24/05
14:41

27 fotos das chuvas em Aracaju retiradas do twitpic - parte 1





Créditos das fotos: Retiradas do twitpic. Se o crédito for seu, favor nos informar.



Multimídia
Com.: 8
Por Kleber Santos
23/05
18:06

Hotéis com televisores e rádios devem pagar direitos autorais

Hotéis que tenham rádios, televisões ou aparelhos semelhantes instalados em seus quartos devem recolher direitos autorais para o Escritório Central de Arrecadação e Distribuição (Ecad). O entendimento foi adotado pela maioria dos ministros da Segunda Seção em recurso movido pelo Ecad contra um hotel de Porto Alegre (RS).
 

O hotel propôs ação de declaração de inexistência de débito com o Ecad, após se recusar a pagar boletos bancários emitidos pela entidade. A 6ª Vara Cível da Comarca de Porto Alegre negou o pedido, considerando que, segundo o artigo 29 da Lei n. 9.610/1998, a instalação de rádio-relógio e televisão nos quartos de hotel sujeitaria o estabelecimento ao pagamento de direitos autorais.

 

O hotel apelou e o Tribunal de Justiça do Rio Grande do Sul (TJRS) considerou que, como as transmissões não ocorreram em áreas comuns do hotel, mas nos quartos, o Ecad não faria jus aos direitos autorais. O Tribunal gaúcho considerou que o estabelecimento não saberia sequer quais estações ou músicas eram sintonizadas, não sendo configurada a usurpação de direito autoral.(Fonte - STJ)

 




Variedades
Com.: 0
Por Eugênio Nascimento
23/05
17:54

Sergipe compõe secretaria da Unale com eleição de Conceição Vieira (PT)

A XV Conferência Nacional da Unale, realizada de 18 a 20 de maio, em Florianópolis, foi concluída com a eleição dos parlamentares que conduzirão os trabalhos da entidade, no biênio 2011/2012. A Assembleia Geral da Unale é o evento que encerra o encontro nacional da entidade.
 

Na reunião, parlamentares de todo o Brasil apresentaram questões que preocupam as Casas Legislativas. A deputada estadual Conceição Vieira (PT), acompanhou o grupo de deputados que seguiram ao evento na semana passada e foi eleita a vice-presidente de Assuntos Políticos na Secretaria Especial das Mulheres da Unale- União Nacional dos Legislativos Estaduais.

Outro deputados de Sergipe eleitos para nova diretoria foram Arnaldo Bispo (DEM), que foi escolhido para compor o Conselho Fiscal da entidade. Já os representantes estaduais de Sergipe na Unale foram eleitos os deputados Garibalde Mendonça (PMDB) e Augusto Bezerra (DEM).- Da assessoria



Política
Com.: 0
Por Eugênio Nascimento
23/05
15:03

Matéria do Pânico na TV sobre a Festa do Pijama em Aracaju




Multimídia
Com.: 0
Por Kleber Santos
23/05
07:06

Edvaldo Nogueira condiciona apoio ao fim da reeleição

"Eu defendo a tese do fim da reeleição, mas com um calendário definido para a realização de eleições gerais em um único ano para mandatos de cinco ou seis anos. Entendo que seria bom para o Brasil realizar eleições  em abril ou maio para vereador, prefeito, deputado estadual e governador. Assim colocaríamos na ordem do dia o debate sobre os problemas dos estados e municípios. Em novembro do mesmo ano, seriam realizadas as eleições para presidente, senador e deputado federal e seria a oportunidade de termos uma agenda colocando para a sociedade as discussões sobre os problemas e soluções para os grandes problemas nacionais". A declaração é do prefeito de Aracaju, Edvaldo Nogueira (PC do B)



Política
Com.: 0
Por Eugênio Nascimento
23/05
00:17

Em casa, São Domingos vence o Sergipe


O São Domingos aproveitou bem o mando de campo e saiu na frente no primeiro jogo da decisão do segundo turno, neste domingo, ao vencer o Sergipe, por 2 a 0, no Arnaldo Pereira, no interior do estado. Os gols foram marcados no segundo tempo por Nivaldo e Tito.

Com o resultado, o Coelho do Agreste pode até perder na próxima quarta-feira, às 21 horas, no Batistão, por um gol que fica com o título do turno para jogar depois a finalíssima do Sergipão contra o River Plate. Para reverter o quadro, o Sergipe precisa vencer por três gols de diferença ou por dois gols para forçar a decisão para os pênaltis.

