30/08
22:11

ELEIÇÕES 2012 - DEM faz pressão em Brasília para se aliançar com PSDB em SE todo

Os seguidores do ex-governador João Alves Filho e ele próprio não engoliram bem a afirmação do empresário Adierson Monteiro, futuro presidente do PSDB, dando conta de que tucanbos e democratas somente disputariam as eleições de 2012 aliançados apenas em Aracaju. Nos demais municípios, cada um seguiria seu próprio caminho. A afirmação do empresário teve forte repercussão em Sergipe e o tema foi levado a discussão em Brasília. O DEM parece querer conviver com o PSDB nos municípios onde ambos existem e desejam amor eterno, ainda que a relação seja entre tapas e beijos. Ou até mesmo só tapas. O PSDB não dá a mínima atenção, não valoriza o DEM, que quer usufruir do horário gratuito dos tucanos no rádio e na TV e da "ajuda de custo eleitoral". O que não se faz pela sobrevivência...


Política
Com.: 0
Por Eugênio Nascimento
30/08
21:43

SERGIPE - CUT cobra a volta da Mesa de Negociação e critica o governo


Durante a 13ª Plenária Estatutária da CUT/SE, realizada no sábado, 27 de agosto, no auditório do SINDIPREV, as lideranças sindicais e os 115 delegados promoveram diversas discussões e análises das Conjunturas Estadual, Nacional e Internacional, visando, principalmente, a avaliação da atuação do movimento sindical e da classe trabalhadora ligada à Central Única dos Trabalhadores. Os debates foram marcados por bons posicionamentos, que contribuíram para a construção de ações cutistas mais incisivas.

Para o presidente da CUT/SE, Rubens Marques, as lideranças sindicais demonstraram maturidade no debate que apontou novas perspectivas de atuação. “Nossas discussões foram ampliadas, e os dirigentes da CUT/SE comprovaram que estão acompanhando os desdobramentos políticos e socio-econômicos nacionais, internacionais e de Sergipe, o que beneficia uma análise aprofundada. A partir dessas análises nós podemos nos antecipar para não sermos atingidos pela crise mundial do capitalismo, que cai como uma avalanche sobre os trabalhadores. O antídoto para isso seria a reação do movimento sindical que vai procurar novas estratégias e promover uma reforma sindical urgente”, avaliou o presidente da CUT/SE.

“Não existe espaço de negociação em Sergipe”

O dirigente da CUT/SE, Roberto Silva, fez uma breve exposição sobre os questões mais sérias relacionadas à conjuntura estadual. Segundo ele, a CUT enfrenta graves dificuldades para negociar tanto com o setor público quanto com o privado. “No setor privado o panorama é o seguinte: muitas empresas vêem para Sergipe com incentivos fiscais do Governo, isto é, recebendo redução de impostos. No entanto, essas empresas não dão nenhuma contrapartida social, pelo contrário, as empresas privadas que aqui chegam se utilizam da crise mundial como justificativa para emplacar a todo custo ou um processo de redução de salários com retirada de direitos dos trabalhadores ou um processo de demissões. A CUT/SE tem realizado um debate muito incisivo com relação a isso. Não vamos aceitar nem demissões nem redução de salários e de direitos dos trabalhadores, muito menos de empresas que recebem incentivo fiscal. Não dá para o Governo incentivar essa postura. Por isso nós cobramos negociações com as empresas privadas e fazemos um debate muito duro com o Governo. Se essas empresas aqui chegam com incentivo fiscal, é necessário que elas dêem uma contrapartida social que começa pela garantia dos salários e dos empregos”, ressaltou Roberto Silva.

Outra questão considerada grave é a relação extremamente ruim do Governo do Estado com a CUT/SE, e a não existência da Mesa de Negociação com os servidores públicos. “Não existe abertura para o diálogo, para a discussão com a CUT. A Mesa de Negociação Permanente deveria ser o instrumento onde durante todo o ano o Governo dialogo com os servidores e seus sindicatos, e na data-base conclui-se toda a discussão. Aqui em Sergipe, o que os trabalhadores têm visto é que nesses quase cinco anos de governo Marcelo Déda, a mesa funcionou por dois anos, basicamente quando Nilson Lima estava a frente da Secretaria da Fazenda. Com a saída dele a Mesa de Negociação acabou. De lá para cá o que se instaurou foi um comportamento extremamente perseguidor do Governo com o servidor público, e um processo cada vez pior de achatamento salarial e de ausência de negociação salarial completa. De maneira geral, o Governo age de forma unilateral, os sindicatos não conseguem sentar com o Governo, não tem Mesa e não tem Negociação. Então é um Governo com uma relação com os servidores públicos extremamente ruim. Tanto não tem política para geração de trabalho, emprego e renda para os trabalhadores da iniciativa privada, como também não tem uma relação construtiva com os servidores públicos”, apontou Roberto Silva.

