21/06
17:46

Coluna Primeira Mão

Professores receberão salários com cinco dias descontados por causa da greve




Os professores da rede estadual de ensino receberão seus salários do mês de junho com ujm desconto de cinco dias.  Isso corresponde ao período inicial de decretação da ilegalidade da greve. Os  18 dias deste mês devem ser descontados em julho. Os salários serão pagos nos três ou quatro últimos dias deste mês, conforme apurou o blog. 




Nomeação estranha – Por quê será que JB nomeou Italo, de Eloy?



O Governador Jackson Barreto assinou o decreto de nomeação de Ítalo Bruno Araújo Fonseca para um CC de assessor técnico-operacional da Secretaria de Estado da Casa Civil sem ler e, por isso, sem saber ao certo o que teria feito. Teria sido uma armação de algum auxiliar? É isso que tem muita gente pensando e comentando por aí. E acrescentam: quando percebeu o que aconteceu, Jackson de imediato tornou sem efeito o decreto. A portaria que anula o decreto foi assinada no dia 18 e publicada na sexta-feira, 19, no Diário Oficial do Estado de Sergipe. Ítalo Bruno Araújo Fonseca é enteado do delegado de polícia civil e ex-secretário de Estado da Segurança Pública, João Eloy,. O jovem comissionado e descomissionado logo em seguida foi indiciado por porte ilegal de arma de uso restrito e por usurpação de função pública, quando foi preso em flagrante com armamento pesado em veículos da SSP fazendo abordagens da Praia de Atalaia. O ato do governador obteve uma grande repercussão nas redes sociais. Mas ainda muita gente se pergunta: o que teria motivado JB a assinar o decreto de nomeação? O de desnomeação todo mundo sabe: foram as queimações na internet.



Aumento do ICMS sobre a energia mobiliza empresários



A semana passada foi marcada também pela divulgação do projeto do governo do Estado aumentando de 17% para 25% o ICMS sobre o uso de energia, o que eleva os gastos das empresas, principalmente das indústrias. Os empresários dizem que estão sendo sufocados, pois já vinham pagando a elevação entre 42% e 60% no valor da energia por determinação do governo federal. A Federação da Indústria busca audiência com os deputados e com o governador para rediscutir o aumento. Logo que tomaram conhecimento da iniciativa do governador Jackson Barreto, o empresariado engatilhou um programa de demissões imediatas para a superação do arrocho. No decorrer desta semana, será possível a abertura dos canais de negociação com os deputados estaduais (o projeto já está na Assembléia Legislativa) e com o governo. No que vai dar, ninguém sabe. Mas os empresários avaliam que o governador JB busca aliviar a crise do governo ampliando a crise no segmento empresarial.



Deputados vivem momentos de tensão por causa da subvenção



Ainda que tudo caminhe para responsabilizar a então presidente da Assembleia Legislativa, Angélica Guimarães, hoje conselheira do Tribunal de Contas de Sergipe (TCE/SE), e o seu então secretário Adelson Barreto, que eram ordenadores de despesa como dirigentes da mesa diretora da Casa, os demais deputados estaduais do mandato 2010 a 2014, mostram-se visivelmente tensos. Eles se articulam politicamente, fazem consultas a advogados e preferem não falar sobre o tema subvenção e o golpe sujo que aplicaram nos sergipanos quando destinaram dinheiros para ONGs envolvidas na malandragem e pegaram parte do dinheiro de volta. Os comentários que circulam nos meios políticos dão conta de que muitos dos parlamentares fazem essa manobra com recursos públicos para poder pagar dívidas contraídas junto a agiotas, que lhes emprestam “grana” para o financiamento das eleições. Diante das denúncias e das investigações, a mesa da Alese suspendeu os repasses dos R$ 34 milhões da subvenção de 2015 e ainda não definiu o que fazer com o dinheiro.

Pedidos de prisão - Pelos comentários que circulam entre advogados que acompanham o caso, pelo menos umas 15 ou 20 pessoas devem ser presas por causa do recebimento uso imoral e ilegal da subvenção.



JB faz caça ao tesouro até nos cofres judiciais



Na sua caça ao tesouro pela sobrevivência do Estado, o governador Jackson Barreto busca a liberação de até 70% dos recursos depositados em bancos por determinação judicial. Há comentários de que estariam à disposição da Justiça R$ 800 milhões e os 70% permitiriam ao governo pegar R$ 560 milhões. Como a questão é de interesse dos advogados, o presidente da OAB-SE, Carlos Augusto Monteiro Nascimento, iniciou estudos da documentação do projeto de lei encaminhado à Assembleia de Sergipe pelo Governo do Estado e que propõe o aumento do caixa do Estado para garantir o pagamento dos servidores públicos, através da utilização do fundo administrado pelo Poder Judiciário. Segundo o deputado estadual Georgeo Passos,que procurou a Ordem para tratar do assunto, disse essa matéria é muito preocupante por que o governo de Sergipe quer uma autorização da Assembléia para utilizar os depósitos referentes a processos judiciais ou administrativos, tributários ou não-tributários vinculados a Justiça Estadual. “Isso nos preocupa por que não temos uma garantia de que esse recurso posteriormente vai retornar e, o vencedor do processo quando for retirar seu dinheiro também não terá essa garantia”, afirmou. O presidente Carlos Augusto disse que toda a documentação recebida será encaminhada para os conselheiros com o objetivo de iniciar uma discussão no âmbito interno da Ordem. “Esse projeto, além de ser deflagrado de forma irregular, viciado, transmitirá insegurança para os jurisdicionados, os advogados e a sociedade de maneira geral. Por isso, diante da urgência que o caso requer e da proximidade da reunião ordinária do conselho, que será na próxima segunda-feira, 22, iremos enfrentar a matéria já nomeando relator para levar seu parecer de voto”, disse.



Queima de fogueiras é uma tradição ruim para o planeta



O Nordeste brasileiro dá uma contribuição de peso para a destruição da camada de ozônio e o consequente aquecimento global com a queima de fogueiras no período junino. Queima- se nas festas de São João e São Pedro, anualmente, uma área de vegetação correspondente à mais da metade do Estado de Sergipe. Mas é muito difícil fazer campanha pelo fim da queima das árvores, que são plantadas justamente para virar cinzas.



