04/10
14:27

Zé Eduardo Dutra morre, aos 58 anos, em Belo Horizonte

Faleceu na madrugada deste domingo (4) o ex-senador José Eduardo Dutra, aos 58 anos, em Belo Horizonte (MG). Dutra foi presidente da Petrobras e da BR Distribuidora. Ele também presidiu o Diretório Nacional do PT PT. Foi senador por Sergipe, Estado no qual desenvolveu sua vida política, ao lado do ex-governador Marcelo Déda (que faleceu em 2013). Dutra lutava contra um câncer.

O funeral ocorrerá em Belo Horizonte (MG), no Funeral House (na Avenida Afonso Pena, 2158. Bairro Funcionários),nesta segunda-feira (4), a partir das 10h. O corpo de Dutra será cremado no mesmo dia em Belo Horizonte. 


Histórico


José Eduardo de Barros Dutra nasceu no Rio de Janeiro, em 11 de abril de 1957. Foi presidente do Sindicato dos Mineiros do Estado de Sergipe (Sindimina) no período de 1989 até 1994 e dirigente nacional da Central Única dos Trabalhadores (de 1988 até 1990).


Em 1994, foi eleito senador da República pelo Estado de Sergipe.


Foi presidente da Petrobras de 2 de janeiro de 2003 até 22 de julho de 2005. Retornou à Petrobrás como presidente da Petrobras Distribuidora, de 24 de setembro de 2007 a 14 de agosto de 2009 . Deixou o cargo para disputar a presidência do Partido dos Trabalhadores, sendo eleito para o biênio 2010-2012.


Era, atualmente, primeiro suplente do senador Antônio Carlos Valadares (PSB/SE).  (Da assessoria)



Política
Com.: 0
Por Eugênio Nascimento
04/10
14:20

Morte de Zé Eduardo Dutra - Governo de SE decreta luto oficial por três dias

O Governo de Sergipe lamenta o falecimento do geólogo, ex-senador por Sergipe, ex-presidente da Petrobras e da BR Distribuidora, José Eduardo Dutra


O governador em exercício Belivaldo Chagas determinou luto oficial de três dias e informou que o Governo de Sergipe irá mandar celebrar uma missa na ocasião do sétimo dia do seu falecimento.

Belivaldo Chagas disse que a morte de José Eduardo é uma grande perda para o estado de Sergipe e para o Brasil. "Um companheiro valoroso que deixa um legado de luta e de trabalho por Sergipe e pelo país, nos importantes cargos que exerceu", disse o governador em exercício.

O governador Jackson Barreto, bastante emocionado, lembrou que José Eduardo Dutra foi um dos mais qualificados Senadores por Sergipe. "Ele saiu das minas de potássio para os movimentos sociais e de lá para o Senado Federal, chegando a ser presidente da Petrobras sem uma macula em seu nome. José Eduardo Dutra só fez orgulhar Sergipe e o Brasil por onde passou", disse Jackson Barreto.

O governador licenciado disse ainda que José Eduardo era um símbolo de dignidade, de lealdade e de companheirismo. "José Eduardo teve sua vida ceifada demasiadamente cedo, assim como nossos grandes companheiros Marcelo Deda e Rosalvo Alexandre. Mas quem somos nós para compreendermos os desígnios de Deus? Nos resta agora uma lacuna e uma grande saudade. Seu nome será sempre lembrado por nós, seus companheiros, e também pela nossa gente como uma bandeira de luta e de ética, um exemplo a ser seguido por essa e pelas futuras gerações. Descanse em paz meu amigo" disse Jackson Barreto bastante emocionado, lamentando estar impossibilitado de ir ao velório e ao enterro devido à cirurgia que realizou no pé esquerdo. "Se eu não estivesse operado, certamente iria para Belo Horizonte abraçando sua família a quem eu envio meus sentimentos por essa perda irreparável" concluiu Jackson Barreto. (Da assessoria)


Política
Com.: 0
Por Eugênio Nascimento
01/10
07:36

Estado acessou a R$ 147 milhões dos depósitos judiciais em conta no Banese

Do total de cerca de R$ 500 milhões classificados inicialmente como sendo recursos de depósitos judiciais no Banco do Estado de Sergipe (Banese), o Governo do Estado obteve acesso a R$ 147 milhões que foram aplicados exclusivamente no pagamento de aposentados e pensionistas nos meses de agosto e setembro deste ano. O valor representou cerca de 77% do total da folha líquida da previdência nos dois meses, que, somada, foi de R$ 190 milhões.    


O acesso mensal aos recursos está limitado ao percentual de 70% dos depósitos, conforme prevê a Lei Complementar n° 264/2015, aprovada em agosto pela Assembleia Legislativa, que autoriza ao Estado utilizar na complementação da folha de pagamento da previdência. Embora tenha conseguido junto ao Banese agilidade de presteza na liberação dos recursos, o Governo do Estado encontra a resistência do Banco do Brasil para disponibilização dos recursos em conta, fato que provocou o pagamento da folha do funcionalismo de forma parcelada em setembro.


O secretário da Fazenda, Jeferson Passos, informou que o valor liberado pelo Banese é insuficiente para viabilizar a execução integral do pagamento da folha salarial do funcionalismo estadual. “Ainda assim, da totalidade dos recursos contidos no Banco do Estado de Sergipe inicialmente classificados como sendo de depósitos judiciais (de cerca de R$ 500 milhões), mais de R$ 100 milhões não podem ser utilizados, em função de se configurar como depósitos de precatório”, disse. 


Passos apontou que a decisão do Banco do Brasil de não disponibilizar ao Poder Executivo o percentual de 70% dos recursos oriundos das contas de depósitos judiciais contidos no banco prejudica o Estado e cria mais dificuldades para a retomada do pagamento integral dos salários dentro do mês. 


Ação contra o BB

Após a aprovação da LC 264/2015, ainda em agosto, o Governo do Estado de Sergipe solicitou ao Banco do Brasil a liberação desses recursos e como não obteve nenhuma manifestação da instituição financeira decidiu por entrar com uma ação judicial que garanta a execução do repasse.  (Da assessoria)



Economia
Com.: 0
Por Eugênio Nascimento
Primeira « Anterior « 16 17 18 19 20 21

Enquete


Categorias

Arquivos