23/11
09:10

Capoeira: Luta, jogo ou arte

Joanalice Oliveira – professora de História da Rede Estadual de Ensino

Os trezentos e dezoito anos da morte de Zumbi colocaram na ordem do dia a luta contra o preconceito e a discriminação racial no Brasil. Nas discussões, a negritude e cidadania merecem maior destaque como temas de extrema importância relacionados ao mercado de trabalho, moradia, acesso à educação e saúde. Nesse contexto, a capoeira, símbolo de luta e resistência dos quilombolas, hoje ensinada nas academias de ginástica, nas universidades, vem se espalhando por alguns países do 1º mundo. Deixa assim, de ser apenas uma brincadeira dos jovens da periferia.

Essa luta, jogo, ou arte, surgiu no momento em que os negros africanos escravizados no Brasil, romperam com o poder senhorial e formaram a República dos Palmares. Reunindo 30 mil pessoas, entre homens e mulheres, transformou-se em um Estado Africano com estrutura sócio-econômica, política e jurídica, opondo-se ao governo. Essa comunidade alternativa manteve sua população, graças a um sistema coletivo de produção: o excedente era distribuído igualmente. Para que esta sociedade se defendesse das forças repressoras do Governo colonial, foi necessário a criação de um sistema de defesa, através da luta corporal e resistência física, com evidências de que a capoeira foi peça fundamental nos conflitos entre as expedições holandesas e portuguesas cujo líder, Zumbi, guerreiro e estrategista e, sobretudo, segundo a história oral, um grande capoeirista.

Depois da destruição do Quilombo dos Palmeiras, em 1690, passou-se um longo período sem informações sobre a capoeira (talvez por falta de pesquisas). Somente no século XIX esta luta vai aparecer nas Leis e Decretos do reinado de D. João VI, como prática de malandragem. Este, preocupado em manter a ordem na Capital do país (Rio de Janeiro), criou a Intendência da Política comandada por major Vidigal, o imbatível dos capoeiras. A partir daí esse jogo foi alvo de perseguição das forças repressoras do Estado Monárquico.

No Governo do Marechal Deodoro da Fonseca, responsável inicialmente pela montagem da estrutura de poder, do Estado Republicano, tendo como lema “Ordem, Progresso e Liberdade”, transformou a capoeira em uma prática criminosa (vê Código Penal 1890). Assim, o indivíduo que lutava e participava dos maltas era punido com dois a seis meses de prisão.

Essa Lei vai ser revogada somente com a Constituição em 34, na qual a Ca poeira vai ser considerada apenas um espetáculo folclórico; mas, com a Constituição outorgada, por Getúlio Vargas, em 1937, (início do estado Novo), a capoeira passa a ser oficializada como luta, sendo referenciada pelo Mestre Bimba (Manoel dos Reis Machado), criador do Centro de Cultura Física da Bahia. Ele vai dar o caráter didático, denominado Capoeira Regional, introduzindo novos movimentos ao estilo, chamado Angola, criado por Mestre Pastinha. Tal inovação criou grandes discussões e disputa entre os que as classificam como arte, folclore, vadiagem e os que as defendem como luta e defesa pessoal. Já para outros, não há distinção entre as duas modalidades, uma completa a outra e o verdadeiro capoeirista pratica ambas.

Em 1972, a capoeira se transformou em esporte competitivo: é reconhecida pelo MEC como a Arte Macial Brasileira, havendo perspectivas de ser incluída nas próximas Olimpíadas. Crescendo a sua aceitação, deixa de ser praticado nas periferias, como jogo exclusivo de homens e ganha novos adeptos, notadamente as mulheres e jovens de classe média atraídos pelos meios de comunicação e academias que hoje tomam conta dos grandes centros urbanos, como acontece na zona sul de Aracaju.

 

Outrora instrumento de luta dos escravos contra seus opressores, assimilada ao longo da História do Brasil pela classe subalterna, a capoeira, hoje é praticada pelos filhos da burguesia e sofre o risco de perder totalmente seu significado. Tudo porque, ser capoeira segundo Mestre Ziza, (é uma maneira diferente de ser), portanto, muito longe de ser um modismo que atraia a elite nos nossos dias.



