27/12
14:23

ESSA É BOA - Pênis pequeno ajuda a economia

Entre 1960 e 1985, o PIB dos países onde o pênis médio é pequeno cresceu mais que o PIB dos países "bem-dotados". Cada centímetro a menos gera um aumento de 5% a 7% no crescimento econômico. Foi o que constataram pesquisadores da Universidade de Helsinque. Eles supõem que, como pênis grande e salário alto contribuem para a autoestima homem, quem não tem o primeiro se esforça mais para conseguir o segundo (THiago Perin  - Na coluna Ciência Maluca, da revista Superinteressante de dezembro)


Variedades
Com.: 0
Por Eugênio Nascimento
27/12
12:55

Sintese informa - Prefeitos e Governador terão notas divulgadas dia 29

Na próxima quinta-feira, dia 29, a partir das 8h no Calçadão da João Pessoa, o SINTESE realiza o ato de final de ano e divulga as notas dos 74 prefeitos e do governador do estado na ?Prova Final?.

A Prova Final tem por objetivo avaliar o nível da educação das redes: estadual e municipais, através de um questionário que aborda as variáveis presentes no processo de ensino e aprendizagem.

Temas como: Valorização profissional; Gestão Democrática; Garantia de direitos do Plano de Carreira e Estatuto; Condições de trabalho; Política educacional e qualidade social do ensino são debatidos e avaliados pelo magistério sergipano.

Os professores puderam dar sua nota aos prefeitos e ao governador Marcelo Déda em 162 urnas que foram espalhadas pelos 75 municípios.

Nos últimos 7 anos, mais de 21 mil votos de filiados já foram computados durante o processo de avaliação da PROVA FINAL DA EDUCAÇÃO PÚBLICA. Com isso, o evento acaba se tornando o momento para se colher um retrato fiel sobre como anda a gestão dos recursos destinados para a educação, a garantia dos direitos do magistério e a qualidade social do ensino na gestão das redes públicas de ensino de Sergipe.

Esse processo de avaliação é um importante momento de reflexão dos professores e também da sociedade sergipana, pois a Educação deve ser pensada como política pública, principalmente, neste momento,  em que vivemos a construção do Plano Nacional de Educação e buscamos que 10% do Produto Interno Bruto, da riqueza brasileira sejam investidos na Educação. (Da assessoria)

 
 


Política
Com.: 0
Por Eugênio Nascimento
27/12
12:31

ARACAJU - Prefeitura coleta mais 49 mil pneus em 2011

 

O lixo e outros os resíduos sólidos como pneus, latas e garrafas permaneceram como um dos criadouros com menor risco de dengue na capital sergipana em 2011

Até novembro foram coletados 49.573 pneus (fotos: Ascom/SMS)

 

A Prefeitura de Aracaju, por meio da Secretaria Municipal da Saúde (SMS) e da Empresa Municipal de Serviços Urbanos (Emsurb), mantém o programa de coleta, armazenamento e repasse de pneus em desuso. De janeiro a novembro de 2011 o programa recolheu 49.573 pneus, 11,27% a mais que no ano passado.

Segundo dados do Programa Municipal de Controle da Dengue, o lixo e os resíduos sólidos como pneus, latas e garrafas permaneceram como um dos criadouros com menor risco de dengue na capital em 2011, com o percentual de 4,8%, dos locais de foco de larvas. De acordo com a coordenadora do Programa, Taíse Cavalcante, o baixo índice dos lixos e resíduos encontrados nas ruas é reflexo da ação intersetorial entre SMS e EMSURB.

"Com as variações climáticas de tempo quente e chuva em poucos dias um pneu acumulando água pode se tornar lugar ideal para o surgimento das larvas do mosquito da dengue. Por isso é de extrema importância realizar a coleta dando a destinação final correta desses materiais", enaltece Taíse Cavalcante.

No início de novembro desse ano aconteceu a 11ª Mostra Nacional de Experiências Bem-Sucedidas em Epidemiologia, Prevenção e Controle de Doenças (EXPOEPI), realizada em Brasília. Na mostra Aracaju ficou entre as três melhores experiências no controle da dengue no Brasil.

"O trabalho realizado durante todo o ano, pela Secretaria Municipal da Saúde, através de ações da força-tarefa em parceria com a EMSURB e EMURB, de segunda a sábado, das 8 às 17 horas, coletas de pneus de segunda a sexta, visitas domiciliares, bloqueio de casos e os seis Levantamentos do Índice Rápido do Aedes aegypti (LIRAa) foram fundamentais para que Aracaju alcançasse esse excelente desempenho esse ano", explica o secretário municipal de Saúde, Silvio Santos.

Pontos de coleta

Qualquer pessoa pode colaborar e para fazer o cadastramento de pontos coletores de pneus. O programa atende à resolução número 258/99 do Conselho Nacional do Meio Ambiente. Para buscar informações, o cidadão pode ligar para o Centro de Controle de Zoonoses, através do telefone (79) 3179-3565 ou para a Central de Atendimento ao Cidadão da Emsurb, através do telefone 0800-284-1300.

