23/02
21:25

Agamenon Sobral não aceita proposta do MPE

O vereador de Aracaju, Agamenon Sobral, não aceitou a proposta de transação penal do Ministério Público do Estado de Sergipe (MPE) para prestar quatro meses de serviços comunitários, durante seis horas semanais, ou pagar o montante de quatro salários mínimos à uma instituição, durante a segunda audiência realizada nesta segunda-feira (23), no Juizado Especial Criminal da Comarca de Aracaju. O vereador é da ação judicial movida pela enfermeira, Flávia Brasileiro, ex-presidente do Sindicato dos Enfermeiros do Estado de Sergipe (Seese).

Em maio do ano passado, Agamenon Sobral proferiu discursos grosseiros e machistas, no expediente da Câmara de vereadores e nas rádios, dirigidos às enfermeiras do Hospital de Urgência de Sergipe (HUSE). A atual diretora de formação sindical do Seese se sentiu constrangida e moveu a ação, visto que acredita que não foi uma ofensa institucional, mas pessoal por conta do vereador não ter ofendido em apenas uma oportunidade, mas em várias.

Diante da recusa da transação penal, foi marcada a terceira audiência para o dia 16 de abril, às 8h30min.

Da assessoria do Seese


Política
Com.: 0
Por Kleber Santos
23/02
21:14

Direção do SINTESE é recebida pelo secretário de Estado da Educação

Na manhã desta segunda-feira, membros foram discutidos na audiência pontos da pauta de reivindicações do magistérioForam discutidos na audiência pontos da pauta de reivindicações do magistérioda direção do SINTESE foram recebidos pelo secretário de Estado da Educação, Jorge Carvalho. Além dos assessores do secretário e do sindicato também participaram da reunião, a deputada estadual Ana Lúcia e o vereador Iran Barbosa.

A audiência foi solicitada através de ofícios no mês de janeiro e o sindicato apresentou como pontos para negociação e discussão: melhoria da estrutura física das escolas, transparência na aplicação dos recursos, reajuste do piso para 2015 e pagamento do passivo trabalhista gerado pelo não reajuste do valor do piso em 2012, Plano Estadual de Educação, reativação das comissões de Interiorização e Gestão de Carreira.

Reajuste do piso 2015

Sobre o reajuste do piso, o secretário Deputada Ana Lúcia participou da audiênciaDeputada Ana Lúcia participou da audiênciaapresentou inicialmente que o reajuste se daria no mês de fevereiro apenas para os professores do nível médio e o reajuste dos demais níveis da carreira seria discutido em outro momento com a equipe econômica após verificar os impactos do gasto a luz da Lei de Responsabilidade Fiscal.

A fala do secretário surpreendeu a direção do SINTESE e também os parlamentares. “Hoje o professor da rede estadual já não tem a mesma tranquilidade para trabalhar, pois a violência social tomou conta de nossas escolas, sem falar nos graves problemas estruturais e pedagógicos que vive a rede estadual e, além disso, ainda ver esse recuo do governo com relação a algo que já foi realizado nos dois últimos anos é muito preocupante”, apontou a presidenta do SINTESE, Ângela Maria de Melo.

“O debate de reajuste diferenciado foi superado nos anos de 2013 e 2014. Se o governo volta a nos apresentar a ele está havendo um grave retrocesso”, expos o diretor do Departamento para Assuntos da Base Estadual, Roberto Silva dos Santos.

O diretor de Comunicação Joel Almeida Vereador Iran Barbosa apelou para que não
se dê um passo atrás no processo de reajuste do pisoVereador Iran Barbosa apelou para que não se dê um passo atrás no processo de reajuste do pisocolocou que, caso essa situação se efetive, o prejuízo para o magistério da rede estadual seria muito grande e não somente na questão financeira. Para ele em um cenário de que se precisa aumentar a formação dos professores e em uma conjuntura em que o lema do Governo Federal é ‘Pátria Educadora’, o magistério da rede estadual iniciar o ano de 2015 com reajuste diferenciado não é condizente com um processo de valorização. “Isso sem contar a situação absurda e quase vexatória que se criaria em poucos anos. Os educadores com formação em nível médio terem remuneração maior do que aqueles que têm formação em nível superior. Nossa preocupação é que Sergipe não se transforme em um caso sui generis”, apresentou Joel.

Contribuindo para a discussão, a deputada Ana Lúcia disse que se o reajuste fosse implantado dessa forma, a diferença entre os vencimentos iniciais daqueles com nível médio e os com graduação seria de apenas 1,36%. “O Plano de Carreira do Magistério estabelece que haja uma diferença de 40% entre a formação em nível médio e a graduação. Essa diferença já foi reduzida a partir do momento em que não houve o reajuste do piso em 2012, o reajuste se dando dessa forma, praticamente extingue a diferença entre os níveis”, explicou a deputada.

O vereador Iran Barbosa fez um breve histórico de como se deu o processo de implantação e reajuste do piso nos últimos anos e lembrou que o impasse de 2012 gerou um grande desgaste no magistério sergipano. “Apelo para que não se dê um passo atrás no processo e que não façamos do reajuste do piso um entrave”, sentenciou.

O secretário disse que irá analisar os dados apresentados pelo SINTESE e voltará a se reunir com a equipe econômica e contatará o sindicato.

Perda de matrícula

A crescente perda de matrícula também foi um ponto destacado na audiência. Em um estudo apresentado pelo sindicato considerando o número de alunos matriculados na rede nos últimos 10 anos caiu em mais de 100 mil. Como o financiamento da Educação é vinculado ao número de matrículas tal queda é preocupante.

Outro dado é: a receita do Fundo de Manutenção e Desenvolvimento da Educação Básica e Valorização dos Profissionais da Educação em 2014 foi de 1 bilhão de reais, sendo que apenas 551 milhões ficaram na rede estadual. O restante foi redistribuído entre os municípios. “Se a política de fechamento de turmas, turnos e até escolas continuar em breve o maior montante de recursos não ficará na rede estadual”, concluiu Roberto.

Para tratar mais profundamente da questão a deputada Ana Lúcia sugeriu a criação de um grupo de trabalho.

Estrutura das escolas

A presidenta entregou ao secretário dois relatórios: o primeiro contendo ofícios enviados pelo sindicato e matérias publicadas na imprensa sergipana que denunciavam a situação de várias escolas da capital e do interior. O segundo relatório contém fotografias de várias escolas da rede estadual (de Aracaju e outras cidades) em péssima situação estrutural.

Funcionamento de comissões

A direção do SINTESE também cobrou a reativação das comissões de Gestão de Carreira, Titulação e Interiorização. O secretário informou que até o final desta semana todas voltarão a funcionar.