De acordo com o dirigente da CUT/SE, essa falta negociação do Estado de Sergipe é agravada quando se percebe que o Governo não possui nenhuma política de trabalho, emprego e renda. “O orçamento do Estado para essa área chega a ser insignificante (R$5 MIL reais). O orçamento da Secretaria de Trabalho é de R$5 MILHÕES de reais, sendo que R$4 MILHÕES é só para pagar a folha de pagamento dos funcionários da própria secretaria. A CUT/SE tem propostas de geração de trabalho, emprego e renda para o Estado, mas a falta de aberto do Governo para discutir essa situação conosco dificulta nossa contribuição. Em nosso entendimento, essa situação é extremamente nociso, por que é um Governo dos Trabalhadores que não tem nenhuma política pública para a classe trabalhadora, imagine se não fosse!?”, questionou.

Outros dois pontos foram levantados: a falta de política para a juventude e a necessidade da classe trabalhadora se organizar para assumir espaços tanto no Legislativo como no Executivo. “A violência tem aumentado de forma significativa, e a juventude são os mais atingidos pela a violência urbana, no entanto não há qualquer política de inclusão da nossa juventude, para que os nossos jovens possam ter uma condição de usufruir de ser jovem. Com relação a nossa preocupação com o cenário eleitoral é dado por nós percebermos que grande parte dos nomes que se apresentam não tem nenhum tipo de relação com a classe trabalhadora. São nomes que estão atrelados aos empresarios, portanto, a CUT vê com muita preocupação e entende que é preciso os trabalhadores possam estar assumindo esses espaços para que a pauta da classe trabalhadora seja de fato efetivada”, afirmou Roberto.

"O Governo dos Trabalhadores pode mais"

Na 13ª Plenária da CUT/SE os trabalhadores fizeram uma abordagem da Conjuntura Nacional levando como ponto de partida os oito anos do Governo de Lula. O avaliação positiva da atuação do ex-presidente foi principalmente por ele manter a trajetória de investimentos no país mesmo com a conjuntura de crise mundial. “Ele não não caiu no erro de provocar uma recessão no país, pelo contrário, foram feitos ajustes no sentido de maiores investimentos das empresas públicas, dos bancos públicos, para superar a crise. E, apesar de algumas perdas, os trabalhadores não sentiram tanto o peso da crise como sentiram os trabalhadores internacionais. No entanto, nós chegamos à conclusão de que o Governo Lula poderia ter feito um pouco mais, do ponto  de vista da classe trabalhadora, e nesse sentido a crítica é ter entregue o Ministério do Trabalho para uma corrente sindical (Força Sindical) que hoje é pautada por vários problemas que a própria imprensa está denunciando e dando repercussão, o caso da criação de sindicatos sem atuação específica, apenas para receber os dividendos do Imposto Sindical, a chamada 'uma máquina de sindicatos', denunciou George Washington, secretário de Comunicação da CUT/SE.

A presidenta Dilma mantém essa postura com o Ministério do Trabalho, mas o que mais marcou como negativo em seu Governo foi a questão do salário mínimo. “ Nós viemos de uma trajetória em que o Governo Lula em acerto com as centrais aprovou um plano de sucessivos aumentos com ganhos reais para o salário mínimo. Dilma Roussef chega em seu primeiro ano a frente do Governo e, infelizmente, quebra  essa sequência de ganhos reais. De certa forma esse foi o ponto bastante debatido na análise de conjuntura a nível de Brasil e não dá para nós tentarmos tapar o sol com a peneira por conta de termos um governo que teoricamente foi eleito para os trabalhadores, e nos enquanto sindicatos ajudamos a eleger. É preciso que os trabalhadores através dessas plenárias, das centrais sindicais e sindicatos, cobrem cada vez mais que o Governo Dilma avance na pauta da classe trabalhadora, cobrando dentro do parlamento avanço nas pautas que estão lá paradas, como por exemplo a questão das tercerizações”, ressaltou Washington.

