13/09
10:49

PT poderá eleger três vereadores em Aracaju

“Além de eleger Edvaldo Nogueira (PC do B) prefeito de Aracaju no primeiro turno,  estamos trabalhando para eleger o máximo possível de vereadores.  A coligação que está o PT,  avalia-se,  poderá fazer 6, três dos quais petistas”. O comentário é do deputado federal e dirigente petista João Daniel, acrescentando que o PT disputa com chance real de vitória as prefeituras de Nossa Senhora da Glória (Chico), São Domingos (Pedrinho) e Macambira (Luciano), além de Porto da Folha e Barra dos Coqueiros. 

Advogados pela Democracia

A campanha do candidato a vereador Camilo (PT), um jovem de 25 anos, formado em Ciências Sociais, é crescente.  Além da força dos coletivos de juventude, estudantes secundaristas e universitários,  ganhou a adesão de outros setores como os movimentos sociais,  sindicatos e parte dos “advogados pela democracia”.



Política
Com.: 0
Por Eugênio Nascimento
13/09
10:07

TV Atalaia divulga pesquisa nesta terça-feira

A TV Atalaia divulga nesta terça-feira, às 19h, no Jornal do Estado, pesquisa eleitoral realizada pelo Instituto Paraná em Aracaju. Foram ouvidos 800 eleitores no período de 8 a 12 deste mês. O Jornal do Estado é apresentado pelo jornalista Gilvan Fontes.



Política
Com.: 0
Por Eugênio Nascimento
13/09
09:56

JB descarta privatização do Banese

Nunca discuti a venda do Banese e não penso nisso”. A afirmação é do governador Jackson Barreto (PMDB), que estranha essa onda de boatos que se propaga dando conta de que a instituição financeira seria colocada à disposição de quem der mais. O Banese é o único banco que se faz presente em todo o Estado e tem bons serviços prestados à sociedade. A informação foi publicada na coluna Periscópio, do Jornal da Cidade, edição desta terça-feira.



Política
Com.: 0
Por Eugênio Nascimento
13/09
08:47

Quem é o prefeito?

Marcos Cardoso
Jornalista

Quem gosta do clima eleitoral, do calor da competição pelos cargos em disputa, deve estranhar o desenrolar do atual pleito. Curta no tempo e nos gastos financeiros agora disponíveis por limitação da Justiça, a eleição amornou, mas ficou mais civilizada.

O que se pretende com uma eleição enxuta é justamente menos gastos, menos dinheiro circulando, menos compra de votos e de cabos eleitorais, menos corrupção. Tomara que o apurado após o 2 de outubro seja bom para a nossa cambaleante democracia.

No interior de Sergipe, há algum clima de acirramento aqui e ali. Mas nada que lembre as refregas do passado. Pelo menos por enquanto.

Estranho mesmo é o inusitado que acontece na capital, onde o grupo do atual prefeito faz um inédito pacto no curso do processo com os aliados do eventual adversário para combaterem juntos o ex-prefeito.

É natural que num pleito as críticas mais severas sejam dirigidas ao chefe do Executivo que disputa a reeleição. Afinal, quem está na administração sofre as maiores cobranças pelo que fez ou deixou de fazer.

Mas é inusitado ver o prefeito João Alves “aliar-se” ao adversário Valadares Filho para atacarem o ex-prefeito Edvaldo Nogueira. Os dois candidatos afinaram o discurso? Por que será?

Claro que tem a ver com a posição de liderança que Edvaldo emplacou desde o momento que a disputa começou para valer.

Com o portfólio de obras físicas e sociais que tem para mostrar, lembrando ao aracajuano o quanto os seus seis anos de gestão foram positivos para a cidade, em oposição à fraca gestão de João Alves e à carência absoluta de realizações do deputado Valadares, o candidato do PCdoB de repente passou a ser confundido como se ainda fosse o prefeito.
E tome porrada.

Enquanto João acusa a “herança maldita” que teria recebido de Edvaldo, que o impossibilitaria de governar, e o até há pouco aliado Valadares afirma que as realizações do ex-prefeito só existem na propaganda, os pensadores das campanhas dos dois não economizam num jogo nada limpo e inundam as redes sociais com grosserias as mais diversas.

