22/12
18:54

Saúde sem jeito etc. e tal

José Lima Santana
Não me surpreendeu a notícia divulgada no Jornal da Cidade, edição do sábado, dia 14, dando conta da saída da deputada estadual Goretti Reis da Secretaria de Saúde de Aracaju, no próximo mês. Aliás, ela sairia de qualquer jeito para se candidatar à reeleição. Lá atrás, outra pessoa fora convidada pelo prefeito João Alves Filho para ocupar a pasta. De última hora, o prefeito desconvidou o convidado para dar lugar a Goretti, a fim de atender a uma engenharia política, qual seja colocar Antônio Passos de volta à Assembleia. Nada mais. A deputada lagartense, que teve a firmeza de ficar do lado oposicionista na Assembleia, recusando proposta política do governador do estado, após a debandada do grupo dos irmãos Amorim das hostes governistas, nem sempre foi bem vista nas rodas da administração municipal. Eu disse isso no artigo “Rebuliço nos bastidores da Prefeitura de Aracaju”, publicado na edição de 10 e 11 do mês passado. Secretários queimavam Goretti. Um deles até dizia à larga qual seria o nome ideal para substituí-la. Agora, o vice-prefeito José Carlos Machado botou mais lenha na fogueira. O problema é que Machado é ágil, gosta das coisas sendo tocadas com mais rapidez e, ao que parece, Goretti não teve o tempo suficiente para botar as coisas nos eixos, ou demorou a tomar medidas mais adequadas para a solução de alguns entraves encontrados. E João Alves, o que diz de tudo isso? O prefeito teria falado pela boca do vice-prefeito? Há quem diga que sim. Não sei... Por outro lado, quem haverá de herdar essa pasta tão complicada? Fala-se em um vereador aracajuano, médico, para assumir o lugar da deputada. Outra engenharia política? Eis o problema. E haja soluções a ser dadas. Pobre saúde! Diga-se por oportuno que em matéria veiculada no Jornal da Cidade, no último fim de semana, as autoridades estaduais alegam que a sobrecarga do Hospital João Alves Filho (o tal HUSE) deve-se ao fato do parco atendimento nas unidades municipais, em Aracaju. Essa constatação é antiga. O mesmo era dito no passado, quando, inversamente, o grupo que hoje administra o Estado administrava a Prefeitura e o grupo que administra a Prefeitura administrava o Estado. Os tempos passam, os tempos voam e a saúde no geral continua a mesma. Talvez um pouco pior. 
Nas rodas de bate-papo, algumas pessoas apostam folgadamente que Machado indicará a pessoa a substituir Goretti. Quem assim pensa, acha também que João sairá da Prefeitura, para candidatar-se a governador (o seu sonho). Se João for se candidatar, é provável mesmo que Machado comece agora a dar o novo tom da administração municipal. Porém, João se candidatará? Eis a questão. As coisas na Prefeitura não andam muito bem, a ponto de alavancar a candidatura do prefeito, que ainda, a bem da verdade, tem expressivo cabedal eleitoral, como todas as pesquisas demonstram. Até agora. 
Machado é danado. Gosta das coisas bem andadas. Gosta de acelerar a administração pública. Foi assim nas vezes em que ele ajudou João na Prefeitura e no Estado. O seu estilo é do tipo trator revolvendo terra. Há quem ache Machado meio bruto. Não é nada disso. O que ele não tolera são situações desandadas, como parece ocorrer em certos setores da administração municipal atual. Se não sair da Prefeitura, João deve ter consciência de que precisa alavancar a sua administração. Ele precisará mudar algumas cartas do baralho e imprimir um novo tipo de jogo, isto é, de gestão. Isso não significa que João não esteja sabendo administrar. Ele deve estar mais voltado para os projetos dos quais tanto gosta e de que Aracaju tanto precisa, e deve estar tramando jogadas políticas. Não está errado. Porém, as pessoas que votaram em João esperavam muito mais do que estão vendo. E João, por certo, esperava muito mais de alguns dos seus auxiliares. Digam o que quiserem de João, só não digam que o Negão é burro ou que não sabe avaliar o que lhe cerca. Ficando na Prefeitura, ele ainda tem tudo para dar a volta por cima. Ninguém duvide. Se sair, ainda será um páreo duro a ser enfrentado nas urnas. 

