25/02
16:23

Luciano Bispo anuncia que disputará a reeleição

Entrevista/Prefeito Luciano Bispo, de Itabaiana


"Vou disputar a reeleição em outubro próximo"


Com uma população estimada em 86,5 mil habitantes, um eleitorado de aproximadamente 60 mil pessoas e um orçamento de R$ 155 milhões para este ano, Itabaiana tem uma das prefeituras mais disputas do Estado. Lá, dois grupos, o do prefeito Luciano Bispo (PMDB), que vai disputar a reeleição, e o da deputada estadual Maria Mendonça (PSB), que deseja retornar ao comando político e administrativo do município, quatro anos depois de tê-la perdida para Bispo se enfrentarão. Nesta entrevista ao Jornal da Cidade, Luciano diz que está pronto para dar continuidade aos projetos em andamento. Para viabilizar o seu projeto, ele conta com o apoio de sete partidos e trabalha a ideia de buscar o apoio de outros três, inclusive o PT do governador Marcelo Déda. Luciano critica sua principal opositora, a deputada estadual Maria Mendonça, e fala ainda sobre o apoio eleitoral de seu grupo à nmpossível candidatura do governador Marcelo Déda (PT) ao Senado Federal em 2014.

A seguir os principais trechos da entrevista:

Eugênio Nascimento
Da equipe JC


JORNAL DA CIDADE - Qual é o Orçamento, qual a população e o eleitorado de Itabaiana?

LUCIANO BISPO - Para 2012 o Orçamento Geral do Município é de R$ 155 milhões. Isso representa uma crescimento, comparado com 2009, (R$ 72 milhões) de 115%. Em 2010 foi de R$ 98 milhões e 2011 atingiu os R$ 137 milhões. Comparado com 2011, a Administração Municipal planejou um crescimento no seu Orçamento da ordem de 13,1%. Pelos números do IBGE, a cidade de Itabaiana possui 86,5 mil habitantes. No entanto, quando consideramos a frequência dos moradores de cidades vizinhas, que buscam os nossos serviços públicos, esse número passa facilmente dos 100 mil. Na última eleição o TRE-SE contabilizou 60 mil eleitores.

JC - Luciano Bispo vai para a reeleição?

LB - Eu tenho o direito de disputar a reeleição e na hora que o meu Partido, o PMDB, confirmar meu nome para a disputa, vou enfrentar mais uma eleição sim. Irei pedir ao povo de Itabaiana que me ajude a continuar administrando a minha cidade. Estamos com uma série de obras em andamento, diversos projetos que estruturarão a cidade para as próximas
décadas, como é o caso da Nova Central de Abastecimento, que triplicará a capacidade de distribuição de alimentos para Sergipe e outros Estados do Nordeste.

JC - Quais os Partidos que apoiarão esse Projeto?
LB - Além do PMDB, meu partido, temos o PPS, de Nilson e Almeida Lima, o DEM, do Dr. João Alves, o PP, de Venâncio Fonseca, o PSDB, de José Carlos Machado, alguns partidos da base dos irmãos Amorins, como o PSC do vereador Heleno Tavares da Mota, o PTC de Zomas e vamos conversar com o PDT de Fábio Henrique e ainda tem partidos como o PV, PMN, dentre outros. Além disso, estamos conversando com o PT, de Olivier Chagas sim. Na semana passada estivemos em Brasília e lá, entre um compromisso e outro em busca de recursos para Itabaiana, conversamos sobre política com os petistas, dentre eles, Rogério Carvalho.

JC - Luciano Bispo não teme enfrentar Maria Mendonça ou Valmir de Francisquinho?
LB - Quem deve temer esses dois e o que eles representam é o povo de Itabaiana. Eles representam um projeto perseguidor, que demite servidores sem dó nem piedade. Perseguem feirantes que não rezam na cartilha. Prejudicam os comerciantes que não votam em seus candidatos. Quando tiveram a chance de administrarem a Prefeitura, os pobres não tinham nenhuma vez na Secretaria de Ação Social. Todos tinham que procurar a prefeita pessoalmente. Como muitos não tinham coragem de ir ate ela, ficavam sem os benefícios públicos. Aqueles que conseguiam chegar até sua sala, saiam de lá decepcionados porque na maioria das vezes a respostas aos seus pedidos era sempre um NÃO. Até mesmo para usar uma ambulância do município as pessoas doentes tinha que se humilhar e ir para a porta da Prefeita. Lá, eles escolhiam quem deveria ser transportado. Claro, que só usavam os veículos os que eles sabiam que votaram neles.

