28/10
16:29

Ministro diz que taxa adicional de embarque internacional será eliminada

Medida visa incentivar o setor de aviação civil 

O ministro da Infraestrutura, Tarcísio de Freitas, disse hoje (28) que o governo vai deixar de cobrar a taxa adicional na tarifa de embarque internacional. Segundo o ministro, a medida faz parte de uma série de ações que o governo vai tomar para diminuir regulamentações no setor, visando incentivar o setor de aviação civil e a entrada de novas empresas aéreas no país. “Vou antecipar uma das medidas: é a eliminação da taxa adicional de US$ 18 para voos internacionais”, disse o ministro após participar do Fórum de Líderes da Associação Latino-Americana de Transporte Aéreo (Alta).

Criada em 1999, é taxa é paga pelos passageiros que viajam para fora do país e feita junto com a tarifa de embarque e é uma das fontes de receita do Fundo Nacional de Aviação Civil (FNAC), que financia melhorias na infraestrutura aeroportuária. O fim da cobrança da taxa extra de embarque deve ser incluído em uma medida provisória que agrega ações para o fomento do turismo no país.

De acordo com o ministro, a intenção do governo é aumentar a quantidade de passageiros e também de cidades com voos no país. Atualmente 140 milhões de passageiros são transportados por ano no país, em voos para 140 localidades."Nossa ideia é chegar a 200 milhões de passageiros em 200 localidades em 2025, com os investimentos que estão sendo gestados até agora", disse Freitas. Ele afirmou acreditar que com o fim da taxa adicional, as empresas de baixo custo, que já atuam em voos internacionais no país, vão passar a ter interesse no mercado doméstico "Temos várias empresas que estão em tratativas com conosco. Essas empresas começam a operar as rotas internacionais e na sequência elas devem ingressar no mercado nacional fazendo voos domésticos", disse.

Fonte: Agência Brasil
Foto: Tomaz Silva


Economia
Com.: 0
Por Redação
28/10
16:05

Mercado financeiro eleva estimativa de inflação este ano para 3,29%

Informação é do boletim Focus, do Banco Central

Após onze semanas em queda, as instituições financeiras consultadas pelo Banco Central (BC) aumentaram a estimativa para a inflação este ano. A projeção para o Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA – a inflação oficial do país) subiu de 3,26% para 3,29%. A informação consta do boletim Focus, publicado `{as segundas-feiras pelo Banco Central (BC), com projeções de instituições para os principais indicadores econômicos.

Para 2020, a estimativa de inflação caiu de 3,66% para 3,60%, na quinta redução seguida. A previsão para os anos seguintes não teve alterações: 3,75% em 2021, e 3,50% em 2022. As projeções para 2019 e 2020 estão abaixo do centro da meta de inflação que deve ser perseguida pelo BC. A meta de inflação, definida pelo Conselho Monetário Nacional, é 4,25% em 2019, 4% em 2020, 3,75% em 2021 e 3,50% em 2022, com intervalo de tolerância de 1,5 ponto percentual para cima ou para baixo. O principal instrumento usado pelo BC para controlar a inflação é a taxa básica de juros, a Selic, atualmente em 5,5% ao ano. De acordo com as instituições financeiras, a Selic deve cair para 4,5% ao ano até o fim de 2019. Para 2020, a expectativa é que a taxa básica permaneça nesse mesmo patamar. Para 2010 e 2022, as instituições financeiras estimam que a Selic termine o período em 6,38% ao ano e 6,5% ao ano, respectivamente.

Crédito mais barato

Quando o Comitê de Política Monetária (Copom) do BC reduz a Selic, como prevê o mercado financeiro este ano, a tendência é que o crédito fique mais barato, com incentivo à produção e ao consumo, reduzindo o controle da inflação e estimulando a atividade econômica. Já quando o Copom aumenta a taxa básica de juros, o objetivo é conter a demanda aquecida, e isso causa reflexos nos preços porque os juros mais altos encarecem o crédito e estimulam a poupança. E a manutenção da Selic indica que o Copom considera as alterações anteriores suficientes para chegar à meta de inflação.

Atividade econômica

A projeção para a expansão do Produto Interno Bruto (PIB) – a soma de todos os bens e serviços produzidos no país – subiu de 0,88% para 0,91%. As estimativas para os anos seguintes não foram alteradas: 2% em 2020; e 2,50% em 2021 e 2022. A previsão do mercado financeiro para a cotação do dólar também permanece em R$ 4 para o fim deste ano e para 2020.

Fonte: Agência Brasil
Foto: Marcello Casal Jr.