Por outro lado, uma pesquisa divulgada no fim da semana passada mostra o governador Jackson Barreto em ascensão, na preferência dos eleitores. João continua bem na frente, e Amorim desceu. Seria uma tendência? Contudo, outra pesquisa, divulgada na sexta-feira, 20, mostra João ainda disparado na frente, seguido de longe por Amorim que se acha basicamente em empate técnico com Jackson, em 3º lugar. Os números das pesquisas balançam para lá e para cá. A partir de agora, JB deverá exercitar os músculos. Terá pela frente uma tarefa árdua: conciliar interesses políticos díspares por todos os lados. E terá que azeitar certos setores da administração estadual, imprimir-lhes novo jeito de governar. De qualquer forma, a administração estadual também está deixando muito a desejar, como demonstrou uma pesquisa do IBOPE, publicada na segunda-feira, dia 16. O governo do Estado perdeu muito tempo em alguns setores, como segurança pública, saúde etc. Em alguns casos, parece-me que não haverá como recuperar o tempo perdido. Vamos ver. Já no bloco dos irmãos Amorim, estratégias devem estar sendo estudadas para que o senador Eduardo fique em evidência. Os irmãos Amorim têm um bloco que se acredita fogoso e deverá ir com tudo à luta eleitoral. Nos meios de comunicação social ligados a eles, o pau está quebrando todo dia contra o governo. E vai ser assim até que seja possível, por conta da legislação eleitoral. Se essa atitude poderá resultar em votos, saberemos mais tarde. E ainda tem o senador Valadares... Qual será o rumo do senador? Alguém acha difícil responder? Eu, não! 
2014 promete. Depois do réveillon teremos o carnaval (e entre nós, teremos antes o PRECAJU). E aí o bicho vai pegar, como sempre. Folia, folia, folia. Depois do carnaval, virão os momentos da brazuca rolar nos gramados. Copa do Mundo! Uns são contra. Muitos são a favor. Oxalá nós tenhamos um bom futebol, e não o futebolzinho do Galo mineiro (não teria sido um pinto que foi jogar no Norte da África?), depenado por um timeco qualquer do Marrocos, na última quarta-feira. Até o Dorense Futebol Clube da minha terra venceria os marroquinos. Ademais, ai da Seleção Brasileira se não ganhar o hexa! Outro maracanazo? Ninguém aguentará. E aí começará o tempo mais gostoso (?), mais visto (?), mais aplaudido (?) da televisão brasileira: o horário eleitoral gratuito. Uma zorra! Quem aguenta? E, por fim, a eleição. Pronto. O ano terminará. Com a vitória de quem, em Sergipe? Vai-se saber...!
Feliz Natal pra todo mundo! 


(*) Publicado no Jornal da Cidade, edição de 22 e 23/12/2013. Publicação neste site autorizado pelo autor


Colunas
Com.: 1
Por Kleber Santos
22/12
18:48

O discreto charme da hipocrisia

Clóvis Barbosa - É blogueiro e conselheiro do TCE-SE

 

