15/02
17:05

Volume de serviços em Sergipe recuou em 2018

A percentagem de recuo foi de 4,6% em relação a 2017

Análise realizada pelo Boletim Sergipe Econômico, parceria do Núcleo de Informações Econômicas (NIE) da Federação das Indústrias do Estado de Sergipe (FIES) e do Departamento de Economia da UFS, com base nos dados da Pesquisa Mensal de Serviços (PMS) do IBGE, revelou que o volume de serviços prestados por pessoas físicas ou jurídicas, em Sergipe, no ano passado, recuou 4,6% em relação a 2017.

Quanto à receita nominal dos serviços, também observou-se queda, porém menor, de 2,8% em relação ao ano anterior.

A Pesquisa Mensal de Serviços permite acompanhar o comportamento conjuntural do setor de serviços, investigando a receita bruta de serviços nas empresas formalmente constituídas, com 20 ou mais pessoas ocupadas, que desempenham como principal atividade um serviço não financeiro, excluídas as áreas de saúde e educação.

Comportamento das vendas e receita dos serviços em dezembro/2018

No último mês do ano passado, o volume de serviços prestados assinalou alta de 0,8% sobre o mês anterior (novembro/2018), na série com ajuste sazonal (método que uniformiza os períodos de comparação).

Sobre a receita nominal, na série ajustada, verificou-se elevação de 0,9% em relação ao mesmo intervalo.

Fonte e elaboração do gráfico: NIE/FIES
Fonte do gráfico: PMS/IBGE


Economia
Com.: 0
Por Eugênio Nascimento
15/02
16:54

Em janeiro, custo da construção em Sergipe foi de R$ 977,30

Comparando com janeiro de 2018, o custo teve avanço registrado de 0,8%

Análise realizada pelo Boletim Sergipe Econômico, parceria do Núcleo de Informações Econômicas (NIE) da Federação das Indústrias do Estado de Sergipe (FIES) e do Departamento de Economia da UFS, com base nos dados do Sistema Nacional de Pesquisa de Custos e Índices da Construção Civil (Sinapi), calculado pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) em convênio com a Caixa Econômica Federal, revelou que o custo da construção, medido por metro quadrado (m²), em Sergipe, no mês de janeiro, aumentou 0,8%, quando comparado com o mês imediatamente anterior (dez/2018).

Em termos absolutos, o valor do custo médio por metro quadrado, no mês analisado, ficou em R$ 977,30. Na comparação com o mês de janeiro de 2018, o custo registrado assinalou avanço de 0,8%.

Composição do custo da construção de janeiro/2019

Analisando os custos da construção separadamente, verificou-se que do valor total, a fatia de 54,8%, ou R$ 535,99, correspondeu ao custo com material, enquanto que os 45,2% restantes, ou R$ 441,31, referiu-se ao valor da mão de obra empregada.

Em termos relativos, o custo com material, no mês considerado, obteve acréscimo de 0,9% na comparação com o mês imediatamente anterior (dezembro/2018). Por sua vez, quando comparado com o mesmo mês do ano de 2018, a alta foi maior, de 5,8%.

Quanto ao custo com a mão de obra, verificou-se acréscimo de 0,7% em relação ao mês de dezembro de 2018. Quando comparado com janeiro do ano passado, observou-se elevação de 3,1%.

Fonte e elabaroção do gráfico: NIE/FIES
Fonte do gráfico: Sinapi/IBGE


Economia
Com.: 0
Por Redação
13/02
20:08

Arrecadação do ICMS em Sergipe foi de R$ 304,9 milhões em dezembro

Alta de 5,6% foi registrada quando comparada com 2017

Análise realizada pelo Boletim Sergipe Econômico, parceria do Núcleo de Informações Econômicas (NIE) da Federação das Indústrias do Estado de Sergipe (FIES) e do Departamento de Economia da UFS, com base nos dados do Conselho Nacional da Política Fazendária (Confaz), assinalou que a arrecadação do Imposto sobre Circulação de Mercadorias e Prestação de Serviços (ICMS), em Sergipe, ultrapassou R$ 304,9 milhões, em dezembro de 2018.

Em termos relativos, verificou-se queda real de 3,1% na arrecadação do imposto, quando comparado à arrecadação de dezembro de 2018, considerando o efeito da inflação, medida pelo IPCA. Por sua vez, no comparativo com a quantia arrecadada em novembro de 2018, verificou-se decréscimo de 3%. 

Com os dados de dezembro, a arrecadação do imposto, considerando o acumulado dos doze meses de 2018, ultrapassou R$ 3,5 bilhões, registrando alta de 5,6%, em termos reais, em comparação com o mesmo intervalo de 2017.

