01/02
15:59

Corpo de Bombeiros interdita seis casas de shows em Aracaju

A Diretoria de Atividades Técnicas (DAT) do Corpo de Bombeiros de Sergipe interditou nesta quinta-feira, 31, seis casas de shows em Aracaju. As boates foram interditadas com base na Lei Estadual 4.183, de 22 de dezembro de 1999, que estabelece critérios acerca dos sistemas de segurança contra incêndio e pânico em edificações.
 
De acordo com o comandante do Corpo de Bombeiros, coronel Nailson Melo, após o desastre em uma boate na cidade de Santa Maria, que matou mais de 230 pessoas, o governador Marcelo Déda determinou que o Corpo de Bombeiros fiscalizasse todas as casas de shows que recebem mais de 100 pessoas no Estado. O comandante enfatizou também que o número de denúncias da população aumentou significativamente após a tragédia do Rio Grande do Sul.
 
“Fiscalizamos 13 boates nesta quinta-feira, quatro já estavam desativadas pelos próprios proprietários, três foram encontradas fechadas e seis foram vistoriadas e interditadas por falta de atestado de regularidade, que é um atestado de segurança. O atestado pede requisitos mínimos para funcionamento, a exemplo de extintores, sinalização de saídas de emergência, iluminação de emergência e saídas de emergência”, explicou o oficial.
 
Neste quesito, o Corpo de Bombeiros interditou as boates Infinity, Casa de Forró Cariri, boate Strip House, boate do restaurante do Armazém Mediterrâneo (antigo Teimond), bar boteco Carioca e Casa de Show (Casa de Praia). Segundo o coronel Nailson Melo, na boate Infinity não há saída de emergência, extintores e iluminação indicativa em caso de pânico.
 
A Casa de Forró Cariri tem ambientes distintos e a vistoria fechou para uso apenas a área de forró, deixando em plana atividade o espaço do restaurante. A casa estava com atestado de regularidade vencido desde 2011, além de não ter uma saída de emergência adequada. “Encontramos uma saída de emergência de improviso, que estava lacrada com cadeado e sucedida por um portão”, destacou.
 
A boate Strip House e a área de eventos do Restaurante e Armazém Mediterrâneo foram fechadas por não haver saídas de emergências. A Casa de Show (Casa de Praia), segundo a vistoria, é uma edificação para festas transitórias, que tem um alvará da Prefeitura de Aracaju para funcionar apenas como bar. A casa tem um show previsto para este fim de semana e corre contra o tempo para atender o atestado de regularidade. “Os problemas encontrados lá podem ser resolvidos em curto espaço, basta o proprietário atender as exigências legislação".
 
A situação mais grave foi encontrada no Bar Boteco Carioca, que também não tem área de evacuação e há cerca de 15 dias o Corpo de Bombeiros apagou um pequeno incêndio na localidade. “Constatamos que o local tem um revestimento acústico feito com fibra de coco, um material altamente inflamável. Nesta casa tanto o bar quanto o espaço de festas foi interditado para o uso”, explicou.
 
As boates Off, Subúrbia e Capitão Cook foram visitadas pelos bombeiros, mas estavam fechadas e deverão ser vistoriadas nesta sexta-feira, 1º. Outras quatro, In Box, Clone Mix, Alquimia e Rotta Lazer Club já haviam sido desativadas pelos próprios donos.
 
Descumprimento
 
Uma força-tarefa da Secretaria de Segurança Pública, formada pelas Polícias Civil, Militar e Corpo de Bombeiros vão fazer rondas nos estabelecimentos interditados neste final de semana. “Caso alguma dessas casas abram sem as devidas correções, os seus proprietários serão presos em flagrante pelo crime de desobediência”.
 
Alvarás
 
Questionado sobre como as prefeituras liberam um alvará de funcionamento sem um atestado de segurança emitido pelo Corpo de Bombeiros, o coronel enfatizou que a cultura do Brasil é falha em relação à incêndios em edificações. “Em Aracaju, desde 2011, a Prefeitura só emite um alvará se o Corpo de Bombeiros liberar um atestado de regularidade, mas no interior do Estado esta situação ainda persiste”.
 