Outubro de 1960 - Câmara Municipal de Aracaju, Palácio Graccho Cardoso. Aprovado pelo Decreto Legislativo n° 05, a concessão do Título de Cidadão de Aracaju ao Dr. João Belchior Goulart, então vice-presidente da República Federativa do Brasil, “em reconhecimento aos inestimáveis serviços que vem prestando ao operariado nacional”. O autor da proposta, assim justificava e emissão de tal honraria: “Nascido em São Borja, recebendo do imortal presidente Getúlio Vargas as lições de política social que iria colocá-lo, mais adiante, na liderança dos trabalhadores brasileiros, o Dr. João Belchior Goulart, conhecido por Jango, é uma das nossas mais autênticas personalidades no cenário político do País, quer pela herança do trabalhismo, quer, sobretudo, pela figura de condontieri em defesa dos ideais e anseios das classes que labutam no comércio, no campo e na indústria nacionais. Agora mesmo, devido à sua proverbial interferência, o Governo foi compelido a decretar a Lei Orgânica da Previdência Social, estatuto básico dos benefícios e amparo dos que fazem do trabalho o progresso da Pátria. Outras lutas têm recebido de sua honrada pessoa o mais franco apoio, todas elas revestidas da aspiração de um futuro melhor e de um presente mais risonho para os humildes e os que são pobres. Deputado Estadual, Federal, Secretário do Interior e de Justiça do Rio Grande do Sul, Ministro do Trabalho e Vice-Presidente da República, jovem e portador de uma carreira promissora, Jango merece o nosso aplauso franco, pela luta, também, da preservação de nossas riquezas do subsolo, sendo, portanto, justo, esta homenagem a este grande homem, por ter sido no passado, como no presente, um homem público de envergadura, merecedor da confiança e da estima de milhões de brasileiros que empregam o seu labor para o alevantamento da Nação”.  

Outubro de 1961 – Câmara Municipal de Aracaju, Palácio Graccho Cardoso - Aprovado pelo Decreto Legislativo n° 02, a concessão do Título de Cidadão de Aracaju ao Governador Leonel Brizzolla, “em reconhecimento aos inestimáveis serviços prestados em defesa da Constituição e da legalidade brasileira”.

Abril de 1964 – Câmara Municipal de Aracaju, Palácio Graccho Cardoso – Declarada pela Resolução n° 5 a perda do mandato do vereador Manuel Vicente do Nascimento, eleito pelo Partido Trabalhista Brasileiro. Estão nas justificativas da resolução: as Forças Armadas brasileiras, dando magnífico exemplo de fidelidade às suas gloriosas tradições democráticas, expurgou do Poder um governo que estava seriamente comprometido com o vandalismo de Moscou, Pequim e Havana; esse movimento de caráter patriótico, plenamente vitorioso, foi inspirado e promovido em defesa da restauração de nossas liberdades ameaçadas pelos agentes da subversão; torna-se imprescindível para a consolidação do regime e da ordem, o saneamento nos quadros constitucionais em todas as esferas, especialmente na legislativa, de parlamentares ligados, comprovadamente, com o comunismo internacional; o vereador Manuel Vicente do Nascimento é filiado às hostes do extinto Partido Comunista do Brasil, e vinha participando dos atos subversivos deflagrados em nosso País, tornando-se um dos seus destacados líderes com vida ativa e notória, especialmente no setor ferroviário; e, finalmente, que o referido edil situou-se como um inimigo declarado da Pátria e de suas instituições, violando a própria Lei de Segurança Nacional.

Maio de 1964 – Câmara Municipal de Aracaju, Palácio Graccho Cardoso – Duas resoluções foram aprovadas, a de n° 14, de 21 de maio de 1964, revogando o Decreto Legislativo n° 2, de 19 de outubro de 1961, que concedeu o Título de Cidadão de Aracaju ao Sr. Leonel Brizola, “em vista haver o ex-Deputado Federal concorrido para a comunização do Brasil”; outra, a Resolução n 10, de 25 de maio de 1964, que revoga o Decreto Legislativo n° 02, que concedeu o Título de Cidadão de Aracaju ao Sr. Leonel Brizzolla, “tendo em vista a recente cassação dos seus direitos políticos e a perda de seu mandato, decretadas pelos órgãos competentes”.

Maio de 1964 – Câmara Municipal de Aracaju, Palácio Graccho Cardoso – Aprovada Resolução nº 11, de 26 de maio de 1964, revogando o Decreto-Legislativo n° 5, de 24 de outubro de 1960, que concedeu o Título de Cidadão de Aracaju ao Sr. João Belchior Goulart, “tendo em vista a recente cassação dos seus direitos políticos e a perda de seu mandato, decretadas pelos órgãos competentes”.

