19/11
21:08

Novoex entrou em funcionamento dia 17 de novembro

Foi publicada, na edição desta quinta-feira (11/11) do Diário Oficial da União, a Portaria n°24 da Secretaria de Comércio Exterior (Secex) do Ministério do Desenvolvimento, Indústria e Comércio Exterior (MDIC), que informa sobre a implantação do novo módulo do Sistema Integrado de Comércio Exterior (Siscomex), denominado Siscomex Exportação Web (Novoex), ocorrida no dia 17 de novembro. O Novoex substituiu o módulo atual do Siscomex Exportação, lançado em 1993, e que representou um marco na utilização das tecnologias da informação nas operações de comércio exterior.

A modernização do sistema se fez necessária diante do expressivo aumento das exportações brasileiras nos últimos anos e do surgimento de novas tecnologias de comunicação e informação, além da defasagem tecnológica do sistema atual. Com a mudança, o Novoex pode ser acessado diretamente na Internet, sem a necessidade de instalação de programas adicionais nos computadores dos usuários. Além disto, o novo sistema  migrou da plataforma do Sistema de Informações do Banco Central do Brasil (Sisbacen) para a plataforma do Serviço Federal de Processamento de Dados (Serpro).

Pelo Novoex, os usuários podem gravar os Registros de Exportação (REs) e os Registros de Crédito (RCs), estes últimos feitos para as exportações financiadas com recursos tanto privados como públicos. Os operadores, que já tenham feito o Registro de Crédito no sistema antigo, devem atualizar as informações no novo sistema para a utilização do saldo restante. É Importante também informar que não é possível vincular os REs e os RCs criados em sistemas diferentes.

Cabe lembrar ainda que, no novo sistema, são efetuadas apenas as operações comerciais (RE e RC), sendo que todas as operações aduaneiras continuam a ser realizadas da mesma forma os sistemas da Receita Federal.


Economia
Com.: 0
Por Eugênio Nascimento
19/11
21:05

Cencosud (dona do GBarbosa) compra lojas em Salvador

Varejista chilena adquiriu duas lojas de atacado na capital baiana, que pertenciam ao Hiperideal, rede de hipermercados regional

A varejista chilena Cencosud, que é dona no Brasil das redes de supermercados GBarbosa, de Sergipe, e Bretas, de Minas Gerais, acaba de adquirir duas lojas de atacado em Salvador, na Bahia, que pertenciam ao Hiperideal, rede de hipermercados regional.

O Cencosud também comprou quatro lojas do do Gigo supermercados, em Juazeiro (CE) e Petrolina (PE).

Operações internacionais, que incluem o Brasil, impulsionam resultado do Walmart Segundo apurou o iG, os controladores do Hiperideal, que pertence ao Grupo Serrana, venderam apenas as duas lojas de atacado para se concentrar no setor de hipermercados . O grupo negou interesse em se desfazer dos nove hipermercados em Salvador.

A expectativa é de que o Cencosud converta as lojas de atacado em Salvador no formato de "atacarejo", híbrido de atacado com varejo, um dos modelos de negócios que mais cresce no mercado brasileiro. O GBrabosa já atuava nesse modelo antes mesmo de sua aquisição pelo Cencosud, com a bandeira Mercantil Rodrigues.

 Fonte: Claudia Facchini, iG São Paulo


Economia
Com.: 0
Por Eugênio Nascimento
19/11
21:01

Quinta Rodada de Negócios começa na quarta feira

Empreendedores sergipanos terão oportunidade de firmar parcerias com grandes empresas dos setores de petróleo e gás. Já está tudo pronto para a realização da “Quinta Rodada de Negócios” dos segmentos petróleo, gás, energia e mineração. O evento inicia nessa próxima quarta feira, 24 de novembro, e prossegue até o dia 26. Será em Aracaju,  no Espaço Selma Duarte, bairro Coroa do Meio, das 8h às 18h. Os encontros, que são agendados previamente, acontecem entre empresas ancoras e empreendimentos ofertantes, e também entre ofertantes  ofertantes.

As grandes empresas ancoras já confirmaram presença. São 20 instituições conceituadas no País, empreendimentos como a Petrobras, Vale, Votorantin, Energisa, Transpetro, Sergas, GDK, Halliburton, Bj Service, EL Passo, que participam da Rodada interessadas em diversificar seus cadastro de fornecedores de bens e serviços. Essas empresas irão participar de encontros, agendados antecipadamente, com diretores e proprietários de 85 micro e pequenos negócios.


