29/10
14:15

Cristãos celebram culto pela saúde do governador Déda

Na próxima quinta-feira, 1º de novembro, a partir das 19hs30 haverá o culto "O Clamor dos Cristãos" pela saúde do governador Marcelo Déda. O evento organizado pela Rádio Atalaia AM e o programa Divino Companheiro acontece no Teatro Tobias Barreto e contará com participações de líderes cristãos, cantores, grupos musicais e a mensagem bíblica. O Clamor dos Cristãos" tem o apoio de igrejas cristãs do Estado e da Umese.

Política
Com.: 0
Por Eugênio Nascimento
29/10
07:21

Valadares convoca as bancada para discutir o OGU

"No dia 7 de novembro, às 16 horas, está agendada uma reunião no Senado com a Bancada Federal de Sergipe, composta por 8 deputados federais e 3 senadores, para recebimento das sugestões de emendas que serão apresentadas pelo governo de Sergipe, Prefeitura Municipal de Aracaju, Tribunal Regional Eleitoral, Universidade Federal de Sergip e, Superintendência da Polícia Federal e Ministério Público para o Orçamento da União, exercício/2013.

Já fiz o comunicado dessa reunião, como atual Coordenador, aos parlamentares de nossa bancada federal e a todos os representantes dos órgãos mencionados, inclusive ao governador em exercício Jackson Barreto, ao Prefeito eleito da Capital João Alves Filho, e demais participantes.

Logo após a reunião para recebimento das sugestões de emendas de bancada ou individuais, faremos uma outra para a escolha do novo Coordenador, o qual terá a tarefa de encaminhar e defender junto à Comissão de Orçamento, ao relator geral e aos relatores setorias as diversas emendas aprovadas pelos parlamentares federais que representam o Estado de Sergipe no Congresso Nacional.

Passadas as eleições municipais, temos que esquecer as divergências próprias desse período, sairmos todos do palanque e, juntos, cuidarmos dos interesses de nosso povo, que é o verdadeiro e legítimo destinatário de nossa ação política".


Antonio Carlos Valadares
Senador da República


Política
Com.: 0
Por Eugênio Nascimento
28/10
16:29

A Assembleia de Sergipe precisa aprovar o Proinveste

“Não há dados técnicos e fiscais que inviabilizem o Proinveste. A capacidade de geração de emprego desse empréstimo é de 27 mil postos de trabalho. O Proinveste não é um empréstimo que pedimos. A presidenta Dilma, preocupada com a crise econômica que atinge a Europa, foi olhar como estava o investimento nos estados e nos municípios e descobriu que os investimentos públicos estavam caindo, ameaçando o nível de empregos e de renda. Ela reuniu o ministro da Fazenda, Guido Mantega, e mandou analisar a situação dos 27 estados brasileiros e concluiu-se que 17 estados tinham condições de tomar o empréstimo de R$ 40 bilhões para investir sem arriscar a estabilidade econômica e os futuros governos". A afirmação do governador Marcelo Déda seria suficiente na argumentação para se dar um bom encaminhamento para o projeto que cria o Proinvest.

Mas não é assim que pensam os parlamentares que lhe fazem oposição. Eles dizem que ainda não entenderam o projeto, que precisam de esclarecimento e com isso dão “um gelo” no governo, que tem pressa em ter acesso ao dinheiro. A simples liberação dos recursos, ainda que emprestados, é salutar para o Estado, pois movimenta a economia, gera empregos e viabiliza bons projetos para todos. Isso os opositores de Déda sabem, mas optaram por colocar um pé atrás e isso pode emperrar o desenvolvimento do Estado. A “briga” não é econômica ou por zelo pela situação financeira de Sergipe, é meramente política e já envolve as eleições de 2014, quando termina o mandato do governador Marcelo Déda. A mesquinharia é eleitoral.

Os parlamentares estaduais sergipanos sabem que projetos idêntico ao de Sergipe foram aprovados no Acre, Bahia, Goiás, Mato Grosso, Minas Gerais, Paraíba, Piaui, Rio de Janeiro, Rio Grande do Sul, Rondônia, Roraima, Santa Catarina e São Paulo e, em vários casos, com valores acima dos R$ 727 milhões desejados por Sergipe. Os deputados estariam então com uma síndrome de excesso de zelo? Não. Pelo que eles que dizem querem evitar que o dinheiro seja usado para o pagamento dos salários agora nesta período de final de ano. Estariam eles, então, também contra os servidores? Pelo visto, o movimento político é odiento. E cego.

O desejo de induzir o governo Déda para o fracasso é tão grande que os opositores não conseguem ver que o não ao Proinveste é um não a Sergipe e aos sergipanos. Eles sabem que o Estado tem boa capacidade de endividamento e que os R$ 727 milhões correspondem a 50% do que permite a legislação. Por que então não levar o projeto para votação e aprová-lo? Por que então optou-se por medir força? Parece que estamos diante de um jogo de vaidades de políticos. Isso não é bom Sergipe e para os sergipanos. O dinheiro é importante para a economia de Sergipe, não se trata de uma busca louca por recursos, mas sim da capitalização do Estado para bons investimentos. A oposição não deve virar as costas para os sergipanos.


