13/11
16:35

Safra de grãos deve fechar 2019 com alta de 270,3%

Estimativa de outubro prevê uma safra 270,3% maior que a obtida em 2018, ou seja, um acréscimo de 507 mil de toneladas na produção

A produção de cereais, leguminosas e oleaginosas deve fechar o ano de 2019 em 695 mil de toneladas. A estimativa é do Levantamento Sistemático da Produção Agrícola (LSPA), realizado em outubro e divulgado hoje (13), no Rio de Janeiro, pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE).

A estimativa de outubro prevê uma safra 270,3% maior que a obtida em 2018, ou seja, um acréscimo de 507 mil de toneladas na produção. Em relação à estimativa realizada em setembro deste ano, houve uma queda de 1,4%, ou seja, 9,7 mil de toneladas a menos do que o previsto naquele mês. A estimativa de área a ser colhida é de 148 mil de hectares, 201,1% maior do que a de 2018 e 2,4% menor que a prevista em setembro. Das quatro principais lavouras de grãos, apenas o amendoim (2ª safra) deverá ter uma redução na produção neste ano em relação a 2018 (8%). Para o milho (2ª safra), é esperada um crescimento de 307,4%. Para o arroz um aumento de 52,4%. Já para o feijão (2ª safra), deve haver um crescimento de 34,5%.

Outros produtos

O levantamento também abrange a produção de outros produtos agrícolas importantes, além dos cereais, leguminosas e oleaginosas. A cana-de-açúcar, por exemplo, principal lavoura sergipana deverá fechar o ano com uma produção de 1,8 milhões de toneladas, ou 10,7% a menos do que em 2018. Também deverá ter queda na produção da mandioca (24,4%). E deve ter alta a laranja (6,4%).

Fonte: Observatório de Sergipe


Economia
Com.: 0
Por Redação
11/11
15:34

Fábrica de Vidros em Sergipe irá aumentar a produção em até 70% após redução de impostos

Redução no ICMS do Gás possibilita que IVN passe a gerar cerca de 230 empregos diretos em Estancia

Nesta segunda-feira (11), o governador Belivaldo Chagas foi até o município de Estância, visitar a Indústria Videira do Nordeste(IVN), que anunciou em até 70% ampliação da produção de garrafas de vidro. A ampliação só foi possível graças à redução do ICMS incidente sobre o gás para uso industrial, realizada pelo governo do Estado, através de decretos assinados em 04 de julho. O crescimento da produção contará com um investimento de R$ 100 milhões, além de proporcionar um aumento no número de funcionários, passando de 180 para 230 empregados.

Expansão

Com a ampliação, a fábrica terá um aumento dos insumos. O crescimento no consumo de gás de 300.000m³/mês (10.000m³/dia); aumento no consumo de energia 2.100Kw/mês (2,9mw médio/dia); recolhimento de impostos federais indiretos de R$ 15 milhões/ano; consumo de areia da mineradora Jundu e de cal Trevo. Além disso, será feito a instalação da primeira máquina de 48 seções e com robô no Brasil, estando a planta na vanguarda da tecnologia. Segundo o presidente nacional da Vidroporto, Edson Rossi, empresa da qual participa a Indústria Vidreira do Nordeste (IVN), localizada em Estância, a decisão de aumentar a capacidade de produção em até 70% só foi possível à mudança do sistema de tributação do ICMS. “A gente espera que em maio do próximo ano já estejamos produzindo com a implantação já concluída, gerando a mais, um média de 50 empregos diretos a principio e aproximadamente 200 indiretos. Essas medidas do Estado nos faz acreditar que a gente chega aqui para ficar por muito e muito tempo. Temos a intenção de transformar essa empresa em uma atividade perene. Que ela tenha sustentabilidade ao longo do tempo!” ressaltou.

Gás

A ação integrada do governo do Estado conseguiu reduzir o preço do gás natural para as indústrias instaladas em Sergipe enquadradas no Programa Sergipano de Desenvolvimento Industrial (PSDI). Com a entrada em vigor dos decretos 40.401 e 40.402, editados pelo Governo do Estado em julho de 2019, as empresas sergipanas consumidoras de gás natural passaram a usufruir de uma redução no preço da tarifa desse insumo na ordem de 19,83% para aquelas contempladas com a isenção e entre 12,42% a 8,53% para os casos de Redução de Base de Cálculo e Diferimento do ICMS sobre essas operações. De acordo o secretário de Desenvolvimento Econômico, José Augusto Pereira, as medidas adotadas têm proporcionado o incremento de mais investimentos para o estado, consequentemente, geração de emprego, aumento de arrecadação e competitividade na indústria.

