08/05
21:26

Inscrições para o Enem 2017 iniciaram nessa segunda-feira

Ministério da Educação divulgou mudanças para a edição 2017. Provas acontecerão em dois domingos, 05 e 12 de novembro

As inscrições para o Exame Nacional do Ensino Médio (Enem), edição de 2017, já estão abertas, prosseguem até às 23h59 (horário de Brasília) do dia 19 de maio, e devem ser realizadas no site oficial. As provas serão aplicadas nos dias 05 e 12 de novembro, os dois primeiros domingos do mês. Ao todo, os estudantes terão 12 dias para fazer inscrição no Enem 2017.

Durante o período inicial de inscrições, principalmente no primeiro dia, o Ministério da Educação (MEC) informa que o site poderá apresentar falhas e lentidão devido ao grande número de acessos. O endereço online do Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira (Inep) é o único meio reconhecido como oficial para a fazer inscrição no Enem 2017. Em caso de dúvidas, entrar em contato com Central de Relacionamento do MEC, através do telefone 0800-616161.


Variedades
Com.: 0
Por Kleber Santos
08/05
21:05

Municípios do interior recebem campanha de conscientização sobre o trânsito

Entre os municípios que integram o cronograma estão Tobias Barreto, Nossa Senhora da Glória, Itabaiana e Poço Verde

Como parte do Movimento Maio Amarelo, campanha de conscientização no trânsito, nesta semana, as ações da programação do Departamento Estadual de Trânsito (Detran/SE) estarão voltadas para o interior do estado. Entre os municípios que integram o cronograma estão Tobias Barreto, Nossa Senhora da Glória, Itabaiana e Poço Verde.

Através de comandos educativos e palestras na Unidade Móvel do Detran, os representantes da Escola Pública de Trânsito da autarquia pretendem propagar conhecimentos voltados ao tema da segurança viária para alunos da rede pública, bem como para toda a sociedade. Durante as ações, será abordada a amplitude que a questão do trânsito exige nas mais diferentes esferas da sociedade.

Confira a programação:

- Dia 08/05 – Segunda-feira - 08h30

Comando em Tobias Barreto

Palestras na unidade móvel do Detran para alunos da rede pública, com a distribuição de material educativo alusivo ao maio Amarelo.

- Dia 09/05 – Terça-feira - 9h

Comando Educativo em Nossa Senhora da Glória, com a participação dos técnicos da EPTran e CPTran.

Palestras na unidade móvel do Detran para alunos da rede pública, com a distribuição de material educativo alusivo ao Maio Amarelo.

- Dia 10/05 – Quarta-feira - 09h

Comando em Itabaiana – com a participação dos técnicos da EPTran e CPTran.

- Dia 11/05- Quinta-feira - 09h

Comando em Poço Verde, com a participação dos técnicos da EPTran e CPTran.

Palestras na unidade móvel do Detran para alunos da rede pública, com a distribuição de material educativo alusivo ao Maio Amarelo.

- Dia 12/05 – Sexta-feira

Comando interno com distribuição de botão de rosas amarelas às mulheres funcionárias, alusivo aos dias das mães.

Palestras para alunos do Colégio Master, com a utilização do ônibus-escola do Detran, com a apresentação de vídeos e palestra com jogos educativos alusivo ao maio Amarelo, às 14h na AABB.


Variedades
Com.: 0
Por Kleber Santos
08/05
20:04

Semana Nacional dos Museus acontecerá de 15 a 21 de maio

Em Sergipe, a programação será iniciada mais cedo, já no dia 11, às 9h, no Memorial do Poder Judiciário, localizado no Palácio Silvio Romero

Na próxima semana, os museus serão o destaque da cultura em todo o país. É que acontecerá, entre os dias 15 e 21 de maio, a 15ª Semana Nacional dos Museus, um evento que mobiliza as unidades museais de todo Brasil a desenvolver uma programação especial durante a semana em que se celebra o Dia Internacional de Museus, comemorado em 18 de maio.

O evento é uma realização do Ministério da Cultura por meio do Instituto Brasileiro de Museus (IBRAM) e em Sergipe tem o apoio da Secretaria de Estado da Cultura e prefeituras municipais. O tema norteador dos eventos é o proposto pelo Conselho Internacional de Museus (ICOM), e este ano as atividades estarão em torno do tema “Museus e histórias controversas: dizer o indizível em museus”.

