08/12
15:22

Transporte coletivo: Empresas elaboram proposta para reajustar tarifa de Aracaju

As empresas que atuam no sistema de transporte integrado  de Aracaju estão finalizando junto com o Setransp (o sindicato que as representa) a planilha de custos para encaminhar à Prefeitura/ SMTT. Junto com a planilha será feira uma proposta de reajuste no valor da tarifa, hoje fixada em R$ 4,00. Como todos os anos, é apresentada a planilha de custos do sistema de transporte que aponta por si só as necessidades de reajuste diante dos aumentos das despesas com os insumos que incidem na tarifa de ônibus: combustível, mão-de-obra, manutenção, gratuidades, e outros.




Economia
Com.: 0
Por Eugênio Nascimento
06/12
18:41

Limites para compras em viagem ao exterior vai subir para U$1.000

Medida ainda depende de regulamentação

Os brasileiros que viajarem ao exterior terão novos limites de compras, com isenção de tributos. Os países integrantes do Mercosul (Brasil, Argentina, Paraguai e Uruguai) aprovaram a elevação do limite de isenção de bagagem em viagens aéreas e marítimas –de US$ 500 para US$ 1000. Mas, ainda não há data para a validade da medida porque depende de regulamentação de cada país integrante do bloco. No Brasil, a Receita Federal será responsável pela regulamentação.

Além dessa medida, recentemente o governo anunciou duas mudanças para os viajantes. Uma delas foi o aumento do limite de compras isentas de impostos para quem cruza a fronteira do Brasil por via terrestre ou por rio de US$ 300 para US$ 500 por pessoa, a partir de 1º de janeiro de 2020. A regra beneficia quem cruza a fronteira do Brasil com o Paraguai, por exemplo. O governo também vai ampliar, a partir do próximo ano, o limite para compras em free shops, que vai passar dos atuais US$ 500 para US$ 1.000.

Os free shops ou duty free shops são lojas localizadas em salas de embarque e desembarque de aeroportos brasileiros onde os produtos são vendidos sem encargos e tributos. Os limites dos free shops e das compras no exterior (futuramente em US$ 1.000) podem ser somados. Os valores acima das cotas de isenção podem ser tributados pela Receita Federal.

Fonte: Agência Brasil
Foto: Marcello Casal Jr.


Economia
Com.: 0
Por Redação
06/12
18:18

Réveillon 2020: Procon Aracaju divulga pesquisa de preços para festas

Preços foram pesquisados em 16 estabelecimentos localizados na capital

A Prefeitura de Aracaju, por meio da Secretaria Municipal da Defesa Social e da Cidadania (Semdec), divulga, nesta sexta-feira, 6, pesquisa de preços de restaurantes e bares que ofertarão serviços durante a festa do Réveillon 2020. O levantamento, realizado pelo Programa Municipal de Proteção e Defesa do Consumidor (Procon Aracaju), pesquisou os preços de 16 estabelecimentos localizados na capital.

Na tabela, é possível ter acesso aos preços dos pacotes ofertados pelos estabelecimentos - mesas e individuais -, além da descrição do que será oferecido por cada um deles - custos com alimentos e bebidas, entretenimento, música, queima de fogos. De acordo com o coordenador do Procon Aracaju, Igor Lopes, é importante que o consumidor se atente e exija o cumprimento de tudo que for ofertado no contrato. "Toda oferta veiculada, em qualquer meio de comunicação, obriga o fornecedor a cumpri-la. Caso contrário, há a possibilidade de o consumidor exigir o cumprimento forçado da obrigação, ou rescindir o contrato, com direito à restituição da quantia que eventualmente tenha sido paga, atualizada monetariamente", explica o coordenador.

Vale ressaltar que a variação de preços constatada na tabela se refere ao período em que a pesquisa foi realizada. Dessa forma, é possível haver alteração desses valores, em virtude de descontos especiais, ofertas ou promoções, bem como pela data da compra.

Fonte: AAN
Foto: Felipe Goettenauer


Economia
Com.: 0
Por Redação
06/12
16:44

Com pagamentos de folhas e 13°, Governo de Sergipe injetará R$ 520 milhões na economia do estado

Governo pagará, integralmente, 13º de mais de 14 mil servidores da Educação no próximo dia 20

O governador Belivaldo Chagas informou, durante o programa Papo Reto desta sexta-feira (06), que de 30 de novembro a 30 de dezembro deste ano, o Governo do Estado injetará R$ 520 milhões na economia local a partir dos pagamentos das folhas de novembro e dezembro e da gratificação natalina dos servidores estaduais.