Fonte: ASN
Foto: Marco Vieria


Economia
Com.: 0
Por Redação
11/11
15:21

Novo poço é perfurado pela Petrobras na Bacia Sergipe-Alagoas

Neste ano, a petroleira já perfurou a bacia por três vezes

O estado de Sergipe continua em alta no tema desenvolvimento econômico através da exploração petrolífera e de gás. Na última quarta-feira, 06, foi iniciada uma nova perfuração por parte da Petrobrás, no bloco SEAL-M-424, na Bacia de Sergipe-Alagoas. Adquirido na 6ª rodada de licitações da ANP, o bloco é operado pela petroleira com 100% de participação.

O poço é o sétimo perfurado no SEAL-M-424 desde 2012 pela Petrobras e o terceiro feito pela petroleira na bacia este ano. O primeiro (3-BRSA-1367-SES) foi perfurado em março, e o segundo (3-BRSA-1368-SES), em junho. Na primeira perfuração, foram encontrados indícios de petróleo e gás. Há grande expectativa com o resultado dessa nova perfuração.

Perspectivas

O Plano de Negócios 2019-2023 da estatal prevê a instalação de uma plataforma na bacia em 2023, além da construção de uma unidade de tratamento de gás em Sergipe para viabilizar o escoamento e processamento de gás dos campos de águas profundas descobertos na região. O secretário de estado do Desenvolvimento Econômico, da Ciência e Tecnologia, José Augusto Carvalho, frisa que este é mais um momento importante para a área em Sergipe. “Vamos aguardar confiantes o resultado desta perfuração e ver se teremos a confirmação de novos campos ricos em petróleo e gás em nossa costa”, disse.

Fonte e foto: ASN


Economia
Com.: 0
Por Redação
08/11
14:47

Porto de Sergipe cresce 45% e abre perspectivas de novos investimentos

O governador Belivaldo Chagas recebeu, na tarde desta quinta-feira (07), no Palácio de Despachos, a visita dos diretores da Valor da Logística (VLI), empresa responsável pela operacionalização do Terminal Marítimo Inácio Barbosa (TMIB). O objetivo do encontro foi apresentar os investimentos que têm sido feitos no local, bem como demonstrar as perspectivas para os próximos anos.

O diretor de Relações Institucionais da empresa, José Geraldo Azevedo, informou ao governador que o porto apresentou um crescimento de 45% no transporte de carga entre os anos de 2018 e 2019, e confirmou a possibilidade de novos investimentos no terminal portuário sergipano. Também acompanharam a visita o diretor Comercial da VLI, Fabiano Lorenzi e o gerente Geral do Porto, Denilson Fernandes. O governador considerou o resultado bastante positivo e disse que está trabalhando para dobrar o volume de carga manuseada no porto. “Com a chegada da termelétrica e do gás, temos todas as condições de incrementar o volume de carga do nosso porto. Temos trabalhado para trazer mais investimentos para Sergipe, e o porto é fundamental em todo esse processo”, acentuou.

O secretário de Desenvolvimento Econômico da Ciência e Tecnologia (Sedetec), José Augusto Carvalho, pontuou que não é possível se pensar em progresso sem energia e sem porto. “Temos feito um série de reuniões internamente com a VLI, com a perspectiva de garantir mais investimentos da empresa no Terminal Marítimo Sergipano, afinal, agora temos a energia da termelétrica, o gás e queremos um porto mais bem equipado. Com isso vamos incrementar  o nosso desenvolvimento”, salientou. Já o superintendente Especial do Programa de Parceira Público-Privada, Oliveira Júnior, disse que a empresa pretende realizar projetos de modernização portuária, devido o resultado que vem alcançando no transporte de carga.

