05/02
11:31

Empresa presente em Sergipe, Fertilizantes Heringer pede recuperação judicial

Para readequar sua estrutura administrativa e operacional, por meio da suspensão das atividades nas unidades de Rondonópolis (MT), Dourados (MS), Três Corações (MG), Uberaba (MG), Rio Verde (GO), Porto Alegre (RS), Rio Grande (RS), Paranaguá (PR) e Rosário do Catete (SE), a Fertilizantes Heringer entrou com pedido de recuperação judicial ontem na comarca da cidade de Paulínia (SP), “em caráter de urgência”, conforme divulgou o Valor.

De acordo com dados do Valor Data, o capital de giro da companhia estava negativo em R$ 1,3 bilhão ao fim do terceiro trimestre do ano passado. Na prática, a companhia vem queimando o caixa e só teria condições de quitar as dívidas de curto prazo (que vencem em até um ano) com a venda de ativos.

A Heringer, que foi fundada em 1968 e detém 15% do mercado de fertilizantes do país,  informou também que o pedido de recuperação judicial será submetido à avaliação de acionistas em assembleia geral em data a ser definida.


Economia
Com.: 0
Por Eugênio Nascimento
30/01
19:37

Pesquisa comparativa de preços dos produtos da cesta básica é divulgada pela Defesa Social

O objetivo do trabalho é orientar os consumidores e monitorar o mercado

A Prefeitura de Aracaju, por meio da Secretaria Municipal da Defesa Social e da Cidadania (Semdec), disponibilizou nova pesquisa comparativa de preços da cesta básica na capital. O levantamento foi realizado através do Programa Municipal de Proteção e Defesa do Consumidor (Procon Aracaju), que visitou, nos dias 29 e 30, deste mês, seis estabelecimentos, e obteve os valores praticados para 50 diferentes produtos. O objetivo do trabalho é, especialmente, orientar os consumidores e monitorar o mercado.

Foram contemplados produtos de alimentação, como arroz, café, farinha de mandioca, feijão, macarrão, dentre outros. Além disso, fazem parte da relação produtos do segmento de carne e frios, horta e pomar, higiene pessoal e limpeza doméstica. Cumpre registrar que, apesar de a pesquisa comparativa ter como objeto 50 tipos de produtos, não significa dizer que todos os estabelecimentos envolvidos comercializem a totalidade destes produtos.

O coordenador do Procon Aracaju, Igor Lopes, reforça que as variações e os preços constatados dizem respeito aos dias em que foram realizados o levantamento. "Os valores estão sujeitos à alteração conforme a data da compra, inclusive, por ocasião de descontos especiais, ofertas e promoções, bem como pelo fato de que supermercados de uma mesma rede podem praticar preços diferenciados", esclareceu.


Fonte: AAN
Foto: Ana Luísa Andrade


Economia
Com.: 0
Por Redação
24/01
16:32

Implantação do E-Social passa a valer para empresas do Simples Nacional

Até o final do último ano, de acordo com dados da Receita Federal, um milhão de empresas aderiram ao programa

O governo federal, impulsionado pelo objetivo de reduzir a burocracia enfrentada pelas empresas do país, instituiu o E-Social oficialmente em 2014, pelo decreto 8373, que estabeleceu a unificação de informações sobre obrigações fiscais, previdenciárias e trabalhistas, através da utilização de um único banco de dados.

Todas as empresas, sejam elas de pequeno, médio ou grande porte, devem aderir ao sistema. Para isso, existe um cronograma de obrigatoriedade que foi dividido em 4 grupos e já vem sendo seguido desde janeiro de 2018. No último dia 10, cumprindo com o calendário estabelecido pelo governo, o programa entrou em vigor para os empregadores do Simples Nacional, incluindo empreendedor individual (MEI) que possuem empregados, para produtores rurais, entidades sem fins lucrativos e empregadores pessoa física, com exceção de domésticos.

O programa é considerado eficaz pelo governo, pois a unificação de todos os dados referentes às empresas e ao quadro de funcionários tem como principal objetivo ajudar na redução de possíveis erros referentes aos processos burocráticos do Departamento Pessoal. Além de auxiliar na identificação de fraudes, na detecção do trabalho informal, incluindo também a fiscalização de fatores imprescindíveis para a qualidade de vida do trabalhador, como as condições de saúde e de segurança.

A previsão para o início do cadastramento do último grupo, voltado para entes públicos e organismos internacionais, é janeiro de 2020, com a inserção dos dados de empregadores. Até janeiro de 2021 devem constar no banco de dados as informações de segurança dos empregados.

Até o final do último ano, de acordo com dados da Receita Federal, um milhão de empresas aderiram ao e-social. Para o final de todo o processo de implantação, o programa tem a expectativa de reunir 18 milhões de empregadores e 44 milhões de trabalhadores e a multa pode chegar ao total de R$ 230 mil para aquelas que não cumprirem com a obrigatoriedade ou não se adequarem às normas estabelecidas.