Professores da rede estadual encerram greve e voltam às salas de aula nesta 2ª feira



 

Os professores da rede estadual de Sergipe retornam às salas de aulas nesta segunda-feira, depois de um mês em greve. A categoria, liderada pelo Sintese, reivindica um reajuste de 13,01% sobre o valor do piso do magistério. O Governo do Estado, alegando não ter condições para conceder o reajuste, baseado na Lei de Responsabilidade Fiscal recorreu à Justiça, que decretou a greve ilegal.



PM realiza Operação Festejos Juninos nas rodovias estaduais



A Companhia de Polícia Rodoviária Estadual (CPRv), da PM de Sergipe, realiza a partir desta terça-feira, 23, a Operação Festejos Juninos 2015 nas rodovias estaduais. O objetivo da ação é intensificar o policiamento e as fiscalizações nas estradas, buscando reduzir o número de acidentes e aumentar a segurança das pessoas durante seus deslocamentos para os municípios onde serão realizadas as festividades. Nos oito dias de trabalho, a Companhia de Polícia Rodoviária emprega um efetivo diário de 45 policiais, que será apoiado por 15 viaturas equipadas com novos bafômetros, duas motocicletas e um caminhão boiadeiro. De acordo com o planejamento da CPRv, o encerramento da Operação está previsto para o dia 30 de Junho. A expectativa da Companhia é reduzir ao máximo o número de acidentes, frisando que em 2014 a Subunidade registrou oito sinistros, com sete vítimas lesionadas e cinco em óbito.



 

Uma sugestão - Ainda sobre o escândalo da merenda escolar. Por quê não divulgar dos nomes de todas as empresas que disputaram as licitações em todos os municípios de Sergipe e suas respectivas propostas?



Samu poderá paralisar serviços nos festejos juninos



Irritados com a decisão do Tribunal de Contas do Estado de Sergipe (TCE/SE), determinou o retorno das 36h de trabalho para os assistentes de Enfermagem II e condutores de veículos de urgência do Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (Samu), a categoria realizará assembleia nesta segunda-feira, 22, e poderá paralisar as atividades no dia 23De acordo com o presidente do Sindicato dos Condutores do Samu Sergipe, , terça-feira. A assembleia serpa realizada às 7h30 na sede da CUT, em Aracaju.



Servidores do Detran entram em greve dia 25



 

Os servidores do Departamento de Trânsito de Sergipe (Detran) paralisarão as suas atividades a partir do dia 25 de junho em greve que foi aprovada no último dia 20. Um ato está previsto para ser realizado em frente ao órgão a partir das 8h30 no dia em que a greve começa. A categoria está reivindicando um aumento do auxílio alimentação, criação de comissão para estudo e criação do PCCV específico dos servidores, assim como melhoria nas unidades de trabalho e edital de concurso público para 2016. O presidente do Sindicato dos Servidores do Detran (Sindetran), Thiago Bomfim, disse que até o momento não há negociação com o Governo do Estado e lembrou que desde janeiro não foi manifestada uma resposta às reivindicações.



PMA é notificada pelo TCE/SE sobre pregão


 

A Prefeitura Municipal de Aracaju (PMA) deverá suspender cautelarmente o pregão eletrônico nº. 038/2015, cujo objeto é a contratação de empresa especializada em Solução Integrada de Serviços de Telecomunicações. Assim decidiu o Tribunal de Contas do Estado (TCE/SE) na sessão plenária desta quinta-feira, 18, ao acatar como denúncia uma representação da empresa RIX Internet Ltda. Seguindo o voto do conselheiro-relator, Clóvis Barbosa de Melo, a Corte de Contas entendeu que a Prefeitura deveria ter analisado a impugnação do edital apresentada pela empresa no dia 11/06/2015, uma vez que a abertura do pregão estava agendada para o dia 15/06/2015. No entanto, a pregoeira considerou a impugnação intempestiva, ou seja, fora do prazo. Mas segundo o relatório apresentado pelo conselheiro, o artigo 18 do Decreto Federal 5.450/2005 e o artigo 110 da Lei 8.666/93 (Lei de Licitações), estabelecem que o edital pode ser impugnado até o segundo dia que anteceder a abertura da sessão pública. Isso significa que o documento pode ser apresentado inclusive durante o transcorrer do segundo útil anterior ao início da licitação.

 

 



Coluna Eugênio Nascimento
Com.: 0
Por Eugênio Nascimento
21/06
15:33

O Papa Francisco contra a pedofilia

José Lima Santana

“Vida longa ao rei!”, dizia-se (ou ainda se diz?) quando da sucessão imediata de um rei por outro, que acabara de falecer. 

“Vida longa ao Papa Francisco!”, digo eu. Não poucos torcem a cara para Francisco, fora da Igreja Católica, especialmente os ardorosos defensores do capitalismo bruto, e, também, dentro da Igreja, especialmente os ultraconservadores, que ainda sonham com os Concílios de Trento e do Vaticano I, e não aceitam o Concílio Vaticano II, sem compreender, lamentavelmente, que os Concílios se sucedem e procuram avançar sem perder a essência da Palavra, da Tradição e do Magistério. Além dos ultraconservadores, há os “criadores de caso” que, sabe-se lá porque ainda estão na Igreja, dando vexames, causando horrores a inocentes e descumprindo os misteres do Sacerdócio que abraçaram apenas na formalidade, mas não na substancialidade. E dentre esses “criadores de caso” encontram-se aqueles que descumprem frontalmente o princípio e mandamento da castidade da forma mais vil. Estes são, por assim dizer, os perniciosos, isto é, os pedófilos. Pedófilos serão sempre perniciosos em quaisquer lugares e em quaisquer atividades que exerçam. Há pedófilos em todos os cantos, dentro de lares, em escolas, nas ruas etc. Mas não deveriam, por diversos fatores, estar na Igreja. Não! Jamais! 