De acordo com a coordenadora dos Museus na Secult, Marta Soraya, o evento é fundamental, considerando a importância dos museus para a cultura e o turismo como um espaço de memória e atividades multidisciplinares. “Isso traz um novo conceito de espaços museais, onde atividades diversas acontecem e aproximam estudantes, pesquisadores e turistas desses espaços que guardam nossa memória”, afirma.


Variedades
Com.: 0
Por Kleber Santos
08/05
20:03

Vazamento de óleo em Maruim pode durar 15 dias

A Administração Estadual de Meio Ambiente (Adema) torna pública a informação de que o vazamento de óleo no Campo de Mato Grosso, localizado no município de Maruim, confirmado no dia 26 de abril, está sob supervisão e fiscalização diária da Instituição, o que inclui fins de semana e feriados. Desde a confirmação, a Adema está acompanhando de forma intensa o efetivo, equipamento, material e procedimento in loco da Petrobras, que já possui um plano de emergência para esse tipo de situação. 
 
O acompanhamento à Petrobras é realizado pelo engenheiro químico Dirceu Benjamim Reis, e pelo biológo Luciano Carlos Sobral, com monitoramento do diretor presidente da Adema, Francisco Dantas.

“Ao todo, cerca de 80 profissionais da Petrobras e terceirizados estão envolvidos no procedimento. E a Adema tem acompanhado cada passo para resolver o problema o mais rápido possível. Nós estamos disponíveis e comprometidos em ajudar da melhor forma o procedimento e já estamos conseguindo ótimos resultados”, ressalta o presidente.

Os especialistas explicaram que o único problema do local foi registrado pelo vazamento de óleo e não pelos poços e que a água do Campo de Mato Grosso é considerada doce, já que ela passou por processo de drenagem. Os especialistas também explicam que o rio estava seco quando ouve o vazamento de óleo na calha, e que a água do local é proveniente da chuva.

O processo de remoção do óleo está sob controle e a expectativa da Adema é que o problema seja resolvido em no máximo 15 dias. A empresa ressalta que, durante o incidente, não houve morte ou contaminação de nenhuma espécie animal e que a Petrobras envia relatórios técnicos sobre o andamento do processo a cada dois dias.


Variedades
Com.: 0
Por Kleber Santos
08/05
20:02

Acidentes de trânsito em Aracaju caem 14% no primeiro quadrimestre

De janeiro a abril de 2017, Aracaju registrou menos acidentes de trânsito em comparação ao mesmo período do ano passado. O levantamento foi feito pela Superintendência Municipal de Transportes e Trânsito (SMTT), que apontou uma redução de aproximadamente 14% neste tipo de ocorrência.

Foram 995 acidentes de trânsitos nas ruas e avenidas da capital nos primeiros quatro meses deste ano contra 1.152 durante o mesmo espaço de tempo em 2016. Quando são consideradas apenas as ocorrências com feridos, o número também é menor: 312 neste ano contra 386 do ano passado. Uma queda de quase 20%.

Para o superintendente da SMTT, Aristóteles Fernandes, o levantamento prova que a nova gestão do órgão começou no caminho certo. "Não podemos comemorar os números, porque a gente reconhece que ainda há muitos acidentes, mas essa diminuição mostra que as nossas primeiras ações estão conduzindo Aracaju para um trânsito mais seguro", diz Aristóteles.


Variedades
Com.: 0
Por Kleber Santos
08/05
16:57

Emsurb lança edital da contratação emergencial da limpeza pública nesta terça-feira

Luiz Roberto, presidente da Emsurb, frisa que, conforme o que foi estabelecido pelo prefeito, todo o processo será acompanhado pelo MPE (Foto: Janaína Santos)

A Empresa Municipal de Serviços Urbanos (Emsurb) lança nesta terça-feira, às 10h, o edital do contrato emergencial do serviço de limpeza urbana da capital. Com o objetivo de dar total transparência ao procedimento, o edital será disponibilizado no portal da Prefeitura de Aracaju. A Emsurb enviou carta-convite a 17 empresas para participar do certame. O Ministério Público Estadual acompanhará todas as etapas do processo.

Aberto o edital nesta terça-feira, as empresas terão 48 horas para entregar suas propostas na sede da Emsurb, localizada no Parque Augusto Franco, em Aracaju. Deste modo, no dia 11 de maio, às 10h, se dará o recebimento presencial das propostas. No dia seguinte, 12 de maio, no mesmo horário, será divulgada a empresa escolhida para cumprir o contrato emergencial, com duração de 180 dias. A realização do procedimento para celebração de um novo contrato emergencial atende medida cautelar expedida pelo Tribunal de Contas do Estado (TCE).