Colunas
Com.: 0
Por Eugênio Nascimento
22/11
21:04

Elba Ramalho participará do bloco Caranguejo Elétrico em 2014

O Pré-caju 2014 já tem sua programação definida e o Bloco Caranguejo Elétrico está surpreendendo o público desta edição ao trazer a musa do carnaval pernambucano, a cantora Elba Ramalho. O Caranguejo Elétrico, que percorre a avenida no domingo, dia 26, traz a cantora como grande atração em virtude do aniversário de 20 anos do bloco. Além dela, o Caranguejo conta também com outra grande atração pernambucana, a Spok Frevo Orquestra.

Com mais de 30 anos de carreira a frente dos palcos, Elba é dona de uma energia contagiante e uma musicalidade autêntica que vem encantando várias gerações com suas letras e melodias, sejam elas dentro do estilo carnavalesco, do forró ou mpb. Esta multiplicidade musical faz dela das maiores intérpretes e compositoras brasileiras, tendo como atributo de identidade artística a cultura popular, que exprime a diversidade nordestina e além.

Para o Pré-caju, a paraibana, que é estrela de grandes festas como o Marco Zero e Galo da Madrugada, promete agitar os foliões com canções como ‘Frevo Mulher’, ‘Banho de cheiro’ e ‘Frevo Rasgado’ e outros sucessos. Os ‘cascos’ para a 20ª edição do Bloco Caranguejo Elétrico estão à venda na Central do Ticket, primeiro piso do Shopping Riomar.

Da assessoria


Variedades
Com.: 0
Por Kleber Santos
22/11
07:35

Prefeitos de Sergipe vão entregar pauta a Eduardo Campos e estudam reação ao governo federal

Os prefeitos de Sergipe se reuniram, na tarde dessa quinta-feira (21), no auditório da AEASE, em Aracaju, e definiram os detalhes da pauta municipalista que será entregue ao governador de Pernambuco e presidenciável, Eduardo Campos (PSB), que estará no Estado nesta sexta-feira (22), para receber o Título de Cidadão Sergipano, que será ofertado pela Assembleia Legislativa, através de uma indicação do deputado estadual Venâncio Fonseca (PP).

Os gestores também demonstraram bastante insatisfação com a Confederação Nacional dos Municípios (CNM), na pessoa do presidente Paulo Ziulkoski, e com o governo federal. O anúncio da presidente Dilma Rousseff (PT), ao colégio de líderes, de que não vai repassar o aumento de 2% do Fundo de Participação dos Municípios (FPM) revoltou por demais a categoria. Os prefeitos chegaram à conclusão que não dá para manter um discurso tão pacífico com a presidente Dilma Rousseff (PT) e estudam uma reação mais forte.

O presidente da Associação dos Municípios da Barra do Cotinguiba e Vale do Japaratuba (AMBARCO) e prefeito de Nossa Senhora do Socorro, Fábio Henrique (PDT), disse que não dá para os prefeitos diminuírem o ímpeto agora. “Nossa situação é crítica. Já estamos em uma condição muito difícil. Tenho conversado com a bancada federal, mas a resposta que a presidente Dilma disse ao colégio de líderes foi para vetar novos gastos até dezembro de 2014”.

“Estamos em uma situação complicada e pior é se a gente aceitar isso de braços cruzados. Vamos continuar mobilizados e dia 10 temos que participar do ato em Brasília”, completou. Os prefeitos sergipanos estudam participar de uma grande mobilização nacional, agendada para 10 de dezembro, na capital federal, novamente para pressionar o governo.

Por sua vez, o presidente da Federação dos Municípios de Estado de Sergipe (FAMES) e prefeito de Monte Alegre, Antônio Rodrigues (PSC), o “Tonhão”, disse que os prefeitos não devem apenas participar do ato em BSB, como também cada um levar um ônibus com uma média de 40 pessoas para fortalecer a causa municipalista em Brasília e aumentar a pressão ao governo federal.

“Está na hora da gente deixar de tanto zelo com o governo. Os agentes de Saúde fizeram uma grande mobilização, discutiram com alguns prefeitos, fecharam vias e acuaram os governos e o Congresso. Os prefeitos têm que se manifestar também, têm que ser respeitados. Vamos uniformizados, vamos reunir o maior número de prefeitos e cada um leve sua caravana. É o futuro dos municípios que está em jogo”, respondeu o presidente da FAMES.

