22/09
01:00

Internautas não querem fim de feriados religiosos

Os internautas do Blog Primeira Mão não querem que os feriados religiosos acabem, pelo fato de o Brasil ser um país constitucionalmente laico.

Mais de 86% dos internautas votaram que não são favoráveis ao fim dos feriados, enquanto que menos de 14% votaram a favor.



Variedades
Com.: 0
Por Kleber Santos
21/09
22:51

SERGIPE - Policiais são acusados de receber diárias ilegalmente

O comandante da Polícia Militar de Sergipe, coronel Aelson Resende, encaminhou para o Ministério Público Militar do Estado o resultado de um inquérito (IPM) que poderá render suspensões e expulsões da corporação nos próximos dias. Num esquema montado para ganhar diárias sem trabalhar e em casos suspeitos de agiotagem na PM estão envolvidos 182 policiais de variadas patentes. O suposto golpe causou um prejuízo ao Estado que pode chegar a R$ 300 mil, conforme avaliação inicial. (MATÉRIA COMPLETA AMANHÃ NO JORNAL DA CIDADE)


Variedades
Com.: 0
Por Eugênio Nascimento
21/09
22:37

Preso em Aracaju o alagoano que matou ex-mulher e comeu o coração dela

Foi preso hoje (21 de setembro) em Sergipe um homem acusado de matar a ex-companheira e comer o coração dela. O crime ocorreu há um ano na cidade alagoana de Arapiraca e o autor, o morador de rua José Jorge da Silva, 26 anos, foi recapturado no último dia 14, em Carmópolis (SE), depois de ter assaltado um taxista, contando com o apoio de dois comparsas. Jorge tornou-se orador de rua em Aracajudesde que fugiu de um presídio em Alagoas, há aproximadamente seis meses, e conheceu o morador de rua Jertson José Lima dos Santos e um adolescente de 17 anos de idade. A prisão foi efetuada pela Policia Civil.



Variedades
Com.: 0
Por Eugênio Nascimento
21/09
22:10

Economistas preveem tendência de baixa do dólar

O mercado de câmbio continuará instável por pelo menos um a dois anos, estimou hoje (20) o economista Alcides Leite, professor da Trevisan Escola de Negócios. Ele justificou que esse é o período necessário para que tanto os Estados Unidos quanto os países europeus possam aprovar as medidas para equalizar problemas advindos de dívidas e do déficit público.

Ele prevê, no entanto, que a valorização da moeda norte-americana em relação ao real tende a diminuir. Isso porque, na sua opinião, o Federal Reserve (Fed), o Banco Central dos Estados Unidos, vai continuar injetando recursos para sustentar o crescimento da economia. Com mais dólares circulando no mundo, haverá queda na cotação.

Para o economista, vão ocorrer picos de alta, como o registrado nos últimos dias, em consequência de turbulências na economia mundial, mas com posterior estabilização. De acordo com Leite, trata-se de um movimento natural provocado pelas dificuldades de crédito de alguns países europeus, como é o caso da Grécia.

“Se a situação piora lá [na Europa], os investidores dos países desenvolvidos levam de volta os seus recursos porque precisam dele lá”, observou. Além disso, existe o receio de perdas diante das incertezas dos negócios em bolsas de valores, provocando uma fuga momentânea. Leite acredita que, mesmo com a decisão do Comitê de Política Monetária (Copom) de reduzir a taxa básica de juros, a Selic, o Brasil deve manter a atratividade dos investidores estrangeiros porque a rentabilidade ainda é uma das maiores do mundo.

O diretor executivo da NGO Corretora de Câmbio, Sidnei Moura Nehme, também avalia a valorização do dólar como algo momentâneo. “Essa elevação do dólar é pontual”, disse. Para ele, as sinalizações estão ancoradas no movimento dos contratos de câmbio dos exportadores e importadores. As informações são da Agência Brasil.
(Redação - Agência IN)



Economia
Com.: 0
Por Eugênio Nascimento
21/09
21:55

ARACAJU - Arcebispo não quer padres atuando em partidos políticos


Arcebispo metropolitano de Aracaju, dom José Palmeira Lessa, divulgou 'Preceito Penal', que  reprova participação de padres na política partidária em Sergipe e eprevcê punições para aquelçes que desrespeiutarem essa posição. “Os ministros ordenados súditos da Arquidiocese de Aracaju, residentes com ou sem ofício  eclesiástico, e não residentes sem ofício eclesiástico em outra  igreja particular, que  se filiarem a partidos políticos e/ou pleitearem função política obtida mediante sufrágio  popular, visando participação no poder civil (Executivo, Legislativo e Judiciário) em  âmbito municipal, estadual ou federal incorrerão na censura “Latae Sententiae” de  suspensão total (de ofício, de regime e de ordem sagrada), segundo a mente cân.1333  § 1. D. Lessa lembra
ainda o Código de Direito Canônico, que prescreve: “Os clérigos são proibidos de assumir cargos públicos que implicam participação no poder  civil”