Colunas
Com.: 0
Por Eugênio Nascimento
28/10
16:14

Poema em linha reta

 

Clóvis Barbosa- Blogueiro e Conselheiro do TCE

Certa vez, há muitos anos atrás, ainda na minha adolescência, preguei uma peça num amigo intelectual, tido e havido como crítico de toda e qualquer atividade artística. Tivera antes uma discussão com ele a respeito de quem seria o maior poeta da língua portuguesa. Eu defendia o nome de Fernando Pessoa, ao que ele afirmava que eu nada entendia de poesia. Para ele, Camões era imbatível e que Pessoa estava muito abaixo de ser considerado um poeta da estatura do grande autor de Os Lusíadas. Ao que repeli, com o ardor da minha juventude, que Camões não escrevia para o povo, mas para um seleto grupo de intelectuais, ao contrário de Pessoa cuja poesia penetrava na alma e sempre nos deixava um ensinamento. Pois bem, certo dia, cheguei em sua casa com um poema que gostaria que ele fizesse uma crítica, já que tinha vergonha de mostrar aos meus colegas. Ele leu por umas três vezes, me devolveu com a seguinte decisão: - desista de poesia, está uma bosta!. Imediatamente, retirei do bolso um pequeno livro de Fernando Pessoa, abri em determinada página e mostrei-lhe aquele poema, cujo nome era o do título deste ensaio, poema em linha reta. Ele ficou ruborizado. Eu saí de sua casa num misto de alegria e frenesi. Tinha vingado o meu poeta. Claro que este acontecimento não criou qualquer tipo de inimizade entre nós. Somos amigos até hoje.

Na verdade, poema de linha reta foi escrito por seu heterônimo Álvaro de Campos, tido por Pessoa como “o mais histericamente histérico de mim”. O poema é um libelo contra a insensatez, a ausência de autocrítica, da falta de vergonha, do egocentrismo, tão em voga nos dias atuais: “Nunca conheci quem tivesse levado porrada. Todos os meus conhecidos têm sido campeões em tudo. (...) Toda gente que eu conheço e que fala comigo nunca teve um ato ridículo, nunca sofreu um enxovalho, nunca foi senão príncipe – todos eles príncipes – na vida... Quem me dera ouvir de alguém a voz humana que confessasse não um pecado, mas uma infâmia; que contasse, não uma violência, mas uma covardia! Não, são todos o Ideal, se os ouço e me falam. Quem há neste largo mundo que me confesse que uma vez foi vil? (...) Poderão as mulheres não os terem amado, podem ter sido traídos – mas ridículos nunca!” Powell e Presburger fizeram um filme em 1948 sob o título “Os sapatinhos vermelhos”. Nele, é dito ao personagem russo Boris Lermontov: - você não pode mudar a natureza humana. Ele responde: - É verdade, mas posso fazer algo melhor: ignorá-la. Pois bem, a verdade é que apesar das grandes descobertas, do grande avanço da tecnologia, o homem pouco evoluiu.

Veja o exemplo da classe política. Nunca se viu tanta autodestruição. É o político desacreditando a política. Qualquer indício de irregularidade, sem qualquer análise mais profunda, é tida e havida como corrupção, improbidade, ladroagem. Ninguém se espanta mais quando se fala que determinado político é ladrão. A crítica, a denúncia, vem do povo? Não! Vem da própria classe política. O comportamento ético de alguns é de arrepiar. Recentemente, um político que foi eleito por uma coligação, repentinamente, descobre que os partidos da coligação que o elegeu são formados por corruptos e, por isso, retira-se da sigla da qual fora eleito e ingressa numa outra, tida como opositora. E tudo fica por isso mesmo. Ele não perde o mandato. Ora, é sabido que no sistema do voto proporcional, o político é eleito pela soma dos votos de todos os outros candidatos do partido ou da coligação. São raros os casos daqueles que se elegem com votos superiores àqueles fixados para o quociente eleitoral. Se esse político, pós eleição, descobre que os seus ex-aliados são corruptos, o correto era ele renunciar, pois, os seus votos também estão chamuscados pelas brasas da desonestidade. Outros, por prazer, sentem-se realizados ao desqualificarem os atos, por mais honestos que sejam, de seus adversários.

Ninguém vê tais comportamentos, por exemplo, entre os médicos, advogados, ou outra qualquer classe. Sei, perfeitamente, que lamentavelmente a busca do poder é um jogo. Aí estão os manuais como “As 48 leis do poder”, “O Príncipe”, “A arte da prudência”, etc., para ensinar a arte da dissimulação, da sedução, do encantamento, do logro. Dizia Maquiavel “O homem que tenta ser bom o tempo todo está fadado à ruína entre os inúmeros outros que não são bons”. Mas acho que a política poderia ser exercida como um mínimo de respeito e de comportamento ético. Ao final, qual a herança que se pode deixar para as novas gerações. É preciso tirar a máscara da dissimulação. É preciso fazer uma reflexão histórica da política. Aliás, é ela um dos poucos instrumentos de transformação social efetivos. A democracia formal foi conquistada a duras penas e é preciso preservá-la. Não é com atitudes mesquinhas, de simples ambição do poder pelo poder, da desmoralização do “fazer política”, que vamos consagrar de forma definitiva a nossa democracia. Só posso ver o poder pela ótica da capacidade que o homem tem para alcançar os resultados almejados em favor do bem estar social. Não sendo assim, grito com Pessoa, “Arre, estou farto de semideuses! / Onde é que há gente no mundo?”.


Colunas
Com.: 0
Por Eugênio Nascimento
28/10
16:08

O Proinveste e o desenvolvimento de Sergipe

Ricardo Lacerda - Professor do Departamento de Economia da UFS e Assessor Econômico do Governo de Sergipe.

