23/12
09:25

Jackson Barreto faz balanço do primeiro ano de gestão

O governador fez um breve apanhado da sua administração e, entre os temas abordados, falou sobre o avanço no setor da saúde, obras realizadas em Aracaju, reformas de escolas e segurança pública

O governador Jackson Barreto iniciou o dia de trabalho desta terça-feira, 22, concedendo entrevista ao telejornal Bom Dia Sergipe. Na hora do almoço, ele participou do Jornal do Estado, na TV Atalaia. Em ambos, o governador fez um breve apanhado da sua administração e, entre os temas abordados, falou sobre o avanço no setor da saúde, obras realizadas em Aracaju, reformas de escolas e segurança pública. Jackson Barreto também comentou sobre o período de recuperação pelo qual passou após realizar uma cirurgia no pé e afastar-se por mais de 90 dias.

O apresentador do Bom Dia Sergipe lembrou que no final do ano passado, durante entrevista semelhante, o governador já havia adiantado que 2015 seria um ano muito difícil. O que de fato se cumpriu e culminou com os parcelamentos de salários dos servidores e dificuldade para o pagamento do 13º salário do servidor. “O que faltou?”, questionou Lyderwan.

“Faltou dinheiro, o principal. Graças a Deus a nossa equipe, comandada pelo secretário da Fazenda, teve visão e a capacidade de encontrar essa forma para que o servidor não ficasse sem o décimo terceiro. O Rio de Janeiro e o Rio Grande do Sul estão em situações piores ainda do que a nossa. Houve uma polêmica, mas a maioria dos servidores já está indo buscar o seu pagamento pela fórmula que nós encontramos. Evidente que, se nós tivéssemos recursos, iríamos pagar de uma forma mais direta, mas esta foi uma situação que a gente teve que apelar para a criatividade e está dando certo”, respondeu o governador.

Situação do Estado

“Assumi o governo no dia 27 de maio de 2013, quatro dias depois o então secretário da Fazenda, Oliveira Júnior, disse: ‘não tenho recursos para pagar os salários dos servidores do mês de junho’. A partir dessa data até hoje a gente tem conseguido pagar a folha. Pagamos 13º de 2013 e de 2014, e promovemos o enxugamento da folha até agora”, relatou Jackson Barreto.

Durante a entrevista na TV Sergipe, foi exibida uma gravação com um questionamento do diretor executivo do Sindicato dos Trabalhadores da Educação de Sergipe (Sintese), repetindo a questão dos pagamentos dos salários. “O Sindicato não é a única preocupação do Governo do Estado e é uma categoria que, se você levar em consideração as lutas, tem recebido salários e benefícios. Justamente o Sintese foi a categoria que não teve nenhum problema para receber o 13º, e estão reclamando de barriga cheia. A Justiça declarou a greve ilegal, mas o governador por uma concessão pessoal e o espírito desarmado pagou os 19 dias parados do mês de maio. Agora em dezembro, nós mandamos os sete dias descontados de junho no salário do mês, com os recursos do Fundeb. Gostaria de pedir a melhoria da qualidade do ensino das nossas crianças, que está muito baixa e não passem o tempo inteiro só discutindo salário”, disse.

Sobre a questão do 13º, o governador comentou que os servidores podem ter acesso ao valor integral indo até o banco, e disse que a arrecadação caiu em dezembro por causa do corte de recursos. Ele citou a diminuição do valor repassado a Sergipe pelo Fundo de Participação dos Estados (FPE), que, na primeira parcela, reduziu R$ 35 milhões da receita. Ele também afirmou que o ICMS caiu 9%, assim como os royaltes da Petrobras.

Zika vírus

A questão de saúde que tem preocupado todo o país foi também abordada durante as entrevistas e o gestor foi questionado se o Estado de Sergipe está preparado para atender a demanda dos casos de microcefalia que pode crescer?

“Eu não diria que estamos 100% preparados, mas nós tomamos providência desde o primeiro momento quando se confirmou essa epidemia do Zika vírus, transmitido pelo mosquito Aedes aegypti, como o causador da microcefalia. Inclusive quando o ministro da Saúde esteve em Aracaju nós conversamos com ele, depois participamos de um ato cm a presidente Dilma Rousseff em Brasília e todos os governadores do país. Nós lançamos uma campanha, convocamos todos os secretários de saúde dos municípios e estamos fazendo nossa parte. E o próprio governador esteve à frente de ações para chamar a atenção da população. Agora é necessário que os prefeitos participem desta guerra, os agentes de saúde e de endemias são peças fundamentais e muito mais do que eles, a própria população. A sociedade no seu conjunto. O governo está fazendo a sua parte, mas a união de todos é fundamental”, afirmou, agradecendo a participação do Exército nas ações de combate ao mosquito.

