02/09
18:58

Em nome do Pai

Clóvis Barbosa -  Blogueiro e conselheiro do TCE-SE 

Duas visões poéticas sobre Deus. Uma, do brasileiro nascido no Rio de Janeiro, Casimiro José Marques de Abreu (1839-1860), pertencente à segunda geração da escola romântica. A outra do americano nascido em West Hills, Walt Whitman (1819-1892), considerado o grande poeta da Revolução americana. De Abreu: “Eu me lembro! Eu me lembro! – Era pequeno e brincava na praia; o mar bramia, e, erguendo o dorso altivo, sacudia, a branca espuma para o céu sereno. E eu disse a minha mãe nesse momento: ‘Que dura orquestra! Que furor insano! Que pode haver de maior do que o oceano ou que seja mais forte do que o vento?’ Minha mãe a sorrir, olhou pros céus e respondeu: - Um ser que nós não vemos, é maior do que o mar que nós tememos, mais forte que o tufão, meu filho, é Deus”. De Whitman: “Quero fazer os poemas das coisas materiais, pois imagino que esses hão de ser os poemas mais espirituais. E farei os poemas do meu corpo e do que há de mortal. Pois acredito que eles me trarão os poemas da alma e da imortalidade. E à raça humana eu digo: - Não seja curiosa a respeito de Deus, pois eu sou curioso sobre todas as coisas e não sou curioso a respeito de Deus. Não há palavra capaz de dizer quanto eu me sinto em paz perante Deus e a morte. Escuto e vejo Deus em todos os objetos embora de Deus mesmo eu não entenda nem um pouquinho...”.

Quem tem o privilégio de vivenciar nas manhãs chuvosas de Aracaju o espetáculo oferecido pela natureza, não teria e não terá qualquer dúvida sobre a presença de Deus no nosso cotidiano. As nuvens espessas não permitem o surgimento do sol que, teimoso, procura nas brechas, por menor que sejam, desvirginá-las através dos seus raios até o momento que surge radiante, imponente, retumbante. Fantástico! Sinto na pele, na minha corrida matinal, ao passar pelas árvores que margeiam o rio na Avenida Beira Mar, este cenário grandioso, belo e emocionante. De repente, na direção oeste, do fundo do Parque da Sementeira, surge, altaneiro, com suas cores vibrantes, multicolorida, um dos maiores fenômenos, óptico e meteorológico, da natureza, o arco-íris. É um espetáculo indescritível. Às vezes penso como alguém pode achar um dia de chuva feio. Nada disso, um dia de chuva é tão belo como um dia de sol. Ambos cumprem um papel, o mesmo papel, o de falar com você, em nome de Deus. As árvores, as flores, o sol, o luar, os montes, o mar, o rio e todos os fenômenos da natureza são as ferramentas criadas para lhe dar a oportunidade de se encontrar, de ser humano, na maior acepção do termo. Aprendi, com a vida, depois de muito tempo, que a raiva e o ódio destroem e desagregam a nossa vida e do outro. A amargura não vale a pena, não traz solução, só dificuldades.

Não se entende o porquê de tantas atrocidades pelo mundo afora e que tanta vergonha já causou à humanidade. Muitas delas praticadas em nome do Pai. Alguns casos são inexplicáveis e mostram a involução do homem enquanto seres humanos: O assassinato, na Segunda Guerra Mundial, pelos nazistas, liderados por Adolph Hitler, de 6 milhões de judeus entre 1939 e 1945; a matança de 200 mil bósnios, 2 milhões de refugiados e o estupro de 40 mil mulheres pela milícia e exército sérvio durante a queda da antiga Iugoslávia, entre 1992 e 1995; o massacre de Ruanda, em abril de 1994, quando 700 mil tútsis foram mortos e 200 mil foram refugiados, crime praticado pelas milícias hútus, numa das maiores barbáries praticadas por um grupo étnico contra outro do mesmo País; a morte em massa de 1,5 milhão de armênios e de 500 mil deportados, praticados pelos turcos otomanos; o regime de terror instaurado no Timor Leste, uma  ex-colônia portuguesa situado no sudeste asiático, pela Indonésia, fez com que 150 mil timorenses fossem assassinados entre 1975 e 1999; Entre 1975 e 1979, o exército do Khmer Vermelho matou 1,7 milhão de cambojanos sob as ordens de Pol Pot, líder comunista que apoderou-se do poder no Camboja; e o genocídio ocorrido na Ucrânia entre 1932 e 1933, a mando do ditador soviético Joseph Stalin, onde 3 milhões de ucranianos foram massacrados.

