03/09
17:54

Programa Centelha registra o número de 579 ideias inovadoras inscritas em Sergipe

Apoiado pelo Governo do Estado, o projeto visa disseminar a cultura do empreendedorismo em Sergipe

Lançado em junho deste ano, o programa Centelha teve suas inscrições encerradas na última sexta-feira, 30, com um elevado número de participantes e uma série de ideias inovadoras cadastradas. O Centelha busca capacitar empreendimentos ou processos inovadores para o desenvolvimento de bens ou serviços. Ao todo, o programa teve 837 participantes cadastrados no sistema, 284 ideias iniciadas e 579 projetos submetidos.

Os municípios com mais projetos apresentados foram: Aracaju (359 ideias), São Cristóvão (53), Nossa Senhora do Socorro (37), Nossa Senhora da Glória (26), Itabaiana (19) e Lagarto (16). “Finalizamos agora a fase de inscrições do programa Centelha com muito orgulho do resultado alcançado. Foram mais de 1.680 participantes envolvidos nas equipes, diversas temática abordadas em vários setores. Toda essa mobilização surtiu um efeito gratificante, porque foram idéias de 28 municípios do estado e jovens com grande potencial que só precisavam desse grande incentivo”, informa o diretor técnico da Fapitec, Ronaldo Guimarães, dizendo ainda que os números colocam o estado de Sergipe em destaque nacional no Programa Centelha

Algumas temáticas obtiveram mais projetos inscritos como: Tecnologia Social (32,8%), TI e Telecomunicações (16,9%), Mecânica e Mecatrônica (8,1%), Química e Novos Materiais (7,6%), Internet das Coisas (5,5%), Inteligência Artificial e Machine Learning (5,2%) e Automação (4,3%). Além destes, outros temas foram abordados pelos participantes como: Big Data, Biotecnologia e Genética, Blockchain, Design, Eletroeletrônica, Geoengenharia, Manufatura Avançada e Robótica, Nanotecnologia, Realidade Aumentada, Realidade Virtual e Segurança, Privacidade e Dados.

Fonte: ASN
Foto: Arthuro Paganini


Economia
Com.: 0
Por Redação
02/09
22:03

OAB/SE irá propor criação de Projeto de Lei para salvaguardar consumidor em situação de desemprego

A seccional sergipana da Ordem dos Advogados do Brasil irá propor à Assembleia Legislativa do Estado e ao Governo de Sergipe a criação de um Projeto de Lei que obrigue as empresas de telefonia fixa ou móvel, internet e TV por assinatura a cancelarem o contrato de fidelidade quando o consumidor comprovar perda de vínculo empregatício após a adesão do contrato.

Requerida pela Comissão de Defesa dos Direitos do Consumidor e sob relatoria do conselheiro seccional da entidade, Cândido Dortas, a propositura foi objeto de matéria julgada e aprovada pelo Conselho Pleno da OAB/SE na última semana. Segundo o presidente da Comissão, Flávio Cardoso, o propósito é salvaguardar o consumidor que está em situação de desemprego.

“O endividamento é uma situação absolutamente normal em qualquer economia. Entretanto, o superendividamento foge da normalidade na medida em que se torna pernicioso para todas as partes envolvidas, notadamente para o superendividado – que é aquele consumidor que não consegue pagar as suas dívidas sem comprometer o seu mínimo existencial”, argumenta.

De acordo com Flávio, atualmente 63 milhões de consumidores brasileiros estão inseridos no cadastro de inadimplentes. Em Sergipe, 140 mil sergipanos têm nome negativado. “Pensando nisso, a Comissão, além de identificar os problemas, apresenta soluções. A aprovação da propositura do PL é o primeiro passo para uma conquista de toda sociedade consumerista”.


“A OAB tem o papel de defesa intransigente da sociedade e da Constituição Federal. Nosso intuito é propor uma norma de proteção ao consumidor, que não interferirá em nada no equilíbrio dos contratos administrativos. Trata-se de preocupação com aqueles que perderam inesperadamente seu vínculo empregatício”, afirma o presidente da OAB/SE, Inácio Krauss.


Segundo o relator da matéria, Cândido Dortas, diante da aprovação do Conselho Seccional, a diretoria da Ordem encaminhará ofícios ao Governador do Estado e à Comissão de Legislação Participativa da ALESE com designação de membro da Comissão de Defesa dos Direitos do Consumidor para despachar com as autoridades sobre a proposta de Lei Estadual.



Economia
Com.: 0
Por Eugênio Nascimento
02/09
17:52

Balança comercial tem saldo positivo de US$ 3,28 bilhões em agosto

Acumulado nos oito primeiros meses é de superávit de US$ 31,75 bilhões

A balança comercial brasileira registrou saldo positivo de US$ 3,28 bilhões no mês de agosto, informou hoje (2) balanço divulgado pela Secretaria Especial de Comércio Exterior e Assuntos Internacionais do Ministério da Economia. O valor é 23,7% superior ao alcançado no mesmo período de 2018.