Os investimentos públicos cumprem papel destacado nas estratégias de desenvolvimento econômico e social. No ciclo desenvolvimentista iniciado no pós-guerra, a determinação de industrializar o Brasil fez com os investimentos públicos assumissem novas responsabilidades, contemplando desde a construção do chamado capital social básico (transporte, energia e telecomunicações), sem a qual o país não poderia avançar, até a atividade produtiva. Tratava-se, pois, de acelerar as condições de transformação das bases produtivas nacionais para além do que se poderia esperar pelo frio cálculo do retorno privado.

A compreensão sobre o alcance dos investimentos públicos sofreu importante inflexão nas últimas décadas, enfatizando-se o seu papel de provedor de infraestrutura para o desenvolvimento econômico sustentado e ambientalmente responsável e de promoção de políticas sociais nas áreas de educação, formação profissional, emprego e renda, saúde e habitação, destinadas à melhoria da qualidade de vida da população e que também repercutem no potencial produtivo.

A base de justificativa para a realização dos investimentos públicos é o fato de que eles podem gerar um resultado, direto e indireto, para o conjunto da economia muito superior mesmo ao da taxa de retorno financeiro do empreendimento em si. Como costumam assinalar os especialistas, em tais situações o retorno social supera o retorno privado do investimento, no sentido de que os projetos empreendidos viabilizam a aceleração do crescimento, melhoram a qualidade de vida da população, promovem mudanças estruturais e abrem oportunidade para o desenvolvimento de outras atividades.

Investimentos
O Proinveste foi concebido pelo governo federal como uma estratégia para acelerar os investimentos públicos dos estados. Foram colocados à disposição das unidades da federação recursos da ordem de R$ 20 bilhões com o propósito de ampliar o potencial de crescimento da economia brasileira, na medida em que, de um lado, os investimentos vão propiciar a ampliação da infraestrutura produtiva e urbana em todo o território nacional e, de outro lado, injetarão recursos expressivos que fomentarão a atividade econômica interna.

O Proinveste em Sergipe prevê recursos da ordem de R$ 727,3 milhões, considerados os aportes para as contrapartidas das obras do PAC, a partir de quatro componentes fundamentais:

1 – Desenvolvimento da infraestrutura urbana e de transporte, possibilitando os meios adequados para que as aglomerações urbanas continuem crescendo de forma ordenada e permitindo a implantação de novas rodovias para promover a integração das regiões do Estado;
2 – Desenvolvimento da infraestrutura produtiva dos perímetros irrigados e distritos industriais;
3 – Desenvolvimento da infraestrutura social, com foco nas políticas de saúde, educação, segurança pública, cultura e habitação de interesse social.
4 - Abertura de espaço fiscal, permitindo a amortização de operações de crédito já contratadas, em condições financeiras mais favoráveis.

Impactos
A execução desses componentes vai gerar muitos benefícios para Sergipe. Serão novas rodovias que propiciarão a integração mais rápida e com custos mais baixos da produção aos mercados, fortalecendo a economia dos munícipios, e o deslocamento mais adequado das pessoas.

As melhorias dos perímetros irrigados e dos distritos industriais concorrerão para o desenvolvimento das atividades produtivas, impulsionando a geração de emprego e a elevação da renda e do bem estar da população. Muitos investimentos se destinarão à melhoria da mobilidade e do ordenamento mais adequado dos centros urbanos, na região metropolitana e em cidades do interior.
O fato é que esses investimentos em infraestrutura e na formação profissional vão criar condições mais favoráveis para a economia sergipana, concorrendo para a elevação da produtividade agrícola e industrial, influenciando positivamente na sua competitividade.

Apenas para ilustrar, a estimativa feita com base na matriz de insumo-produto do Banco do Nordeste indica que cada R$ 1 investido em infraestrutura resulta em R$ 1,64 que é injetado na economia sergipana (já descontados os vazamentos para outros estados). Ainda devem ser somados a esses, outros benefícios derivados dos impactos do Proinveste nos estados vizinhos, que estimularão também a produção sergipana.
Com base nesta mesma metodologia, foram projetados 27 mil empregos criados direta e indiretamente pelo Proinveste. Sinceramente, não acredito que serão negados tais benefícios ao povo sergipano, em condições de crédito tão favoráveis.


Colunas
Com.: 0
Por Eugênio Nascimento
28/10
09:08

Homenagem ao Reitor Josué

Alvelos, José Manuel Pinto  - PROAD_UFS_Economia



O senhor “K” personagem de Franz Kafka no romance “O castelo”, busca para o exercício da sua atividade de agrimensor na suposta aldeia, as relações e a estrutura de poderes estabelecidos dentro do Castelo e deste com o mundo exterior.


Recheado de personagens desde o “Conde”, aldeões, aos serviçais da hospedaria, entre acertos e desacertos, tramas e vitórias, ética e valores, vencido a teia das relações humanas e de poder, o senhor “K” dá por findo o seu trabalho, delimitando toda a área, das mais longínquas às do entorno do “Castelo” e quando, à porta da morte lhe é permitido habitar a aldeia à beira do aparentemente impenetrável “Castelo” ele se sente herói. Ou anti-herói?


Este é um belo enredo de como a ficção pode dar conta da realidade do mundo objetivo.