Política
Com.: 0
Por Eugênio Nascimento
21/09
21:24

Professores de Japaratuba podem ser punidos por não participarem do 7 de Setembro

Deputada Ana Lúcia levanta ilegalidade de inquérito administrativo movido pela administração da prefeita Lara Moura contra 34 professores por protestarem não indo ao desfile cívico do município.


A deputada estadual Ana Lúcia destacou, nesta quarta-feira 21, na tribuna da Assembleia Legislativa, sua preocupação com a forma como prefeitos de alguns municípios sergipanos têm tratado o movimento dos professores que lutam por seus direitos e pela implantação do piso nacional da categoria. De acordo com Ana Lúcia, os prefeitos tentam passar de forma distorcida para a sociedade que os professores são agressivos, baderneiros, que pregam a desordem pública etc.


"Essa posição dos prefeitos é muito grave, num país que ainda não tem a cultura da democracia como um valor. Quando se cerceia o direito de professores se manifestarem, está se desrespeitando o artigo 5º da Constituição Federal, que nos dá o direito à livre manifestação. Quando se criminaliza os movimentos populares, ataca-se a soberania popular, que é a essência da democracia", falou a deputada.

A parlamentar defendeu que o direito de crítica da população ou de qualquer seguimento social aos gestores públicos deve ser entendido como um exercício de democracia plena e não como um ataque. "Se o direito à livre manifestação é negado a uma categoria, nós não estamos numa democracia plena, onde é preciso aceitar a crítica, que é diferente da calúnia, que é adjetivar, desqualificar ou faltar com a verdade", ressaltou.

Para Ana Lúcia, num país onde ainda vivem 16 milhões de pessoas na linha da miséria absoluta, onde a luta de classes é forte e permeia a vida de todos os brasileiros, porque a desigualdade ainda é gritante em face de uma elite dominante que não abre mão de acumular cada vez mais as riquezas do país, contando com a ajuda dos meios de comunicação, não há que se podar o direito das pessoas se manifestarem e lutarem por seus direitos.

"Ainda estamos engatinhando com a nossa democracia. E se é assim, vamos ocupar todos os espaços possíveis para estar defendendo nesta democracia ainda em formação o direito a livre manifestação da população como um direito à cidadania", disse Ana.
 

PUNIÇÃO EQUIVOCADA
O discurso da deputada foi em solidariedade aos professores do município de Japaratuba, que ocupavam as galerias da Assembleia Legislativa. Ana denunciou a administração daquele município por estar movendo inquérito administrativo contra 34 professores, simplesmente por não terem participado do desfile cívico de 7 de Setembro.

Os professores de Japaratuba lutam pela implementação do piso salarial nacional da categoria sem perdas na carreira e não participaram do desfile em protesto contra a administração da prefeita Lara Moura, que enviou à Câmara de Vereadores proposta que reduz drasticamente todos os índices de escalonamento na carreira, deixando a diferença entre os níveis I (médio) e II (superior) em torno de 5% apenas.

Os 34 professores já foram convocados para prestar depoimento, no próximo dia 27/9, na Secretaria de Administração. Ana denunciou ainda que a comissão formada para acompanhar o caso não tem qualquer legitimidade, pois seus membros não pertencem ao quadro efetivo do município e têm nível de formação inferior ao dos professores, o que fere o Direito Administrativo.

"São professores da rede básica de ensino que serão ouvidos por funcionários com total desconhecimento de causa e que irão punir esses trabalhadores com suspensão, porque o próprio ofício que os convocanda já diz qual será a punição", alerta a deputada.

Ana lembrou que o 7 de setembro é feriado nacional e não dia letivo e que, portanto, os professores não são obrigados a trabalhar.

"Os professores que vão com os seus alunos para o desfile de 7 de Setembro, o fazem por dever cívico, não porque é dia letivo. Nenhum feriado nacional pode ser dia letivo. É outro erro grave do processo contra esses professores. Eu espero que a prefeita Lara Moura reveja esse equívoco", enfatizou Ana Lúcia. (Da assessoria - G.W.)



