29/11
17:04

Artigo: Avaliando a avaliação

Josué Modesto dos Passos Subrinho*


O Jornal Folha de São Paulo, em sua edição de 10 de novembro do corrente, publicou matéria destacando o desempenho do curso de Odontologia da Universidade Federal de Sergipe, cuja última avaliação disponível feita através do Exame Nacional de Cursos (ENADE) resultou no conceito 5, o maior em uma escala que começa em um. Na mesma matéria se destaca outros cursos que obtiveram boas notas e se chama a atenção para alguns cursos que tiveram desempenho ruim. Declarei à jornalista responsável pela reportagem que a principal causa do mau conceito obtido por alguns de nossos cursos se deve a adesão de parte de nossos estudantes a campanhas de boicote ao processo avaliativo oficial.

Toda vez que forneço tal explicação, seja para jornalistas, seja para autoridades educacionais ou mesmo para pessoas comuns, sinto no interlocutor um ar de desconfiança. Não seria esta uma explicação de perdedor? Não estaríamos escamoteando falhas graves na qualidade dos nossos cursos, sob o pretexto que os estudantes boicotam o exame?

De fato, é razoável que nossos interlocutores desconfiem da explicação dada, visto que o Exame Nacional de Cursos, sucessor do chamado Provão é realizado há mais de uma década e as cenas de protestos estudantis quanto a sua aplicação desapareceram da pauta da imprensa nacional ou local. Por outro lado, se efetivamente os nossos estudantes estão boicotando o exame, o cidadão comum pode supor que esta é uma forma cômoda de fugir da exposição de uma indesejada fragilidade, pairando uma indissolúvel dúvida: os resultados são ruins porque os estudantes boicotam o exame ou os estudantes boicotam o exame para tentar deslegitimar um processo que evidenciaria a fraqueza de sua formação?.

O Exame Nacional de Cursos realizado em 2009, cujos resultados foram divulgados recentemente forneceram, especialmente para o caso do curso de Direito, uma oportunidade única para a precisa identificação da causa principal dos resultados ruins que alguns dos nossos cursos têm óbito no citado exame.

Este curso teve no decorrer dos anos resultados díspares. Inicialmente o Provão foi recebido com desconfiança e propostas de boicotes e o curso de direito obteve o conceito C numa escala ascendente de E até A, no ano seguinte obteve nota máxima (A) intercalado por um B em 2000 e seguido de uma sequência de três notas máximas. Em 2006, com a reformulação do Provão, transformado em ENADE o conceito do curso de Direito foi 3, numa escala ascendente de 1 a 5 e, finalmente, em 2009 o curso obteve o conceito 2.

UNIVERSIDADE FEDERAL DE SERGIPE

AVALIAÇÃO DO CURSO DE DIREITO

ANO

1998

1999

2000

2001

2002

2003

2006

2009

CONCEITO

C

A

B

A

A

A

3

2


Nos últimos anos se consolidou uma forma alternativa de avaliação da qualidade dos cursos de direito, o exame nacional organizado pela Ordem dos Advogados do Brasil, obrigatório para o ingresso nesse organismo profissional. O curso de direito da Universidade Federal de Sergipe destacou-se entre os melhores do País de acordo com os resultados do citado exame, sendo motivo de orgulho para a Universidade, para os profissionais da área nela formados e para os sergipanos de uma maneira geral.

Como dissemos, este exame obrigatório para o ingresso na Ordem dos Advogados do Brasil e, portanto, para o exercício profissional tem atestado a excelência da formação dos nossos estudantes do curso de direito. Certamente todos os nossos estudantes, da mesma forma que os demais candidatos respondem as provas com o maior desvelo possível, visto que é o futuro exercício da profissão que está em jogo.

O mesmo empenho, a mesma dedicação, a mesma seriedade não é requerida ou entendida como necessária para as respostas do Exame Nacional de Cursos, também de caráter obrigatório para ingressantes e concludentes cujos cursos são objeto de avaliação em determinado ano, visto que o resultado individual não constará do histórico escolar do formando, sendo divulgado apenas o conceito do curso, resultado da média dos resultados dos alunos matriculados em cada curso.

Adicionalmente, de forma recorrente algumas tendências do movimento estudantil advogam fortemente o boicote às provas alegando desde razões ideológicas mais gerais contra o processo de avaliação que ranqueia cursos e pessoas, passando por críticas às deficiências de um processo avaliativo concentrado em uma prova até críticas à estrutura e funcionamento dos cursos.

