25/02
23:45

Partes do prédio do Parreiras Horta estão degradadas

Criado na década de 20, o prédio do Instituto Parreiras Horta sofre hoje com a precariedade de partes da sua estrutura. Essa foi a constatação da diretoria do Sintasa após uma visita aos funcionários da instituição para divulgar a mobilização da categoria que acontece no dia 4 de março, às 15 horas, na sede do sindicato. Os servidores querem uma reforma urgente no local para valorizar o patrimônio histórico e cultural do Parreiras Horta.

Logo na faixada do prédio dá para perceber o descaso com a estrutura do prédio, visto que partes do reboco está caindo. A grade de ferro de algumas entradas está danificada. Tem portas que estão fechadas de cadeados e não dão acesso mais ao prédio. Dentro, o auditório já foi abandonado há alguns anos, segundo os funcionários. Há cupins em abundância nas paredes e é preciso um serviço de dedetização. Há uma parte tão perigosa que existe uma faixa da Coordenadora especial da Defesa Civil com o dizer: interditado.

A parte da administração já foi removida para outro local. E, pelo visto, de acordo com os servidores, a tendência é que eles também possam ser removidos. Só que não querem. “Há instituição está se acabando, mas ninguém está tomando nenhuma providência, basta caminhar pela instituição para conferir tudo”, reclama uma servidora que optou por se manter anônima. “Queremos a reforma do prédio para permanecermos aqui. E também voltar o trabalho de pesquisa que fazíamos, como de vacina e soro antiofídico. Hoje, nem análises clínicas faz mais”, completa, acrescentando que não é um problema desse governo, mas também de outros que vieram se arrastando até agora.


Outro erro encontrado foi o fato de equipamentos antigos que poderiam servir para um futuro museu foi doado para instituições, segundo os servidores. “Era um vasto material que marcava a história da instituição”, lamenta um servidor.

Museu da saúde?
O inusitado é o governo já havia assinalado há alguns anos que mudaria o instituto. No dia 9 de julho de 2009, a própria agência de notícias do governo publicou, durante as comemorações dos 40 anos do Batistão, que o Parreiras Horta daria lugar a um museu da saúde. “Será um museu da saúde pública com a história da medicina em Sergipe e da política pública de saúde. Além disso, também abrigaria um centro de convenções com prioridade para saúde, com 300 lugares”, relatou, na época, o governador Marcelo Déda, acrescentando que na obra seriam investidos R$ 6,5 milhões.

Galeria de fotos: www.sintasa.com.br
Da Assessoria


Variedades
Com.: 0
Por Kleber Santos
25/02
20:38

Jogadores do Confiança participam de atividade na piscina

 Após a segunda rodada, o clima é de muitas atividades na Associação Desportiva Confiança. A liderança na tabela do Sergipão 2013 requer o trabalho diário, visando a preparação dos atletas azulinos para os próximos desafios. Na tarde desta segunda-feira parte do elenco trocou o gramado do Sabino Ribeiro pela piscina.
O trabalho, realizado na piscina principal do Colégio Graccho, teve como objetivo readaptação do esforço de jogadores que entraram em campo na vitória contra o Estanciano. A atividade, comandada pelo preparador físico Rogério Juidecce, durou aproximadamente 30 minutos e contou com o goleiro Ricardo, os zagueiros Renê e Valdo, os laterais Ângelo e Augusto, o volante Richardson, os meias Wallace e Paulinho Mossoró e o atacante Diego Neves. 
 
Os demais jogadores permaneceram no Estádio Proletário para um jogo-treino com os atletas do Sub-18. Os técnicos Nadélio Rocha e Paulo Silva acompanharam a atividade que visa os próximos desafios no Campeonato Sergipano de Futebol dos respectivos elencos. Nesta quarta-feira, os dois times sobem a serra para enfrentar o Itabaiana no Estádio Presidente Médici. Na partida preliminar, às 18h15, o juniores enfrenta os donos da casa. Logo após, às 20h15, é vez das equipes principais.
 


Esportes
Com.: 0
Por Kleber Santos
25/02
08:08

RICARDO LACERDA - Consumo e crescimento

Ricardo Lacerda
Professor do Departamento de Economia da UFS e Assessor Econômico do Governo de Sergipe

Alguns períodos de crescimento são liderados pela expansão do comércio exterior, outros pelos investimentos autônomos e, mais comumente, pela expansão de consumo.

Depois do impulso inicial, pode-se formar um ciclo virtuoso em que o crescimento se
desdobra na elevação das outras variáveis que compõem a demanda agregada.

