25/02
00:54

PMA vai ampliar programa Segundo Tempo

Para possibilitar a ampliação do programa Segundo Tempo, que já está em sua terceira edição, a Prefeitura Municipal de Aracaju (PMA) enviou representante da Fundação Municipal de Cultura, Turismo e Esportes (Funcaju) para participar do curso de Capacitação Gerencial de Convênio do programa ‘Segundo Tempo'. O evento acontece hoje, 24, e amanhã, 25, em Brasília. 
 
O curso é organizado pelo Ministério do Esporte e busca qualificar o coordenador geral para a implantação de novos núcleos do programa no município de Aracaju. Durante a capacitação, serão discutidos os procedimentos de implantação, desenvolvimento e gestão de núcleos, abordando aspectos técnicos e pedagógicos.
 
Em Aracaju, o programa conta atualmente com 24 núcleos espalhados em diversos pontos da capital sergipana. Para 2011, estão previstas a manutenção desses núcleos e a implantação de quatro novos, nas comunidades do Porto Dantas, na Praça da Juventude do conjunto Augusto Franco e nos bairros América e Aeroporto. A meta é beneficiar 2.800 jovens. 
 
Segundo Tempo
 
Em Aracaju, o programa ‘Segundo Tempo' foi implantado a partir de uma parceria entre a PMA com o Ministério do Esporte. O objetivo é democratizar o acesso ao esporte educacional de qualidade, como forma de inclusão social, ocupando o tempo ocioso de crianças e adolescentes em situação de risco social. 

Da assessoria
 
 


Esportes
Com.: 0
Por Kleber Santos
25/02
00:47

Ministro dos Esportes ajudará Aracaju para ser Subsede da Copa de 2014

O prefeito Edvaldo Nogueira obteve na última terça-feira, do ministro do Esporte, Orlando Silva, a reafirmação do compromisso pessoal de se empenhar para que Aracaju seja incluída dentre as subsedes da Copa do Mundo de 2014, abrigando uma das seleções que disputarão o maior evento esportivo do planeta.
 

"O ministro Orlando Silva reafirmou um compromisso que já havia assumido durante a inauguração da primeira Praça da Juventude do Brasil", recordou o prefeito, referindo-se à praça localizada no Conjunto Augusto Franco, que foi inaugurada no final de maio do ano passado. Durante o evento, o ministro foi condecorado com a medalha do Mérito Serigy, a mais alta condecoração concedida pela Prefeitura de Aracaju.
 

Edvaldo Nogueira também esteve com o ministro Orlando Silva para comunicar pessoalmente a criação e pedir o apoio para a Secretaria Municipal do Esporte, cujo projeto será encaminhado em breve à aprovação da Câmara de Vereadores. "O ministro ficou muito feliz e se dispôs a fortalecer as parcerias com a Prefeitura de Aracaju, garantindo todo apoio à futura Secretaria do Esporte", disse o prefeito.


Da assessoria
Crédito da foto: Glauber Queiroz/ME



Esportes
Com.: 0
Por Kleber Santos
25/02
00:46

Jogos de futebol desta sexta-feira

ALEMÃO
Wolfsburg x Borussia Mönchengladbach
 

PORTUGUÊS
Vitória de Guimarães x Académica
 

ARGENTINO
Colón x Gimnasia y Esgrima
Olimpo x Godoy Cruz



Esportes
Com.: 0
Por Kleber Santos
25/02
00:44

Incentivo esportivo em forma de leis

Por Rogério Sampaio*

Leis que garantem verbas a serem destinadas a atletas de base e de alto nível, visando melhores condições de treinamento, preparação e intercâmbio de esportistas das mais diversas modalidades, com vistas ao pódio dos Jogos Pan-Americanos deste ano e às medalhas olímpicas de Londres-2012 e Rio-2016, ganharam espaço na mídia no início dessa semana.
 

O caminho até o pódio carece de incentivo, de patrocínio, de recursos financeiros e essas leis são sempre muito bem-vindas. Fica no ar, porém, a dúvida em relação à fiscalização da destinação dessas verbas, sejam elas vindas de patrocínio ou de recursos federais.
 

