28/05
09:12

Residências consumiram mais energia elétrica em Sergipe no mês de abril

Análise realizada pelo Boletim Sergipe Econômico, parceria do Núcleo de Informações Econômicas da Federação das Indústrias do Estado de Sergipe (FIES) e do Departamento de Economia da UFS, com base nos dados da Energisa, (que gera e distribui energia para 63 municípios sergipanos, alcançando 96% do território do estado), indicou que o consumo de energia elétrica no estado atingiu 208,7 Gigawatts-hora (Gwh), no quarto mês do ano. No comparativo com abril do ano passado, houve crescimento de 7,2% no consumo, enquanto que sobre março último, verificou-se leve incremento de 1,1%.

De janeiro a abril deste ano, o consumo de energia elétrica situou-se 6,2% acima do mesmo período do ano passado.

Consumo por setor

O consumo das indústrias e consumidores livres totalizou 90,5 Gigawatts-hora (Gwh), marcando pequena redução de 2,8% ante março desse ano. Sobre o mesmo mês do ano passado (abril/2012), verificou-se alta de 4,3%.

As quantidades consumidas nas residências e no comércio ficaram em 83,8 Gwh e 44,8 Gwh, respectivamente. Em termos relativos, o consumo residencial sofreu elevação de 3,5%, enquanto o consumo comercial foi 1,1% maior, ambos sobre março último. Em relação a abril de 2012, o consumo das residências e o consumo do comércio apresentaram alta de 12% e 5,2%, nessa ordem.

No campo, o consumo foi de 10,9 Gigawatts-hora (Gwh), com queda tanto na análise mensal (-13,5%) quanto na comparação anual (-2,7%). (Da assessoria)



Economia
Com.: 0
Por Eugênio Nascimento
28/05
07:00

'O fole roncou' será o tema da XII edição do Fórum do Forró

Acontecerá nos dias 12, 13 e 14 de junho, no Teatro Atheneu, o Fórum do Forró, que este  ano tem como tema principal 'O fole roncou'. O evento, organizado pela Secretaria  Especial de Cultura (Sec/Funcaju), abre oficialmente os festejos juninos da nossa  capital. "Vi o livro ‘O fole roncou' e achei o tema interessante para adotarmos este ano.  O fórum é um espaço de estudo, de pesquisa, de valorização da música nordestina e da  nossa cultura", destaca a professora Aglaé Fontes, secretária-adjunta de Cultura.

Em sua XII edição, o fórum, que tem a entrada franca, reúne forrozeiros, artistas,  pesquisadores e sociedade, numa discussão sobre os rumos que a música genuinamente  nordestina tem tomado. O encontro contará ainda com mesa redonda, palestras, homenagens  para os grandes nomes do ritmo, além de apresentações musicais.

A palestra de abertura será proferida pela professora Elba Braga Ramalho, do Ceará, que  falará sobre o tema explorado no livro de sua autoria 'Luiz Gonzaga - a síntese poética e  musical do sertão'. O tema terá como moderadora Janaína Couvo, de Sergipe.

Na noite de abertura, o fórum contará também com o lançamento dos livros 'Luiz Gonzaga:  100 anos do eterno rei do baião' de José Marcelo Leal Barbosa; 'Luiz Gonzaga a síntese  poética e musical do sertão', de Elba Braga Ramalho, e 'O fole roncou', de Carlos Marcelo  e Rosualdo Rodrigues.

Na quinta-feira, 13 de junho, dando sequência à programação do fórum, será realizada uma  mesa redonda sobre a obra dos homenageados, cujo moderador será Irineu Fontes. Já no  último dia do fórum, o tema a ser debatido pelos palestrantes Rosualdo Rodrigues e Carlos  Marcelo, ambos da Paraíba, será 'O fole roncou', cujo moderador será Antônio Carlos Du  Aracaju.

Homenagens  -  Dentro da programação do Fórum do Forró serão homenageados os compositores João Silva,  Onildo Almeida (PE) e o forrozeiro sergipano Erivaldo de Carira. Os três receberão o  Troféu Gerson Filho, na noite de abertura do evento. (Da assessoria)



Variedades
Com.: 0
Por Eugênio Nascimento
27/05
17:52

A economia de serviços de Sergipe em 1970

Ricardo Lacerda
Professor do Departamento de Economia da UFS e Assessor Econômico do Governo de Sergipe


A urbanização se expandiu velozmente em Sergipe nos anos sessenta e setenta. Em 1960, a população de Aracaju era de 115.716 habitantes. A cidade possuía apenas 24.059 domicílios. Nenhum outro município sergipano contava com uma população superior a cinquenta mil pessoas; o que mais se aproximava desse contingente era Lagarto, com 47 mil habitantes.

A vida rural ainda predominava em Sergipe. Em 1960, em cada grupo de cem habitantes, sessenta e um residiam no meio rural e apenas trinta e nove nos centros urbanos, quando no censo demográfico de 2010, de cada grupo de cem pessoas, setenta e quatro residiam na cidade e trinta e seis no meio rural. O fato de ser mais rural do que hoje implicava também que a população era mais dispersa no território.