A coleta é feita em pontos cadastrados, a exemplo de borracharias, postos de gasolina e ferro velho. O caminhão da SMS passa semanalmente pelos locais recolhendo os pneus, que são repassados ao Ecoponto da cidade, localizado no bairro Santa Maria. Lá, o material coletado é repassado para Associação Nacional de Indústria de Pneumáticos (Anip), que realiza a reciclagem. (Da assessoria)



Variedades
Com.: 0
Por Eugênio Nascimento
27/12
08:08

Pesquisa mostra desempenho de sergipanos no Congresso Nacional

Nenhum dos membros da bancada federal de SE está entre os 20
melhores  parlamentares brasileiros publicados pela revista Veja.

 

Um levantamento realizado pela revista Veja, em parceria com o Núcleo de Estudos sobre o Congresso (Necon), do Instituto de Estudos Sociais e Políticos da Universidade do Estado do Rio de Janeiro (Iesp-Uerj), avaliou deputados federais e senadores, aferindo como eles se posicionam com palavras e votos em relação a oito questões vitais em tramitação nas duas casas legislativas. Conforme a revista, foram expurgados da análise "parlamentares envolvidos em escândalos ou de reputação duvidosa".

Entre os representantes de Sergipe, o deputado federal Laércio Oliveira (PR) foi o que obteve a melhor avaliação, ficando em 42º. lugar entre os 200 de seus pares integrantes da pesquisa. O próximo sergipano a aparecer na lista da Câmara Federal foi Valadares Filho (PSB), na 146ª. posição, seguido de Almeida Lima (PPS), o 167º.

Entre os senadores, Eduardo Amorim (PSC) aparece como o 21º colocado entre poucos mais de 80.

 



Colunas
Com.: 0
Por Eugênio Nascimento
27/12
07:43

SE oferece bons incentivos, mas não tem mão-de-obra qualificada

A revista “Veja” desta semana publica o ranking dos Estados e a capacidade de cada uma das unidades da federação brasileira para atrair investimentos estrangeiros por conta da estabilidade econômica interna e a proximidade da Copa do Mundo de 2014 e dos Jogos Olímpicos de 2016. A situação de Sergipe não é boa, mas também não é ruim. O Estado está em situação moderada, com 39,8, embora abaixo da média nacional de gestão, que é de 41,3 pontos, numa escala que vai de zero a cem. A pesquisa é da Unidade de Inteligência do grupo inglês Economist e patrocinada pelo Centro de Liderança Pública.

Na questão “ambiente político”, quando foram avaliadas a estabilidade política, corrupção e burocracia, o Estado aparece em condição boa, com 50 pontos, na frente do Distrito Federal. Goiás, Pará, Paraíba, Piauí, Tocantins, Alagoas, Rio Grande do Norte, Rondônia, Roraima e Amapá. Já no trato do “ambiente econômico”, o  Estado  aparece  em situação de avaliação moderada, com uma média de 43,8 pontos, empatado com o Ceará, Pará, Paraíba e Rio Grande do Norte.

No item “políticas para investimentos estrangeiros”, onde foram levados em conta os cardápios de incentivos para os investimentos e as políticas para o capital estrangeiro, Minas Gerais, Rio de Janeiro, São Paulo e Rio Grande do Sul, segundo a pesquisa, têm eficientes agências de promoção, mas Sergipe está entre os Estados  que oferecem boas condições, juntamente com  a Bahia, Pernambuco e Ceará. Quem oferece as melhores condições são, em primeiro lugar,  São Paulo e logo depois o Paraná.

 

Recursos humanos

Sergipe não tem mão-de-obra especializada, boa produtividade dos trabalhadores e o número de graduados em universidades ainda é baixo. No trato com a oferta de “recursos humanos”, o Estado é avaliado como ruim e registrou apenas 16,7 pontos, ficando empatado com Amapá e Tocantins. Estão todos três abaixo da média, que ficou em 34,9 pontos. Na qualidade dos serviços de “infraestrutura” (telecomunicações, acesso a internet de alta velocidade, malha rodoviária) o desempenho de Sergipe  foi moderado.

 Em sustentabilidade ambiental, Sergipe obteve 50 pontos e está entre os bons do país. No desempenho em inovação (incentivos para a pesquisa e gastos em desenvolvimento) o Estado aparece em condição moderada e bem na avaliação do regime tributário e regulatório. O Estado, junto com Alagoas, Rio de Janeiro e Roraima, é o melhor avaliado. Nos demais itens, São Paulo, Rio de Janeiro, Minas Gerais, Rio Grande do Sul, Paraná e Santa Catarina estão sempre entre as maiores notas.



