26/04
19:21

Plano de Combate à Desertificação é lançado durante a Semana da Caatinga


Para apresentar estratégias de enfrentamento às condições adversas que desencadeiam os processos de desertificação no semiárido sergipano, durante a manhã de hoje, 26, o secretário de Estado do Meio Ambiente e dos Recursos Hídricos (Semarh), Genival Nunes Silva, lançou o Plano Estadual de Combate à Desertificação e Mitigação dos Efeitos da Seca, o PAE/Sergipe. O lançamento, que ocorreu no auditório da Codise, é parte integrante da programação da ?Semana da Caatinga".

 
"O bioma caatinga envolve vidas, história e cultura. O lançamento de um programa onde nele estão contidas a fala de um povo que vivencia o dia a dia da Caatinga, suas lutas e anseios, tem muita a ser apreciado. Cuidamos para que nesse instrumento fossem considerados conhecimentos técnicos e visões locais, buscando a excelência de implementar ações que contribuam para que as Áreas Susceptíveis à Desertificação (ASDS) em Sergipe não se tornem áreas com altos níveis de empobrecimento e com dificuldades para a prática de atividades econômicas", afirmou o secretário.

 
Uma novidade anunciada pelo secretário Genival Nunes sobre o plano de Sergipe é que Ministério do Meio Ambiente (MMA) solicitou da Semarh a autorização de publicação por parte do próprio ministério de exemplares do PAE/SE, a qual será encaminhado para demais Estados da Federação como modelo.


Revelou ainda aos participantes que o bioma da Caatinga será monitorado via satélite conforme ocorre hoje com os manguezais de Sergipe. "Estamos nos estruturando para da mesma maneira que acompanhamos o quantitativo dos manguezais do Estado, também monitorarmos a Caatinga do nosso Estado", conta.
 
Após abertura do evento, houve a assinatura da Formalização do Grupo Interinstitucional do Grupo Permanente de Combate à Desertificação (GPCD). O grupo foi formado pelo Pronese, o qual representou a esfera Estadual, pelo  Dnocs, representando a esfera Federal, pela Associação de Áreas susceptíveis a Seca (ASA), que  representou a sociedade Civil, e pela prefeitura de Canindé, em representação aos demais municípios da região da Caatinga.


Em seguida, a superintendente de Educação Ambiental da Semarh, Fátima Maynard, fez a apresentação da Revista Digital do Plano Estadual de Combate a Desertificação e Mitigação aos Efeitos da Seca. Além de servir de modelo para que os municípios sergipanos criem seus planos municipais, o Plano de Combate à Desertificação poderá ser acessado por todo o Brasil através do portal da Semarh (
www.semarh.se.gov.br).


Palestras

O evento contou ainda com duas importantes palestras. A primeira foi ministrada pelo professor do Núcleo de Pós-Graduação em Ecologia e Conservação da Universidade Federal de Sergipe (UFS), Dr. Leandro de Sousa Souto. Em sua explanação destacou que 49% do território sergipano é ocupado pelo Bioma Caatinga e fez menção à riqueza que o bioma carrega. Segundo ele, o clima é que dirige a beleza do lugar.


"Observando os variados ambientes, o bioma Caatinga não é tão pobre assim como alegam. É mito. Pesquisas revelaram que o bioma é influenciado pelo clima da região. Se chove, um novo olhar sobre a caatinga é revelado. Somente na fauna da caatinga foram identificadas 932 espécies, sendo 380 delas endêmicas", defende o professor sobre o valor ambiental que o bioma oferece.


O segundo momento da palestra foi proferido pela representante da Secretaria de Estado Especial das Mulheres, Cláudia Pereira. A convidada falou sobre os "Saberes e fazeres da mulher do sertão sergipano".
 
Presente no evento, o secretario de Gestão Governamental e do Meio Ambiente do município de Canindé, Antônio Carlos Porto de Andrade,  considera que "a Caatinga preservada para o sertanejo significa a possibilidade de sobrevivência  e de condições dignas, produzindo o sustento sem a devastação desse ecossistema de extrema importância para o nordeste brasileiro".