A inquisição foi outro acontecimento que envergonhou a humanidade, onde 30 milhões de pessoas foram assassinadas no período mais obscurantista e corrupto da igreja católica. O pior é que esses crimes bárbaros foram praticados em nome do Pai, contrariamente a todo o seu ensinamento. Não existe em lugar algum das Sagradas Escrituras qualquer ato desse jaez praticado por Jesus Cristo ou determinado aos seus seguidores. Em nenhum momento do Novo Testamento qualquer dos seus Apóstolos deu essa instrução à Igreja. Em Lucas, há uma passagem onde dois discípulos de Jesus, Tiago e João, estavam aborrecidos porque algumas cidades  se recusaram a ouvir sua mensagem e indagaram o Senhor sobre a possibilidade da descida de fogo do céu para consumir seus habitantes. Jesus não gostou do que ouviu e disse: Vós não sabeis de que espírito sois. Porque o filho do homem não veio para destruir as almas dos homens. Essa dívida impagável tem a igreja católica com a humanidade e com Deus. Durante mais de seis séculos perseguiu e matou milhões de pessoas. Não estamos aqui para manipular a palavra sagrada, mas para, em seu nome, do Filho, e do Espírito Santo, louvar e agradecer, bendizer e adorar. Em Mateus, Jesus anuncia o tipo de “espírito suave” que deixou como exemplo para todos nós: “...Porque o meu jugo é suave e o meu fardo é leve”. Em nome do Pai.

 



Colunas
Com.: 1
Por Eugênio Nascimento
02/09
18:52

A economia dos juros baixos.

    
Ricardo Lacerda- Professor do Departamento de Economia da UFS e Assessor Econômico do Governo de Sergipe

Com a redução da taxa Selic para 7,5% ao ano na reunião da semana passada do Conselho de Política Monetária do Banco Central, a taxa de juros real ex-ante atingiu patamar inferior a 2% ao ano, quando em agosto de 2011 se situava em torno de 7%, também em termos reais. Foram nove rodadas seguidas que reduziram em 5 p.p. a taxa básica que remunera o financiamento no mercado interbancário brasileiro (ver Gráfico).  

Ainda que o custo das operações de crédito para as famílias e empresas não tenha caído proporcionalmente e se mantenha absurdamente elevado por conta dos spreads bancários praticados, o novo patamar da taxa básica de juros, muito mais baixo do que em qualquer período posterior à estabilização da inflação em meados dos anos noventa, trará importantes implicações para a economia brasileira dos próximos anos.


Fonte: Banco Central. Extraído da exposição do Ministro da Fazenda na reunião do CDES de 30/08/2012.

* Em relação a SWAP –DI de 360 dias.

 

Oportunidade

A queda na taxa básica decorreu de uma conjunção de fatores que propiciou raio de manobra para a atuação incisiva do Banco Central a partir de meados de 2011. Entre os fatores conjunturais, certamente o de maior alcance foi o impacto da desaceleração do crescimento da economia mundial sobre a cotação das commodities, atenuando a pressão sobre os preços internos. Some-se a isso a própria redução no ritmo de crescimento dos preços de bens e serviços por conta do esfriamento da economia brasileira. Abriu-se uma janela de oportunidade para que o Banco Central acelerasse a redução da taxa básica de juros a fim de se contrapor à forte reação recessiva acionada pela piora das expectativas a respeito do cenário externo.