Jackson Barreto também disse que houve avanço na área da Saúde e que o secretário José Sobral está desempenhando um bom trabalho, assim como outros profissionais que atuam no setor. Falou ainda sobre o pleno funcionamento dos Hospitais Regionais, que diminuem o número de usuários que se dirigiriam para o Hospital de Urgências de Sergipe (Huse).

Investimentos

Como uma alternativa para a geração de riquezas para Sergipe, ele falou da participação e vitória do Estado no leilão de termoelétricas, um investimento de quase R$ 3 bilhões. “Estamos agora acompanhando novos leilões de termoelétricas no mês de fevereiro no Rio de Janeiro. Esse primeiro leilão Sergipe ganhou e é importante buscar alternativas para o Estado não parar. Estamos trabalhando nessa direção, daí porque o estado de Sergipe não figura na relação da crise do desemprego, que avançou de forma profunda. Está equilibrado nessa questão e eu fico feliz por isso. O estado está também bem na renda Per capita e no PIB dentro do Nordeste, que nós estamos praticamente em primeiro lugar”, pontuou o governador.

Na TV Atalaia, Jackson Barreto falou à jornalista Candisse Matos sobre as diversas obras realizadas na Grande Aracaju, a exemplo da: reforma, ampliação e climatização do Centro de Convenções, com recursos estimados em R$ 20 milhões; abertura de uma nova entrada de Aracaju, que se inicia na BR 235 e que segue pela avenida Santa Gleide, a partir de investimento médio de R$ 25 milhões; conclusão da 2ª etapa da Orlinha do Bairro Industrial; drenagem, pavimentação e cobertura do canal da avenida Tancredo Campos, que vai se tornar um novo corredor para transporte coletivo; construção de uma nova avenida que vai ligar a Rio de Janeiro até a Gasoduto, desafogando o trânsito da Tancredo Neves e Heráclito Rollemberg; e ainda revitalização e abertura de novas vias e avenidas no Centro Administrativo da capital, através de cerca de R$ 20 milhões, interligando as repartições públicas da área.

“São mais de cinco escolas reformadas este ano só em Aracaju. Apenas a escola do Santos Dumont, a Augusto Franco, foi R$ 1,5 milhão de investimento. Se você levar em consideração que o Estado tem quase 400 unidades de ensino e mais de 250 já foram reformadas nos governos de Déda e Jackson, estamos realmente fazendo o que é possível na área de educação. Há escolas que precisam melhorar a estrutura, mas estamos fazendo nosso esforço. Veja quantas escolas estamos reformando nesse exato momento. Para se ter uma ideia, neste governo e somente em Nossa Senhora do Socorro, na área do complexo do João Alves, Marcos Freire, Albano Franco e Fernando Collor, são investimentos de mais de R$ 12 milhões em reformas, ampliação de escolas e construção de quadras. E estamos construindo a escola Ministro Armando Rollemberg no conjunto Jardim e também uma unidade profissionalizando do Estado em Socorro. Também edificamos escola profissionalizante em Nossa Senhora das Dores e Umbaúba, e já inauguramos cerca de três. Ou seja, estamos fazendo nosso papel”, disse Jackson Barreto sobre a área de Educação.

No setor de Segurança Pública, o governador citou que a polícia não deixa de agir no estado e que o secretário Mendonça Prado elaborou um projeto interessante, que deve diminuir os índices de violência. Jackson comentou que Sergipe se encontra a frente dos demais estados nordestinos no ponto de vista dos investimentos em Segurança Pública. Ele lembrou da nova turma em formação para atuar na Polícia Militar, assim como o concurso da Polícia Civil, construção do novo IML, implantação de rádio digital em todos os municípios do interior e aquisição de fardamentos, armas e veículos para auxiliar no trabalho.