Em determinadas situações, não encontrando resistências no corpo docente, especialmente nos gestores dos cursos, e contando com a complacência dos estudantes que não percebem imediatamente qualquer interesse pessoal ou institucional contrariado, o apelo pelo boicote, pelo preenchimento displicente da prova se espalha como fogo no mato seco atingindo mesmo cursos, cujos alunos indubitavelmente teriam condições de obtenção de resultado excelente no Exame Nacional de Cursos.

Este foi o caso do curso de Direito da Universidade Federal de Sergipe, em 2009. Ao tempo que era estrelado pela Ordem dos Advogados do Brasil com um selo de qualidade, fruto do esforço intelectual de formação dos nossos egressos, simultaneamente esses mesmos estudantes receberam o apelo para um boicote ao ENADE, resultando no conceito 2, numa escala que vai até 5, equivalendo, portanto, a reprovação do curso.

Para outros cursos que não têm um exame sucedâneo de abrangência e credibilidade nacional, a exemplo do exame da OAB para os cursos de Direito, resta deixar a sociedade na dúvida: o resultado foi ruim porque os alunos boicotaram ou os alunos boicotaram para esconder sua fraqueza?

Antes da realização das provas do Exame Nacional de Cursos, referente ao ano de 2010, enviamos a todos os inscritos uma mensagem acerca da importância do exame para o estudante e para a instituição, cujo foco era: valorize o seu diploma. Ainda não podemos saber o efeito sobre a disposição dos estudantes em responder com comprometimento equivalente ao desprendido em certames que envolvem seus interesses imediatos, mas certamente não desistiremos de tentar persuadir nossos estudantes da incoerência que cometem com essa atitude discrepante.


* Reitor da Universidade Federal de Sergipe (UFS)

 

 



Variedades
Com.: 0
Por Eugênio Nascimento
29/11
16:02

Estudo mostra impacto da Petrobras nos fornecedores

Livro sobre poder de compra da Petrobras envolveu o trabalho de 43 pesquisadores do Ipea e de universidades brasileiras

As empresas fornecedoras da Petrobras têm maior produtividade, maiores salários e pessoal mais qualificado que as não fornecedoras. Essa é uma das conclusões do livro O Poder de Compra da Petrobras: Impactos Econômicos nos seus Fornecedores - Síntese e Conclusões.

Resultado de uma parceria entre o Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada (Ipea) e a Petrobras, a obra foi lançada durante a 1ª Conferência do Desenvolvimento (Code), nesta sexta-feira, 26, em Brasília.

Para realizar o estudo, os técnicos do Ipea tiveram acesso a uma base de dado nunca antes liberada para pesquisas. Os dados são de cerca de 70 mil empresas, que venderam à Petrobras produtos e serviços no total de mais de R$ 370 bilhões entre 1998 e 2007.

Os dados referentes às empresas não fornecedoras da Petrobras são da Relação Anual de Informações Sociais (Rais), do Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico (CNPq), do Banco Central e do Ministério do Desenvolvimento, Indústria e Comércio Exterior, entre outros.

De acordo com o estudo, em 2006, as fornecedoras da Petrobras representavam 6,4% das firmas com mais de 30 pessoas ocupadas na indústria e serviços, mas tinham 16,4% do total de pessoal ocupado e 26% da massa salarial dessas empresas. O salário médio era de R$ 1.691 nas fornecedoras, contra R$ 932 nas não fornecedoras e os trabalhadores das
fornecedoras tinham, em média, 1,3 ano de estudo a mais. "A cadeia de fornecedores da Petrobras tinha, ainda, 37,8% do total de científicos, 39,71% dos engenheiros, 38,14% dos pesquisadores e 29,66% dos trabalhadores com nível superior dessas empresas", explicou o diretor de Estudos e Políticas Setoriais, de Inovação, Regulação e Infraestrutura do Ipea, Marcio Wohlers.

Fonte: Da assessoria



Economia
Com.: 0
Por Eugênio Nascimento
29/11
15:59

Edvaldo Nogueira pensa em ter o PV como aliado e com Secretaria

Dirigente Verde diz que partido não foi procurado, mas pode estar havendo negociações com Anderson Góis


Embora torne pública sua disposição em criar uma Secretaria ou um órgão para tratar das questões ambientais atinentes ao município de Aracaju e insinue a possibilidade de conversar com o PV para ir para o cargo e tornar-se um seu aliado, o prefeito Edvaldo Nogueira (PC do B) não procurou a agremiação ou teve qualquer conversação com os seus dirigentes.