O ciclo de crescimento iniciado em 2004 contou com o impulso decorrente do forte
incremento da demanda por matérias-primas no mercado internacional associado à
expansão da economia chinesa, mas somente firmou-se com a ampliação do poder de compra interno promovida pela incorporação de novos contingentes populacionais ao
mercado de consumo.

Varejo

Os dados do comércio varejista anunciados pelo IBGE na semana passada confirmam a ampliação do mercado de consumo no país. Com os 8,4% de crescimento do volume
de vendas do comércio varejista em 2012, o tamanho do mercado de varejo brasileiro
fechou o ano 90,4% maior do que se encontrava ao final de 2002, antes do inicio do
ciclo de crescimento.

Assim, contamos hoje com um mercado de varejo que é quase o dobro de dez anos
atrás. Reformulando, somente para enfatizar: são quase dois Brasis em consumo no
varejo em uma década.

Em todos os anos a partir de 2004, o volume de vendas no varejo cresceu acima de
4% (ver Gráfico) e a expansão média anual desde então foi de simplesmente de 7,9%.
Esse crescimento foi maior nos estados mais pobres, nos quais a incorporação de mais
pessoas ao mercado de consumo foi mais intensa. A média anual de crescimento em
Sergipe alcançou 9,2% ao ano.

Se o crescimento do consumo trouxe alguns gargalos não desprezíveis, foram muitas
as oportunidades abertas por ele. Alicerçada na expansão do emprego, no aumento da
renda e na ampliação do crédito, a evolução do varejo reflete também a melhoria do
acesso aos bens nos domicílios e ainda indica como esse novo Brasil agregou milhões
de famílias ao mercado de consumo.

Efeitos e limites

A expansão do mercado de consumo gerou oportunidades de investimentos e fez
multiplicar os pequenos empreendimentos voltados para atender a esse poder de compra
aumentado. Muitos investimentos foram direcionados para as regiões mais pobres do
país a fim de atender essa demanda crescente por bens de consumo e as oportunidades
surgidas de adensar a cadeia de fornecimento.

Ainda que tenham surgidas alertas aos limites de manter um crescimento puxado
pelo consumo, essa questão não tem uma resposta tão simples assim. A expansão do
consumo em determinadas etapas em que a crise internacional se agudizou foi benéfica
para o país. Nos momentos mais críticos, o incremento do consumo animou as receitas
públicas, o emprego, a produção interna e ajudou a retomada do investimento.

Há evidentemente limites em quanto o consumo pode seguir crescendo a taxas mais
elevadas do que a média da economia. A um período liderado pelo crescimento de
uma variável como o consumo, deve seguir outros períodos em que os investimentos
públicos e privados, estimulados pelo próprio aumento do consumo, passem a crescer
em ritmo mais acelerado. De outra forma, o crescimento não se sustenta.

Há sim distorções decorrentes da expansão do consumo. As mais graves decorrem da
valorização cambial, que amplia o acesso a bens de consumo importados em detrimento
da produção que gera emprego internamente, e aumenta artificialmente o poder de
compra da população. A ampliação do consumo quando não se segue à retomada do
investimento ou quando a economia se aproxima do teto de sua capacidade também
pode pressionar os preços de tal forma que induzam a adoção de políticas monetárias e
fiscais restritivas que findam prejudicando a expansão dos investimentos.

Os recursos reais e creditícios que financiam a expansão do consumo podem concorrer
ou não com as demandas de crescimento dos investimentos públicos e privados se
a fase do ciclo econômico já aproxima o uso dos recursos produtivos de sua plena
utilização ou se limita a capacidade dos governos de investir em infraestrutura para o
desenvolvimento.

Os sinais que indicam o limite dessa política se cristalizam em desequilíbrios no
balanço de pagamento ou quando o excesso de demanda pressiona os preços. É
monitorando essas varáveis que a política macroeconômica deve compatibilizar o duplo
objetivo de manter a economia em crescimento, para proporcionar a continuidade da
elevação da qualidade de vida das pessoas, sem descuidar dos desequilíbrios que se
manifestam nos preços e nas relações externas.