Ao final das entrevistas, Jackson Barreto disse que ser governador do Estado é uma honra sem limites e que não pretende mais disputar cargos na vida pública. “Espero ter condições de continuar trabalhando. Não perdi as esperanças. O país está passando por dificuldades, o Estado também, mas nem por isso devemos ficar em casa chorando pelo leite derramado. Aproveito para mandar para todos um abraço e um Feliz Natal. Apesar das dificuldades nós vamos vencer, pois quem tem fé em Deus ultrapassa todas as barreiras”, encerrou.

(Da assessoria)

 


Política
Com.: 0
Por Eugênio Nascimento
23/12
09:21

Seed discute com Movimento Negro projeto para ensino da cultura afro-brasileira nas escolas

A coordenadora do Serviço de Educação em Direitos Humanos (SEDH) da Seed, Josevanda Mendonça Franco, recebeu na manhã desta terça-feira, 22, o líder do Movimento Negro em Sergipe, Severo D'Acelino.

O objetivo dessa reunião foi discutir um projeto que potencialize o ensino da cultura afro-brasileira nas escolas. O encontro contou com a presença do diretor da área de Direitos Humanos e Cidadania do Estado, Antônio Bittencourt.

De acordo com Josevanda, a Lei 10.639 determina a introdução e permanência desses conteúdos em sala de aula, e que em Sergipe já existe um trabalho nesse sentido desde 2013. Para potencializar, segundo ela, precisamos trabalhar mais de perto com as questões ligadas aos direitos humanos.

"A Seed já tem um projeto que nós estamos estruturando, visando fazer um grande movimento no sentido do atendimento à lei e do reconhecimento da contribuição da cultura africana e afro-brasileira na formação da nossa sociedade", explicou.

O líder do Movimento Negro, Severo D'Acelino, destacou que "estamos buscando colocar em prática a questão da educação com a participação do recorte racial, que é a introdução da cultura negra e todo o seu conteúdo nas diversas disciplinas".


Política
Com.: 0
Por Eugênio Nascimento
23/12
09:07

Microcefalia e o combate avulso em Sergipe

Eugênio Nascimento


Os 2.782 casos de microcefalia com 40 óbitos provocados pela doença, que foram anunciados ontem, 22, pelo Ministério da Saúde, assustou ainda mais os brasileiros do Nordeste, onde está a grande maioria dos casos. Há um clima de tensão, principalmente entre as mulheres grávidas, que temem ver seus filhos atingidos pela microcefalia.


Por conta do desespero, populares travaram uma guerra particular com o aedes aegypti, o mosquito transmissor da dengue, da chikungunya e o zika vírus, este último apontado como o responsável pela microcefalia, doença que provoca o nascimento de crianças com o tamanho do cérebro menor que o convencionalmente chamado de normal.


Na periferia de Aracaju e no interior do Estado, as pessoas dedetizam suas casas e esgotos expostos nas ruas com citronela batida no ,liquidificador, inseticidas químicos variados (adquiridos em supermercados, armazéns e bodegas), acendem espiral sentinela e os “sem dinheiro” queimam palhas de coqueiro, bananeira, lixo, galhos e troncos de árvores.


Os populares gostam das queimadas, mas preferiam de contar com as dedetizações do “fumacê” para “a prevenção contra o mosquito ser completa”. Como isso não vem acontecendo, vale qualquer medida desesperada, inclusive a intensificação das queimadas, método muito antigo usado em quintais, chácaras, sítios e fazendas para afastar as muriçocas.


Os órgãos oficiais precisam fazer campanhas publicitárias que realmente funcionem para esse exército de analfabetos ou pessoas desinformadas, que se armou de bomba saiu na frente no combate contra o inimigo aedes, como um Dom Quixote (personagem do romance homônimo de Miguel de Cervantes) enfrentando um moinho de ventos.


É preciso dizer se essas queimadas e uso de inseticidas são salutares e se realmente destróem o aedes, como devem ser feitas e mostrar alternativas mais viáveis de custo mais barato para o bolso e para a natureza, incluindo ainda o bicho homem.


Os brasileiros, em especial os sergipanos, que já registraram 136 casos de microcefalia, com 5 óbitos, têm pressa. Os órgãos de Saúde e o Exército, ambos envolvidos no combate, precisam agir rapidamente para que seja possível evitar que tenhamos uma geração perdida numa disputa entre o homem e um minúsculo mosquito que se prolifera por todo o Brasil.