Gestão Democrática

Considerando o Plano Nacional de Educação que prevê a implementação da Gestão Democrática em dois anos e a forma como o governo do Estado implantou um processo de eleição para diretor (por decreto), a vice-presidenta do SINTESE, Ivonete Cruz colocou que é o momento ideal para se retomar a discussão sobre a Gestão Democrática na rede estadual. Ela historiou o processo já vivido em gestões passadas e sugeriu a criação de uma comissão para que o assunto volte ao debate.

(Da assessoria)


Política
Com.: 0
Por Kleber Santos
23/02
21:02

Mendonça Prado: Bandidos em Sergipe estão se matando

“O crack está abastecendo a criminalidade em todo o país. Ele é o combustível que influencia na elevação dos índices de violência no Brasil. O tráfico de drogas tem sido o principal fator para o aumento das taxas de homicídio e outros crimes, porque suscita uma prestação de contas entre os traficantes e os chamados aviões”, ressaltou Mendonça Prado em entrevista concedida hoje (23).

Ao esclarecer sobre o número de mortes em Sergipe, Mendonça Prado usou como exemplo os dados registrados no município de Itabaiana, no mês de janeiro. Segundo ele, das 15 vítimas alvejadas, 13 eram ex presidiários ou tinham passagem pela polícia. O que comprova que a violência no estado está atingindo, principalmente, as pessoas que habitam o mundo do crime. “É como se eles, os criminosos, estivessem vivendo em um espaço a parte e se matando diariamente. Dificilmente acontece algo com pessoas de bem”.

Para o secretário de Segurança Pública, a estatística mostra a fragilidade das leis no país, pois a reincidência tem sido alta e a polícia acaba prendendo o mesmo delinquente por diversas vezes.

“Lastimavelmente, a polícia cumpre o seu papel e prende os bandidos, mas, em função da fragilidade das normas em vigor, os que delinquem acabam voltando ao convívio social e repetindo os seus atos delituosos. É necessário que a sociedade esteja atenta a essa situação, porque precisamos mudar a legislação para tornar as leis mais rígidas. Quando fui deputado, lutei para alterá-las e defendi penas mais rigorosas e menos flexíveis. É importante ressaltar que a culpa não é do Poder Judiciário, e sim dos congressistas que mantêm regras ineficazes, que estimulam as inumeráveis ocorrências”.

Outro aspecto mencionado por Mendonça Prado, diz respeito a ousadia dos bandidos no enfrentamento com a polícia. De acordo com ele, os marginais perderam o receio de confrontar-se com as forças de segurança, até porque existe uma série de fatores que acabam intimidando os policiais. “Um deles também é o ordenamento jurídico que pune severamente os operadores de segurança quando agem com mais energia, até mesmo quando o fazem para defender a sua própria integridade”.

Portanto, conforme Mendonça Prado é imprescindível restabelecer a autoridade do policial com regras que resguardem a ação dos homens e mulheres que fazem as policias do país. “É preciso ficar claro que um marginal tem que obedecer e se entregar e nunca afrontar o Estado”.

(Da assessoria)


Variedades
Com.: 0
Por Eugênio Nascimento
23/02
21:00

“Sergipe é um lugar mais desenvolvido e mais igual”, diz Jackson na Assembleia

Na primeira sessão legislativa do ano, o governador Jackson Barreto apresentou os avanços econômicos e sociais de Sergipe durante o ano de 2014 e apresentou aos parlamentares sergipanos os novos projetos e programas que o governo vai promover ao longo da atual gestão. Jackson também fez uma homenagem especial ao ex-governador Marcelo Déda, falecido em dezembro de 2013, destacando os resultados dos últimos oito anos de administração em que foi estabelecido um novo ciclo de mudanças no estado. A solenidade ocorreu na tarde desta segunda-feira, 23.

De acordo com o governador, o trabalho de dedicação e de responsabilidade social do governo de Sergipe elevou os índices de desenvolvimento do Estado para resultados surpreendentes. “Nossos índices de desenvolvimento melhoraram continuamente: somos o estado nordestino com o maior PIB per capita da região e temos a maior renda média familiar do Nordeste. Nosso Índice de Desenvolvimento Humano chegou ao nível de médio desenvolvimento, e em alguns anos poderemos finalmente alcançar a marca do alto desenvolvimento humano. Nesses oito anos, transformamos Sergipe em um lugar mais desenvolvido e mais igual”, afirmou.

“Aproveito esse momento importante do exercício democrático, momento que demonstra, mais uma vez, do respeito que tem pautado a relação entre os Poderes Executivo e Legislativo, para cumprir o meu dever constitucional de prestar contas do trabalho que desenvolvemos nesses últimos quatro anos. Um trabalho que deu continuidade a um ciclo de mudanças iniciado em 2007 pelo governador Marcelo Déda, e que transformou Sergipe e a vida dos sergipanos como nenhum outro antes dele. É o momento, também, de apresentar alguns dos principais projetos que o Governo pretende realizar, dando às senhoras e senhores uma ideia do trabalho hercúleo que temos pela frente”, destacou.

Em sua mensagem, o governador revelou que, apesar do mundo estar atravessando um período difícil de grave crise, onde os analistas econômicos temem por uma recessão no Brasil, em Sergipe a situação tem sido diferente. “Nosso trabalho é norteado pela ideia de que o desenvolvimento e o bem estar devem chegar a todos os sergipanos. Enquanto o desemprego em todo o mundo crescia a níveis alarmantes, em Sergipe geramos mais de 122 mil empregos entre 2007 e 2014. Nosso setor agropecuário cresceu e se diversificou. Conseguimos atrair centenas de novas indústrias que estão mudando o panorama econômico do estado, criando uma economia cada vez mais pujante, que anda com suas próprias pernas”

“Ao trazermos indústrias para Sergipe, priorizamos sua instalação no interior, transformando a estrutura econômica do estado e distribuindo melhor a produção de riquezas. Sem de descuidar do agronegócio, priorizamos a agricultura familiar”, disse.

Enfrentando a crise

Mesmo crescendo acima da média brasileira e se destacando nos índices que medem o desenvolvimento humano e social, o governador reconhece que Sergipe não está isolado. Segundo ele, o peso da crise imposta principalmente por fatores externos, mas também internos como a pressão cada vez maior sobre a Previdência estadual, foi sentido, obrigando o governo a realizar uma reforma administrativa.