Mudanças de caráter mais estrutural do que conjuntural, como a melhoria na situação da reservas internacionais e a redução da dívida líquida do setor público como proporção do PIB, podem ter habilitado o país a operar com um patamar mais baixo de juros em uma perspectiva de longo prazo.

 

Sustentabilidade

Atento ao quadro geral de instabilidade, o governo brasileiro vem dando uma resposta diferente aos efeitos desse segundo mergulho da economia mundial sobre o nível de atividade interna, comparativamente às medidas adotadas em 2008/2009. Faz uma nova combinação de instrumentos em que as medidas fiscais orientadas para a expansão do consumo do governo e, em menor grau, de desoneração do consumo das famílias perdem peso, e as medidas de expansão do investimento público e privado, de um lado, e de facilitação do crédito e redução nas taxas de juros, de outro, ganham força.

Ao trocar política de expansão fiscal pela redução de juros e expansão do crédito o governo paga um tributo à visão de que, em momentos de turbulência, é crucial dobrar o compromisso com a sustentabilidade de longo prazo do crescimento brasileiro em que a responsabilidade com as contas públicas é elemento fundamental.

Duas questões emergem: uma relativa à sustentabilidade de longo prazo do novo patamar dos juros e outra referente à efetividade das medidas para promover a recuperação do crescimento em um quadro internacional muito instável. Para a segunda questão, o governo mostra-se otimista, ainda que a retomada do crescimento venha se dando em velocidade muito inferior à esperada.

Taxas de juros reais muito baixas, e até negativas, como as praticadas em vários países, somente fazem sentido em razão das medidas monetárias expansionistas adotadas em um cenário de recessão crônica nas economias avançadas. Com a projetada recuperação do nível de atividade da economia brasileira, alguns ajustes provavelmente serão necessários em 2013, mas o manejo seguro das contas públicas e solidez das contas externas podem respaldar juros abaixo dos vigentes no passado.

A taxa de juros é um dos preços mais fundamentais da economia, ao lado da taxa de câmbio e dos salários. Na medida em que afeta a alocação de recursos reais e financeiros, os fluxos internacionais de capital e mesmo a distribuição da riqueza entre segmentos sociais e entre setores de atividade, a sua mudança para um patamar significativamente mais baixo por um longo prazo move positivamente forças poderosas do sistema econômico.

 

 

 


Colunas
Com.: 0
Por Eugênio Nascimento
01/09
19:46

Valadares Filho: Carreata foi o maior evento desta campanha em Aracaju


Milhares de carros ocuparam as ruas de Aracaju

A carreata do candidato Valadares Filho realizada neste sábado (1º), já pode ser considerada como o maior evento político desta campanha eleitoral em Aracaju.

Logo cedo, milhares de pessoas se concentraram na Colina de Santo Antônio de onde saíram centenas de veículos que percorreram diversas ruas e avenidas, conduzindo militantes e simpatizantes com suas bandeiras.

Foram mais de cinco horas de animação e alegria durante um percurso de cerca de 40 quilômetros pelas ruas da cidade.

À medida que o cortejo se deslocava, muitos veículos iam se incorporando à manifestação, formando um enorme cordão ao longo das vias por onde passava a carreata.

Durante todo o percurso, Valadares recebeu cumprimentos e aplausos das pessoas. Militantes e correligionários acenavam bandeiras e distribuíam material de campanha.

Comerciantes, lojistas, trabalhadores, todos acenavam para o candidato, que estava acompanhado da candidata a vice, a deputada Conceição Vieira, do governador Marcelo
Déda, o senador Antônio Carlos Valadares, o vice-governador Jackson Barreto, o prefeito Edvaldo Nogueira e outros líderes políticos.

Na praça da Juventude, no Augusto Franco, onde foi encerrado o evento,  o candidato Valadares fez um discurso reafirmando seu compromisso de renovar Aracaju, proporcionando mais  desenvolvimento à cidade e mais qualidade de vida para seus moradores.