A gestão da UFS sob o comando do Reitor Josué entre os anos de 2004_2012, apresentou os seguintes avanços:

 

2004

2011/2012

Alunos Graduação

10.217

31.018

Cursos de Graduação

60

115

Alunos de pós-graduação

357

1.908

Cursos de Mestrado

8

38

Cursos de Doutorado

1

8

Grupos Pesquisa_CNPq

76

223

Orçamento_UFS

123.784.429,00

471.143.456,28

Campi

São Cristóvão

Aracaju - HU

Itabaiana

Laranjeiras

Lagarto

Professores Efetivos

461

1136

 

Foram muitos os embates, propostas, avaliações, alicerçadas na visão de planejamento, para se alcançar os resultados citados nos dois mandatos. Mas estes são os números.


Há fatos qualitativos que transcendem os números: reformas; portarias; projetos pedagógicos; atos normativos; sistemas de gestão (administrativo, acadêmico, de recursos humanos, RNP, etc.) ; projetos arquitetônicos; licitações; empenhos; contratos; órgãos e entidades (NUPEG, CISE, CINTEC, etc.). Enfim a lista é longa.


Mas, sob a firme liderança do Reitor Josué, mediando divergências decorrentes de pessoas com variadas formação culturais, posições políticas/ideológicas e de ciência e tecnologia, muitos colegas há seu tempo e mérito, contribuíram para serem alcançados os números.


Vale citar os Pro Reitores que participaram deste processo:


Arivaldo Montalvão (In-memória)/ Mário Resende, na PROEST; Ricardo Gurgel/ Cláudio Macedo, na POSGRAP; Ponciano/ Sandro/ Paulo Heimar, na PROGRAD; Ruy Belém/ Conceição Vasconcelos, na PROEX; Jenny/ Luiz Marcos, na COGEPLAN; Abel/ Alvelos, na PROAD; Firmo/ Djalma, na PREFCAMP; Roberto Rodrigues/ Teresa Lins, na GRH.


E nas figuras de Juviano e Antônio Alves (Sr. Antônio da Copa) referenciar todos os técnicos administrativos de nível superior e médio que contribuíram para o deslanche da empreitada do Reitor Josué.


Mas será que está finda a obra, como a terra agrimessada pelo Senhor “K” de Kafka?


Ensina Schumpeter no livro “Capitalismo, socialismo e democracia”, que a economia opera em ciclos de expansão, auge e recessão, combinando fases econômicas, políticas e tecnológicas. Portanto, a trajetória nem sempre é ascendente, cabe, sobretudo às pessoas e as Instituições, desenhar a perspectiva do futuro e fazê-la cumprir no tempo datado.


Isto, espelhado nos números, nos atos e fatos o Reitor Josué e seus pares o fizeram.


O tempo presente permite olhar e avaliar o tempo passado e a partir daí prospectar o tempo futuro. Valendo-me mais uma fez do Schumpeter, agora o da “Teoria do Desenvolvimento Econômico” o cito:


“O capitalismo é um processo de destruição criadora”


Portanto, ao futuro cabe o tempo de inovação, avanço, reestruturação, com destruição do velho, tempo de mutação de construir o novo, de novo.


Assim, que no tempo futuro a trajetória seja de ascendência, para a UFS e a sociedade sergipana a partir do legado dos números expostos e de suas variantes qualitativas a exemplo dos Projetos dos Campi de “Engenharias de Estância” e de “Agrárias” em Glória, cobrindo a partir de então todo o interior de Sergipe com a educação pública superior.


Combinemos então assim: deixemos em paz o senhor “K”e sua teia kafkiana e apostemos na “destruição criadora”, porque o legado do Reitor Josué é muito bom. OK?



Política
Com.: 0
Por Eugênio Nascimento
27/10
20:03

Coluna Primeira Mão

Marcelo Déda será submetido a quimioterapia nesta semana

O governador Marcelo Déda viajou neste domingo para São Paulo. Lá, ele será submetido à terceira sessão de quimioterapia para combater um câncer. Somente depois da quarta sessão os médicos farão uma avaliação sobre a redução ou não do tumor e que tratamento será adotado na segunda etapa. Déda é tratado por equipe médica do Hospital Sírio-Libanês.


Estudantes lançam manifesto em defesa de seis colegas processados

Entidades que atuam na defesa de estudantes universitários e secundaristas de Sergipe divulgaram manifesto conjunto em defesa dos jovens que realizaram ato de protesto e denunciaram o médico José Carlos Pinheiro que está processando criminalmente os jovens Larissa Alves, Jessy Dayane, Tatiane Leal, Viviane Leal, Camila Almeida e Gilson Junior. Recentemente, esses jovens realizaram manifestação pública em Aracaju e denunciaram o médico de ter atuado em benefício da ditatura militar em Sergipe no ano de 1976. Num manifesto assinado por várias entidades, eles dizem lutar contra a criminalização dos seus colegas. A organizaçãoLevante Popular da Juventude” diz no manifesto em que pede apoio à sociedade que “fizemos tal denúncia com base em ata da 85ª sessão ordinária da Câmara de Vereadores de Aracaju, realizada no dia 20 de setembro de 1989, em que o então vereador Marcélio Bomfim fala sobre o caso, e também com base nos testemunhos dos militantes e torturados daquele período, que sempre relembram a participação do médico, sendo, portanto, um fato de domínio público”. Irritado com os denunciantes, o médicos levou o caso para a Justiça.