Em agosto, o país exportou US$ 18,85 bilhões, uma queda de 8,55% em relação ao registrado no mesmo mês do ano passado. Já as importações somaram US$ 15,57 bilhões, queda de 13,32% em relação a agosto de 2018. De acordo com os dados da Secretaria Especial de Comércio Exterior e Assuntos Internacionais, as exportações de produtos básicos, como milho, fumo em folhas, café em grãos, carne suína e minério de ferro somaram US$ 10,34 bilhões. Os produtos manufaturados, como carros, motores e autopeças, somaram US$ 6,16 bilhões. Já os semimanufaturados, como ferro, aço, ferro em ligas, somaram US$ 2,31 bilhões.

No acumulado de janeiro a agosto, o saldo comercial acumulou supéravit de US$ 31,75 bilhões, valor 12,9% inferior ao alcançado em igual período de 2018, que somou US$ 36,66 bilhões. As exportações apresentaram, no acumulado de 2019, valor de US$ 148,85 bilhões. O número representa uma queda de 5,2% em relação ao apurado no mesmo período de 2018, que foi US$ 157,9 bilhões. As importações somaram US$ 107,09 bilhões, queda de 2,8% sobre o mesmo período do ano anterior, de US$ 121,23 bilhões.
 
 
 
Fonte: Agência Brasil
Foto: Tânia Rêgo/Agência Brasil 


Economia
Com.: 0
Por Redação
30/08
18:11

Governo propõe salário mínimo de R$ 1.039 em 2020

Valor consta no projeto de lei orçamentária enviado hoje ao Congresso

O salário mínimo proposto pelo governo federal para o ano que vem é de R$ 1.039. O valor consta no Projeto de Lei Orçamentária (PLOA) de 2020, que foi enviado hoje (30) para análise do Congresso Nacional, juntamente com o texto do projeto de lei que institui o Plano Plurianual (PPA) da União para o período de 2020 a 2023. Segundo o secretário especial da Fazenda, Waldery Rodrigues, esse valor é exatamente o número de 2019 corrigido pelo INPC.

Até o ano passado, a política de reajuste do salário mínimo, aprovada em lei, previa uma correção pela inflação mais a variação do Produto Interno Bruto (PIB, soma dos bens e serviços produzidos no país). Esse modelo vigorou entre 2011 e 2019. Porém, nem sempre houve aumento real nesse período porque o PIB do país, em 2015 e 2017, registrou retração, com queda de 7% nos acumulado desses dois anos.

O valor previsto agora está abaixo da última projeção, anunciada em abril, que indicou um salário mínimo de R$ 1.040. A revisão para baixo está relacionada à  correção do valor do salário mínimo de 2020 ser corrigido pela inflação desse ano, medida pelo Índice Nacional de Preços ao Consumidor (INPC), que registrou queda nos últimos meses (de 4,19% para 4,09%). Cada aumento de R$ 1 no mínimo terá impacto de cerca de R$ 298,2 milhões no Orçamento de 2020. A maior parte desse efeito vem dos benefícios da Previdência Social de um salário mínimo. Mesmo com a ligeira redução, o salário mínimo do ano que vem vai ultrapassar a faixa R$ 1 mil pela primeira vez na história. O reajuste representa uma alta de um pouco mais de 4% em relação ao valor atual (R$ 998).

Fonte: Agência Brasil


Economia
Com.: 0
Por Redação
28/08
21:17

Novo shopping abrirá as portas no dia 19 de setembro

Agora já está confirmado. O Aracaju Parque Shopping entrará em funcionamento no dia 19 de setembro próximo. As obras, para a viabilização da primeira etapa do shopping, conforme dados da Assessoria de Imprensa, foram bastante adiantadas com a ampliação da mão de obra nas últimas semanas. Algumas lojas já estão recebendo estoque, inclusive. O  shopping vai gerar aproximadamente 3 mil empregos diretos e indiretos. O início das atividades contará com três lojas âncoras – Americanas, Renner e Riachuelo – e lojas satélite.  Idealizado pelo Grupo ACF (Antônio Carlos Franco) e construído numa área total de 70 mil metros quadrados, sendo 26 mil metros quadrados de ABL (área bruta locável), o empreendimento está localizado na avenida João Rodrigues, no bairro Industrial, zona norte de Aracaju.


Economia
Com.: 0
Por Eugênio Nascimento
28/08
21:06

Barra dos Coqueiros - Refinaria é discutida em audiência pública

Acontece agora a audiência pública do licenciamento ambiental da Refinaria NOXIS Sergipe. A área do empreendimento e de 540 mil metros quadrados, vizinha a usina termoelétrica em construção.

É uma Refinaria de pequeno porte, para 25 mil barris de petróleo/dia, e produzirá sobretudo combustível para navios. Pretende utilizar o petróleo produzido em Sergipe, mas não descarta importar a matéria prima necessária.