Economia
Com.: 0
Por Redação
25/10
18:19

Aneel anuncia bandeira tarifária vermelha para novembro

Acréscimo na conta será de R$ 4 para cada 100 kWh consumidos

A Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel) informou, hoje (25), que a bandeira tarifária para o mês de novembro será a vermelha, no patamar 1, quando há um acréscimo de R$ 4 para cada 100 quilowatts-hora consumidos. Em outubro, a bandeira foi a amarela, cujo acréscimo na conta é de R$ 1. De acordo com a agência, a decisão de elevar o patamar da bandeira se deve ao fato de que, apesar de novembro ser o mês de início do período chuvoso nas principais bacias hidrográficas do país, o regime de chuvas está abaixo da média histórica.

"O regime de chuvas regulares nessas regiões tem se revelado significativamente abaixo do padrão histórico. A previsão hidrológica para o mês também aponta vazões afluentes aos principais reservatórios abaixo da média, o que repercute diretamente na capacidade de produção das hidrelétricas, elevando os custos relacionados ao risco hidrológico (GSF)", explicou a Aneel.

A agência disse ainda que nesse cenário aumenta a demanda de acionamento de usinas termelétricas, cujo custo de produção é mais alto, o que incide sobre da energia.

Fonte: Agência Brasil
Foto: Divulgação/Internet


Economia
Com.: 0
Por Redação
22/10
19:43

Dólar tem maior queda em quase dois meses e bolsa bate recorde

Reforma da Previdência e cenário externo contribuíram para desempenho

No dia em que o Senado votou a reforma da Previdência em segundo turno, o dólar teve a maior queda em quase dois meses, e a bolsa de valores voltou a bater recorde. O dólar comercial fechou esta terça-feira (22) vendido a R$ 4,076. Esse foi o maior recuo para um dia desde 4 de setembro, quando a divisa tinha caído 1,79%.

No mercado de ações, o dia foi de euforia. Depois de bater recorde ontem (21), o índice Ibovespa, da B3 (antiga Bolsa de Valores de São Paulo), encerrou o dia aos 107.381 pontos, com alta de 1,28%. A bolsa operou em alta; e o dólar, em queda, durante toda a sessão. No entanto, depois da aprovação da reforma da Previdência em segundo turno na Comissão de Constituição e Justiça do Senado, no fim da manhã, os investidores aumentaram o otimismo.

No cenário externo, a sessão foi marcada pelo alívio nas tensões comerciais entre Estados Unidos e China. O vice-ministro das Relações Exteriores do país asiático disse hoje que as negociações com o governo do presidente Donald Trump estão avançando.

Fonte: Agência Brasil/*Com informações da NHK, emissora pública de televisão do Japão
Foto: Marcello Casal Jr.


Economia
Com.: 0
Por Redação
22/10
16:30

Gás natural terá redução de preço a partir de 1º de novembro

Haverá uma redução das tarifas praticadas pela Sergás nos diversos segmentos de mercado

A Sergipe Gás S/A (Sergás) informou a redução das tarifas do gás natural praticadas pela empresa nos diversos segmentos de mercado, a partir do dia 1° de novembro.  A redução obedece à política de preços da Petrobras, que prevê reajustes trimestrais a partir das variações do dólar e do preço internacional do petróleo.

No segmento do gás natural veicular, a redução será de 2,29%, a tarifa passará de R$1,8653 para R$1,8226, proporcionando uma redução de quatro centavos no preço da molécula praticado pela Sergas. Já no seguimento residencial, a redução será de 1,29%, saindo dos atuais R$3,3203 para R$3,2776 proporcionando uma economia de quatro centavos. Para o seguimento industrial, a redução será de 2,26%, e o segmento comercial terá percentual redutor de 1,75%. A cogeração também terá uma redução de 2,55%, assim como o GNC – gás natural comprimido, que terá uma redução na sua tarifa de 2,61%, saindo dos atuais R$1,6350 para R$1,5923.

O diretor presidente da Sergás, Valmor Barbosa, explica que os preços praticados no mercado do gás natural são definidos pela Petrobras e estão submetidos às variações de preço no mercado internacional a cada trimestre. “A variação de preços no mercado internacional e a cotação do dólar em reais, no trimestre anterior, definem os percentuais de reajuste do preço do gás entregue pela Petrobras à Sergas”. Ele lembra, ainda, que esta redução no preço da molécula do gás, aliada a redução da carga tributária do Imposto Sobre Circulação de Mercadorias e Serviços (ICMS) no gás natural, para as indústrias instaladas em Sergipe, enquadradas no Programa Sergipano de Desenvolvimento Industrial (PSDI), realizada pelo Governo do Estado, “poderá ajudar a aumentar a competitividade dessa matriz energética em relação aos demais combustíveis”.

