30/12
12:21

Seis secretários estaduais devem permanecer nos cargos atuais

É apenas uma impressão, mas acho que esses vão permanecer onde estão. Tudo o mais pode ser alterado. O anúncio deverá ser feito na manhã desta quarta-feira, depois da missa que será celebrada na Catedral Metropolitana em homenagem ao governador reeleito, Jackson Barreto (PMDB). O ato religioso acontecerá às 9h.


Veja quem são eles:

Zezinho Sobral-Casa Civil

João Augusto Gama - Seplag

Benedito Figueiredo - Governo

Jeferson Passos - Fazenda

Fernando Mota - Banese

Saumíneo Nascimento - Sedetec



Política
Com.: 0
Por Eugênio Nascimento
30/12
11:42

Decreto Legislativo indica deputada Angélica Guimarães para conselheira do TCE-SE

O Diário Oficial do Estado de Sergipe publica em sua edição de hoje, 30/12;2014, na página 18, o Decreto Legislativo nº 01/2014 indicando a deputada estadual Angélica Guimarães para o cargo de conselheira do Tribunal de Contas de Sergipe, na vaga gerada pela aposentadoria do conselheiro Reinaldo Moura.

O ato de nomeação deverá ser assinado pelo governador Jackson Barreto nas próximas horas. Angélica deverá ser empossada no TCE-SE na próxima segunda-feira.

Angélica Guimarães (PSC), que é atualmente presidente da Assembleia, foi eleita por unanimidade , na sessão que aconteceu no dia 08 de abril e contou com a presença dos 23 deputados.

Angélica foi a única candidata e será a terceira mulher a ocupar o cargo. A primeira foi a conselheira aposentada Izabel Nabuco e a segunda a conselheira Suzana Azevedo.



Política
Com.: 0
Por Eugênio Nascimento
29/12
19:39

Governo inicia pagamento de servidores nesta terça-feira, 30

O Governo do Estado inicia nesta terça-feira, 30, o pagamento do funcionalismo público estadual referente ao mês de dezembro. Os servidores lotados na Secretaria de Estado de Educação, aposentados e pensionistas serão os primeiros a receber. Os servidores da Saúde, SergipePrevidência, Ipesaúde e Segrase recebem seus vencimentos no dia 31.

Também recebem na quarta-feira, 31, os demais servidores que têm rendimentos até R$1.700. O servidor que recebe acima de R$1.700 terá a respectiva complementação paga até o dia 10 de janeiro.

A necessidade de limitação de valores em determinados casos ocorre em função das dificuldades financeiras agravadas pela frustração de receitas oriundas de repasses federais, a exemplo dos roaylties, Fundo de Exportação e Fundo de Participação dos Estados (FPE) que apresentou uma perda para Sergipe de mais de R$ 200 milhões durante o ano de 2014.

A gestão estadual prioriza, nesse momento de dificuldades, os servidores de menor renda, a exemplo de merendeiras, vigilantes, motoristas e servidores administrativos.

O problema nos repasses federais tem afetado as demais unidades da Federação, como os estados do Rio Grande do Norte e Alagoas, além de vários municípios, que vêm atrasando pagamento de salários de servidores, inclusive em maior gravidade em comparação com Sergipe. (Da assessoria)



Política
Com.: 1
Por Eugênio Nascimento
28/12
19:54

Balanço e perspectivas

Ricardo Lacerda*

O ano de 2014 não vai deixar muitas saudades do ponto de vista da economia. Os resultados foram ruins em suas várias dimensões.

No cenário externo, 2014 foi um ano de frustração. Com a exceção dos resultados mais recentes dos EUA, o crescimento e a geração de emprego foram pífios entre as economias de maior peso no PIB global: estagnação na Europa e no Japão, enquanto a China não logrou reverter a trajetória de desaceleração.

Entre os países ditos emergentes, inclusive aqueles considerados queridinhos da vez dos mercados, a evolução também foi frustrante. Não teve tempo bom para nenhum dos principais emergentes.

Ao longo do ano, as agências internacionais revisaram para baixo as taxas de crescimento dos países avançados e dos países em desenvolvimento. Em uma cantilena que já está se tornando desgastante para a credibilidade das instituições, há alguns anos aponta-se que o ano de retomada robusta da economia mundial vai ser sempre o próximo e depois a projeção é revista para baixo. Adia-se, seguidamente, para o ano vindouro a esperança de que, finalmente, a crise de proporções mundiais que eclodiu no já distante setembro de 2008 fique para trás.