*Artigos anteriores estão postados em http://cenariosdesenvolvimento.blogspot.com/


Coluna Ricardo Lacerda
Com.: 0
Por Kleber Santos
25/02
08:04

AFONSO NASCIMENTO - O que a Esquerda está pensando

Afonso Nascimento
Advogado e Professor do Departamento de Direito da UFS

A esquerda sergipana pode ser classificada em dois grupos: a esquerda
classista e a esquerda cultural. A esquerda classista é a mais antiga e
surgiu com a emergência de sindicatos de trabalhadores urbanos e do PCB na
Republica Velha em Sergipe. Além dessa organização que também foi partido
político por curto período, alguns outros partidos , organizações
politicas, ongues e movimentos sociais podem ser listados como pertencentes
à esquerda classista, a saber, o PC do B, as organizações Ação Popular e a
POLOP, o velho PTB, a ala esquerda do MDB, PT, o "novo" PCB, PSOL, PSTU,
MST, MOTU, sindicatos combativos de trabalhadores privados e estatais,
centrais sindicais não pelegas, agrupamentos estudantis sindicatos de
professores, etc. Embora alguns setores da esquerda possam ter tido uma
retórica aparentemente extremada, as esquerdas sergipanas nunca foram
radicais. Na verdade, nunca houve uma extrema esquerda em Sergipe. Com
efeito, em tempos de mobilização política ou não, a esquerda classista
sergipana, qualquer que seja o seu rótulo, nunca se engajou em luta armada,
seqüestros, atentados, atos de violência,etc.

A esquerda cultural tem menos historia e é ainda mais múltipla. Os
fundadores da esquerda cultural podem ser encontrados no "movimento"
abolicionista sergipano, formado por aqueles homens e aquelas mulheres que
se bateram pelo fim da escravidão em Sergipe, como Francisco José Alves, na
segunda metade do século XIX. Dessa linhagem apareceu a esquerda racial ou
étnica nos anos 1970 com o movimento negro sergipano de Severo d' Acelino e
de outros grupos (Trindade, Djenal, NEAB, etc.) mais tarde. A esquerda
feminista tem atuação mais antiga, mas parece ter atuação muito discreta e
estar restrita a agrupamentos de classe média e de universitários. Apesar
de as mulheres serem a "minoria" mais explorada e oprimida na historia de
Sergipe, essa esquerda não pegou até hoje.

A esquerda LGBT é mais recente e parece ter mais fôlego ou fazer mais
barulho do que a esquerda feminista. A esquerda católica, à parte os
períodos distintos em que Dom Távora, com seus grupos, esteve à frente da
Igreja Católica de Sergipe e Dom Brandão em Propriá, respectivamente, não
frutificou em Sergipe.Os ambientalistas são poucos e, embora carreguem uma
bandeira simpática a quase todos os setores sociais e já tenham ate ocupado
espaço em governos, não conseguiram impor-se como uma verdadeira força
política. A esquerda ligada a grupos de comunidades de descendentes de
quilombolas ainda não recebeu, afora uma boa exceção, a atenção merecida da
parte de políticos e de ativistas sociais sergipanos.

Pensando a respeito dos governos de Aracaju e de Sergipe, é conveniente
perguntar: quando a esquerda classista partidária, que é aquela que
reivindica o poder político, conquistou esse objetivo? Há quem ache que os
governos de Jackson Barreto, João Augusto Gama e Wellington Paixão foram de
esquerda. Terão sido mesmo? É certo que esses homens públicos estiveram, no
passado, ligados ao PCB e tiveram um papel relevante na luta contra a
ditadura militar, mas dificilmente podem ser considerados governos de
esquerda no tempo de seus governos. Prefiro pensar que a esquerda
conquistou o poder político de Aracaju com Marcelo Déda (2000) e Edvaldo
Nogueira (2006).

Em relação ao governo estadual, também há controvérsias. Pessoas dizem que
o governo de João de Seixas Doria teria sido o primeiro governo de esquerda
de Sergipe. Modestamente, também discordo. Ele seria, no máximo, um liberal
e nacionalista. Agora é verdade que, ao apoiar as reformas de base do
presidente João Goulart, aproximou-se de valores e interesses da esquerda
brasileira. Infelizmente, foi apeado do poder estadual com golpe militar de
1964, deixando de novo a Marcelo Déda a honraria de ser o primeiro
governador de esquerda em Sergipe. Resumindo, Marcelo Déda foi o primeiro
prefeito de esquerda de Aracaju, seguido de Edvaldo Nogueira, seu vice e
depois prefeito, e o primeiro governador de Sergipe de esquerda. Em 2012,
Edvaldo Nogueira deixou o governo de Aracaju e assim foi-se a experiência
da esquerda no poder da capital sergipana.