“Fui eleito pelo povo sergipano para fazer o melhor por Sergipe. Acredito que temos o dever de continuar fazendo do Estado um instrumento de transformação que beneficie cada vez mais sergipanos. Fizemos uma das mais importantes reformas administrativas da história de Sergipe. Estamos fazendo uma reestruturação radical e necessária: extinguimos secretarias e estamos aumentando a eficiência das existentes. Reduzimos o número de cargos em comissão, mitigando seu impacto na folha salarial. Estamos fundindo empresas que o tempo tornou obsoletas ou redundantes, realocando recursos humanos sem descurar do respeito absoluto aos direitos dos servidores. O resultado dessa reforma será um Estado moderno e ágil”.

Jackson lembrou que o ajuste da máquina é necessário para manter o Estado no limite prudencial. “Sem isso, Sergipe seria impedido de receber recursos federais e internacionais, pondo em risco os investimentos necessários ao seu desenvolvimento econômico e social, interrompendo obras e serviços importantes, prejudicando as pessoas e jogando o Estado em uma grave crise que sempre fomos capazes de evitar”, reforçou.

O presidente da Casa e deputado estadual Luciano Bispo destacou a independência dos Poderes Legislativo e Executivo e destacou a boa relação e parceria entre os poderes em defesa da população. “O governador encontra na Assembleia Legislativa parceiros para beneficiar a população. Garanto celeridade na aprovação dos projetos em que o povo sergipano seja o maior beneficiado. É uma alegria receber o governador Jackson Barreto na abertura dos trabalhos da Assembleia”.

Homenagem

“ Esse novo Sergipe é, também, o resultado do sonho de um homem: Marcelo Déda. Foi ele que, em 2006, viu que era possível tornar a experiência renovadora na Prefeitura de Aracaju em um novo projeto de transformação do Estado, para levar justiça social e prosperidade para o povo sergipano. Ao meu amigo, e companheiro de uma incessante luta por Sergipe, deixo aqui mais um agradecimento a Marcelo Déda. Um agradecimento ainda insuficiente por tudo o que ele fez por seu povo”, afirmou emocionado.

Planejamento Hídrico

Apesar dos problemas de abastecimento no Sudeste, Jackson Barreto relatou que Sergipe não passa pela mesma situação por força do planejamento hídrico iniciado pelo governador Marcelo Déda. “Em Aracaju, as pessoas não sabem mais o que é conviver com o racionamento de água. Para isso, integramos os sistemas de abastecimento e construímos a Barragem do Rio Poxim, que já está em pleno funcionamento e vai garantir o abastecimento da região metropolitana pelos próximos 20 anos”.

Ele disse que no interior, milhares de famílias que tinham que percorrer grandes distâncias para apanhar água em algum açude ou cacimba, ou esperar a passagem de um carro-pipa, hoje têm água tratada e encanada. “Construímos novas adutoras, ampliamos as já existentes e as integramos, criando um sistema de abastecimento mais sólido e eficiente. Criamos novos sistemas de abastecimento em várias cidades, como Itabaianinha. E embora esse trabalho ainda não tenha terminado, temos também a consciência de que hoje o cenário é muito melhor”.

Novos Investimentos

Nesses próximos quatro anos, o governador disse que vai continuar investindo muito em infraestrutura hídrica para garantir que Sergipe jamais venha a passar pelo que São Paulo está passando. Uma dessas obras será o Canal de Xingó. Com mais de 305 quilômetros de extensa, o Canal vai levar água para Canindé de São Francisco, Nossa Senhora da Glória, Monte Alegre, Poço Redondo, Porto da Folha, Paulo Afonso e Santa Brígida. O governo já está contratando o projeto técnico da primeira etapa da obra.

“Mais que uma obra gigantesca, o Canal de Xingó será a realização de um sonho dos sertanejos e a concretização da visão de desenvolvimento deste governo. Com o Canal, faremos mais que ampliar a oferta de água para o alto e médio sertão. Estaremos garantindo a continuidade do processo de distribuição do desenvolvimento, fornecendo a infraestrutura necessária para a instalação de novas empresas e indústrias na região”, comemorou o governador .

Jackson Barreto disse ainda que o governo já está construindo três novas adutoras: a do Sertão, a Sertaneja e a Umbaúba-Tomar do Geru. “Como os senhores podem ver, estamos distribuindo as novas obras para garantir não apenas o fornecimento imediato, mas também propiciar a criação de uma rede de abastecimento preparada para os desafios que ainda virão”, informou ao destacar que o investimento em abastecimento foi acompanhado de uma sólida política de saneamento básico e criação de redes de esgotos.

“Agora, estamos concluindo o maior investimento em saneamento da história de Aracaju. Até iniciarmos este trabalho, Aracaju tinha pouco mais de 34% de sua área atendida por rede de esgotos. Deixaremos a cidade com 95% de cobertura, o que fará dela a capital nordestina com maior rede de esgotos, proporcionalmente, e a segunda do país. Tudo isso significa mais saúde e mais conforto para nossa gente. E podemos demonstrar isso em números: nos últimos sete anos, reduzimos em 77% o número de mortes por doenças infecciosas intestinais”, relatou o governador aos deputados estaduais.

Crescimento econômico

O governador informou aos parlamentares sergipanos que nos últimos oito anos, o governo atraiu mais de 100 novas empresas através do Programa Sergipano de Desenvolvimento Industrial. Contando apenas o ano de 2014, foram 54 novas indústrias interessadas em investir em Sergipe, com a perspectiva de gerar mais de três mil novos empregos diretos com carteira assinada, o que significa a garantia dos direitos do trabalhador e o fortalecimento de um ciclo virtuoso da nossa economia.

Chegaram a Sergipe empreendimentos importantes como a instalação, em Estância, da Fábrica de Vidros do Nordeste, do grupo francês Saint Gobain, um investimento de R$ 215 milhões que deve iniciar suas atividades no segundo semestre deste ano e gerar centenas de novos empregos. Junto com ela, virão mais três empresas, uma mineradora, uma recicladora e uma transportadora. Para o governador o estado tem condições de criar um polo industrial de vidro na região sul sergipana.

A instalação de duas novas fábricas de cimento, em Laranjeiras e em Santo Amaro, também vai reforçar o setor minerador do estado. Além disso, foi inaugurado o Centro Empresarial Governador Marcelo Déda, em Tobias Barreto, oferecendo as condições para que o setor têxtil possa prosperar naquela região.

Sergipe também faz parte do seleto mercado automobilístico, com a instalação em tempo recorde da Yazaki, uma das grandes produtoras de componentes automotivos do mundo, abrindo uma nova fronteira produtiva. A empresa gera 1.500 empregos. “Ou seja: não apenas inserimos Sergipe em um novo setor industrial, mas o fazemos com vistas na modernidade, apontando para um futuro sustentável”.