No cenário interno, 2014 também foi ruim. O nível de atividade da economia brasileira andou de lado ao longo de todo o ano, a balança comercial teve um desempenho especialmente complicado e as contas públicas, nas três esferas de governo, se deterioraram.

Apesar dos resultados pouco alvissareiros, não estamos, diferentemente de outros momentos em que enfrentamos dificuldades, à beira de uma situação paralisante ou próximos de uma bancarrota como sucedeu nos anos oitenta e noventa e nem mesmo em uma situação semelhante à crise de confiança que ameaçou as possibilidades de desenvolvimento do país em 2002/2003. Duas são as principais diferenças da situação atual: o elevado nível de reserva externas que o Brasil detém e a permanência do mercado de trabalho e, por consequência, do mercado de consumo notavelmente resistentes.

Em conjunto, a situação robusta de nossas reservas e o amplo mercado de consumo assegurado pela situação do mercado de trabalho (e pela inclusão social) conferem oportunidade e tempo para enfrentar o cenário externo perverso, vencer a crise de confiança interna e ajustar a economia para um novo ciclo de expansão, depois de um período mais ou menos longo de moderação no crescimento.

PIB e Consumo

A taxa de desocupação nas regiões metropolitanas em novembro se manteve notavelmente baixa, 4,8%, e nos últimos doze meses encerrados naquele mês foram criados 430 mil empregos formais, o que, apesar de ser o resultado mais débil dos últimos treze anos, ajudou a manter a taxa de desemprego em patamar reduzido.



O Gráfico 1 apresenta algumas características curiosas da relação entre o PIB e o consumo das famílias durante as fases de desaceleração do crescimento econômico. Desde o início do amplo processo de inclusão social em 2004, na série de dois trimestres acumulados em relação a igual período do ano anterior, a evolução do PIB registrou três momentos cujas taxas se situaram abaixo de 1,5%, cada um deles correspondentes a períodos de deterioração da economia internacional: um primeiro mais agudo, intenso e seguido de rápida retomada, entre o primeiro e terceiro trimestres de 2009; o segundo, mais suave e relativamente mais longo, entre o primeiro e quarto trimestres de 2012 e, por último, o que vem nos atingindo desde o segundo trimestre de 2014.

O Gráfico mostra que, diferentemente dos ciclos de descenso anteriores a 2004, o consumo das famílias foi notavelmente preservado, mantendo-se positivo em todo o período e crescendo em ritmo superior a 1,5%; nesse último caso, com exceção do terceiro trimestre de 2014. Observe-se que nas fases descendentes dos ciclos anteriores, como entre o último trimestre de 2008 e o de 2009 e durante a oscilação que marcou o período recessivo entre o final de 2001 e o final de 2003, o desaquecimento do consumo das famílias acompanhou ou foi até mais intenso do que o do PIB. Nessa série em dois trimestres acumulados, o consumo das famílias chegou a se retrair durante oito trimestres seguidos entre o final de 1997 e o terceiro trimestre de 1999 e apresentou patamar também rebaixado, do final de 2001 até o início do novo ciclo expansivo, já em 2004.


Perspectivas

2015 deverá ser um ano de ajuste, o que na prática significa um período marcado pelo aperto no consumo das famílias e nas despesas do governo. Em um cenário em que não ocorra choques externos de grande impacto, os juros deverão sofrer elevação moderada, inclusive para inibir valorização cambial que pressione demasiadamente a inflação.

A julgar pelas manifestações captadas pela imprensa, a nova equipe econômica não vai tardar para mudar o novo padrão de gestão dos gastos públicos enquanto o banco central já vem ajustando os parâmetros da política de juros e câmbio. Ao lado da gestão macroeconômica, acena-se para uma nova agenda microeconômica, com o objetivo de destravar o investimento e promover ganhos de eficiência, ainda que os pontos não tenham sido delineados até o momento e as resistências nessa área sejam maiores do que na gestão macroeconômica.

As projeções de mercado é de que a economia deverá repetir em 2015 o crescimento mais do que modesto de 2014, na expectativa de apresentar um início de retomada em 2016. O principal desafio é fazer o ajuste sem provocar perdas maiores no poder de compra da população.