Ora é uma voz imitando Jackson Barreto ao acordar afirmando que vai fazer no vaso sanitário o que ele e Edvaldo fazem como gestores. Ora é um filme denunciando a aliança que envolve seus principais apoiadores, Jackson e o PT, apontados como responsáveis por inúmeros escândalos. E por aí vai.

O que os detratores não estão enxergando é que Edvaldo matreiramente conquistou uma aliança inédita nesta eleição.

Em nenhuma capital a não ser Aracaju um candidato conseguiu unir em torno de si o PT e o PMDB, dois dos três principais partidos políticos do Brasil, que foram aliados nacionais até este ano e agora, com o episódio do impeachment de Dilma Rousseff, tornaram-se inimigos figadais.

Inimigos lá, não aqui, onde Edvaldo é o fiel da balança nesse equilíbrio entre forças poderosas e nada desprezíveis.

Que candidato mais ou menos ideologicamente afinado não brigaria por um apoio de tamanho peso?

Pelo que se vê na campanha até agora, o povo não se deixa levar pelo falso moralismo, não está nem aí para o desespero alheio e vai guardando sua resposta para a urna eleitoral. Quem sobreviver até o dia 2 verá.


Colunas
Com.: 0
Por Kleber Santos
12/09
12:23

Luciano Bispo reassumirá Presidência da Alese

O deputado estadual Garibalde Mendonça, atual presidente da Assembleia Legislativa de Sergipe,  está disposto a não criar confusão e passar o comando da Casa para Luciano Bispo, presidente afastado e seu colega de PMDB, assim que a Justiça Eleitoral comunicar a recondução de Bispo ao parlamento. Já há um entendimento nesse sentido.

Isso acontecendo, Garibalde volta a assumir a vice-presidência da  Assembleia. Luciano foi afastado há dois meses por causa da cassação do registro de sua candidatura em 2014, por rejeição de contas pelo TCE. No final da semana passada, o TSE aprovou, por unanimidade, o retorno de Luciano para a Alese.



Política
Com.: 0
Por Eugênio Nascimento
11/09
18:37

Coluna Primeira Mão

JB disposto a decretar emergência em SE


O governador Jackson Barreto está disposto a decretar emergência em Sergipe se o Governo Federal não liberar recursos para o Estado superar as dificuldades geradas pela crise econômica. No último dia 06 ele esteve em Brasília com o ministro Eliseu Padilha, da Casa Civil, e entregou documento propondo que os recursos provenientes da repatriação do exterior, que estão sendo amplamente divulgados pelo próprio Ministério da Fazenda, possam ser utilizados nesta ajuda emergencial aos estados do Nordeste, Norte e Centro Oeste. Os governadores desejam conseguir R$ 7 bilhões de ajuda imediata. Nesta segunda-feira, 12, os governadores estarão reunidos em Brasília para a posse da presidente do Supremo Tribunal Federal, ministra Carmem Lúcia, e aproveitam para pedir audiência ao presidente Michel Temer, o que deve acontecer na terça. Os governadores irão deliberar sobre uma decretação coletiva de emergência e um pedido de auxílio emergencial, por meio de uma Medida Provisória, a exemplo da que foi feita para beneficiar o estado do Rio de Janeiro. “Esperamos contar com essa ajuda. A crise afetou de forma muito dramática as finanças dos estados”, disse o governador JB.


André sobreviverá na liderança?


O PMDB trabalha a saída do deputado André Moura da liderança do Governo na Câmara Federal. Já há quem diga que o parlamentar sergipano tem vida curta no cargo. Mas parece que ele tem fortes apoios de lideranças expressivas por trás, tipoooo.......Eduardo Cunha.

Pense na urucubaca!!!!


Embora ocupando um bom cargo, o de líder do Governo Temer na Câmara, André Moura vive um mau momento político também em Sergipe. Outro dia andou dando uma de todo poderosos, em Japaratuba. A gravação vazou e ele ficou em situação desconfortável com os outros 10 membros da bancada federal, que ele disse que não têm poder nenhum em Brasília. Agora, lá vem a Justiça Eleitoral e rejeita o pedido de registro de sua mulher, Lara, para disputar a Prefeitura de Japaratuba.


Pesquisa e debate na TV SE


A TV Sergipe divulga no decorrer desta semana uma nova rodada de pesquisa eleitoral do Ibope em Aracaju. Os candidatos correm contra o tempo em busca de ampliação de apoios para conquistar melhor desempenho. A emissora confirmou para o dia 29 portanto dois dias antes do pleito de 2 de outubro o debate com os prefeituráveis da capital.