"Os prazos contidos no edital foram determinados na medida cautelar do TCE, de modo que, em tempo hábil, a prefeitura de Aracaju realize o novo procedimento. Embora exíguo, é o prazo necessário para que não haja descontinuidade na prestação do serviço, uma vez que a prorrogação do atual contrato se encerra no próximo dia 14", explicou o presidente da Emsurb, Luiz Roberto Santana.

Ele pontua que atendendo a orientação do prefeito Edvaldo Nogueira, a Empresa de Serviços Urbanos cumpre a medida cautelar do Tribunal de Contas do Estado. Luiz Roberto frisou ainda que, conforme o que foi estabelecido pelo prefeito, todo o processo será acompanhado pelo MPE. "O que formos fazendo dentro deste edital será informando ao Ministério Público Estadual", reforçou.

Visita ao procurador

Na manhã desta segunda-feira (8), o prefeito Edvaldo Nogueira visitou o procurador-geral de Justiça, Rony Almeida, quando convidou o Ministério Público para acompanhar todo o processo que culminará na escolha da empresa que irá realizar a coleta do lixo em Aracaju. O procurador-geral de Justiça aceitou o convite.


Política
Com.: 0
Por Kleber Santos
07/05
18:35

Um olhar sobre as exportações brasileiras do 1º quadrimestre de 2017

Ricardo Lacerda
Professor da UFS

O governo comemora o saldo comercial recorde obtido no 1º quadrimestre de 2017.  As exportações brasileiras entre janeiro e abril somaram US$ 68,1 bilhões, um incremento de 21,8% sobre o mesmo período de 2016. Como as importações registraram crescimento menos acentuado (de 9,5%), o saldo comercial do quadrimestre saltou de US$ 13,2 bilhões para US$ 21,4 bilhões, nessa comparação entre os primeiros quadrimestres, equivalentes a expressivos 61,3% de aumento.

A projeção de mercado mais recente, anterior à publicação do resultado oficial da balança comercial de abril, é de que as exportações brasileiras em 2017 deverão superar US$ 200 bilhões, interrompendo a trajetória de declínio que marcou os três últimos resultados anuais e reposicionando o valor exportado ao patamar de 2010. É possível que essa projeção seja revista para cima nas próximas edições do levantamento, assim como a do saldo comercial anual, de pouco mais de US$ 50 bilhões, que já o confirmaria o melhor resultado da série histórica.

Limitações
Ressaltados os aspectos positivos convém tratar das limitações do resultado alcançado. A mais óbvia é de que o incremento do valor exportado decorreu integralmente da melhoria nas cotações de alguns poucos produtos da pauta de exportações, porquanto a quantidade exportada não apresentou crescimento. O valor médio da tonelada exportada no 1º quadrimestre aumentou 23% (ver Tabela). Assim o incremento do valor exportado (de 21,8%) ficou mesmo inferior à melhoria média das cotações, o que é outra maneira de dizer que a quantidade exportada se retraiu, no caso em 0,9%.

A segunda limitação é que 93% do incremento do valor exportado no 1º quadrimestre do ano, em relação ao mesmo período do ano anterior, concentraram em 15 produtos e que três produtos (minério de ferro, óleo bruto de petróleo e soja) responderam por ¾ do incremento no valor exportado. No caso do minério de ferro o valor das exportações apresentou expansão de 141,1%, como fruto do incremento de 1,8% na quantidade exportada e da melhoria da cotação do produto em 136,7%.

É uma situação bem distinta do desempenho da soja, que havia sido afetado pela estiagem do ano anterior. O incremento em 26,4% no valor exportado do produto no período resultou de incremento de 14,1% na quantidade comercializada e de 10,8% na melhoria da cotação. Na média dos 15 principais produtos exportados, cujo valor apresentou crescimento de simplesmente 45,2%, a quantidade exportada recuou 0,6%, enquanto a cotação média apresentou elevação de 46,1%. Os demais produtos que compõem a pauta exportadora registraram crescimento de apenas 2,4% no valor exportado.