* Professor do Departamento de Economia da UFS e Assessor Econômico do Governo de Sergipe.
Artigos anteriores estão postados em http://cenariosdesenvolvimento.blogspot.com/


Coluna Ricardo Lacerda
Com.: 0
Por Kleber Santos
28/12
17:51

Mais um Ano Novo

José Lima Santana*

Entra ano, sai ano, e as esperanças, as mais diversas, continuam a mexer com as pessoas. Passado o Natal, que deveria ser uma festa eminentemente cristã, desde que a Cristandade decidiu absorver a data em que, antes, se celebrava uma festa pagã, a fim de elevar o nome do Salvador da humanidade, na compreensão dos seguidores de Jesus de Nazaré, voltamo-nos para 2015. Que ele venha! E que traga para cada homem e para cada mulher, o que todos esperam. É evidente que, ao chegar o fim do ano, nem tudo que estava no cesto das esperanças das pessoas se concretizou. Para as pessoas de fé, faltou fé? Deus não lhes favoreceu? O que aconteceu, então? As pessoas entram, assim, em desesperanças? E as pessoas que não têm fé, que não se apegam a nada, absolutamente nada, no plano espiritual, o que elas dizem diante da não realização dos seus sonhos, no ano que se finda? Acham que a sorte não lhes favoreceu? Creditam o insucesso ao destino? Acham que não lutaram o suficiente no ano que foi novo e que se acha velho? Complexa é a realidade da vida. Complexas são as pessoas, que se envolvem em tantas complexidades metafísicas ou não. Enfim, complexo se mostra este insosso escriba ao ver findar-se um ano extremamente complexo como foi 2014. Ano de Copa do Mundo. Ano do 7x1, do tétrico 7x1 que amargamos contra a Alemanha, que, aliás, jogou diante dos Canarinhos sem nenhuma complexidade. E quantos gastos complexos com a construção ou reforma de estádios (ou arenas), hein?  


Ano de eleições. Eleições complexas. Resultados complexos. Fatos complexos no decorrer do pleito eleitoral, a começar pela morte de um presidenciável. Ano em que a pérola da Administração Pública federal indireta, desde que foi criada, na década de 1950, a PETROBRAS, desceu a ladeira da forma mais absurda possível. O “mensalão” já está parecendo um “pinto”. Ano também em que os trens do metrô de São Paulo tiveram esqueletos expostos. E que esqueletos! De um lado ou do outro político-administrativo, o país sangrou. O povo brasileiro não merece nada disso. Merece?


Ano complexo este 2014. Na Igreja Católica, este foi o ano em que o Papa, pela primeira vez, ao menos nos últimos séculos, deu uma sacudida formidável na Cúria Romana, encharcada de mazelas. Bravo, Francisco! Que Deus o ilumine, o fortaleça e o defenda! E que a Igreja se toque, por sua hierarquia e por seu laicato, e ponha-se “em saída”. Do contrário, ela vai continuar minguando, fenecendo, fechada como um caramujo. E caramujo só traz doença. Espane, essa Cúria, Francisco! Renove-a! Ela é complexa? Torne-a simples, como simples foram os ensinamentos e a própria vida de Jesus. Simples, mas firmes. Com a mais translúcida autoridade. Eu sei muito bem como será difícil, ou melhor, como está sendo difícil a sua caminhada no comando da Igreja. Mas eis a sua missão: transformar a face da Igreja. O fardo é pesado, eu bem sei. Todavia, os cardeais o foram buscar “no fim do mundo”, em suas próprias palavras, para quê? Para ser mais um sucessor de Pedro? Apenas mais um? Se fosse assim, os purpurados, muitos dos quais devem estar arrependidos, teriam elegido um “de perto”. Aí, sim, tudo ficaria na mesmice de muito tempo. Repito: espane essa Cúria, Santo Padre! Espane a Igreja! 


Ano em que, na terra dos valentes caciques Serigy, Siriri, Aperipê e tantos outros bravos, que lutaram pela liberdade dos seus iguais, um candidato ao governo do Estado venceu a eleição, após tê-la perdido exatos 20 anos antes. A vida política é complexa e complexa foi a carreira do governador eleito, desde o início dos anos 1970. Enfim, ele chegou lá. E terá complexidades políticas e administrativas para vencer nos próximos 4 anos. Aliás, ele encerra 2014 com complexos projetos de lei aprovados pela Assembleia Legislativa. 