As opções do PMDB para 2018

Ainda faltando dois anos para a disputra do Governo do Estado de Sergipe o PMDB comenta-se a boca miúda já tem três opções para o Governo de Sergipe. Os nomes mais comentados são os de Belivaldo Chagas Zezinho Sobral e João Augusto Gama.


Laura e Wellington Mangueira na UFS


No próximo dia 15 de setembro de 2015 acontecerá a palestra ?Laura e Wellington Mangueira: dois sobreviventes da tortura militar no Brasil?. O evento será na sala 113 da didática V da UFS das 16:30h às 18:50h. O evento é organizado pelo Núcleo de Estudos sobre o Estado e a Democracia, coordenado pelo professor José Afonso do Nascimento e pelos seguintes organizadores estudantis: Luan Matheus Hora Santos, Italo José Nascimento Santana, Mylena Rodrigues Vieira Santos,Leonardo de Paiva Portugal, Débora Regina Nascimento Oliveira, Raquel Diniz Alves Fonseca, Luiza Oliveira Moraes Coelho e Nayumi Yogo Ferreira. Público-alvo: estudantes, professores, servidores da UFS e quem mais tiver interesse.


Candidata do PSTU se compromete a acabar os CCs


Vera Lúcia, candidata do PSTU à Prefeitura de Aracaju, afirmou para a coluna que não abre mão da educação e saúde públicas, gratuitas de qualidade. Para viabilizar o seu propósito, primeiro é preciso garantir verbas públicas apenas para a saúde e educação públicas e nenhum tostão para os milionários donos das escolas, hospitais, clínicas e laboratórios privados; segundo será necessário garantir vagas para todas as crianças em creches e escolas públicas, de qualidade. Ela disse ainda que ?para isso é preciso acabar com o processo de privatização continuada da educação e da saúde. A candidata explicou também não abre mão da democracia nas escolas para que professores e a comunidade escolar possam debater e decidir em nível do município o projeto pedagógico, a gestão pública da mesma e eleger diretamente sua direção. Combatendo assim projetos retrógrados e autoritários como o “Escola sem Partido”. Vera quer acabar a evasão escolar, aumentando a qualidade do ensino público. Considera essencial acabar com os Cargos Comissionados (CC?s), assegurando o funcionamento dos serviços públicos pelos servidores públicos de carreira.


Um amigo na praça - Os agiotas e compradores de milhagens atuam bastante nas praças general Valadão e Fausto Cardoso em Aracaju.


Procura-se - Por falar em agiota, tem candidatos a cargos eletivos pegando muito dinheiro emprestado em Aracaju e grandes municípios do interior.


Eunice bate forte em advogados/juízes

O assunto mais comentado da semana foi, sem sombra de dúvida, o forte discurso da procuradora eleitoral Eunice Dantas (MPF) sobre a possível ajudinha dada por advogados/juízes provisórios do Tribunal Regional Eleitoral (TRE) para o sempre enrascado Manoel Sukita. Ela bateu pesado e quer investigação sobre a conduta de Jorge Fraga e Mário Vasconcelos, que desejam processá-la. Os dois são acusados de engavetar processo contra Sukita para que ele prescrevesse. Nesse pacote entra Sukita. A queda de braço já começou. É preciso esperar para ver no que vai dar.


Cidadania sergipana - O médico especialista em epidemiologia, medicina do trabalho e gestão pública Walter Marcelo Oliveira de Carvalho, recebe nessa segunda-feira 12, o título de Cidadania Sergipana na Assembleia Legislativa de Sergipe (Alese), durante sessão especial a partir das 17h. O projeto de resolução é da deputada Goretti Reis (PMDB). Para parlamentar, um diploma que reconhece os serviços prestados pelo médico no Sistema Único de Saúde (SUS) e nos cargos públicos que ocupou como secretário municipal da Saúde em municípios do interior de Sergipe. "Walter tem relevantes serviços prestados como gestor público. É um profissional dedicado, principalmente, quando se trata de ajudar a população carente", ressaltou.


Cidadania aracajuana - Na próxima quarta-feira, 14, a Câmara Municipal concede título de cidadã aracajuana para a jornalista Cristina Rochadel Moreira, às 17h.


