19/02
06:24

TRE-SE consulta TSE para definir plebiscito da Zona de Expansão de Aracaju

O Tribunal Regional Eleitoral de Sergipe (TRE-SE) encaminhou consulta ao Tribunal Superior Eleitoral (TSE) sobre a realização do plebiscito que vai definir se a Zona de Expansão de Aracaju ficará sob o domínio da capital ou do município de São Cristóvão. O plebiscito não está previsto no orçamento de 2013 e o TRE poderá obter verba suplementar para promover a votação. O Setor de Informática do Tribunal já está fazendo levantamento para a organização da consulta popular, onde serão ouvidas mais de 60 mil eleitores. Estima-se o custo em mais de R$ 2 milhões.


Política
Com.: 0
Por Eugênio Nascimento
19/02
06:15

Cartórios divulgam relação de eleitores faltosos no dia 20 de fevereiro

Os cartórios eleitorais de Sergipe disponibilizarão a partir da próxima quarta-feira (20) a relação com os nomes e os números de inscrição dos eleitores identificados como faltosos às três últimas eleições. O eleitor que constar na relação deverá comparecer ao cartório eleitoral, no horário de expediente, no período compreendido entre 25 de fevereiro a 25 de abril de 2013 para regularizar sua situação.

A Justiça Eleitoral ressalta que não será expedido qualquer tipo de notificação ao eleitor, seja de forma impressa (correspondência) ou eletrônica (e-mail). O não comparecimento ao cartório para comprovação do exercício do voto, da justificativa de ausência ou do pagamento das multas correspondentes implicará no cancelamento automático do título de eleitor, que será efetivado entre 10 e 12 de maio de 2013.

Documentação necessária para regularização

O eleitor, ao comparecer ao cartório eleitoral, deverá apresentar os seguintes documentos:

Documento que comprove sua identidade (obrigatório);

 

Titulo eleitoral;

 

Comprovante(s) de votação;

 

Comprovante(s) de justificativa(s) eleitoral(is);

 

Comprovante(s) de recolhimento de multa ou de dispensa de recolhimento. (Da assessoria)



Política
Com.: 0
Por Eugênio Nascimento
19/02
06:05

Sergipe terá mais dois novos partidos

O recém-criado Partido da Educação e Cidadania (PEC) realizará o seu primeiro Encontro Estadual em Sergipe no próximo domingo, dia 24. Com o tema "PEC, um partido para renovar o Brasil", o encontro acontecerá no auditório da Auto Escola Relâmpago, na rua Zaqueu Brandão, 77, próximo ao Hiper Bompreço.

A programação começa às 09 horas e segue até o final da tarde. Segundo os organizadores, os objetivos são: analisar e discutir as perspectivas do PEC para os municípios, estado e país; promover a interação entre os construtores do PEC; nortear as ações pró-legalização do partido.

Entre os palestrantes estarão Ricardo Holz, Gilvan Fiel, Francisco Gualberto, Flávio Cruz e Luiz Fernandes. A participação é livre. Também em fase de conversação está a criação da Rede Sustentabilidade, o novo partido de Marina Silva.


Política
Com.: 0
Por Eugênio Nascimento
18/02
19:34

Programa Sergipe Alfabetizado ganha adesão de novas entidades

Na tarde desta segunda-feira, 18, novos interessados em participar do programa Sergipe Alfabetizado como representantes de secretarias estaduais, sindicatos rurais, associações de moradores, movimentos estudantis, agremiações escolares, secretarias municipais, ONGs e outras entidades de classe, se reuniram no auditório do Complexo Administrativo da Seed, para conhecer os mecanismos necessários para adesão ao programa. O encontro foi conduzido pelo coordenador Estadual do Sergipe Alfabetizado, José Genivaldo Martirez.

Desenvolvido pelo Governo do Estado, por meio da Secretaria de Estado da Educação (Seed), o Programa Sergipe Alfabetizado foi, ao longo dos últimos seis anos, responsável pela alfabetização de 190 mil jovens, adultos e idosos sergipanos.

O coordenador apresentou os índices de analfabetismo de cada município e chamou atenção para a cidade de Nossa Senhora Aparecida, cujo percentual de analfabetos chega a 37,75% e é o maior do Estado. Mas, segundo o coordenador, o propósito do programa vai além de alfabetizar quem nunca pisou em uma sala de aula.

(Da assessoria)



Política
Com.: 0
Por Eugênio Nascimento
17/02
22:38

Sergipe é campeão invicto da Copa Governo do Estado

Sergipe levanta a taça (Foto: Filippe Araujo/FSF)

Por Kleber Santos

Com a vantagem de ter vencido o primeiro jogo da final, o Sergipe conseguiu um empate contra o River Plate, de 1 a 1, nesse domingo (17), no Estádio Batistão, em Aracaju, na finalíssima, e levantou a Taça de Campeão da Copa Governo do Estado, correspondente ao primeira fase do Estadual. Com essa façanha, o time alvirrubro garantiu uma vaga na Copa do Brasil de 2014.