Pelo clima da audiência pública, a população da Barra dos Coqueiros apóia o empreendimento. A reunião acontece no Makay Resort.



Economia
Com.: 0
Por Eugênio Nascimento
28/08
18:33

Dívida pública cresce 0,38% e fica em R$ 3,99 trilhões, diz Tesouro

Dívida é emitida pelo Tesouro Nacional para cobrir as despesas que superam a arrecadação com impostos, contribuições e outras receitas, financiando o déficit orçamentário do governo

A dívida pública federal fechou o mês de julho com uma alta de 0,38%, sem descontar a inflação, em relação ao mês anterior. Em julho o saldo da dívida foi de em R$ 3,993 trilhões, contra R$ 3,977 trilhões, em junho. Os dados constam do relatório mensal da dívida, divulgado hoje (28) pela Secretaria do Tesouro Nacional, do Ministério da Economia. A dívida pública é emitida pelo Tesouro Nacional para cobrir as despesas que superam a arrecadação com impostos, contribuições e outras receitas, financiando o déficit orçamentário do governo.

A variação, de acordo com o Tesouro, se deve especialmente ao efeito dos juros, que cresceram R$ 23 bilhões. Fato que foi compensado pelo resgate liquido de títulos de R$ 84, bilhões, o que compensou em parte os gastos com juros e contribuiu compensar o valor da dívida em julho. Ainda de acordo com o Tesouro, mesmo com o resultado de julho, a dívida segue abaixo do intervalo estabelecido como meta pelo governo federal, que estimou uma valor de R$ 4,1 a R$ 4,3 trilhões de dívida para 2019. Já a dívida pública interna subiu em 0,52%, na comparação de julho com o mês anterior, passando de R$ 3,826 trilhões para R$ 3,846 trilhões. A dívida externa teve redução de 3,19%, ao cair para R$ 146 bilhões.

De acordo com os números, a participação dos investidores estrangeiros apresentou um pequeno recuo em julho, na comparação com o mês anterior, passando de 12,34% do total da dívida interna, com R$ 473 bilhões, para 12,31%, em julho, com R$ 472 bilhões. Com o resultado, os investidores estrangeiros continuam ocupando a quarta colocação entre os maiores detententores de títulos da dívida. Os dados mostram ainda que os fundos de previdência ocupam o primeiro lugar entre os detentores de títulos da dívida, com 25,97% do total, R$ 998 bilhões, seguidos dos fundos de investimento, com 25,29%, R$ 972 bilhões. Em terceiro lugar ficam as intituições financeiras, com R$ 873 bilhões, ou 22,72% do total.

Fonte: Agência Brasil
Foto: Marcello Casal Jr./Agência Brasil


Economia
Com.: 0
Por Redação
26/08
18:29

Gastos em viagem ao exterior são os maiores para julho desde 2014

É o maior resultado para o mês desde julho de 2014

As despesas de brasileiros em viagens ao exterior aumentaram em julho. No mês passado, os gastos totalizaram US$ 1,898 bilhão, com crescimento de 9,64% em relação ao mesmo mês de 2018 (US$ 1, 731 bilhões). É o maior resultado para o mês desde julho de 2014 (US$ 2,408 bilhões). Os dados foram divulgados hoje (26) pelo Banco Central (BC).

Segundo o chefe do Departamento de Estatísticas do BC, Fernando Rocha, o dólar mais barato estimulou as viagens internacionais nos últimos meses. Ele lembrou que a taxa de câmbio média estava em R$ 4, em maio, caiu para R$ 3,86 em junho e para R$ 3,75 em julho. Para agosto, a expectativa é que o aumento de gastos “pode se reverter”. “Aparentemente o aumento do câmbio em agosto, vai reduzir as despesas com viagens”, destacou.

Dados preliminares deste mês, até o dia 22, mostram que as despesas chegaram a US$ 992 milhões, enquanto que as receitas de estrangeiros no Brasil ficaram em US$ 314 milhões. Nos sete meses do ano, esses gastos com viagens ao exterior estão menores. Nesse período, as despesas chegaram a US$ 10,705 bilhões, queda de 5,3% na comparação com o mesmo período do ano passado. As receitas de estrangeiros em viagem ao Brasil chegaram a US$ 598 milhões no mês passado e a US$ 3,674 bilhões em sete meses, com crescimento de 43,41% e de 0,46%, respectivamente, na comparação com os mesmos períodos de 2018. Com isso, a conta de viagens, formadas pelas despesas e as receitas, fechou julho negativa em US$ 1,3 bilhão e nos sete meses do ano com déficit de US$ 7,030 bilhões.

Fonte: Agência Brasil
Foto: Marcello Casal Jr./Agência Brasil


Economia
Com.: 0
Por Redação
Primeira « Anterior « 1 2 3 4 5 6 7 » Próxima » Última

Enquete


Categorias

Arquivos