Colunas
Com.: 0
Por Eugênio Nascimento
23/12
02:22

Hoje na TV: Washington Wizards x Memphis Grizzlies, pela NBA

17h30 Bari x Brescia
Italiano, Série B, Bandsports

19h30 Voleisul x Bento Vôlei
Vôlei, Superliga masculina, SporTV

19h30 Northern Illinois x Boise State
Futebol americano universitário, ESPN+

22h Washington Wizards x Memphis Grizzlies
Basquete, NBA, ESPN

23h Bowling Green x Georgia Southern
Futebol americano universitário, ESPN+ 

* Horário de Brasília


Esportes
Com.: 0
Por Kleber Santos
22/12
09:54

João Daniel quer ministros com respaldo político

A presidente Dilma Rousseff deveria somente colocar em ministérios pessoas qualificadas, mas com base de indicação e apoios parlamentar e/ou partidário. Segundo o deputado federal João Daniel,  fazendo isso,  Dilma se veria livre daqueles que querem cargos, fazem indicações e não lhe dão apoio político na Câmara ou no Senado . Daniel entende que fazer isso é Simples. “Os ministros têm que representar e ter respaldo”, explica.



Política
Com.: 0
Por Eugênio Nascimento
22/12
08:53

A quem agradou o reajuste da tarifa do transporte coletivo de Aracaju?

Eugênio Nascimento

 

O Sistema Integrado de  Transporte de Aracaju não é bom e, por isso, é alvo de críticas frequentes da população.  Terminais sujos, sanitários imundos, tarifa cara (passou ontem de R$ 2,70 para R$ 3,10)  e ônibus em pouca quantidade para atender aos interesses dos usuários, além de   desconfortáveis fazem parte do dia a dia do aracajuano há vários anos (desde a década de 1980).


Nenhum cidadão lúcido elogia o transporte público de Aracaju e por isso ano a ano muita gente desiste de fazer uso e opta por bicicleta, moto ou carro próprio, ainda que seja  bastante usado, desgastado pelo tempo,  e os revendedores o chame de semi novo. O sistema de transporte é ruim, conforme estudantes e trabalhadores,  e, o pior: não se vê perspectiva de melhora.


Para aumentar o grau de insatisfação popular, a Câmara Municipal de Aracaju aprovou nesta segunda-feira, 21, o projeto de lei do Executivo que reajusta a tarifa de ônibus em 14,81% (percentual acima da inflação acumulada, que deve ficar próxima se 11%), elevando de R$ 2,70 para R$ 3,10. Segundo o Setransp, o aumento foi defendido pela Prefeitura de Aracaju como uma forma de garantir o equilíbrio econômico do setor do transporte. No entanto, o Sindicato das Empresas de Transporte de Passageiros (Setransp) considerou que o reajuste ainda não cobre todas as despesas e investimentos para operação do transporte público em Aracaju e região metropolitana.


O Setransp explica: “Na última planilha de custos, que, como de praxe, é apresentada anualmente pelas empresas do transporte à Superintendência Municipal de Transporte e Trânsito (SMTT), foi destacado um aumento de 23, 84% em 2015 nos insumos que incidem na tarifa de ônibus, comparando com a planilha de 2014. E uma queda de 6,16% do número de passageiros, marcando, com isso, a perda de mais de 4,8 milhões de passageiros no período de janeiro a novembro de 2015 em relação a 2014. Desta forma, o cálculo tarifário realizado com base na legislação apontou, de início, uma tarifa necessária de R$ 3,52. Porém, considerando a desoneração da Taxa de Gerenciamento Operacional (TGO) de 5% para 2%, o Setransp sugeriu um cálculo tarifário de R$ 3,41”.


As informações do Sindicato podem até ser verdadeiras, mas não convence a ninguém que elas sejam usadas como mecanismo para elevar o valor da tarifa. O aracajuano vê a prestação do serviço na condição de usuário e sabe que é ruim. É ele que espera 30 ou 40 minutos no ponto por um ônibus, que sempre está extremamente lotado.  O usuário sabe do  desconforto das pancadas nos buracos das ruas e avenidas e o quanto trabalha para conseguir um salário mínimo de pouco mais de  R$ 780.


Por isso é que todos se perguntam:
Se não agradou os empresários, como garante o Setransp, a quem satisfez aumentar a tarifa do transporte coletivo de Aracaju de R$ 2,70 para R$ 3,10?