Dezembro de 1995 – Câmara Municipal de Aracaju, Palácio Graccho Cardoso – Duas resoluções foram aprovadas. A de n° 18 restituiu o Título de Cidadão de Aracaju ao Sr. João Belchior Goulart, precedida da seguinte justificativa: Nunca é tarde para reparar uma grande injustiça. Mesmo após a morte do Sr. João Belchior Goulart, cabe a esta Casa reparar o ato injusto e subserviente que cometeu ao cassar o Título de Cidadania deste bravo brasileiro; a de nº 19 restituiu o Título de Cidadão de Aracaju ao Sr. Leonel de Moura Brizola, com a seguinte justificativa do autor do projeto: Esta Resolução visa reparar um ato de injustiça praticado por esta Casa Legislativa quando subservientemente resolveu agradar aos senhores da ditadura Militar, cassando o Título de Cidadão Aracajuano concedido ao Sr. Leonel de Moura Brizola pelo fato de que o mesmo fora cassado.    

Pois bem, tirante as incongruências contidas nos atos formais das resoluções, como aquelas que tratam da revogação do Decreto-Legislativo que concedeu o título a Leonel Brizola, na verdade, as cassações dos títulos de cidadania que foram concedidas ao ex-presidente João Goulart e ao ex-governador do Rio Grande do Sul e do Rio de Janeiro, Leonel Brizola, estão eivadas de nulidades. Os títulos foram concedidos através de um Decreto-Legislativo e somente por esta ferramenta jurídica poderia ser revogada. Na ânsia de baixar as calças para a ditadura militar, os vereadores aracajuanos resolveram revogá-los através de resoluções, cujos efeitos são meramente internos, não alcançando o mundo exterior. Não havia a necessidade dos títulos serem restaurados em 1995, uma vez que os mesmos, juridicamente, nunca foram revogados. O mesmo ocorreu com o vereador Manuel Vicente do Nascimento, eleito pelo povo e que teve o seu mandato cassado através de resolução. Não poderia ser feito por esse instrumento jurídico pelos mesmos argumentos. A injustiça perpetrada pela Câmara Municipal de Aracaju com esses homens precisam ser reparadas, mesmo post-mortem. A Câmara deve pedir desculpa ao povo sergipano e às famílias de João Goulart, Leonel Brizola e Manuel Vicente do Nascimento. Aos dois primeiros, entregando aos seus familiares o Título de Cidadão de Aracaju. Ao último, restituindo simbolicamente o mandato de vereador.

As ditaduras têm um poder extraordinário na criação de um tipo de disfunção mental onde o indivíduo é incapaz de distinguir o bem do mal. É a chamada hipocrisia consciente, que chega a tornar-se pandêmica. Um exemplo foi o golpe militar que se instaurou no Brasil a partir de 1964 e durante os anos de chumbo. Mas tudo isso acabou. Está na hora de se resgatar a dignidade através do discreto charme. Não, o da hipocrisia, mas o da virtude da justiça. Façamos, pois, em nome da justiça, as reparações a esses três cidadãos.  

 

Clóvis Barbosa escreve quinzenalmente aos domingos.  



Coluna Clóvis Barbosa
Com.: 0
Por Eugênio Nascimento
22/12
18:43

Jackson se reúne com os Valadares e anuncia 'encontrão' com todos os aliados

O governador Jackson Barreto (PMDB) se reuniu das 10h às 13h deste domingo com o senador Antônio Carlos Valadares e o deputado federal Valadares Filho, ambos do PSB. No encontro, que aconteceu no apartamento do senador, os socialistas confirmaram o apoio ao governador e ao projeto de reeleição, discutiram a conjuntura política atual e o governador lhes expôs dados sobre os investimentos em andamento e aqueles que ainda começarão no Estado, além do Proinveste. “Jackson estava muito entusiasmado e nós deixamos claro que estamos com esse projeto bem sucedido e que está sendo realizado em Sergipe desde o seu início e vamos continuar nele”, comentou Valadares Filho. Ao final do encontro, Jackson disse que pretende marcar uma reunião para discutir com todos os aliados a preservação da aliança e expor o que seu governo está realizando. O senador Valadares afirmou que "foi um bom momento para se conversar descontraidamente e manifestar om desejo de ver Sergipe crescendo cada vez mais e sempre".