Fonte: ASN
Foto: Mario Souza


Economia
Com.: 0
Por Redação
06/11
18:22

Poupança tem menor retirada líquida para outubro em cinco anos

Saques superaram depósitos em R$ 247,2 mi no mês

Aplicação financeira mais tradicional do país, a caderneta de poupança registrou a menor retirada líquida para meses de outubro em cinco anos. No mês passado, os saques superaram os depósitos em R$ 247,2 milhões, informou hoje (6) o Banco Central. Este é o melhor resultado para o mês desde outubro de 2014, quando a poupança tinha registrado captação líquida (depósitos menos saques) de R$ 540,3 milhões. Em outubro do ano passado, os correntistas tinham retirado R$ 2,71 bilhões a mais do que tinham depositado. De janeiro a outubro, os brasileiros retiraram R$ 6,31 bilhões a mais do que depositaram na caderneta. O desempenho está pior do que em 2018. No mesmo período do ano passado, as captações (depósitos) tinham superado as retiradas em R$ 22,96 bilhões.

Até 2014, os brasileiros depositavam mais do que retiravam da poupança. Naquele ano, as captações líquidas chegaram a R$ 24 bilhões. Com o início da recessão econômica, em 2015, os investidores passaram a retirar dinheiro da caderneta para cobrir dívidas, em um cenário de queda da renda e de aumento de desemprego. jEm 2015, R$ 53,57 bilhões foram sacados da poupança, a maior retirada líquida da história. Em 2016, os saques superaram os depósitos em R$ 40,7 bilhões. A tendência inverteu-se em 2017, quando as captações excederam as retiradas em R$ 17,12 bilhões, e em 2018 – captação líquida de R$ 38,26 bilhões.

Com rendimento de 70% da Taxa Selic (juros básicos da economia), a poupança está se tornando menos atrativa porque os juros básicos estão no menor nível da história. Com a redução da Selic para 5% ao ano, o investimento deixará de render mais do que a inflação. Para 2020, o Boletim Focus, pesquisa com instituições financeiras divulgada toda semana pelo Banco Central, prevê inflação oficial pelo Índice de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA) de 3,6%. Com a atual fórmula de rendimento, a poupança renderá 3,5% no próximo ano, caso a Selic permaneça em 5%.

Fonte e foto: Agência Brasil


Economia
Com.: 0
Por Redação
05/11
19:09

BNDES antecipará pagamento de R$ 30 bilhões à União

Banco atingirá um total de R$ 123 bilhões devolvidos à União este ano

O Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES) vai antecipar o pagamento ao Tesouro Nacional de mais R$ 30 bilhões de empréstimos que recebeu da União. A expectativa é que o pagamento ocorra ainda neste mês de novembro.

Com esse pré-pagamento, o BNDES atinge um total de R$ 123 bilhões devolvidos à União este ano, dentro da meta acordada com o governo para 2019. De acordo com o banco, o serviço contratual antes das liquidações antecipadas era estimado em R$ 26 bilhões mas, com a amortização antecipada, houve redução de cerca de R$ 3 bilhões.

O banco esclareceu também que o valor devolvido ao Tesouro não compromete os desembolsos programados pela instituição para este ano. A liquidação de R$ 30 bilhões foi aprovada pela diretoria do BNDES em 31 de outubro passado e pelo Conselho de Administração ontem (4).

Fonte e foto: Agência Brasil


Economia
Com.: 0
Por Redação
05/11
18:01

Pesquisa do Procon aponta redução do preço do gás de cozinha na capital

Pesquisa analisou 5 estabelecimentos que comercializam o produto em Aracaju

Por meio da Secretaria da Defesa Social e da Cidadania (Semdec), a Prefeitura de Aracaju divulga, nesta terça-feira, 5, mais uma pesquisa comparativa de preços do gás de cozinha. A iniciativa visa a auxiliar os consumidores aracajuanos durante as compras. O levantamento, realizado pelo Programa Municipal de Proteção e Defesa do Consumidor (Procon Aracaju) nesta terça, contemplou 25 estabelecimentos que comercializam o produto na capital sergipana.

De acordo com o coordenador do Procon Aracaju, Igor Lopes, a análise dos dados coletados permite constatar uma variação de preços para o mesmo produto entre os estabelecimentos pesquisados. “Para pagamentos à vista, enquanto o menor valor encontrado foi R$65,00, o maior foi $75,00”. Além disso, Igor Lopes explica que, apesar de o menor valor encontrado neste mês ser superior ao constatado no mês anterior, é possível afirmar que houve redução dos preços do gás de cozinha. “Em geral, o produto sofreu uma redução nos preços, já que, enquanto o maior valor praticado à vista na pesquisa anterior foi de R$ 78,00, na pesquisa atual foi de R$ 75,00”, aponta o coordenador.