O jogo foi bastante movimentado. O River Plate apareceu bem diferente da primeira partida e conseguiu abrir o placar com um gol de falta marcado por Leandro Kível, no primeiro tempo. O Sergipe demorou a reagir e sofreu com os ataques perigosos do time de Carmópolis. Porém, aos 28mim, Nivaldo foi derrubado na área, e David cobrou o pênalti e empatou o jogo.

Gol do empate do Sergipe, de pênalti (Fotos: Kleber Santos/Primeira Mão)

No segundo tempo, o time da casa mostrou sua superioridade com muitos contra-ataques perigosos, mas que insistiram em não serem concluídos em gol. Foram muitas chances desperdiçadas. Era mais fácil o Sergipe virar o jogo do que o River marcar. E esse impasse durou até o final da partida, que decretou o título invicto do Sergipe.

2ª fase
A próxima partida do Sergipe acontece nesta quarta-feira (20), às 20h15, contra o Lagarto, no Estádio Batistão, pela primeira rodada da segunda fase do Campeonato Sergipano. Por sua vez, o River Plate encara no mesmo dia e horário, o time do Estanciano, no Estádio Francão, em Estância.

Campanha do Sergipe na Copa
9 jogos
6 vitórias
3 empates
13 gols marcados
3 gols sofridos

13/01 - Sergipe 1X0 América
20/01 - Olímpico 0X2 Sergipe
23/01 - Sergipe 3X1 Boca Junior
26/01 - Boca Junior 0X0 Sergipe
31/01 - Sergipe 0X0 Olímpico
03/02 - América 0X3 Sergipe
06/02 - Sergipe 2X1 Lagarto
14/02 - River Plate 0X1 Sergipe
17/02 - Sergipe 1x1 River Plate




Esportes
Com.: 1
Por Kleber Santos
17/02
22:06

Brasileiros pelo mundo se destacam neste domingo

Uma dupla que brilhou na conquista da Copa do Mundo Sub-20 da FIFA Colômbia 2011 foi o grande destaque brasileiro nos gramados internacionais neste final de semana. Mas não foram apenas Oscar e Philippe Coutinho que balançaram as redes rivais: os gols de atacantes e meias do país saíram aos montes na Alemanha, Espanha, Holanda e até no Catar.

- Inglaterra: pela primeira vez desde que chegou à Inglaterra, Philippe Coutinho foi titular pelo Liverpool. E a boa novidade encheu o camisa 10 de moral: com boa atuação, ele fez seu primeiro gol pelo clube e foi peça importante na goleada de 5 a 0 sobre o Swansea, que colocou os Reds na sétima colocação do Campeonato Inglês, de novo na briga por vagas nas competições europeias. Se Coutinho dá seus primeiros passos, Oscar já parece um veterano, tamanha a rapidez com que se adaptou ao Chelsea. Depois de marcar no meio de semana contra o Sparta Praga, pela UEFA Europa League, desta vez ele deixou o seu nos 4 a 0 sobre o Brentford, que puseram os Blues nas oitavas de final da Copa da Inglaterra. Foi o nono gol do meia da Seleção em seu primeiro ano pelo Chelsea.

Oscar comemora boa fase no Chelsea (Foto: Scoty Heavey)

- Alemanha: Michel Bastos não é jovem como Coutinho e Oscar, mas, assim como eles, vem encarando um novo desafio no Schalke 04. E o ex-lateral da Seleção parece estar se sentindo em casa menos de um mês após deixar o Lyon: autor de um golaço em sua estreia, ele fez ainda melhor neste sábado, marcando logo dois no empate em 2 a 2 do time de Gelsenkirchen com o Mainz. O curioso é que, se Michel Bastos vai bem, seu time não anda lá essas coisas: o Schalke é o nono na tabela e não vence há quatro rodadas. O Campeonato Alemão é liderado com sobras pelo Bayern de Munique, que mais uma vez teve Dante como xerifão da zaga. Ele e Luiz Gustavo ajudaram os bávaros a bater o Wolfsburg, de Diego e Naldo, por 2 a 0, e a manter a frente de 15 pontos para o Borussia Dortmund. Mais ainda: na Bundesliga, a equipe não sofreu gols em cinco partidas neste ano – o último foi em 14 de dezembro, no 1 a 1 com o Borussia Mönchengladbach. Ao todo, são apenas sete em 22 rodadas.