Economia
Com.: 0
Por Eugênio Nascimento
19/11
14:36

Brasil gera 2,4 milhões de empregos até outubro

O ministro Carlos Lupi vai divulgar daqui a pouco os números do Caged de outubro. Segundo os dados do Ministério do Trabalho, de janeiro a outubro de 2010 foram criados 2.406.210 postos de trabalho com carteira assinada, o que é equivalente ao crescimento de 7,29% em relação ao ano passado.

Em outubro, foram gerados 204.804 postos de trabalho, resultado muito próximo do aumento de 205.260 postos do mesmo mês de 2007, que foi o segundo melhor desempenho para o período, na série histórica do Caged.

Fonte: IG


Economia
Com.: 0
Por Eugênio Nascimento
17/11
19:03

Aprovado na CCJ Projeto que permite iniciatova popular para plebiscito

Uma ampla defesa do senador Antonio Carlos Valadares (PSB-SE), como relator da matéria, permitiu a aprovação hoje na Comissão de Constituição, Justiça e Cidadania (CCJ), de Proposta de Emenda à Constituição (PEC), que permite à iniciativa popular requerer a realização de plebiscito e referendo sobre determinada lei. Atualmente, somente o Congresso, através de Decreto Legislativo, pode decidir sobre a efetivação dessas consultas populares.

“O direito à iniciativa popular também para o referendo e o plebiscito é um mecanismo de fortalecimento da nossa democracia, uma homenagem a quem nos dá emprego e nos deposita confiança, que é o povo que nos elege”, disse Valadares, que não vê na matéria um gerador de insegurança jurídica, como alegaram os senadores contrários à PEC de autoria do senador Sérgio Zambiasi (PDT-RS), até porque o Congresso dará a palavra final sobre a procedência ou não do tema proposto através da iniciativa popular.

Fonte: Da assessoria


Economia
Com.: 0
Por Eugênio Nascimento
17/11
12:57

PIB de Sergipe em 2008 tem baixo crescimento, conforme o IBGE

O PIB sergipano apresentou crescimento real de 2,6%, conferindo ao estado o menor resultado em 2008. Com valor corrente estimado em R$ 19 552 milhões ou 0,6% do PIB nacional. Apesar de apresentar o menor resultado em volume em 2008, Sergipe avançou em uma posição no ranking nacional, saindo da 21ª0 posição em 2007 para a 20ª em 2008, em virtude do ganho de 0,01 ponto percentual na participação do PIB brasileiro.

Na série (2002-2008) apresentou o 16o maior crescimento em volume, 31,2%.

Na agropecuária, o estado cresceu 20,0% e ganhou 0,6 ponto percentual de participação no valor agregado do estado, representado 5,2% em 2008. A produção vegetal apresentou crescimento em volume de 37,9% e passou a responder por 53,4% do valor agregado da agropecuária em 2008 ante 49,3% em 2007.

O Cultivo de cereais cresceu 127,5%, influenciado pelo aumento da produção do milho (146,6%), e aumentou em 5,3 pontos percentuais sua participação do valor adicionado da Agricultura, silvicultura e exploração florestal, respondendo por 19,3%.

Em contrapartida, o Cultivo de cana-de-açúcar caiu -3,5% em volume e perdeu 4,1 pontos percentuais de participação na agricultura, ficando com 10,0% em 2008. Outro destaque foi o Cultivo de outros produtos da lavoura permanente 89,7%. Na produção animal, o crescimento se concentrou na Pesca e na Criação de aves, ambas com crescimento em volume de 4,5%.

O setor industrial apresentou queda em seu volume de -1,9%, influenciado pelos resultados negativos das Indústrias de transformação -3,4% e da Produção e distribuição de eletricidade e gás, água e esgoto -14,6%, embora a Construção civil e a Indústria extrativa tenham influenciado positivamente no resultado com 9,8% e 4,4%, respectivamente.

O resultado nas Indústrias de transformação é devido aos segmentos de alimentos e bebidas (-5,0%), têxtil (-13,0%) e calçados (-7,0%), que juntos somavam 57,0% do valor adicionado das indústrias de transformação em 2007. Esses resultados foram implicações do fechamento de fábricas do setor têxtil e queda na exportação de sucos de frutas.

Os serviços apresentaram crescimento em volume de 3,2% em 2008 e respondiam por 61,8% do valor adicionado total, perda de 3,0 pontos percentuais em relação a 2007.

O crescimento foi resultado, principalmente, da influência das variações no Transporte rodoviário 6,8%; Intermediação financeira, seguros e previdência complementar e serviços relacionados 9,6%; Serviços de alojamento e alimentação 3,9%; Administração, saúde e educação públicas e seguridade social 2,6%; Comércio e Serviços de manutenção e reparação 2,6%; e Serviços prestados às empresas 4,4%.

Em direção contrária, as atividades de Serviços prestados às famílias e associações -1,4% e o Transporte aéreo -3,9%.