Valadares enfatizou mais uma vez o apoio da presidenta Dilma e do governador Marcelo Déda para colocar em prática o seu plano de governo, destacando a implantação do veículo leve sobre trilho, o VLT, em Aracaju.

“Podem ter certeza, nós vamos renovar Aracaju”, garantiu.  (Da assessoria)

 



Política
Com.: 0
Por Eugênio Nascimento
01/09
14:37

Por que os políticos querem acabar as pesquisas eleitorais?

O político que mais questiona as pesquisas em Sergipe é Almeida Lima

Há movimentações políticas em todo o país no sentido de promover campanha para que a Justiça Eleitoral venha a  proibir a divulgação de pesquisas eleitorais a partir do momento do registro de candidatura a cargo eletivo. Esse tipo de ideia ou proposta aparece em todo ano de disputa e a origem tem sido sempre político cujo desempenho nas consultas populares é ruim.



Neste ano de 2012 os comentários vem se intensificando desde  a primeira quinzena de agosto e as alegações são as mesmas de sempre: as pesquisas influenciam, induzem o eleitor a optar por aquele que aparece bem melhor. Mas elas também servem para orientar os candidatos que se encontram eleitoralmente fracos em como agir para melhorar a aceitação.



Os políticos precisam entender que as pesquisas apresentam dados do passado, do período em que foi realizada, e não do presente. Já o futuro, em se tratando de pesquisas eleitorais, é quase sempre imprevisível, apesar da possibilidade de se fazer projeções.

 

Os candidatos têm lá suas razões quando avaliam algumas pesquisas que são  feitas para beneficiar seus opositores. Eles precisam entender que em todo o segmento da vida humano há coisas que são sérias, bem feitas e por isso respeitáveis. E outras não. O mesmo acontece com os institutos de pesquisas e o fruto de seu trabalho.



Isso, porém, não justifica a adoção de proibição. O mais correto é prestigiar, dar fé aos institutos que trabalham corretamente, costumam acertar as pesquisas e dizer àqueles que os políticos usam para lhes expor sempre bem junto à opinião pública, digo ao eleitorado. A credibilidade das instituições vai depender da seriedade, da honestidade dos políticos.



Em Sergipe, o político que mais questiona os números das pesquisas eleitorais é o deputado federal Almeida Lima (PPS), que costuma dizer que os dados são manipulados de forma a beneficiar “esse” ou “aquele” candidato e diz confiar apenas naquelas que são feitas por um instituto ligado à sua família. “Eu não faria uma pesquisa para me enganar”, justifica.



O convívio dos candidatos com as pesquisas sempre foi e sempre será difícil. Elas causam alegrias a uns e decepções a outros e nós, os humanos, costumamos gostar muito daquilo que nos beneficia, nos projeta. Por isso, as pesquisas vão continuar existindo, ainda que contrariando interesses de “A” ou “B” e contemplado “C” ou “D”.



Política
Com.: 0
Por Eugênio Nascimento
01/09
09:24

Coluna Primeira Mão

Quem vai substituir Carlos Ayres Britto no STF?

Em sua edição deste domingo, o Jornal do Brasil divulga na Coluna Informe JB o seguinte comentário:

Geopolítica na renovação do STF

 

Com as aposentadorias dos ministros Cezar Peluso, Ayres Britto (em novembro) e Celso de Mello (no início do próximo ano), deixa de ser majoritária a presença de paulistas no Supremo Tribunal Federal, enquanto que o Nordeste fica sem representação na mais alta Corte do país. Peluso, Mello, Ricardo Lewandowski e Dias Toffoli nasceram em São Paulo; Joaquim Barbosa e Cármen Lúcia em Minas Gerais; Marco Aurélio e Luiz Fux no Rio de Janeiro; Gilmar Mendes em Mato Grosso; Ayres Britto em Sergipe; e Rosa Weber no Rio Grande do Sul. Assim, com base em razões geopolíticas, crescem na Praça dos Três Poderes as especulações de que Cezar Peluso seria substituído pelo conterrâneo José Eduardo Cardozo, ministro daJustiça; Ayres Britto teria como sucessor um nordestino; o gaúcho Luís Inácio Adams, advogado-geral da União, sucederia Celso de Mello, caindo de quatro para três o número de paulistas na composição do STF. (Do Informe JB)