Melo garantiu que a tragédia de Santa Maria despertou no país inteiro um sentimento de que a fiscalização precisa ser ampliada e que as prefeituras, responsáveis por emitir alvarás de funcionamento, deverão trabalhar em parceria com os Corpos de Bombeiros. “Nesta primeira fase focamos nosso trabalho nas casas de shows, mas em breve todos espaços, casas de festas, templos religiosos, entre outros, que reúnam mais de 100 pessoas também passarão por uma vistoria”.
 
O comandante geral lembrou que em ginásios e estádios de futebol a vistoria sempre foi feita pelo Corpo de Bombeiros porque são locais que tem eventos constantes e reúnem um grande número de pessoas.
 
Prazo para reabertura das casas
 
Conforme o artigo 13 da Lei 4.183 caberá aos proprietários dos estabelecimentos interditados, assim que resolver os problemas, solicitar uma nova vistoria ao Corpo de Bombeiros a fim de receber um atestado de regularidade. “O interesse em resolver o problema é dos empresários. Cabe a nós fiscalizarmos os estabelecimentos e garantir à população que eles não serão abertos sem os requisitos mínimos de segurança”, garantiu o oficial.

SSP
 


Variedades
Com.: 0
Por Kleber Santos
01/02
07:48

Aracaju - Vereadores questionam convocação extraordinária

Alguns vereadores de Aracaju questionaram a legalidade do ato de convocação de sessão extraordinária durante a reunião desta quinta-feira. A dúvida de alguns parlamentares foi de que a convocação era exclusivamente para votar a reforma administrativa da Prefeitura de Aracaju, tendo em vista que o Poder Executivo enviou outros projetos para serem apreciados pela Casa.

 

O vereador Iran Barbosa (PT), afirmou que a convocação feriu o que determina o Regimento Interno da CMA e a Lei Orgânica de Aracaju. “Essa convocação é do Executivo e como sendo dele, nós tínhamos que ser comunicados pela Mesa com 72h de antecedência, o que não aconteceu”, disse.

A vereadora Lucimara Passos (PCdoB), ressaltou que não concordava com a pauta de votação. “Fomos convocados para votar a reforma administrativa e quando chegamos aqui, não era apenas isso”, disse. A vereadora se referiu ao pedido de autorização, por parte da Prefeitura, para a contratação de empréstimo de R$ 120 milhões junto ao Banco Interamericano de Desenvolvimento (BID) e outro no valor de R$ 20 milhões para a estruturação da Guarda Municipal.

Segundo a vereadora, não existe nenhum projeto pronto que justifique a contratação desses empréstimos. “Apenas dá cheque em branco para o prefeito para que possa fazer o que quiser com o dinheiro no desenvolvimento urbano”, afirmou. De acordo com o vereador Dr Agnaldo (PR), os recursos serão aplicados na construção da avenida perimetral Oeste e o projeto está pronto. “Isso foi uma promessa de campanha e terei o maior prazer em mostrar todo o estudo feito sobre o assunto”, destacou.

Sobre o recurso destinado a Guarda Municipal, Dr. Agnaldo disse que o valor será investido na compra de equipamentos de proteção individual e na aquisição de veículos. “Esses equipamentos, inclusive de armamentos pesados são caros e vão ser aplicados para melhorias significativas na instituição”, disse.

O vice-líder do prefeito na Casa, vereador Renilson Félix (DEM), destacou que a proposta da convocação é proporcionar que o prefeito João Alves Filho possa ter, de fato, governabilidade. “Não poderíamos ficar de braços cruzados. Já são 30 dias em que a Prefeitura tenta trabalhar, mas não consegue. O governo não pode parar e quem é prejudicado, com isso, é a população”, afirmou.

