24/10
14:22

Pink Floyd, a turnê brasileira e o fascismo nosso de cada dia

Conheci o rock progressivo de Pink Floyd através do álbum The Wall, lançado em 1979. Eu pertencia à jovem geração universitária que combatia a ditadura civil-militar instalada em nosso país e sonhava com uma sociedade livre, que fugisse da lógica autoritária fascista: excludente e violenta. Não sem razão, em tom de rebelde e alegre protesto, cantávamos a versão Pink Floyd da cantiga popular "Atirei o pau no gato", pedindo que dona Chica deixasse o gato em paz, pois ele era bom demais. O fascismo, estatal ou não, era o adversário a ser vencido e contra ele caminhávamos, “sem lenço e sem documento”, acreditando “nas flores vencendo o canhão”.

No dia 1º de abril de 2012, realizei o velho sonho de assistir ao show The Wall, comandado pelo incansável Roger Waters. Eu era uma das 70 mil pessoas que lotavam o Estádio do Morumbi cantando, dentre outras, as antifascistas músicas Another Brick in the Wall e Comfortably Numb. E, confesso, a minha emoção se tornou mais forte quando, projetado no enorme muro de 424 tijolos, apareceu o nome a imagem de Jean Charles de Menezes, a quem Roger Waters dedicou a sua apoteótica apresentação, que fora assassinado pelo preconceito da polícia estatal inglesa. Nesta mesma sintonia de protesto, sobre nós desfilava o enorme porco-balão que, na versão brasileira, levava o nome do recém-aprovado Código Florestal.

Ao sairmos do show, comentávamos que o muro de 137 metros de largura, 11 metros de altura e 5,5 de profundidade, ainda guardava a mesma energia de resistência daquele que, no lugar ocupado pelo injustificável Muro de Berlim, fora assistido, em 1990, por mais de 350 mil pessoas. Desde então o álbum The Wall toca, diariamente, em meu carro. Um acertadíssimo presente que ganhei de minha nora Bia. Ele me serve de conselheiro ao ensinar que devemos combater todas as formas de autoritarismo, inclusive aquelas que, camufladas, habitam em nossas mentes.

O que esperar, então, do show de Roger Waters em sua nova rodada pelo Brasil? Como estar surpreso quando ele exerce o seu direito de protestar contra o estadunidense Donald Trump, o húngaro Viktor Orbán, a francesa Marine Le Pen, o austríaco Sebastian Kurz, o britânico Nigel Farage, o polonês Jaroslaw Kaczynski, o russo Vladimir Putin e o brasileiro Jair Bolsonaro? Como acreditar que ele deixaria de fazer o seu tradicional protesto contra o nazismo que matara sua família e milhões? Como ele não reagiria ao fascismo que se apresenta diante de nosso olhar? Como impedir que ele e todas as pessoas que amam o seu semelhante cantem, falem e protestem?

Talvez possamos encontrar as respostas na música Blowin'In The Wind, de Bob Dylan e seu atemporal rock de protesto. Afinal, "quantos anos algumas pessoas podem existir até que permitam ser livres? Sim, e quantas mortes ele causará até saber que outras demais morreram? E quantas vezes um homem pode virar a sua cabeça e fingir que ele simplesmente não vê?" Roger Waters, em sua turnê pelo Brasil, no velho estilo Bob Dylan, nos diz que "a resposta, meu amigo, está soprando ao vento. A resposta está soprando ao vento".

E o vento nos sopra que combater o nazismo, o fascismo e toda forma de violência ainda é preciso, urgente e imprescindível, pois a paz ainda não venceu a guerra. A cada instante, em todo lugar do mundo, surgem propostas que transformam a violência, o racismo, a misoginia, o preconceito, a homofobia e outras formas de ódio em votos eleitorais depositados em urnas que espelham o que cada eleitor guarda na urna secreta do seu próprio coração.