“Vida longa ao Papa Francisco!”. Que o Espírito Santo o ilumine. Que Jesus Cristo, o Filho Unigênito de Deus, o conduza. Que o Pai Eterno o abençoe com uma vida longa, sadia e frutuosa, para que sua coragem e firmeza na condução da Igreja ponham “a Casa a limpo”.

Na quarta-feira, dia 9 do corrente, o Papa Francisco deu mais uma prova de que a Igreja “em saída”, como ele o disse em sua Exortação Apostólica Evangelii Gaudium, deve buscar os caminhos da origem do Cristianismo. Que busque, pois, a retidão. Que busque a pureza dos ensinamentos de Cristo. Que a hierarquia seja constituída apenas pelos que fazem do Sacramento da Ordem o vestíbulo santo do Templo Sagrado, que é a própria Igreja constituída pelo Verbo Encarnado: “Tu és Pedro, e sobre esta pedra edificarei a minha Igreja” (Mt 16,18).

O Papa Francisco autorizou o julgamento por “abuso de poder” de bispos que eventualmente acobertaram padres denunciados por abuso sexual de menores, como informou a Santa Sé. Já era hora de acabar com o nefasto corporativismo. Bispos em diversas dioceses espalhadas pelo mundo descumpriram seus deveres canônicos. Descumpriram os mandamentos da Boa Nova de Jesus de Nazaré. Padres doentes, que jamais deveriam oficiar no altar do Senhor, que jamais deveriam compor o Corpo Místico de Cristo como ministros ordenados, e que deveriam estar na cadeia, foram acobertados vergonhosamente por seus superiores. “Chega!”, disse o Papa Francisco! “Basta!”, disse o Servo dos servos. 

Os casos serão julgados por um novo Tribunal, uma seção judiciária que estará a cargo da Congregação para a Doutrina da Fé, o braço da Santa Sé para doutrinamento, explicou o porta-voz do Vaticano, padre Federico Lombardi. Segundo ele, os bispos poderão ser julgados se falharam em tomar medidas que preveniriam os atos de abuso. A partir de agora, a Congregação para a Doutrina da Fé será a responsável por julgar os bispos em relação ao delito de “abuso de poder episcopal”. Esse delito foi revisado porque já existia no Direito Canônico, mas agora estão estabelecidos os mecanismos para abordar os casos, completou Lombardi.

A pedofilia é um transtorno de sexualidade, ou seja, transtorno da preferência sexual, reconhecido pela Organização Mundial de Saúde (OMS) como doença, que consiste na preferência sexual por crianças – meninas ou meninos – do mesmo sexo ou de sexo diferente, geralmente pré-púberes (que ainda não atingiram a puberdade) ou no início da puberdade, de acordo com a OMS.  

Entre nós, a pedofilia em si não é crime. Contudo, o Código Penal Brasileiro considera crime a relação sexual ou ato libidinoso (todo ato de satisfação do desejo, ou apetite sexual da pessoa) praticado por adulto com criança ou adolescente menor de 14 anos. O Código Penal, alterado, diz, no Art. 217-A, referente ao chamado “estupro de vulnerável”: “Ter conjunção carnal ou praticar outro ato libidinoso com menor de 14 (catorze) anos: Pena - reclusão, de 8 (oito) a 15 (quinze) anos”.

Normalmente, os pedófilos esperam ser aquinhoados com a inimputabilidade penal trazida pelo artigo 26 do Código Penal, pois para alguns doutrinadores, em minoria, tais indivíduos, como portadores de transtorno da personalidade sexual, fazem jus à inimputabilidade. Porém, a maioria dos doutrinadores, no campo do Direito Penal, inclina-se para reconhecer que a prática da pedofilia (como um tipo de parafilia), apesar de estar intimamente relacionada com o indivíduo que sofre de desvio da personalidade de preferência sexual, não merece o acolhimento da inimputabilidade penal prevista no art. 26 do CP, vez que tal comportamento ali não se enquadra. O pedófilo tem plena consciência dos atos que comete, não exteriorizando qualquer arrependimento pela prática dessa conduta ilícita e amoral. Logo, deve ser contido. Punido. Violência sexual contra criança e adolescente é crime, sim. 

Os pedófilos não escolhem fixamente carreiras profissionais tais ou quais. Eles podem ser encontrados em todas elas. O padre, ou qualquer outro profissional ou vocacionado, por exemplo, não se torna um pedófilo. O pedófilo, ao contrário, pode tornar-se padre ou outro líder de qualquer religião, médico, advogado, professor, motorista, pedreiro, juiz, engenheiro etc. Os pedófilos estejam onde estiverem, na Igreja ou fora dela, acabam sendo criminosos. Devem ser punidos na forma da legislação penal de cada país. Não devem ser acobertados. Na Igreja, o Código de Direito Canônico é claro quando trata dos deveres dos ministros ordenados. Quando cuida dos princípios que cingem as atividades eclesiásticas. Os cristãos católicos, ordenados ou leigos, devem ser sal na Terra, luz do mundo. Devem dar exemplos. E quando não os dão, escandalizam. Comprometem a imagem da instituição pela qual deveriam zelar, para poder servir com dignidade. A Igreja Católica não deve ser vista como um celeiro de pedófilos. A maioria esmagadora de seus ministros ordenados é de servos que não praticam nem concordam com os atos de pedofilia de alguns desvairados.  

Quantos, todavia, na hierarquia da Igreja em todo o mundo, estão em perfeita sintonia com a Igreja “em saída”, tão almejada pelo Papa Francisco? Com a verdadeira Igreja de Jesus Cristo? A Igreja que não tem medo de olhar, frente a frente, a Face do Filho de Deus. Que, por exemplo, não se enclausura no fausto, não condizente com a vida e os ensinamentos do Nazareno. Que não olha diferentemente para os filhos de Deus, ricos ou pobres, negros ou brancos etc. Igreja, sim, que possa acolher a todos como Jesus acolheu, sem, contudo, negar ou desfigurar a Palavra Sagrada, a Tradição e o seu próprio Magistério. Pilares da fé católica. Igreja que não deve acobertar desvios. Uma Igreja sã e de pessoas sadias. 