Enquanto comemoramos e torcemos pela aprovação do Projeto de Lei 32/11, do deputado Weliton Prado (PT-MG), que cria o Fundo de Fomento ao Esporte, composto por 2% da arrecadação dos tributos federais incidentes sobre fumo e bebidas alcoólicas, além de doações e dotações orçamentárias, acompanhamos, com certa insegurança, notícias sobre a aprovação, pela Câmara dos Deputados, da Medida Provisória 502/10. Aprovada também pelo Senado, a MP ainda deverá ser sancionada pela presidente Dilma Rousseff. Seu texto garante o repasse de 0,5% de toda verba arrecadada nos concursos das Loterias Federais para formação de atletas olímpicos e paraolímpicos, aos clubes esportivos sociais vinculados à Confederação Brasileira de Clubes (CBC).
 

Depois de ler a notícia na imprensa, fui em busca de informações mais detalhadas sobre a CBC, o Conselho Nacional de Clubes Formadores de Atletas Olímpicos - CONFAO - e o Conselho Superior Interclubes - CSI. Segundo informações de Édson Garcia, diretor executivo da entidade, o CONFAO foi formado, inicialmente, por oito clubes: Flamengo, Corinthians, Fluminense e Vasco, no futebol, e Pinheiros, Minas Tênis Clube, Sogipa e Grêmio Náutico União. Hoje, o CONFAO conta com 32 clubes que atendem aos critérios da entidade sobre o que vem a ser um clube esportivo social formador de atletas olímpicos.
 

Ora, segundo dados da própria CBC, existem no Brasil 13.826 clubes esportivos sociais, isso sem falar em agremiações e associações esportivas que, ao longo dos anos, foram responsáveis pela formação de muitos medalhistas olímpicos. A pergunta que não quer calar é: se o número de clubes formadores de atletas olímpicos é infinitamente maior que os 32 filiados ao CONFAO, o que será dessas entidades no momento do repasse das verbas determinadas pela MP 502/10? Caso a MP seja sancionada pela presidente haverá uma corrida frenética em busca de vinculação à entidade. Quem fiscalizará esse processo?
 

Afinal, o que define uma associação ou clube formador de atletas olímpicos. Será mesmo, que ele deve atender ao critério da CBC de desenvolver, no mínimo cinco modalidades olímpicas? O que dizer das pequenas agremiações que superam todas as adversidades e investem, desde cedo, na formação de atletas com grande potencial, que passam a se destacar em disputas internacionais e, muitas vezes, às vésperas de grandes competições como os Jogos Olímpicos são seduzidos por propostas de grandes clubes aos quais são destinadas às verbas, os louros e o mérito pela performance de um atletas que já era completamente formado quando vestiu as cores de sua camisa?
 

Pessoalmente, coordeno uma associação de judô em Santos. Não temos os recursos nem a pompa de um grande clube, mas, desde que a Associação de Judô Rogério Sampaio - AJRS - nasceu, em 1993, tivemos representantes em todos os Jogos Pan-Americanos e Olímpicos, com a honra de ver nossos atletas subindo no pódio em algumas edições. Atualmente, temos seis atletas integrando a Seleção Brasileira Sênior, três dos quais com posição garantida no ranking para participar da Olimpíada de Londres-2012, caso os Jogos fossem hoje. Ainda temos dois representantes na Seleção Sub-20 e outros dois na Sub-17, além de um na Seleção Brasileira Paraolímpica. A AJRS não é filiada à CBC nem faz parte do CONFAO. Por isso não somos um clube formador de atletas olímpicos?
 

O que é um clube formador de atletas olímpicos? Essa é uma reflexão bem oportuna no clima olímpico que se instalou no país. Para brilharmos em competições importantes como Jogos Pan-Americanos e Olimpíadas é fundamental que os recursos cheguem a quem, de fato, realiza o trabalho de formar grandes campeões. Continuamos na torcida por isso.
 