Perspectivas
O desempenho exportador do Brasil permanece muito dependente do comportamento de um número muito restrito de produtos básicos ou semimanufaturados. A melhoria momentânea nas cotações de tais produtos no mercado mundial traz um alívio importante, mas não há segurança de que eles vão continuar se valorizando. Com essa vulnerabilidade, oscilações nas cotações decorrentes de mudanças nas perspectivas de crescimento da China e de alguns outros mercados essenciais fazem toda a diferença no desempenho exportador do país, enquanto a evolução da taxa de câmbio continua sendo determinada mais pelos fluxos financeiros e por seu impacto sobre os preços internos do que a partir de considerações sobre a competitividade das nossas exportações. Não vai ser ainda dessa vez que o Brasil vai voltar a contar com novo surto de crescimento impulsionado pelo drive exportador.
 

Tabela: Taxa de crescimento das Exportações dos Principais Produtos no Quadrimestre janeiro-abril de 2017 em relação a igual período de 2016 (em %)


 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 


Coluna Afonso Nascimento
Com.: 0
Por Kleber Santos
07/05
14:39

A greve dos aguadeiros

José Lima Santana
Professor da UFS

Meados da década de 1960. Naquele tempo, não tinha água encanada na cidade de Brejo das Almas. Promessas, sim, choviam. Prefeito após prefeito, todos prometiam colocar água encanada na cidade que crescia a olhos vistos. Ali estavam instalados importantes estabelecimentos comerciais, indústrias de descaroçar algodão e de curtir couros e peles. Banco do Brasil, Coletoria Federal, IBGE e muito mais. 

A população era abastecida pelos aguadeiros, que faziam uso de jumentos portando quatro ancoretas, que eram pequenos barris onde a água das fontes do Brejo do Padre era levada para as casas e todo tipo de estabelecimento. Os aguadeiros eram Tito de Bernardino, Gurungu Alemão, Filipinho, Totonho de Zé Coveiro, Belchior de Maria Preta, Zominho Bicudo, Elias de Adolfo, Irmãozinho do Cafofo, Lenço Branco, Manezinho Coice de Jegue e Anselmo de Dioclécio. Esqueci algum? Não sei. 

Os aguadeiros tinham suas freguesias. Eles botavam água a semana toda e recebiam a paga no sábado, na boquinha da noite. Pois bem. Naquele primeiro sábado de janeiro, quando fazia o maior calor, tudo estando esturricado tal era o verão daquele ano, os aguadeiros comunicaram aos seus fregueses que estariam em greve a partir da segunda-feira. A cidade entrou em polvorosa. Não daria para ficar sem água. E onde já se ouvira dizer que aguadeiros entravam em greve? Eles comiam porque botavam água para quem pudesse pagar. Em greve, passariam fome. Foi como pensou o povo besta da cidade, acostumado a pagar para ter conforto. 

O líder da greve anunciada era Totonho de Zé Coveiro. O prefeito mandou logo chamar o subalterno, pai do líder do movimento grevista. Ou o pai mandava o filho acabar com o movimento sem pé nem cabeça, ou iria para o olho da rua. Zé Coveiro ainda argumentou que o filho Totonho era maior de idade e casado, logo, não se sujeitava mais às suas ordens. O prefeito, porém, retrucou: “Tu é o pai. Na minha casa, da mulher ao cachorro, quem manda sou eu, viu? Tu faça a mesma coisa. Chame seu filho na chincha e bote freio na língua dele. É isso ou rua!”. 

Zé Coveiro viu-se acuado. Tinha votado no prefeito nas três vezes que ele se candidatou, ganhando todas. A família dos Gomes Lima não desviava um voto. Era nele que todos votavam. Naquele momento, o prefeito o deixou agoniado. Totonho e seus companheiros tinham razão em fazer greve. A carga de água custava Cr$ 5,00 (cinco cruzeiros). Barata demais. Os aguadeiros queriam aumentar para Cr$ 7,00 (sete cruzeiros). A proposta fora apresentada um mês antes, mas o povo se recusou pagar mais caro do que estavam pagando. O preço cobrado era o mesmo de cinco anos atrás. Não dava mais!

O coveiro José Benildes dos Santos nem teve coragem de conversar com o filho. Para quê? Não! Ele não faria aquilo. O filho estava coberto de razão. Ele e os outros aguadeiros. Cada um tinha a sua família para dar de um tudo. Pedir para que eles fizessem o gosto dos fregueses? Estava fora de cogitação. 