- Espanha: entre todas as estrelas brasileiras que atuam no país, quem mais se destacou neste final de semana foi um atacante bem menos conhecido. Titular ao lado de Falcao García no ataque do Atlético de Madri, Diego Costa – que chegou à Europa com 18 anos, sem passagens por clubes brasileiros – voltou a deixar sua marca nos 3 a 0 sobre o Valladollid, que mantiveram os colchoneros na segunda posição, 12 pontos atrás do Barcelona e quatro à frente do Real. Se os catalães venceram fora o Granada por 2 a 1 com mais dois de Lionel Messi e com Daniel Alves e Adriano como titulares, os merengues, por sua vez, contaram com Kaká no time principal no triunfo por 2 a 0 sobre o Rayo Vallecano. Antes sem prestígio com José Mourinho, o meia vai aos poucos jogando mais – foram 80 minutos neste domingo –, na tentativa de recuperar uma vaga na Seleção Brasileira.


Esportes
Com.: 0
Por Kleber Santos
17/02
22:01

Balanço dos estaduais: Fla embala no RJ; grandes tropeçam em SP

Os clássicos nos dois principais campeonato estaduais do Brasil terminaram de forma distintas neste domingo. No Rio de Janeiro, o Flamengo levou a melhor sobre o Botafogo por 1 a 0 e assegurou a classificação antecipada às semifinais da Taça Guanabara. Em São Paulo, Corinthians e Palmeiras fizeram um duelo movimentado e que acabou com empate em 2 a 2. A bola ainda rolou no Rio Grande do Sul e Minas Gerais, e o FIFA.com faz um resumo das principais ações da rodada.

Os mais de 22 mil torcedores que compareceram ao Engenhão viram um clássico nivelado, com poucas chances reais de gol, mas com muita disposição de ambos os lados. E se o Flamengo contava com a estreia de Carlos Eduardo, quem brilhou mesmo foi Hernane, autor do o gol da vitória por 1 a 0. Em alta, o atacante marcou pela oitava vez em 14 partidas neste ano.

Com o triunfo, o Rubro Negro manteve a invencibilidade no Grupo B, agora com 19 pontos, e já garante a melhor campanha da primeira fase, o que significa vantagem contra qualquer rival nos mata-matas. O Fluminense, que venceu o Volta Redonda por 3 a 1 no retorno de Deco – deu duas assistências para gol –, tem 15 pontos no Grupo B e, hoje, pegaria na semifinal o Botafogo, ainda líder do Grupo A. Já o Vasco, que passou sem dificuldades pelo Audax, por 3 a 0, seria o rival do Flamengo. Na última rodada, os três grandes só dependem de suas forças para se classificar.

Paulista
No Pacaembu, o Corinthians entrou com o mesmo time que conquistou o título da Copa do Mundo de Clubes da FIFA em dezembro – com exceção ao zagueiro Gil, escalado no lugar do machucado Chicão – e foi melhor em boa parte do jogo. A equipe de Tite acertou a trave de Fernando Prass em duas ocasiões – com Jorge Henrique e Guerrero –, saiu na frente com Emerson, mas levou a virada em duas jogadas aéreas: a primeira, em conclusão de Vilson e a outra, no segundo tempo, em jogada que Cássio falhou e Vinícius aproveitou.

Embalado pela vitória na Libertadores no meio de semana, o Palmeiras se superou mais uma vez em campo, mas a força do elenco corintiano fez a diferença no fim: com as entradas de Alexandre Pato, Renato Augusto e Romarinho, a equipe foi para cima e conseguiu o empate justamente com o último, que provou ter sorte contra o rival. “Contra o Palmeiras minha motivação é muito maior. Foram três jogos e quatro gols, é uma média boa e espero continuar com ela”, destacou o atacante.

O empate acabou não sendo bom para nenhuma das equipes, que pararam nos 13 pontos, fechando o grupo dos que hoje estariam classificados aos mata-matas. Quem lidera o Paulista é a Ponte Preta, que derrotou o Santos por 3 a 1, em dia de expulsão de Neymar. Enquanto os campineiros foram a 18 pontos, os atuais tricampeões paulistas pararam nos 14, agora em quarto.

E o que mais?
O Campeonato Gaúcho terá um clássico nas quartas de final da Taça Piratini. Com a vitória por 1 a 0 sobre o Veranópolis, o Grêmio fechou a primeira fase com o terceiro lugar do Grupo A e agora encara o rival Internacional, que sofreu o empate do Cruzeiro aos 47 minutos do segundo tempo. Até então, o gol de Leandro Damião ia dando a liderança do Grupo B ao Colorado, mas o 1 a 1 selou a realização do clássico.