Economia
Com.: 0
Por Eugênio Nascimento
27/12
02:10

Enquete: Aracaju precisa eleger em 2012 um prefeito técnico

(clique para ampliar o resultado)

Na opinião da maioria dos internautas do blog Primeira Mão, Aracaju precisa eleger em 2012 um prefeito técnico, cuja votação na enquete foi de 58,91%.

Em segundo lugar, os internautas optaram por um prefeito político, com 26,56%, e 14,53% são neutros. Escolheram o "tanto faz".


Variedades
Com.: 0
Por Kleber Santos
26/12
10:38

Os PIBs municipais de Sergipe em 2009 (2)

Ricardo Lacerda*

O plebiscito para aprovação da criação de dois novos estados a partir do desmembramento do Pará mobilizou não apenas a população local, como suscitou debates acalorados em todo o país. Do que foi possível captar, a grande maioria daqueles que se manifestaram na grande imprensa ou nas redes sociais era contrária à constituição dos novos estados, percebida ou como esperteza dos políticos para aumentarem os cargos públicos ou como sacrifício das demais unidades da federação, que teriam que sustentar as novas estruturas administrativas.

Tais preocupações são legítimas e encontram fundamento em experiências passadas em que foram criados estados e municípios que não contavam com autonomia financeira para se manter. Mas, um pressuposto geral, frequentemente, é causa de decisões estreitas em que deixam de ser observadas as especificidades das situações. Não é difícil perceber as dificuldades do Pará em ofertar políticas públicas de segurança, saúde, educação e de infraestrutura em um estado que tem dimensão territorial superior a muitos países. Particularmente na região sul do Pará, há uma notória carência de ordem pública. É um quadro, não resta dúvida, em que é necessário aumentar a presença do estado.

Há evidentes abusos na criação de municípios, que o estado Paraíba é um dos exemplos mais nefastos. Com dimensão territorial relativamente modesta, a Paraíba conta com 223 municípios, dos quais 68 tinham, em 2009, menos de cinco mil habitantes e 137, menos de dez mil habitantes. Gerou-se um cenário em que mais de 2/3 dos municípios paraibanos são extremamente dependentes das transferências governamentais: em 158 dos 223 municípios (70,8%), a administração pública, incluindo a seguridade social, respondia por mais da metade do Produto Interno Bruto (PIB).

Sergipe
Em 2009, doze municípios sergipanos tinham menos de 5.000 habitantes. O menor deles era Amparo do São Francisco, com 2.268 residentes, seguido por Pedra Mole, General Maynard, Telha, São Francisco, São Miguel do Aleixo, Malhada dos Bois, Cumbe, Santa Rosa de Lima, Canhoba, Divina Pastora e Itabi. Com menos de 10 mil habitantes, eram 28 municípios.

O quadro, a seguir, apresenta os vinte municípios de menor PIB e os vinte municípios em que a administração pública, inclusive previdência, tinha maior peso na geração da riqueza. A primeira observação é a de que em 16 dos 75 municípios sergipanos, ou 21,3% do total, a administração pública, inclusive previdência, representava mais da metade do PIB de 2009. Eram, em geral, municípios de menor porte e de pouca tradição industrial que encontram extremas dificuldades para custear a máquina pública e oferecer os serviços de saúde e educação e promover politicas de desenvolvimento local.


O Mapa de Sergipe resume as participações da administração pública (e seguridade) nos PIBs dos municípios, em 2009, destacando nas áreas mais escuras aqueles municípios em que parcelas mais expressivas da riqueza se originaram de recursos públicos, em geral, provenientes de transferências federais.

Há dois caminhos que vêm sendo perseguidos para reduzir a dependência desses municípios da transferência de recursos públicos: a alternativa mais usual é atrair, por meio de incentivos diversos, grandes empresas que possam impulsionar a geração de renda na região; o segundo caminho é fomentar as vocações locais por meio de apoio aos Arranjos Produtivos Locais, de base agropecuária, industrial ou de serviço, buscando uma melhor inserção produtiva. É para esses municípios, que contam com bases produtivas mais limitadas, que as políticas de desenvolvimento econômico de base local devem ser mais orientadas.



*Professor do Departamento de Economia da UFS e Assessor Econômico do Governo de Sergipe



Colunas
Com.: 0
Por Eugênio Nascimento
26/12
07:01

Zacarias é sepultado em Maruim

Morreu ontem de manhã e à tarde foi sepultado em Maruim (SE)  o  sargento do Exército, Zacarias Izidoro Cardoso, 88 anos, expedicionário que atuou na 2ª Guerra Mundial.  Ele foi internado no dia 22, com uma infecção que acabou se generalizando. Zacarias é considerado um dos herois de guerra do Brasil pela sua bravura na luta contra o fascismo na  Itália.



Variedades
Com.: 0
Por Eugênio Nascimento
Primeira « Anterior « 1 2 3 4 5 6 7 8 » Próxima » Última

Enquete


Categorias

Arquivos