Política
Com.: 0
Por Eugênio Nascimento
21/12
21:54

Jackson Barreto e ministro da Educação inauguram campus da UFS em Lagarto

Governo do Estado disponibilizou sede provisória, doou terreno, transferiu o Hospital Regional para UFS e construiu acesso ao novo campus / Foto: Marcos Rodrigues/ASN


Governo do Estado disponibilizou sede provisória, doou terreno, transferiu o Hospital Regional para UFS e construiu acesso ao novo campus


O campus de Lagarto da Universidade Federal de Sergipe (UFS) foi inaugurado na manhã desta segunda-feira, 21, e contou com a participação do governador Jackson Barreto e do ministro da Educação, Aloizio Mercadante. A implantação do polo da Saúde teve apoio e contribuição do Governo do Estado, que doou terreno para construção do campus, concedeu sede provisória, fornecendo recursos para reforma e construção de imóveis, disponibilizou estrutura de saúde para prática de atividades, transferindo o Hospital Regional para UFS, além de construir e pavimentar a avenida Universitária Marcelo Déda Chagas, que dá acesso ao campus Professor Antônio Garcia Filho.
 

 

“Para um governador do Estado, é uma alegria muito grande começar a semana inaugurando o campus de Lagarto. Estou muito satisfeito em estar aqui, nesse local que tem significado muito grande para Lagarto, nosso povo e toda juventude da região. Isso aqui, sem dúvida alguma, é um desafio para o futuro de Sergipe”, declarou o governador Jackson Barreto.

 

O mais recente ato do Governo do Estado para facilitar e ampliar o ensino universitário em Sergipe foi a transferência do Hospital Regional Monsenhor Batista de Carvalho Daltro, em Lagarto, para a UFS. A assinatura do contrato de administração pela Empresa Brasileira de Serviços Hospitalares (Ebserh), que irá administrar a unidade de saúde, aconteceu no dia 15 de dezembro. Em junho foi assinado Termo de Cooperação para a federalização do hospital.

 

Atualmente, o Hospital Regional de Lagarto atende uma população de aproximadamente 250 mil habitantes, principalmente dos municípios de Lagarto, Salgado, Simão Dias, Poço Verde, Riachão do Dantas e Tobias Barreto, além de cidades da Bahia que fazem divisa com Sergipe, a exemplo de Paripiranga, Adustina, Fátima, Nova Soure e Itapicuru.
 

 

“O campus da Saúde nos enche de muita emoção, pois vemos investimento para o futuro de meu estado, de Lagarto, da região e das novas gerações. Foi um sonho do governador Marcelo Déda, agora realizado, e buscou-se, acima de tudo, uma região vocacionada para a Saúde. Ao lado disso, quero colocar também a iniciativa do nosso governo, que foi procurar a Ebserh, a empresa que administra os hospitais universitários, para que o Hospital Regional de Lagarto passasse para as mãos dela, e aí o Governo Federal vai duplicar o número de servidores, proporcionando a realização de estágio e residência, e o diretor da Empresa já deu a palavra que vai fazer expansão do HRL para servir como base para esse campus”, comentou Jackson Barreto.
 

 

O ministro da Educação, Aloizio Mercadante disse que o campus de Lagarto vai formar os profissionais que futuramente vão atuar na área e melhorar, de modo significativo, a saúde na região. Ele também relembrou a história de sua família, de origem lagartense, que, por antigamente não ter opções de estudo em Sergipe, mudou-se para São Paulo.

 

“Voltar aqui hoje como ministro da Educação tem um valor pessoal. Meu bisavô, José Patrício de Oliva, e meu avô, Osvaldo Oliva, nasceram aqui em Lagarto e seguramente saíram daqui pelas dificuldades do passado. Eles tinham uma ideia que a educação era visão fundamental da vida. Tanto que meu pai foi fazer carreira militar, chegou a general do Exército, todos os meus tios se formaram, e meu avô, que saiu daqui com todas as dificuldades, fez Direito e Contabilidade. E eu pergunto: se fosse hoje e tivesse um campus como esse, por que meu avô sairia daqui para ir trabalhar em Santos, carregar saco de café para fazer os filhos estudarem? Ele não teria que sair”, disse o ministro.
 

 

Para a implantação inicial da UFS em Lagarto, o Governo de Sergipe investiu R$ 3.716.725,08 na reforma e adaptação do Colégio Estadual Professor Abelardo Romero, cedido para ser a sede provisória da universidade. Já para a instalação permanente do campus, o Estado doou área com 387 mil m², com valor estimado de R$ 1.949.708,03.
 