Na área que corresponde a atual região metropolitana, São Cristóvão contava, em 1960, com vinte mil habitantes, Nossa Senhora do Socorro, com apenas sete mil e setecentos, em sua grande maioria residindo no meio rural, e a Barra dos Coqueiros, com modestos quatro mil e quatrocentos habitantes.

Aracaju respondia por apenas 15% da população estadual e o conjunto das cidades da atual Grande Aracaju, 19% do total. Em 1970, Aracaju, com 186.838 mil habitantes, em 35.316 domicílios, já respondia por 21% da população sergipana. Em 1980, com população de 299.422 pessoas, respondia por 26% do total do estado e o número de domicílios saltou para 59.003.

Depois de 1980, o crescimento demográfico da capital desacelerou, enquanto a área metropolitana passou a se expandir rapidamente. No censo de 2010, Aracaju representava 27% da população estadual, quase a mesma participação de 1980, e o aglomerado da Grande Aracaju havia saltado para 40%.

Em linhas gerais, é possível afirmar que os anos setenta conformam o início do período da grande transformação urbana de Aracaju que depois será consolidado nas décadas de oitenta e noventa com a metropolização da capital, a partir do crescimento intenso dos municípios de Nossa Senhora do Socorro e São Cristóvão.

Ocupação

A expansão urbana no período foi acompanhada por importantes transformações econômicas, sociais e culturais, em que o processo de crescimento industrial e o aumento da presença do estado na economia, inclusive com a estruturação do serviço público, são dois dos fatores mais decisivos. De forma crescente, a economia, a política e a sociabilidade se tornaram marcadamente urbanas.

Uma maneira de perceber essas transformações é comparar a estrutura de ocupação de 1970 e a de 1980. O censo demográfico de 1970 aponta que 3 em cada 5 integrantes da População Economicamente Ativa (PEA) de Sergipe estavam vinculados às atividades agropecuárias, o que equivale dizer que as outras duas pessoas se dedicavam às atividades tipicamente urbanas, na indústria e no setor de serviços (Ver Tabela).


O crescimento econômico acelerado proporcionado pela industrialização nos anos setenta gerou um excedente econômico que permitiu a uma parcela significativa da População Economicamente Ativa se deslocar para as atividades de serviços, em uma diversidade de novas ocupações. Em 1980, cinquenta e seis de cada cem integrantes da PEA estavam vinculados à indústria e aos serviços. A PEA das atividades industriais mais do que dobrou entre 1970 e 1980, passando de 30 mil para 61 mil pessoas.

Os chamados profissionais liberais, considerando apenas aqueles não vinculados ao setor público, entre advogados, dentistas e médicos (os não vinculados a hospitais) e contadores, não chegavam a quinhentos, em 1970. Os carroceiros, por outro lado, passavam de mil.

Em 1980, o quantitativo de pessoas nos então denominados serviços técnico-profissionais já se aproximava de dois mil. O numero de bacharéis profissionais liberais havia mais do que multiplicado por quatro ao longo dos anos setenta e o serviços de arquitetura e engenharia e o de publicidade começam a ser estruturados.

Todavia, são as ocupações vinculadas às atividades de Prestação de Serviço que mais se expandem nos anos setenta, abrangendo os serviços pessoais, os serviços domésticos e os de reparação. As atividades sociais, em grande parte, desenvolvidas por instituições públicas, incluindo previdência, saúde e educação, também cresceram muito no período. O comércio, transporte e comunicação e as demais atividades vinculadas à administração pública que não educação, saúde e previdência também conhecem expressivas expansão e diversificação.

Ao final dos anos setenta, o perfil ocupacional de Sergipe havia assumido uma feição essencialmente urbana. Os grupos econômicos urbanos ganham espaço frente às atividades rurais e os próprios embates políticos passam a ser marcadamente urbanos.


Artigos anteriores estão postados em http://cenariosdesenvolvimento.blogspot.com/
 