Valadares Filho confirma participação em debate e desafia João Alves


O candidato do PSB a prefeito de Aracaju, Valadares Filho, já confirmou sua participação no debate que a TV Cidade realiza, na terça-feira da próxima semana (4 de setembro) e mais uma vez desafiou seu principal adversário, João Alves, a comparecer ao evento. Valadares Filho também voltou a apontar o adversário como o símbolo do retrocesso para Aracaju: "Com o apoio do povo, nós vamos derrotar o candidato do DEM, um homem de ideias atrasadas, que não se modernizou, e, portanto, não está preparado para governar uma cidade moderna como a nossa capital. Aracaju pede para continuar avançando e cumprir seu destino de cidade moderna. Não vamos admitir que o retrocesso".

 


João Alves garante que Aracaju terá a melhor segurança pública do NE

 

A segurança pública é uma das prioridades no Programa de Governo do candidato a prefeito pela coligação “Aracaju não pode esperar”, João Alves Filho. O democrata prometeu esta semana reeditar o sucesso no combate ao crime do seu último Governo, quando foi registrada a maior taxa de resolutividade de crimes em 2006, quando 60% dos crimes foram resolvidos contra 4% da média nacional. João assegurou que Aracaju terá a melhor segurança pública do Norte e Nordeste. Segundo João, “é muito comum um prefeito dizer que segurança pública é um problema do estado, que a violência acontece no país inteiro cruzando, portanto, os braços e fingindo que não tem nada com isso. Para mim, isso é uma desculpa esfarrapada”.O trunfo de João Alves Filho para combater a violência em Aracaju começou a ser mostrado no programa de TV do candidato. Ele vai trazer a experiência da cidade de Americana, interior de São Paulo, considerada como uma das três cidades mais tranquilas e seguras do país. Lá, a Guarda Municipal protege não apenas o patrimônio, mas também a vida do cidadão. “Nós vamos expulsar os traficantes de drogas dos bairros e devolver as praças públicas para as famílias”

 


Reynaldo Nunes: O PV quer mais saneamento básico


"O PV não teve início hoje, temos nossa história e nossos projetos. O que nós observamos é que os problemas de antes continuam até hoje: lixo, saneamento básico, mobilidade urbana e os mesmos grupos políticos se alternando no poder". Foi o que disse na noite de quinta (30), o candidato do Partido Verde a prefeito de Aracaju, Reynaldo Nunes, durante a rodada de entrevistas do Cabaré de Quinta, em sua 56º edição de NósnoCabaré.comConvidados, evento que acontece todas as quintas-feiras no bar Meu Buteco. Reynaldo foi o terceiro candidato a prefeito de Aracaju entrevistado no Cabaré. O primeiro foi o candidato pelo PPS, Almeida Lima, seguido da candidata pelo PSTU, Vera Lúcia. O candidato Valadares Filho (PSB) teve a sua entrevista adiada por motivo de força maior, e o candidato do DEM, o ex-governador João Alves Filho, não compareceu alegando choque de compromisso, mesmo estando agendado há mais de um mês. Por cerca de duas horas, Reynaldo explanou o seu plano de governo para administrar a cidade da qualidade de vida, respondendo as perguntas de jornalistas, por meio de twitter e a comunidade em geral e buscou justificar o porque o seu nome é o melhor para ser prefeito em Aracaju.