JC - Como está a relação de Luciano Bispo com Marcelo Déda?
LB - Todos sabem que assumi uma posição muito clara em favor da candidatura de João Alves, em 2010. Após a eleição, com a vitória de Déda, entra em cena o Prefeito da mais importante cidade do interior sergipano com o Governador do Estado. Ações que interessam ao cidadão serrano estão acima das disputas políticas. É isso que estou conversando com o Governador. A preocupação de Maria é em não perder os Cargos. Chegou inclusive a pressionar o Governador para tomar os cargos do PT. Além disso, ela fica muito contrariada quando o Governador anuncia algum benefício para Itabaiana. Por ela, Déda não mandaria nada pra nossa cidade. Essa é uma visão mesquinha, atrasada. Vou lhe revelar uma coisa, a maioria dos Secretários de Déda não suportam despachar com Maria. Quando ela chega, todos tremem porque sabem que ela só traz broncas.

JC - E Luciano vai mesmo votar em Déda para o Senado?

LB - É verdade que desejei sucesso para Déda, caso ele seja mesmo candidato a Senador, em 2014. No entanto, o meu foco está concluir os projetos que estão em andamento na cidade e claro, estamos trabalhando para conquistarmos a vitória em 2012. Do mesmo modo o Governador já disse que o meu gesto foi muito simpático, mas a preocupação dele é Governar Sergipe. Quando 2014 chegar e as candidaturas estiveram postas, irei, juntamente com o nosso grupo tomar posição. Uma coisa é certa, quem me conhece sabe que tenho posições firmes e transparentes.


Crédito da foto: Jorge Henrique/Arquivo JC


Política
Com.: 1
Por Eugênio Nascimento
25/02
16:03

Ana Lúcia confirma sua pré-candidatura à Prefeitura de Aracaju


No dia em que o Brasil comemora os 80 anos da conquista das mulheres pelo direito ao voto, a deputada estadual e professora Ana Lúcia confirmou seu nome como pré-candidata do Partido dos Trabalhadores à disputa pela prefeitura de Aracaju.

Na presença do presidente do Diretório Municipal do PT da capital, Uziel Rios, a inscrição da pré-candidatura de Ana Lúcia pelo partido foi registrada uma hora antes das 17 horas, prazo final para inscrição de nomes para a disputa, dentro do calendário estipulado pela Executiva Municipal ainda no mês janeiro. Uma lista com quase 150 assinaturas (87 eram necessárias) e uma carta-compromisso foram protocolados junto com a inscrição, conforme o regimento.

Por telefone, de São Paulo, onde participou da solenidade de posse de Paulo Gustavo Guedes no cargo de desembargador federal no Tribunal Regional Federal da Terceira Região (TRF-3), a petista reafirmou a sua disposição para disputar internamente o direito de ser a indicada pelo PT para suceder a Edvaldo Nogueira, e ressaltou ser um bom sinal sua inscrição no dia 24 de fevereiro.

"Em nome daqueles que acreditam numa outra forma de fazer política e que apontam o meu nome como o mais preparado para dirigir a nossa capital, reafirmo a minha disposição em seguir na disputa. Inscrevemos o nosso nome e agora vamos para o debate. Queremos dialogar com a militância petista, discutir com ela o nosso projeto para os aracajuanos, porque foi assim que o PT se construiu, no debate, apaixonando a sua militância e o povo a partir dos seus projetos e concepções de sociedade", disse, para em seguida emendar.

"Não deixa de ser positiva e extremamente simbólica a inscrição da nossa pré-candidatura no dia 24 de fevereiro, quando há oitenta anos nós, mulheres, abrimos o nosso espaço na política, conquistando o direito ao voto. É um bom sinal. Se já conseguimos eleger a primeira mulher presidente do Brasil, Dilma, porque não os aracajuanos elegerem também a primeira mulher para administrar a nossa capital", afirmou.

Pelo twitter, o presidente nacional do PT, Rui Falcão, lembrou os 80 anos da conquista das mulheres pelo direito ao voto e disse ser preciso "fazer uma profunda reflexão das conquistas e avanços [nesse período]. E lutar para que mais e mais mulheres ganhem espaço na política", tuitou Falcão.


Da assessoria
Crédito da foto: Maria Odília / Agência Alese


Política
Com.: 0
Por Eugênio Nascimento
25/02
15:48

Tobias Barreto: Dilson de Agripino define candidatura em março

 Por Eugênio Nascimento 

O prefeito de Tobias Barreto, Adilson de Jesus Santos, mais conhecido como “Dilson de Agripino”, vai reunir seu grupo em março próximo para discutir o processo eleitoral municipal deste ano. Na pauta vai estar, inclusive, uma discussão sobre quem deve ser o candidato do segmento político. É bem provável que ele vá para a reeleição, como desejam os membros dos seis partidos de sua base aliada.