Posto que a prestação de contas é uma característica da esquerda, já é
então tempo de colocar a interrogação: qual o legado social da esquerda,
representada por Edvaldo Nogueira e pelo PC do B, seu partido, no governo
de Aracaju ( ai não incluindo o papel do governo federal)? Vou explicando
rapidamente porque falei em "legado social". Entendo que um governo de
esquerda só pode ser avaliado corretamente pelo seu trabalho social, pois é
nisso que a esquerda se diferencia da direita - embora isso não signifique
jogar fora outras realizações como infra-estrutura econômica, etc. Como a
esquerda classista brasileira abandonou a bandeira da revolução social e da
extinção das classes, cabe a um governo de esquerda reduzir a distancia
abissal entre as classes através de serviços públicos e de transferência de
renda, contribuindo assim para a criação de uma sociedade menos desigual e
menos injusta.

Dito isto, vale recolocar a pergunta: qual é o legado a herança social da
esquerda comunista de Edvaldo Nogueira em Aracaju? Não li nada sobre isso
na mídia sergipana, a não ser o esforço pouco convincente, com todo o
respeito, do jornalista responsável pela comunicação que trabalhou para a
administração do referido ex-prefeito. Na minha humilde opinião, são
necessários números, indicadores sociais de como viviam as classes
populares de Aracaju antes e, depois, sob a administração de Edvaldo
Nogueira. Não farei nenhum julgamento e não levarei em conta a derrota
eleitoral vexatória e amadora do PC do B e aliados em 2012, em Aracaju.

A mesma pergunta sobre o legado social da esquerda no poder é cabível em
relação a Marcelo Déda como prefeito de Aracaju e ate agora (2013) como
governador de Sergipe, como administrações do PT. Também não farei
julgamento aqui, mas a pergunta precisa ser levantada e os comentários
acima cabem também para esse ex-prefeito e governador. Uma razão mais do
que importante para esse questionamento é o fato de que, em 2014, a
esquerda petista dirá adeus ao poder político estadual. Quais são as
chances de o PT e dos outros partidos de esquerda voltarem ao Palácio de
Despachos?

Elas parecem ser remotíssimas. Depois de Marcelo Déda, ou melhor, antes
mesmo do fim da administração petista de Marcelo Déda, a política sergipana
já mostra tendências de que retornará à direita por um longo tempo,
deixando a impressão de que a esquerda no poder não terá passado de um
hiato político ou uma nuvem passageira na política sergipana.Indo um pouco
além, mesmo que a sua coalizão seja mantida e saia vencedora nas eleições
de 2014, a esquerda petista terá papel muito reduzido de ator coadjuvante
num eventual governo estadual de coalizão, que o governador, generosamente,
chama de "centro-esquerda".

Mesmo com a maior boa vontade para pensar o futuro da esquerda sergipana,
eu tenho dificuldades em vislumbrar alguma coisa promissora para essas
forças políticas. Dou uma explicação para isso. Contra os pequenos partidos
de "extrema" esquerda existe o fato de serem eleitoralmente inviáveis. Já
em relação aos partidos da esquerda moderada, não lhes favorece o fato de
não terem conseguido, em doze anos de poder, treinar quadros técnicos para
ocupar cargos de direção na máquina estatal, formar novos quadros políticos
dentro das máquinas partidárias, por não terem aumentado substancialmente o
número de filiados, não terem educado e fidelizado o geralmente conservador
eleitorado sergipano e por terem perdido quadros de militantes amadores,
rendendo-se à militância profissional como os demais partidos.

Post Scriptum: Este artigo nada tem a ver com as lutas midiáticas entre a
antiga e a atual administrações municipais de Aracaju, nem com a crise do
presidencialismo de coalizão entre o Executivo e o Legislativo de Sergipe.


Coluna Afonso Nascimento
Com.: 0
Por Kleber Santos
24/02
21:24

Confiança ocupa a liderança isolada do Campeonato Sergipano

O time proletário garantiu o primeiro lugar ao vencer, por 2 a 1, o Estanciano, no Batistão (Filippe Araujo/FSF)

Por Kleber Santos

O Confiança manteve o começo arrasador no Campeonato Sergipano e conseguiu a segunda vitória na competição em dois jogos, e manteve a liderança isolada. O time proletário superou o Estanciano, por 2 a 1, neste domingo (24), no Estádio Batistão. Marcaram Joelton e Augusto, enquanto que Brasinha diminuiu.

Nesta quarta-feira (27), o Confiança encara no Presidente Médici o Itabaiana, que ficou no empate em 0 a 0, com o River Plate, nesse sábado (23). Por sua vez, o Estanciano mede forças com o Lagarto, no mesmo dia, no Francão. O time de Carmópolis desafia o Socorrense, na quinta-feira (28), no Batistão.