Outros tributos recolhidos em Dezembro/2018

A arrecadação do Imposto sobre a Propriedade de Veículos Automotores (IPVA), no mês analisado, totalizou mais de R$ 11,9 milhões. Em termos relativos, houve aumento de 6,4% sobre dezembro de 2017. Em relação ao mês imediatamente anterior (nov/2018), observou-se redução de 33,1%. No acumulado do ano (janeiro a dezembro), a arrecadação do imposto aumentou 3,5% em relação ao mesmo período de 2017.

O recolhimento do Imposto sobre Transmissão Causa Mortis e Doação (ITCD) ficou em R$ 2,3 milhões, enquanto isso, as taxas pagas em função da contraprestação de algum serviço público recolheram R$ 32,4 mil aos cofres do estado, no mês analisado.

Fonte e elaboração do gráfico: NIE/FIES
Fonte do gráfico: Confaz


Economia
Com.: 0
Por Redação
11/02
17:06

Em janeiro, balança comercial sergipana registrou déficit de US$ 4,7 milhões

No mês em análise, as vendas de Sucos de laranja, congelado, não fermentados fecharam em US$ 3,3 milhões, respondendo por 53,2% das exportações sergipanas

Análise realizada pelo Núcleo de Informações Econômicas (NIE), com o apoio do Centro Internacional de Negócios – CIN/SE, da Federação das Indústrias do Estado de Sergipe (FIES), com base nos dados do Ministério de Desenvolvimento, Indústria e Comércio Exterior (MDIC), apontou que as exportações, em janeiro deste ano, somaram aproximadamente US$ 6,3 milhões, apresentando queda de 9,6%, quando comparado com o mês de janeiro do ano passado, e registrando aumento de  32% em relação ao mês imediatamente anterior (dezembro/2018). Enquanto isso, as importações ficaram em pouco mais de US$ 11 milhões, com queda de 10,2%, no comparativo com o mesmo mês do ano anterior. Já em relação às importações do mês de dezembro de 2018, o aumento foi de 42,9%. Por fim, o saldo da balança comercial, em janeiro deste ano, ficou deficitária, fechando o mês com saldo negativo de US$ 4,7 milhões.

No mês em análise, as vendas de Sucos de laranja, congelado, não fermentados fecharam em US$ 3,3 milhões, respondendo por 53,2% das exportações sergipanas. Já as vendas de Outros açúcares de cana, beterraba, sacarose quimicamente pura, sol somaram US$ 1,1 milhão, representando 18,3% das exportações. Dessa forma, 71,5% das exportações do estado foram representadas por esses dois produtos. O principal destino dos itens produzidos em Sergipe, no mês analisado, foram os Países Baixos, que demandaram 41,7% das vendas do estado. Em termos nominais, as vendas para os holandeses somaram mais de US$ 2,6 milhões. O segundo principal destino das exportações sergipanas foi a Bélgica, que adquiriu US$ 827,9 mil ou, em termos percentuais, 13,2%.

Já as importações, do mês em análise, concentraram-se nas aquisições de Outros trigos e misturas de trigo com centeio, exceto para semeadura, que somou US$ 2,9 milhões, ou 26,8% das compras sergipanas, e Diidrogeno-ortofosfato de amônio (fosfato monoamônico ou monoamoniacal), mesmo misturado com hidrogeno-ortofosfato de diamônio (fosfato diamônico ou diamoniacal), que totalizou US$ 2,2 milhões ou 20,5% das compras do mês. Quanto à origem dos produtos adquiridos por Sergipe, os fornecedores que se destacaram foram a Argentina e os Estados Unidos, ao enviarem US$ 2,9 milhões e US$ 2,8 milhões em produtos, respectivamente.

Fonte e Elaboração do Gráfico: NIE/FIES
Fonte do Gráfico: MDIC/COMEX STAT


Economia
Com.: 0
Por Redação
08/02
18:46

Aracaju recebe seminário do BID referente a projetos pioneiros de tributação imobiliária

Os produtos que estão sendo desenvolvidos dentro do projeto buscam soluções inovadoras para a tributação

Aracaju recebeu nesta semana, nos dias 7 e 8, o seminário “Programação Algoritmos de Valorização do Solo”, uma reunião técnica com representantes do Banco Interamericano de Desenvolvimento (BID), para dar continuidade aos projetos pioneiros que estão sendo desenvolvidos na capital através da cooperação técnica com a instituição financeira. O objetivo do encontro foi uniformizar os conhecimentos, avaliar os estágios de trabalho realizados nas cidades participantes – além de Aracaju, Fortaleza e Belo Horizonte – e planejar as próximas etapas da ação.