-----------
* *Ex-judoca, medalhista olímpico. Artigo publicado no site R7.com



Economia
Com.: 0
Por Kleber Santos
25/02
00:36

Thiago não treina no coletivo desta quinta

O treinador Narciso realizou nesta quinta-feira à tarde um coletivo com os jogadores do time para começar a montar o time titular que jogará na próxima rodada. Apenas o meia-atacante Thiago não treinou porque ainda sente dores no ombro. O jogador consegue fazer as atividades físicas, mas quando é para utilizar a bola sente dificuldades, tanto de chute como de divididas. Nesta sexta-feira, o atleta retornará as atividades de fisioterapia para amenizar a lesão.

Na manhã desta quinta-feira, contudo, Thiago e mais quatro jogadores: Eanes, Paulinho, Rafael Grampola e William Goiano foram os únicos a treinarem, enquanto que os demais atletas tiveram folga. Os últimos citados, o atacante e o zagueiro, inclusive, já estão recuperados totalmente dos respectivos problemas, fadiga muscular e dor na coxa esquerda.

Liberação

Com a chegada do volante Michel, vindo do Inter de Santa Maria-RS, a diretoria do Sergipe liberou o jogador Elvis Pablo que atuou em duas partidas do Campeonato Sergipano, mas que não foi utilizado no último confronto. O lateral Fabiano, por sua vez, foi emprestado para o time do Socorrense.  

Nesta sexta-feira pela manhã, o elenco terá folga, e à tarde, às 15h30, haverá o coletivo apronto, no campo do Fair Play, visando a partida do próximo domingo, contra o Guarany.

 


Esportes
Com.: 0
Por Kleber Santos
24/02
21:44

Dr. Gonzaga diz que prefeito de Aracaju não valoriza o PMDB

Hoje, em aparte à fala do vereador Jony Marcos, na Câmara Municipal, o vereador Dr. Gonzaga parabenizou o colega pela indicação de membros do seu partido para compor o secretariado municipal e comentou em tom de ironia e frustração a ausência de membros do seu partido, o PMDB, na administração do prefeito Edvaldo Nogueira. Dr. Gonzaga “parabenizou” o prefeito pela desvalorização e discriminação do PMDB em seu governo e anunciou que vai se reunir com membros do partido para discutir e definir o posicionamento dos peemedebistas na esfera municipal daqui pra frente.



Política
Com.: 0
Por Eugênio Nascimento
24/02
20:19

MEC divulga novo piso dos professores e preocupa Municípios


O Ministério da Educação (MEC) anuncia nas próximas horas o valor do novo piso dos professores da rede pública brasileira. Para a jornada de 40 horas semanais, o reajuste é 15,84%: R$ 1.187,97. Para os que cumprem 20 horas, o piso será de R$ 593,98. O presidente da Confederação Nacional de Municípios (CNM), Paulo Ziulkoski, recebeu a notícia com preocupação porque, segundo ele, o MEC cometeu o mesmo erro do ano passado e prejudicará milhares de Municípios.


“Mais uma vez, o Ministério não seguiu a decisão da Advocacia-Geral da União (AGU). Segundo a AGU, o reajuste tem de ser baseado no valor do Fundo de Manutenção e Desenvolvimento da Educação Básica e de Valorização dos Profissionais da Educação (Fundeb) efetivamente realizado”, afirma Ziulkoski. De acordo com ele, o reajuste anunciado foi feito com base em estimativas. Deveria ser feito em abril, quando já se terá contabilizado o valor executado do Fundeb.


Os cálculos da CNM indicam que o valor do piso em 2010 deveria ser, após a publicação dos valores efetivos, de R$ 994 e não R$ 1024,67. “A diferença de R$ 30,67 era passível de alteração, mas não foi revista pelo MEC. Em 2010, os Municípios pagaram um piso maior que o devido”, destaca o dirigente da CNM. Ziulkoski também lembra que estudos da Confederação apontam que pelo menos nove Estados não têm condições de pagar o piso mínimo dos professores.


Para a atualização do piso em 2011, seria necessário verificar o crescimento efetivo do valor do Fundeb de 2009 para 2010, mas os valores efetivamente realizados não são publicados no início do ano. Em dezembro passado, a CNM encaminhou um oficio ao MEC solicitando que o valor do piso de 2011 fosse divulgado apenas após a publicação do valor efetivamente realizado, que ocorre geralmente em abril. “Mas não fomos ouvidos”, lamenta Ziulkoski.