Coluna Ricardo Lacerda
Com.: 0
Por Kleber Santos
27/05
17:49

A carne é fraca

Clóvis Barbosa
Blogueiro e Conselheiro do TCE-SE
Precisa-se de uma explicação lógica a justificativa que todos têm para os males praticados, principalmente no campo das parafilias sexuais, ou naquilo que chamamos sexo desregrado. Nesse campo, por exemplo, um deputado estadual da Bahia vem causando a maior polêmica. Tido como pastor, responsável pela “Fundação Doutor Jesus”, um centro de reabilitação de drogados, o parlamentar se diz ex-homossexual, ex-drogado e ex-bandido. Afirma, contudo, que foi curado pela fé. Numa entrevista a uma emissora de tevê da Bahia, ele defendeu o seu colega também pastor, deputado federal Marco Feliciano, e ratificou a tese de que os “africanos são descendentes amaldiçoados de Noé”. E explicitou: “a viadagem da África, quando viu dois cabras bons, bonitos, musculosos, saiu atrás” (sic). Ao interpelar uma nota de repúdio contra ele, emitida pelo seu próprio partido, ele creditou a autoria “aos viados e viadas lá dentro” (sic). Diz também o deputado-pastor que não teme represálias do seu partido e explica: “se essas desgraças (partidos) prestassem, eram inteiros”. Mas sobre o seu passado, principalmente o fato de ter sido homosexual, ele vacila e justifica: “O pastor é humano. Claro que eu tenho medo de recaída. Eu não posso ficar junto de um homem muito tempo, porque a carne é fraca”. A carne é fraca? Vejamos outro exemplo: Um pároco da cidade de Niterói foi acusado de manter relações sexuais com uma coroinha desde os sete anos de idade, e também com sua irmã. O padre nega, mas reconhece que quando começou a fazer sexo com uma delas, ela já teria 18 anos de idade. Não interessa aqui se a acusação é verdadeira ou não, mas a justificativa do advogado do padre: “A carne é fraca. O padre também é um ser humano”. Conversa fiada! Desculpar-se de seus atos, utilizando-se da fraqueza da carne não deixa de ser uma fuga que tem como objetivo escapar da responsabilidade. Aliás, se “a carne é fraca” é porque o espírito é pobre.
Júlio Ribeiro faz parte da história da literatura brasileira. Da Escola Naturalista, a sua principal e polêmica obra foi “A Carne”, publicada em 1888, e que aborda temas diversos daqueles enfrentados pela literatura da época. Recebeu fortes críticas, por explorar o amor livre e a figura da mulher libertária. O romance "A carne" conta a história de Lenita, uma jovem que não buscava o fulgor do romantismo, mas a satisfação dos desejos sexuais. Ao ir residir na fazenda de um Coronel, conhece o seu filho, divorciado, e com ele tem uma tórrida relação entremeada por sexo violento. Lenita sente prazer ao assistir um escravo ser açoitado e ter o seu corpo totalmente desfigurado com as feridas. Apesar de o livro terminar numa tragédia, a sua importância está justamente em enfrentar o tema da fraqueza da carne. Ribeiro consegue fazer com que ela triunfe sobre os desenganos da mente. O mais importante ainda é colocar a mulher num papel de vanguarda numa sociedade conservadora e preconceituosa. Se for verdade o que dizia o presidente dos EUA, Abraham Lincoln, segundo o qual pessoas sem vícios não possuem virtudes, a trajetória de Lenita estaria então justificada? Outro caso impressionante foi o do terceiro presidente dos EUA, Thomas Jefferson, autor da Declaração da Independência americana. É dele a seguinte idéia: "A miscigenação de brancos com negros produz uma degradação com a qual nenhum amante de seu país, nenhum amante da excelência no caráter humano, pode inocentemente concordar". Ora, pois não é que se descobriu que Jefferson tinha uma amante, justamente uma escrava, com quem teve vários filhos e viveu com ela durante trinta e oito anos, quatro vezes mais do que com a sua legítima mulher? Afinal, a carne é fraca. Outro presidente dos EUA, Bill Clinton, também se deixou levar pela fraqueza carnal quando foi acusado de usar uma estagiária para a prática de sexo oral, não na casa da Luz Vermelha, mas em plena Casa Branca.
Diz uma música sertaneja que a carne é fraca e o coração é vagabundo. Adhemar de Barros foi um dos políticos mais influentes da política brasileira antes da ditadura militar. Governador de São Paulo por várias vezes, teve uma expressão cunhada que dizia bem do seu comportamento como governante: “O homem que rouba, mas faz”. Casado com Dona Leonor, teve uma amante por vinte anos que mandava e desmandava em seu governo e no seu patrimônio, Ana Gimol Benchimol Capriglione. Era conhecida como “Dr. Rui”. Depois da morte de Adhemar em 1969, Dr. Rui herdou os seus dólares que foram guardados num cofre numa mansão de Santa Teresa, no Rio de Janeiro. O maior assalto da história da luta armada brasileira durante o período de chumbo foi justamente a ação que terminou com o roubo do cofre do Dr. Rui. Mas o importante aqui é mostrar que Adhemar também se quedou à fraqueza da carne. Nem sempre, todavia, as amantes tiveram papel de destaque na vida política. É o caso de duas mulheres, uma no império romano, outra no século passado: Valéria Messalina e Elena Ceausescu. Messalina foi a terceira esposa de Tibério Cláudio César. Ele com 50 anos; ela, com 15. Apesar dessa diferença de idade, era uma mulher avarenta, devassa, cruel e assassina. A sua participação no governo era tão grande que o seu marido foi obrigado a ordenar a sua execução aos 22 anos de idade. Ela está incluída entre as mulheres mais perversas da história. Já Elena Ceausescu viveu na Romênia e era casada com o ditador Nicolae Ceausescu. Era alcunhada de “Mãe da Pátria”. Ao lado do seu marido dirigiu com mão de ferro os destinos da Romênia durante vinte e quatro anos. Foram acusados de causar a morte de mais de 60 mil pessoas durante o seu reinado. Elena era uma mulher cruel, dominadora (o braço direito do seu marido). Foi fuzilada juntamente com Nicolae, no natal de 1989, encerrando naquele momento o orgulho, a arrogância e o poder.
A literatura biográfica está cheia de exemplos que justificariam a fraqueza da carne. No mundo político, é comum o desempenho das amantes na vida do seu parceiro, participando ativamente da vida profissional do seu amado. O ditado que diz que por trás de todo grande homem há uma grande mulher, ainda mais brilhante, pode ser encontrada muitas vezes por causa justamente da fraqueza da carne. Não é à toa que Cristo disse a Pedro: “vigiai e orai, para não cairdes na tentação, pois o espírito está pronto, mas a carne é fraca” (Mateus 26:41).