River Plate ficou no empate, em 0 a 0, com o Itabaiana, nesse sábado

Outro destaque do domingo, foi a goleada aplicada pelo Sergipe diante do Olímpico, por 5 a 1, no Estádio Brejeirão, em Tobias Barreto. Os gols foram marcados por Muribeca, Carlinhos duas vezes, Pantera e Rodrigo. O de honra do time anfitrião foi anotado por Carlinhos. O time colorado joga na próxima rodada contra o América, quarta-feira, no Batistão. Já o Olímpico tenta a reabilitação diante do Boca Júnior, no Brejeirão.

Nos outros resultados do domingo, o Lagarto perdeu em casa para o América, por 1 a 0, e o Boca Júnior ganhou do Socorrense, por 3 a 2.

Confira a Tabela de classificação da Segunda Fase:

(Arte da Tabela: Site Futebol Interior)

 


Esportes
Com.: 0
Por Kleber Santos
24/02
20:55

Balanço dos estaduais: Viradas e primeiras decisões pelo Brasil

Alexandre Pato, do Corinthians, durante partida contra o Bragantino no estádio Nabi Abi Chedid pela 9ª rodada do Paulista (Julia Chequer/Folhapress)

Três dos principais campeonatos estaduais do Brasil estão em momentos diferentes, mas, em todos, a emoção esteve presente neste domingo. Foi assim no Rio de Janeiro – com a virada do Vasco e os empates de Fluminense e Botafogo, que definiram as semifinais da Taça Guanabara –, São Paulo – com gols no fim de Palmeiras e Corinthians – e Rio Grande do Sul – com vitória do Inter no Gre-Nal nas quartas da Taça Piratini. 

Os clássicos que todos aguardam no Rio de Janeiro estão confirmado para a semifinal da Taça Guanabara. Apesar de sair atrás e não jogar bem, o Vasco virou para cima do Duque de Caxias por 2 a 1 graças à boa atuação de Bernardo e confirmou a primeira posição do Grupo A. O atacante fez os dois gols da partida, se movimentou bem e ainda poderia ter feito o terceiro, em cobrança de falta que parou na trave.

Mesmo sem empolgar, o Vasco vai com vantagem na semi contra o Fluminense, que, com time misto, só empatou com o Madureira em 2 a 2, terminando em segundo lugar do Grupo B. O Botafogo também teve dificuldades e, com o mesmo resultado diante do Boavista, acabou sendo ultrapassado pelo Vasco e agora encara o embalado Flamengo, dono da melhor campanha da primeira fase.

Em São Paulo, a definição dos classificados ainda está longe de acontecer, mas tanto Corinthians como Palmeiras não economizaram energia em jogos duros neste domingo. O Timão ficou atrás em boa parte do duelo contra o Bragantino – que teve homenagens e um minuto de silêncio pela morte do torcedor boliviano Kevin Espada, de 14 anos, na última quarta-feira –, mas arrancou o empate em 2 a 2 com gol de pênalti de Paolo Guerrero aos 50 minutos do segundo tempo. Antes, Alexandre Pato havia feito para os atuais campeões mundiais.

O Palmeiras também sofreu, mas saiu do Pacaembu com um resultado bem melhor: a vitória por 1 a 0 sobre a União Barbarense, com gol do estreante Leandro, ex-Grêmio. O resultado impulsionou a equipe ao quarto lugar da tabela, com 16 pontos, enquanto o Corinthians ficou em oitavo, com 14 – e hoje enfrentaria o líder São Paulo nos mata-matas.

O grande clássico do dia aconteceu no Rio Grande do Sul, e a vitória foi do Internacional sobre o Grêmio por 2 a 1. Forlán e Rodrigo Moledo marcaram para o Colorado, enquanto William José diminuiu para o Tricolor, que colocou time reserva em campo. Na semifinal da Taça Piratini, o time de Dunga encara o vencedor de Lajeadense e Esportivo. Na outra semi, São Luiz e Caxias se enfrentam.

E o que mais?
Houve clássico também no Paraná, com o Coritiba derrotando o Atlético-PR por 2 a 1, com gols de Pereira e Deivid. O jogo também foi marcado por confusões, nervosismo e expulsões, justamente de Deivid e de Léo pelos visitantes. O Coritiba reassumiu a ponta da tabela, enquanto o Atlético-PR segue em dificuldade.


