação que a Modernização Judiciária atuou na execução dos projetos. Um exemplo disso é a integração das procuradorias municipais ao SCPv, que contribuirá sobremaneira para uma Justiça mais rápida e efetiva”, concluiu o Diretor de Modernização, Adriano Leal.

Fonte e foto: TJSE


Variedades
Com.: 0
Por Redação
18/01
18:31

Usuário da Rede Pública de Saúde passam a ter acesso a lista de espera pela internet

Divulgação da relação dos medicamentos ofertados pelo SUS por meio do portal na internet é um dos benefícios

A partir de agora os usuários da Rede Pública de Saúde Estadual e Municipal podem acessar o portal dos respectivos órgãos para verificar sua posição na fila de espera dos pacientes que aguardam por consultas (discriminada por especialidade), exames e intervenções cirúrgicas e outros procedimentos.

A iniciativa ocorreu a partir do Projeto de Lei nº 195 dos deputados estaduais Georgeo Passos (PPS) e Silva Fontes (PDT) apresentada a Assembleia Legislativa de Sergipe (Alese).

De acordo com o texto da Lei nº 8.413, que a divulgação das informações respeita o direito à privacidade do paciente, que pode ser identificado pelo número do Cartão Nacional de Saúde (CNS) ou pelo Cadastro de Pessoa Física (CPF). Outro benefício é a divulgação da relação dos medicamentos ofertados pelo Sistema Único de Saúde (SUS), por meio do respectivo portal na internet, bem como fixada a relação nos postos de atendimento.

Fonte: Rede Alese
Foto: Superinteressante – Abril.com


Política
Com.: 0
Por Redação
Primeira « Anterior « 1 2 3 4 5 6 7 8 9 10 11 » Próxima » Última

Enquete


Categorias

Arquivos