 

O Governo do Estado também construiu e pavimentou a Avenida Universitária Governador Marcelo Déda Chagas, acesso ao campus Professor Antônio Garcia Filho, que está localizado ao lado da Rodovia SE-270, na saída para Aracaju. O investimento atingiu R$ 2.835.664,03.
 

 

Para a prática de atividades universitárias, o Governo de Sergipe disponibilizou a UFS o Hospital Regional de Lagarto, duas Clínicas de Saúde da Família, Farmácia Popular e estrutura do Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (Samu). Essas unidades, implantadas entre 2007 e 2010, perfizeram um investimento de R$ 23.797.306,13. Computando todas as ações do Estado em Lagarto, alcança-se um investimento de R$ 32,3 milhões.
 

 

“O governo do Estado tem sido parceiro a todo tempo. Tenho muito orgulho de estar em um estado com um governador que tem essa presteza, facilidade de diálogo e entendimento. Jackson é grande parceiro e defensor da universidade, e muito do que nós alcançamos é fruto dessa integração entre a universidade e o Estado, por isso estamos orgulhosos e comemorando juntos nessa grande luta”, relatou o reitor da UFS, Ângelo Antoniolli.
 

Sobre o campus, o reitor declarou que o polo da Saúde oferece uma experiência única no ensino superior brasileiro, pois proporciona educação integrada, na qual estudantes têm acesso às unidades de saúde da região para colocar em prática os ensinamentos da universidade.
 

 

“O campus foi pensado e idealizado para compor novo modo de formação na área da Saúde. Aqui nossos alunos desde o primeiro dia estão integrados em seus cursos. Eles trabalham juntos, conhecendo a realidade social na qual estão envolvidos. Os estudantes e professores vão pedagogicamente às comunidades e conhecem os problemas da população. Isso é uma coisa nova no país. Não tem nenhum campus no país com essa reflexão. É algo ímpar. Para nós é orgulho muito grande apresentar isso aqui que deve servir de referência”, pontuou Antoniolli.
 

 

O estudante do curso de Fisioterapia, Jonathan Mendonça, comentou que o ensino integrado e a edificação do novo campus são essenciais para a formação de novos profissionais para a região. Ele conta que é morador de Itabaiana e o novo polo surgiu como oportunidade para de ampliação dos cursos de Saúde oferecidos no estado, pois, além de Lagarto, apenas Aracaju proporciona formação na área.
 

 

Com a federalização do Hospital de Lagarto e o apoio de docentes e discentes na unidade de saúde, o reitor informou que haverá um número superior a 300 leitos. Já com a junção dos leitos oferecidos no Hospital Universitário de Aracaju, serão mais de 600 a disposição do Sistema Único de Saúde (SUS). “Certamente os serviços de saúde vão melhorar e muito em Sergipe, e esperamos fazer do estado referência na formação da saúde”, complementou Ângelo.
 

 

Interiorização

O Estado atua em parceria com a UFS na interiorização da instituição. Em Laranjeiras, o governo promoveu a restauração, em parceria com o Ministério da Cultura, do Quarteirão dos Trapiches, conjunto de imóveis que abrigam a estrutura da universidade. O investimento foi de R$ 3.035.261,37. Em Nossa Senhora da Glória, município que recebeu o mais recente campus da UFS, além de apoiar a implantação, Jackson Barreto viabilizou a transferência da Fazenda Modelo, área de aproximadamente 100 tarefas onde é montada a estrutura de aprendizagem do polo.
 

O campus do Sertão, em Glória, começou suas atividades em novembro deste ano e conta com 199 alunos matriculados nos cursos de Agronomia, Zootecnia, Medicina Veterinária e Agroindústria. Além desse e o de Laranjeiras, a UFS também possui polos em Itabaiana e São Cristóvão.

 

Campus da Saúde


O campus da Saúde ocupa uma área total de 37 mil m², distribuídos em laboratórios, auditório com capacidade para mil pessoas, vivência, biotério, departamento administrativo, biblioteca e centro de simulações, com investimento total de R$ 55 milhões.
 

O centro de simulações e práticas é a maior construção da nova sede, e tem sua conclusão prevista para o decorrer de 2016. A estrutura, na qual foi investido um valor de R$ 20,5 milhões, dará mais eficácia às práticas dos diversos cursos do campus. Outra obra em andamento na sede é o laboratório multiusuário, que vai reforçar a prática clínica dos cursos de Farmácia, Nutrição e Odontologia. Um investimento de R$ 4,5 milhões.
 