Esportes
Com.: 0
Por Kleber Santos
24/02
20:53

Os brasileiros pelo mundo

Kaká fez um gol e deu passe para outro contra o La Coruña (AFP)

Os brasileiros mais uma vez tiveram papel decisivo nos principais campeonatos europeus neste final de semana. Os gols saíram por todas as partes, com atacantes, como Jonas, meias, como Kaká, e até zagueiros, como Naldo. O ex-são paulino Lucas também chegou a comemorar o que seria seu primeiro gol com a camisa do Paris Saint-Germain, mas a festa durou pouco. E teve mais na Itália, Inglaterra e até no Oriente Médio. Confira:

- Espanha: titular pela terceira vez seguida no Campeonato Espanhol, Kaká teve papel decisivo em virada do Real Madrid sobre o lanterna La Coruña por 2 a 1, no sábado. O meia fez o gol de empate – o seu primeiro no nacional desde março do ano passado – e deu o passe para o segundo, de Gonzalo Higuaín. Quem também se destacou na rodada foi Jonas, que marcou duas vezes no empate fora de casa do Valencia com o Zaragoza em 2 a 2. O Barcelona – que venceu o Sevilla de virada, por 2 a 1 – segue disparado na frente, com 12 pontos a mais que o Atlético de Madri de Miranda, Filipe Luís e Diego Costa, todos titulares no triunfo sobre o Espanyol por 1 a 0.

- França: o clássico entre Paris Saint-Germain e Olympique de Marselha foi recheado de momentos marcantes. O primeiro deles veio com a presença de Ronaldo, que foi homenageado ao dar o pontapé inicial do duelo no Parc des Princes e ao receber uma camisa personalizada. Com a bola rolando, Lucas fez grande partida e chegou a comemorar seu primeiro gol com o clube; gol que, no fim, foi dado para o zagueiro Nkoulou, contra. Lucas ainda foi substituído pelo estreante David Beckham, que participou do segundo gol, de Ibrahimovic, o 22º do sueco no campeonato. Com os 2 a 0, o PSG tem agora três pontos a mais que o Lyon na ponta do Francês. Com um gol legítimo, o atacante Brandão, ex-Olympique de Marselha, ajudou o Saint Etienne a vencer o Nancy por 3 a 0 fora de casa, resultado que colocou a equipe na quinta colocação.

- Inglaterra: também foi com gol – aliás, com golaço – que Rafael ajudou o Manchester United a manter a boa vantagem na liderança do inglês. Em forma, o lateral direito voltou a ter boa atuação e acertou um chutaço no ângulo para superar Júlio César – que fez outras belas defesas – na vitória por 2 a 0 sobre o lanterna Queens Park Rangers. Enquanto o United tem 12 pontos de frente para o Manchester City – que venceu o Chelsea de David Luiz e Ramires por 2 a 0 –, o QPR está sete atrás do Wigan, último que escaparia do rebaixamento hoje. A situação da equipe que conta com o goleiro titular da Seleção Brasileira é preocupante.

- Alemanha: na Bundesliga, dois defensores também se destacaram. Com um gol, Naldo salvou o Wolfsburg da derrota fora de casa para o Mainz. O jogo terminou empatado em 1 a 1, o que deixou a equipe dele e de Diego na 15ª colocação, sete pontos à frente da zona de rebaixamento. Mesmo sem marcar, Dante teve outra boa atuação na goleada de 6 a 1 do Bayern de Munique sobre o Werder Bremen. O Bayern tem 17 pontos a mais que o Borussia Dortmund e, mesmo com 11 rodadas para o término do campeonato, já começa a fazer as contas para comemorar o título. Além de ter marcado 63 vezes, a equipe segue com a defesa menos vazada da Europa, com apenas oito gols sofridos – este do Werder foi apenas o primeiro em seis jogos do ano.

E o que mais?
O Brasil também deixou sua marca na Itália, primeiro com Eder, da Sampdoria, que fechou a vitória por 2 a 0 sobre o Chievo. A equipe segue na zona intermediária da tabela, que é liderada pela Juventus. No entanto, Napoli e Lazio ainda jogam na rodada. No clássico deste domingo, Juan foi titular no 1 a 1 da Internazional com o Milan. Quem também marcou foi Marquinho, ex-Fluminense, na vitória da Roma por 3 a 2 sobre a Atalanta, em jogo que ocorreu debaixo de muita neve.

Mais longe dali, no Catar, Nilmar não diminuiu o ritmo pelo Al Rayyan. Ele marcou dois mais gols, agora no empate em 2 a 2 com o Al Kharitiyath, e já acumula sete nas últimas quatro rodadas e 14 na temporada. O All Rayyan, no entanto, segue em quarto, longe do líder Al Sadd.


