11/04
15:56

Balança comercial sergipana registrou déficit de US$ 22,1 milhões, em março

O estudo é baseado nos dados do Ministério de Desenvolvimento, Indústria e Comércio Exterior

Análise realizada pelo Centro Internacional de Negócios – CIN/SE, da Federação das Indústrias do Estado de Sergipe (FIES), com o apoio do Núcleo de Informações Econômicas (NIE), tendo como base os dados do Ministério de Desenvolvimento, Indústria e Comércio Exterior (MDIC), apontou que as exportações, em março deste ano, somaram US$ 5,4 milhões, apresentando queda de 31,6%, quando comparado com o mês de março do ano passado, e decréscimo de 13,2% em relação ao mês imediatamente anterior, fevereiro de 2019. Enquanto isso, as importações do mês de março ficaram em US$ 27,6 milhões, com aumento de 92%, no comparativo com o mesmo mês do ano que findou. Já em relação ao mês imediatamente anterior, fevereiro deste ano, houve aumento de 104,1%. Por fim, o saldo da balança comercial, em março de 2019, ficou deficitária, fechando o mês com saldo negativo de US$ 22,1 milhões.

No mês em análise, as vendas de Sucos de laranja, congelado, não fermentados fecharam em US$ 2,6 milhões, respondendo por 48,1% das exportações sergipanas. Já as vendas de Outros açúcares de cana, beterraba, sacarose quimicamente pura, sol somaram US$ 1 milhão, representando 18,4% das exportações. Dessa forma, 66,5% das exportações do estado corresponderam a esses dois produtos. O principal destino dos itens produzidos em Sergipe, no mês analisado, foi a Bélgica, que demandou 31,2% das vendas do estado. Em termos nominais, as vendas para os belgas somaram mais de US$ 1,7 milhão. O segundo principal destino das exportações sergipanas foram os Países Baixos, que adquiriram US$ 1,02 milhão ou, em termos percentuais, 18,5%.

Já as importações, no mês em análise, concentraram-se na compra dos Outros tubos flexíveis de ferro ou aço, que totalizaram US$ 18,1 milhões, ou 65,6% das aquisições sergipanas, e nos Outros trigos e misturas de trigo com centeio, exceto para semeadura, que somaram US$ 3,9 milhões ou 14,2% das compras do mês. Quanto à origem dos produtos adquiridos por Sergipe, os fornecedores que se destacaram foram o Reino Unido e a Argentina, ao enviarem US$ 18,2 milhões e US$ 3,9 milhões em produtos, respectivamente.

Fonte e elaboração do gráfico: NIE/FIES
Fonte do gráfico: MDIC/COMEX STAT


Economia
Com.: 0
Por Redação
04/04
17:19

Repasse de royalties para Sergipe ultrapassou os R$ 5,4 milhões em março

Todas as variações referidas são em termos absolutos, ou seja, sem considerar o efeito da inflação no período

Análise realizada pelo Boletim Sergipe Econômico, parceria do Núcleo de Informações Econômicas (NIE) da Federação das Indústrias do Estado de Sergipe (FIES) e do Departamento de Economia da UFS, com base nos dados da Agência Nacional do Petróleo, Gás Natural e Biocombustíveis (ANP), mostrou que o pagamento de royalties referentes à extração de petróleo e gás natural ao estado de Sergipe, em março do ano corrente, ultrapassou os R$ 5,4 milhões.

Em termos relativos, o montante recebido foi 25,9% menor que o total recebido no mesmo mês do ano passado (março/2018), cujo repasse havia ficado em torno de R$ 7,4 milhões. Na comparação com o mês imediatamente anterior, o último mês de fevereiro, houve leve aumento de 0,1%.

Todas as variações referidas são em termos absolutos, ou seja, sem considerar o efeito da inflação no período.