Ano igualmente complexo para a administração pública aracajuana. Finalizado com um presentinho (?) de Natal: o aumento de cerca de 14% sobre a tarifa de ônibus, que passou de R$ 2,35 para R$ 2,70. Ou seja, aumento de R$ 0,35. E o povo? Ora, nesse caso e em muitos outros pelo Brasil afora, o povo é apenas um detalhe, como dizia uma comediante na “Escolinha do Professor Raimundo”, liderada pelo inesquecível Chico Anísio. O humor (negro) rolou solto nos três níveis federados da administração pública brasileira, em 2014. É claro, que há sempre exceções. Em tudo ou em quase tudo. 


Amigos e amigas que continuam teimando em ler os meus escritozinhos: não me importam quais são os seus caminhos espirituais. Ou os seus não caminhos. O que me importa mesmo é que vocês possam viver como melhor lhes aprouver. Basta que o seu modo de vida não desfigure as suas preciosas vidas, que não cause danos ao próximo. Vivam as suas vidas em toda plenitude. Carpe diem (aproveite o dia). Aproveitem, pois, cada dia como se ele fosse não o último, mas o melhor dia de suas vidas. E que assim seja nos 365 dias de 2015. 


Teremos mais um ano complexo? Com certeza. Afinal, desde o princípio da vida humana, teria havido um ano não complexo? Em todo tempo e lugar, a vida sempre foi complexa. E continuará sendo. Per omnia saecula saeculorum. E é exatamente isso que nos desfia. Que nos leva à frente. Que nos faz lutar. Lutar para vencer as complexidades da vida. Uns lutam mais e outros lutam menos. Sejam vocês dos que lutam considerando que lutar nunca será em vão. Não se rendam. Não se deixem encurralar por ninguém, nem por nada. Lutem com a dignidade de quem anda com firmeza. Façam o possível para que 2015 possa suplantar 2014. 


Para vocês que me suportaram no Jornal da Cidade e no Blog Primeira Mão, no transcurso deste ano que envelheceu, eu desejo um Ano Novo extraordinário. E que a Luz do Divino Mestre seja a estrela guia de cada um e de cada uma. Isto é, se vocês creem. Se não creem, busquem o caminho que lhes pareça o melhor. Porém, busquem a iluminação, onde quer que vocês possam encontrá-la. 



(*) Publicado no Jornal da Cidade, edição de 28 e 29 de dezembro de 2014. 


Coluna José Lima
Com.: 0
Por Kleber Santos
28/12
09:59

Coluna Primeira Mão

JB ainda não definiu o 1º escalão do governo do Estado, mas conversa com políticos

 

 

 
 

O governador Jackson Barreto anuncia no decorrer desta semana, provavelmente na terça ou quarta-feira os membros do primeiro escalão da gestão que começa no próximo dia 1º. Desde a sexta-feira passada ele vem recebendo políticos e ouvindo deles o que desejam do governo e lhes apresentando cenários. Não há convites formalizados até agora para as pastas, embora JB já tenha em mente os perfis daqueles que lhe interessa na equipe. Tem recomendado aos políticos que conversa que preservem as informações para evitar a divulgação antecipada de novos que estarão na equipe e a propagação de boatos.


Definida a agenda da posse de JB, que começa com uma missa dia 31


A celebração de uma missa na catedral metropolitana de Aracaju, no dia 31, às 9h, abre a agenda da posse do governador Jackson Barreto, que será oficializada às 10h do dia 1º de janeiro, com o ato solene na Assembleia Legislativa de Sergipe, senfo seguido pelos cumprimentos, à partir das 11h30, no Palácio Olímpio Campos.