 
 


Economia
Com.: 0
Por Eugênio Nascimento
17/11
12:53

O FPE em uma perspectiva de longo prazo

Por Ricardo Lacerda
Economista
 
O Fundo de Participação dos Estados- FPE- e o Fundo de Participação dos Municípios- FPM-são mecanismos cooperativos previstos na constituição Federal de 1988, com o objetivo de reduzir o desequilíbrio econômico e social no território brasileiro.

Tais fundos são supridos por parte das receitas do Imposto de Renda de Qualquer Natureza - IR e do Imposto sobre Produtos Industrializados- IPI.
 
Atualmente, o FPE se constitui em uma importante fonte de receita para a maioria dos estados brasileiros, especificamente para os das regiões Norte, Nordeste e Centro-Oeste, que recebem 85% do total dos recursos provenientes desse fundo. Em 2009, os recursos do FPE alcançaram, em todo o país, a soma de R$ 36,2 bilhões. Para o Estado de Sergipe, o repasse do FPE, em 2009, atingiu R$ 1,88 bilhão, equivalente a 41,5% da receita corrente e 39,1% da receita total do Governo do Estado de Sergipe. O FPE é, com grande margem de diferença, a mais importante fonte individual de receita do Estado.

Para efeitos de comparação, o Imposto sobre Circulação de Bens e Serviços- ICMS, principal receita tributária de competência do Estado, somou, em 2009, o montante de R$ 1,43 bilhão, 31,5% da receita corrente daquele ano e valor 24% abaixo do resultado do FPE.
 
Com esse significado para as finanças estaduais, o comportamento do FPE, em 2009 e 2010, ficou muito abaixo das expectativas dos Estados, inclusive de Sergipe. Em 2009, em valores nominais, sem corrigir a inflação, o FPE destinado a Sergipe recuou 3,6%. Com a forte recuperação da economia brasileira em 2010, havia a expectativa dos estados de crescimento expressivo nas receitas desse fundo, o que, infelizmente, não vem ocorrendo.
 
Veja o artigo na íntegra em http://t.co/kTCtJAy


Economia
Com.: 0
Por Eugênio Nascimento
17/11
12:50

Consumo de álcool hidratado tem queda de 39,60% nos postos sergipanos

Segundo levantamento feito pelo DIEESE, as vendas totais de Combustíveis (Álcool, Gasolina Comum, GLP, e Óleo Diesel) em Sergipe tiveram um aumento de 1,92% em Setembro de 2010 comparados com Agosto de 2010, com vendas totais de 64,62 mil metros cúbicos no mês, em relação ao mesmo mês do ano passado as vendas tiveram crescimento de 12%, no acumulado de Janeiro a Setembro de 2010 comparado com o mesmo período do ano passado o crescimento das vendas foi de 11,05%.

Vendas de combustíveis em Sergipe por tipo de combustível
As vendas de Álcool Hidratado tiveram uma queda de -4,84% em Setembro de 2010 comparados com Agosto de 2010, com vendas totais de 3,2 mil metros cúbicos no mês, em relação ao mesmo mês do ano passado as vendas tiveram uma queda de -39,60%, no acumulado de Janeiro a Setembro de 2010 comparado com o mesmo período do ano passado a queda das vendas foi de -24,12%.
As vendas de Gasolina Comum tiveram um aumento de 4,15% em Setembro de 2010 comparados com Agosto de 2010, com vendas totais de 22,61 mil metros cúbicos no mês, em relação ao mesmo mês do ano passado as vendas tiveram crescimento de 30,54%, no acumulado de Janeiro a Setembro de 2010 comparado com o mesmo período do ano passado o crescimento das vendas foi de 23,29%.
As vendas de GLP tiveram uma queda de -1,38% em Setembro de 2010 comparados com Agosto de 2010, com vendas totais de 10,42 mil metros cúbicos no mês, em relação ao mesmo mês do ano passado as vendas tiveram uma queda de -0,03%, no acumulado de Janeiro a Setembro de 2010 comparado com o mesmo período do ano passado o crescimento das vendas foi de 4,18%.
As vendas de Óleo Diesel tiveram um aumento de 2,25% em Setembro de 2010 comparados com Agosto de 2010, com vendas totais de 28,43 mil metros cúbicos no mês, em relação ao mesmo mês do ano passado as vendas tiveram crescimento de 15,02%, no acumulado de Janeiro a Setembro de 2010 comparado com o mesmo período do ano passado o crescimento das vendas foi de 11,60%.
Fonte: Dieese


Economia
Com.: 0
Por Eugênio Nascimento
Primeira « Anterior « 196 197 198 199 200 201 202 203 204 205 » Próxima » Última

Enquete


Categorias

Arquivos