“Desde 1988 – de lá para cá foram prefeito de Aracaju Jackson Barreto, Almeida Lima, João Augusto Gama, Marcelo Déda e agora Edvaldo Nogueira – que nós do PV defendemos a criação de uma Secretaria para atuar na área ambiental. Ninguém fez. Agora, Edvaldo diz que o fará. Mas não conversou com o PV.”, disse o presidente estadual Reinaldo Nunes.

Nogueira disse em entrevista ao jornal Folha da Praia que “o PV é um partido com tradição de comprometimento com meio ambiente e com a causa ambiental”. Nunes concorda com a afirmação, mas avalia que Edvaldo Nogueira poderia estar conversando com o filiado Anderson Góis “que era do PCB, veio para o PV, mas deseja ir mesmo era para o PP”.


Política
Com.: 0
Por Eugênio Nascimento
29/11
11:45

Sonho do Brasileiro começa hoje para os sergipanos

Depois de 51 horas e mais de 2.800 km de estrada, a equipe do Real Moitense chegou a cidade de Jaraguá do Sul (SC), palco da disputa da Taça Brasil de Futsal. No domingo, o elenco fez o reconhecimento da quadra, onde serão disputadas todas as partidas da competição. Os sergipanos estreiam hoje, às 17h30, contra o V&M Minas (MG).

 

 

Em entrevista ao repórter Beto Silveira da Rádio Jornal, o técnico Wilson Mendonça (Galego) falou da viagem e da expectativa do Real no campeonato. “Foi uma viagem muito cansativa. Saímos na quinta-feira e chegamos no sábado aqui em Santa Catarina. A cada dia parávamos em postos de combustíveis para alongar o músculo do pessoal. Até eu que não sou jogador senti o desgaste da viagem. Agora é colocar o coração na ponta do tênis e partir para surpreender os melhores times do país”, disse Galego.

 

 

No único treino na arena Jaraguá o técnico do Real Moitense insistiu na parte defensiva da equipe e saídas rápidas para o contra-ataque. “Não podemos da liberdade aos adversários, são grandes equipes, todas velozes, com um excelente preparo físico. Viemos para surpreender, por isso a marcação ainda na defesa é prioridade pelo menos nos primeiros 10 minutos de jogo”, enfatizou o treinadsor.

 

 

A boa noticia é que o Real tem todos os atletas à disposição, destaques para o experiente e capitão Pita e os jovens alas Ian e Amadeu, campeões sul-americanos com a seleção brasileira sub-20 no início deste mês.

A equipe da Radio Jornal vai transmitir todos os jogos da equipe sergipana pela 540 am. O narrador Leal Junior e o repórter Beto Silveira farão uma cobertura completa e exclusiva. O canal por assinatura SporTV também transmitirá os jogos. Nesta segunda-feira o duelo ao vivo será entre Macau (RN) x Marechal Rondon às 16 horas, e às 19h20 Jaraguá x Carlos Barbosa. Real Moitense x Minas, às 17h30, pela Rádio Jornal 540 AM.

 



Esportes
Com.: 0
Por Kleber Santos
29/11
09:40

Dorense é a melhor equipe da "Segundona", após primeira fase

ARACAJU, SE (Primeira Mão) - Dorense terminou a primeira fase do Campeonato Sergipano da Série A-2 com o melhor aproveitamento. Somou 17 pontos em 8 jogos, depois da vitória de domingo por 4 a 0 diante do Aquidabã, pela última rodada da primeira fase.

Com o mesmo número de pontos, mas com o menor saldo de gols aparece o Socorrense logo atrás.

O Estanciano ficou com a terceira melhor classificação com 16 pontos, após empatar em 1 a 1 com o Laranjeiras.

O Boquinhense obteve o quarto melhor aproveitamento, com a derrota diante do Boca Júnior, por 1 a 0.

Na próxima quarta-feira, às 15h15min, começa a fase final da competição, com dois jogos.

Boquinhense encara o Dorense, no Estádio do SESI. Socorrense mede forças com o Estanciano, no Batistão.


