03/01
12:33

Edvaldo é 1º lugar entre prefeitos do Nordeste, diz levantamento

Edvaldo Nogueira ficou em primeiro lugar entre os prefeitos de capitais do Nordeste em cumprimento de promessas em seu primeiro ano de governo. A informação foi divulgada pelo G1, portal de notícias da Rede Globo, que realizou um levantamento sobre a atuação dos Executivos Municipais das 26 capitais do país. No ranking nacional, Edvaldo ficou em oitavo lugar, a frente de prefeitos de grandes cidades como São Paulo, Rio de Janeiro e Belo Horizonte.

De acordo com os dados divulgados pelo G1, o prefeito de Aracaju cumpriu, ao longo do ano, 11 promessas das 51 principais propostas de seu plano de governo registrado na Justiça Eleitoral. Deste modo, Edvaldo já honrou com 21,6% dos compromissos que firmou com os aracajuanos. Há ainda, segundo o portal de notícias, outros 11,8% de promessas que já foram cumpridas em parte. Entre as propostas ainda não efetivadas, a administração explicou à reportagem que a quase totalidade delas se encontra no Planejamento Estratégico e será realizada entre 2018 e 2020.

Na listagem do portal de notícias da Globo estão, entre as promessas cumpridas por Edvaldo, a revogação do aumento anual de 30% do Imposto Predial Territorial Urbano (IPTU) e a regularização do pagamento dos salários dos servidores em dia, além do programa de recapeamento das avenidas da cidade e o Planejamento Estratégico das ações de governo.

Também compõem o conjunto de compromissos já concretizados a criação do Gabinete de Resolução de Crises, a implantação da Política de Promoção da Igualdade Racial, a criação da diretoria de Direitos Humanos, a presença de universitários nas escolas, a ampliação da cobertura de crianças em idade pré-escolar na rede municipal de ensino, a realização de cursos de mediação de conflitos para a Guarda Municipal e a ampliação da capacidade do centro de especialidades odontológicas.

O ranking

De acordo com o levantamento, Edvaldo já cumpriu 21,6% das promessas de campanha, o que o coloca em 1º lugar entre os prefeitos de capitais do Nordeste. Em segundo lugar aparece a gestão de Salvador, com 20,5% de promessas realizadas. Em seguida estão os prefeitos de Natal (20%), João Pessoa (18%), São Luís (16,2%), Maceió (14,2%), Terezina (12,7%), Fortaleza (11%) e Recife (com nenhuma promessa cumprida).

Entre as capitais de todo o país, Aracaju surge em 8º lugar. Antes estão Porto Alegre, cujo prefeito cumpriu 37% das promessas em seu primeiro ano de governo; Rio Branco (31,4%), Florianópolis (29%), Palmas (26,3%), Campo Grande (24%), Porto Velho (24%) e Cuiabá (22,2%). Grandes centros urbanos como São Paulo e Rio de Janeiro obtiveram índices menores do que Aracaju: na capital paulista, o índice de promessas cumpridas, segundo o G1, foi de 15%. No Rio, a porcentagem foi de 13%.
 
Os dados da pesquisa estão disponíveis em http://especiais.g1.globo.com/politica/2015/as-promessas-dos-politicos/

Foto: Marco Vieira/PMA


Política
Com.: 0
Por Kleber Santos
03/01
11:18

Governo de SE inicia renomeação para CCs

O Governo do Estado iniciou o processo de renomeação dos ocupantes de cargos comissionados (CCs) que foram exonerados no meio do mês passado. Somente serão convocados aqueles que realmente são necessários para o bom funcionamento da máquina administrativa. O secretário de Planejamento, Orçamento e Gestão, Rosman Pereira, disse que  todas as convocações serão feitas até o próximo dia 15.



Política
Com.: 0
Por Eugênio Nascimento
02/01
21:22

Diretor assume Presidência do Detran/SE

O  diretor Administrativo e Financeiro do Departamento Estadual de Trânsito (DETRAN/SE), Marcos Sampaio Kühl, assumiu nesta terça-feira a Presidência do órgão e acumulará as duas funções. O coronel Luiz deixou o comando da autarquia.



Política
Com.: 0
Por Eugênio Nascimento
02/01
18:00

Ocupação de hotéis atinge 100% no réveillon de Aracaju

A festa de réveillon de Aracaju atraiu muitos turistas e eles lotaram os hotéis da cidade. Segundo a presidente da Associação Brasileira da Indústria Hoteleira (ABIH), Daniela Mesquita, os hotéis estavam com uma ocupação máxima de 85% e durante a semana passada atingiram os 100%. Ela lembrou que agora será preciso trabalhar para que o sucesso se repita no verão



Economia
Com.: 0
Por Eugênio Nascimento
02/01
13:44

Belivaldo fica na Casa Civil até o Carnaval deste ano

Já está tudo acertado. O vice-governador Belivaldo Chagas deixará a Secretaria de Estado da Casa Civil de Sergipe depois do Carnaval 2018. Isso ficou combinado em uma conversa entre Chagas e o governador Jackson Barreto. O secretário fez a revelação em programa radiofônico da cidade de Lagarto. O atual vice deverá assumir o Governo de Sergipe no final de março, quando JB se afastará, caso faça a opção por ser candidato ao Senado em outubro próximo.