Audiência pública na Câmara


Representantes do Conselho Regional de Educação Física (Cref), Sindicato Dos Profissionais de Educação Fisica do Estado de Sergipe (Sinpefes), Associação Sergipana de Personal Trainers (Asept) e FASE-Faculdade de Sergipe realizaram uma audiência pública, na Câmara Municipal de Aracaju, na manhã desta sexta-feira, junto com o vereador Dr. Gonzaga, para discutir o papel do profissional de Educação Física e a atual situação da profissão no Estado. O vereador Dr. Gonzaga presidiu a audiência e disse que se sentia verdadeiramente honrado em ser considerado como um representante dessa categoria de profissionais. E também muito feliz por estar aqui hoje participando dessa homenagem aos profissionais de Educação Física, que no último dia 1º de setembro completou 18 anos de profissão.


Pronto para o ataque - João da Tarantela, candidato a prefeito de Aracaju pelo PMN, está disposto a atacar o candidato à reeleição João Alves Filho (DEM). Mas não tem espaço para isso no horário eleitoral gratuito. Acha que o atual prefeito não fez nada nos quase quatro anos do atual mandato e que “quer mais quatro anos de paralisia total para a capital sergipana”.

No 1º turno - Edvaldo Nogueitra (PC do B) e seus aliados estão nas ruas trabalhando a possibilidade de vencer a disputa eleitoral em Aracaju no primeiro turno.

Servidores das universidades  ameaçam entrar em greve geral

Plenária Nacional aprova deflagração do Estado de Greve na base da Federação (Fasubra), com assembleias periódicas visando a construção do calendário de lutas em conjunto com os demais setores da educação federal, para construção da greve geral. O Estado de Greve é uma situação aprovada pelos trabalhadores, alertando aos governantes que a qualquer momento poderão deflagrar uma greve. Nos dias 12 13 e 13 deste mês o tema entra em debate nacional.



Coluna Eugênio Nascimento
Com.: 0
Por Eugênio Nascimento
11/09
13:13

A vingança do filho de Afrânio Guedes

José Lima Santana
Professor do Departamento de Direito da UFS

Antônio Francisco de Medeiros e Silva Guedes. Era o nome do rapaz. Filho de Afrânio Guedes, por três vezes prefeito de Barracas, cidadezinha miserável, perdida nos confins do sertão mais seco e mais bruto que se conhecia. Uma perdição de cidade. Em todos os sentidos. Afora os seus mirrados habitantes, ali só ia quem tinha negócio. E negócio importante. Terra mal afamada. Terra de crimes, de rixa de famílias. Terra onde o diabo fez morada. Terra avermelhada. Seca, seca, seca a não mais poder. Chuvas? Trovoadas e bons invernos? Tinha, sim. Mas, apenas de quando em quando. Lavoura ocasional e, ainda assim, diminuta. Umas espigas de milho, mais das vezes banguelas. Um feijãozinho de corda. Um punhado de fava branca ou de casta. Umas ramas de algodão. Tudo isso, quando convinha aos céus derramar um pouco de água. Nem sempre. Gado? Umas criações de bodes. Aliás, bode não era tão difícil assim de criar. O bicho comia de um tudo. Qualquer coisa que o bode podia babujar, ele passava para o bucho. E, pensando bem, uma buchada de bode era uma iguaria supimpa nos confins dos sertões. Era de lamber os beiços.

Afrânio Guedes, filho do coronel Francelino Guedes e neto do major Zé Pedro Guedes, herdeiro de sesmarias, era o filho mais velho das segundas núpcias de Francelino. E Antônio Francisco era o filho mais novo de Afrânio. Igualmente, assim como o pai, filho do segundo casamento. Da primeira mulher de Afrânio sobrevieram onze filhos. Dois não se criaram. Morreram ainda no berço. No décimo segundo parto, Dona Socorrinho morreu de hemorragia. Casado pela segunda vez, Afrânio ainda seria pai de cinco filhos, um homem e quatro mulheres. Antônio Francisco era o último. A ponta de rama. Quando ele nasceu, o pai já contava sessenta e alguns janeiros. Porém, ainda era um velho de acentuado vigor. Físico. Quanto ao outro tipo de vigor, aquele outro tipo, somente Dona Josefina, a segunda esposa, seria capaz de dizer.