“Entendo que a convocação feita pela Mesa foi seguiu o que determina a legislação. Não existe nenhum tipo de ilegalidade nisso”, ressaltou o vereador Jailton Santana (PSC). Para o vereador Nitinho (DEM), seria justo conceder um tempo maior para que a oposição pudesse analisar os projetos. “Sempre critiquei a forma como os projetos eram encaminhados e é hora de darmos exemplo. Todos os projetos encaminhados são sérios e pensam no bem estar do povo de Aracaju e nada mais justo que a oposição tenha um tempo para colocar suas emendas porque só quem ganha com isso é a população”, completou.  (Da assessoria)



Política
Com.: 0
Por Eugênio Nascimento
01/02
07:43

Proinvestinho: Câmara votará empréstimo e empregos para PMA

Durante a Sessão Extraordinária desta quinta-feira, 31/1, realizada pela Câmara Municipal de Aracaju (CMA), no Plenário da Assembleia Legislativa de Sergipe (Alese), os parlamentares apreciaram e votaram quatro requerimentos. Desses, dois em caráter de urgência e dois de redução de interstícios regimentais. Toda a pauta está relacionada a 12 Projetos de Lei (PL) encaminhados pelo Poder Executivo, que deverão ser votados pelo Plenário do Parlamento Municipal, em nova Sessão Extraordinária, que será realizada na próxima segunda-feira, 4/1, a partir das 9h na Alese.

Um dos projetos está o 1/2013, que dispõe sobre a estrutura organizacional da administração pública municipal do Poder Executivo. Outra matéria é o PL 2/2013 que concede incentivo fiscal para empresas do segmento saúde.  Há um pedido de autorização para que o prefeito João Alves Filho possa ter acesso a empréstimos de aproximadamente R$ 150 milhões.

Também na pauta, os PLs que dispõem sobre a organização básica das secretarias de Articulação Política e das Relações Institucionais (Seapri); do Planejamento e Orçamento (Seplan); de Governo (Segov); do Meio Ambiente (Sema); da Infraestrutura (Seminfra); da Indústria Comércio e Turismo (Semict).

Outro PL é o 8/2013 que dispõe sobre procedimentos licitatórios no âmbito da administração pública direta e indireta do Município de Aracaju e o 9/2013 que autoriza o Município a contrair empréstimo junto ao Banco Interamericano de Desenvolvimento (BID), no valor de U$ 60 milhões, que serão destinados à operacionalização de projetos e ações de desenvolvimento urbano integrado.  (Com dados da assessoria)



Economia
Com.: 0
Por Eugênio Nascimento
01/02
07:36

GBarbosa/Cencosud assume compromisso com Déda de manter Centro Distribuidor em Sergipe

 O desenvolvimento econômico de uma região pode ser aferido não só pela diversificação de seu campo industrial ou através dos índices de geração de emprego, como também pela ampliação de empresas já fixadas em seu território. Este ano, o grupo mercantil GBarbosa irá inaugurar mais lojas em Sergipe. A informação foi divulgada pelo presidente do grupo, Silvio Pedra, em carta encaminhada ao governador Marcelo Déda. 

“Nossas raízes sergipanas muito nos orgulham e são muito respeitadas. Neste ano, temos previsão de inaugurar mais unidades no estado de Sergipe, além de termos realizado um amplo investimento em diversas outras lojas, garantindo mais conforto e modernidade para nossas filiais aqui situadas”, escreveu.

No documento, Silvio diz que a Cencosud, empresa controladora do GBarbosa e terceira maior varejista da América Latina, vem realizando alterações estruturais para atender seu crescimento na região Nordeste e no País. “Em função de seu tamanho, dispersão geográfica e abrangência nacional, alguns funcionários foram promovidos e transferidos de cidade, o que não elimina a manutenção das equipes regionais em todos os estados onde a Cencosud mantém escritórios, a exemplo da Bahia, Rio de Janeiro, Minas Gerais, Goiás, Ceará e Sergipe”. (Da assessoria)


Economia
Com.: 0
Por Eugênio Nascimento
Primeira « Anterior « 8 9 10 11 12 13

Enquete


Categorias

Arquivos