Segundo o secretário de Comunicação da CUT/SE, o cenário continua extremamente desfavorável no panorama internacional mas não tem chegado ao Brasil, que tem se mantido forte e crescendo. “Cabe a nós, trabalhadores, vendo que o Brasil tem mantido sua economia em aceleração crescente, cobrar as nossas pautas, entre elas, que os trabalhadores tenham mais ganhos reais. O Brasil tem crescido ano a ano, no entanto esses avanços pouco têm chegado no bolso dos trabalhadores.  É preciso que a CUT e nossos sindicatos estejam sempre vigilantes no sentido de manter a pauta da classe trabalhadora em negociação com o Governo Federal. A CUT teve uma certa dificuldade de fazer certas cobranças no governo Lula, e no governo Dilma a Central está mais emblemática na defesa das pautas dos trabalhadores. É um cenário positivo que se desenha dentro do atual governo, e a CUT está mais enfática no sentido de cobrar do Governo as pautas que não tem andado exatamente por falta de interesse deles”, avaliou.

"Crise Mundial do Capitalismo"

Para os cutistas, o modelo econômico está acabando com os direitos dos trabalhadores na medida em que o padrão de disputa de hegemonia e contra-hegemonia desde a derrocada do Leste Europeu, onde o mundo tinha essa divisão, se configurou um avanço significativo do ideal neoliberal, que defende o individualismo, a presença cada vez menor do Estado e isso caracterizando fortemente na retirada de direitos e garantias dos trabalhadores. “As privatizações são uma das marcas desse processo e isso acabou entrando em colapso com a própria crise economia vivenciada no panorama internacional. Mas a crise por si só não está sendo suficiente para que seja abandonado esse ideal neoliberal. Permanece ainda os ditames dos organismos internacionais como o próprio FMI, colocando cada vez mais a retirada do papel do Estado na área social e na área de preservação de direitos. Essa é uma questão muito presente no processo que vivenciamos de financeirização do mercado de trabalho, onde o capital deixou de ter o seu lado produtivo para ter somente um lado especulativo”, pontuou o dirigente da CUT/SE, Antônio Góis.

Para Góis, o avanço do ideal neoliberal de reduzir o papel do Estado e cortar conquistas dos trabalhadores está mostrando o lado da revolta como tem acontecido em outros países, a exemplo da Grécia, Portugal, França, Irlanda, e mais recentemente no Chile, com a greve dos estudantes. “Essas manifestações mostram que esse é um processo de revolta contra esse modelo neoiberal que privilegia o lado financeiro em detrimento do lado produtivo, do lado das questões sociais e de geração de emprego. E isso atingiu setores que nos deixa surpresos, como é o caso das revoltas na periferia de Londres, o berço do capitalismo, e agora nós estamos vendo a revolta vim da onde surgiu esse ideal noeliberal. Isso é uma constatação que mostra que a luta do movimento sindical é acertiva, já que nós lutamos contra as políticas neoliberais, e buscamos a garantia de politicas públicas que defendam o conjunto da sociedade, que privilegiem a geração de empregos e a distribuição de renda”, avaliou. (Da assessoria)


Colunas
Com.: 0
Por Eugênio Nascimento
30/08
21:15

Banese tem lucro de R$ 43,6 milhões no 1º semestre

Crescimento do Banese foi superior ao de bancos como Bradesco, Itau e Santander no Brasil

O Banco do Estado de Sergipe (Banese) registrou um lucro de R$ 43,6 milhões, um ncrescimento de 94,6% no primeiro semestre deste ano, superando instituições financeiras como Bradesco, Itaú e Santander. O crescimento recorde será comentado nesta quarta-feira, às 7h30 pelo presidente do Banese, Saumíneo Nascimento, durante café da manhã com a imprensa na sede administrativado Banese, no Distrito Industrial de Aracaju (DIA). “Trabalhamos com muito empenho para conseguir viabilizar esse crescimento, que é recorde”, disse o presidente, que revelou ainda que as operações de crédito cresceram e chegaram a 46,5%. O Banese preserva a sua vocação de crescimento aliada ao desenvolvimento de Sergipe, segundo o seu presidente.O balanço do banco foi divulgado na edição de hoje do Jornal da Cidade.