Matriz Energética

A matriz energética sergipana foi diversificada com um parque eólico que começa a criar um novo paradigma de geração de energia, mais moderna e limpa, e que coloca o estado na vanguarda da produção de energia. A descoberta de novas reservas de petróleo e gás no litoral aponta para o fortalecimento do setor minerador, tão importante para a economia: os números indicam que a produção desse setor vai ser multiplicada em até quatro vezes. “É um aumento tão impactante que vai exigir, entre outros investimentos, a instalação de uma nova processadora de gás natural em Rosário do Catete, que estamos buscando viabilizar junto ao Governo Federal”, salientou.

Além disso, o governador disse que conseguiu solucionar os últimos entraves para a implantação do Projeto Carnalita em Sergipe, o maior investimento individual privado da história de Sergipe: mais de R$ 4 bilhões em 10 anos. O projeto deverá ser submetido ao Conselho de Administração da Vale ainda no primeiro semestre.

Sergipe foi incluído no Programa de Desenvolvimento Produtivo do Nordeste, o Prodepro, que deverá viabilizar o aporte de recursos financeiros para a implantação de um novo Distrito Industrial, no município de Santo Amaro, além de um polo de centrais de distribuição em Itabaiana e o reforço da infraestrutura do Distrito Industrial de Socorro.

Infraestrutura

Para atrair tantos investimentos, o governo está criando uma nova infraestrutura rodoviária, que pela primeira vez interliga de maneira consistente todas as regiões do estado e permite que o progresso chegue mais longe para mais pessoas. Foram realizadas obras importantes como a criação da Rota do Sertão e a Rodovia da Integração, que se tornaram verdadeiras vias expressas de desenvolvimento para o sertão e para o Baixo São Francisco; construção de estradas que modificaram substancialmente a vidas das pessoas, como a Vaca Serrada-Niterói e a Sítios Novos-Santa Rosa. “Recuperamos a Lourival Baptista, abandonada havia mais de 20 anos a despeito de sua importância para a região Centro-Sul; e construímos pontes fundamentais para o nosso crescimento, a Joel Silveira e a Gilberto Amado, que integraram Sergipe ao sul do Nordeste e ampliaram o fluxo turístico e de mercadorias”, destacou.

Ele disse que já deu início à construção da Rota do Agreste, que vai integrar a BR-235, em Itabaiana, com o trecho sul da BR-101, na altura de Itaporanga; já estão em obras novas rodovias ligando Santa Luzia ao Crasto, que vai possibilitar o desenvolvimento do turismo em uma das regiões mais belas do nosso estado, e a nova rodovia ligando Japoatã a Propriá.

“Ainda este ano entregaremos a nova entrada para Aracaju pela avenida Santa Gleide. E vamos construir a SE-100 Norte, rodovia que vai completar o processo de integração do litoral sergipano e ampliar a ligação do nosso estado ao Nordeste. Contando ainda com uma nova ponte sobre o rio São Francisco, podemos apenas imaginar o novo surto de desenvolvimento que a rodovia vai possibilitar em nosso litoral norte”, destacou.

Ação Social

O governador fez questão de reforçar mais uma vez que o foco do seu governo são as pessoas e, para tanto, vem promovendo ações não assistencialistas ou momentâneas, mas que ofereça as condições necessárias para que as pessoas possam caminhar com suas próprias pernas.

Jackson Barreto informou aos parlamentares que, com a ajuda do Governo Federal, o Governo de Sergipe conseguiu tirar da pobreza absoluta 116 mil famílias. “Fizemos isso oferecendo serviços, benefícios e qualificação a pessoas que sempre foram ignoradas pelo Estado. Quando, daqui a quatro anos, eu tiver saído do Governo, quero apenas a certeza de saber que dei o melhor de mim por meu estado. Mas também quero ter o orgulho de saber que ajudei a garantir, para essas famílias, o exercício da cidadania e o acesso à dignidade. Não poderia desejar mais que isso”.

Ele disse que vai lutar pela realização de um desenvolvimento equilibrado territorialmente, levando progresso e oportunidades para a população de todo o Estado, mas dedicando atenção especial aos municípios do Baixo São Francisco que apresentam indicadores abaixo da média do Estado em várias dimensões do desenvolvimento econômico e social.

O chefe do Executivo reafirmou que irá construir novas escolas profissionalizantes em Umbaúba, Indiaroba, Nossa Senhora do Socorro e Nossa Senhora das Dores e ampliar ainda mais o acesso ao ensino superior no interior. “Além dos campi que já ajudamos a implantar, em Laranjeiras, Itabaiana e Nossa Senhora da Glória, em parceria coma Universidade Federal de Sergipe, vamos construir o de Estância, levando a universidade para a região sul. Estamos trabalhando para disseminar polos universitários em todo o estado. Por isso já iniciamos a luta pela instalação de um novo campus universitário em Propriá, como parte de um grande esforço do Governo para promover o desenvolvimento do Baixo São Francisco”, informou.

“Estamos decididos a implantar uma nova mentalidade no sistema educacional público sergipano, a fim de alcançarmos resultados concretos na redução do analfabetismo e na melhoria dos indicadores de desempenho do ensino básico em Sergipe”, ressaltou.

Saúde

O governador Jackson Barreto classificou como ambicioso o programa de reestruturação da rede estadual de saúde lançado pelo governo de Sergipe há oito anos. “Foram R$ 330 milhões investidos em uma reformulação total do sistema, partindo da edificação de uma nova estrutura de atenção básica e passando pela construção de novos hospitais regionais e pela reforma dos já existentes, além da maior reforma da história do Huse”, afirmou.

Neste momento o governo está concluindo as últimas 12 Clínicas de Saúde da Família, das 102 que foram planejadas em todos os municípios do interior sergipano. O governo também executou a recuperação e ampliação de quatro hospitais: Propriá, Itabaiana, Nossa Senhora da Glória e Nossa Senhora do Socorro, e a construção dos Hospitais Regionais de Estância e Lagarto, aumentando consideravelmente a oferta de serviços de saúde de alta e média complexidade no interior. Esses novos hospitais, que levaram serviços inéditos para o interior, não apenas ajudaram a desafogar o Huse, mas garantiram atendimento mais rápido e ajudaram a salvar mais vidas.

“Ampliamos drasticamente o número de leitos de UTI — que agora chegaram também ao interior do estado. Encontramos apenas 16; hoje já são 95 leitos. Por ser o maior hospital de Sergipe, o Huse atende não somente a Aracaju e o interior sergipanos, mas também pacientes vindos dos estados vizinhos, em busca de serviço de melhor qualidade. A redistribuição da rede de saúde ajudou a melhorar as condições do hospital, mas não seria suficiente. Por isso fizemos a maior reforma de sua história: investimos mais de 22 milhões de reais em sua expansão, oferecendo novos serviços e melhorando os já existentes”, disse o governador aos deputados.