“Mais de meio bilhão de reais para circular no estado. Isso considerando o pagamento que a gente fez, no último dia 30, a quem ganha até 3 mil; o que efetuaremos no dia 12; somando ao 13º que pagaremos à Educação no dia 20, dentro do mês; mais a uma parte dos servidores que, segundo a projeção, acessarão o 13º via Banese; e incluindo o pessoal que a gente pagará até o dia 30 de dezembro. Então é um esforço que estamos fazendo para, além de garantir o pagamento dos servidores, aquecer a economia”, destacou o governador.

O pagamento do 13º salário dos servidores ativos da Educação de Sergipe será feito, integralmente, no próximo dia 20 de dezembro. Serão pagos, de forma direta, 14.414 servidores vinculados à rede estadual de ensino. O Estado também pagará o salário referente ao mês de dezembro no dia 30 deste mês, de forma integral, para os servidores que atuam nas unidades escolares. Os demais servidores estaduais, aposentados e pensionistas também poderão adquirir o 13º integralmente por meio do Banco do Estado de Sergipe (Banese), como nos anos anteriores, a partir do dia 16 de dezembro.

Fonte: ASN


Economia
Com.: 0
Por Redação
05/12
18:24

Segundo pesquisa da Dieese, cesta básica subiu em nove capitais no mês de novembro

Aracaju está entre uma das capitais com os menores valores encontrados

O preço da cesta básica em novembro subiu em nove das 16 capitais pesquisadas pelo Departamento Intersindical de Estatística e Estudos Socioeconômicos (Diesse). Em seis capitais, de acordo com o levantamento divulgado hoje (5), o valor do conjunto de alimentos essenciais diminuiu.

As altas mais expressivas ocorreram em Vitória (7,89%), Florianópolis (4,45%) e Campo Grande (3,12%). As quedas mais importantes foram verificadas em Porto Alegre (-2,03%) e Curitiba (-1,95%). Os preços mais altos da cesta foram registrados em Florianópolis (R$ 478,68) e São Paulo (R$ 465,81). Os menores valores foram encontrados em Aracaju (R$ 325,40) e Salvador (R$ 341,45).

No acumulado de 2019, dez capitais pesquisadas apresentaram,taxas negativas até novembro, com destaque para Aracaju (-9,30%). As outras seis cidades tiveram aumento no valor da cesta. A alta acumulada mais expressiva ocorreu em Vitória (14,43%).

Fonte e foto: Agência Brasil


Economia
Com.: 0
Por Redação
04/12
17:49

Exportações sergipanas registraram crescimento de 77,7% no mês de novembro

Os principais destinos dos produtos exportados pelo estado foram Bélgica, México e Estados Unidos


Análise realizada pelo Centro Internacional de Negócios – CIN/SE, da Federação das Indústrias do Estado de Sergipe (FIES), com apoio do Núcleo de Informações Econômicas (NIE), com base os dados do Comex Stat, sistema para consultas e extração de dados do comércio exterior brasileiro, disponibilizado pelo Ministério da Economia, apontou que as exportações sergipanas, em novembro deste ano, somaram mais de US$ 4,6 milhões, assinalando crescimento de 77,7%, quando comparado com o mês imediatamente anterior, outubro último. Já em relação a novembro de 2018, o montante de exportações apresentou-se 11,6% menor.

No período analisado, dentre os 39 produtos sergipanos destinados ao mercado internacional, destacaram-se outros açúcares de cana, beterraba, sacarose quimicamente pura, sol totalizando mais de US$ 1,1 milhão em exportações – responsável por 23,7% do valor das exportações –, seguido de suco (sumo) de laranja, não fermentados, sem adição de álcool, com ou sem adição de açúcar ou de outros edulcorantes, congelado (US$ 926,1 mil) e limoneno (US$ 590,7 mil). Esses três produtos compreenderam 56,2% da pauta de exportações do estado. Os principais destinos dos produtos exportados pelo estado foram Bélgica (US$ 960,6 mil), México (US$ 556,8 mil) e Estados Unidos (US$ 397,7 mil).

Importações sergipanas em novembro/2019

No mês, as importações totalizaram aproximadamente US$ 11,7 milhões, com a aquisição de 167 produtos dos fornecedores internacionais, assinalando queda de 68,2% em relação ao mês anterior, outubro último. Dentre os 167 produtos adquiridos, destacaram-se as compras de outros trigos e misturas de trigo com centeio, exceto para semeadura com US$ 3,3 milhões, diidrogeno-ortofosfato de amônio, mesmo misturado com hidrogeno-ortofosfato de diamônio com US$ 1,5 milhão e sulfato de amônio com US$ 700,8 mil.