Roger Waters, com o seu rock rebelde, sopra para a nossa consciência e nos pergunta, corajoso, desafiador e confortavelmente entorpecido: “Olá, tem alguém aí? Apenas acene se puder me ouvir. Tem alguém em casa?” E ao falar para o “eu” escondido em cada um de nós, faz um alerta: “Nós não precisamos de nenhuma lavagem cerebral”, pois, “em suma, tudo era apenas tijolos no muro. Em suma, todos vocês eram apenas tijolos no muro”. O muro que cada um constrói ou destrói a partir do primeiro “eu-tijolo”.

Autor: Cezar Britto, ex presidente do Conselho Federal da OAB
Foto: Reprodução


Colunas
Com.: 0
Por Redação
23/10
21:59

Sergipe cria quase 4 mil empregos formais em setembro

No mês de setembro o mercado detrabalho sergipano registrou um total de 9.613 admissões contra 5.650desligamentos, resultando num saldo de 3.963 empregos. Os dados são do CadastroGeral de Empregados e Desempregados (Caged) divulgados nesta segunda-feira, 22,pelo Ministério do Trabalho.

Segundo o superintendente doObservatório de Sergipe, vinculado a Secretaria de Planejamento, Orçamento eGestão (Seplag), Ciro Brasil, a indústria de transformação criou 1.505 vagas."Foi quem apresentou melhor desempenho, tendo a indústria de produtosalimentícios, bebidas e álcool etílico como destaque (+1.652 vagas). Em seguidavem a agropecuária (+1.460), serviços (+432), construção civil (+333), comércio(+214), serviços industriais de utilidade pública (+47) e administração pública(+8). A indústria extrativa mineral foi o único setor a registrar perda deemprego (-36 vagas)", revela.

“Sergipe apresentou o melhorresultado para o mês de setembro, desde 2014, quando gerou 4.633 empregos comcarteira assinada. A análise dos últimos 12 meses mostra um resultado favorávelde 4.411 empregos celetistas criados. Já no acumulado do ano, foram eliminados149 postos de trabalho”, explica Ciro.

Ainda de acordo com osuperintendente, de janeiro a setembro deste ano, dos oito setores da economiapesquisados, cinco tiveram perdas no número de postos de trabalho. O comércioperdeu 1.159 empregos, tendo o comércio varejista como responsável por eliminar1.110. A indústria de transformação extinguiu 957 vagas, sendo 1.360 a menos naindústria química de produtos farmacêuticos, veterinários, perfumaria. Emseguida aparece a agropecuária (-474), indústria extrativa mineral (-199) eadministração pública (-128). Em contrapartida, os que mais se destacaram naabertura de vagas foram construção civil e serviços industriais de utilidade pública,com 955 e 287 empregos com carteira assinada, respectivamente.

Ciro ressalta ainda que o Brasil registrou a criação de 137.336 novos postos de trabalho com carteira assinadaem setembro. “Das 27 unidades da federação, apenas o Mato Grosso do Sul apresentoudesempenho negativo”, disse, destacando que no cenário regional, Sergipe(1,42%) ocupou a terceira maior variação na geração de emprego ficando abaixosomente de Alagoas (4,57%) e Pernambuco (1,75%).



Economia
Com.: 0
Por Eugênio Nascimento
23/10
21:51

Bancada federal de SE definirá emendas ao OGU terça-feira, 30

A bancada federal de Sergipe, formada por oito deputados federais e três senadores, se reúne na próxima terça-feira, 30, no gabinete da senadora Maria do Carmo Alves (DEM), às 19h, em Brasília. Sob a coordenação do deputado Jony Marcos (PRB), os congressistas vão discutir as emendas de interesse de Sergipe no Orçamento Geral da União (OGU).