Política
Com.: 0
Por Eugênio Nascimento
21/09
21:18

Márcio é relator da Comissão Mista de Mudanças Climáticas


O deputado federal Márcio Macêdo foi eleito, nesta quarta-feira, 21, relator da Comissão Mista Permanente sobre Mudanças Climáticas. Ele obteve dez votos na disputa com o deputado federal Mendes Teme (PSDB/SP). A comissão é presidida pelo senador Sérgio Souza (PMDB-PR). A eleição foi concluída após audiência pública que discutiu as ações do Governo para alcançar os objetivos da Política Nacional sobre Mudanças do Clima.

Política
Com.: 0
Por Eugênio Nascimento
21/09
21:14

Anistia a bombeiros de 14 estados e do DF vai à sanção presidencial

A Câmara dos Deputados aprovou na última terça-feira, 20, o Projeto de Lei 2042/11, do Senado, que concede anistia aos policiais e bombeiros militares do Rio de Janeiro, de outros 12 estados e do Distrito Federal. A matéria será enviada à sanção presidencial. Na passagem pelo Senado, Eduardo Amorim (PSC-SE) apresentou a Emenda nº 7 ao PLS para estender a anistia aos militares do Estado de Sergipe, sendo seguido por senadores dos Estados de Alagoas, Bahia, Ceará, Mato Grosso, Minas Gerais, Pernambuco, Rio Grande do Norte, Roraima, Rondônia, Santa Catarina, Tocantis e do Distrito Federal.

A anistia se refere aos crimes tipificados no Código Penal Militar (Decreto-lei 1.001/69) e não os definidos no Código Penal (Decreto-lei 2.848/40). Otavio Leite (PSDB-RJ) destacou que a anistia vai permitir que o debate entre bombeiros e o governo do estado seja mais democrático. "Aqueles bombeiros que se mobilizaram de maneira legítima por conta de uma ausência de diálogo foram levados à radicalização por uma falta de democracia no estado", disse.

No Senado

"A proposta, do senador Lindberg Farias (PT-RJ), tinha caráter terminativo na CCJ, mas observamos a necessidade e apresentamos recurso para análise em Plenário, onde também recebeu emendas. Todas as emendas foram justificadas pela necessidade de se dar tratamento isonômico aos militares das unidades da Federação", disse Amorim completando ainda que, "a anistia é a intervenção da equidade pública e da legalidade suprema, ela varre os danos de uma repressão que se desnorteou e não se sustenta".

Para o senador a iniciativa parlamentar no PLS é reconhecida pela constitucionalidade da proposição. "Ressalto que o instituto da anistia está expressamente previsto no Código Penal Militar. Vale lembrar que o Congresso Nacional tem concedido anistia em diversas oportunidades de nossa história, remota e recente. Sem tratar da ampla anistia do período da redemocratização, em 1979, cabe fazer menção a diversos casos pontuais nos quais este Parlamento exerceu o seu poder de anistiar", discorreu Amorim.


"O senador Eduardo Amorim presta o reconhecimento aos bombeiros e policiais militares de Sergipe, ao nos defender dessa ditadura imposta. Ele está contribuindo para a libertação de homens e mulheres, trabalhadores, que lutam por qualidade de vida e assim, refletir seus préstimos à sociedade sergipana, e porque não dizer brasileira", afirmou o sargento Edgar Menezes, informando ainda que em Sergipe 24 militares estão sendo processados e sob o risco da perda do emprego e da liberdade por terem participado de manifestações.

"A prisão dos bombeiros foi um equívoco. Os bombeiros são heróis, e não podem ser tratados como bandidos. A proposta de anistia atende às expectativas da população do Rio de Janeiro e do Brasil", argumentou Lindbergh Farias na justificativa do projeto, referindo-se à prisão, decretada pelo governo do estado do Rio de Janeiro, de centenas de bombeiros que participaram de manifestação por aumento de salários.

Segundo Amorim, que apreciou o PLS, detalhadamente, no Plenário do Senado, o estudo não pode ter o entendimento de que se trata de matéria de defesa individual de cada um dos atingidos. "Ocorre que o grande número de policiais, espalhados por vários Estados, faz com que o problema passe a orbitar no campo do interesse público", completou. (Da assessoria)



Política
Com.: 0
Por Eugênio Nascimento
Primeira « Anterior « 5 6 7 8 9 10 11 12 13 14 15 » Próxima » Última

Enquete


Categorias

Arquivos