Na avaliação do técnico do Sergipe, Nadélio Rocha, o jogo não foi bom porque o time colorado perdeu. “Nós não marcamos bem no início do primeiro tempo, mas depois conseguimos corrigir e começar a jogar bem nos contra-ataques. Os primeiros quinze minutos do segundo tempo foram decisivos. Levamos dois gols. Tentamos reagir, mas o São Domingos se fechou. Agora, vamos voltar para a casa e corrigir os erros para tentar virar a situação”, disse Rocha, logo após do jogo.

Para quarta-feira, não poderá contar com o atacante Renam, que recebeu o terceiro amarelo.

---------------------------
Crédito da foto: Ascom/CSSergipe



Esportes
Com.: 0
Por Kleber Santos
22/05
20:47

A geração de emprego em Sergipe na primeira década do novo século


Ricardo Lacerda*

Um dos aspectos mais notáveis da evolução recente da economia brasileira foi o descolamento entre a geração do emprego e o crescimento do PIB. Entre 2000 e 2010, o PIB brasileiro teve um incremento de 42%, enquanto o emprego formal aumentou 68%. Enquanto o crescimento médio anual do PIB foi de 3,6%, o do emprego formal alcançou 5,3%.

 

Em Sergipe, como em outros estados do Nordeste, o emprego formal cresceu a taxas superiores à média brasileira. O emprego com carteira assinada em Sergipe passou de 206.054 para 369.579, ou seja, foram criados 163.525 empregos adicionais em 10 anos, incremento de 79% e média anual de 6,0%. É importante destacar que todos os dados citados dizem respeito à situação de dezembro de cada ano.

 

Setores

 

Em 2010, os setores de atividade com maior número de emprego formal em Sergipe eram a administração pública, com 118.554 pessoas, equivalentes a cerca de 1/3 do total (32,1%), o setor de serviços, com 100.189 vínculos empregatícios (27,1%), o comércio, com 56.221 (15,2%), e a indústria de transformação, 41.477 (11,2%).

 

O setor agropecuário contava com 13.730 empregos formais, apenas 3,7% do total, ainda que este segmento respondesse por 22% da população ocupada no Estado de Sergipe, com ou sem vínculo empregatício formal, posto que parte expressiva da força de trabalho rural desenvolve produção familiar ou mantém relação de trabalho informal.

 

A construção civil empregava 28.713 pessoas, 7,8% do total, e a indústria extrativa mineral, que inclui a exploração de petróleo e gás natural, 4.600 pessoas, diretamente, por que, certamente, parte expressiva das pessoas empregadas em segmentos de serviços e na construção civil também integra a cadeia de petróleo e gás.

 

 

Tabela 1. Sergipe: Empregos formais. 2000 e 2010

 

Nº de Empregos

Participação

Taxa de crescimento (%)

Setor

2010

Incremento de 2000 a 2010

2010

No incremento 2000-2010

2000 – 2010

Média anual

           

 

Agropecuária

13.730

6.357

3,7%

3,9%

86,2%

6,4%

Extr. Mineral

4.600

3.313

1,2%

2,0%

257,4%

13,6%

Ind. trans.

41.477

19.154

11,2%

11,7%

85,8%

6,4%

Serv. ind. Up

6.095

3.071

1,6%

1,9%

101,6%

7,3%

Constr. Civil

28.713

17.682

7,8%

10,8%

160,3%

10,0%

Comercio

56.221

27.058

15,2%

16,5%

92,8%

6,8%

Serviços

100.189

47.469

27,1%

29,0%

90,0%

6,6%

Adm. Pública

118.554

39.421

32,1%

24,1%

49,8%

4,1%

Total

369.579

163.525

100,0%

100,0%

79,4%

6,0%


Fonte: MTE-RAIS

Crescimento

 

Ainda que se situasse no topo de empregos formais, a administração pública perdeu a primazia na geração de empregos adicionais entre 2000 e 2010, o que é positivo por que mostra o amadurecimento do setor privado local. Dos 163.525 novos postos de trabalho criados, o setor serviços foi responsável por 47.469 novos empregos, ou 29% do incremento total.  

A administração pública, em suas três esferas, ampliou o número de vagas em 39.421, ou 24,1% do incremento total no período. Percebam nas duas últimas colunas da tabela 1 que a administração pública, apesar de ter registrado a menor taxa de crescimento do emprego, teve o crescimento não desprezível de 4,1% anuais. O comércio sergipano abriu 27.058 novas vagas.

Dois segmentos apresentaram crescimento espetacular do emprego, com taxa anual igual ou superior a 10%, a indústria extrativa mineral, que ampliou as vagas de 1.287, em 2000, para 4.600, 257% no período, ou 13,6% ao ano, e a construção civil, que ampliou o contingente empregado em 17.682 postos de trabalho, 160,3% no período, ou 10% ao ano. Não menos significativo foi o fato de o setor agropecuário ter criado 6.357 empregos formais no período, 6,4% ao ano, em grande parte por conta da implantação nos últimos anos de duas novas usinas de cana de açúcar.