Os produtos que estão sendo desenvolvidos dentro do projeto, como explicou o secretário municipal da Fazenda e diretor técnico da Associação Brasileira das Secretarias de Finanças das Capitais (Abrasf), Jeferson Passos, buscam soluções inovadoras para a tributação. “O primeiro é o observatório de valor de terrenos na cidade. A ideia é ter uma metodologia que, a partir de coleta de dados e utilização de mecanismos de estatística, nos permita ter uma ideia do valor do solo urbano. É uma iniciativa extremamente relevante para um planejamento urbano adequado, integrado com ferramentas de georreferenciamento que vão auxiliar não só o planejamento tributário, mas também para outras áreas públicas”, detalhou. O segundo produto, segundo ele, é o desenvolvimento de uma metodologia de avaliação em massa de áreas impactadas pela realização de obras públicas.

O professor doutor Everton da Silva, da Universidade Federal de Santa Catarina, consultor convidado pelo BID para colaborar com o projeto, foi um dos ministrantes do seminário – ao lado do engenheiro Msc. João Destro, também consultor da instituição. Segundo ele, a reunião serviu para discutir os métodos de análises e as variáveis utilizadas. Para ele, Aracaju é um município de referência nesse sentido, por ser uma das poucas capitais do Brasil que já utiliza o modelo de regressão para calcular os valores dos imóveis. O auditor da Secretaria de Finanças de Fortaleza, Augusto Oliveira, o encontro com os técnicos foi muito importante para a troca de experiências.

Para mais detalhes, clique aqui.

Fonte e foto: AAN



Economia
Com.: 0
Por Redação
07/02
16:54

Mais de 1400 veículos novos foram vendidos em Sergipe no mês de janeiro

O número de veículos novos diz respeito à soma dos montantes de automóveis, comerciais leves, caminhões e ônibus licenciados, pela primeira vez, no período em análise

Análise realizada pelo Boletim Sergipe Econômico, parceria do Núcleo de Informações Econômicas (NIE) da Federação das Indústrias do Estado de Sergipe (FIES) e do Departamento de Economia da UFS, com base nos dados da Federação Nacional da Distribuição de Veículos Automotores (FENABRAVE), apontou que as vendas de veículos novos no estado totalizaram 1.424 unidades, em janeiro deste ano. 

O número de veículos novos aqui referido, diz respeito à soma dos montantes de automóveis, comerciais leves, caminhões e ônibus licenciados, pela primeira vez, no período em análise. O primeiro emplacamento do veículo é considerado como venda, por causa do prazo estabelecido em lei para isto. Ou seja, o prazo é de 15 (quinze) dias consecutivos após a data de saída do veículo da loja, localizada no estado.

Em termos relativos, verificou-se aumento de 9,5%, em relação às vendas no mesmo mês do ano passado. No comparativo com o mês imediatamente anterior (dezembro/2018), registrou-se retração de 13,5%.

Vendas por segmento em Janeiro/2019

As vendas de automóveis e comerciais leves totalizaram 1.367 unidades, apresentando um acréscimo de 8,3%, em relação a janeiro de 2018. Quando comparado com o mês imediatamente anterior, dezembro último, notou-se uma contração de 9,9%. 
Entre os veículos pesados, o segmento de caminhões registrou a comercialização de 46 unidades, no mês analisado. Em janeiro deste ano, o segmento teve um aumento de 24,3% nas vendas quando comparado com o mesmo período do ano anterior (janeiro/2018).
Já o segmento de ônibus comercializou onze unidades no mês de janeiro último, apresentando declínio nas vendas de 62,1%, quando comparado ao mês anterior (dezembro/2018). 

Outros segmentos
 
As vendas e o licenciamento de ciclomotores, motocicletas e motonetas, a partir de 50 cilindradas, de acordo com a Lei 13.154/2015, somaram 1.298 unidades, no mês em análise, assinalando uma elevação de 9% na comparação com o mês de janeiro do ano passado. Já em relação ao mês de dezembro de 2018, foi registrado aumento de 25% nas vendas. 

Fonte e Elaboração do Gráfico: NIE/FIES
Fonte do Gráfico: FENABREVE


Economia
Com.: 0
Por Redação
07/02
12:51

FETAM lança campanha unificada dos servidores municipais de Sergipe

 A Federação dos Trabalhadores do Serviço Público Municipal de Sergipe (FETAM/SE) irá lançar a Campanha Unificada 2019 dos servidores públicos municipais, na próxima sexta-feira, dia 8. O encontro vai reunir dezenas de sindicatos das prefeituras sergipanas e acontece a partir das 8 horas da manhã, na sede da Central Única dos Trabalhadores (CUT/SE).

A campanha dos servidores municipais tem como principais bandeiras a defesa de transparência nas prefeituras, concurso público, valorização salarial e planos de cargos, carreira e salários (PCCS).