O campus da Saúde foi instalado em 2011 e abriga os cursos de Fonoaudiologia, Medicina, Terapia Ocupacional, Nutrição, Farmácia, Odontologia, Fisioterapia e Enfermagem. O número de alunos matriculados é de 1.342 discentes.

(Da assessoria)



Política
Com.: 0
Por Eugênio Nascimento
21/12
20:28

Governo lança matrícula online e programa de alfabetização

As ferramentas digitais objetivam a melhoria da educação por meio do uso de tecnologia

O governador Jackson Barreto convida a imprensa para o lançamento dos portais Escola Educa Mais, Matrícula Online e o Programa Sergipe Ama (Sergipe Alfabetiza Mais). As ferramentas digitais objetivam a melhoria da educação por meio do uso de tecnologia. A solenidade ocorre no Palácio de Veraneio, às 16 horas.

A matrícula online é uma ação pioneira que vai facilitar o processo de matrícula tanto para os alunos, quanto para a direção das escolas. A partir de 2016, a matrícula nas 354 unidades de ensino da rede estadual será realizada através da internet. Dessa forma, evitam-se as longas filas que se formavam em frente aos maiores colégios estaduais, oferecendo mais comodidade para pais, alunos e coordenação pedagógica.

Todo o sistema foi desenvolvido por técnicos da Coordenadoria de Informática da Secretaria de Educação do Estado (Seed). O serviço está em teste desde outubro e os servidores lotados nas secretarias escolares receberam um treinamento de qualificação para operacionalizarem o serviço no Portal.

Portal Escola Educa Mais

O Portal Escola Educa Mais faz parte de um projeto em parceria com a Escola Digital e consiste em uma plataforma gratuita e aberta, de iniciativa do Instituto Natura, da Fundação Telefônica Vivo e do Instituto Inspirare. A plataforma apoia a personalização e melhoria da qualidade da educação, por meio do uso de tecnologias educacionais inovadoras, disponibilizando vídeos, infográficos, mapas, simuladores, animações e outros recursos de todas as disciplinas da Educação Básica, do Ensino Fundamental e Ensino Médio.

A Secretaria Estadual de Educação poderá, por meio do Portal Escola Educa Mais, personalizar a identidade visual e o banco de Objetos Digitais de Aprendizagem disponíveis, ampliando a relação de cada link com o próprio currículo escolar. Para que professores, gestores, técnicos da secretaria de educação e alunos possam aprimorar a utilização da plataforma, são disponibilizados também materiais de apoio (vídeos, textos e imagens), além de estarem previstos cursos à distância para formação continuada.

Programa Sergipe Alfabetiza Mais

O Programa Sergipe Alfabetiza Mais (AMA) visa a atender ao compromisso do Governo do Estado de Sergipe em alfabetizar e dar condições de continuidade de estudos aos jovens adultos e idosos, promovendo uma educação de qualidade social e reduzindo o índice de analfabetismo em Sergipe. A ação é articulada e intersetorial entre a União, as Secretarias de Estado e/ou órgãos da Administração direta e indireta, municípios e sociedade civil organizada.

O AMA contará com a cooperação entre a Seed e as Secretarias de Inclusão e Desenvolvimento Humano (Seidh), Agricultura (Seagri), Saúde, Detran e Secretarias Municipais de Assistência e Saúde.

Composto por seis eixos (Gestão Político – Administrativa; Gestão Pedagógica; Formação Iniciada e continuada para Alfabetizadores e Coordenadores de Turma; Materiais Didáticos; Avaliação do Processo Ensino e Aprendizagem; Avaliação e Monitoramento do Programa), o AMA contará com cursos modulares, com duração de oito meses, com carga horária semanal de 10 horas, totalizando 320 horas de atividades.

Serviço
O quê- Lançamento dos portais Escola Educa Mais e Matrícula Online e do Programa Sergipe Ama (Sergipe Alfabetiza Mais);
Quando- Nesta terça-feira, dia 22, às 16 horas;
Onde- Palácio de Veraneio.

Ascom


Política
Com.: 0
Por Kleber Santos
Primeira « Anterior « 1 2 3 4 5 6 7 8 9 10 11 » Próxima » Última

Enquete


Categorias

Arquivos