Jogos de domingo
Laranjeiras 1x1 Estanciano
Boquinhense 0x1 Boca Júnior
Canindé 2x3 Gloriense
Aquidabã 0x4 Dorense
 


Esportes
Com.: 0
Por Kleber Santos
29/11
09:17

Marcelo Déda reassume governo hoje e reinaugura a rua 24h

O governador Marcelo Déda (PT) reassume hoje o governo do Estado. Ele esteve afastado das atividades para tratamento de saúde (submeteu-se a uma cirurgia corretiva).

Durante os pouco mais de 20 dias, o vice-governador Belivaldo Chagas (PSB) respondeu pelo comando institucional do Estado.

Às 19 horas, Déda reinaugura a rua 24 Horas, que passa a ser chama de rua do Turista.


Política
Com.: 0
Por Eugênio Nascimento
29/11
09:05

PIB 2008: O fato e o espalhafato

 Marcelo Déda(*)

Há duas semanas atrás, o IBGE divulgou resultados dos Produtos Internos Brutos dos Estados brasileiros, referentes ao ano de 2008. O PIB sergipano apresentou crescimento real de 2,6%, resultado sem dúvidas modesto e muito abaixo da média nacional, posicionando-o como o menor no ranking daquele ano.

Esses fatos provocaram algumas intervenções críticas nas páginas dos jornais e algum espalhafato nas tribunas da oposição.  A se dar ouvidos a essas vozes, a economia sergipana teria entrado num período de estagnação que, no limite, poderia comprometer o nosso futuro. Nada mais distante da realidade.

Para compreender melhor o processo do nosso crescimento econômico, é fundamental examinarmos com mais profundidade o relatório do IBGE com o resultado do PIB de 2008. Nem tudo foi ruim naquele ano. O setor agropecuário sergipano, responsável por 5,2% do PIB, cresceu 20%, com um extraordinário destaque para a produção vegetal que apresentou crescimento de 37,9%, influenciada pelo aumento da produção do milho, equivalente a 146,6%. O setor de serviços, o mais relevante da nossa economia, responsável por 61,8% da riqueza produzida em nosso estado, apresentou crescimento de 3,2%.

O baixo desempenho daquele ano se deveu a dificuldades em  segmentos muito específicos do setor industrial: a produção de energia da Usina Hidroelétrica de Xingó e a queda  de produção em três subsetores importantes para a indústria de transformação de Sergipe, a saber, a produção de alimentos e bebidas, afetada pelo recuo nas exportações de sucos em plena crise financeira internacional; a indústria de calçados, penalizada pela concorrência com as importações de produtos asiáticos; e a produção indústria têxtil, em virtude do fechamento de unidades industriais naquele ano. Em 2008, a produção de energia da UHE de Xingó, por problemas operacionais, recuou 38% em relação a 2007. Somente este fato teve impacto negativo de 1,2% no crescimento do PIB de Sergipe.

O ano de 2008 foi um ano atípico no desenvolvimento brasileiro. Não convém esquecer que o mundo conheceu entre o final de 2008 e o primeiro semestre de 2009 a mais profunda crise econômica desde a grande depressão de 1930, e o impacto em cada estado brasileiro foi diferenciado, de acordo com operfil de sua estrutura produtiva. O impacto em 2008 foi maior em Sergipe por causa do peso do setor energético em sua matriz produtiva e por conta dos efeitos da crise no comércio mundial que afetou sobremaneira o mercado de sucos cítricos, reduzindo as exportações sergipanas.

Os críticos, entretanto, demonstrartam possuir uma memória seletiva que esquece os fatos positivos como os verificados, por exemplo, em 2007. Convém lembrar que naquele ano, o PIB sergipano cresceu 6,2%,  muito acima da média da região Nordeste que foi de 4,8%. 

Analisando-se os dois anos, 2007 e 2008, vamos verificar que a taxa anual média do PIB de Sergipe acumulou um crescimento médio de 4,4%, taxa superior à obtida em idêntico período por estados como Rio Grande do Norte e Rio de Janeiro, ambos produtores de petróleo como Sergipe. Esse crescimento médio superou também o do nosso vizinho Estado de Alagoas. 

Nesse período, também, o PIB de Sergipe ultrapassou o do Estado de Alagoas, mesmo considerando a diferença de território e de população já que a nossa é de 2.036.277 e a do estado vizinho alcança 3.093.994 habitantes, 52% a mais.