Jackson informou que já foram iniciadas as obras de construção do Hospital do Câncer e do Centro de Reabilitação para Pessoas com Deficiência. O Centro de Reabilitação vai atender a pessoas com deficiências físicas e psicológicas, oferecendo serviços mais sofisticados para os sergipanos, principalmente os mais pobres que não podem pagar clínicas particulares ou planos de saúde. “O nosso grande desafio, agora, não está mais na ampliação da estrutura física da rede de saúde, mas se impõe a necessidade urgente de melhorarmos o atendimento à população. Reduzir, por exemplo, os prazos para a realização de consultas e de cirurgias eletivas, áreas onde estão, hoje, os maiores gargalos do sistema de saúde. Precisamos dar a cada sergipano, no momento em que ele mais precisa do cuidado do Estado, a certeza de que será bem atendido”.

Turismo

Um dos grandes investimentos no setor de turismo é a reforma do aeroporto de Aracaju, uma parceria com a Infraero que vai transformar o nosso velho e acanhado Santa Maria em um aeroporto moderno, pronto para receber turistas e visitantes de todo o mundo.

Também buscando valorizar o estruturar os prontos turísticos do estado, o governo entregou a nova Orla do São Braz, que não apenas valoriza o que já era um dos mais belos recantos de Nossa Senhora do Socorro, mas leva para uma região que sempre foi esquecida pelo poder público um espaço de convivência e lazer.

“Finalmente acabamos de devolver a Sergipe o seu templo maior do esporte, o Batistão. Temos agora um estádio moderno, que atende melhor ao seu público e que respeita o cidadão sergipano. Com o novo Batistão temos agora orgulho de receber os times de fora — afinal, os times sergipanos têm o direito de vencer seus adversários em um estádio bonito”, destacou.

Desenvolvimento

O governador Jackson Barreto afirmou que o Governo de Sergipe conseguiu combinar desenvolvimento econômico com justiça social. “Nos próximos quatro anos, este Governo estará cada vez mais presente na vida das pessoas, se esforçando para que cada sergipano, não importa de qual classe, credo ou cor, seja tocado pelo seu trabalho. Este é um Governo que saberá se mostrar atento aos anseios da nossa gente e, a partir deles, se mostrar um parceiro de todas as horas. Um Governo presente de verdade, que fará do cuidado e do respeito às pessoas o princípio basilar de suas ações”, salientou.

“Todo o trabalho que estamos desenvolvendo agora tem esse objetivo: construir um futuro mais justo e mais igual para os sergipanos. Cada nova obra realizada, cada novo serviço prestado é mais um pilar no alicerce de um novo Sergipe: mais moderno, mais humano. Eu sei que esse é um grande desafio. Mas nós somos sergipanos, somos nordestinos, cabras bons que nunca tivemos medo do trabalho. Acima de tudo, é um desafio que sei que se tornará mais leve graças à participação de todos. Do grande povo sergipano, sempre, e desta Casa de Leis que nunca fugiu dos desafios, quando o que está em jogo é o interesse maior de Sergipe. Eu não estarei sozinho nessa jornada”, concluiu.

Estiveram presentes à solenidade o vice-governador Belivaldo Chagas, secretários de Estado, prefeitos, ex-prefeitos, assessores e lideranças políticas.

Da assessoria
Foto: Victor Ribeiro/ASN


Política
Com.: 0
Por Kleber Santos
23/02
20:47

Prefeitura altera data de vencimento parcelado do IPTU 2015

Consciente dos transtornos causados à população, a Prefeitura Municipal de Aracaju lamenta o ocorrido quanto ao pagamento dos carnês do IPTU 2015, reforçando que esteve o tempo inteiro empenhada em resolver o problema causado por questões operacionais.

A administração municipal reafirma que os carnês do IPTU poderão ser pagos até o dia 27 de fevereiro em sua cota única e da primeira parcela, conforme prorrogação. Além disso, no caso de pagamentos parcelados, os respectivos vencimentos ficam prorrogados para o dia 15 de cada mês.

Os referidos pagamentos poderão ser efetuados no Banese, na Caixa Econômica Federal e nas casas lotéricas. A administração municipal relembra ainda que, quem recebeu o boleto ou imprimiu com data do dia 20.02 pode ser pago normalmente até o dia 27 deste mês.

(Da assessoria)


Economia
Com.: 0
Por Eugênio Nascimento
23/02
20:38

Mulheres preparam-se mais antes de abrir empresa, revela estudo do Sebrae e Dieese


Um estudo elaborado pelo Sebrae em parceria com o Dieese mostra que as mulheres estão se preparando cada vez mais para entrar no meio empresarial. O percentual de proprietárias de pequenos negócios que tinham ao menos iniciado o Ensino Médio saltou de 39,3 para 55% nos últimos dez anos.

Entre os homens o crescimento foi um pouco menor, saindo de 26,4 para 38,5%. As mulheres também têm investido mais na busca pelo ensino superior. O percentual de empresárias que ao menos iniciaram a faculdade já atingiu a marca de 18,6%, enquanto entre os homens o índice cai para 12,1%.

Em Sergipe o número de mulheres que se dedicam à atividade empresarial tem crescido consideravelmente nos últimos dez anos. Entre 2001 e 2011, elas passaram de 69 mil para 96 mil. Esse aumento de 40% levou o Estado a alcançar o terceiro lugar no ranking de empreendedorismo feminino no Brasil.

As mulheres já são responsáveis pela chefia de 35,8% das micro e pequenas empresas sergipanas. Dez anos antes esse percentual era de apenas 19,2%. Elas exercem suas atividades principalmente no Comércio, sobretudo na venda de roupas, acessórios e calçados. Os setores de Serviços e Indústria também abrigam considerável número de empreendimentos femininos.

“O crescimento na escolaridade tem se refletido diretamente no sucesso das empresas. Quanto mais preparado é o gestor, maior é a chance de sobrevivência do empreendimento em um mercado tão competitivo. As pesquisas mostram que as mulheres estão se atentando mais a essa questão e por isso estão buscando estudar antes de ingressar no ambiente empresarial”, destaca o superintendente do Sebrae, Emanoel Sobral.