Royalties para os Municípios em Março/2019

Em março, foi destinado aos municípios sergipanos o total de R$ 15,8 milhões em royalties, referentes à extração de petróleo e gás natural, com destaque para Japaratuba, que recebeu R$ 1,1 milhão, ou 7,2% do total. Em seguida, o município de Carmópolis totalizou pouco mais de R$ 1,02 milhão, e a capital aracajuana que somou R$ 1,01 milhão, respondendo por 6,5% e 6,4%, respectivamente.

Outros municípios que se destacaram foram: Divina Pastora, que recebeu R$ 924,5 mil (5,8%), Itaporanga D’Ajuda com total de repasses de R$ 857,2 mil (5,4%) e Estância com R$ 837,1 mil (5,3%).

A distribuição dos royalties é feita entre estados e municípios brasileiros, ao Comando da Marinha, ao Ministério de Ciência e Tecnologia e ao Fundo Especial administrado pelo Ministério da Fazenda, que o distribui de acordo com critérios específicos.

Fonte e elaboração do gráfico: NIE/FIES
Fonte do gráfico: ANP


Economia
Com.: 0
Por Redação
01/04
15:46

Exporingo aquece turismo de negócios em Sergipe

Agropecuária, tecnologia, inovações e varejo, são alguns dos diversos setores presentes na feira em Lagarto

A Exporingo 2019, feira regional que fomenta o segmento em Sergipe, aconteceu no último final de semana, no Parque das Palmeiras, em Lagarto, e gerou um grande movimento de vendas para diversos setores que desenvolvem atividades voltadas para agropecuária, tecnologia, inovação e varejo.

De acordo com os organizadores do evento, mais de 60 mil pessoas passaram pela feira nos quatro dias, movimentando um montante de cerca de R$ 30 milhões em negócios. “A Exporingo é fruto de um trabalho que já vinha sendo feito pelo Haras, com uma vaquejada e leilões conhecidos em todo país. Desse modo, aproveitamos a oportunidade e transformamos os vários eventos do local em uma feira que fomenta muito mais negócios para o estado”, explica o organizador e coordenador do evento, Rilley Guimarães.

Ele conta ainda que recebe pessoas de toda parte do País, principalmente das regiões do Sul, Sudeste e Nordeste. “Eles vêm interessados em comprar equinos, caprinos, equipamentos agrícolas e muitos produtos que envolvem esse cenário. Além disso, o leilão do Haras FJ recebe criadores de todo Brasil, pois Geraldo Magela, idealizador do complexo, é muito conhecido no ramo”, finaliza.
 
Para mais detalhes, clique aqui.

Fonte e foto: ASN


Economia
Com.: 0
Por Redação
13/03
15:35

Balança comercial sergipana registrou déficit de US$ 7,2 milhões, em fevereiro

Em relação às importações do mês de janeiro deste ano, houve aumento de 22,8%

Análise realizada pelo Núcleo de Informações Econômicas (NIE), com o apoio do Centro Internacional de Negócios – CIN/SE, da Federação das Indústrias do Estado de Sergipe (FIES), com base nos dados do Ministério de Desenvolvimento, Indústria e Comércio Exterior (MDIC), apontou que as exportações, em fevereiro deste ano, somaram US$ 6,3 milhões, apresentando queda de 20,8%, quando comparado com o mês de fevereiro do ano passado, e registrando aumento de 0,8% em relação ao mês imediatamente anterior, janeiro último. Enquanto isso, as importações ficaram em pouco mais de US$ 13,5 milhões, com queda de 23,9%, no comparativo com o mesmo mês do ano anterior. Já em relação às importações do mês de janeiro deste ano, houve aumento de 22,8%. Por fim, o saldo da balança comercial, em fevereiro deste ano, ficou deficitária, fechando o mês com saldo negativo de US$ 7,2 milhões.