As rixas entre famílias dizimavam muita gente. Ora morria um de um lado e logo mais morria um ou dois ou outro lado. E as famílias iam se engalfinhando numa luta sem pé nem cabeça. Já não se sabia mais porque morriam e porque matavam. Naquela década de 1950 era assim. Dizia-se que a briga entre a família Guedes e a família Peixoto vinha do início do século XIX. Rixa por causa de terras. Um Peixoto teria arrancado o rumo de uma porção de terras de um Guedes e a miséria começou. Morte daqui, morte dali, morte dacolá. Mais de um século de desavenças e carnificina. Até o Padre Cícero do Juazeiro, lá no Ceará, tentou intermediar uma trégua, mas foi em vão. As duas famílias rivais eram devotas do Padim.  

De fato, os brigões deixaram de se matar por três meses. Porém, quando os trabucos voltaram a cuspir fogo, morreram cinco de uma vez, num tiroteio na feira do Lagamar. Morreram dois dos Guedes e três da família Peixoto. Confusão num boteco de cachaça. Tomando uma pinga, um Guedes cuspiu e o cuspe foi cair a cerca de dois metros das botas de um Peixoto. Aquilo foi interpretado como um desaforo, uma provocação que haveria de merecer reprimenda à altura. Não deu outra. Trabuco na mão, defunto no chão. Outros dos dois lados se achegaram ao boteco. Mais tiros. Mais mortes. Um dos mortos era exatamente o velho Afrânio Guedes, atingido por uma bala traiçoeira disparada por Silvano Peixoto, que, à época do ocorrido, não tinha fechado dezoito anos de idade. E este tal escapou da matança. Menor de idade, ele escaparia do júri, mas, antes, deu no pé. 

Quando Afrânio Guedes morreu, Antônio Francisco contava doze anos de idade. Os meios-irmãos deixaram ao seu encargo vingar a morte do pai. É bem verdade que eles tirariam as vidas de mais dois da família Peixoto, após o esfriamento daquela mortandade. Mas, o Peixoto que matara pelas costas o velho Afrânio Guedes haveria de ser morto pelo filho mais novo. E este deveria dar cabo do assassino do pai antes de completar, igualmente, dezoito anos. Para escapar do júri, se preso viesse a ser. 
Cinco anos se passaram desde a morte de Afrânio Guedes. Silvano Peixoto mudara-se dali sem deixar rastro. Era o que supunha a família Peixoto. Todavia, não era bem assim. Uma carta de uma tia do jovem assassino seria interceptada pelo carteiro Malaquias de Zé Brito, casado com uma Guedes, prima distante do falecido Afrânio. Endereço de São Paulo. Dentro da carta da tia, vinha uma carta do sobrinho. 

Dois dos meios-irmãos arribaram para São Paulo, levando consigo Antônio Francisco, que mal acabara de fechar dezessete anos. O rapaz fora bem treinado. Atirava melhor do que qualquer um dos meios-irmãos. Era fera com um revólver três oitão, canela seca ou cano curto. Tanto fazia. 

Silvano Peixoto já era casado e pai de um filhinho. Morava no bairro do Brás. E ali mesmo trabalhava. Morava numa casa de vila. Vila Condorelli, casa nº 5. Não teve erro. Os irmãos Gudes estudaram o ambiente. Seria melhor matá-lo na porta de casa ou a caminho do trabalho? Vingar a morte do pai era o que importava. Detalhes não contavam. O jovem Antônio Francisco, porém, ponderou junto aos meios-irmãos que preferia dar cabo do sujeito dentro de casa. E descreveu a cena: “Vou matar o infeliz quando ele estiver jantando. Vai cair sobre o prato”. Os dois meios-irmãos concordaram. “A vingança do nosso pai está em suas mãos”. 

Antônio Francisco esperou o Peixoto assassino, na volta do trabalho à boquinha da noite. Ele já sabia o horário da volta. Os dois meios-irmãos ficaram numa esquina, prontos para agir se preciso fosse. Decerto, não seria. A pontaria do rapaz era certeira. E a sua frieza era igual a uma pedra d’água, daquelas da geladeira de Dona Francisquinha, que ela vendia e tinha de vários sabores. Mal Silvano entrou em casa, sem ter tempo de fechar a porta, eis que o jovem Guedes deu um pinote e entrou com ele, o revólver encostado na cabeça. A mulher de Silvano Peixoto quis gritar, mas o Guedes fez sinal de silêncio com o dedo encostado nos lábios. Ela tremeu, entrou em choque. Nos braços, o filhinho de pouco menos de um ano. O bebê estendeu os braços para o pai. Daquela vez, não os pôde ter. 