Belivaldo será sabatinado nesta segunda-feira



Será às 11 horas desta segunda-feira a sabatina do candidato a conselheiro do Tribunal de Contas do Estado (TCE), Belivaldo Chagas (PSB). O ato vai acontecer na sala das comissões da Assembleia Legislativa. Chagas será avaliado por uma comissão de deputados formada por Venâncio Fonseca, Francisco Gualberto, Zezinho Guimarães, Zeca da Silva e Raimundo Vieira, indicados para compor a comissão especial, formada para esta finalidade. O ex-deputado estadual e atualmente secretário de Estado da Educação Belivaldo Chagas irá disputar a vaga de conselheiro com a deputada Susana Azevedo (PSC), que foi sabatinada no dia 24 de setembro último.

 


 

OAB-SE avalia o empréstimo do Proinvest


Indagado sobre qual o posicionamento da OAB sobre esse assunto a respeito do empréstimo do Proinveste que o governo do Estado deseja ser aprovado pela Assembleia Legislativa, o presidente da entidade em Sergipe, Carlos Augusto Nascimento, respondeu: “Todos sabem que para o atendimento de políticas publicas e para o desenvolvimento do Estado o fluxo de recursos necessita de diversas operações de empréstimo. Esse tema não é novo. Todos os governantes acabam por receber algumas heranças indesejáveis, comprometendo, sobretudo o início de uma nova gestão, mas sempre com a resposta e justificativa do antecessor que os financiamentos eram imprescindíveis. O debate que se deve travar neste momento deve ser de natureza eminentemente técnica, desprezando-se eventuais retaliações de caráter exclusivamente político partidárias. Se isso acontece ou vem acontecendo acaba por refletir como somos pequenos em relação os nossos políticos, ou seja, o interesse social fica em último plano. Verdade é que estamos convivendo com incansáveis e contínuas denúncias e reclamações do péssimo atendimento da saúde pública, elevação dos índices de violência e a nossa educação sempre muito questionada; enfim, o cidadão vem se cansando da ineficiência dos serviços prestados pelo Estado, com raras, mas boas exceções. A discussão nos parece simples. Se o Estado tem capacidade de pagamento e os recursos serão bem destinados, e necessariamente utilizados, por que não ser autorizado o empréstimo, desde que o contribuinte não seja ainda mais penalizado?”

 

 



Deputada Ana Lúcia defende o empréstimo


A deputada estadual Ana Lúcia Menezes (PT) chamou a atenção dos colegas deputados para a necessidade de aprovar o empréstimo de R$ 727 milhões, do Proinveste, sob pena de prejudicar a economia sergipana. Para ela, o empréstimo é uma forma de compensar o que o Fundo de Participação dos Estados e Municípios está perdendo. Ana lembrou que vários Estados do Nordeste vão receber esse dinheiro e investir em suas economias. “Sergipe será prejudicado se a Assembleia Legislativa não o aprovar”, advertiu.

 

 

 



UFS estuda a saúde do trabalhador da citricultura

 



Em parceria com o Ministério Público do Trabalho (MPTb), a Universidade Federal de Sergipe vai realizar pesquisa sobre a saúde dos trabalhadores da região citrícola do Estado. Nesta fase inicial, a UFS está qualificando os estudantes para a pesquisa, que vai acontecer nos municípios Lagarto, Umbauba, Tomar do Geru, Boquim, Itabaianinha, Cristinápolis e Arauá. Segundo o coordenador acadêmico e pedagógico da UFS no Campus de Lagarto, Valter Santana, essa pesquisa vai detectar, inclusive, os efeitos dos agrotóxicos na saúde dos trabalhadores e seus demais familiares.

 



Gestores públicos homenageiam Albano Franco



O ex-governador Albano Franco foi homenageado pelos técnicos em políticas públicas e gestão governamental durante a solenidade comemorativa pelos 10 anos de implantação da carreira na estrutura administrativa do Estado de Sergipe. As festividades aconteceram na última quarta-feira, na sede da AEASE e a homenagem a Albano decorreu do pioneirismo de Sergipe que no seu governo foi o primeiro estado do Nordeste a criar a carreira de gestor público. Em 2002, após concurso público e treinamento na Escola Nacional de Administração Publica, em Brasília, os 60 candidatos aprovados foram nomeados. Hoje, 40 continuam servindo ao Estado e não foram realizados novos concursos. O secretário do Planejamento, Orçamento e Gestão, Oliveira Junior, presente a solenidade, disse que implantação dessa carreira técnica foi uma das mais inovadoras ações dos últimos 30 anos na estrutura de administrativa do Estado.

 



Parcela de reajuste será processada por folha suplementar



A Secretaria de Estado do Planejamento, Orçamento e Gestão (Seplag) esclarece que, devido a problemas operacionais, a parcela de reposição da diferença salarial sobre o reajuste de 5,02% não pôde ser processada no contracheque relativo ao mês de outubro. A Seplag está apurando a causa do problema e está providenciando a correção por meio de folha suplementar, que deverá ser quitada nos próximos dias.


Termelétricas do NE entram em operação nesta 2ª feira


Todas as termétricas do Nordeste devem ser colocadas em funcionamento nesta segunda-feira, 29, para garantir estoque de energia suficiente para atender ao consumno e evitar o registro de apagões. A medida foi anunciada pela Chesf, que revelou ainda que o reservatório de Sobradinho (BA) está com apernas 24% de sua capacidade ocupada por causa da falta de chuvas na região.