Economia
Com.: 0
Por Eugênio Nascimento
30/08
21:09

PPS de Sergipe discute as eleições 2012 em Brasília nesta 4ª feira

O presidente do PPS em Sergipe, Nilson Lima, acompanhado do Secretário Geral, Marcos Aurélio, passam essa quarta-feira em Brasília. Na agenda, uma conversa com Roberto Freire e Rubens Bueno, da Direção Nacional do Partido. A pauta, segundo Marcos Aurélio, são as eleições de 2012 e a organização do PPS em todo o Estado de Sergipe. Aracaju também dominará as conversas na Capital Federal. Há aproximadamente quatro meses o Partido vem se posicionando para uma candidatura própria a Prefeitura de Aracaju e após essa reunião, a decisão será em definitivo.



Política
Com.: 0
Por Eugênio Nascimento
30/08
20:52

Medicina é o curso mais procurado para o vestibular 2012 da UFS

Divulgada a concorrência para o vestibular 2012 da UFS 29 mil candidatos se inscreveram para 5.490 vagas em 106 opções de cursos; conheça os mais procurados

 

Exatos 29.333 candidatos confirmaram sua inscrição no site do vestibular 2012 da UFS. Os dados foram publicados hoje, 30, pela Comissão de Concurso Vestibular (CCV). As inscrições foram encerradas no último dia 5. A UFS disponibiliza nesta seleção 5.490 vagas em 106 opções de cursos distribuídas nos campi de São Cristóvão, Itabaiana, Laranjeiras e Lagarto.

Mais procurados

Os sete cursos mais procurados no vestibular 2012 são os seguintes:

- Medicina (São Cristóvão - Integral): 1.997 inscritos para 100 vagas;
- Enfermagem (São Cristóvão - Bach. - Vespertino): 974 inscritos para 80 vagas;
- Direito (São Cristóvão - Bach. Noturno): 922 inscritos para 50 vagas;
- Direito (São Cristóvão - Bach. Diurno): 920 inscritos para 50 vagas;
- Medicina (Lagarto - Integral): 905 inscritos para 50 vagas;
- Engenharia Civil (São Cristóvão - Vespertino): 896 inscritos para 100 vagas;
- Serviço Social (São Cristóvão - Bach. - Noturno): 860 inscritos para 80 vagas.

Devido às políticas afirmativas adotadas pela UFS, os candidatos devem verificar a concorrência do curso escolhido de acordo com o grupo em que foi classificado. Confira a lista completa da concorrência aqui.

Locais das provas

De 3 a 14 de outubro o candidato acessa o endereço eletrônico da CCV para imprimir o cartão de identificação, o qual lhe dará conhecimento e acesso ao local de realização das provas. Neste cartão o candidato cola uma foto (papel fotográfico), tamanho 3x4, recente e em condições de identificar o candidato, preferencialmente com data do ano de 2010 ou 2011. Este documento será retido pelo fiscal de sala no primeiro dia de prova.

O cartão será utilizado para comparação de foto, assinatura e/ou impressão digital no ato da matrícula institucional, caso o candidato seja aprovado.

Novos cursos

Quatro novos cursos entram na grade da UFS a partir deste processo seletivo. São eles: Medicina e Odontologia, no campus de Lagarto, e Matemática Aplicada e Ciências da Religião, em São Cristóvão. Cada um oferta 50 vagas.

Dois cursos tiveram aumento de vagas: Engenharia Civil passou de 80 para 100 e Biologia (licenciatura) de 30 para 40. Conheça as graduações da UFS no Catálogo de Cursos 2011.

Cotas

O sistema de cotas da UFS reserva 50% das vagas a estudantes de escolas públicas municipais, estaduais ou federais. Destas, 70% reservam-se a estudantes que se auto-declaram pardos, índios ou afro-descendentes. Cada curso de graduação oferta, ainda, uma vaga para candidatos portadores de necessidades educacionais especiais.

O Tribunal Regional Federal da 5ª Região (TRF5) demonstrou a constitucionalidade da Resolução nº 80/2008, do Conselho do Ensino, da Pesquisa e da Extensão da UFS, que instituiu o programa de ações afirmativas para garantia de acesso de grupos menos favorecidos. Leia mais.