Fonte: ASN
Foto: Divulgação


Economia
Com.: 0
Por Redação
18/10
17:59

Petrobras anuncia testes de produção em águas profundas em Sergipe para novembro

Objetivo da Petrobras é concluir a exploração de várias descobertas de petróleo e gás natural na Bacia de Sergipe

Os testes de longa duração nas bacias de águas profundas no estado de Sergipe devem iniciar no mês de novembro. O anúncio foi feito na tarde da última quinta-feira (17), quando a Agência Nacional do Petróleo, Gás Natural e Biocombustíveis (ANP) autorizou o novo cronograma para os testes de produção. Segundo a Agência, o projeto precisou ser postergado por um ano para manutenção na Unidade flutuante de produção, armazenamento e transferência (em inglês FPSO - Floating Production Storage and Offloading), na cidade de São Vicente.

O objetivo da Petrobras é concluir a exploração de várias descobertas de petróleo e gás natural na Bacia de Sergipe, mas a etapa vital para decidir os próximos passos é um teste de longa duração (TLD), através de um sistema simplificado de produção feito para obter mais informações sobre os reservatórios. O secretário de Estado do Desenvolvimento Econômico, da Ciência e Tecnologia, José Augusto Carvalho, explica que os testes de longa duração são fundamentais para que a Petrobras, tenha mais detalhes dos reservatórios encontrados em Sergipe. “A expectativa é a melhor possível. Confirmando todo esse potencial que acreditamos ter nas nossas bacias, Sergipe terá ainda mais instrumentos para atrair investimentos para o estado”, observa o secretário.

Potencial em óleo e gás

Há cerca de seis anos, a Petrobras fez descobertas gigantes de petróleo e gás natural no offshore de Sergipe, com grande potencial de produção de gás. Nos últimos meses, o olhar do mercado se voltou para o estado, visto que novos poços foram recentemente arrematados, não só pela Petrobras, como também pela ExxonMobil. José Augusto Carvalho, reforça que Sergipe está vivenciando um marco no desenvolvimento econômico. “O gás é um vetor importante para o estado de Sergipe e a secretaria não pode deixar de receber com entusiasmo a notícia de início dos testes. O progresso do futuro de Sergipe passa pelo gás e pelo petróleo. Não só como energia, mas como matéria prima para fertilizantes, etc. Isso mostra quanto estamos empenhados a escrever um novo desenvolvimento econômico para o nosso estado”, finaliza.

Fonte: ASN
Foto: Divulgação


Economia
Com.: 0
Por Redação
18/10
14:24

Sergipe registra aumento de empregos formais

Os setores da indústria e da agropecuária foram os que obtiveram maiores registros

A criação de empregos com carteira assinada no país atingiu, em setembro, o maior nível para o mês em seis anos. Os dados foram divulgados nesta quinta-feira, 17, pelo Cadastro Geral de Empregados e Desempregados (Caged), do Ministério do Trabalho. Sergipe segue a alta do país, e registra um saldo positivo de 3.477 empregos gerados.

Diferentemente da média geral do país, onde o maior crescimento foi registrado no setor de serviços, em Sergipe, o setor que mais registrou empregos em setembro foi a agropecuária, registrando um saldo de 1.535 empregos, seguido da indústria de transformação, que obteve um saldo de 1.198 postos.  

O setor de serviços teve aumento de 363 postos de trabalho e o comércio empregou 286 novos trabalhadores. Entre os municípios, o que registrou maior saldo de empregos foi Capela, com 1.439 carteiras assinadas

Fonte e foto: ASN


Economia
Com.: 0
Por Redação
15/10
16:13

Correspondentes bancários são fiscalizados pelo Procon em Aracaju

Motivação da iniciativa foi a preocupante situação dos endividados no país

Nesta terça-feira, 15, a Prefeitura de Aracaju, por meio da Secretaria Municipal da Defesa Social e da Cidadania (Semdec), deu início a uma fiscalização especial nos estabelecimentos que ofertam serviços de correspondentes bancários. A ação, realizada na capital pelo Programa Municipal de Proteção e Defesa do Consumidor (Procon Aracaju), é uma iniciativa da Associação Brasileira de Procons (Procons Brasil) e também foi desenvolvida em outros municípios do país.

De acordo com o coordenador do Procon Aracaju, Igor Lopes, a motivação da iniciativa é a preocupante situação dos endividados no país. "A fiscalização foi motivada pelo grande contingente de pessoas superendividadas no país e pelo grande número de denúncias que apontam irregularidades na contratação de crédito, sobretudo quando o consumidor é idoso, considerado, então, hipervulnerável", explica Igor Lopes.

O coordenador explica, ainda, que durante a ação foi verificado se esses estabelecimentos estão de acordo com a Legislação Consumerista e com as Resoluções do Banco Central do Brasil. Dessa forma, foi averiguado a presença do alvará de funcionamento e da autorização do funcionamento pelo Banco Central, além da necessidade do respeito ao direito básico à informação, garantido pelo Art 6º do Código de Defesa do Consumidor.

Fonte: AAN
Foto: Ascom/Semdec


Economia
Com.: 0
Por Redação
Primeira « Anterior « 3 4 5 6 7 8 9 10 11 12 13 » Próxima » Última

Enquete


Categorias

Arquivos