Antônio Francisco se apresentou. Disse quem era. Silvano respondeu que já esperava por aquilo. Sabia que poderia acontecer mais dia, menos dia. Afinal, as brigas entre famílias sertanejas, que nem sentido tinha mais, pareciam nunca ter fim. “Pode me matar, mas não faça mal à minha mulher e ao meu filhinho. Eu lhe peço pelo leite que você mamou em sua mãe”. O jovem Guedes não disse nada. Olhou para a mulher com o filho nos braços. O seu pai estava morto há cinco anos. O pai daquele Peixoto foi morto por um Guedes antes da morte do seu pai. Muitos Guedes e Peixoto estavam debaixo do chão. Por quê? Para quê? Então, ele disse: “Não vou lhe matar. Vou atirar no chão. Vou cortar uma mecha do seu cabelo e levar para provar aos meus irmãos que lhe matei. Mulher dê-me uma tesoura. Eu sei o que é não ter mais pai. Não vou deixar que o seu filho passe pelo que eu passei. As brigas entre nossas famílias precisam acabar. Deus não fez a gente para isso, para ficar por aí matando e morrendo”. O jovem Guedes disparou três vezes. A vizinhança ouviu os estampidos. Os dois meios-irmãos também. 

Uma mecha do cabelo loiro do Peixoto foi apresentada pelo jovem Guedes aos meios-irmãos. Gritos de mulher foram ouvidos. Os três deram o fora, antes que a polícia pudesse chegar. 


Coluna José Lima
Com.: 0
Por Kleber Santos
10/09
12:23

A corrida eleitoral no Facebook para prefeito de Aracaju




Kleber Santos
Jornalista e Social Media do TCE/SE**

A temperatura das campanhas para prefeito de Aracaju está sendo medida e já foi divulgada por alguns institutos de pesquisa que ouviram as intenções de votos dos eleitores. Contudo, qual o candidato que está sabendo aproveitar mais a corrida eleitoral no Facebook? Não temos acesso às contas que administram as páginas dos candidatos, contudo, através de algumas ferramentas de métricas de desempenho podemos ter pistas para responder algumas perguntas e entender as estratégias dos candidatos ou se, de fato, existe alguma estratégia. Um número aqui outro acolá poderá estar um pouco diferente, mas certamente dará para apontar um cenário muito próximo do verdadeiro.

Apesar de Aracaju contar com sete candidatos a prefeito, selecionamos os três primeiros colocados na disputa para fazermos esta análise técnica: Edvaldo Nogueira (PC do B), João Alves (DEM) e Valadares Filho (PSB).

De acordo com o Facebook Insight, a maior rede social do mundo reúne entre 400 mil a 450 mil seguidores de Aracaju com faixa etária de 18 anos para cima. Até a última quinta-feira, 8, a página do atual prefeito João Alves aparecia na frente com 96.113 curtidas; seguida com a de Valadares Filho, 92.317; e depois Edvaldo Nogueira, 16.083 curtidas. É bom levar em conta que Edvaldo estava 4 anos sem cargo público e fora da mídia, justamente num período que o Facebook explodiu no país, enquanto que os outros dois candidatos ocupavam cargos públicos: um de prefeito e o outro de deputado federal.

Apesar disso, na prática, estes números não demonstram o grau de influência na rede comandada por Mark Zuckerberg. Uma das principais métricas para analisar o nível de influência é o “Falando sobre isso”, isto é, mensurando a interação dos usuários com as postagens, através de compartilhamentos, comentários, curtidas e outros cliques. Nesta métrica, as posições se invertem. Entre os dias 2 e 8 de setembro, Edvaldo Nogueira apareceu com 3.477 pessoas falando sobre isso; seguido de Valadares Filho com 2.900 e João Alves com 2.460. A liderança é mais significativa pelo fato de que o candidato do PC do B tem menos 80 mil seguidores de um e menos 76 mil do outro. Num cálculo técnico, a porcentagem de engajamento seria Edvaldo (21,6%), Valadares (3,1%) e João (2,5%).