 



Maruim: Jeferson buscará parcerias para incrementar a administração


Apoiado por sete partidos, o ex-prefeito de Maruim, Jeferson Santana (PMDB), volta ao comando da Prefeitura, a partir de janeiro de 2013, pronto para reestruturar setores essenciais, como a saúde e a educação. "A gente acompanha diariamente tudo que acontece no municípío e a situação que nós observamos atualmente é bastante caótica. Precisamos chamar o feito à ordem, garantindo às comunidades serviços que atendam, de fato, às suas necessidades", enfatizou o novo prefeito, que é reconduzido ao posto de gestor quatro anos depois de ter encerrado o seu primeiro mandato. Jeferson retorna à administração após derrotar o seu principal adversário, conhecido como 'Simizinho' (PSB), por uma diferença de 826 votos, na eleição do último dia 7 . Ele obteve exatos 5.143 votos, o equivalente a 54,37% do eleitorado. Seu vice-prefeito será Murilo Mota (PSD). O prefeito eleito buscará parcerias com os governos estadual e federal para viabilizar uma série de projetos.

 


Carlos Britto abrirá encontro do CNJ em Aracaju


Sergipe sediará nos dias 05 e 06 de novembro o VI Encontro Nacional do Judiciário. O evento tem como objetivo debater o planejamento e a gestão do Poder Judiciário nacional, revisar e propor novas metas estabelecidas nos Encontros anteriores, além de definir ações prioritárias e oportunizar trocas de experiências entre os dirigentes máximos da Justiça Brasileira. Segundo o Secretário-Geral do Conselho Nacional de Justiça (CNJ) e magistrado do Tribunal de Justiça de Sergipe (TJSE), Francisco Alves Jr., a Resolução 70 do CNJ determina que haja rodízio entre as unidades federadas para sediar o evento, que nunca foi realizado na Região Nordeste. “A candidatura do TJSE foi referendada pelo plenário do CNJ. Segundo o Conselheiro José Guilherme Vasi Werner, membro da Comissão de Gestão Estratégica, Estatística e Orçamento do CNJ, a realização do encontro em Aracaju ‘é uma forma de homenagear’ o Tribunal de Justiça de Sergipe, que vem cumprindo as metas com eficiência, alcançando destaque no cenário nacional. E é claro que esse fato foi bem recebido pelo Ministro Ayres Britto, que é sergipano e presidente do Supremo Tribunal Federal e do Conselho Nacional de Justiça”. Britto se fará presente. O público-alvo do Encontro são os presidentes, vice-presidentes e corregedores de todos os tribunais do país, além de conselheiros e juízes auxiliares do CNJ. “Espera-se a participação de cerca de 300 membros dos tribunais”, esclareceu o magistrado.

 


 

Fim do mandato - Josué Modesto despede-se da reitoria


O reitor da Universidade Federal de Sergipe, professor Josué Modesto, terá intensa agenda nesse período em que se despede do comando da UFS. Desde a semana passada que os compromissos com lançamentos e inaugurações de obras é tônica do final de gestão. Ele deixa o cargo no próximo dia 13 e a solenidade de transmissão do comando para o professor Angelo Antoniolli deve acontecer no dia 23.

Veja a seguir os próximos compromissos agendados:

29.10

Lançamento de portaria acerca do Plano Diretor do Campus II de São Cristóvão e visita ao local





30.10

Visita ao Campus de Laranjeiras e Itabaiana









31.10

Visita aos pólos da UAB - Estância e Arauá










06.11

Assinatura de contratos de obras, ordens de serviços e apresentação das obras da UFS em andamento




07.11

Workshop NUPEG - Visita à obra do NUPEG - convidados especiais: José Eduardo Dutra, José Lima de Andrade e Eugênio Dezen da Petrobrás

08.11

Visita às obras do Campus de São Cristóvão









12.11

Reunião conjunta dos Conselhos Superiores e Conselho Diretor da FUFS (relatório de gestão)

14.11

Inauguração da Biblioteca do Campus de Lagarto













Colunas
Com.: 0
Por Eugênio Nascimento
26/10
16:29

Déda convoca lideranças políticas para aprovação do Proinveste

Governador concedeu entrevista ao radialista George Magalhães, nos estúdios da Megga FM, por mais de duas horas

Na manhã desta sexta-feira, 26, os sergipanos puderam escutar diretamente do governador Marcelo Déda as razões para a aprovação do empréstimo no valor de R$ 727 milhões em benefício de todo o estado. Por mais de duas horas, em entrevista ao radialista George Magalhães, nos estúdios da Megga FM, retransmitida por uma cadeia de emissoras de rádio em todo o estado, Déda convocou deputados estaduais, lideranças políticas da oposição e a população sergipana a aprovarem o programa Proinveste, explicando os investimentos que serão realizados com a carta de crédito proveniente do Governo Federal.

“Não há dados técnicos e fiscais que inviabilizem o Proinveste. A capacidade de geração de emprego desse empréstimo é de 27 mil postos de trabalho. O Proinveste não é um empréstimo que pedimos. A presidenta Dilma, preocupada com a crise econômica que atinge a Europa, foi olhar como estava o investimento nos estados e nos municípios e descobriu que os investimentos públicos estavam caindo, ameaçando o nível de empregos e de renda. Ela reuniu o ministro da Fazenda, Guido Mantega, e mandou analisar a situação dos 27 estados brasileiros e concluiu-se que 17 estados tinham condições de tomar o empréstimo de R$ 40 bilhões para investir sem arriscar a estabilidade econômica e os futuros governos", disse Déda.