 

 

 
 

Procuradora diz que deputados estaduais “investiram” R$ 12 milhões em entidades inexistentes


“ A Procuradoria Regional Eleitoral (PRE), embora fosse desnecessário porque já havia uma proibição legal, encaminhou uma recomendação à Alese (Assembleia Legislativa) para que não fizesse o repasse das verbas de subvenção, por se tratar de ano eleitoral. Requereu, também, que caso já houvesse sido feito o repasse, , indicasse as entidades beneficiadas, o valor repassado e apresentasse as emendas individuais.. Alese relutou em apresentar as emendas individuais de cada deputado, o que só foi conseguido através de uma busca e apreensão conhecida pela Justiça Eleitoral, a pedido da PRE”. O comentário é da procuradora Eunice Dantas e foi feito ao comentar o que teria motivado as ações do Ministério Público contra os 24 deputados estaduais de Sergipe. Ela lembra, em entrevista ao caderno de Thaís Bezerra, do Jornal da Cidade deste domingo, que “foram repassados em torno de R$ 12 milh~çoes a entidadesa inexistentes ou sem funcionamento e isso motivou a quebra de sigilo bancário dessas entidades suspeitas”. E aí, deu no que deu. Um escândalo atinge o Poder Legislativo Estadual. Eunice diz que há provas mais que suficiente da conduta vedada pelos candidatos.


Fonte da PMA confirma a pretensão de João em fazer mudanças no 1º escalão


Já está confirmado. O prefeito de Aracaju, João Alves Filho (DEM), fará mudanças em sua equipe administrativa em janeiro. Mas as mudanças vão atingir apenas três ou quatro secretarias e talvez um ou duas empresas. O prefeito quer agilidade nos projetos e serviços, pois é candidatíssimo à reeleição.


Realizar pelo menos a licitação do BRT é uma das metas do prefeito de Aracaju

 

 

 
 


O prefeito João Alves quer iniciar 2015 encaminhando a licitação para viabilizar o seu projeto de colocar em operação em Aracaju os chamados BRTs, aqueles ônibus sanfonados e que pegam mais passageiros que esses que hoje estão nas ruas da capital. No mais, quer realizar pequenas obras na periferia, principalmente aquelas mais desejadas pela população me que podem melhorar a sua imagem política e administrativa.


Mendonça define opção partidária na segunda quinzena de janeiro


Somente na segunda semana de janeiro o deputado federal Mendonça Prado (DEM) anuncia a que partido se filiará. Ele recebeu convites de pelo menos uns cinco partidos, inclusive o PMDB do governador Jackson Barreto, mas optou por pensar sobre o assunto até agora.. Aliados do parlamentar dizem que ele está aguardando ser expulso do DEM, que parece não ter interesse em adotar a medida punitiva. Na eleição passada, Mendonça apoiou a candidatura vitoriosa de Jackson e assumiu a crítica ao candidato do PSC, Eduardo Amorim, que aliado do DEM e do prefeito João Alves Filho, sogro de Mendonça e ex-sogro de Edivan Amorim irmão do senador Eduardo.


DEM e PSC continuarão unidos e apoiarão João Alves em 2016


Pode até mesmo não existir nenhum compromisso entre o PSC dos irmãos Eduardo e Edvan Amorim e o DEM de João Alves, mas duas agremiações dá-se como certa candidatura o prefeito à reeleição e contando com o apoio dos sociais cristãos. Os dois partidos não estão distantes um do outro como deseja dar a entender o deputado federal André Moura (PSC). Isso representa dizer que João não pretende seguir o conselho do governador Jackson Barreto (PMDB), quer lhe recomendou a aposentadoria.


Heleno Silva: Canindé não pode mais ter CC ou contratados


“Estou no limite da Lei de Responsabilidade Fiscal (LRF) e a partir de janeiro de 2015 não posso ter mais nenhum comissionado ou contratado na minha equipe, e olhe que eu tenho 19 médicos contratados e não sei o que fazer para pagar seus salários”. O desabafo é do prefeito de Canindé do São Francisco, Heleno Silva (PRB), acrescentando que outro grave problema da Prefeitura é o fato de ter 1,3 mil servidores consumindo uma folha de quase R$ 4 milhões. “Para agravar o problema, a arrecadação municipal está em queda”. Para Canindé vive um mau momento e o nosso desejo é promover a recuperação”, lamentou.