Ato religioso abre comemorações dos 100 anos de Augusto Franco



Nesta terça-feira, às 8 horas da manhã, na Catedral Metropolitana de Aracaju, acontece o primeiro ato publico coemorativo do Centenário de Augusto Franco. Será a Missa em Ação de Graças a ser concelebrada pelo arcebispo metropolitano, Dom José Palmeira Lessa e mais oito sacerdotes. O ato religioso está sendo promovido pelos familiares de Augusto Franco, sua esposa, D. Maria Virgínia Leite Franco e os filhos, que convidam a participação de todos os sergipanos. À tarde, também, na terça-feira, a partir das 14,30 horas, no CIC, será realizado o Fórum "Cenários da Economia Brasileira", com a participação dos governadores Marcelo Déda, de Sergipe e Eduardo Campos de Pernambuco, dos economistas José Pastore e Pablo Castro e do ex-governador Albano Franco. Durante o Fórum acontecerá o lançamento do livro "Legado Desenvolvimentista de Sergipe", de autoria do economista Marcos Melo.


Complexo viário interligará a Tancredo Neves à C. do Meio


O secretário de Estado da Infraestrutura, Valmor Barbosa, se reuniu nessa quinta-feira, 30, com os representantes da Geométrica Engenharia de Projetos para discutir detalhes do início dos trabalhos para elaboração dos projetos do Complexo Viário da Tancredo Neves com a avenida Beira Mar, interligando ao bairro Coroa do Meio. Inicialmente, o complexo viário será formado por uma ponte com o menor número de pilares possíveis, permitindo a navegação no Rio Poxim e chegando mais próximo das áreas já estabilizadas na margem da Beira Mar e do lado da Coroa do Meio. Para o cruzamento das avenidas Beira Mar e Tancredo Neves, será estudado um sistema adequado para resolver o problema de engarrafamento naquela área. De acordo com secretário Valmor Barbosa, a elaboração de mais um projeto demonstra a preocupação do governador Marcelo Déda em melhorar o trânsito de Aracaju. “O Estado está realizando obras que vão interferir na mobilidade urbana na capital, como a
duplicação do Viaduto do Detran e a construção do novo acesso à BR-235 pela avenida Santa Gleide. Também estamos com o processo licitatório para a duplicação da Euclides Figueiredo, no Porto Dantas”, destacou.

 



Mulheres já somam mais de 30% do total de candidatos


Nas eleições municipais deste ano, o percentual de candidatas às vagas de vereador e prefeito em todo o país atingiu 32,57% acima, portanto, do que estabelece a Lei das Eleições (Lei 9504/97). É a primeira vez que os partidos políticos e coligações atingem o percentual de 30% da chamada Cota de Gênero. De acordo com estudo realizado pelo Tribunal Superior Eleitoral (TSE) nas eleições deste ano o número de candidatos do sexo masculino chegou a 302.348 e o de candidatos do sexo feminino a 146.059. Nas eleições municipais de 2004, o percentual de participação feminina foi de 21,04%, com 287.558 candidatos do sexo masculino e 81.263 do sexo feminino. Nas eleições de 2008, esse o percentual foi de 19,84%, sendo 274.110 candidatos masculinos e 77.409 do sexo feminino.

 

A Editora Juruá disponibiliza em seu site, a partir de hoje, livro de sergipano


André Ribeiro Leite
é Mestre em Direito Judiciário e Organização Judiciária pela Universidade do Minho - Portugal; Bacharel em Direito pela Universidade Federal de Sergipe; Pós-graduando em Direito Processual Civil pela Universidade Anhanguera-Uniderp. Advogado e Procurador do Município de Nossa Senhora do Socorro, Sergipe. Tem artigos publicados. A presente obra analisa o instituto da Coisa Julgada, ou do Caso Julgado, como é conhecido em Portugal. Em face de evidente simetria do instituto do caso julgado nos ordenamentos jurídicos de Portugal e do Brasil, o livro investiga, mediante estudo de direito comparado, em que se descrevem as respectivas características de cada legislação. Em ambos os países, instituto do Caso Julgado, ou Coisa Julgada Inconstitucional, se reporta à ideia de imutabilidade da decisão processual final prolatada por órgão jurisdicional de soberania, de modo a tornar definitiva e obrigatória a solução estatal acerca de pretensão que lhe foi deduzida. Entendido como um dos corolários do princípio da segurança jurídica, é através dele que se estabiliza a relação jurídica questionada ou reivindicada, tornando-a segura e, em dadas circunstâncias, incorporando-a ao patrimônio jurídico de alguns dos sujeitos processuais na condição de direito subjetivo.