Pauta –
O presidente da AMBARCO, Fábio Henrique, defendeu que o encontro com Eduardo Campos no PSB tem que ter repercussão nacional. “É repercutindo nacionalmente que a gente começa a incomodar o governo federal e começa virar rotina. Primeiro é Sergipe, depois é a Bahia, e depois vai ser Minas Gerais. Precisamos ser ouvidos no cenário nacional”.

O prefeito de Canindé do São Francisco, Heleno Silva (PRB), defendeu que o foco do encontro tem que ser o pacto federativo. “Não temos que puxar outro assunto que não seja a pacto federativo. Temos que conversar com Eduardo Campos e com Aécio Neves (PSDB) também. Temos que cobrar do presidente da CNM que ele não dialogue apenas com Dilma, mas que fale em nome dos prefeitos com os outros presidenciáveis também”. (Da assessoria)



Política
Com.: 0
Por Eugênio Nascimento
21/11
22:41

Diretoria Executiva da Unale se reúne nesta sexta (22) em Aracaju

Para prestigiar o presidente da União Nacional dos Legisladores e Legislativos Estaduais (UNALE), deputado estadual Venâncio Fonseca (PP/SE), a Diretoria Executiva da entidade se reúne nesta sexta-feira (22), em Aracaju, no plenário da Assembleia Legislativa de Sergipe, a partir das 10 horas. Na oportunidade, o presidente da ASEOPP (Associação Sergipana de Empresários de Obras Públicas e Privadas), Luciano Franco Barreto, fará uma exposição para os parlamentares de todo o País sobre “Obras Inacabadas”.


Deputados estaduais de várias partes do País estão chegando a Sergipe para prestigiar o evento.  “Vários temas serão debatidos e virão deputados estaduais de quase todos os Estados brasileiros. Na oportunidade, a convite da deputada Angélica Guimarães (PSC), teremos o encontro do Colegiado de Presidentes de Assembleias Legislativas do País. Quero estender meu convite a todos e pedir o apoio no sentido de que a gente possa receber, da melhor forma possível, os nossos amigos de outros Estados do País”. 
Almoço – Seguindo a programação, após a reunião da Diretoria Executiva da Unale, todos estão convidados para um almoço no Palácio de Veraneio, a convite do governador em exercício, Jackson Barreto (PMDB).


Título – Ainda dentro das atividades desta sexta-feira, às 16 horas, a Assembleia Legislativa de Sergipe, atendendo a uma indicação do deputado estadual Venâncio Fonseca, concederá o Titulo de Cidadão Sergipano ao governador do Estado de Pernambuco e presidenciável, Eduardo Campos (PSB). Vários líderes e representantes da classe política sergipana já confirmaram presença no evento. (Da assessoria)



Política
Com.: 0
Por Eugênio Nascimento
21/11
22:36

A União é a solução - Angélica Guimarães vê “brecha” na Constituição que pode resolver impasse da Zona de Expansão

 

 

 

 
 
 
 
 

Foto: Maria Odília, da Agência Alese

 
 
 

 

A presidente da Assembleia Legislativa, deputada estadual Angélica Guimarães (PSC), ocupou a tribuna na manhã de hoje (21), para dar sua contribuição ao debate sobre o litígio jurídico que envolve o limite entre os municípios de Aracaju e São Cristóvão. A parlamentar encontrou uma “brecha” na Constituição Federal que pode resolver o impasse entre os dois municípios. Ela entende que só uma lei maior do Congresso Nacional para que o TSE (Tribunal Superior Eleitoral) agende a data do plebiscito para que o povo defina esse imbróglio.Click para ampliar

 


Ao iniciar seu discurso, a deputada fez um breve histórico lembrando que, ainda em 2012, fora procurada por vários segmentos da Zona de Expansão. “Eram padres, médicos, advogados, moradores e representantes de instituições. Eles nos entregaram uma lista com abaixo assinados contendo cerca de 1,6 mil assinaturas. Eles cobravam que a gente apresentasse um projeto de decreto legislativo no sentido de realizar um plebiscito, onde a população teria o direito de escolher sobre em que município iam ficar. A grande maioria, obviamente, ia preferir ficar com São Cristóvão”.