“Vida longa, sim, ao Papa Francisco!”. 

(*) Publicado no Jornal da Cidade, edição de 21 e 22 de junho de 2015, sob o título “Vida Longa ao Papa Francisco”. Publicação neste site autorizada pelo autor.


Coluna José Lima
Com.: 0
Por Kleber Santos
21/06
15:28

A seca e a safra (2)

Ricardo Lacerda

Os efeitos da estiagem sobre a produção agrícola do Nordeste foram atenuados nos últimos três anos. Os impactos mais duros da seca do Nordeste se concentraram em 2011 e 2012. Em duas das três culturas emblemáticas do semiárido nordestino (milho e feijão), as safras encontram-se em recuperação ou expansão desde 2013. Apenas no cultivo da mandioca a retomada da produção foi postergada para 2014. Ainda assim, extensas áreas da região devem apresentar em 2015 niveis de produção bem inferior aos do perído anterior ao início do período seco.

O impacto da seca foi mais agudo e mais duradouro nos estados do Ceará, Rio Grande do Norte, Paraíba e Pernambuco. Foi menos intenso e terminou mais cedo nos estados situados nos extremos da região Nordeste.

O estado do Maranhão não possui nenhum município integrante da sub-região do semiárido nordestino e foi relativamente pouco atingido pela estiagem. A Bahia e o Piauí foram fortemente impactados pela estiagem nas porções dos seus territórios que fazem parte do semiárido mas as safras estaduais não caíram tanto porque as áreas de cerrados, o Sul do Piauí e o Oeste da Bahia, são grandes produtoras agrícolas e não foram atingidas.

Nos casos de Sergipe e Alagoas, a estiagem teve forte impacto na produção agrícola mas o seu período mais agudo foi relativamente mais curto do que na maioria dos estados da região. As quantidades produzidas das três culturas em Sergipe e Alagoas apresentaram recuos muito acentuados nos primeiros anos de estiagem, notadamente em 2011 e 2012, mas nos anos seguintes os efeitos foram muito atenuados, como indica a forte retomada da produção do milho e do feijão nesses estados (Ver gráficos 1, 2 e 3).

Semiárido
As perdas de produção foram especialmente elevadas nos municípios integrantes do semiárido nordestino. Na comparação com o ano anterior, as quantidades produzidas de milho, feijão e mandioca despencaram no semiárido nordestino em 2012. As perdas foram especialmente elevadas no cultivo de feijão, cuja quantidade produzida encolheu 81%. Nas áreas semiáridas do Ceará, Rio Grande do Norte, Paraíba e Alagoas as quebras da produção naquele ano ultrapassaram 90%.

A produção de milho recuou 2/3 no semiárido. Nesses mesmos estados, a queda na safra de milho no semiárido em 2012 ultrapassou 80%. No Ceará, Paraíba e Pernambuco, a produção de milho permaneceu rebaixada até 2015, enquanto no Rio Grande do Norte e Alagoas o cultivo apresentou forte retomada nos anos mais recentes (ver Gráficos)
A queda na produção de mandioca do semiárido em 2012 foi de cerca de 1/3. A produção de mandioca do semiárido alagoano ainda resistiu em 2012, somente despencando em 2013.

A redução da safra de mandioca no semiárido sergipano foi menos acentuada do que na maioria dos estados da região. Em 2013, a produção do semiárido sergipano era 17% menor do que em 2011, enquanto no semiárido piauense caíra 78%, nas áreas de semiárido potiguar, 76%, e nas da Bahia, 56%.

Ainda vai ser necessário aguardar a publicação de dados mais pormenorizados para avaliar a situação real da produção agrícola no semiárido nordestino. Com as informações disponíveis, é possível inferir que em uma parcela muito ampla do seu território, principalmente as áreas do semiárido entre Ceará e Pernambuco, as principais culturas agrícolas permanecem com níveis de produção muito rebaixados. Nos demais estados que possuem municípios que integram o semiárido (Piauí, Bahia, Sergipe e Alagoas), ainda que as safras das três culturas examinadas tenham apresentado forte recuperação nos anos recentes, há ainda áreas em que os efeitos da estiagem não cessaram inteiramente.



Professor do Departamento de Economia da UFS e Assessor Econômico do Governo de Sergipe.
Artigos anteriores estão postados em http://cenariosdesenvolvimento.blogspot.com/
 


Coluna Ricardo Lacerda
Com.: 0
Por Kleber Santos
21/06
12:13

A danada da cachaça

Clóvis Barbosa
Blogueiro e conselheiro do TCE/SE

Noventa anos nos distanciam de “O Encouraçado Potemkin”. Gravada em 1925, a obra de Eisenstein retrata a rebelião de marinheiros russos aos quais se ofereceu comida estragada. Tudo se deu em 1905, quando um cachaceiro governava a Rússia: o czar Nicolau II. Atracado no Mar Negro, mais precisamente na Baía do Tendra, o encouraçado protagonizou a gênese de uma série de rebeliões que resultaria na Revolução Russa de 1917. Vinculada à revolta dos militares soviéticos estava a insatisfação das massas, que, também em 1905, encaminharam-se até o Palácio de Inverno de Nicolau, sob o comando de um sacerdote (o padre Gapone), no sentido de entregar ao monarca um como que de manifesto, reclamando a observância de direitos civis, a exemplo da jornada de trabalho, sufrágio universal, salário mínimo, etc. A manifestação contou com algo em torno de duzentas mil pessoas. Termo da passeata: mais de noventa mortos, entre homens, mulheres e crianças. A lente de Eisenstein fotografou o massacre dos populares, que se eternizou como “domingo sangrento”, dando ênfase à cena da “escadaria de Odessa”, tocante principalmente pelo fuzilamento de duas mães, uma das quais conduzia um carrinho de bebê. Em “Os Intocáveis” (1987), Brian De Palma imitou, sem êxito, Eisenstein, na cena da mãe que larga o carrinho com o neném. De qualquer maneira, entre ambas as obras cinematográficas imperam duas tênues similitudes: em primeiro lugar, os intocáveis combatiam o crime; o povo de Odessa, o totalitarismo, que não deixa de ser uma transgressão. Em segundo lugar, os intocáveis enfrentavam Al Capone, mafioso que vendia cachaça durante a lei seca, instituída pela 18ª emenda à constituição americana; o povo de Odessa, Nicolau, o déspota, não um contrabandista de cachaça, mas um autêntico cachaceiro. O povo de Odessa morreu lúcido. Especialmente, com lucidez cívica. Mas, civismo e civilidade não são ingredientes muito comuns aos cachaceiros. Cachaceiros, efetivamente, gostam mesmo é de cachaça, pois são pusilânimes quando sóbrios, mas valentes quando ébrios.