Desertificação

Sergipe, que ocupa uma área de 21.910,348 km², não está imune aos processos que resultam em desertificação. De acordo com os critérios estabelecidos pela Convenção das Nações Unidas para o Combate à Desertificação (UNCCD), os municípios de Canindé de São Francisco, Nossa Senhora da Glória, Gararu, Poço Redondo, Monte Alegre e Porto da Folha enquadram-se em áreas susceptíveis à desertificação.

"Nessas regiões são observadas ainda a extração de lenha para obtenção de energia com práticas degradadoras, que expõem os solos aos agentes erosivos, entre outros fatores que ainda fazem parte do cotidiano do homem do sertão sergipano. Merecendo a essa configuração uma atenção especial no tocante a estratégias de combate e mitigação dos efeitos da Seca", declara Vera Cardoso, técnica da SEMARH integrante da equipe de coordenação do PAE-SE.

Participaram do evento cerca de 150 pessoas, entre secretários municipais, pesquisadores, representantes do poder legislativo, órgãos e instituições de municípios e do Estado, além dos integrantes do Grupo  Interinstitucional de Combate a Desertificação (GCPD), residentes nas regiões susceptíveis à desertificação.

 
Semana

A Semana da Caatinga será encerrada na tarde desta sexta-feira, dia 27, com programação das 14 às 18 horas. O evento será na praça Fausto Cardoso, em frente ao Palácio Olímpio Campos, com Exposição sobre Riquezas do Bioma Caatinga em Sergipe. Na ocasião haverá apresentação do Concerto da Orquestra Sanfônica de Aracaju. (Da assessoria)


Variedades
Com.: 0
Por Eugênio Nascimento
26/04
18:15

Seca atinge a produção de leite em SE

Uma significativa queda na produção de leite de aproximadamente 30%  vem acontecendo em Sergipe desde que o quadro de seca começou a ser agravado em quase todo o sertão do Estado. Os dados oficiais dão conta de que Sergipe produz  800 mil litros de leite por dia e deste total 450 mil saem do sertão e a bacia leiteira é a quinta maior do Nordeste.

O principal motivo da redução tem sido a falta de capim nas áreas  de pastagem, seguida da venda de parte do rebanho. Temendo sofrerem perdas, os agropecuaristas estão vendendo parte do gado para fazendeiros de outros estados da região, conforme detectou o deputado federal Heleno Silva

Na segunda-feira passada, a presidente Dilma Rousseff reuniu em Aracaju os governadores de Sergipe Bahia, Alagoas, Pernambuco, Paraíba, Ceará, Rio Grande do Norte e Piauí, além do vice-governador do Maranhão para ouvir os relatos de cada um deles sobre a situação da seca na região.

Ela anunciou a transferências de recursos do orçamento geral da União ou de créditos, através do Fundo Constitucional do Nordeste, totalizando um investimento de R$ 2,723 bilhões.  A medida, quando entrar em prática, vai amenizar a situação, mas os produtores cobram programas permanentes de enfrentamento da seca. (Eugênio Nascimento, do Jornal da Cidade)


Economia
Com.: 0
Por Eugênio Nascimento
26/04
16:43

Matéria do Jornal Nacional sobre Zé Peixe em 1998

Reportagem de Aline Hungria e imagens de Érito Meirelles






Multimídia
Com.: 0
Por Kleber Santos
25/04
22:13

Rogério é relator da Subcomissão Especial que trata dos Recursos Humanos do SUS

Médico sanitarista, com doutorado em saúde pública na Unicamp e ex-secretário do Estado da Saúde de Sergipe e de Aracaju, o deputado federal Rogério Carvalho( PT/SE) foi escolhido relator da Subcomissão Especial de Ordenamento da Formação de Recursos Humanos do SUS e da Educação Permanente da Área de Saúde que integra Comissão de Seguridade Social e Família da Câmara, que será presidida pelo ex-ministro da saúde Saraiva Felipe do PMDB/MG.


A Subcomissão foi criada a pedido do parlamentar sergipano para aprimorar o Sistema Único de saúde no que se refere a capacitação e organização dos profissionais " Acredito que é necessário rever toda a sistemática do SUS e principalmente o organograma que temos. Qual o papel de cada profissional, onde cada um pode ajudar o outro, como melhorar o atendimento? São perguntas que vão nortear nosso trabalho. Mas adianto que vou defender a Educação Permanente. Só através do incentivo e aprimoramento profissional os médicos, enfermeiros, técnicos e agentes vão desenvolver com mais eficácia as atividades nas unidades da Saúde em que trabalham", afirmou Rogério.