 

 

 
 


João Daniel x Heleno Silva – A Secretaria da Agricultura em disputa


O deputado estadual João Daniel (PT) e o prefeito de Canindé do São Francisco, Heleno Silva (PRB), podem até negar, mas há uma zona de fortes atritos entre os dois há uns dois ou três anos entre eles. E agora isso pode se agravar. Os grupamentos políticos dos dois estão pleiteando junto ao governador Jackson Barreto (PMDB) a Secretaria de Estado da Agricultura. Heleno quer manter Chico Dantas na pasta e Daniel pretende Daniel quer que a indicação seja do PT. Quem vencerá? Independentemente disso, os dois poderão se enfrentar em 2016, na disputa da Prefeitura de Canindé do São Francisco.


SE tem muito atum –
A presença de atum no mar de Sergipe sempr e foi intensa, mas o consumo nunca foi grande. Por conta disso, a pesca era mínima. Nos últimos três anos, porém, o peixe começou a se fazer mais presente na mesa dos sergipanos, talvez estimulada pela propaganda de ser um pescado saudável e conter bastante ômega 3, óleo natural que faz bem ao coração. Mas aí, os pescadores locais passaram a enfrentar a concorrência daqueles que são do Maranhão, Espírito Santo, Bahia e Rio de Janeiro, que estão com muita frequência no litoral nordestino. O quilo do peixe, que há dois anos custava R$ 10 é comercializado hoje por preços a partir de R$ 18 e chegando a até R$ 25.


Temperaturas mais altas em SE -
O meteorologista Overland Amaral informou ao blog que a partir desta segunda-feira, 29, as temperaturas devem subir no sertão sergipano e devem atingir uma média de 35 ou 36 graus e a sensação térmica será de algo em torno de 40º C. Em Aracaju a média ficará em 34º C e a sensação térmica de 37º C ou 38º.


E porque não? -
A Prefeitura de Aracaju bem que poderia fazer um calçadão na rua José do Prado Franco, no trecho entre a Florentino Menezes até a esquina da Secretaria de Estado da Saúde. Nesse pedaço de chão, muitos pedestres arriscam suas vidas driblando carros diariamente.


Sem fundamento - Ao menos por enquanto, não tem qualquer fundamento essa história de que a ex-primeira dama do Estado, Eliane Aquino, irá assumir a chefia do Escritório de Sergipe em Brasília. O cargo foi extinto pelo governador Jackson Barreto no projeto de reforma administrativa aprovado pela Assembleia Legislativa do Estado. As atividades do Escritório ficarão com a Casa Civil, que manterá no DF uma coordenação, alguém para marcar as audiências e encaminhar projetos do Estado aos ministérios. No mais, Eliane terá audiência com JB na tarde desta segunda-feira, 29.

O melhor senador - A revista Veja desta semana aponta Eduardo Amorim como o melhor senador da República brasileira em 2014 Ele se enquadrou bem aos critérios estabelecidos pela avaliação adotada pela revista .



Coluna Eugênio Nascimento
Com.: 0
Por Eugênio Nascimento
27/12
20:22

Direção do Sergipe apresenta elenco para a temporada 2015

No início da manhã deste sábado, 27, o presidente do Clube Sportivo Sergipe, Silvio Santos, apresentou os jogadores que vão disputar a temporada 2015. Ao todo, são 23 jogadores, dos quais 13 defenderam a camisa alvirrubra na temporada passada, sete foram contratados e três atletas oriundos da base. O evento aconteceu no complexo João Hora de Oliveira, com a presença da comissão técnica, liderada por Carlos Rabelo, além de torcedores e imprensa.

De acordo com Silvio Santos, o objetivo é armar um elenco competitivo para fazer de 2015 um ano promissor. “Dentro do limite das nossas condições, queremos montar um time que nos dê possibilidade de sermos campeões. Fomos buscar um profissional competente para coordenar o time, o professor Carlos Rabelo, mantivemos parte fundamental da nossa comissão técnica, profissionais mais experientes, e buscamos um perfil de atleta que se encaixasse no modelo que estamos construindo: atletas vencedores, acostumados a ganhar títulos, responsáveis, competitivos e dentro de nosso padrão financeiro”, revelou.

Silvio disse ainda que o clube alvirrubro está trilhando um caminho que levará a vitórias. “Tive contato pessoalmente com todos os atletas. No processo de seleção buscamos informações variadas de todos eles. Estou convencido de que nós montamos um grupo homogêneo, capaz de ser vencedor e que dará alegrias em 2015”.