A história da cachaça é a história da bagaceira. Estudiosos afirmam que ela nunca gozou de muito prestígio. Seu consumo sempre foi ligado a escravos e miseráveis. Na Rússia de Nicolau II, um fraco, a cachaça, que por lá é chamada vodka, produz-se a partir de centeio. Na Arábia Saudita, Índia, Egito e Grécia ela é feita de grãos de cereais e é chamada de arak. Do sul da cidade de Bordeaux, na França, até as montanhas dos Pirineus, na divisa com a Espanha, elaborada a partir de um vinho branco de uvas nascidas em solo arenoso, é conhecida como armagnac. Em Portugal, chamada de bagaceira, ela é obtida da destilação direta do bagaço de uva fresca. Na região francesa da Normandia, com o nome de calvados, ela nasce do mosto da maçã, destilada duas vezes e envelhecida por dois anos. Na Holanda, com o nome de genever (genebra aqui no Brasil), ela é seca e perfumada, feita de uma mistura do álcool de malte, cevada e milho, adicionada a raiz de alcaçuz, cascas de limão ou laranja, erva-doce e canela. Exportada para a Inglaterra, lá é conhecida como gim. Já a cachaça brasileira vem da cana. O nosso querido advogado Sobral Pinto certa vez disse que “Quando o Brasil criar juízo e se tornar uma potência mundial, será a cachaça e não o uísque, a bebida do planeta”. Para se ter uma ideia da importância da cachaça no Brasil, Belo Horizonte, por exemplo, realiza todos os anos o “Festival Nacional da Cachaça”. A “Confraria do Copo Furado”, criada em Ipanema no início dos anos de 1990, no Rio de Janeiro, tem bandeira, símbolos, hino, rituais, linguagem, comportamentos e registros próprios. São os protetores da confraria, registrados em ata, São Benedito e o poeta Tom Jobim. Hoje, funciona, também, a Academia Brasileira da Cachaça (ABC), nos moldes da Academia Brasileira de Letras (ABL), com fardões, reuniões - onde o chá é substituído pela cachaça de alambique, como “orgulho e patrimônio brasileiros” - mesmo número de cadeiras, patronos, etc. O seu patrono-mor especial é o compositor da velha guarda da escola-de-samba Mangueira, Carlos Cachaça. A Academia é formada por quarenta confrades, trinta homens e dez mulheres.

Tirante o aspecto folclórico - e até degustativo - a cachaça é apreciada por grande número de pessoas. O intrigante é que ela, de tão associada que está à esculhambação, terminou por ver sua matéria-prima atrelada à noção de cadeia. Daí, dizer-se “entrar em cana”. É, parece que cachaça é um troço do diabo. Até porque, muitas vezes, ela é usada para a prática de malfeitos. Quando Cristo se apresentou a Herodes, o governante estava “cheio de cana”, tal qual Nicolau II. Deu no que deu. Massacre na Rússia. Crucificação em Jerusalém. Nicolau II também era antissemita. Todo cachaceiro gosta de tachar os outros com algum epíteto depreciativo. Os nazistas, quase todos cachaceiros, referiam-se aos judeus valendo-se do adjetivo “imundo”. Já outros cachaceiros se deliciam com o adjetivo “picareta”. Complicado saber qual o pior. Os cachaceiros alemães, que denominam a bebida como kirsch, prenderam os judeus em Auschwitz-Birkenau, Bergen-Belsen, Dachau, Mauthausen, Treblinka, etc. Mas, se o massacre de Odessa não espezinhou a ideologia do povo russo, o que dizer de umas garrafas de cachaça?! Se o nazismo não dizimou a nobreza do povo judeu, o que dizer de umas garrafas de cachaça?! A cachaça só acaba com um tipo de gente: os cachaceiros. A cachaça é uma coisa tão miserável que o direito penal cunhou a expressão actio libera in causa para designar, por exemplo, o estado de quem se põe bêbado para delinquir, na expectativa de não ser censurado. Pois bem, “vai em cana” do mesmo jeito. Em alguns casos, isso é até agravante, conforme já decidiu, em 2003, a 5ª Turma do TRF da 2ª Região, através de voto do desembargador federal Antônio Ivan Athié: “Independentemente de se cuidar aqui da famosa teoria da actio libera in causa, o que se verifica é um ato em que a própria bebida, em tese, pelo menos, não exclui a responsabilidade e nem o dolo, podendo até agravar”. Como se percebe, o direito também não gosta dos cachaceiros. Há uma sentença latina que diz: “vinum saepe facit quod homo neque ‘bu’ neque ‘ba’ scit”, ou seja, “o vinho age de tal modo que o homem não sabe nem ‘bu’ nem ‘ba’”. 