Em tempo, o deputado lembrou-se da época em que foi Secretário da Saúde de Aracaju e montou um centro de Educação Permanente "Formamos mais de 100 profissionais e muitos destes quadros hoje integram a equipe do Ministério da Saúde. Através desta ação conseguimos, a época, ser o serviço mais bem avaliado a prefeitura de Aracaju e fazer com que a capital sergipana fosse escolhida pelo Ministério da Saúde, a capital brasileira da Qualidade de Vida", finalizou. (Da assessoria)


Política
Com.: 0
Por Eugênio Nascimento
25/04
20:32

Chuvas devem continuar escassas em Sergipe


Em coletiva à Imprensa na manhã de hoje, 25, o secretário do Meio Ambiente e dos Recursos Hídricos (Semarh), Genival Nunes, divulgou investimentos na área de Recursos Hídricos com aquisição de 27 estações hidropluviométricas, que vão permitir a precisão do comportamento do clima, em especial, dos eventos extremos, como Seca e Enchentes em tempo real. Na oportunidade, o meteorologista da Semarh, Overland Amaral, apresentou o resultado de teleconferência realizada entre meteorologistas do Brasil em que foi constatado que as chuvas devem continuar escassas sobre o Estado de Sergipe, bem como em todo o Leste do Nordeste do país, nos meses de maio, junho e julho deste ano.

A perspectiva, segundo Overland, é que chova no próximo trimestre 35% abaixo do normal esperado no período. ?Na categoria Normal, choveria 40% do esperado, entretanto, como não chove desde março, finalizando abril, entramos para a categoria abaixo da normal climatológica. Com isso, as chuvas deverão se manter ausentes, provocando um longo período de seca?, revela.

Explica o meteorologista da Semarh que
a escassez das chuvas sobre o Nordeste é uma realidade eminente, justificada pelas atuais condições das águas superficiais do Atlântico Tropical Sul. "As águas estão frias. O não aquecimento aponta para menor probabilidade de chuvas pela ausência de umidade do ar e não recarregamento da atmosfera, que alimentam a massa de ar seca. Isso bloqueia a chegada de Frente Fria", justifica.

O meteorologista lembrou que na década de 70, uma ocorrência igual semelhante pairou sobre o Estado, trazendo forte seca. E anos depois, em 1980, mais uma ocorrência de escassez de chuva e grande período de seca.

Alerta

"Em anos considerados em torno da média histórica, a variabilidade espacial e temporal das chuvas é alta. Isso significa que algumas localidades deverão receber uma quantidade de chuva maior do que outras, não se descartando a possibilidade de ocorrências de eventos extremos de chuvas localizadas", revela.

Não sendo esta a realidade atual, Overland chama a atenção para a tomada de decisões quanto à utilização dos recursos hidro-ambientais, na agricultura, no turismo e nos demais setores da sociedade sejam da esfera privada ou governamental. "Recomendamos muita cautela no seu uso", anuncia o meteorologista.
 
Overland alerta que devido à alta variabilidades espacial e temporal características intrínsecas das chuvas do Nordeste, recomenda-se  fortemente o acompanhamento das previsões diárias de tempo, analises e tendências climáticas semanais. (Da assessoria)


Colunas
Com.: 0
Por Eugênio Nascimento
25/04
20:21

CCRJ pede 48 horas para emitir parecer sobre PL substitutivo dos ciclomotores


Durante a votação de pauta da Sessão Extraordinária desta quarta-feira, 25/4, a Câmara Municipal de Aracaju (CMA) aprovou em primeira discussão cinco Projetos de Lei. Estava presente na pauta o PL substitutivo nº 278/2011 que dispõe sobre o procedimento para o licenciamento dos ciclomotores, porém, em virtude da polêmica gerada em torno da propositura de autoria do vereador Jony Marcos (PRB), ela teve de ser adiada. 