Quanto à origem dos produtos adquiridos, os principais países fornecedores foram Uruguai (US$ 3,3 milhões), China (US$ 1,7 milhões) e Marrocos (US$ 1,6 milhão). As importações de produtos provenientes desses três países somaram 56% das importações totais no período. A balança comercial – cujo saldo resulta da diferença entre o montante de exportações e importações – fechou o mês de novembro com saldo negativo de R$ 7 milhões, correspondente a um déficit 79,4% menor que o registrado no mês anterior e 4,5% menor que o registrado em novembro de 2018.

Fonte e foto: NIE/FIES


Economia
Com.: 0
Por Redação
03/12
12:52

Albano Franco recebe em São Paulo o Prêmio Líderes do Brasil

O empresário Albano Franco será homenageado em São Paulo com o Prêmio Líderes do Brasil 2019, concedido a S1 Empreendimentos Imobiliários, empresa do seu grupo econômico, eleita na categoria Líder do Estado de Sergipe. A concorrida cerimônia de entrega da premiação que reunirá personalidades de todo País, será nesta segunda-feira, 09, às 19,30 horas, no Palácio dos Bandeirantes, sede do governo paulista. A escolha das empresas selecionadas nesta edição do Prêmio Líderes do Brasil foi feita pelo Comitê de Gestão do Lide, em assembleia realizada em 09 de outubro passado.



Economia
Com.: 0
Por Eugênio Nascimento
02/12
17:19

Procon Aracaju orienta consumidores sobre troca de produtos

Confira os destalhes das instruções

As compras realizadas de forma apressada e sem os devidos cuidados podem levar à necessidade de troca, por parte do consumidor. As falhas ocultadas dos produtos também podem ser razão para a necessidade de troca. Por isso, a Prefeitura de Aracaju, por meio da Secretaria Municipal da Defesa Social e da Cidadania (Semdec), orienta os consumidores aracajuanos sobre essa questão.

De acordo com o coordenador do Programa Municipal de Proteção e Defesa do Consumidor (Procon Aracaju), Igor Lopes, é muito importante o consumidor buscar informações sobre a política de troca do estabelecimento. Além disso, o coordenador alerta para alguns detalhes que podem mudar de acordo com a situação de compra. Nos casos em que o produto não apresenta defeito e o consumidor deseja realizar a troca ou devolução por insatisfação pessoal, o fornecedor não é obrigado a atender a solicitação. "Não há uma obrigação legal, nem no Código de Defesa do Consumidor nem em nenhuma outra lei, que obrigue o fornecedor a realizar troca ou devolução do produto adquirido em lojas físicas, quando o consumidor se dirige ao estabelecimento", reforça Igor Lopes.

Já quando o produto apresenta defeito ou vício, o reparo é obrigatório. "O consumidor deve notificar o fornecedor e, a partir dessa notificação, é contabilizado um prazo de 30 dias para que o fornecedor resolva aquele defeito", indica o coordenador do Procon Aracaju. Entretanto, caso o reparo não seja realizado dentro desse prazo, o consumidor tem direito de escolher entre determinadas opções. "O cliente pode ter o dinheiro pago devolvido e atualizado monetariamente; exigir a entrega de um produto com mesmas características ou similares; caso queira fazer a aquisição de um outro produto mais caro naquele mesmo estabelecimento, o abatimento proporcional referente ao valor daquele produto defeituoso", aponta Igor Lopes.

Compras pela internet

Outra situação diferenciada é quando a compra é realizada fora do estabelecimento físico: pela internet, telefone ou catálogo de vendas. Nesses casos, o Código de Defesa do Consumidor garante o direito ao arrependimento. "O consumidor dispõe de um prazo de sete dias contados a partir da aquisição do produto ou serviço para desistir da compra, por qualquer motivo. Dentro desse prazo, ele deve notificar o fornecedor, que irá disponibilizar um código para que o consumidor faça a postagem do produto gratuitamente em uma agência de correios", explica o coordenador do Procon.

A partir do recebimento do produto de volta, o fornecedor tem a obrigação de fazer a devolução integral da quantia paga pelo cliente. "Pode ser feito o estorno daquele valor, se o consumidor realizou a compra por meio de cartões, ou a devolução, se pago por boleto ou à vista", indica Igor Lopes. Por fim, o coordenador reforça que, em qualquer situação, é fundamental que o consumidor exija a nota fiscal.

Fonte: AAN
Foto: Ascom/Semdec


Economia
Com.: 0
Por Redação
Primeira « Anterior « 1 2 3 4 5 6 7 8 » Próxima » Última

Enquete


Categorias

Arquivos