(Foto: Marcos Rodrigues/ASN)
O governador acrescentou, também, que R$ 40 bilhões foram distribuídos em cartas de crédito para os estados. "Sergipe recebeu, como se fosse um cheque especial ou uma carta de crédito, o valor de R$ 1,4 bilhão. Estamos pedindo metade desse valor que a presidenta Dilma e o ministro Mantega me autorizaram. O Governo Federal me permitiu pegar R$1,4 bilhão de empréstimo sem comprometer nossa saúde financeira”, informou.

No decorrer da entrevista, Marcelo Déda convidou o governador em exercício, Jackson Barreto, o senador Eduardo Amorim, e o prefeito eleito João Alves Filho, para se unirem em favor de Sergipe.

“Sergipe só ganha quando nós nos unimos. É a nossa união que faz a nossa força. Cada obra realizada com o Proinveste tem a marca do governo Marcelo Déda e da oposição, porque o projeto de lei depende da aprovação deles. O Estado é do povo. O que peço é que não me tirem o direito de trabalhar para o meu povo, de ir buscar dinheiro para o meu estado. Quero fazer um convite a três personalidades que poderão disputar a eleição para Governo em 2014. Quero pedir autorização a Jackson Barreto, a Eduardo Amorim e a João Alves para que eu possa telefonar para a presidenta Dilma Rousseff e marcar uma audiência no gabinete dela, em Brasília, para que os líderes do governo e da oposição sergipana entreguem o protejo aprovado. Não quero ir sozinho entregar esse projeto, mas junto com Jackson, Amorim e João Alves e que nós todos digamos a presidenta que Sergipe briga na eleição, mas sabe unir seus líderes pelo futuro e desenvolvimento de Sergipe", argumentou o governador, que suspendeu o tratamento de quimioterapia para trabalhar pela aprovação da carta de crédito.

Os novos recursos permitirão a execução do plano de investimentos 2012-2014, composto por uma ampla carteira de projetos estruturantes nas mais diversas áreas, como saúde, educação, logística, infraestrutura produtiva, habitação, saneamento ambiental, urbanismo e mobilidade urbana. Do total de R$ 1, 435 bilhão disponível para crédito, Sergipe irá utilizar R$ 727 milhões. Esse montante será distribuído para o Proinveste e para negociação de empréstimos anteriores (R$ 567 milhões) e para o financiamento de projetos do Programa de Aceleração do Crescimento (PAC) e do Programa Minha Casa Minha Vida (R$ 160 milhões).
Projeto de Lei
O crédito no valor de R$ 727 milhões só poderá ser liberado após a aprovação da Assembleia Legislativa. O projeto de lei foi encaminhado à Casa na primeira quinzena de setembro.
Consta no Plano de Investimentos apresentado, o acesso à linha de crédito do Pró-Investe no valor de R$ 567 milhões. A quantia, negociada com o Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES), será utilizada para renegociação de empréstimos anteriores e na aquisição de equipamentos para os novos hospitais regionais, na construção de centros profissionalizantes de ensino, na infraestrutura de núcleos industriais; na implantação de novas rodovias; na recuperação de perímetros irrigados; na reforma de escolas; em esgotamento sanitário e abastecimento de água em Aracaju e no interior.
Anunciado em junho pelo Governo Federal, o Pró- Investe é uma linha de crédito de R$ 20 bilhões. O programa prevê que os Estados terão 20 anos para liquidar o financiamento, com um ano de carência. A correção será pela Taxa de Juros de Longo Prazo (TJLP) mais 1,1 % se o empréstimo for tomado com o aval da União. Caso o Estado opte por não ter o aval, a correção do empréstimo será pela TJLP mais 2,1 %.
O texto explica ainda que os outros R$ 160 milhões serão contratados junto à Caixa Econômica Federal (CEF), e poderão ser utilizados como contrapartida para as obras do Programa de Aceleração do Crescimento (PAC) e do Minha Casa Minha Vida. Dessa forma, o Governo do Estado poderá dar continuidade ao programa Pró-Moradia, o qual prevê a construção de 1.740 unidades habitacionais para famílias que residem em situações insalubres nas ocupações da avenida Euclides Figueiredo, em Aracaju; do Canal do Guaxinim, na Barra dos Coqueiros; e do Rio do Sal, em Nossa Senhora do Socorro; à execução das obras de esgotamento sanitário em São Cristóvão, Aracaju (bairro Aruana), Estância (Praia do Saco), Barra dos Coqueiros e segunda etapa da barragem do rio Poxim.

Entre as obras que poderão ser executadas com os recursos, estão também investimentos em irrigação, escolas profissionalizantes, Instituto Médico Legal e aeroporto de Aracaju.

“O Nordeste brasileiro está vivendo a maior seca dos últimos anos. Temos um programa de carros pipa e de distribuição de cestas básicas. Já entregamos mais de 47 mil cestas básicas. Temos a bolsa família, a bolsa estiagem, o seguro safra. A segurança das famílias está garantida, mas os rebanhos estão em risco. Há anos que a Cohidro não possui os equipamentos para atender o povo em período de seca, por isso estamos destinando R$ 11 milhões para recursos hídricos. São R$ 4,5 milhões para a Cohidro comprar caminhão e duas perfuratrizes para buscar água. Em Lagarto, nós temos R$ 600 mil para modernizar o perímetro irrigado. Além disso, temos o projeto para reformar três escolas técnicas em Boquim, Itabaiana e Propriá. Pretendemos comprar 120 ônibus para transporte escolar e construir cinco escolas técnicas nas cidades de Carira, Nossa Senhora de Socorro, Nossa Senhora das Dores, Umbaúba e Simão Dias. Estamos investindo, em parceria com o Governo Federal, R$ 350 milhões para a reforma e ampliação do aeroporto”, enumerou Déda.