Somos nordestinos. Dentro da liturgia cultural destas bandas, temos o acanalhado vezo de conferir a qualquer bebida etílica o esculhambado e vulgar epíteto de “cachaça”. José bebe vinho? A coisa se amesquinha. Ele toma é cachaça. O aperitivo de João é um whiskyzinho? Lá vai o infame pra vala comum. Biriteiro! E o pior, se Antônio estiver na curtição da verdadeira cachacinha, aí é que o achincalhe ganha tônus. “Antônio? Está é cheio de cana”. Ninguém poupa o plantel dos cachaceiros. Nem eles mesmos. É uma tribo antropofágica. O cabra, com uma cerveja na mão, quando pensa em tirar o escalpo do desafeto, logo entoa: “Quem? Aquele pulha? Cachaceiro!” Macaco não repara o rabo. E cachaceiro não espia o copo. A cachaça só enxergou duas passagens em que a absolveram: as Bodas de Caná, onde Cristo transformou água em vinho, e a Última Ceia, onde o vinho simbolizou seu sangue. Nas próprias escrituras, porém, exemplos de avacalhação e vinho pululam. No gênesis, há dois que inspirariam o papa a redigir uma encíclica sobre os desalentos da cachaça. O primeiro está ali onde Noé, após cultivar uvas e produzir vinho, se embriagou (nordestinamente: “se encheu de pau”). Bêbado, ficou completamente nu (isso, na altura dos seus seiscentos anos). Espetáculo digno da pequena loja dos horrores. Um velho, muxibento e cachaceiro, exibindo a trouxa desavergonhadamente. O filho caçula flagrou o atentado e clamou pelos irmãos mais velhos, que socorreram o patriarca. Estes, de costas, certamente para não se assombrarem, foram na direção do ancião com um lençol, a fim de cobri-lo e conduzi-lo à tenda, onde curou a cachaça. Mas, como nada de bêbado tem dono (nem o juízo), Noé esconjurou o filho mais novo, porque este o viu despido. O segundo e voluptuoso episódio se dá quando as filhas de Ló, sob a desculpa de que não deixariam o velhinho sem descendência, propuseram arrepiante ardil. O cenário é a pós-destruição de Gomorra. Foragidos, Ló e filhas homiziaram-se numa caverna, na região montanhosa de Jerusalém, onde hoje se encontra o Mar Morto.
 
À noite, embebedaram o pai e, no ápice de sua suposta inconsciência, tiveram relações sexuais das quais saíram embuchadas. Garantiram prole a Ló, num contexto de chocar a menos carola das beatas. Pois bem, não é que cachaça e política se assemelham?  Ambas, quando não recebem bênção divina - exemplos da Santa Ceia e das Bodas de Caná - ou desnudam e expõem o camarada ao ridículo (que ainda amaldiçoará alguém), ou outorgam prazer num quadro de promiscuidade (fossem só esses os esculachos). O povo (sempre ele), todavia, é quem sai gozado no final. Aliás, tem um verso popular do interior sergipano, do século XX, que diz assim: “São Benedito / é santo preto / ele bebe cachaça / e ronca no peito. / São Benedito / é negro de raça, / ele toca pandeiro /e bebe cachaça”. Paciência! Mas, Bertolt Brecht, em Histórias do Sr. Keuner, preleciona que “o que é sábio no sábio é a postura”. Segundo Brecht, não interessa o objetivo daquele que não tem postura. Um cachaceiro não tem postura. Quando age, fá-lo sem postura. Mal fica de pé. Malgrado tudo isso, os cachaceiros se acham os melhores. E, citando novamente Brecht, um dia indagaram de um, que se achava o “melhor”, qual seria seu próximo passo. A resposta foi: “Tenho muito o que fazer. Preparo meu próximo erro”. É só esperar para ver.

Clóvis Barbosa escreve quinzenalmente, aos domingos.


Coluna Clóvis Barbosa
Com.: 0
Por Kleber Santos
19/06
21:29

Sergipano se classifica para o Mundial de Kickboxing na Irlanda


Com quatro medalhas de ouro, três de pratas, quatro de bronze e uma vaga para o Mundial, o Estado de Sergipe foi bem representado na 25ª edição do Campeonato Brasileiro de Kickboxing, que ocorreu entre os dias 4 e 7 de junho, em Maringá, no Paraná. As 11 medalhas credenciaram a delegação sergipana a conquistar a 10ª colocação de um total de 13 estados, sendo que Sergipe foi a menor em quantidade de atletas, seis lutadores e um técnico. Destaque para o Williames Chacal que conquistou o ouro no Full Contact (81kg) e uma vaga para o Mundial WAKO, da etapa da Irlanda, em Dublin.

 “A cada ano o Campeonato Brasileiro vem aumentando o nível técnico. Além disso, a quantidade de atletas tem aumentado, mesmo sendo longe como foi esse ano. Foram cerca de 900 atletas na disputa”, disse Chacal, que ainda conseguiu o bronze, na modalidade Light Contact (79kg). Apesar do bom desempenho e da vaga garantida para lutar na capital irlandesa, o lutador teme não poder participar visto que não tem nenhum patrocínio e teve que custear as despesas para o Brasileiro. “A participação no Mundial só será possível com o apoio do Governo e do Município, ou empresariado local. Um título com reconhecimento nos cinco continentes só vem elevar o Estado no cenário nacional, Internacional e na região do Nordeste”, argumenta Chacal, que é presidente da Federação Sergipana de Kickboxing (FSKB).

Mais dois lutadores não têm patrocínio e arcaram com tudo do próprio bolso: Davi Bittencourt, ouro na modalidade Low kick (57kg) e Lougan Raphael, medalha de bronze no Low kick (71kg). Os outros atletas medalhistas foram Jhonatan Teles, com dois ouros, um na Point Fight (63kg) e na Light Contact, além de uma prata na Full Contact (63,5kg); Igor Danilo que obteve duas pratas: Full Contact (91kg) e Light Contact (89kg); e Ramon Rosendo que conquistou duas medalhas de bronzes: K1 rules (67kg) e Light Contact (69kg).
 
Além de classificar os atletas para o Mundial, o Brasileiro serve de ranking nacional por atleta e estado e é usado o mesmo para se classificar para Copa Brasil que acontecerá entre os dias 9 e 12 de outubro no Rio de Janeiro. E daí, sairão os classificados para o Sul-Americano em dezembro deste ano, em Santiago, no Chile.