Sobrevivência
Um outro estudo do Sebrae revela ainda que aumentou também, no mesmo período, o tempo de sobrevivência das empresas comandadas por mulheres. O percentual de empreendimentos criados há mais de cinco anos passou de 48% para 54%, enquanto o índice de negócios criados há menos de dois anos caiu de 30% para 25%.

Os dados mostram que as mulheres ainda apresentam faturamento inferior aos homens. Mais de 70% delas recebem até dois salários mínimos, enquanto entre os homens esse percentual é de 59%. Por outro lado, o rendimento médio real das empresárias, já descontada a inflação, cresceu 41% nos últimos dez anos, quatro por cento a mais que entre os homens.

Para incentivar cada vez mais o empreendedorismo feminino, desde 2004 o Sebrae realiza o Prêmio Sebrae Mulher de Negócios.. Em 2014 a etapa estadual da disputa contou com a participação de 95 empresárias. 

(Da assessoria)
Foto: Alfredo Moreira


Economia
Com.: 0
Por Eugênio Nascimento
23/02
16:18

MPE dá prazo de 15 dias para a FHS apresentar plano de segurança

A Fundação Hospitalar de Saúde (FHS) não cumpriu com os compromissos preliminarmente firmados com o Ministério Público Estadual de Sergipe (MPE-SE) de fazer o levantamento situacional para elaboração dos planos de segurança dos hospitais, bem como a necessária revisão do contrato de prestação de serviço de segurança com empresa terceirizada para contemplar a segurança de pessoas e não apenas a patrimonial. A constatação foi feita pelos promotores de Justiça, Nilzir Soares Vieira e Antônio Forte de Souza Júnior, durante a audiência extrajudicial realizada, nesta segunda-feira (23), no miniauditório do MPE.

Houve a apuração ainda que a FHS não elaborou a implantação do projeto de segurança contra incêndio e pânico nas unidades hospitalares gerenciadas pela fundação, tema significativo uma vez que um sinistro pode ocorrer, como aconteceu nesse domingo (22), na Central de Logística (Celog/FHS), onde foram perdidos materiais e medicamentos, comprometendo a já deficiente assistência prestada aos pacientes do SUS.

Por conta disso, o MPE deu um prazo de 15 dias para a FHS ou a Secretaria de Estado da Saúde (SES) apresentar um cronograma específico para a elaboração e implantação dos planos de segurança tanto de pessoas como estrutural nas unidades gerenciadas pela FHS. 

Durante a audiência, o presidente do Sindicato dos Trabalhadores na Área da Saúde do Estado de Sergipe (Sintasa), Augusto Couto, denunciou que só existem dois policiais militares nos contêineres do Hospital de Urgência de Sergipe (HUSE), solicitando, portanto, o aumento quantitativo. E também reclamou que nos hospitais do interior não existe ronda policial para inibir a ação dos vândalos. “O sentimento dos servidores que trabalham nos hospitais é de total insegurança, visto que a empresa terceirizada que presta serviço à FHS dá segurança apenas patrimonial e não incluem as pessoas”, reclama Augusto, adiantando que nesta terça-feira (24), haverá uma reunião com a gestão da FHS para tentar adiantar uma solução para este problema.

Por sua vez, a presidente do Sindicato dos Enfermeiros do Estado de Sergipe (Seese), Shirley Morales, apontou a necessidade da implantação do serviço de triagem dos acompanhantes dos pacientes, que adentram ao hospital sem nenhum critério, e alguns acabam ameaçando a segurança dos profissionais. “Diante dessa insatisfação em relação à insegurança nas unidades hospitalares a nossa proposta é que haja uma troca na empresa terceirizada que presta o serviço de segurança ou se faça um aditivo no contrato para que o serviço seja também para dar segurança aos profissionais e pacientes”, explica Shirley Morales.

Participaram da audiência, além do promotor Nilzir Soares Vieira, diretor do Centro de Apoio Operacional dos Direitos à Saúde; o promotor Antônio Forte de Souza Júnior, da 9ª Promotoria de Defesa dos Direitos do Cidadão, especializada na Defesa dos Direitos à Saúde; e representantes do Sintasa, Seese, FHS e SES, representantes dos trabalhadores do HUSE, do COREN, e do Sindicato Samu 192. A Secretaria de Segurança Pública e a Polícia Militar não levou nenhum representante, apesar das notificações da Justiça. 


Variedades
Com.: 0
Por Kleber Santos
22/02
12:39

Coluna Primeira Mão

“João Obreiro” está sem dinheiro e sem obras


prefeito de Aracaju, João Alves Filho (DEM), enfrenta dificuldades para administrar a capital. A principal delas é financeira e se reflete em todas as outras, principalmente no cumprimento dos compromissos de campanha. E olha que são muitos. João prometeu melhorar a Saúde nos primeiros meses de gestão. E lá se vão dois anos de governo. João prometeu colocar em pleno funcionamento um novo e moderno sistema de transporte coletivo. E já se foram dois anos e nada de BRT. João prometeu uma reviravolta na Educação. E dois anos se passaram. Na verdade, João prometeu fazer tudo que qualquer político prometeria. E não fez, como qualquer outro político gerindo a coisa pública sem dinheiro também não realizaria. Mas João prometeu e agora estão todos a cobrar dele os compromissos. O pior dessa situação é que não há dinheiro. Aracaju, assim como todo e qualquer município pobre, vive dos repasses do FPM (Fundo de Participação dos Municípios) e esse fundo está em baixa desde que o governo federal adotou a redução ou isenção do Imposto sobre Produtos Industrializados (IPI) da linha branca como forma de manter as vendas em alta e evitar uma crise na indústria que significasse desemprego. O IPI é um dos principais componentes do FPM. Moral da história, João prometeu muito e pouco ou quase nada dos seus compromissos cumprirá (tem dois anos de governo pela frente). É por conta disso que o “João Obreiro” deverá disputar a reeleição com a imagem desgastada e com apenas uma obra que poderá chamar a atenção dos aracajuanos, no caso o novo calçadão da 13 de Julho. Tem uma série de pequenos projetos em andamento, mas nada que chame a atenção popular para essa nova fase de sua vida pública. João não é de lamentar, mas deverá entrar na mesma onda dos prefeitos do interior, que estão mais ‘quebrados’ do que ele e vivem em Brasília pressionando a presidente Dilma Rousseff e na mídia a dizer que não tem como fazer nada, estão de mãos atadas. Mas João prometeu e está acorrentado.