Angélica explicou que o plebiscito foi aprovado por maioria porque alguns deputados defendiam a tese do referendo. “Fomos até a presidente do TRE/SE, desembargadora Aparecida Gama, que se comprometeu em ajudar. O pedido foi encaminhado ao TSE e tive uma audiência com os ministros Luiz Fux e Carmen Lúcia (ambos do STF) com o prefeito João Alves Filho (DEM) e a senadora Maria do Carmo (DEM). Solicitamos que se marcasse com a maior brevidade esse plebiscito”.


Em seguida, Angélica explicou que o Congresso Nacional chegou a aprovar a criação de novos municípios, o que foi vetado pela presidente Dilma Rousseff (PT). “Ali tinha algo que previa a realização do plebiscito. Para completar fomos surpreendidos com essa decisão do processo em Recife (PE) que deu ganho a São Cristóvão, mas a Prefeitura de Aracaju já está recorrendo. Para tranquilizar essas pessoas, nós precisamos de uma lei maioria do Congresso Nacional que autorize a presidente do TSE a realizar o plebiscito, caso contrário ele não acontecerá”.


Angélica finalizou apontando sua solução. “A Constituição prevê que se, após três anos de promulgada, não houver uma definição sobre os limites territoriais, a decisão fica por conta da União. Como já se passaram os três anos, está aí a brecha que precisávamos da lei. Assim que essa audiência pública for concluída, temos que provocar a União para que proceda a devida demarcação da área, o que está previsto pela própria Constituição Federal. É obrigação da União proceder a demarcação dessa área em litígio”. (Da assessoria)

 


Política
Com.: 0
Por Eugênio Nascimento
21/11
20:54

Guarda Municipal mantém título brasileiro de karatê

Entre os dias 15 e 17 de novembro, o Guarda Municipal de Aracaju, Miguel Neto, participou do III Campeonato Brasileiro de Karatê Shorin-Ryu e Interestilos, realizado na cidade de Teixeira de Freitas, na Bahia. Na competição, o GM conseguiu três medalhas de ouro e uma de prata, mantendo assim pela sexta vez o título brasileiro nas categorias kata e kumitê.

A competição reuniu mais de 300 atletas de vários estados do Brasil, dentre eles Paraíba, Espírito Santo, Pernambuco Sergipe, Bahia, entre outros. "O campeonato foi bom, teve a participação de atletas de alto nível de vários estados. Fui campeão nas categorias equipe de kata, que são movimentos de defesa e ataque das artes marciais, campeão no kumitê, a luta no peso 75 a 80 kg e campeão em equipe de luta absoluta, com adultos de qualquer idade e peso , além de vice campeão de kata individual", explicou o atleta.

Vindo de uma família de atletas da modalidade, o karatê faz parte da vida do GM desde a infância. "Meu pai é professor de Karatê e eu e meus irmãos praticamos desde pequenos. Eu treino desde os cinco anos e com nove já era faixa preta. Hoje, aos 22, já sou 3º Dan e isso é bastante útil para a profissão de Guarda Municipal, já que tanto os reflexos quanto os treinos ajudam no condicionamento e defesa pessoal. Foi muito importante o apoio que a GMA deu para que eu continuasse a competir", declarou Miguel.

Nova Modalidade

A partir do dia 03 de dezembro, o GM ministrará aulas de karatê no Centro de Treinamento da Guarda, às terças e quintas, das 16h às 17h. "Convido todos os guardas e suas famílias para comparecem e treinarem. Minha especialidade é dar aulas para crianças e geralmente elas adoram. Faremos toda a apresentação do estilo Shorin-Ryu, além da parte de competição e coisas lúdicas para as crianças", concluiu.

Da assessoria
Foto: Ascom/GMA


Esportes
Com.: 0
Por Kleber Santos
21/11
20:53

Machado tem apoio de parlamentares no processo da Zona de Expansão


O vice-prefeito, José Carlos Machado, esteve na manhã de hoje, 21, palestrando na Assembleia Legislativa de Sergipe, durante o grande expediente, sobre as questões que envolvem a área em litígio da Zona de Expansão. Machado explicou qual é área pertencente a São Cristóvão que foi demarcada por técnicos do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) de acordo com a lei estadual n° 554 de 1954. O empenho do vice-prefeito em tornar toda a Zona de Expansão em território pertencente a Aracaju legalmente, contou com o apoio dos deputados estaduais.