Vale observar que quanto mais curtidas há numa página, maior é o desafio de conseguir bons níveis de engajamento. Por exemplo, na página do presidente do EUA, Barack Obama, que conta com quase 50 milhões de curtidas, a porcentagem de engajamento foi de 0,5% na semana passada.

Por outro lado, há um dado importante: o candidato do PC do B está tendo mais adesões semanais. O Facebook disponibiliza duas formas de medir a quantidade de novos usuários e há ferramentas pagas que também fazem este registro. Nas três formas analisadas, todas foram divergentes nos números, mas unânimes em apontar que a página de Edvaldo Nogueira está tendo mais novas curtidas de internautas. Para ficar somente numa métrica aberta do Facebook, entre os dias 2 a 8 de setembro, surgiram mais 366 novas curtidas na página de Edvaldo, seguida com a de Valadares Filho, 228 novos usuários; e 133 na de João Alves. Nas outras duas analisadas, a diferença foi ainda maior.

O que dificulta a aquisição de novos seguidores entre os candidatos é que a Lei Eleitoral não permite impulsionar com alcance pago as postagens nas redes sociais. Com isso, o marketing de conteúdo tem que ser ainda mais eficaz.

Apesar da terceira colocação no ranking semanal de engajamento, a página de João Alves foi a que obteve as duas maiores quantidades de reações por postagem única entre os candidatos desde o início da campanha eleitoral, dia 16 de agosto. A primeira foi no dia 23 de agosto, quando João posou ao lado e parabenizou o aniversário da senadora Maria, com quase 1.500 interações; a segunda, no dia 21 de agosto, com a postagem da nova foto de perfil do atual prefeito, que gerou quase 1.400 interações. A terceira postagem melhor sucedida é a foto de Edvaldo Nogueira com Eliane Aquino, no dia 23 de agosto, com a ilustração da primeira colocação nas pesquisas. Rendeu mais de 1.200 interações. A postagem mais engajada de Valadares Filho aparece apenas na 15ª posição do topo, com 585 interações, que é ele ao lado de Valadares, no Dia dos Pais.

Edvaldo Nogueira

Baseando-se em uma ferramenta paga de métrica é possível fazer outras análises e tentar entender as estratégias de cada candidato na campanha pelo Facebook.

Começando com o ex-prefeito, Edvaldo Nogueira, as expressões com mais engajamentos na rede social são: Aracaju, Edvaldo65, VoltaEdvaldo, Cidade, Eliane e Esperança. O curioso é que o nome de “Déda” não aparece entre as 50 palavras mais usadas, mas a de Eliane Aquino está não só entre as mais utilizadas, mas como as que produzem mais reações. Então, aparecer com a dobradinha Edvaldo-Eliane tem sido uma boa estratégia.

Falando em produção. Os dois dias mais produtivos de postagens são quinta-feira e sábado. Contudo, as postagens com mais engajamentos são as que aparecem às 18 horas do domingo. A média de postagem diária é de 4,8.

No item tipos de postagens, na página de Edvaldo, foram publicados 62 vídeos, 36 fotos e 17 links. Porém, os melhores desempenhos têm sido das fotos. Talvez, tem favorecido o olhar clínico da fotógrafa Janaína Santos, que tem feito belos registros, juntamente com os outros fotógrafos da equipe. Penso que o ideal seria dar uma ênfase maior nas postagens com fotos, visto que são 315 reações por foto contra 206 por vídeo.

Há um dado inusitado que pode dizer muita coisa. É que entre as páginas com número de fãs ativos similares ao da página de Edvaldo Nogueira, aparece a página de Valadares Filho com forte ligação. Para ser mais claro: há um número significativo de usuários que curtiram a página de Edvaldo e também a de Valadares Filho. Mas a que tem maior ligação com os fãs é a página de Rogério Carvalho e a do deputado federal, Fábio Mitidieri. Tem sentido. O primeiro é presidente estadual do PT, partido que apoia a candidatura de Edvaldo; e no segundo caso, Mitidieri foi secretário municipal de Esportes quando Edvaldo foi prefeito.

Por fim, das mais de 16 mil curtidas, 46,1% já interagiu uma vez na página. E 12,2% interagiu 10 vezes. Ou seja, quase 2 mil usuários constantemente estão interagindo na página de Edvaldo. É o chamado “corpo a corpo”, típico dos partidos de esquerda, mas que agora fazem isto no mundo virtual.