“Eu não posso anunciar que serei candidato sem que o grupo se posicione sobre a questão. Mas lhe digo com toda a certeza que, se for convocado, estarei à disposição e entro na disputa com muitas realizações deste atual mandato”, afirmou Dilson de Agripino, acrescentando que “não tivemos uma definição porque novembro e dezembro de 2011 trabalhamos as festas de final de ano e agora o carnaval”.

O município de Tobias Barreto com 59 mil habitantes e cerca de 30 mil eleitores tem aproximadamente 600 servidores, um orçamento em execução de R$ 40 milhões e o seu comando administrativo deve ser um dos mais disputados em outubro próximo. Pelo menos cinco outras pessoas já se manifestaram como candidatas a prefeito. “A cidade não é problemática, é administrável”, explicou.

Segundo Dilson de Agripino, Tobias Barreto ficou 20 anos parada, no atraso. “Somente no governo de Marcelo Déda foi que novos investimentos aqui chegaram. Em seu primeiro governo, Déda investiu em Tobias cerca de R$ 60 milhões e isso gerou muitos empregos e rendas. Temos hoje 500 empresas de confecções e ainda neste ano outras 32 entrarão em funcionamento no Distrito Industrial.


Política
Com.: 1
Por Eugênio Nascimento
25/02
15:08

Novos boatos de racha entre os Amorim e Déda

Tudo parece puro boato. Mas o fato que há uma série de informações circulando nos meios políticos, desde o último encontro entre o senador Eduardo Amorim com o governador Marcelo Déda, ocorrido na quinta-feira passada, apontando para atritos que poderiam terminar num racha político dos dois grupos. Provável para os que apostam no quanto pior melhor e improvável para os governistas mais próximos do governador, que acreditam na unidade até o final de 2013, pelo menos. Mas há algo de verdadeiro por trás dos comentários exagerados.

O governador Marcelo Déda (PT) precisa do apoio da maioria dos deputados da Assembleia Legislativa do Estado para garantir a eleição do ex-secretário de Educação Belivaldo Chagas para o Tribunal de Contas de Sergipe (TCE-SE) e o grupo de Amorim deseja o apoio da base aliada na Casa para a reeleição da deputada Angélica Guimarães (PSC) para a presidência. Isso foi conversado na quinta-feira e num contato telefônico que teria ocorrido hoje (sábado, 24 de fevereiro de 2012) pela manhã.

Políticos que atuam bem próximos ao governador avaliam que pode haver algum pequeno atrito normal em conversação, negociação, mas nada de grave. Um deles chegou a afirmar que, “se os assuntos em pauta for a presidência da Assembleia e a eleição de Belivaldo, negocia-se facilmente, pois ficam elas por elas. Se for a Prefeitura de Aracaju, há muito tempo para conversar. Mas tempo para conversar há ainda se o tema em discussão e em discordâncias a sucessão de Déda, em 2014, há mais tempo ainda para conversar”.

Os supostos boateiros de plantão chegaram a comentar que membros do PSC ocupantes de CCs no governo Déda teriam até o final da próxima semana para entrega-los. Procurado, o secretário de Desenvolvimento, Zeca da Silva, disse que “acho tudo isso muito estranho, pois sou deputado e secretário e ninguém me informou sobre nada disso. Acho que isso não passa de boatos, coisa de gente desocupada”. Boato é uma coisa que se prolifera sempre e muito rapidamente em Sergipe.

Mas não dá para negar que há indícios que de um rompimento poderá acontecer quando 2014 entrar em pauta, justamente quando Jackson Barreto (PMDB) e Eduardo Amorim (PSC) anunciarem que são candidatos e o governador Marcelo Déda tiver que fazer a sua escolha. Um racha das facções governistas só acontecerá por aí. No mais, há muitos interesses em jogo e ninguém rompe acordos de forma aleatória, por questões simplistas e facilmente negociáveis.



Política
Com.: 3
Por Eugênio Nascimento
25/02
11:10

Ricardo, o Alegria da Cidade


Edidelson Santos Professor de História/SEED

Como Carnaval é alegria, lembro-me de Ricardo, ponta direita do Sergipe, que fazia o seu carnaval nos gramados para levar a alegria aos amantes do bom futebol.