O PL substitutivo, além do emplacamento das motonetas, também estabelece valores para cobrança de taxa relativa a serviço de licenciamento e determina que a regulamentação seja feita pelo município. Esta propositura foi apresentada por Jony porque o parlamentar entendeu que o projeto ao qual também prevê a regulamentação dos ciclomotores e já está em tramitação, tenha algumas falhas. 
 
“O que tramita na Casa deixa facultativo o emplacamento, ou seja, o município ou o estado é que poderá fazer. Porém, o artigo 24 inciso 17 do Código de Trânsito Brasileiro diz que registro e licenciamento de ciclomotores deve ser feito pelo município. Somente pelo fato de deixar a cargo de um ou outro já apresenta equívoco”, argumentou o autor do PL substituto. 
 
Outro ponto que gerou impasse diz respeito ao DPVAT, seguro pago junto com o IPVA para indenizar vítimas de acidentes de trânsito, sejam elas motoristas, passageiros ou pedestres, inclusive estrangeiros. “Devemos ver essa questão, pois, o Código de Trânsito apregoa que somente pode ser legislado em âmbito federal. Em contrapartida, o valor arrecadado é recolhido pelo Detran, o município não pode colher, mas, o órgão estadual não tem amparo legal para fazer o emplacamento”, salientou. 
 
Diante do imbróglio, Jony apresentou três alternativas para tentar solucionar o problema. “Pode-se criar um seguro municipal, autorizar o município a recolher e repassar através de convênio o arrecadamento ao Detran ou senão, sugerir aos legisladores estaduais que cobrem que seja delegado ao estado a regulamentação”, apontou. 
 
Após vários debates e argumentações, o presidente da Comissão de Constituição, Redação e Justica (CCRJ), Danilo Segundo (PSB), junto aos demais membros, entendeu que a propositura é complexa e deve ser analisada com mais profundidade. “Após reunião com todos os integrantes da comissão, ficou decidido por unanimidade que após 48 horas emitiremos o parecer. Será necessário ver ponto a ponto da propositura, fazer uma pesquisa e ouvir os demais vereadores emitiremos o parecer. Isto é totalmente legal e está previsto no Regimento Interno da Casa”, justificou.        
 
Fotos: Alberto Dutra


Colunas
Com.: 0
Por Eugênio Nascimento
25/04
19:27

Saumíneo sai do Banese para assumir a Sedetec

O governador Marcelo Déda (PT) convidou agora há pouco o diretor-presidente do Banco do Estado de Sergipe, Saumíneo Nascimento, para assumir a Secretaria de Desenvolvimento (Sedetec). Ele de imediato aceitou. Para seu lugar no Banese vai a atual diretora de relacionamento com investidores, Verá Lúcia Oliveira, uma funcionária de carreira da instituição com 32 anos de experiência. Saumíneo Nascimento, que tem pós-graduação em Geografia Econômica, é funcionário de carreira do Banco do Nordeste e já atuou na diretroria da Superintendência de Desenvolvimento do Nordeste (Sudene). A Sedetec está sob o comando do secretário de Planejamento, Orçamento e Gestão, José de Oliveira Júnior, que vinha acumulando as duas pastas.


Economia
Com.: 1
Por Eugênio Nascimento
25/04
07:45

Seca em Sergipe - População de Tobias Barreto vai ficar sem água

A  Deso (Companhia de Saneamento de Sergipe) está enfrentandio sérios problemas para garantir o  abastecimento de água de Tobias Barreto, a 127 km de Aracaju (SE). O nível das águas  da barragem do Jabeberi, baixou demasiadamente o volume de água e o que existe por lá é o  suficiente apenas para dias.

Para ampliar o prazo de uso da água, a Deso, conforme seu diretor-presidente, Bosco  Mendonça, foi solicitado à Cohidro (Companhia de Recursos Hídricos de Sergipe) a  interrupção da captação para o perímetro irrigados do Jabeberi, aonde se produz alimentos pelo sistema de irrigação. Se isso acontecer, haverá água para 40 dias.


Variedades
Com.: 3
Por Eugênio Nascimento
Primeira « Anterior « 1 2 3 4 5 6 7 8 9 10 » Próxima » Última

Enquete


Categorias

Arquivos