No mês em análise, as vendas de Sucos de laranja, congelado, não fermentados fecharam em US$ 3,5 milhões, respondendo por 56,1% das exportações sergipanas. Já as vendas de Outros açúcares de cana, beterraba, sacarose quimicamente pura, sol somaram aproximadamente US$ 1,2 milhão, representando 18,7% das exportações. Dessa forma, 74,8% das exportações do estado foram representadas por esses dois produtos. O principal destino dos itens produzidos em Sergipe, no mês analisado, foi a Bélgica, que demandou 45,4% das vendas do estado. Em termos nominais, as vendas para os belgas somaram mais de US$ 2,8 milhões. O segundo principal destino das exportações sergipanas foram os Países Baixos, que adquiriram US$ 901,5 mil ou, em termos percentuais, 14,2%.

Já as importações, do mês em análise, concentraram-se nas aquisições de Coque de petróleo não calcinado, que somou US$ 3 milhões, ou 22,4% das compras sergipanas, e Outros cloretos de potássio, que totalizou US$ 2,5 milhões ou 18,6% das compras do mês. Quanto à origem dos produtos adquiridos por Sergipe, os fornecedores que se destacaram foram os Estados Unidos e o Canadá, ao enviarem US$ 4,4 milhões e US$ 2,1 milhões em produtos, respectivamente.

Fonte e elaboração do gráfico: NIE/FIES
Fonte do gráifco: MDIC/COMEX STAT


Economia
Com.: 0
Por Redação
12/03
16:29

Venda de combustíveis em Sergipe teve queda de 1,4% em janeiro

Totalizaram pouco mais de 67 milhões de litros, assinalando alta de 0,4% em relação ao mesmo mês de 2018

Análise realizada pelo Boletim Sergipe Econômico, parceria do Núcleo de Informações Econômicas (NIE) da Federação das Indústrias do Estado de Sergipe (FIES) e do Departamento de Economia da UFS, com base nos dados da Agência Nacional do Petróleo, Gás Natural e Biocombustíveis (ANP), indicou que as vendas totais de combustíveis, no mês janeiro deste ano, totalizaram pouco mais de 67 milhões de litros, assinalando alta de 0,4%, em relação ao mesmo mês de 2018. Em relação ao mês imediatamente anterior (dezembro/2018), as vendas totais retraíram 1,4%.

Combustíveis comercializados em Janeiro/2019

Foram vendidos 31,7 milhões de litros de gasolina, no mês analisado. Em termos relativos, verificou-se queda de 3,7% nas vendas, em relação ao mesmo mês de 2018. Já na comparação com o mês de dezembro de 2018, a retração foi de 0,2%.

A comercialização do etanol hidratado, no mês em análise, assinalou alta de 51,4%, quando confrontado com o volume de vendas do mesmo mês de 2018. Em volume, as vendas chegaram a 6,1 milhões de litros. Quando comparado com o mês de dezembro de 2018, notou-se retração de 14,8% no consumo.

No tocante ao óleo diesel, foram comercializados 26,7 milhões de litros no mês de janeiro. Em termos comparativos, verificou-se leve alta de 0,1%, em relação ao mesmo mês de 2018. Quando comparado com o mês de dezembro de 2018 as vendas também apresentaram alta de 0,1%.

A venda do combustível utilizado pelas aeronaves, o chamado querosene de aviação, alcançou os 2,5 milhões de litros, apresentando recuo de 19,2%, em relação a janeiro de 2018. Na comparação com o mês imediatamente anterior (dezembro/2018), as vendas avançaram em 5,5%.

Fonte: NIE/FIES


Economia
Com.: 0
Por Redação
12/03
16:26

Inflação acelera e fica em 0,54% em fevereiro

A aceleração foi puxada pelos grupos de educação e de alimentos, que ficaram acima da inflação

O Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA), que mede a inflação oficial do país, ficou em 0,54% em fevereiro, acima dos 0,29% de janeiro. A aceleração foi puxada pelos grupos de educação e de alimentos, que ficaram acima da inflação, com altas nos preços de 5,93% e 1,09%, respectivamente.
 
Na educação, que teve o maior crescimento entre os nove grupos pesquisados, a alta reflete os reajustes do início do ano letivo. Destaque para as mensalidades de cursos regulares, que subiram 7,17%, e tiveram o maior impacto individual sobre o IPCA de fevereiro. 