A distribuição das 15 emendas coletivas está assim definida: uma para o Governo do Estado; uma para a Prefeitura de Aracaju; uma para a Prefeitura de Nossa Senhora do Socorro; e uma da Universidade Federal de Sergipe. As outras 11 serão destinadas da seguinte forma: uma para cada deputado federal e uma para cada senador. Jony pretender defender emenda para a construção do Campus do Sertão, da UFS.


Política
Com.: 0
Por Eugênio Nascimento
23/10
18:41

CMA realizará duas Audiências Públicas nesta quarta-feira

Uma será no período da manhã, às 10h, enquanto a outra ocorrerá no período da tarde, às 14h

A Câmara Municipal de Aracaju (CMA) realizará duas Audiências Públicas nesta quarta-feira, 24. No período da manhã, às 10h, a secretária Municipal de Saúde, Waneska Barboza, apresentará no Plenário da Casa Legislativa o Relatório de Gestão do 2º Quadrimestre da pasta. Durante a tarde, a partir das 14h, será a vez do secretário Municipal da Fazenda, Jeferson Passos, apresentar o Balancete do 2º Quadrimestre.

Fonte: Ascom / CMA
Foto: Gilton Rosas

 


Política
Com.: 0
Por Redação
23/10
18:18

Galeria J. Inácio lança exposição do artista paulista Wagner Kuroiwa

Mostra é a penúltima do ano e foi selecionada pelo edital de ocupação da Galeria

Na manhã dessa segunda-feira, 22, foi realizada a abertura da exposição ‘Cores e Letras’, do artista plástico e médico Kuroiwa, apresentada pela Galeria J. Inácio, através da Secretaria de Estado da Cultura (Secult). Em função da reforma no prédio da Biblioteca Pública Epifânio Dória, que abriga as instalações da J. Inácio, a mostra, que foi contemplada via edital de ocupação, está exposta no Corredor Cultural ‘Irmão’ até o dia 20 de novembro.

Durante a celebração, o Secretário de Cultura, João Augusto Gama, aproveitou para demonstrar sua felicidade pelas oportunidades que a Secult tem conseguido oferecer aos artistas. ”Estamos felizes de receber o Wagner Kuroiwa e suas obras, porque a arte é plural e precisamos mostrar trabalhos tanto locais quanto nacionais, além de mais uma vez isso ser prova que os editais são instrumentos perfeitos para divulgação da cultura aqui no Estado e representação democrática do processo de participação”, declarou.

A abertura foi prestigiada por artistas locais e grupos de pesquisa, além do público que sempre marca presença nas exposições. 

Kuroiwa recebeu o carinho e elogio do público que ouviu atentamente suas palavras e admirou suas obras.”Meu sentimento diante dessa realização é de gratidão à todos pela fraterna recepção a mim e a minha família, e isso é o que torna a arte prazerosa. A exposição está impecável do ponto de vista de montagem e espero que o público aprecie durante o tempo que ficar exposta”, ressaltou Kuroiwa.
 
 
Fonte: Ascom / Secult
Foto: Reprodução 


Variedades
Com.: 0
Por Redação
23/10
18:00

Segundo turno altera funcionamento das feiras e unidades da Emsurb

Únicas feiras a não sofrerem alteração são as que acontecem na quarta e quinta-feira

As feiras livres da capital, administradas pela Empresa Municipal de Serviços Urbanos (Emsurb), que acontecem nesta sexta, sábado e domingo, serão antecipadas esta semana. A mudança ocorrerá por conta do segundo turno das eleições, no próximo domingo, 28.

As feiras do Bairro América, bairros Coqueiral e Santa Maria e dos conjuntos Bugio, Dom Pedro I, e Jardim Esperança, que aconteceriam no domingo, 28, dia do pleito eleitoral, serão antecipadas para o sábado, 27.

Na sexta-feira, 26, serão realizadas as feiras do Cirurgia, Coroa do Meio, Santo Antônio, Grageru, Mosqueiro, 18 do Forte, São Carlos, Cidade Nova e dos conjuntos Santa Tereza e Leite Neto, que ocorreriam normalmente no sábado.