Esportes
Com.: 0
Por Kleber Santos
24/02
19:30

Coluna Primeira Mão - Política e Economia

 



Capela: Prefeitura e Câmara discutem os salários



O prefeito de Capela, Ezequiel Leite, encaminhará para a Câmara Municipal de Vereadores dois Projetos de Lei para serem apreciados na próxima terça-feira. Os PLs estão relacionados a situação de funcionários efetivos do município. O primeiro trata da revisão anual do piso salarial dos profissionais do magistério (que passa a vigorar com reajuste de 7,97%). O segundo refere-se ao aumento de salário de cerca de 400 servidores efetivos, nas categorias elementares (serventes, vigilantes – auxiliar de serviços gerais), seguindo o mesmo reajuste dado pelo governo federal ao salário mínimo, que foi de 9%.


PMA presenteia população nos 158 anos da capital

 



No dia 2 de março próximo a Prefeitura de Aracaju inicia uma série quinzenal de mutirões nos bairros da cidade, sempre das 7h às 17h. O primeiro bairro a receber o mutirão que terá diversas ações sociais, de cidadania educacionais, profissionalizantes e de saúde será o Almirante Tamandaré. Assim, a partir de março, a Prefeitura de Aracaju, num trabalho conjunto entre todas as secretarias, realizará uma série de ações nos bairros da capital sergipana.

 

 

 


Espanhóis querem conhecer incentivos de Sergipe


Empresários da Espanha solicitaram audiência para conhecer os incentivos estaduais de Sergipe para implantação de plantas industriais. Eles visitaram outros estados, mas ficaram sabendo pela mídia que europeus estão investindo em Sergipe (italianos, franceses, alemães, etc.) e também asiáticos (japoneses), então decidiram que por aqui que eles deverão realizar os seus investimentos. A visita ocorrerá na próxima semana.


Japoneses virão à Sergipe em março


A japonesa Yazaki pretende instalar-se ainda este ano em Sergipe. Os japoneses deverão vir a Sergipe no próximo mês para comunicar ao governador Marcelo Déda o início das obras da fábrica, que irá produzir componentes elétricos (chicotes elétricos automotivos) para os veículos que são produzidos na Bahia e Pernambuco, são investimentos que irão empregar de imediato mais de 1.200 pessoas, sendo o público feminino o preferencial, face a destreza das mulheres no acabamento de peças.


Feira agropecuária começa neste domingo


Aracaju estará sediando no período de 24 de fevereiro a 3 de março a Terceira Feira Agropecuária do Estado de Sergipe, realização Faese. A abertura oficial será às 19h deste domingo, no Parque de Exposições João Cleofas, e contará com a presença do presidente do Conselho Deliberativo Nacional do Sebrae e vice-presidente da Confederação Nacional de Agricultura, Roberto Simões. Uma das atrações do evento é o Bode shop show, mostra de produtos de caprinos e ovinos, ação desenvolvida pelo Sebrae e Federação.


Gualberto só fala sobre Proinveste depois da Votação


“Prefiro não falar sobre esse assunto. Apenas emitirei opinião depois da votação”. A declaração é do deputado estadual e ex-líder do governo na Assembleia Legislativa de Sergipe, Francisco Gualberto (PT), ao ser indagado pelo jornalista Eugênio Nascimento em entrevista do Jornal da Cidade. Ele disse ainda que desconhece as possíveis insatisfações da bancada petista com o governo Marcelo Déda por conta das negociações com a bancada de oposicionista de propostas para aprovação do Proinveste. “Não há clima ruim. Desconheço esse descontentamento na base governista que é apontado por segmentos da oposição. Isso é balela, é boato”, declarou.

Why?
– Por que será que o deputado estadual e ex-líder do governo Francisco Gualberto vem se negando a falar sobre a possibilidade de aprovação do empréstimo do Proinveste? Ele diz apenas que os governistas não estão irritados com o governo por causa das sugestões de emendas da oposição, como dizem alguns oposicionistas.


Chesf vai investir R$ 150 milhões em Sergipe


A Companhia Hidrelétrica do São Francisco (Chesf) vai investir em Sergipe R$ 150 milhões em 2013 e 2014 na modernização de suas subestações de Socorro, Jardins e Itabaianinha e construção de algumas novas. A meta é ampliar a oferta de energia. A estatal informou ainda que não há risco de paralisação de funcionamento da Usina Hidrelétrica de Xingó, pois as chuvas que atingiram afluentes do rio São Francisco têm garantindo a normalidade do funcionamento das turbinas.


Valadares: É tudo boato, não disputo o governo de SE


Quando indagado pelo Jornal da Cidade sobre uma onda de informações dando conta de que deseja ser o candidato a governador do bloco governistas e se isso tem algum fundamento, o senador Antônio Carlos Valadares disse que “essa história surgiu porque algumas pessoas avaliam que, em sendo candidato à Presidência da República, o governador de Pernambuco, Eduardo Campos, precisaria de um palanque de seu partido, om PSB, em Sergipe. Partindo desse princípio, a boataria se propagou que eu estou em campanha pelo Governo de Sergipe e deixou claro: Não estou em campanha e não trabalho para ser a opção do bloco governista. Posso garantir que tudo não passa de boato”.