JB fará discurso de crise e superações


Nesta segunda-feira, o governador Jackson Barreto (PMDB) irá à Assembleia Legislativa do Estado. Ele faz questão de homenagear a Casa lendo o seu próprio discurso de reabertura do Poder Legislativo, uma mensagem que relata as dificuldades financeiras que o Estado enfrenta e as ações de superação delas com realizações. JB adotará uma linha de discurso do tipo “crise se supera com trabalho”. Vai destacar as realizações de 2014, os projetos em andamento para 2015 e as dificuldades que terá com a previdência em crise, a Lei de Responsabilidade Fiscal (LRF) e para reajustar os salários dos servidores, que andam desesperados com o “arrocho”.


O DEM não sai e nem fica na oposição


A condição de militar lhe exige ser disciplinado e impor disciplina a todos. Mas não é essa a pretensão do deputado estadual e líder da oposição, Capitão Samuel Barreto (PSL). Ele já tem ciência de que os dois deputados do DEM, Goretti Reis e Augusto Bezerra, estão com os dois pés na base governista e sabe muito bem que isso poderá estimular os demais colocados do bloco a agirem da mesma forma. Ainda assim, Samuel deixa claro que não pretende ser a palmatória do mundo e expor de forma demasiadamente crítica os seus colegas de parlamento. Mas não condena a posição do deputado federal e líder do PSC na Câmara, André Moura, que deseja expor quem fizer a dupla opção de atuação parlamentar. “Todos são adultos e sabem como agir. Acho que o povo nos colocou na oposição para se opor ao governo. Mas tem gente que pensa diferente”, lembra aos correligionários. Parece que a maioria da oposição vai atuar na base do “livre pensar é só pensar”. Isso desagrada a uns e agrada a outros.


Capitão Samuel–“Não serei a palmatória do mundo”


“Ser oposição não é ruim, embora não tenha a facilidade de resolver algumas necessidades que o eleitor solicita”. A declaração é do deputado estadual e líder da oposição, deputado estadual Samuel Barreto (PSL), que pretende trabalhar para a bancada oposicionista unida e, paralelamente, visitar com frequência os bairros da cidades para tornar viável seu projeto de ser candidato a prefeito de Aracaju. Samuel entende que será difícil manter todo o grupo unido, mas não pretende ser a palmatória do mundo, ou seja não quer estar anunciando nomes de pessoas eleitas pela oposição e que depois aderiram ao bloco governista.


A existência da oposição é necessária


"A oposição tem hoje 9 deputados. O número tem importância quando somos maioria. Com nove ou menos faremos o mesmo trabalho, mas com muita força de vontade e determinação para cobrar tudo que o atual governador prometeu durante a campanha eleitoral, respeitando o lado pessoal de todos, mas sendo duro nas cobranças de politicas publicas que melhorem a vida dos sergipanos. O governo prometeu muita coisa e agora será cobrado por isso", diz Samuel. Eler afirma ainda que "a oposição é necessária para existência da Democracia. Sem ela, vira ditadura. Tenho certeza que faremos um bom trabalho na Assembleia e marcharemos unidos rumo aos pleitos de 2016 e 2018. Não tenho dúvida da nossa forca e compromisso com a sociedade sergipana", conclui.


MEC liberou os recursos para o Campus do Sertão, em Glória


Na semana passada, durante a audiência que o governador Jackson Barreto e o reitor Angelo Roberto Antoniolli tiveram com o ministro da Educação Cid Gomes, em Brasília, foi anunciada a liberação dos recursos do MEC para a construção do Campus do Sertão da Universidade Federal de Sergipe (UFS), que terá como sede o município de Nossa Senhora da Gloria. Serão investidos R$ 40 milhões e ha uma previsão de entrada em operação em 2017. As ações desenvolvidas no Campus deverão atender toda região do alto Sertão Sergipano, conforme explicou o reitor, que informou ainda que os recursos para as obras serão colocados à disposição do projeto parceladamente. Antoniolli garantiu ainda que a UFS está realizando no momento 25 obras e deste total apenas três estão paralisadas. O reitor não descarta a possibilidade de viabilização de um campus para Propriá, mas evita fazer a promessa. E lembra que a UFS hoje, possuí um quantitativo de 25.144 alunos de graduação, 1.522 alunos de pós-graduação a nível de mestrado, 520 alunos a nível de doutorado, 1.399 técnicos administrativos e 1.378 professores, sendo 937 doutores, distribuídos em 113 cursos de graduação.


Baixa vazão de Xingó já prejudica Sergipe


Já é avaliada como de "extrema preocupação", por causa da baixa quantidade de água, a atual situação do rio São Francisco em todos os cinco Estados por ele banhados - Sergipe, Alagoas, Bahia, Pernambuco e Minas Gerais, onde está a nascente. O rio sofre com as agressões ambientais geradas a partir da construção de barragens e a destruição de suas matas ciliares, o que provoca o assoreamento da calha do Velho Chico ( destruição das margens e formação de bancos de areia), agora, em consequência da falta de chuvas nas áreas em que se encontram seus afluentes. As barragens Sobradinho e Xingó estão liberando o dobro da quantidade de água que estão recebendo da barragem Três Marias (MG). E se as chuvas continuarem sem cair em Minas Gerais, principalmente na região onde ficam localizados os principais afluentes (rio Grande, rio Corrente, rio Paracatú, rio Paraopeba, rio Abaeté, rio das Velhas e rio Jequitaí), logo em breve será adotado racionamento de água nas suas áreas de captação. Há um quadro claro de fragilidade do leito do Velho Chico, de Piranhas a Piaçabuçu, em Alagoas, e de Canindé do São Francisco a Brejo Grande, em Sergipe. A vasão da Barragem Xingó, que controla o volume de água do rio São Francisco, no trecho que engloba os municípios ribeirinhos de Alagoas e Sergipe é baixa, mas, ainda assim, acima do volume que é captado.


Xingó - Operação acontece em baixa


Em 25 de janeiro último, Xingó estava operando com uma afluência (recebendo) de 907 m³/s, enquanto a sua vazão defluente (liberando) atingiu 1.051 m³ por segundo, ou seja, a quantidade de água que a usina recebe é inferior a quantidade de água que libera para o rio São Francisco, o que representa dizer que está em fase de diminuição o volume de água no lago de Xingó. Não existe água suficiente para sustentar estas vazões defluentes por muito tempo, pois há meses não chove nestes lugares e isso preocupa também as autoridades estaduais e municipais, pois é grande a captação de água para tratamento para o consumo o humano e também para atender à demanda da produção agrícola irrigada. ?A baixa quantidade de água no rio está visível na exibição das pedras de seu fundo em Sergipe e Alagoas. Isso já está prejudicando o turismo e deverá atingir os perímetros irrigados e o consumo humano logo em breve?, lamenta o prefeito de Canindé do São Francisco (SE), Heleno Silva, que destaca ainda o fato de a arrecadação de royalties pelo uso da água ter caído de R$ 1,3 milhão para R$ 800 mil. Os proprietários de barcos, que costumavam alugar para passeios turísticos andam se queixando do baixo volume, o que dificulta os passeios, e os pescadores lamentando a falta de peixes, pitus e camarões. ?O quadro é caótico e há uma clara tendência de agravamento para os próximos dias, caso não ocorram chuvas?, explica o prefeito, que fez questão de deixar claro que o faturamento mensal de R$ 1,3 milhão era de 2002 e de lá para cá só houve queda.