Coluna Clóvis Barbosa
Com.: 0
Por Kleber Santos
27/05
16:37

Após 10 anos, Sergipe espanta tabu e sagra-se campeão estadual

Por Kleber Santos

O Campeonato Sergipano terminou de uma forma que fez justiça ao desempenho de um time e de um jogador durante toda a competição. É que, aos 45 minutos do segundo tempo, o lateral direito Carlinhos, do Sergipe, marcou o gol do desempate e do título estadual do Sergipe, que bateu o River Plate por 3 a 2, nesse domingo (27), no Batistão, na final do Campeonato Sergipano, após 10 anos sem conquistar a competição.

O atleta do Sergipe foi o melhor ou um dos melhores jogadores da competição, com suas arrancadas pela direita e fôlego de aço. Além de marcar o gol do decisivo, foi dele o passe para Fabinho Cambalhota marcou o segundo gol. O primeiro foi de Lucão.

A taça de campeão parou nas mãos da equipe que venceu a Copa Governo do Estado, equivalente a primeira fase do Estadual; terminou em primeiro na segunda fase; e mostrou o poder de decisão no mata-mata, ao vencer três jogos e empatar um.

O Sergipe somou 45 pontos, de 66 possíveis, rendimento superior a 68% da pontuação. Em 22 jogos, foram 13 vitórias, seis empates e apenas três derrotas. Marcou 33 gols, média de 1,5 por partida; sofreu 15 gols, média de 0,68 por jogo.

Com essa trajetória no ano, garantiu vaga para a Copa do Brasil 2014, Copa do Nordeste 2014 e Brasileiro da Série C este ano, quando já enfrenta o Vitória da Conquista, na próxima semana.

Veja as fotos do jogo: http://migre.me/eK7bz


Esportes
Com.: 0
Por Kleber Santos
27/05
16:35

Balanço do Brasileirão: Cruzeiro goleia, Neymar dá adeus

O domingo, que completou a primeira rodada do Campeonato Brasileiro, ficou marcado pela goleada do Cruzeiro em cima do Goiás, que volta à primeira divisão, e pela despedida de Neymar, que fez sua última partida pelo Santos antes de assinar contrato com o Barcelona, da Espanha.

Santos e Flamengo jogaram em Brasília, no recém reformado Estádio Nacional Mané Garrincha, mas o centro das atenções foi Neymar, em sua última partida pelo clube. O atacante não escondeu a emoção na despedida e chorou antes da partida, enquanto o hino nacional era executado. Com a bola rolando, o futuro craque do Barcelona foi bem marcado e não conseguiu marcar. Para compensar, o Rubro-Negro, que criou mais chances de gol, também não conseguiu superar o goleiro Rafael, e a partida terminou em 0 a 0.

Se faltou eficiência aos ataques de Santos e Fla, sobrou aos jogadores do Cruzeiro. A Raposa não deu chances para o Goiás no Estádio Independência e aplicou uma goleada por 5 a 0. O resultado começou a ser construído já no sétimo minuto, com Diego Souza. Bruno Rodrigo, aos 31, Nilton, aos 40, e Borges, aos 43, praticamente asseguraram a vitória ainda no primeiro tempo. Na etapa final, Nilton, aos 35, voltou a marcar de cabeça, fechando a goleada. Com o resultado, o Cruzeiro lidera o Brasileiro pelo saldo de gols.

No primeiro jogo após a eliminação na Copa Libertadores, o Grêmio mostrou força e venceu o Náutico por 2 a 0, no Alfredo Jaconi, em Caxias do Sul. Zé Roberto, aos 15, abriu o caminho da vitória. Elano, aos 25 do segundo tempo, ampliou o marcador. O argentino Hernan Barcos ainda teve duas chances para marcar o terceiro do Grêmio, mas um chute aos 34 e outro, aos 39, só assustaram o goleiro Felipe.

O São Paulo, outro clube já eliminado da Libertadores, confirmou seu favoritismo e não sofreu sustos para estrear com vitória no Brasileiro. Na tarde deste domingo, no estádio Moisés Lucarelli, o Tricolor venceu a Ponte Preta por 2 a 0, com gols marcados no primeiro tempo. Lúcio e Jadson colocaram o time do técnico Ney Franco na frente e nem mesmo a expulsão de Edson Silva atrapalhou os planos do clube. O zagueiro recebeu o cartão vermelho aos 13 minutos da etapa final, mas o Tricolor se segurou sem problemas.