Presidenta da FETAM e secretária de políticas sociais da CUT, Itanamara Guedes, explicou que em Sergipe existem uma média de 30 mil servidores públicos municipais, citando informações do DIEESE. Ela afirma que são estes trabalhadores que, cotidianamente, prestam os serviços de educação, saúde, assistência social, cultura, entre outros essenciais para a vida da população nos munícipios sergipanos.

“A municipalização das políticas sociais está prevista nas diretrizes da Constituição Federal, por isso, são os municípios quem ofertam esses serviços. Os trabalhadores do serviço público municipal trabalham, muitas vezes, sem as condições adequadas e são desvalorizados por parte das administrações. O servidor municipal é considerado, na esfera do Poder Público, o segmento mais frágil, que sofrem distorções de tratamento profundas quando comparados aos servidores estaduais, federais e dos outros Poderes, Legislativo e Judiciário”, observa Itanamara.

A FETAM também destaca que profissões como de serviços gerais, vigilante, entre outras, recebem salário base inicial menor que o valor do salário-mínimo vigente no país. Exemplo disso, atualmente, é o município de Boquim, onde o sindicato local (Sindsemb) tem travado uma luta para o prefeito corrigir essa injustiça e cumprir o mínimo legal.

Pautas de reivindicações

Aumento salarial – A FETAM tem organizado os sindicatos municipais e auxiliado nas suas lutas para cobrar que os prefeitos concedam aumento salarial. Ou seja, além da recomposição da inflação, seja concedido um aumento que permita ganho real ao servidor, haja vista os salários ainda tão baixos.

Plano de Cargos Carreira e Salários (PCCS) – A federação tem lutado ao lado dos sindicatos para que sejam implantados os PCCS; e nos municípios que já têm seus planos, que efetuem melhorias visando a construção de uma carreira digna, que reconheça o tempo de serviço e a capacitação dos servidores municipais.

Concurso Público – A FETAM orienta a luta por concurso público nas prefeituras de Sergipe, com a finalidade de coibir o avanço da terceirização que precariza as relações com os trabalhadores e enriquece empresários. No mesmo sentido, a federação e os sindicatos também têm lutado para coibir que as Administrações contratem cargos comissionados ilegais para desempenhar funções típicas de cargos efetivos, desrespeitando a Constituição Federal que restringe comissionados às funções de assessoria, chefia e direção.

Transparência – Ponto prioritário em todas as campanhas da FETAM e sindicatos filiados. Em que pese a conjuntura de desmonte do estado democrático direito, os servidores municipais reafirmam seu compromisso com a democracia e lutam para que o princípio da publicidade das informações na administração pública seja cumprido pelas prefeituras. “Exigimos dos gestores que a Lei 12.527 de 2011, que regulamenta o acesso às informações públicas, seja respeitada. A transparência é um instrumento indispensável na construção de uma sociedade republicana e democrática, assim como no combate à corrupção”, acrescentou a presidente da FETAM.

Campanha da CONFETAM - A campanha estadual da FETAM reforça a campanha nacional unificada 2019 dos servidores públicos municipais organizada pela CONFETAM em todo Brasil.



Economia
Com.: 0
Por Eugênio Nascimento
05/02
18:22

Em 2019, setor de serviços deve puxar crescimento da economia

Estudo do Sebrae mapeia os setores que terão melhor desempenho em 2019

Um estudo elaborado pelo Sebrae mostra que o setor de serviços é a principal aposta para quem planeja investir na abertura do próprio negócio este ano. O Relatório “Negócios Promissores em 2019” indica que o crescimento da economia, empurrado pela projeção de uma safra agrícola próxima ao seu recorde histórico e esperada retomada do mercado de trabalho, deve sustentar a trajetória de ligeira recuperação do rendimento dos trabalhadores.

Isso tende a favorecer as micro e pequenas empresas (MPE) voltadas à prestação de serviços pessoais, como cuidador de idosos, instalação e manutenção elétrica, entregas, transporte de passageiro, marketing direto e produção de conteúdo para internet, além dos negócios que atendem as necessidades básicas da população (alimentação, vestuário, calçados e construção).

Em 2018, o setor foi o principal responsável pela geração de novos empregos no país, com 398.603 postos de trabalho. Em Sergipe, foram abertos 1.024 novos empregos com carteira de trabalho assinada. Ele é também o segmento de maior peso na economia brasileira, respondendo sozinho por cerca de 70% do Produto Interno Bruto.

Fonte: Agência Sebrae
Foto: Divulgação


Economia
Com.: 0
Por Redação
Primeira « Anterior « 1 2 3 4 5 6 7 8 » Próxima » Última

Enquete


Categorias

Arquivos