GJP assumirá comando do Hotel da Ilha em Sergipe



O antigo Hotel da Ilha, RESORT da Barra dos Coqueiros, que fechou as suas portas como propriedade do grupo Dioro, passará a ser administrado pelo grupo GJP, do emp´resário Guilherme Paulus, ex-sócio proprietário da CVC. Contrato será assinado segunda-feira, 03 de setembro, às 17h, na sede do Clube de Dirigentes Lojistas de Aracaju. Os novos proprietários do hotel querem abrir suas portas ao público dia 15 de outubro próximo. Outros investimentos no setor hoteleiro devem ser anunciados logo em breve.


OAB/SE institui Comissão de Combate à Corrupção


A Ordem dos Advogados do Brasil - Seccional Sergipe, buscando criar meios para o fortalecimento do combate à corrupção no Estado de Sergipe, se reuniu com representantes do Tribunal de Contas da União (TCU), Controladoria da União (CGU), Conselho Arquidiocesano de Leigos e Leigas de Aracaju (Conal) para discutir uma aproximação entre as instituições de forma a se somarem na luta contra a corrupção. Gustavo Andrade Santos, presidente da Comissão de Combate à Corrupção Eleitoral, explicou que a Comissão encontra-se em 'fase de gestação'. "Estamos buscando uma aproximação com as outras entidades para que possam conhecer as propostas da Comissão e poderem participar conosco no combate à corrupção", contou Gustavo. Pedro José Suffredini, representante do TCU, participou da reunião buscando conhecer os propósitos. "Conversamos em como o TCU pode ajudar a essa Comissão que tem bastante potencial", destacou Suffredini. Já Jerônimo da Silva Sérgio, membro do Conal, elucidou que esse encontro é a busca pela construção de um espaço que visa o fortalecimento da democracia.


Os sergipanos já são mais de 2 milhões, segundo o IBGE

Dados do Censo 2012, divulgados pelo IBGE, mostram que os sergipanos são pouco mais de 2 milhões e que Aracaju é a cidade mais populosa do Estado com 587.701 habitantes, pouco mais de um quarto do total. Em seguida, vem os municípios de Nossa Senhora do Socorro, com 165.194, Lagarto, com 96.602, Itabaiana, com 88.501, e São Cristóvão, com 81.011. Os menos populosos são Telha, com 3.006 habitantes e é seguido por General Maynard, com 3.009, Pedra Mole, com 3.026, Malhada dos Bois, com 3.494, Cumbe, com 3.839, e Canhoba, com 3.955.


TV Atalaia divulga hoje pesquisa sobre as eleições em Aracaju



O Telejornal do Estado, que vai ao ar na TV Atalaia/Record hoje à noite, às 19h15, vai divulgar o resultado de pesquisa realizada pelo Instituto Única durante os últimos dias de agosto deste ano. Os números representam o crescimento, queda ou estagnação de candidatos durante os primeiros dias da campanha eleitoral no rádio e na TV, conforme Alexandre Wendel, diretor do instituto.


Comissão da Verdade vai investigar torturas em delegacias em todo o Brasil


A Comissão da Verdade decidiu não somente apurar as torturas em períodos de didaturas no Brasil, conforme a sua atribuição original. Os membros da Comissão Nacional decidiram na semana passada que v~]ao apurar denúncias de tgorturas também ocorridas recentemente nas delegaciais de polícia em todos os estados brasileiros. Todas as denúncias serão apuradas.

 

 


Colunas
Com.: 0
Por Eugênio Nascimento
Primeira « Anterior « 17 18 19 20 21 22

Enquete


Categorias

Arquivos