Atividades

 

A tabela 2, a seguir, apresenta um maior detalhamento setorial dos empregos criados na economia sergipana entre 2000 e 2010. São muitas as informações.  Algumas valem apenas serem destacadas, como os 5.205 empregos criados pelas indústrias de calçados, os 5.870 no segmento de alojamento e alimentação, que devem ser somados aos 1.217 empregos nos serviços auxiliares de transporte e agencia de viagens, que sugerem a ampliação do setor de turismo no Estado, os 3.452 novos empregos na indústria química, que inclui o segmento de etanol, e a ampliação de 2.534 empregos na extração de petróleo.

Tabela 2.  Sergipe: Incremento do emprego formal entre 2000 e 2010 segundo Divisão de Atividades

Descrição

Incremento do Emprego 2000-2010

Descrição

Incremento do Emprego 2000-2010

PRIMÁRIO

 

TERCIÁRIO

 

Agricultura

6.252

Administração publica e seguridade

40.793

SECUNDÁRIO

 

Com. Varejista

18.526

Construção

17.682

Saúde e serviços sociais

10.292

Calçados e couros

5.205

Serviços prestados às empresas

9.340

Produtos químicos

3.452

Educação

7.767

Extração de petróleo

2.534

Alojamento e alimentação

5.870

Limpeza urb. e saneamento

2.107

Comércio de veículos e combustíveis

4.624

Alimentícios e bebidas

1.997

Com. por atacado e representantes

3.908

Minerais nãometálicos

1.569

Transporte terrestre

2.539

Móveis e indústrias diversas

1.259

Atividades imobiliárias

2.496

Ext. de minerais n. metálicos

1.215

Atividades associativas

1.424

Máquinas e equipamentos

1.164

Aluguel de veiculo e equipamentos

1.396

Vestuário

1.021

Informática

1.238

Produtos têxteis

667

Aux.transporte e agencias de viagem

1.217

Borracha

657

Serviços pessoais

1.033

 

 

Intermediação financeira

957

Fonte: MTE-RAIS

 

Os dados sobre a geração de emprego na primeira década do novo século revelam uma evolução positiva da economia sergipana que nem mesmo as turbulências da crise financeira internacional conseguiram empanar. Em 2011 e 2012, novos desafios estão postos, ainda em razão do desdobramento da crise.

 

*Professor do Departamento de Economia da UFS e Assessor Econômico do Governo de Sergipe.

Artigos anteriores estão postados em http://cenariosdesenvolvimento.blogspot.com/



Colunas
Com.: 0
Por Eugênio Nascimento
22/05
20:08

Sacolas plásticas: é preciso proibir o uso em Aracaju

Embora criadas em 1862, as sacolas plásticas conquistaram o mercado brasileiro na década de 80 do século passado. Vieram para ser uma boa solução no transporte mercadorias em todo o mundo, principalmente produtos adquiridos em bodegas, mercados, supermercados e shoppings. Além de serem baratas e práticas, elas deram maior comodidade para o dia-a-dia da humanidade, mas também geraram uma série de consequências complicadoras.

Hoje, em todo o Brasil, há movimentações nas Câmara Municipais no sentido de aprovar leis proibindo o seu uso para empacotamento de mercadorias adquiridas pela população. Vários municípios, entre os quais capitais, caminham neste sentido, inclusive São Paulo (SP) e a vizinha Salvador (BA). Isso sinaliza para a necessidade de se adotar o mesmo
encaminhamento em Aracaju, uma capital pequena, com pouco mais de 500 mil habitantes e milhões de sacolas plásticas jogadas na lixeira da Terra Dura e na Soledade, já em desuso.

Pode até haver exageros de ambientalistas e pesquisadores que dão vida e sobrevida às sacolas de até 400 anos (ninguém viu isso ainda). Mas sabe-se muito bem que, jogadas nas
ruas, canais e rios elas geram problemas graves em períodos de chuvas, como pode-se ver anualmente em quase todo o país. No mar e rios, os sacos são confundidos por peixes e
tartarugas e são usadas como alimentos, provocando suas mortes.

Há comentários sobre a existência de uma lei de autoria do ex-vereador Sandro de Miro proibindo o uso de sacolas plásticas. Mas, consultada, a assessoria da Câmara Municipal
de Aracaju não soube informar. Caso não se confirme, porque não fazer essa lei agora, aproveitar essa onda toda para não ficar nadando contra a maré?

Política
Com.: 1
Por Eugênio Nascimento
Primeira « Anterior « 1 2 3 4 5 6 7 8 9 » Próxima » Última

Enquete


Categorias

Arquivos