Fundeb
O Fundeb é um conjunto de fundos contábeis formado por recursos dos três níveis da administração pública do Brasil para promover o financiamento da Educação Básica pública. Começou a vigorar em 2007 e substituiu o Fundo de Manutenção e Desenvolvimento do Ensino Fundamental e de Valorização do Magistério (Fundef). Além do ensino fundamental, ele engloba a educação infantil, o ensino médio, inclusive as modalidades de educação de jovens, adultos e educação especial.


Os Estados e Municípios colocam no Fundeb 20% da receita proveniente de oito impostos e transferências (ICMS, IPVA, ITR, ICMD, FPM, FPE, Lei Kandir, IPI - exportação). A União colabora com 10% do total de recursos do Fundo. O montante estimado do Fundeb para 2011 é de R$ 94,5 bilhões: 86,7 bilhões de Estados e Municípios e apenas R$ 7,8 bilhões da União.


“É lamentável que a União, quem menos investe recursos no Fundeb, seja quem estabeleça as regras. A realidade dos Estados e Municípios não é respeitada”, critica Ziulkoski.

 


Variedades
Com.: 0
Por Eugênio Nascimento
24/02
19:33

Rogério pede união pela construção do Hospital do Câncer de SE

O deputado Federal Rogério Carvalho (PT) pediu empenho e união à bancada sergipana em Brasília (DF) em prol da construção do Hospital do Câncer de Sergipe. O chamado foi feito na noite dessa quarta-feira, 23, durante um jantar na residência do deputado Federal Valadares Filho (PSB). Na ocasião, estavam presentes os senadores Valadares (PSB) e Eduardo Amorim (PSC), além dos sete deputados que integram o bloco liderado pelo governador Marcelo Déda (PT).

"Sugeri que a nossa bancada se unisse em torno de um projeto tão importante para o povo sergipano que é a construção do Hospital do Câncer. Fiquei feliz de ver que todos imediatamente manifestaram o compromisso de lutar pela causa", disse Rogério.

De acordo com ele, a necessidade urgente da construção do Hospital é justificada pelo aumento da demanda de pacientes com câncer. Este crescimento pode ser explicado pelo aprimoramento das ciências médicas, que permitem um diagnóstico cada vez mais breve e preciso, bem como pela expansão da rede assistencial no estado.

"Em 2009, quando ainda estava à frente da Secretaria de Estado da Saúde, demos início à idealização do projeto. Fizemos visitas ao Hospital Sírio Libanês (SP) e ao Hospital do Câncer de Jaú (SP), que são referência no atendimento oncológico. Inclusive chegamos a produzir um projeto arquitetônico para construção do Hospital", complementou Rogério.

Outro fator que explica a urgência pela construção de um hospital destinado exclusivamente ao tratamento de pacientes com câncer concerne à forte concorrência por salas cirúrgicas e leitos de Unidade de Terapia Intensiva (UTI) testemunhada hoje no Hospital de Urgência de Sergipe (Huse).

"O Centro de Oncologia do Huse funciona integrado ao restante do hospital. Portanto, ele não conta com centros cirúrgicos e leitos de UTI exclusivos para pacientes oncológicos", reforça o ex-secretário de Estado da Saúde. 

"O mais importante neste processo é que a construção do Hospital do Câncer agora deixa de ser uma idéia do deputado Rogério Carvalho e passa a se tornar um compromisso da bancada de Sergipe", comemora.

Presenças
Além dos deputados Rogério Carvalho e Valadares Filho, e dos senadores Valadares e Amorim, também estiveram presentes no encontro os deputados Laércio Oliveira (PR), Almeida Lima (PMDB), André Moura (PSC), Márcio Macedo (PT) e Pastor Heleno (PR).

Marcaram ainda presença os prefeitos Fábio Henrique (Nossa Senhora do Socorro) e Valmir Monteiro (Lagarto), o vice-líder do PSC-SE, Edvan Amorim, e o ex-governador Albano Franco (PSDB).

Da assessoria



Política
Com.: 0
Por Eugênio Nascimento
Primeira « Anterior « 1 2 3 4 5 6 7 8 9 10 » Próxima » Última

Enquete


Categorias

Arquivos