Política
Com.: 0
Por Eugênio Nascimento
02/01
10:02

Tudo depende do mercado de trabalho

Ricardo Lacerda*
Professor da UFS

Enunciada como no título a afirmativa tem muito de circular, mas cumpre o papel de evidenciar como a evolução recente do mercado de trabalho no Brasil tem sido titubeante, sendo ao mesmo tempo sintoma ecausa da debilidade da retomada de crescimento nessa transição para 2018. 

A recuperação do mercado de trabalho no segundo semestre de 2017 se revelou bem menos robusta do que o governo federal anunciava. De triste memória pela emissão da portaria que restringia a fiscalização de trabalho escravo, o agora ex-ministro do trabalho se despediu do cargo com a blague de que serão criados 1,8 milhão de empregos em 2018.  A piada de mau gosto foi dita no mesmo dia em que o Cadastro Geral de Empregados e Desempregados, do Ministério do Trabalho e Previdência Social, informou o corte de 12.292 empregos formais. 

A queda do emprego formal registrada pelo CAGED foi corroborada pelas últimas edições mensais da Pesquisa Nacional de Amostra Domiciliar contínua – (PNADc). O contingente de trabalhadores do setor privado com carteira de trabalho assinada encolheu em 194 mil na comparação entre o trimestre móvel setembro-novembro de 2017 e junho-agosto de 2017, depois de já ter caído nos dois trimestres móveis anteriores (ver Gráfico).  

Mesmo com a propalada recuperação do emprego, o ano de 2017 vai se encerrando com quase um milhão a menos de empregados com carteira de trabalho no setor privado, na comparação entre o trimestre setembro-novembro de 2017 e o mesmo período do ano anterior. Contabiliza-se,nessa comparação, queda de simplesmente 857 mil empregos formais no setor privado, com o agravante de que a curva de redução desse tipo de vínculo não dá demonstração de esfriar já por quatro edições mensais da PNADc. 

Massa de rendimentos
Apesar disso, a economia se move. As pessoas têm buscado alternativa de sobrevivência, se inserindo no mercado de trabalho como é possível, em geral, como empregado sem carteira de trabalho, como trabalhador doméstico, como empregador, ou como trabalhador por conta própria (ver Gráfico).  

No trimestre setembro-novembro de 2017 havia 888 mil pessoas ocupadas a mais, sob qualquer de vínculo, do que no trimestre junho-agosto, e é isso que tem movido a economia, mesmo que muito lentamente. Com mais pessoas ocupadas, mesmo com vínculos precários, a soma dos rendimentos do trabalho tem crescido e ajudado a economia se recuperar. 

Desde o segundo trimestre do ano que a massa de rendimento real de todos os trabalhos vem apresentando crescimento, na comparação com os trimestres móveis anteriores, e chegamos ao trimestre setembro-novembro com a massa de rendimentos reais de todos trabalhos registrando incremento de 4,5% em relação ao mesmo período de 2016. 

É esse incremento da renda da população que tem impulsionado a economia, por meio do aumento do consumo das famílias. A expectativa de retomada do crescimento econômico está assentada nessa evolução do poder de compra das famílias, decorrente do incremento da ocupaçãoe da redução da inflação. 

Para 2018, o mais recente relatório trimestral de inflação, do Banco Central do Brasil, projeta incremento de 3% do consumo das famílias, enquanto o consumo do governo deverá evoluir bem abaixo do crescimento do PIB. O consumo das famílias, praticamente sozinho, deverá sustentar a expansão do PIB, com alguma contribuição do incremento dos investimentos. 

Trôpega
Nem mesmo é possível atribuir a precarização do vínculo no mercado de trabalho à recente reforma trabalhista, cujos efeitos em termos de geração de emprego ainda são uma grande incógnita. A precarização das relações trabalhistas é fruto da prostração profunda em que a economia se encontra desde 2015. 

É possível que, em um segundo momento, o emprego formal no setor privado comece a reagir, mas a recuperação trôpega do mercado de trabalho nesse final de 2017 revela os limites do ajuste executado pela atual equipe econômica.


Fonte: IBGE.PNADc.

*Assessor econômico do Governo do Estado de Sergipe
 


Coluna Ricardo Lacerda
Com.: 0
Por Kleber Santos
01/01
21:41

Primeira Mão

Radicalização

 

 

Políticos conservadores candidatos a governador em 2018 vão radicalizar o discurso contra a bandidagem. Já temos visto exibição disso na TV e no rádio. "Bandido deve tratado como bandido". Quem trata bandido diferentemente? "Bandido bom é bandido morto". Essa palavra de ordem é um convite à barbárie policial e da própria população. É preciso prudência.