Fonte: Unicom/FIES


Economia
Com.: 0
Por Redação
23/01
16:32

Em Sergipe, abertura de empresas cresce 11%

Entre as dez cidades que mais abriram, apenas Itabaiana diminuiu

Ocupando atualmente a terceira colocação entre os estados com o menor tempo para se abrir um negócio no Brasil – conforme o Ranking de Qualidade da Receita Federal -, Sergipe registrou durante o ano de 2018 a abertura de 4.277 novas empresas, segundo dados da Junta Comercial do Estado de Sergipe (Jucese). Trata-se de um aumento de 11% em relação a 2017.

Ao partir para os municípios, o crescimento da abertura de empresas também foi registrado. Entre as dez cidades que mais abriram, apenas Itabaiana diminuiu: Aracaju (2.383); Itabaiana (215); Nossa Senhora do Socorro (180); Lagarto (160); Tobias Barreto (115); Estância (108); São Cristóvão (92); Nossa Senhora da Glória (75); Barra dos Coqueiros (60); e Propriá (55).

Seguindo a tendência dos últimos anos, o setor de Serviços representa a parcela maior de abertura de empresas em 2018, com o percentual de 58,17%; logo em seguida vem o setor de Comércio com 36,78%; e, por último, o setor da Indústria com 5,05%. Já com relação às atividades econômicas, a mais registrada na Jucese em 2018 foi a “Construção de Edifícios” com 154 empresas abertas; seguida de “Comércio Varejista de Artigos do Vestuário e Acessórios” (111); “Atividade Médica Ambulatorial Restrita a Consultas” (107); “Comércio Varejista de Mercadorias em Geral” (106); e “Lanchonetes, Casas de Chá, de Sucos e Similares” (98).

Sergipe registrou a baixa de 3.438 empresas no ano de 2018, 839 a menos em comparação à abertura. O setor de Comércio predomina os fechamentos com 52,01%; em segundo lugar vem o Setor de Serviços com 39,57%; e, em terceiro, o setor da Indústria com 8,42%.

Fonte: ASN
Foto: Ascom/Jucese


Economia
Com.: 0
Por Redação
17/01
18:42

Empresários têm reunião-almoço com governador nesta sexta-feira

O governador Belivaldo Chagas se reúne às 13h desta sexta-feira, 18, com os dirigentes da Associação Sergipana das Empresas de Obras Públicas e Privadas (Aseopp) no hotel Quality. Na reunião-almoço, o empresariado deverá expor o momento de dificuldades vivido pelas empresas. Duas lideranças empresariais foram procuradas, mas preferiram não se manifestar. 



Economia
Com.: 0
Por Eugênio Nascimento
17/01
16:48

Em dezembro, preço médio da gasolina vendida em Sergipe recuou 4,4%

 

Em valores, o preço médio ficou em R$ 4,489 por litro, no mês analisado

Análise realizada pelo Boletim Sergipe Econômico, parceria do Núcleo de Informações Econômicas da Federação das Indústrias do Estado de Sergipe (FIES) e do Departamento de Economia da UFS, com base nos dados da Agência Nacional do Petróleo, Gás Natural e Biocombustíveis (ANP), revelou que o preço médio da gasolina vendida em Sergipe, em dezembro de 2018, recuou 4,4%, quando comparado com o mês imediatamente anterior (nov/18).


Em valores, o preço médio ficou em R$ 4,489 por litro, no mês analisado. Em relação ao mês de dezembro de 2017, o preço médio do combustível cresceu 12,3%.


Para o etanol, o preço médio situou-se em R$ 3,293, registrando queda de 3,7%, sobre novembro de 2018. Já no comparativo com dezembro de 2017, observou-se aumento de 5,7%.


No tocante ao óleo diesel, notou-se que o preço médio, pelo litro do produto, situou-se em R$ 3,534, no mês analisado. Em termos comparativos, verificou-se baixa de 3,6% em relação ao mês imediatamente anterior (novembro/2018). No comparativo com o mesmo mês do ano de 2017, observou-se expansão de 7,1%.


Para o Gás Natural Veicular (GNV), o preço médio praticado por metro cúbico (m³) foi de R$ 3,640, assinalando queda de 0,2% sobre novembro de 2018. Quando comparado com dezembro de 2017, verificou-se alta de 33,6%.


O Gás de Petróleo Liquefeito (GLP), ou gás de cozinha, registrou preço médio de R$ 71,05 (por 13 kg), registrando queda de 0,1%, quando confrontado com o mês anterior (nov/2017). Já em relação a dezembro de 2017, notou-se retração de 9,1%.


Preços nas distribuidoras em Dezembro/2018


O preço médio do litro fornecido pelas distribuidoras aos postos de combustíveis, do estado, foi de R$ 3,993 para a gasolina, registrando declínio de 3,6%. O etanol teve preço médio de R$ 2,707, assinalando queda de 3,2%. Em relação ao óleo diesel, o preço médio ficou em R$ 3,226, assinalando baixa de 4,2%. Todas as comparações são em relação ao mês de novembro de 2018.