Ainda no início, o Campeonato Mineiro segue tendo o Cruzeiro como líder, embora a Raposa tenha ficado no 0 a 0 com o Guarani, em jogo que marcou a estreia de Diego Souza. O meia, no entanto, teve atuação apagada. Já o Atlético-MG não se importou com o cansaço após a disputa da Libertadores, no meio de semana, e mandou o time titular a campo – com exceção a Ronaldinho Gaúcho, poupado. O resultado foi uma boa vitória sobre o Araxá por 3 a 0, com direito a golaço de Bernard e outros de Jô e Alecsandro. O Galo é o vice-líder com seis pontos.


Esportes
Com.: 0
Por Kleber Santos
17/02
09:41

O comercio exterior brasileiro em 2012

Ricardo Lacerda*

A expansão das nossas exportações a partir de 2003 foi um dos principais vetores do recente crescimento econômico brasileiro. Entre 2003 e 2007, o valor das exportações brasileiras cresceu notáveis 166%, equivalentes a taxas anuais de 21,6%. Nesse período, dois fatores favoreceram a rápida evolução das vendas externas do Brasil: a elevação das cotações internacionais das principais commodities agrícolas e minerais brasileiras e o novo patamar estabelecido para o câmbio, após o fim do regime de câmbio fixo no início de 1999 e a forte desvalorização ocorrida entre 2002 e 2003.

Com o advento da crise financeira em 2008, o ritmo de expansão de nossas exportações desacelerou, apresentando taxas anuais de crescimento bem inferiores, mas ainda elevadas, 12,4% entre 2008 e 2011.

À medida que a economia brasileira foi se consolidando entre 2003 e 2006, com a ampliação do mercado interno, as importações de bens de consumo para as famílias e de insumos e de componentes para as empresas também aceleraram, de tal forma que, entre 2006 e 2008, o ritmo de crescimento das importações se apresentou mais rápido do que o da expansão das exportações. A revalorização do câmbio nesse período também foi importante, na medida em que elevou a competitividade do produto importado no mercado interno.

Já sob a influência da crise financeira, de 2008 em diante, as importações também desaceleraram, mas se mantiveram com expansão superior a das exportações. O movimento, portanto, foi de saltos anuais no saldo da balança comercial entre 2003 e 2006, e de encolhimento desde lá, em um primeiro momento em função do forte aquecimento do mercado interno e, a partir de 2009, por conta do diferencial entre o ritmo de desaceleração do crescimento das exportações e o das importações, em favor dessas últimas que caíram mais lentamente.

2012
Em 2012, o comércio exterior não ajudou o crescimento da economia brasileira. Pelo contrário. Exportações e importações se retraíram. Todavia, enquanto as primeiras caíram 5,3%, as últimas apresentaram perdas menores, de 1,4%, mesmo considerando a contabilização retardada das compras externas de combustíveis.

Com isso, o saldo comercial de 2012 apresentou um recuo de impressionantes US$ 10,4 bilhões em relação ao ano anterior, caindo de US$ 29,8 bilhões para US$ 19,4 bilhões. Definitivamente, não foi um bom desempenho (ver Gráfico).

A retração das exportações de 2012 em US 13,5 bilhões, em relação ao ano anterior, se deveu essencialmente à redução das compras de alguns dos nossos principais parceiros comerciais. As exportações para a Argentina caíram quase 9%, para a Alemanha, 46%, para a Espanha, 25% e para a China 9%. Em termos de grupos de produtos, as principais quedas em 2012 atingiram as exportações de minérios, café, açúcar, metais e veículos.

Fatores
Para as sucessivas retrações no saldo comercial desde o pico de 2006, quando atingiu US$ 46,5 bilhões, para os atuais US$ 19,4 bilhões, muitos fatores concorreram. Considerando o conjunto do período, os principais estão relacionados ao forte incremento da demanda por importações, mesmo quando a economia interna desacelerou após 2008, e a redução mais intensa do ritmo de crescimento das exportações. Os dois processos indicam a perda relativa de competitividade de nossos produtos, seja no mercado doméstico, seja no mercado externo.

Parte desse fenômeno se deve à valorização cambial em um cenário de comércio mundial desaquecido, parte se deve aos efeitos do forte incremento da renda interna sobre a nossa estrutura de custos. Para ambos os casos, somente uma mudança de preços relativos induzida pela desvalorização cambial pode se contrapor.

Fonte: MDIC-SECEX



*Professor do Departamento de Economia da UFS e Assessor Econômico do Governo de Sergipe.
Artigos anteriores estão postados em http://cenariosdesenvolvimento.blogspot.com/
 


Coluna Ricardo Lacerda
Com.: 0
Por Kleber Santos
Primeira « Anterior « 1 2 3 4 5 6 7 8 9 10 11 » Próxima » Última

Enquete


Categorias

Arquivos