Werneck Figueiredo, o maior fazendeiro da região, dono de terras sem fim e gado da melhor qualidade, sem falar na imensa quantidade de bovinos, gritou no bar de Jovino Perneta que os aguadeiros deveriam ir para a cadeia. Aquilo de fazer greve era um caso de polícia. Ele mesmo falaria com o tenente Geraldo Peixoto, delegado de polícia. Pediria para prender a corja toda. Para meter o sabre no lombo de cada um deles. Cobrar Cr$ 7,00 (sete cruzeiros) por uma carga de água, que eles não compravam. Era só encher as ancoretas nas fontes do Brejo do Padre e pronto. A água era abundante. Aumentar a água...! Um desaforo. Um roubo! 

A carne de boi tinha aumentado. Os fazendeiros aumentaram o preço da arroba da carne. Os marchantes chiaram, mas não tiveram o que fazer. Repassaram o custo para os consumidores. Ora, os fazendeiros podiam ganhar em cima dos pobres, mas alguns destes não podiam ter um ganho melhor, tantos anos depois do último aumento da água? Os poderosos mandavam. Os pobres se ferravam. 

O domingo foi tenso na cidade. Haveria greve ou não, a partir da segunda-feira? Os aguadeiros fecharam questão. Totonho de Zé Coveiro fez uma reunião com os companheiros de profissão. Todos compareceram. A reunião foi no salão paroquial. O padre Maurício Moreira fez questão de estar presente. Ele apoiava o movimento. 
Beatas e benfeitores da Igreja Matriz agoniaram-se. Então, o padre, novato ali, era do tipo comunista? Uma comissão iria ao Bispo, denunciá-lo. Nunca que monsenhor Castro, o pároco anterior, que ali funcionou por vinte e oito anos, que Deus o tivesse em sua glória, ficaria do lado de grevistas. Mas, o novato estava contaminado por um tal de Concílio, que estava virando a cabeça de padres e freiras. A Igreja estava perdida com aquele tipo de gente. O mundo estava perdido. Eram muitas novidades de uma vez só. 

Werneck Figueiredo esperaria o tenente, na delegacia. Ele chegaria segunda-feira, cedinho. Greve era caso de polícia, sim. Chibata e xilindró amansavam qualquer grevista. A peia era um santo remédio. 

Deveras, por volta das sete horas e meia da manhã, o tenente Peixoto chegou dirigindo o Jeep azul da delegacia. Werneck já estava lá. O fazendeiro contou o que estava ocorrendo com os aguadeiros e pediu enérgicas providências. O delegado, porém, disse que achava justa a reivindicação de aumento da carga de água. Aliás, ele mesmo já pagou os Cr$ 7,00 (sete cruzeiros), desde o começo da semana finda. Werneck, sogro de desembargador, subiu nas tamancas. Iria à capital, para falar com o genro. O delegado teria que ser mudado de lugar. Era mais um comunista a ter que prestar contas ao governo dos militares, que estavam consertando o país. Comunistas não tinham mais vez. 

Por volta das oito horas, Zé Coveiro chegou à Prefeitura. Foi ao gabinete do prefeito. Entregou-lhe as chaves do cemitério. “Prefeito, a partir de hoje, eu não sou mais funcionário da Prefeitura. Arranje outro coveiro. Eu comprei um jegue com ancoretas. Agora, eu sou aguadeiro como meu filho Totonho. E também sou grevista”. O prefeito deu um pinote na cadeira: “Até tu, Zé Coveiro? Até tu é comunista? Por esta hora, deve ter defunto se revirando no caixão, debaixo dos sete palmos. Só me faltava esta: um coveiro comunista. Tu era bem capaz de querer enterrar defunto vestido de vermelho!”. 

Foi assim que o coveiro José Benildes dos Santos virou aguadeiro. E a cidade ficou sem coveiro por uns dias. A greve foi deflagrada. A cidade ficou sem água. Uns valentões de meia tigela quiseram pegar os aguadeiros. O delegado manteve a ordem. A carga de água subiu para Cr$ 7,00 (sete cruzeiros). O prefeito mandou chamar de volta Zé Coveiro. Este, contudo, estava bem como aguadeiro. Conhecido como era, fez, logo, boa freguesia. Houve, porém, quem não quisesse comprar água ao ex-coveiro: “Beber água trazida por mãos que enterravam defuntos? Nem pensar! As mãos dele são nojentas. Não há água nem sabão que tire a inhaca que estão nelas acumulada”, dizia-se. 


Coluna José Lima
Com.: 0
Por Kleber Santos
Primeira « Anterior « 5 6 7 8 9 10 11 12 13 » Próxima » Última

Enquete


Categorias

Arquivos