Para o GNV e GLP, o preço das distribuidoras ficou, em média, R$ 2,833 por m³ e R$ 56,26, por 13 quilos. Comparativamente, o preço do GNV nas distribuidoras diminuiu 5,6%, ao passo que o GLP registrou acréscimo de 3,5%, ambos na mesma comparação descrita acima.

Fonte e elaboração do gráfico: NIE/FIES
Fonte do gráfico: ANP



Economia
Com.: 0
Por Redação
11/01
18:52

Em 2019, Sergipe poderá registrar saldo positivo na safra de milho

De acordo com o coordenador de Planejamento da Emdagro, Adilson Cavalcante, as condições climáticas sendo favoráveis em todo o estado, a possibilidade de alta na safra deste ano se torna mais concreta

Mesmo diante do cenário de baixa na produção de milho no ano passado, de acordo com o coordenador de Planejamento da Emdagro, Adilson Cavalcante, as condições climáticas sendo favoráveis em todo o estado, a possibilidade de alta na safra deste ano se torna mais concreta. Ainda segundo o coordenador, entre os meses de fevereiro e março é o período de preparação do solo para aguardar o início das chuvas. O clima é o maior influenciador na produção dos grãos, visto que em Sergipe, quase toda a produção é de milho sequeiro. 

Como forma de auxiliar os pequenos agricultores que têm perda de mais de 50% da safra por conta da estiagem, o governo do Estado, por meio da Secretaria de Estado da Agricultura, realiza o Programa Garantia-Safra. O Garantia-Safra funciona com aporte financeiro de 12% do governo Estadual ao Fundo Garantia Safra. O aporte municipal é de 6%, o agricultor entra com 2% e 40% correspondem ao aporte do governo Federal. O estado de Sergipe possui 25 mil cotas (vagas para cadastrar os agricultores), que, para a próxima safra 2018/2019 já estão disponíveis para que os agricultores realizem as inscrições no programa através dos escritórios do Incra, da Emdagro ou da Pronese.

Em 2017, Sergipe foi destaque como principal crescimento de produção de grãos do Nordeste. O Estado registrou o maior incremento entre todas as safras de grãos da região na produção de milho, com o aumento de 462,9%. A alta em Sergipe superou o Ceará (225,5%), o Piauí (139,6%) e o Maranhão (139%). Além disso, o cenário nacional para o ano de 2019 é positivo. Segundo previsão publicada nesta quinta-feira (10), pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), a safra de cereais, leguminosas e oleaginosas deste ano deve ser 3,1% maior do que a produção de 2018, sendo prevista uma produção de 233,4 milhões de toneladas.

Fonte: ASN
Foto: Jorge Henrique/ASN


Economia
Com.: 0
Por Redação
11/01
17:46

Combustível em Aracaju: pesquisa aponta redução dos preços

A ação ocorreu na manhã da quinta-feira, 10, e teve como finalidade a coleta de dados nos estabelecimentos comerciais, para oferecer referências de preço aos consumidores

A Prefeitura Municipal de Aracaju, por meio da Secretaria Municipal da Defesa Social e da Cidadania (Semdec), divulgou, nesta sexta-feira, 11, o resultado da primeira pesquisa comparativa de preços de combustíveis do ano de 2019, realizada pelo Programa Municipal de Proteção e Defesa do Consumidor de Aracaju (Procon Aracaju).

A ação ocorreu na manhã da quinta-feira, 10, e teve como finalidade a coleta de dados nos estabelecimentos comerciais, para oferecer referências de preço aos consumidores. Ao todo, foram visitados 45 estabelecimentos, nos quais foram verificados os valores cobrados pela gasolina comum, gasolina aditivada, etanol, gás natural veicular (GNV) e diesel S-10. Na pesquisa anterior, realizada no dia 6 de dezembro do ano passado, já havia sido constatada a redução dos preços dos combustíveis, na capital. Dessa vez, os dados obtidos apontam uma redução ainda maior. Enquanto o menor preço encontrado para gasolina comum, em dezembro, havia sido R$ 4,47, a pesquisa atual demonstrou o valor de R$ 4,15. O mesmo aconteceu com os demais combustíveis pesquisados, com exceção do diesel S-10, cujo menor preço encontrado foi de R$ 3,38 em ambos levantamentos.

O coordenador do Procon Aracaju, Igor Lopes, aponta os maiores e menores valores encontrados para os seis combustíveis pesquisados. "O diesel S-10 apresentou um maior valor de R$ 3,80 e menor valor de R$ 3,38. Já o maior preço encontrado para o etanol foi de R$ 3,499, enquanto o menor foi R$ 3,13. A gasolina aditivada demonstrou seu maior valor de R$ 4,509 e o menor de R$ 4,16. O maior preço da gasolina comum foi R$ 4,496 e o menor R$ 4,15. Por fim, o maior preço encontrado de gás natural veicular (GNV) foi R$ 3,649, e o menor foi R$3,582", pontuou.


Fonte: AAN
Foto: Ascom/Semdec


Economia
Com.: 0
Por Redação
Primeira « Anterior « 1 2 3 4 5 6 7 8 9 » Próxima » Última

Enquete


Categorias

Arquivos