Jackson é a opção natural do bloco governista, diz Valadares


"Não trabalho para ser o candidato do bloco governista ao Governo de Sergipe. Fui à região do São Francisco na semana passada e vou estar por lá neste final de semana tão somente para acompanhar a aplicação dos recursos que destinei para os seus municípios. Isso que as minhas visitas aos perímetros irrigados intensificou essa onda de boatos. Está mais do que visível de que o candidato natural para a sucessão do governador Marcelo Déda deverá ser o seu vice-governador, Jackson Barreto (PMDB). Agora, é como Déda diz, ele (JB) deve seguir trabalhando, construindo o consenso para que o seu nome venha a se consolidar. Ele tem conversado com as lideranças políticas da base governista e tem demonstrado disposição. Se deseja ser candidato, como diz Déda e eu volto a repetir, tem que atuar no sentido de viabilizar o nome no grupo".


Sefaz promove
quinto sorteio do Programa Nota da Gente


O sorteio acontecerá no dia 25/02, segunda-feira, às 9 horas, no auditório da Sefaz, no 6º andar do prédio-sede da secretaria. A apuração é realizada de forma eletrônica, sob o acompanhamento da Controladoria Geral do Estado, a quem cabe efetuar a auditoria de todo o processo. Todo o procedimento é também aberto ao público. Exatos 81.324, consumidores estão cadastrados no Programa, com um volume de 1.232.874 bilhetes validados, gerados a partir do somatório de documentos fiscais identificados com o CPF/CNPJ do consumidor no período de 1° de outubro a 31 de dezembro de 2012.

Rogério Carvalho: JB vai para o governo e Déda para o Senado

“Há um entendimento no bloco governista de que o governador Marcelo Déda (PT) deverá disputar o Senado e o vice-governador Jackson Barreto (PMDB) será candidato a governador. Por enquanto é só isso, pois os partidos vão discutir depois as suas presenças na campanha eleitoral de 2014, inclusive o cargo de vice-governador na chapa majoritária”. A declaração é do presidente do PT em Sergipe, deputado federal Rogério Carvalho, que avalia que “os governistas terão uma forte chapa majoritária e também proporcional. Eu aposto no sucesso”.

Apenas 77 eleitores de Sergipe podem ter o título cancelado – 1

Menor índice de abstenção do Brasil nas Eleições Municipais de 2012, apenas 77 eleitores de Sergipe que não votaram e não justificaram a ausência nas três últimas eleições podem ter o seu título cancelado. Desde quarta-feira (20), a relação das inscrições passíveis de cancelamento está disponível nos cartórios eleitorais para consulta pelos interessados. O eleitor também pode verificar se o seu documento está sujeito a cancelamento no site do Tribunal Superior Eleitoral (TSE), na opção “Serviços ao eleitor”.

Apenas 77 eleitores de Sergipe podem ter o título cancelado – 2

O eleitor que constar na relação deverá comparecer ao cartório eleitoral, no horário de expediente, no período compreendido entre 25 de fevereiro a 25 de abril de 2013 para regularizar sua situação. O não comparecimento ao cartório para comprovação do exercício do voto, da justificativa de ausência ou do pagamento das multas correspondentes implicará no cancelamento automático do título de eleitor, que será efetivado entre 10 e 12 de maio de 2013.

Empregos em Sergipe - Dieese revela pequena queda

 

Segundo levantamento do DIEESE em Janeiro de 2013 o saldo do emprego em Sergipe teve uma pequena queda de -23 postos de trabalho formais. No mês foram admitidos 9.574 trabalhadores e desligados 9.597. Em doze meses o emprego com carteira assinada teve um crescimento de +2,73% (em termos relativos), gerando 7.620 novos vínculos (em termos absolutos).

SETORES QUE MAIS CONTRATARAM -
Os setores que tiveram os maiores saldos no mês de Janeiro de 2013 em Sergipe foram: Construção Civil (390 empregos ou 1,11%), Serviços (115 empregos ou 0,10%), Serv. Indust. de Util Pública (109 empregos ou 2,06%).

 

 



Coluna Eugênio Nascimento
Com.: 0
Por Eugênio Nascimento
Primeira « Anterior « 1 2 3 4 5 6 7 » Próxima » Última

Enquete


Categorias

Arquivos