Desafios
O novo técnico do Sergipe, o paulista Carlos Rabelo, de 50 anos, que treinou grandes clubes como Atlético (GO) e Bragantino (SP), disse que estar à frente da comissão técnica será mais um desafio.  

“Sempre há um desafio quando trabalhamos num clube que está vindo de uma temporada ruim. Tinha tudo para ser um ano bom para o Sergipe em 2014, mas não foi. Estamos aqui para mudar essa história em 2015. Nosso grande objetivo é conquistarmos um título, porque um time grande como o Sergipe não pode iniciar uma competição para ser apenas mais um. É um time grande, e time grande entra para ser campeão. Automaticamente sendo campeão, vai conquistar um trabalho sequente no segundo semestre e para 2016”, destacou Rabelo.

Perspectivas
O meia Edson, 29, disse que as perspectivas são as melhores. “A diretoria está montando um time muito bom para 2015 e não vejo a hora de entrar em campo e dar o nosso melhor”.

Opinião semelhante tem o atacante Jonathan, 23. Para ele, jogar pelo Sergipe é uma honra. “Fui bem acolhido e pretendo fazer muitos gols. Primeiramente vamos pensar no time para que os resultados apareçam”.

Depois da apresentação, o elenco participou de atividades físicas com o preparador Wendell Bastos. O Sergipe fará sua estreia no Campeonato Sergipano 2015 diante da equipe do Itabaiana, no dia 25 de Janeiro.


Relação completa do elenco:
Goleiros: Igor, Neto e Jonathan
Laterais: Tayson, Rony, Yuri e Edinho
Zagueiros: Moisés, Bruno e Lelo
Volantes: Fabiano Silva, Cris e Rodrigo
Meias: Rafael, Leozinho, Muribeca e Edson Pio
Atacantes: Rafinha, Jonathan, Diego Neves, Vagner e Pirambu


Esportes
Com.: 0
Por Kleber Santos
27/12
19:20

A nova iluminação na UFS

José Lima Santana
ADVOGADO, PROFESSOR DA UFS, MEMBRO DA ASL E DO IHGSE

 

 

Desde que, um dia, o homem acendeu uma tocha para iluminar a escuridão da caverna, onde ele habitava com a sua família, a iluminação noturna tem sido uma preocupação de todas as comunidades, dos administradores e dos administrados. A escuridão da noite primitiva trouxe dissabores ao homem, dentre eles, a reclusão, angústia, o medo. O homem primitivo era frágil. Precisava vencer as intempéries do tempo e as feras, algumas carnívoras, que o acossavam noite e dia. E à noite, ele se mostrava ainda mais frágil. Quando ele soube se aproveitar do fogo, quando ele aprendeu a acender uma fogueira à porta da caverna ou uma tocha com a qual iluminou o interior da caverna ou um caminho que ele teve que percorrer, a sua vida começou a ganhar uma minúscula partícula de qualidade. Lá atrás, cada passo dado em frente, cada avanço, cada conquista, era tudo muito incipiente. Partículas. Minúsculas partículas. Mas tudo teve o seu começo. E cada passo dado era como se fosse um toque de avançar.

Não era à toa que o homem primitivo adorava o Sol. O deus Sol. A luz, a claridade, que lhe dava segurança, que, do romper estonteante da aurora aos inenarráveis matizes crepusculares, lhe possibilitava uma visão nítida do que estava ao seu redor. A luz solar dava esperança. Na claridade estava o bem. Na escuridão estava o mal. Bem e mal: luz e treva. Era preciso, pois, vencer a escuridão. O homem que aprendeu a domar e a conter o fogo, aprendeu também a buscar meios mais eficazes para iluminar o breu da noite.

Se até hoje, porém, o homem não pode vencer por completo os véus da noite, ao menos pode mitigá-los. O processo da iluminação noturna passou por diversas etapas e vários foram os meios utilizados até chegar à iluminação por meio da energia elétrica, nos fins do século XIX. De lá para cá, o processo só faz evoluir, incluindo novas e alternativas fontes de energia. A iluminação de áreas públicas, ou que servem ao público, tornou-se não apenas uma questão de comodidade, de conforto, mas, também, e, sobretudo, de segurança. Em suma, uma questão de necessidade pública. De qualidade de vida. E tornou-se, enfim, um direito das pessoas. Nenhum gestor público pode descuidar disso.