Para nossa felicidade, os problemas de 2008 foram enfrentados e em grande parte superados.  Um extraordinário volume de investimento público,  somado a uma política governamental de desenvolvimento econômico proativa na atração do investimento privado, tem permitido que Sergipe viva um processo intenso de recuperação de sua atividade 
econômica,  disseminado em todos os setores. Segmentos atingidos pela crise em 2008 e 2009 recuperaram espaço e geraram empregos. Entre novembro de 2007 e outubro de 2008, antes que os efeitos da crise internacional sobre o emprego interno se fizessem sentir, tínhamos comemorado a geração de 12.775 empregos formais com carteira assinada em Sergipe.

Agora, no período de doze meses, entre novembro de 2009 e outubro de 2010, foram criados 21.113 empregos com carteira assinada -- saltamos para um patamar jamais visto antes na economia sergipana, ou seja, o resultado dos últimos 12 meses se situa 65,2% acima do melhor desempenho já havido na economia sergipana. Pelo quinto mês consecutivo, no acumulado de 12 meses,  a indústria de transformação sergipana é a que mais gera emprego no Brasil, em termos proporcionais.

A intervenção do nosso governo, liderando os estados produtores de calçados na luta contra a concorrência desleal da China, fez com que o Governo Federal sobretaxasse as importações chinesas e devolvesse competitividade ao nosso produto. A nossa atuação junto ao setor têxtil, reduzindo tributos em troca da manutenção e expansão do emprego, deu excelentes resultados e permitiu a reabertura da antiga fábrica Confiança. Esses dois setores, duramente atingidos pela crise, apresentam hoje um crescimento robusto.

Nos últimos doze meses encerrados em outubro, foram criadas 628 vagas no setor têxtil-confecção, resultado também da captação de novas indústrias para realizado pelo nosso governo. Na indústria de calçados foram gerados nesse período 1.616 empregos formais e na indústria de alimentos e bebidas, mais 1.068 empregos.

Para os próximos anos, mais notícias alvissareiras: a PETROBRAS amplia os seus investimentos e anuncia uma nova era para a indústria do petróleo em nosso estado - a exploração em águas profundas; a FAFEN investirá algo em torno de 130 milhões de dólares na ampliação da sua planta e na diversificação da sua produção; a vale investirá perto de 
1 bilhão de dólares no projeto carnalita, dilatando no tempo a produção de potássio em Sergipe. Obras como a duplicação da BR-101, a construção da ponte Gilberto Amado, entre Estância e Indiaroba e a ampliação e reforma do nosso Aeroporto, ao lado de tantas outras, consolidarão investimentos estruturantes capazes de dar suporte à expansão da nossa economia.

Se agregarmos a esses dados, o novo horizonte de progresso social e econômico de Sergipe que tem sido atestado pelos institutos oficiais de planejamento e de políticas públicas, encontraremos ainda mais motivos para um sadio otimismo. A Pesquisa Nacional de Amostra Domiciliar de 2009 registrou que Sergipe é o primeiro estado do Nordeste em ítens como domicílios com coleta de esgoto, acesso a telefonia, acesso a computadores e fogão, e segundo lugar em acesso a coleta de lixo e posse de geladeira, além de registrar o maior rendimento médio familiar de toda a região.  Nenhum outro estado nordestino liderou o ranking em mais de um item.

Como se vê, as espalhafatosas profecias de estagnação e atraso não resistem a uma análise honesta dos fatos. Os dados são consistentes e mostram que Sergipe soube aproveitar as oportunidades que este novo Brasil, inspirado pela liderança do Presidente Lula, nos ofereceu.  Sergipe avança, se desenvolve amplia o seu horizonte de possibilidades e cria condições objetivas para a inclusão social do nosso povo.

É verdade que ainda temos grandes desafios a vencer e gigantescos obstáculos a superar no cumprimento da missão de fazer de Sergipe um estado socialmente justo, econimicamente desenvolvido e ambientalmente equilibrado, mas o nosso governo vai continuar trabalhando duro, investindo em infra-estrutura, universalizando e qualificando os serviços públicos e apostando na participação popular e na disseminação dos valores da cidadania. Com o apoio e o trabalho do nosso povo, não tenho dúvidas, Sergipe seguirá vencendo!

(*) Governador do Estado de Sergipe

Foto: Wellington Barreto


Política
Com.: 0
Por Eugênio Nascimento
29/11
23:14

Torcida proletária lota quadra do Sabino Ribeiro

O domingo foi um dia para ficar marcado na história do Confiança. A festa de apresentação da Diretoria, comissão técnica, jogadores e nova campanha do sócio-torcedor contou com a presença de milhares de torcedores apaixonados na quadra do Sabino Ribeiro. A casa da Nação Proletária ficou repleta das cores azul e branco. A banda Só Lamento e Nelton Pyter animaram o espetáculo.