O presidente da FSKB, Williames Chacal, ficou satisfeito pelo resultado obtido no Brasil e enfatiza que tem tido muita dificuldade, mas faz tudo com profissionalismo. “O trabalho está sendo feito aos poucos com transparência e continuo desde 2012. Venho preparando terreno para uma nova geração de kickboxing”, garante. “Estamos atuando e dando apoio administrativo nos municípios como Estância, Itabaianinha, Boquim e Tobias Barreto”, diz o presidente, acrescentando que na capital conta com seis equipes atuantes e há 9 anos desenvolve um trabalho social no projeto Escola Aberta do Governo Federal.

“A federação vem passando por grandes mudanças, buscando a excelência na formação de seus alunos, instrutores e professores, supervisionado diretamente pela Confederação Brasileira de Kickboxing (CBKB), sob a presidência do mestre Paulo Zorello”, diz Chacal, que agradece as secretarias de esporte, aos meios de comunicação e colaboradores. Mais informações através dos números: (79) 9165-0357 (WhatsApp) e 9800-2817.


Esportes
Com.: 0
Por Kleber Santos
19/06
20:39

Duda sagra-se bicampeã mundial escolar de Vôlei de Praia

As sergipanas Duda e Cinthia sagraram-se campeãs do Mundial Escolar de Vôlei de Praia, ao vencerem as gêmeas israelenses Katrina e Kristina Zilberman, por 2 sets a 0 (21 a 16 e 21 a 8), nesta sexta-feira (19), na Arena Aracaju. Com o título conquistado em Aracaju, Duda tornou-se bicampeã mundial, por ter vencido o mesmo torneio em 2013, em parceria com Carol, na Itália. As brasileiras foram soberanas, ao ganhar as sete partidas sem terem perdido um set.

Sobre o jogo, apesar do início do primeiro set bem disputado, na reta final, Duda/Cinthia conseguiram se distanciar e fechar o set em 21 a 16. No segundo set, o domínio foi do começo até o fim. “No primeiro set, elas colocaram 11 a 10, mas depois conseguimos conciliar o jogo no saque e vencer. No segundo set, uma das meninas de Israel passou mal, voltou para o jogo, e conseguimos vencer”, comentou Duda, de 16 anos, que fechou a partida com um ace. “Estou muito feliz porque tudo deu certo”, completou.

Um dos momentos mais emocionantes depois da vitória foi quando Cinthia se ajoelhou na quadra de areia e começou a chorar. “A emoção de ganhar um campeonato não dá para explicar, ainda mais um Mundial, no Brasil e no meu estado. Contei com a ajuda da torcida, da minha técnica, da minha parceira e não apenas Duda, mas também Rita, que estava no banco. Tudo isso foi suficiente para me botar para cima e a gente ganhar o jogo”, disse Cinthia, de 18 anos. 

Duda que em Aracaju fez o seu último mundial como escolar, disse que se sente realizada. “Hoje me sinto realizada como atleta. Vencer fora do estado é importante. Mas nada como uma vitória na sua terra, com a torcida te dando todo apoio. É uma emoção indescritível”, disse a bicampeã mundial.

A técnica da dupla, Cida Lisboa, que também é mãe de Duda, comemorou o feito das duas pupilas. “Esse papel de técnica não é feito apenas nesse campeonato, mas que temos feito há anos, um trabalho árduo com estas meninas, de dia e à noite, com sol escaldante, mas isso é prazeroso”, disse Cida, que já tem na cabeça as próximas competições de Duda. “Quinta-feira, viaja para o Brasileiro Sub-21, no Rio de Janeiro, e quando terminar, domingo, vai jogar o Brasileiro Sub-23 e o Adulto, em Vitória-ES”.

Retrospecto 
O caminho da dupla Duda/Cinthia até o título passou por sete jogos. Na estreia, venceu as chinesas B por 2 sets a 0 (21 a 17 e 21 a 17), depois ganhou das chinesas A por 2 sets a 0 (21 a 3 e 21 a 6), superaram a equipe do Brasil B por 2 sets a 0 (21 a 12 e 21 a 21 a 8), passaram por cima do Paraguai por 2 sets a 0 (21 a 10 e 21 a 11), no quinto jogo se deu bem sobre a Polinésia Francesa por 2 sets a 0 (22 a 20 e 21 a 14), na última rodada da fase venceram as israelenses por 2 a 0 (21 a 8 e 21 a 13), e a final diante das mesmas israelenses por 2 sets a 0 (21 a 16 e 21 a 8).


Esportes
Com.: 0
Por Kleber Santos
19/06
09:55

Balneabilidade - Dez praias devem ser evitadas durante essa semana

Mesmo com a chegada do Inverno, estação possibilita a ocorrência de fortes chuvas e com maior reincidência de precipitação, a  balneabilidade no Sergipe – que cita a qualidade das águas de praias e rios utilizados para banho e recreação -  não sofreu grandes modificações por esse específico fator climatológico.

Mas é nesse período chuvoso que ocorre o maior índice de contaminação das praias. Conforme relatório semanal divulgado na manhã de hoje, período de 18 a 24 de junho, emitido pela Gerência de Avaliação e Monitoramento Ambiental da Administração Estadual do Meio Ambiente (Geama|Adema), dos 28 locais monitorados pelo órgão ambiental, dez deles  não apresentam condições adequadas para o banho.


Conforme explica o gerente do Geama da Adema, Péricles Azevedo, diversos fatores incidem sobre condição que pode caracterizar um local como “impróprio” para banho.

“Uma diversidade de ocorrências podem influenciar na qualidade das águas, dentre elas: chuvas, ligações clandestinas de esgotos à rede de escoamento de águas pluviais, presença de animais no entorno, disposição inadequada de resíduos sólidos e regiões de grande adensamento urbano. O estudo para essa classificação leva em consideração os padrões de qualidade da água, definidos pelo Conselho Nacional do Meio Ambiente (Conama), por meio da resolução 274/2000”, explicou Péricles.

Segundo ainda destaca, é no período chuvoso que a  contaminação das águas das praias tem a perspectiva de aumentar. “As ligações clandestinas de esgotos, somadas ao carreamento de resíduos de origem doméstico/sanitário são  feitos diretamente nas galerias pluviais, que por sua vez desemboca  no mar ou em rios. Essa ocorrência é a principal razão da alteração da balneabilidade no período chuvoso”, justifica Péricles.