Enem em 2013

Este processo seletivo será o último a ser aplicado da forma tradicional. A partir da seleção de 2013, a UFS vai adotar a nota do Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) como forma de avaliação de desempenho dos candidatos às graduações presenciais, mas sem adesão ao Sistema de Seleção Unificada (Sisu). Saiba mais aqui.

Mais informações sobre o processo seletivo de 2012 no edital ou na CCV pelos telefones 2105-6970 ou 2105-6971. (Da assessoria)


Variedades
Com.: 0
Por Eugênio Nascimento
30/08
13:36

Diretora-Geral do TSE visita Revisão Biomét rica de Sergipe

Patrícia Landi vem discutir oi encaminhamento do recadastramento biométrico




A Diretora-Geral do Tribunal Superior Eleitoral, Patricia Landi, visita o Tribunal Regional Eleitoral de Sergipe nesta quarta-feira (31), oportunidade em que se reunirá com a Presidência do Tribunal, Desembargadora Suzana Carvalho, com o Diretor da Escola Judiciária Eleitoral, Juiz Federal Ronivon Aragão, e servidores da instituição, discutindo o recadastramento biométrico dos eleitores sergipanos que acontece no Estado, com exceção do município da Barra dos Coqueiros.
 
O encontro, com livre acesso à imprensa em geral, acontecerá às 8h30, no auditório do Tribunal Regional Eleitoral de Sergipe, e será aberto pela Presidente Desa. Suzana Carvalho e pelo Diretor da EJE, Ronivon Aragão, quando em seguida a Diretora do TRE-SE, Conceição Vasconcelos, apresentará o relatório das atividades até aqui empreendidas, bem como a nova estratégia a ser desencadeada no processo de revisão biométrica do Estado.
 
Patrícia Landi, por sua vez, abordará as experiências dos demais estados da federação que enfrentam o mesmo desafio, apresentando o panorama atual da biometria no país, disponibilizando informações e sugestões para a revisão sergipana. (Da assessoria)


Política
Com.: 0
Por Eugênio Nascimento
30/08
13:22

UFS assina ordens de serviços para executar 5 obras em São Cristóvão


O reitor Josué Modesto dos Passos Subrinho assinou ontem ordens de serviços para execução de cinco obras no campus de São Cristóvão no valor de R$ 4,5 milhões. Também será assinada ordem de serviço para elaboração de projeto visando à recuperação de área degradada (lagoa de estabilização), cujo valor é de R$ 305 mil. O evento ocorre às 10h na Sala dos Conselhos Superiores.


Os investimentos visam melhorar a segurança, recuperar áreas degradadas e oferecer melhores condições de funcionamento aos novos cursos. “O crescimento da UFS, bem como o aumento na quantidade de cursos, alunos e professores, enseja a necessidade de investimento em infraestrutura, que nem sempre se restringe ao nosso campo visual, sendo muitas vezes imperceptíveis, embora extremamente necessária ao bom funcionamento da instituição”, diz Jorge Antonio, assessor do reitor. Veja abaixo a lista das obras:


- Implantação da infraestrutura (abastecimento de água, esgotamento sanitário com tratamento, energia elétrica, cabeamento estruturado, regularização da área e pavimentação) para instalação de dez laboratórios móveis que contemplam os cursos de Engenharia Florestal, Zootecnia, Engenharia de Pesca, Medicina Veterinária e de Engenharia Agrícola. Valor R$ 304.300,00. Prazo de execução de 90 dias;


- Cercamento da Cidade Universitária ‘Prof. José Aloísio de Campos’. Abrange um perímetro de 3.374,00m. Valor R$ 823.303,24. Prazo de execução de 150 dias;


- Cercamento de área pertencente à UFS localizada no conjunto Rosa Elze, bairro Eduardo Gomes, no município de São Cristóvão/SE. Área de 246.011,50m² e perímetro de 2.071,72m. Valor R$ 1.355.734,55. Prazo de execução 180 dias;


- Construção de muro, pavimentação e guarita das garagens da Prefeitura do Campus (Prefcamp). Valor R$ 223.784,72. Prazo de execução 120 dias;


- Adequação e ampliação do polo de Engenharia de Materiais com área de 2.320,00m². Valor R$ 1.824.866,41. Prazo de execução 360 dias.