 Logo às 9 horas, a torcida azulina começou a chegar ao palco da alegria. E aí, começaram os trabalhos de cadastramento e recadastramento dos sócio-torcedores. Em seguida, aconteceu a apresentação da Diretoria, comissão técnica e alguns atletas. Logo depois, o pessoal brincou e dançou com os ritmos da Banda Só Lamento e Nelton Pyter.

 O presidente eleito do Dragão, Luiz Roberto Dantas, enfatizou a importância de realizar um evento dessa magnitude. "Cada vez mais, é inerente deixar os torcedores bem próximos do clube. É um trabalho de sociabilização. Nós da Diretoria do Confiança estamos lisonjeados com a festa", comentou Dantas.

 "Estamos trabalhando calados com o objetivo de fazer uma boa equipe. Por enquanto, Além dos atletas que permaneceram e aqueles que já renovaram os contratos, virão mais quatro do Rio de Janeiro para fazer testes. São eles: o meia- canhoto Artur- filho do ex-craque Arturzinho, o centroavante João Alex, o lateral esquerdo Maqueka e os atacantes João Alex e Fabiano", disse.

O técnico Rocha não se fez de rogado e disse que a alma do negócio é a união. "Temos que trabalhar para conseguir a conquista do título sergipano. Por isso, é importante o grupo está fechado. Vamos nos dedicar muito para conquistar nossos objetivos", explicou.

Rocha foi bicampeão sergipano pelo Confiança em 2009. Além disso, como jogador,  Rocha já conquistou títulos pelo Dragão do bairro Industrial. "Foi um prazer à época em que também prestei meus serviços como atleta do clube. Em 2011, vamos fazer de tudo para repetir a dose do ano passado", enfatizou.

 TORCIDA FELIZ

 Romualdo Melo torce pelo Confiança, desde quando nasceu. "Estou muito feliz. Jamais, poderia deixar de estar aqui presente para prestigiar o evento e fazer meu recadastramento como sócio-torcedor. O Dragão é uma das grandes paixões da minha vida", destacou Melo.

 O torcedor Mário dos Santos não cansou de elogiar o evento. "Todos vocês estão de parabéns. A festa foi muito bem organizada. A alegria está estampada na fisionomia de cada torcedor proletário. Estou até emocionado", afirmou.

Domingos de Oliveira é um torcedor símbolo do Dragão. Ele tem 75 anos, ou seja, quase a idade do clube. No dia 1º de maio de 2011, o time azulino comemora 75 anos de existência. "Gostei muito do evento. Espero que também dentro de campo, os atletas correspondam às expectativas", disse.   
 

ELENCO ATUAL

Goleiros - Fábio , Thiago e Jeferson,  (Jeferson das categorias de base)

Zagueiros-  Bira, Claudio Baiano, Valdo e Alysson(estes dois últimos das categorias de base)

Laterais- Saci e Vovô

Volantes- Raulino , Alex Franco, Roberto , Eduardo e Joelson (categorias de base)

Meio-campistas- Ciro e Maurício

Atacantes- Nilson Sergipano e Da Silva

 

DIRETORIA

Presidente eleito- Luiz Roberto Dantas

Vice-presidente administrativo- Fernando Andrade

Vice-presidente financeiro- João Fonseca

Gerente de futebol - a definir

Supervisor de futebol- Clay Sá

Supervisor de futebol2- Marcos Teles

Assessoria de imprensa- Anderson Machado

Assessoria de marketing- Anderson Nunes e Filippe Araujo

 Empresa- MegaSports

 

COMISSÃO TÉCNICA-

Técnico - Nadélio Rocha

Auxiliar- técnico- Lima

Preparador físico- Eduardo Jacó

Preparador de goleiros- Batista

Massoterapeuta- Neguinho

Fisioterapeuta- Paulo Moura

Médico- dr. Reginaldo

Mordomo- Betinho

Auxiliar de mordomo- Siriba

---------------------------------------------------
 
Foto: Fillipe Araujo/Divulgação

 

 



Esportes
Com.: 0
Por Kleber Santos
Primeira « Anterior « 1 2 3 4 5 6 7 8 9 » Próxima » Última

Enquete


Categorias

Arquivos