Segundo relatório da Adema, as seguintes praias estão impróprias para banho:

Praia do Bonanza (em frente ao Hotel Parque dos Coqueiros) - Aracaju

Prainha de Neópolis (Rio São Francisco em frente a Orla) - Neópolis

Praia de Atalaia Nova (em frente ao farol da barra) - Barra dos Coqueiros

Praia do São Pedro Pescador (Rio Cotinguiba) – N, Srª de  Socorro

Prainha de Propriá (Rio São Francisco) - Propriá

Praia dos Artistas (Coroa do Meio em frente ao novo Farol) - Aracaju

Prainha da Adutora (Rio São Francisco) - Telha

Prainha do Areal, Rio Santa Maria/no povoado São José - Aracaju

Praia do Bico do Pato, 13 de julho, (em frente ao Shopping Riomar) - Aracaju

Prainha do povoado Saúde (Rio São Francisco) - Santana de São Francisco

De acordo com o monitoramento, os demais 18 pontos (rios e praias) do Estado de Sergipe estão liberados para banho e atividades esportivas.

Consulte a Balneabilidade das praias sergipanas através do site da Adema: www.adema.se.gov.br



Variedades
Com.: 0
Por Eugênio Nascimento
19/06
07:58

Luciano Bispo entrega reforma do Palácio Fausto Cardoso


Palco de embates que marcaram época na política sergipana, o Palácio Fausto Cardoso volta a fazer parte das atrações turísticas que formam o conjunto arquitetônico do centro da capital. O prédio que abriga a Escola do Legislativo estadual foi totalmente reformado. A obra de restauração foi inaugurada nesta quinta-feira, 18, pelo presidente da Assembleia Legislativa, deputado estadual Luciano Bispo. O projeto, que inclui a compra de mobiliário e equipamentos para a escola, custou R$ 4,8 milhões.
 
De arquitetura clássica e colonial, tombado pelo Patrimônio Histórico, o Palácio Fausto Cardoso já foi conhecido como palacete da Assembleia Provincial. Por muitos anos abrigou a sede do parlamento estadual, grandes nomes da política sergipana passaram por sua tribuna. Atualmente é sede da Escola do Legislativo, do memorial deputada Quintana Diniz e abriga o auditório Deputado Francisco Passos.
 
Tocada pelo restaurador Cristiano Lopes, a reforma tratou de garantir aspectos originais do prédio, um dos mais bonitos do centro de Aracaju. Foram adquiridos vários equipamentos para a escola que possui auditório, salas de aula, sala de coral, sonoplastia e um acervo arquitetônico de encher os olhos. A Escola do Legislativo Deputado João de Seixas Dória foi criada em 2003 por iniciativa do deputado estadual Antônio Passos.
 
"A decisão de restaurar essa grande obra é porque se trata de um grande patrimônio histórico de Sergipe. Aqui nessa Casa já foram travados grandes embates e agora surgiu a oportunidade de fazer essa reforma para garantir mais conforto e estrutura para a Escola do Legislativo. Vamos trazer a juventude para esse espaço para que possam aprender sobre o funcionamento do Legislativo", comentou o deputado Luciano Bispo, que estava feliz em poder entregar ao povo sergipano uma obra de grande valor político e histórico. "Esse palácio se torna também uma atração turística no centro de Aracaju", observou o presidente da Assembleia.
 
A Escola do Legislativo, segundo seu idealizador, foi criada para oferecer aos parlamentares, servidores, estagiários e aos profissionais terceirizados conhecimentos sobre o funcionamento do Poder Legislativo. Cursos e treinamentos preparam servidores com conteúdo que ajuda a entender o parlamento. A escola oferece conhecimentos básicos para o exercício da funções na Casa, qualificando o servidor nas atividades de suporte técnico­ científico, ampliando a sua formação em assuntos legislativos.
 
Antônio Passos estava feliz por ver a escola em instalações novas e com equipamentos modernos. "Me sinto honrado em estar presente a esse ato. Nos doze anos de existência da Escola do Legislativo ela cresceu, se desenvolveu e tem sido importante para treinar servidores da nossa Casa, prestando alguns serviços à sociedade sergipana. É um prazer também participar da restauração do prédio, Palácio Fausto Cardoso, uma obra imponente. Parabenizo os presidentes que participaram desse trabalho".
 
O diretor geral da Alese e presidente da Escola do Legislativo, Roberto Bispo, disse que testemunhava a conclusão de uma longa etapa, que nem sempre foi fácil de ser executada. "Essa obra de reforma foi iniciada na gestão anterior e tivemos algumas dificuldades para concluir. Fico feliz em entregar esse espaço, essa escola à população de Sergipe. Os responsáveis pela restauração foram felizes na execução da obra, a meu ver ficou perfeito. É importante para Sergipe", destacou.
 
A escola é uma unidade administrativa da Assembleia que também abriga o projeto “Parlamentar por um dia”. A ação aproxima o Legislativo da sociedade e oferece ferramentas para o fortalecimento da democracia por meio da educação política. O projeto leva atividades pedagógicas às escolas de Aracaju e do interior, envolvendo estudantes que se tornam deputados e conhecem o funcionamento do parlamento. Os deputados-mirins criam leis e vivenciam a experiência de atuar no Plenário. Os adolescente experimentam o prazer de ocupar o lugar de deputados e aprendem formação política.
 
Diversas autoridades estiveram presentes à inauguração das novas instalações da Escola do Legislativo, como o desembargador Ruy Pinheiro, representante do presidente do Tribunal de Justiça de Sergipe, o presidente do Tribunal de Contas do Estado, conselheiro Carlos Pinna de Assis, o reitor da Universidade Tiradentes (Unit), Joubert Uchôa, deputados e outras autoridades.

Da assessoria
Foto: César de Oliveira/Agência Alese


Política
Com.: 0
Por Kleber Santos
Primeira « Anterior « 1 2 3 4 5 6 7 8 9 » Próxima » Última

Enquete


Categorias

Arquivos