Déda explicou também como é calculado o endividamento do Estado e que o empréstimo não causaria nenhum problema as contas do mesmo. “Não há razão técnica para o empréstimo não ser aprovado, só razão política. Mas eu acredito que as forças políticas de Sergipe querem o melhor para o Estado”, explicou.

Ratificando a declaração do governador, o secretário de Estado da Fazenda, João Andrade, mostrou que os empréstimos conseguidos pelo Governo do Estado não comprometem financeiramente o Tesouro e estão dentro da condição de pagamento do Estado. Ele ressaltou que as condições de endividamento estão muito abaixo dos limites máximos estipulados pela Secretaria do Tesouro Nacional (STN) e que a abertura de linhas de crédito serve como instrumento para empreender investimentos em infraestrutura, necessários ao desenvolvimento dos Estados. “São também medidas anticíclicas promovidas pela União no combate à crise econômica que visam manter o nível de emprego e geração de renda e manter a economia aquecida”, explicou.
João Andrade enfatizou que o acesso às linhas de crédito só está sendo possível devido às condições fiscais amplamente favoráveis do Tesouro Estadual, resultado de uma política responsável com as finanças públicas. O secretário demonstrou que os limites balizadores das análises da Secretaria do Tesouro Nacional estão bem acima do que o Estado comprometeu até agora.
“Atualmente, a dívida bruta do Estado frente à receita corrente líquida atinge 60,6%, quando o limite é até 200%. Em comparação com o início de 2007, o comprometimento da RCL era de 65,6%. Se observarmos apenas o serviço da dívida, nesta mesma época o Estado comprometia 6,8% da RCL de um limite de 11,5%, enquanto hoje esses encargos foram reduzidos para 5,8%”, explicou.

Prazo

Em sua explanação, Marcelo Déda justificou a necessidade da tramitação urgente do referido projeto no Poder Legislativo. Após sair da Assembleia Legislativa, o programa ainda precisará passar por mais duas aprovações em um curto espaço de tempo – no mínimo, três meses – para, enfim, atender ao prazo limite de contratação, que é 31 de janeiro. Como diversos outros Estados já saíram na frente, Sergipe corre o sério risco de perder os investimentos por falta de tempo hábil para a tramitação. “Não perdemos o prazo, mas a tramitação do projeto dura, em média, 90 dias, e o prazo final de assinatura do contrato é 31 de janeiro. Para que tenhamos condição de tramitar nesse prazo, considerando as festas de fim de ano, precisamos dessa aprovação. Após a aceitação na Assembleia, o projeto segue para a Secretaria do Tesouro Nacional, que envia para a Procuradoria Geral da República, para o Ministério da Fazenda e BNDES. Sergipe não pode ser o único estado do País a não pegar o empréstimo por fazer política com ódio, porque estão fazendo oposição ao estado de Sergipe e não a Marcelo Déda”, disse.

Déda lembrou, ainda, que a economia mundial vive um momento de tensão com a atual crise que assola a Europa e ressaltou os ganhos que investimentos em rodovias, saneamento, educação, saúde, turismo geram para a população. “O que vai acontecer com esse estado num período de crise econômica deixando de injetar na economia mais de R$ 700 milhões? Quando eu voltar sem o dinheiro para fazer a rodovia que liga Pirambu a Pacatuba, por exemplo, são R$ 47 milhões que não entram na economia. Deixamos de contratar uma construtora que irá movimentar os serviços de cimento, óleo, tratores, vai pagar ISS para os municípios, vai contratar operários etc. Esse dinheiro vai para as mercearias, onde o trabalhador de obra vai comprar feijão, vai para as lojas, onde a esposa desse trabalhador vai comprar um utensílio doméstico. Imagine o prejuízo para a indústria e para o comércio de um Estado que deixa de receber R$ 700 milhões durante uma crise econômica, além do benefício da obra que é indiscutível”, alertou.

Transmissão

As Emissoras citadas a seguir retransmitiram a entrevista do governador Marcelo Déda:

-Jenipapo -FM- Lagarto Sergipe
-RCB FM Boquim
-Boca da Mata FM-Nossa Senhora da Glória
-Aquidabâ FM
-Japoatâ FM
-Propriá FM
-Neopolis FM
-Poço Verde FM
-Comunidade FM do Eduardo Gomes
-Juventude FM - Lagardo

Emissoras Comerciais

MEGGA FM -Aracaju
XINGÓ FM - Canindé
PRINCESA FM - Itabaiana
PRINCESA AM - Itabaiana
APARECIDA FM - Lagarto
ELDORADO FM - Lagarto
PROGRESSO FM - Lagarto
TROPICAL FM - Simão Dias
ABAÍS AM - Estância
LUANDÊ FM - Tobias Barreto

Da Assessoria


Política
Com.: 0
Por Kleber Santos
Primeira « Anterior « 1 2 3 4 5 6 7 » Próxima » Última

Enquete


Categorias

Arquivos