 

 

Pesquisas eleitorais

 

O Tribunal Superior Eleitoral (TSE) aprovou em sessão administrativa, a resolução que dispõe sobre pesquisas eleitorais para as eleições. Entre outras determinações, a resolução dispõe que, a partir de 1º de janeiro de 2018, as entidades e as empresas que realizarem pesquisas de opinião pública sobre as eleições ou candidatos, para conhecimento público, serão obrigadas a registrar cada pesquisa no Juízo Eleitoral ao qual compete fazer o registro dos candidatos. O registro da pesquisa deve ocorrer com antecedência mínima de cinco dias de sua divulgação.

 

Indecisos

 

E por falar em pesquisas eleitorais, as últimas divulgadas em Sergipe, ainda  sem registro na Justiça Eleitoral, mostram na espontânea que até 80% votariam em branco, nulo ou se declararam indecisos. Quando estimulados,  o percentual de indecisos, brancos e nulos, a depender dos cenários, somam algo em torno de 40%. N’outras palavras, a eleição para governador de Sergipe continua indefinida.

 

Indecisos 2

 

Os números acima mostram que  Belivaldo Chagas (PMDB), Eduardo Amorim (PSDB) e Mendonça Prado (DEM), entre outros pré-candidatos que já apresentaram seus nomes para o páreo terão que gastar muito solado de sapato na caça ao voto.

 

Amorim fica no ninho

 

Embora propague-se em terras sergipanas que o senador Eduardo Amorim poderá ser expulso do PSDB, ele deixou7 claro para a coluna que “isso não existe”. Ele afirmou que e boato e que tem conseguido, inclusive, indicar gente sua para cargos no ninho tucano nacional. “N~zo existe minha expulsão. Tudo não passa de má fé”.

 

Adivinhação

 

O pessoal do carteado e dos búzios que torce por Belivaldo Chagas garante que ele vence a disputa eleitoral para o Governo de Sergipe em 2018. A turma de Eduardo Amorim afirma que ele é o cara. Mendonça precisa buscar pelo menos um ‘adivinhão’ desses para expor seu nome como o vitorioso.

 

Má educação

 

46 de74 municípios sergipanos que tiveram a sua educação avaliada foram reprovados, conforme dados divulgados pelo Sintese.  Riachuelo   obteve a melhor nota, exatos 8,6. A pior nota – 1,5 – foi dada a Ilha das Flores.

 

Revelações bombásticas

 

Nem homicídios, nem revelações bombásticas de esposas e de amantes de empresários e de políticos envolvi nos casos de corrupção da Lava-Jato até agora. Esses são os ingredientes que têm faltado às investigações. Ameaças de morte, essas são de fartura.

 

Novos advogados

 

Não é boa a situação salarial dos advogados que não têm escritórios e precisam trabalhar. Alguns estão recebendo mensalmente algo em torno de R$ 1.000,00 ou têm alguma participação em causas que acompanham. Momento pior vivem aqueles que estão desempregados, é verdade. A OAB tem mais de 10 mil advogados em Sergipe e cerca de 3 mil em plenas atividades.

 

Fantasmas

 

Funcionários-fantasmas não existem nem na Prefeitura nem no governo do estado. Os chamados funcionários-fantasmas são apenas empregados bem apadrinhados que têm força política para arrumar sinecuras sem frequência e sem qualquer atividade. Mais  interessante do que procurar fantasminhas é buscar os seus padrinhos. Todo chefe de repartição tem em sua gaveta a lista dos apadrinhados e dos padrinhos.

 

Propaganda enganosa

 

Ninguém sabe ao certo quantos  estudantes  sergipanos  foram aprovados para o Enem de Medicina em Sergipe e no Brasil. Muitos são os outdoors espalhados pela cidade. Pelas contas nem um pouco aproximadas, chegou a perto de 500 alunos. Se os cálculos forem corretos, " viva a qualidade do ensino em Sergipe". Se não, tem propaganda enganosa  por aí.

 

Agricultura cresce

 

A agricultura, segmento em que Sergipe obteve bom desempenho em 2017, vai continuar forte em 2018. A previsão é de boas chuvas para todo o Estado neste ano novo. Em 2017 se destacaram as safras de milho, feijão, mandioca, abacaxi, batata e coco, entre outras.

 

É muito tempo

 

56 anos depois da fundação do curso de Medicina, a Universidade Federal de Sergipe (UFS) vai instalar a sua Unidade Materno-Infantil. As obras, no HU, já começaram e a inauguração está prevista para 2018, ano que inicia nesta segunda-feira.  

 

 

Rodovias

 

É preciso sinalizar todos os quebra-molas nas rodovias federais e estaduais e pintá-los de amarelo, para permitir melhor visualização.



Coluna Eugênio Nascimento
Com.: 0
Por Eugênio Nascimento
Primeira « Anterior « 10 11 12 13 14 15

Enquete


Categorias

Arquivos