- Plano de recuperação de áreas degradadas e elaboração do projeto executivo do sistema de esgotamento sanitário, tratamento, disposição dos efluentes e reaproveitamento. Valor R$ 305.647,14. Prazo de execução de 150 dias. (Da assessoria)


Colunas
Com.: 0
Por Eugênio Nascimento
30/08
13:15

Piscinas podem se transformar em focos de dengue

As piscinas estão sempre na lista das queixas da comunidade em relação à suspeita de dengue, e a preocupação não é à toa, já que a piscina pode se transformar em um criadouro. Para evitar que as larvas se proliferem no local, alguns cuidados devem adotados por quem tem piscina em casa.

O principal cuidado é a limpeza. As piscinas devem ser mantidas limpas e cloradas semanalmente, e somente assim não serão focos para o mosquito. Caso a piscina não seja de uso frequente, é bom prevenir. Segundo a coordenadora do Programa de Combate à Dengue em Aracaju, Taíse Cavalcante, além da limpeza, os agentes orientam a cobertura.

"Assim como as lavanderias que funcionam como depósito de água, as piscinas em desuso podem ser criadouros do Aedes aegypti. A incidência direta de sol nas piscinas não permite o desenvolvimento da larva, mas o pouco acúmulo de água em uma parte sombreada nas piscinas em desuso pode se transformar em criadouro. Um cuidado importante é a colocação de cobertura de proteção para evitar o contato do mosquito com a parte interna da piscina", afirma.

Piscinas portáteis

Já as piscinas portáteis e infantis, devem ser mantidas secas e guardadas quando não estiverem em uso.  Essa é a única forma de evitar que essa diversão para crianças se transforme em um risco para a família e para toda a vizinhança. Neste caso, a atenção deve ser dobrada e a piscina escovada, seca e dobrada, porque se não estiver bem seca, o plástico quando guardado pode acumular água e, estando em um local aquecido e à sombra, pode se transformar em um foco.

"O mosquito deposita os ovos nas paredes da piscina, logo acima do nível da água. Esses ovos ficam colados à parede e resistem por até dois anos. Se nesse tempo, esses ovos entrarem em contato com a água, eles eclodem e em poucos dias viram larvas", explica Taíse.

De acordo com o secretário municipal de Saúde, Silvio Santos, a temperatura alta requer cuidados redobrados da população. "As crianças querem tomar mais banho de piscina, o clima fica quente, o que vai criando um ambiente favorável à proliferação do mosquito. É bom lembrar também que as bordas internas e externas das piscinas devem ser escovadas para destruir os ovos depositados pelo mosquito. Uma piscina mal cuidada é uma ameaça à saúde de muitos moradores", alerta Silvio Santos.

Piscinas sem uso

A piscina abandonada na vizinhança é outro perigo para a população. Primeiro, a preocupação inicial deveria partir do próprio dono do imóvel ou da imobiliária, caso esteja à venda. Neste caso, o morador deve ligar para o número da Vigilância Epidemiológica (79) 3179-1000, informando a situação para que sejam tomadas providências pelo Programa Municipal de Controle da Dengue.

Uma piscina com acúmulo de resíduos ou sujeiras quando a água está escura ou esverdeada, não representa o local favorável para o desenvolvimento do mosquito. Outras espécies podem surgir, mas ainda não existe a comprovação do desenvolvimento do Aedes aegypti nessa situação.

As piscinas de clubes e escolas de natação são sempre motivo de questionamentos, mas se estão sendo usadas, o movimento da água e a própria cloração não permitem o desenvolvimento do transmissor da dengue.

Água sanitária

Outra dica importante é, em períodos sem uso, reduzir ao máximo possível o volume de água e aplicar semanalmente água sanitária. Tomando o exemplo de 500 litros de água, a quantidade varia conforme a concentração de cloro ativo. Derrame um frasco (litro) com concentração de 2,5%. Caso a concentração seja de 2%, a quantidade de água sanitária será de um frasco e um copo (1250ml). Se for utilizado cloro ativo a 5%, basta despejar meio frasco de água sanitária (500 ml) a cada 500 litros de água de piscina. Lembrando que a água sanitária só deve ser usada em água não destinada para consumo humano e em piscina desativada sem risco de uso (Da assessoria)



Variedades
Com.: 0
Por Eugênio Nascimento
Primeira « Anterior « 1 2 3 4 5 6 7 » Próxima » Última

Enquete


Categorias

Arquivos