O Fluminense, por sua vez, segue com chances na competição continental e vai entrar em campo na quarta-feira precisando vencer o Olimpia, do Paraguai. Por isso, o técnico Abel não escalou a equipe inteira neste domingo. Ainda assim, o tricolor estreou com vitória no Brasileiro e bateu o Atlético Paranaense por 2 a 1. No primeiro tempo, o Furacão teve as melhores chances, mas foi o Flu que abriu o placar com Rafael Sóbis, de pênalti. Os visitantes chegaram ao empate com Manoel, antes do intervalo, mas na etapa final Samuel fez o gol da vitória dos donos da casa.

Também vivo na Libertadores, o Atlético Mineiro também poupou alguns de seus jogadores e não teve a mesma sorte do Fluminense. Em um jogo movimentado no Estádio Couto Pereira, os mineiros garantiam um empate até os 46 do segundo tempo, quando sofreram o segundo gol e a consequente derrota por 2 a 1. Diego Tardelli abriu o placar para o Galo, aos quatro do segundo tempo, cobrando falta. Aos oito, Deivid, de cabeça, deixou tudo igual. Já nos descontos, Arthur, que havia entrado poucos minutos antes, decretou a virada do Coxa.

Vice-campeão da Série B em 2012, o Criciúma chegou à primeira divisão a fim de mostrar que pode se sustentar na elite. Na estreia, neste domingo, fez 3 a 1 em cima do Bahia, no Heriberto Hulse, e confirmou a boa fase com o técnico Vadão nesta temporada. Jogando no 4-3-3, a equipe catarinense marcou o primeiro 46, com Matheus Ferraz. Aos dois do segundo tempo, Lins se aproveitou de rebote depois de chute de Marcel e acertou a trave, e, na sequência, a rede adversária. No lance, Lomba revelou dores, ficou caído no gramado e foi substituído por Omar. Diones diminuiu para o Bahia, aos 27, mas João Vítor, aos 35, fez o terceiro do Criciúma e abafou o esboço de reação dos oponentes.

CLASSIFICAÇÃO



Esportes
Com.: 0
Por Kleber Santos
27/05
16:00

Augusto Bezerra diz que Rogério Carvalho não pode falar sobre privatização


O vice-líder da bancada de oposição na Assembleia Legislativa, deputado estadual Augusto Bezerra (DEM), disse que a população de Sergipe deve ter ficado assustada ao ouvir o deputado federal Rogério Carvalho (PT), em entrevista a uma emissora de rádio, afirmar que era contrário à privatização da saúde na capital, dizendo que o prefeito de Aracaju, João Alves Filho, estava querendo privatizar a saúde com a implantação das Organizações Sociais (OSs) para gerir as os hospitais. Para o democrata, o parlamentar federal não deveria falar em privatização, pois o grupo político do qual ele faz parte entregou o bairro Jardins a uma construtora que não fez sequer uma praça.

“Rogério Carvalho não pode esquecer de explicar à população que o que está se passando hoje em Aracaju é porque [quando secretário de saúde] ele inaugurou dois hospitais que não são hospitais”, declarou Augusto Bezerra. O deputado disse que continua com a mesma posição, sendo contrário às fundações e até desafiou o deputado Rogério a dizer onde elas deram certo no Brasil. “A Fundação foi o câncer que destruiu a saúde em Aracaju e em Sergipe”, afirmou Bezerra.

O deputado relatou que na viagem à Recife (PE) para o Congresso da União dos Legisladores e Legislativos Estaduais (Unale) um grupo de deputados sergipanos visitou o hospital Pelópidas Silveira. Segundo Augusto Bezerra, são três hospitais do Estado que estão trabalhando através de OSs. No entanto, na avaliação dele, em Aracaju esse sistema não dá certo. “Dá certo em Recife, na Bahia. Aqui não dá porque não temos hospitais municipais. Aqui temos Unidades de Pronto Atendimento (UPAs)”, disse.

De acordo com Augusto Bezerra, o hospital que o município de Aracaju tem é o Hospital de Cirurgia. “E quer ver alguma coisa séria dar certo com doutor Gilberto [diretor do HC] na frente? Quem está dizendo isso é o deputado Augusto Bezerra”, declarou. O deputado democrata explicou que cada um dos três hospitais do Pelópidas em Pernambuco recebe R$ 5,4 milhões e com esse valor recebido o gestor paga salário de todos os médicos e não falta nenhum tipo de material. “Todos os deputados que visitaram o hospital puderam ver isso”.

Aqui em Aracaju, acrescentou o deputado Augusto Bezerra, paga-se ao Hospital de Cirurgia a quantia de R$ 7 milhões. “E ele atrasa os médicos. Até agora nenhum médico recebeu o mês de fevereiro. E lá em Pernambuco compra comida, tem lavanderia, paga médicos e materiais com esses R$ 5,4 milhões”, informou. O parlamentar disse que com isso estava mostrando o porquê não acredita nas OSs aqui.
Augusto Bezerra disse que Rogério Carvalho foi para uma emissora de rádio dizer que João Alves quer privatizar a saúde em Aracaju, “mas é uma pessoa que deu o pior exemplo que Sergipe viu, que foram as fundações de saúde”, declarou.