A Universidade Federal de Sergipe, no Campus de São Cristóvão, deixava muito a desejar no quesito iluminação de suas áreas: vias de circulação, estacionamentos etc., como também acontecia em outras áreas de sua infraestrutura, a exemplo do esgotamento sanitário com o respectivo tratamento, cuja obra está em franco andamento. Urgia uma tomada de posição, para recuperar o tempo perdido. Os reclamos vinham de todas as categorias formadoras da comunidade acadêmica: corpos docente, técnico-administrativo e discente. Era inegável que a situação não podia continuar como estava por anos a fio. Enfim, a decisão foi tomada no início do ano, após cuidadosos estudos técnicos a cargo da antiga Prefeitura do Campus, hoje Superintendência de Infraestrutura. Os arquitetos, engenheiros e técnicos do DOFIS (Departamento de Obras e Fiscalização) conceberam o projeto que redundou na licitação para o melhoramento da iluminação. A execução do contrato está em fase adiantada. E a nova face da iluminação da Cidade Universitária Professor José Aloísio de Campos já pode ser contemplada. A semiescuridão de antes já começa a ficar como uma sombra do passado.

De acordo com dados coletados junto ao DOFIS, o objeto do contrato ora em execução é a obra de reforma e ampliação do sistema de iluminação pública do Campus de São Cristóvão, com vistas a implantar 229 novos postes com 4 pétalas, 2 postes com 3 pétalas e 1 com 2 pétalas, todos com 16 metros de altura. A iluminação será à base de lâmpadas de vapor de sódio de 400w, totalizando 924 lâmpadas. A obra contará também com 176 postes com 4 metros de altura, para as localidades onde as copas das árvores atrapalhariam a incidência luminosa, refratando assim grande parte dos lúmens emitidos pelas lâmpadas. Nesses locais serão empregadas 704 lâmpadas de vapor de sódio de 250w. Para fazer a interligação dos postes serão utilizadas 375 caixas de passagem de variadas dimensões. Será também realizada a obra de reforma da iluminação da quadra próxima ao Colégio de Aplicação - CODAP, onde serão instalados 8 projetores com lâmpadas de vapor metálico de 400w, de modo que contemple uma iluminação bem distribuída por toda a área da quadra poliesportiva. Ainda farão parte da obra 4 subestações aéreas com um transformador de 225 KVA, um de 150 KVA e dois de 112,5 KVA. Quanto à parte de reforma, a obra tem por objetivo a reforma de 67 postes de 21 metros que já fazem parte da iluminação da Universidade. A execução da obra começou em 18/08/14 e está prevista para ser concluída em 13/02/15, ao custo de R$ 4.356.677,30.

Para o professor Angelo Roberto Antoniolli, reitor da UFS, “o compromisso da gestão atual é dotar a Universidade, em todos os seus campi, de uma infraestrutura que possibilite a comunidade acadêmica cumprir o seu papel, no processo ensino/aprendizagem, com a qualidade que se faz necessária. Professores, pessoal técnico-administrativo e alunos merecem trabalhar num ambiente de segurança e comodidade, que lhes possibilite rendimento e qualidade”. E arremata: “Aos poucos, os desafios vão sendo vencidos, como, um dia, o homem aprendeu a vencer os dissabores trazidos pela escuridão noturna”. É o que a comunidade universitária espera. Nos dois anos da gestão atual, completados no mês passado, o processo de melhoramentos na infraestrutura da UFS tem avançado, apesar de algumas dificuldades. Mas estas devem ser paulatinamente debeladas, e mais facilmente serão com a conjugação de esforços de todos os setores e agentes que têm uma fração de dever funcional. Afinal, numa gestão comprometida com o bem estar coletivo, ninguém trabalha sozinho ou para que o seu trabalho individual se destaque. O trabalho coletivo é destacado no conjunto. E é nisso que acredita o reitor da UFS.

Com a remodelação de sua iluminação, no Campus que lhe serve de sede, a Universidade Federal de Sergipe demonstra que continua a fazer o que lhe compete: iluminar vidas e caminhos. Em todos os sentidos.



Coluna José Lima
Com.: 1
Por Eugênio Nascimento
Primeira « Anterior « 1 2 3 4 5 6 7 » Próxima » Última

Enquete


Categorias

Arquivos