Assembleia regulamentará Transporte Coletivo das regiões metropolitanas.


Um dos temas mais reclamados pela sociedade sergipana, o transporte público de passageiros nas regiões metropolitanas, será amplamente debatido pela Assembleia Legislativa de Sergipe e efetivamente apresentar uma solução para o cidadão sergipano. “Esta Casa não pode ficar de fora dessa discussão. Já determinei um levantamento sobre o que está em andamento no poder legislativo e vamos resolver esse problema que afeta milhões de sergipanos”. Garantiu Luciano Bispo (PMDB-SE). De acordo com o Presidente da Assembleia, durante uma conversa com a deputada estadual Silvia Fontes (PDT-SE), a mesma também já manifestou sua posição em querer discutir e regulamentar a situação do transporte público de passageiros, em especial do município de Nossa Senhora do Socorro. “Recentemente tomei conhecimento de uma fala atribuída ao Prefeito de Aracaju, que caso não sejam tomadas providências que regulamentem esse setor, a prefeitura da Capital fará uma licitação pública. Se isso ocorrer, sem a participação dos demais municípios, será um caos e prejudicará os milhares de sergipanos que moram nas demais cidades da região metropolitana, que perderiam o direito a integração, que significa pagar apenas uma passagem de ônibus para se deslocarem entre esses municípios”. Alertou o presidente da Assembleia Legislativa de Sergipe.


Regulamentação via Poder Legislativo é a saída


Ainda de acordo com o Presidente, em diversos Estados da Federação, os problemas que envolvem as regiões metropolitanas foram regulamentados nas respectivas Assembleias Legislativas e a de Sergipe não pode ficar de fora dessa importante e fundamental discussão. “Nós fomos eleitos pelo Povo para resolver os problemas que existem no dia-a-dia e é isso que nós iremos fazer. Além do transporte público de passageiros, a Assembleia vai discutir outros problemas, como por exemplo as questões que envolvem a Segurança Pública, e uma das coisas que precisamos analisar são as Leis que tratam das penas para os que cometem crimes, não dá para aceitar que uma pessoa mate outra e dois meses depois já estejam em liberdade. Isso não é possível. Basta”. Finalizou indignado o Presidente Luciano Bispo.

JB, João Daniel e Rogério Carvalho propõem ao Planalto  agenda para Dilma em Sergipe


O governador Jackson Barreto (PMDB), o deputado federal João Daniel (PT) e o presidente do Diretório Estadual do Partido dos Trabalhadores em Sergipe (PT/SE), ex-deputado federal Rogério Carvalho, sugeriram ao Palácio do Planalto agenda positiva para a presidente Dilma Rousseff em Sergipe. Ela viria ao Estado para inaugurar o perímetro de produção irrigada Jacaré-Curituba (divisa de Poço Redondo com Canindé do São Francisco) e lançar as obras do Canal de Xingó (Canindé do São Francisco e Poço Redondo)  e do Campus da UFS no Sertão (Nossa Senhora da Glória). Há ainda uma proposta de inaugurar moradias populares viabilizadas comverbas da União. O Planalto está buscando espaço para agendar a visita a Sergipe


Dever de casa – Será na manhã desta segunda-feira a primeira reunião oficial entre o poderoso Sintese e o poderoso secretário de Estado da Educação, Jorge Carvalho. Os sindicalistas deverão cobrar melhores salários e inclusão da correção do piso da categoria. O secretário deverá cobrar mais trabalho pela melhoria da qualidade da educação, que, como ele declarou no domingo passado a este matutino, “deixa muito a desejar”.


Começa 2015 – Seguindo o velho e tradicional discurso político e econômico, 2015 começa nesta segunda-feira, seis dias depois do final do carnaval. Em sendo assim, domingo é 31 de dezembro e segunda dia 1º de janeiro, um feriadão daqueles. Apenas uma ilusão.


Sempre assediada – A ex-primeira-dama Eliane Aquino tem sido assediada desde o final do ano por partidos da base aliada do governador Jackson Barreto (PMDB). Primeiro foi o PSD e agora o PDT. Mas adiante virão as ‘cantadas’ do PMDB, PCdoB e outros pês mais. Apo que tudo indica, deverá continuar filiada ao PT, partido de seu ex-marido e ex-governador Marcelo Déda e onde estão os seus bons e maus companheiros.


N.E.G.O - Saumíneo Nascimento e João Alves negam, mas os dois sabem que durante o encontro que tiveram o prefeito convidou o ex-secretário de Estado do Desenvolvimento para assumir a Secretaria de Finanças de Aracaju. Saumíneo diz que João conversou com João apenas sobre parcerias e financiamentos do Banco do Nordeste, onde o ex-secretário é superintendente regional para Sergipe, para projetos da Prefeitura da capital.


Vendas em baixa: dias melhores virão -
Os empresários do comércio de Aracaju sabem muito bem que janeiro, fevereiro e março são meses de vendas em baixa e que neste período apenas fazem promoções para se desfazer de estoques de final de ano. Mas não dá para deixar de reclamar. Andam comentando que vivem momentos de muito aperto e que já não sabem o que fazer. Mas a vida deles deve começar a melhorar em maio, “mês das mães e mês das noivas”. A partir daí, as vendas deslancham, pois virão uma série de datas comemorativas e de bons apelos às vendas.


Falta crack em Sergipe – Pesquisa divulgada na edição desta semana da revista Veja mostra que Sergipe é um Estado de baixo consumo de crack e os maiores consumos estão em Aracaju e na região da fronteira com a Bahia.


Produtos podres – Charque, costelas e lombos de porco com cheiro estranho, aparentemente podres, estão sendo vendidos em uma rede supermercados de Aracaju. Só no sábado, três pessoas que adquiriram os produtos foram fazer as trocas. Parece tratar-se de problema de armazenamento inadequado. Assim não dá, G.Barbosa!

 



Coluna Eugênio Nascimento
Com.: 0
Por Eugênio Nascimento
Primeira « Anterior « 1 2 3 4 5 6 7 8 » Próxima » Última

Enquete


Categorias

Arquivos