Os alimentos também exerceram pressão no índice regional de Aracaju, mas desaceleraram na comparação com janeiro. A aceleração foi impulsionada pelas altas nos preços do feijão-carioca (78,46%), da batatainglesa (29,59%), entre outros.

Veja mais informações em https://agenciadenoticias.ibge.gov.br/, o site da Agência de Notícias do IBGE. 

Fonte e foto: IBGE-SE


Economia
Com.: 0
Por Redação
11/03
15:35

ICMS: parcelamento excepcional de dívidas permanece aberto

A adesão ao modelo de quitação das dívidas pode ser requerida através de um banner específico no site da Secretaria de Estado da Fazenda

O programa especial de parcelamento de dívidas no Imposto sobre a Circulação de Mercadorias e Serviços (ICMS) permanece aberto aos contribuintes com pendências tributárias. A partir das condições para negociação, débitos de até R$ 100 mil podem ser parceladas em até 24 meses. Valores superiores até o limite de R$ 500 mil podem ser pagos em até 36 meses e débitos acima de R$ 500 mil entram na faixa de parcelamento de até 47 meses. Incluídas na negociação serão as dívidas de ICMS declaradas espontaneamente ou relativas a auto de infração simplificado modelo II. 

A adesão ao modelo de quitação das dívidas pode ser requerida através de um banner específico no site da Secretaria de Estado da Fazenda (Sefaz), no endereço http://www.sefaz.se.gov.br, ou também seguindo os seguintes passos: no site da Sefaz, clicar no botão “Serviços”, para em seguida buscar “ICMS”, “Parcelamento” e assim entrar em “Parcelamento de ICMS”. 

Um ponto importante na legislação estadual em relação a programas especiais de parcelamento é que a falta de pagamento de três parcelas consecutivas determina o vencimento das parcelas futuras, provocando a exclusão automática do contribuinte do programa especial de quitação de dívidas, além de ocasionar a recomposição do saldo devedor aos valores originais.

Fonte: ASN
Foto: Marcos Rodrigues/ASN


Economia
Com.: 0
Por Redação
11/03
15:28

Repasse do FPE para Sergipe cresceu 3,7% em janeiro

Quando comparado com janeiro de 2018, o repasse assinalou expansão real de 16,3%

Análise realizada pelo Boletim Sergipe Econômico, parceria do Núcleo de Informações Econômicas (NIE) da Federação das Indústrias do Estado de Sergipe (FIES) e do Departamento de Economia da UFS, com base nos dados da Secretaria do Tesouro Nacional (STN), indicou que o repasse do Fundo de Participação dos Estados (FPE) para o estado de Sergipe, em janeiro deste ano, foi de R$ 309,6 milhões.

Em termos relativos, quando comparado com janeiro de 2018, o repasse assinalou expansão real de 16,3%, considerando o efeito da inflação, medida pelo Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA). No comparativo com o mês imediatamente anterior (dezembro/2018), houve expansão de 3,7% na transferência do recurso.

Repasse do FPM em Janeiro/2019

O repasse a todos os municípios sergipanos, através do Fundo de Participação dos Municípios (FPM), chegou a aproximadamente os R$ 117,1 milhões, apontando ampliação real de 16,7%, em relação a janeiro de 2018. Em relação ao último mês do ano de 2018, houve queda de 34,4%.

Repasse do Fundeb em Janeiro/2019

O repasse do Fundo de Manutenção e Desenvolvimento da Educação Básica e de Valorização dos Profissionais da Educação (FUNDEB) ficou acima dos R$ 68 milhões, registrando retração real de 5,7%, em relação ao mesmo mês de 2018. No comparativo com o mês de dezembro do ano passado, notou-se expansão de 11,6% no repasse.

Fonte e elaboração do gráfico: NIE/FIES
Fonte do gráfico: STN


Economia
Com.: 0
Por Redação
Primeira « Anterior « 1 2 3 4 5 6 7 8 9 » Próxima » Última

Enquete


Categorias

Arquivos