Da Assessoria
Foto: César Oliveira, da Agência Alese


Política
Com.: 0
Por Kleber Santos
26/05
09:44

Coluna Primeira Mão - Política e Economia


Déda afasta-se do cargo por 15 para tratar da saúde

O governador Marcelo Déda passará 15 dias afastado do Governo de Sergipe para dedicar maior atenção a seu tratamento de saúde. Desde esta segunda-feira, que Jackson Barreto é o governador em exercício do estado de Sergipe. Ele dará continuidade a agenda de inaugurações a exemplo das que ocorreram no último sábado, em  Carira - quadra poliesportiva e Clínica de Saúde da Família -, e em Socorro, onde inaugurou a iluminação da Rodovia da Indústria, de um complexo desportivo e reforma de uma escola.


11 secretários pensam em disputar as eleições em 2014
.

 


O Jornal da Cidade apurou. Além do ex-secretário Jorge Alberto, que deseja ser candidato a deputado federal pelo PMDB, outros cinco nomes do governo querem ser deputado estadual: o secretário da Casa Civil, Sílvio Santos (PT); o secretário do Turismo, Elber Batalha (PSB); o secretário da Agricultura, Zezinho Sobral (PMDB); o subsecretário de articulação com os municípios, Jorge Araújo (PSD) e o presidente da Cohidro, Mardoqueu Bodano (PRB). Na esfera da administração pública municipal de Aracaju, são possíveis candidatos a secretária de Saúde, Goretti Reis, Walker Carvalho, da Indústria, Comércio e Turismo, O vereador Nitinho, licenciado para administrar a secretaria de Esporte e Juventude, já disputou duas vezes o cargo e deve tentar mais uma, e Nilson Lima, o homem das finanças na capital, é outro que pode entrar em campo, incentivado pelo próprio João - que tem mostrado apreço ao neo-aliado. (Matéria completa, de Max Augusto, na edição de domingo do Jornal da Cidade).


Plebiscito: frente quer realizar debate sobre o tema



A Frente Ampla em Defesa da Zona de Expansão para Aracaju (FAZE) realizou, na tarde do último sábado, 25, mais uma reunião para discutir sobre o limite entre Aracaju e São Cristovão. A reunião aconteceu na sede da Associação dos Moradores do Mosqueiro e contou com um bom número de pessoas. Os componentes da FAZE decidiram que realizarão o Ciclo de debates "A Zona de Expansão e o plebiscito", com um cronograma de atividades, inicialmente, nas comunidades da Zona de Expansão, se estendendo posteriormente para ostros bairros da capital sergipana. Entre os debatedores serão convidados representantes da Assembléia Legislativa do Estado de Sergipe, da Câmara Municipal de Aracaju, principalmente da Procuradoria Geral do Município e do Tribunal Regional Eleitoral.


Debates melhorarão nível de conhecimento de proposta



A FAZE pretende, com os debates, nivelar o tema no seio das comunidades, levando informações das instituições públicas que vêm lidando com o assunto. A Frente Ampla em Defesa da Zona de Expansão para Aracaju (FAZE) é formada por representantes de todas as comunidades da Zona de Expansão e tem a finalidade de debater sobre a polêmica envolvendo o limite entre Aracaju e São Cristovão, além do plebiscito e outros assuntos que dizem respeito às comunidades daquela região da capital sergipana. Além disso, a frente é formada por pessoas independentemente das entidades ou dos segmentos a que elas estejam ligadas, sejam associações, Igrejas, comércio, serviço, clubes ou condomínios.

BAIRRO MODELO
- A FAZE vai colher dados juntos aos moradores para apresentar à Prefeitura Municipal de Aracaju (PMA) uma carta contendo as principais demandas da Zona de Expansão. Com a informação de que a PMA pretende transformar a Zona de Expansão em um bairro modelo, os moradores querem se antecipar e apresentar subsídios às autoridades municipais, bem como ao Governo do Estado, para as demandas da esfera estadual. A próxima reunião da frente será dia 03 de junho, no Povoado São José.


Medicamentos: Sergipanos pagam mais caro no Nordeste


O sergipano é, entre os nordestinos, quem mais caro paga para ter acesso a medicamentos. Isso vem acontecendo por causa da cobrança elevada do ICMS, que é feita com base no Preço Máximo ao Consumidor (PMC) da tabela, quando, na prática, os produtos são comercializados por valores menores que esses. Por conta dessa cobrança exagerada feita pelo fisco estadual, as distribuidoras de medicamentos estão “aperreadas” e demitindo seus funcionários. Para piorar a situação, empresas que pagam valores menores de ICMS em outros estados do Nordeste, pagam seus impostos por lá e entram aqui com maior capacidade de lucratividade.