A Coordenadora de Educação e Pesquisa, Grazielle Nery, reforça que as variações e preços constatados se referem ao dia em que o levantamento foi realizado. “Diante disso, é preciso considerar que os valores estão sujeitos à alteração, conforme a data da compra, inclusive, por conta de descontos, ofertas e promoções”, afirma Grazielle Nery. Ela também aponta que postos de vendas de uma mesma rede podem praticar preços diferenciados entre si. Além disso, vale ressaltar que os valores apresentados na tabela se referem à retirada do produto no estabelecimento, podendo haver variação caso o consumidor opte pela entrega no domicílio.

Fonte: AAN
Foto: Ascom/Semdec


Economia
Com.: 0
Por Redação
04/11
16:32

Licitação das feiras livres: Emsurb divulga resultado da avaliação técnica

Empresa Locazil Locações e Serviços Ltda foi a que apresentou menor valor em todos os cinco lotes, sendo classificada em primeiro lugar

Na manhã desta segunda-feira, 4, durante a 2ª Sessão Pública, a Comissão Permanente de Licitação (CPL), da Empresa Municipal de Serviços Urbanos (Emsurb), apresentou aos representantes das empresas participantes do processo licitatório nº 02/2019, o resultado da avaliação técnica das propostas. De acordo com o relatório, a empresa Locazil Locações e Serviços Ltda foi a que apresentou menor valor em todos os cinco lotes, sendo classificada em primeiro lugar. 

Na ocasião, a presidente da Comissão, Émille Dantas de Carvalho Cartaxo, informou que das 11 empresas cadastradas na primeira etapa do processo, sete foram desclassificadas por apresentarem erros, como diferença de preços, falhas na composição de encargos sociais e planilhas de custos com informações inconsistentes. Foram elas: Murilo Lima Veloso; Construtora Atalaia e Serviços Ltda; Paulo Roberto Santos; Unir Locações e Serviços Ltda; J.Siqueira Construções e Serviços; Servescon Serviços e Construções e Gilvan Santos da Silva e Cia Ltda. Por não apresentarem divergências nas composições de preços em suas planilhas orçamentárias, as empresas FMS Locações de Tabuleiros Ltda, José Helder Cardozo Fontes e Sergipe Locações Feiras & Eventos, permanecem habilitadas para a segunda fase do certame, ficando classificadas pelas propostas de preços, em segundo, terceiro e quarto lugar, respectivamente. Conforme o edital, as empresas terão cinco dias úteis, contados a partir desta terça-feira, dia 5, para apresentar recursos administrativos. Cinco empresas manifestaram interesse em recorrer.

Licitação

A licitação para Concessão de Serviço Público, pelo prazo de 10 anos, para Organização e Manutenção das Feiras Livres nos Espaços Públicos do Município de Aracaju, é uma iniciativa pioneira da atual gestão municipal. O processo representa a preocupação de oferecer mais segurança e condições sanitárias para os comerciantes e os consumidores, além de ser a continuidade de um trabalho de reorganização dos espaços de comércio ao ar livre, desenvolvido desde 2018 pela Emsurb. A partir deste processo, a empresa ou as empresas vencedoras se tornarão responsáveis pela administração dos recursos arrecadados, com as taxas que serão cobradas aos feirantes, e repassarão 5% deste valor à Emsurb.

Lotes

A licitação envolve 25 feiras da capital, as quais estão divididas em cinco lotes. No lote 1, estão as feiras do Augusto Franco, Orlando Dantas, Santos Dumont, Costa Nova, Médici e Santa Tereza. No lote 2, estão as feiras do Sol Nascente, Castelo Branco, Grageru e Bairro América. O lote 3 é formado pelas feiras do São José, 18 do Forte, Cirurgia, Bugio e Suíssa. No lote 4, estão as feiras do Santo Antônio, São Carlos, D. Pedro I e Coqueiral. E lote 5 é composto pelas feiras do Batistão, D. Pedro I, Jabotiana, Agamenon, Lamarão e Jardim Esperança.

 
 
Fonte: AAN
Foto: Felipe Goettenauer 


Economia
Com.: 0
Por Redação
Primeira « Anterior « 1 2 3 4 5 6 7 8 9 10 11 » Próxima » Última

Enquete


Categorias

Arquivos