Política
Com.: 0
Por Eugênio Nascimento
22/12
17:44

Pódio e comemoração do título mundial no Handebol

 

Multimídia
Com.: 0
Por Kleber Santos
22/12
17:35

Sergipano Manoel Luiz, presidente da CBHb, fala sobre o título do Brasil

 

Multimídia
Com.: 0
Por Kleber Santos
22/12
17:13

Handebol: Melhores momentos da vitória do Brasil contra a Sérvia



Multimídia
Com.: 0
Por Kleber Santos
21/12
15:13

Vinda de gregos pega sergipanos de surpresa

Representantes das seleções da Honduras, Colômbia e Coreia vieram a Sergipe no mês passado para avaliar a possibilidade de usar Aracaju como sede de treinamento, mas não deram qualquer resposta até ontem. Por isso, a opção grega por Sergipe pegou muitos desportistas, pessoas da área de turismo e autoridades desportivas e do turismo de surpresa. Eles alimentavam a esperança da vinda de um dos times que mandou representante ao Estado, mas manifestaram satisfeito com a vinda da Grécia, conforme anunciou o jornal “O Globo”, em sua edição deste sábado.



Esportes
Com.: 0
Por Eugênio Nascimento
21/12
10:53

Aracaju receberá a Seleção da Grécia na Copa, diz jornal

Perspectiva do campo que receberá novo gramado



Depois de muita articulação, a seleção da Grécia escolheu Aracaju como local de concentração durante o Mundial de 2014. As 32 seleções classificadas para a Copa ficarão espalhadas em 23 cidades, de 9 estados.

O estado de São Paulo foi a principal escolha, concentrando quase metade das delegações - 15 ficaram lá. As seleções têm até o dia 31 de janeiro para indicar à Fifa se desejam alterar seus locais de concentração.
Quatro seleções ficarão no Rio de Janeiro - incluindo o Brasil, que vai treinar na Granja Comary, em Teresópolis -, três na Bahia, três em Minas Gerais, duas no Paraná, duas no Espírito Santo e uma em Sergipe, uma em Alagoas e uma no Rio Grande do Sul.

Confira as escolhas de cada seleção por estado:

SÃO PAULO:
Bósnia - Guarujá
Costa Rica - Santos
México - Santos
Honduras - Porto Feliz
Rússia - Itu
França - Ribeirão Preto
Portugal - Campinas
Nigéria - Campinas
Irã - Guarulhos
Japão - Itu
Bélgica - Mogi das Cruzes
Estados Unidos - São Paulo
Colômbia - Cotia
Costa do Marfim - Monte Sião
Argélia - Sorocaba

RIO DE JANEIRO:
Holanda - Rio de Janeiro
Itália - Mangaratiba
Brasil - Teresópolis
Inglaterra - Rio de Janeiro

BAHIA:
Alemanha - Santa Cruz de Cabrália
Suíça - Porto Seguro
Croácia - Salvador

MINAS GERAIS:
Argentina - Belo Horizonte
Chile - Belo Horizonte
Uruguai - Sete Lagoas

PARANÁ:
Espanha - Curitiba
Coréia do Sul - Foz do Iguaçu
ESPÍRITO SANTO:
Austrália - Vitória
Camarões - Vitória

SERGIPE:
Grécia - Aracaju

RIO GRANDE DO SUL:
Equador - Viamão

ALAGOAS:
Gana - Maceió

* Com informações de O Globo
**  Atualizado 17h50


Esportes
Com.: 0
Por Kleber Santos
Primeira « Anterior « 1 2 3 4 5 6 7 8 9 10 » Próxima » Última

Enquete


Categorias

Arquivos