Noite de quarta-feira no Batistão, Sergipe x Cotinguiba, estádio com poucos presentes para assistir mais uma peleja do futebol sergipano. Lá, eu me encontrava para ver Ricardo, o Alegria da Cidade com o seu famoso bigode, meias arriadas até o tornozelo e camisa por fora do calção. Para muitos era um moleque, um indisciplinado que afrontava as regras do se vestir com elegância quando de público. Para Ricardo, não! O Alegria da Cidade via o futebol como brincadeira de menino que para brincar, bastava uma bola para correr, cair, levantar, rir do João Besta, se sujar, bater, apanhar e, sobretudo conceder alegria aos presentes que se encontravam nas praças de esportes. Para que a formalidade e a exigência do se vestir bem para o artista da bola?

Recordo de um lance que me faz rir até hoje, olhe que isso foi nos anos 70. Ricardo com a bola sob o seu domínio, aplica um drible em Nilson Brás, atleta do Cotinguiba, que este vai parar na pista de atletismo do Batistão. Ricardo corre para a linha de fundo para fazer o cruzamento e Marcílio, centroavante do Sergipe, levanta a mão pedindo que a bola chegue até ele. Ricardo percebe que Nilson Brás se encontra estirado na pista de atletismo e volta com a bola até próximo onde Nilson Brás se encontra e pede, gesticulando com a mão, para que Nilson se levante. Nilson Brás possuía cabelo Black Power e um bigode assustador que atemorizava qualquer atacante, menos Ricardo que via em Nilson Brás um touro espanhol pronto para receber dribles desconcertantes aos gritos de olé das arquibancadas. Os presentes ao espetáculo se contorciam em gargalhadas, os mais sérios diziam, este Ricardo é um moleque, eu ria ainda mais vendo aqueles senhores mal humorados. Desde quando futebol é coisa séria? Futebol é brincadeira de menino, é para moleque mesmo.

Nilson Brás se levanta, abre as ventas e tome a correr em perseguição a Ricardo. O Cabelo Black Power balançava parecendo cabelo de europeu que com um suspiro balança de um lado para o outro. O bigode parecia maior com a carreira. Ricardo vestia a camisa vermelha do Sergipe, parecendo o diabo correndo da cruz. Ricardo cruza a bola e Marcílio cabeceia para o fundo dos barbantes. A raiva de Nilson Brás foi potencializada, visto o sentimento de se ver como o João Besta daquele espetáculo. Ricardo não sabia o que lhe esperava. A vingança de Nilson Brás não tardaria. Toda a vez que Ricardo pegava a bola dava uma olhada para trás para ver se Nilson Brás se encontrava por perto.

Segundo tempo chegando ao fim, Ricardo se descuida e Nilson Brás lhe aplica um carrinho que faz Ricardo girar parecendo um pião no ar. Pronto, a vingança tá consumada. Mas, não! Ricardo levanta-se passando a mão sobre as coxas que sangravam devido à queda sobre as britas. Enquanto isso, a torcida do Sergipe vai ao delírio vendo que nada de grave aconteceu a Ricardo, o Alegria da Cidade, o que garantia belas gargalhadas com o próximo João Besta.

O gol, pouco me importava, os dribles de Ricardo é que eram inesquecíveis com o seu jeito moleque de jogar futebol e levar alegria ao povo que ver no carnaval e no futebol expedientes fugazes de alegria, mas ficam registrados na memória, quando se têm bons "artistas-da-bola". Boas lembranças de Ricardo, o Alegria da Cidade.



Colunas
Com.: 0
Por Eugênio Nascimento
25/02
11:03

É preciso superar as desigualdades entre mulheres e homens

Ana Lúcia Vieira Menezes - Professora, deputada estadual pelo PT no terceiro mandato.

 

Temos assistido, ao longo das últimas décadas, as mulheres avançarem a passos largos em direção a uma nova ordem social onde se privilegie a igualdade entre os sexos em todos os espaços sociais, seja no lar, no trabalho, na política. Mais notadamente a partir de 2003, quando o governo do presidente Lula criou a Secretaria Especial de Políticas para as Mulheres da Presidência da República – e que há bem pouco tempo tinha à sua frente a brava companheira Iriny Lopes –, inaugura-se um novo momento da história do Brasil no tocante às políticas de promoção à igualdade entre mulheres e homens.
 

Entretanto, apesar deste inegável avanço, a formação cultural extremamente masculina da nossa sociedade impõe uma realidade ainda muito difícil para as mulheres brasileiras. Nem mesmo a histórica e importante eleição da primeira mulher presidente do Brasil, a companheira Dilma Rousseff, traduziu-se na superação das gritantes desigualdades entre o mundo feminino e o masculino no nosso país.
 