Já as feiras livres dos bairros Suíssa, São José, Lamarão, Aruana, dos conjuntos Médici, Sol Nascente, Jessé Pinto Freire, Castelo Branco, Agamenon Magalhães e loteamento Porto Sul /Costa Nova, que acontecem na sexta-feira, serão antecipadas para a quinta-feira, 25.

A empresa municipal informa, ainda, que as feiras que acontecem na quarta e quinta-feira não sofrerão mudanças.
 
Os mercados centrais (Antônio Franco, Thales Ferraz e Maria Virgínia Leite Franco - antigo Albano Franco), os setoriais (bairros) e o mercado Milton Santos, no conjunto Augusto Franco, não abrirão no próximo domingo, 28.

Fonte: Agência Aracaju de Notícias / PMA
Foto: Felipe Goettenauer


Variedades
Com.: 0
Por Redação
23/10
17:55

Cabo Amintas denuncia situação de abandono do Museu do Mangue

Parlamentar fez questão de dar ênfase aos gastos para a construção do Museu

Na manhã desta terça-feira, 23, o vereador e líder da oposição Cabo Amintas (PTB) utilizou a Tribuna da Câmara Municipal de Aracaju (CMA) para denunciar o descaso da prefeitura com o Museu do Mangue, criado para ser ponto de difusão de conhecimento e cultura no município.

O parlamentar iniciou sua fala mostrando, em vídeo, um princípio de incêndio acontecido no Museu do Mangue, no bairro Coroa do Meio. Nas imagens, Cabo Amintas ressaltava o descaso com o local, que foi inaugurado em 2011, na gestão do prefeito Edvaldo Nogueira (PCdoB).

“Senhores, esse Museu foi construído na gestão do prefeito Edvaldo Nogueira, inaugurado em 2011. Eu moro na Coroa do Meio há mais de 15 anos e sei: isso nunca serviu pra nada! A não ser pra viciados, pra bandidos. O dinheiro da população sendo usado assim! O que o prefeito tem contra a Coroa do Meio? É por que as pessoas são pobres? Por que?”, indagou Amintas.

O vereador relembra, por fim, os milhões gastos desde a construção do local e o abandono da prefeitura que corrobora com a situação do Museu. “Primeiro gastaram 1 milhão e seiscentos mil, depois, numa dita reforma quando incendiaram, gastaram mais. Aquilo está entregue, a Guarda Municipal foi expulsa de lá por vagabundos! É um caos! Gestão do prefeito Edvaldo Nogueira e tudo continua do mesmo jeito. É o dinheiro do povo que está queimando! Um caos total!”, criticou. 

Fonte: Asssessoria
Foto: César de Oliveira


Política
Com.: 0
Por Redação
23/10
17:06

Eleições da OAB/SE: três chapas são registradas na seccional

Serão eleitos os representantes da OAB/SE, da CAA/SE e dos Conselhos Federal e Seccional da Ordem

A Ordem dos Advogados do Brasil, em Sergipe, recebeu na última sexta-feira, 19, o registro de três chapas para as eleições da seccional, que acontecem no dia 19 de novembro, das 10h às 18h, e elegerão os representantes da OAB/SE, da CAA/SE e dos Conselhos Federal e Seccional da Ordem.

As chapas contam com 33 Conselheiros Seccionais titulares e 33 suplentes, sendo que dos primeiros, 5 Diretores; 3 Conselheiros Federais titulares e 3 suplentes; 5 Diretores e 5 membros suplentes, da Caixa de Assistência dos Advogados.

Confira a lista completa com os membros de cada chapa aqui.

Fonte: OAB-SE
Foto: Divulgação


Variedades
Com.: 0
Por Redação
Primeira « Anterior « 5 6 7 8 9 10 11 12 13 14 15 » Próxima » Última

Enquete


Categorias

Arquivos