PEN faz encontro na Assembleia e discute organização


O Partido Ecológico Nacional (PEN) realizou seu Encontro Estadual na Assembleia Legislativa de Sergipe na sexta-feira passada com a presença de representantes de 15 municípios: Aracaju, N. Sra. do Socorro, Salgado, São Cristóvão, Propriá, Pirambu, Umbaúba, Barra dos Coqueiros, Estância, Areia Branca, Porto da Folha, Rosário do Catete, Macambira, Canindé de São Francisco e Itabaiana. O encontro foi o evento de apresentação do PEN para sociedade sergipana. Na oportunidade, o professor Bosco (Presidente Estadual do PEN/SE) falou dos objetivos do PEN e o seu foco na sustentabilidade, onde o mesmo fez um contraponto entre o que é insustentável e o que é sustentável, a exemplo da corrupção que é insustentável e a ética que é sustentável. Outro exemplo foi os baixos indicadores educacionais como insustentável e educação de qualidade para todos como sustentável. O Prof. Bosco conceito ainda sustentabilidade como sendo ações e atividades humanas que visam suprir as necessidades atuais das pessoas, em harmonia com o meio ambiente e a natureza, sem comprometer o futuro das próximas gerações. Ainda na fala do Presidente Estadual do PEN/SE ele fez sintese da trajetória para alcançar cerca de 12 mil assinaturas em abaixos assinados para homologar o PEN em Sergipe junto ao TRE e o PEN Nacional junto ao TSE. Estiveram presentes ao evento além das lideranças do PEN nos municípios, os veredores Cláudio Chagas de São Cristóvão e o veredor e Presidente da Câmara de Poço Verde Pedro de Seu Rodrigues. Presentes também o Vice Prefeito da Barra dos Coqueiros Cláudio Caducha, o ex-prefeito de N. Sra. do Socorro Tonho da Caixa, o Presidente Estadual do PTS Wagner Dantas, o Presidente Municipal do PMDB de São Cristóvão Marcos Santana, o vice Presidente Municipal do PV de Aracaju Joselito Resende, o Presidente da Associação Educativa e Social Ação Ágape Prof. Edmilson.



Valadares: Não serei candidato em
2014 e pretendo dar apoio a JB


“Eu já disse dezenas de vezes que não serei candidato em 2014 e não pretendo também indicar nomes para compor a chapa majoritária. Há um consenso na nossa coligação que aponta o vice-governador Jackson Barreto como candidato a governador e o governador
Marcelo Déda como candidato a senador. No mais, há muito boato, coisa de quem está apostando em brigas. Mas quem pensa assim não obterá sucesso”. O comentário é do senador Antônio Carlos Valadares (PSB), que deixou clara a pretensão de manter seu filho, Valadares Filho, deputado federal e para isso terá que disputar a reeleição. O senador disse ainda que o clima de campanha já está no ar e os enfrentamentos iniciais deixam claro que a disputa já começou. “Eu estarei nas articulações políticas e na campanha. Vou estar com Jackson e Déda. Até acho que, se o governador optar por não disputar o Senado, o assunto deve ser avaliado pelo grupo, pode ser definida a possibilidade de ampliação da aliança, mas ainda assim eu e meu filho não estaremos na briga pela vaga de senador”, explicou.


Sergipe: Governo do Estado já gasta 48,8% com pessoal


O estado de Sergipe está no chamado limite prudencial da Lei de Responsabilidade Fiscal. E, infelizmente, o crescimento da receita não tem sido suficiente para resolver isso. No último quadrimestre, o gasto de pessoal atingiu 48,8% da receita corrente líquida, ou seja, as receitas não cresceram no volume suficiente para permitir uma redução do índice”. O comentário é do secretário interino da Fazenda, Oliveira Júnior. O limite máximo é de pouco mais de 51%. Ele que acrescenta, ao falar sobre a situação financeira do Estado: “Não há descontrole (nas finanças públicas), pelo contrário, o controle foi reforçado. O governo tem conduzido esse assunto com muita responsabilidade, cortando os gastos de custeio e buscando financiar os investimentos mediante operações de crédito e recursos do orçamento da União. A arrecadação estadual cresceu, e são inúmeros os esforços de ajustes, mas fazemos isso preservando o atendimento ao cidadão e garantindo os direitos dos servidores. Não podemos esquecer que nos anos de 2009 e 2010 houve uma frustração de receita do FPE da ordem de R$ 400 milhões, que nunca foi recuperada”. (Entrevista na íntegra na edição deste domingo do Jornal da Cidade)


Machado: Prioridade de João Alves é a Prefeitura de Aracaju


O prefeito João Alves não definiu se será ou não candidato ao governo de Sergipe em 2014, pois está priorizando governar Aracaju, buscar soluções para os problemas de mobilidade urbana, acessibilidade, saúde, educação, recuperação de ruas e praças e não está querendo puxar para si, agora, a preocupação de discutir as eleições de 2014. Além do mais, ainda estamos muito longe do pleito. Mas, que fique claro, eu entendo que o PSDB e o DEM são aliados naturais”. O comentário é do vice-prefeito da capital sergipana, José Carlos Machado (PSDB).