Em que pese as políticas em andamento de promoção da igualdade entre mulheres e homens, elas ainda não se mostraram eficazes para equalizar, por exemplo, essa relação no mercado de trabalho. Sem levar em consideração que a maioria das mulheres tem dupla ou tripla jornada de trabalho (considerando que sobre elas recai a obrigação de cuidar dos afazeres domésticos após o exaustivo dia de trabalho), é preciso encarar a realidade de que recebem salários inferiores aos dos homens. Estudos apontam que, em média, as mulheres recebem 85% do salário dos homens (Caged, 2011), ocupando cargos semelhantes e desempenhando funções idênticas, o que é uma discriminação absurda e inaceitável, que precisa ser superada com políticas públicas focadas em pressionar as empresas a equalizar essa injustificável diferenciação.
 

A violência contra as mulheres é outra realidade que precisa ser enfrentada e combatida com muita força. Os números dessa violência ainda são altos e vergonhosos. Em Sergipe, como em muitos lugares deste imenso Brasil, os índices atentam contra a ideia de que vivemos numa sociedade justa. São cerca de três mulheres agredidas ou mortas todos os dias, segundo dados da Delegacia de Atendimento a Grupos Vulneráveis (DAGV) da Secretaria de Segurança Pública do Estado.
 

Preocupada com essa violência aviltante, o nosso mandato tem, desde o início do ano, feito uma campanha sistemática nas ruas de Aracaju e nos meios de comunicação chamando a atenção da sociedade para o problema e expondo duas leis de nossa autoria, a Lei 5.494/2004, que cria o procedimento de Notificação Compulsória de Violência contra a Mulher atendida em Serviços de Urgência e Emergência públicos privados no Estado de Sergipe; e a Lei 7.258/2011, que transforma o dia 22 de novembro no Dia Estadual de Combate e Enfrentamento à Violência contra a Mulher, espaço para a luta contra a impunidade e pela mobilização da sociedade.
 

Estas leis, somadas à Lei Maria da Penha, que teve recente e importante entendimento positivador por parte do Supremo Tribunal Federal, podem ajudar as sergipanas na luta contra este flagelo, que é a violência contra a mulher.
 

Sob a inegável inspiração dos ideais de mulheres revolucionárias a seu tempo como Rosa Luxemburgo e Simone de Beauvoir, entendo que o caminho para a superação desses problemas passa pela emancipação feminina, porque é esta emancipação que a livrará da dependência financeira masculina, da violência que se sustenta muitas vezes a partir dessa dependência, e porque somente com a emancipação econômica e social da mulher, somada a uma divisão mais justa das tarefas domésticas, pode, efetivamente, nos levar a uma superação do fosso de desigualdade entre os sexos ainda existente.
 

Neste sentido, nós, mulheres, em particular as companheiras militantes petistas, não podemos abdicar jamais da tarefa política de construir um outro modelo de sociedade, onde tenhamos os nossos direitos respeitados e onde a cultura do equilíbrio e da justiça prevaleça na relação entre homens e mulheres, trabalhadores e trabalhadoras, brasileiros e brasileiras.

 

 


Colunas
Com.: 0
Por Eugênio Nascimento
25/02
10:48

Carlos Britto define voto sobre imposto sindical

Imposto Sindical (da coluna do jornalista Ilimar Franco-Jornal da Cidade/ O Globo)

O ministro Carlos Ayres Britto, do STF, promete liberar em março seu voto sobre o fim do imposto sindical. A ação foi  impetrada pelo DEM. Três ministros já se posicionaram a favor do repasse para as centrais sindicais e dois, contra. (JCidade deste sábado)


Política
Com.: 0
Por Eugênio Nascimento
25/02
08:05

ARACAJU - PT terá prévias em 24 de março

O Partido dos Trabalhadores, através de seu diretório municipal, decidiu em reunião com militantes na noite de ontem (24/02) que o pré-candidato a prefeitura de Aracaju deverá ser escolhido através de prévias. A primeira deve ser realizada no dia 24 de março, onde os filiados do partido, através de voto, vão indicar aquele que poderá disputar uma vaga à prefeitura de Aracaju. 

"Até as prévias acontecerem, nós vamos conversar com os pré-candidatos, no caso o vice prefeito Silvio Santos, a deputada estadual Ana Lúcia e o deputado federal Rogério Carvalho para chegarmos ao Consenso, se não, vamos as prévias", afirmou o presidente do Diretório  municipal do PT de Aracaju, Usiel Rios.



Política
Com.: 0
Por Eugênio Nascimento
Primeira « Anterior « 1 2 3 4 5 6 7 8 » Próxima » Última

Enquete


Categorias

Arquivos