José Carlos Machado agradeceu aos deputados pela oportunidade de estar debatendo sobre a área em litígio da Zona de Expansão. "Quero agradecer a todos pela oportunidade de discutir com os deputados um assunto de extrema importância para o futuro de Aracaju e quero aproveitar para parabenizar os parlamentares pela iniciativa que tiveram em promover esse debate para que, de forma técnica e apolítica, encontremos um caminho para resolver esse grave problema que aflige de forma direta o destino de milhares de sergipanos que moram na região conflitada, por não saber se moram em São Cristóvão ou em Aracaju", disse.

Os limites de Aracaju e São Cristóvão estão definidos pela lei 554 de 1954, onde a referência é uma linha reta imaginária. De acordo com o vice-prefeito, há 50 anos, era bastante complicado determinar topograficamente uma linha imaginária. Hoje, existem recursos tecnológicos para fazer essa demarcação em segundos.

"Fizemos essa demarcação no mapa de Aracaju e percebemos que essa linha corta ruas, loteamentos e até mesmo casas ao meio. Existem imóveis nessa área conflitada onde metade pertence a São Cristóvão e outra parte está localizado nos 2/3 pertencentes a Aracaju. Na época os legisladores deveriam ter ponderado de forma mais razoável,  para que a linha que prevalecesse fosse baseada no acidente geográfico. Nada mais lógico que o ter como base o ‘talvegue' do rio. Existe ainda um agravante nessa lei que foi aprovada para valer por apenas cinco anos", explicou Machado.

Da assessoria
Foto: Sergio Silva


Política
Com.: 0
Por Kleber Santos
21/11
20:52

Prefeitura apresenta novos ônibus


O vice-prefeito, José Carlos Machado, entregou na manhã de hoje, 21, mais 30 ônibus novos da empresa Atalaia consolidando o compromisso firmado em melhorar a mobilidade urbana da capital sergipana. Nos últimos quatro meses a Prefeitura de Aracaju renovou 40% da frota de ônibus que circula na região, com a inserção de mais 181 ônibus no sistema integrado de transporte público. Os novos veículos serão inclusos nas linhas que estão sem funcionar e outras que funcionam de forma precária, restabelecendo com isso a normalidade do transporte do coletivo.

Para o vice-prefeito representar o prefeito João Alves na entrega dos novos ônibus é uma grande satisfação, já que essa é uma ação que atende de perto as necessidades da população mais carente de Aracaju e que necessariamente dependem de um sistema de transporte mais eficiente.

"Hoje entregamos os 30 últimos ônibus compromissados com a empresa Atalaia, completando com isso 100 ônibus novos e 41 semi-novos, totalizando 141 veículos que estão servindo a população de Aracaju. E esse é apenas o começo. Estamos em processo de conclusão para a licitação de novos abrigos", disse Machado destacando que esse foi um compromisso de campanha que está sendo resgatado.

"Um dos emblemas da campanha foi o BRT que é sinônimo de transporte eficiente com preço justo, e isso é o que buscamos. Tivemos problemas no início e atravessamos muitas dificuldades, com a saída de uma empresa que estava no sistema há mais de 20 anos. Mas, estou convencido que, no menor espaço de tempo possível, Aracaju passará a um transporte coletivo que atenda os anseios da população. Ainda temos muitos problemas com o nosso sistema de transporte, mas estamos evoluindo na busca para que a classe média também passe a utilizar o transporte coletivo, pois só conseguiremos resolver essa questão com a retirada dos carros das ruas. Para isso, é necessário oferecer aos cidadãos um sistema de qualidade e confiável, onde possam ir para os abrigos e esperar 15 minutos para a chegada do ônibus", garantiu o vice-prefeito.

Da Assessoria
Foto: Sergio Silva


Política
Com.: 0
Por Kleber Santos
Primeira « Anterior « 1 2 3 4 5 6 7 8 9 10 » Próxima » Última

Enquete


Categorias

Arquivos