Volta às aulas na UFS só no dia 3 de junho



Para reordenar o calendário acadêmico e permitir a agilização de alguns serviços imediatos, a Universidade Federal de Sergipe decidiu adiar o início das aulas, previsto para o próximo dia 27, para o dia 3 de junho.
A medida foi aprovada em reunião realizada no início desta semana e um ato oficial explicando a necessidade deve ser publicada nas próximas horas pela Pró-Reitoria de Graduação e o seu Departamento de Administração Acadêmica (DAA).


Xingó aumenta vazão pata beneficiar perímetros em SE


Atendendo a uma solicitação da Companhia de Desenvolvimento dos Vales do São Francisco e Parnaíba (Codevasf), a Agência Nacional da Água (ANA) e o Instituto Brasileiro de Meio Ambiente e Recursos Naturais Renováveis (Ibama), a Companhia Hidrelétrica do São Francisco (Chesf) determinou o aumento da vazão na Usina Hidrelétrica de Xingó, na divisa de Sergipe com Alagoas. Há um mês a vazão foi reduzida de 1300 metros cúbicos por segundo para 1100 metros cúbicos por segundo. Agora ela subiu para 1200 metros cúbicos por segundo e, com isso, melhorar as condições de bombeamento de água para os perímetros irrigados de produção de alimentos que ficam na margem de Sergipe do “Velho Chico”.



Uma entidade morre pouco a pouco
junto com os seus filiados


A secção de Sergipe da Associação dos Ex-Combatentes do Brasil é uma entidade destinada a se acabar. E sem demorar muito. Nos tempos áureos já era pequena, reunia apenas os 292
sergipanos que foram para a 2ª Guerra Mundial. Hoje, a entidade tem apenas 30 dos 55 sobreviventes como filiados, eles estão na faixa etária entre 85 e 96 anos e apenas 12 deles pretendem desfilar no 7 de setembro deste ano em Aracaju. A Associação tem uma arrecadação pequena e sobrevive com a ajuda de viúvas-pensionistas de ex-combatentes e da colaboração dos poucos filiados. A salvação é que o atual presidente, Sizenando Faro, cedeu parte de um seu imóvel para abrigar a associação e parte importante de sua história. Pelo visto, a saída honrosa para garantir uma sobrevida pala a Associação dos Ex-Combatentes seria o Brasil ir para uma nova guerra, levar sergipanos e muitos deles sobreviverem.


Caixa em baixa - São Cristóvão não terá festejos juninos


A prefeita Rivanda Farias já anunciou: São Cristovão, que não teve Carnaval este ano, não terá festejos juninos bancados pelos cofres públicos. Os gastos do município com a folha
de pessoal atingiram 62% da arrecadação, e isso corresponde a um valor 11% acima do limite prudencial da Lei de Responsabilidade Fiscal (LRF). As associações ou pessoas que queiram promover festas, a prefeitura colaborará trancando ruas, desviando trânsito, retirando lixo etc. Mas dinheiro não tem como usar para viabilizar festas de largo (nas praças) e arraiás, o que custaria algo em torno de R$ 1 milhão, contando com a contratação de artistas.


Ocupantes de terrenos de marinha pagam imposto caro


A maioria das pessoas que moram em terrenos de Marinha e sob a
administração do Serviço de Patrimônio da União (SPU) está isenta, mas algo em torno de 21 mil outros proprietários de imóveis dessas áreas foram duramente atingidos com reajustes no imposto que varia de 400% a 1500%.


Uma nova taxa pode ser aprovada em Aracaju


A Prefeitura de Aracaju estuda a possibilidade de encaminhar projeto à
Câmara propondo a criação de uma nova taxa a ser cobrada de empresários e proprietários de terrenos em áreas beneficiadas com obras do município. A grande maioria desses terrenos está nas mãos de cinco ou seis empresas do ramo da construção civil e essas áreas recebem ruas, avenidas, asfaltos e outros serviços que valorizam os imóveis e a PMA nada mais arrecada por isso. A medida, pelo que se planeja, não atingirá pessoas pobres.


Conceição Vieira promove debate sobre igualdade racial em SE


Com o intuito de discutir e construir junto aos movimentos sociais as Políticas de Igualdade Racial para o Estado de Sergipe, a Deputada Conceição Vieira promoverá no dia 28/05 às 14hs na Escola do Legislativo o seminário: "Reflexões e Perspectivas de Políticas de Igualdade Racial para Sergipe." Contaremos com as presenças dos Srs. Palestrantes: Cida Abreu (Secretária Nacional de Combate ao racismo do PT); Profº Dr. Fernando Aguiar; Antônio Oliveira e Euvoclébio Lima. No seminário o artista plástico Allan Moncorvo fará exposição das suas obras.



Coluna Eugênio Nascimento
Com.: 0
Por Eugênio Nascimento
Primeira « Anterior « 1 2 3 4 5 6 7 8 9 » Próxima » Última

Enquete


Categorias

Arquivos