Valadares Filho

A campanha do candidato Valadares Filho tem enfatizado e tido bons engajamentos com as expressões: Aracaju, Renovada, Pense, Gestão e Cuidar. Apesar de não aparecer entre as cinco mais engajadas, as palavras “pastor” e “Antônio” estão entre as 50 que mais aparecem. O que mostra que assim como Edvaldo, Valadares Filho tem dado bom ibope ao seu vice candidato.

Os dias mais produtivos no Facebook tem sido terça-feira e domingo. No caso do candidato do PSB, sexta-feira às 22 horas é o horário com melhor desempenho de engajamento. A média diária de postagem é de 5,8.

No item tipos de postagens, foram publicadas mais fotos (83), do que vídeos (50) e links (5). Porém, diferente de Edvaldo, a campanha de Valadares Filho tem obtido mais reações com os vídeos (203 por postagem) do que fotos (164). Então, o ideal seria aumentar a quantidade de vídeos, sobretudo, os gravados pelo celular nos discursos pelas ruas, que tem demonstrado um efeito positivo.

Entre os fãs ativos que seguem páginas similares, aparece a página do deputado federal Fábio Mitidieri; do senador Eduardo Amorim; e de João Alves. Será que este cenário pode expressar algo mais? Não podemos afirmar. Tecnicamente, o que podemos garantir é que muitos fãs de Edvaldo Nogueira seguem Valadares Filho, e deste seguem João Alves.

De resto, dos mais de 92 mil curtidas na página, 63,8% interagiu uma vez. E 2% interagiu 10 vezes ou mais, totalizando pouco mais de 1.800 pessoas.

João Alves

Diferente dos outros candidatos, a campanha de João Alves Filho não tem divulgado muito o nome do vice, neste caso o de Jailton Santana. Pelo menos, não aparece na lista das 50 expressões mais usadas, como Aracajuemboasmaos, Aracajuano, João25, Aracaju e Avançando. Um fato estranho é que tem se usado pouco o nome de Maria na página de João. Não aparece nem na lista das 50 expressões mais usadas. O nome da senadora poderia ser mais trabalhado e colocado em evidência, visto que as postagens que ela aparece tem tido boas reações.

Sobre outros dados, o dia com mais postagem é na terça-feira. Porém, há uma quantidade parecida nos outros dias. Apenas no sábado cai o número de postagem. O melhor horário de interação tem sido terça-feira, às 10 horas.

Entre os tipos de postagens, destaque para a quantidade de fotos (30), seguida com a de vídeos (13) e links. Há um equilíbrio em relação ao engajamento. Tanto as postagens com fotos e vídeos tem tido desempenho parecidos. 437 reações por postagens para a primeira, contra 420 para a segunda.

A ferramenta de métrica aponta que o público no Facebook de João Alves tem uma semelhança significativa com o de Valadares Filho, o que ocorreu vice-versa. Outras semelhanças são com as páginas de Fabio Mitidieri, Laércio Oliveira e Eduardo Amorim.

Do total superior a 96 mil fãs, 70% já interagiu uma vez nas publicações, e 4,1% mais de 10 vezes.

Com tantos dados, números e métricas, se conclui que fazer uma campanha eleitoral de apenas 45 dias é difícil, mas nas redes sociais é mais difícil ainda porque o candidato não pode ir até os outros internautas, mas somente através de tráfego orgânico (sem pagar). Logo, fica a lição para os políticos que vão se candidatar ao pleito de 2018: se querem ser autoridade online precisam se preocupar logo, sem esquecer que o internauta que interage nas redes sociais é o mesmo que vota nas urnas.

--

* Artigo publicado neste final de semana no Jornal da Cidade (10 e 11 de setembro)

** O autor é dono do maior grupo de Facebook do Estado “Comercio Online Aracaju”, com mais de 100 mil membros; e das páginas “Aracaju Virtual, Feras do UFC e Feras da NBA”, que juntas somam mais de 220 mil curtidas.


Coluna Kleber Santos
Com.: 1
Por Kleber Santos
Primeira « Anterior « 2 3 4 5 6 7 8 9 10 11 12 » Próxima » Última

Enquete


Categorias

Arquivos