12/06
17:57

Produtos típicos de festas juninas sobem 9,15%, diz FGV

Valor supera a inflação acumulada no período

Os preços dos produtos utilizados no preparo dos pratos típicos de festas juninas mostraram alta de 9,15% nos 12 meses compreendidos entre junho de 2018 e maio deste ano, superando a inflação acumulada no período pelo Índice de Preços ao Consumidor-10 (IPC-10), da Fundação Getulio Vargas (FGV), que ficou em 5,06%.

Entre os produtos procurados pelos consumidores, destaque para a batata-inglesa, que subiu 98,13%, couve (24,43%), farinha de trigo (21,75%), leite de coco (17,80%). O economista do Instituto Brasileiro de Economia da FGV (Ibre-FGV) e coordenador do IPC, André Braz, analisou que produtos como a batata-inglesa apresentam essas "taxas extremas" em alguns momentos do ano.

Essas taxas dependem de condições de safra que, nos últimos meses, não foram muito favoráveis, o que acabou possibilitando essa variação em 12 meses. "Não quer dizer que seja uma situação permanente porque, como são lavouras curtas, a oferta se restabelece rapidamente e os preços tendem a devolver toda essa gordura, todo esse aumento acumulado nos últimos meses. O ponto principal é que esses aumentos não são duradouros", afirmou.

Para mais detalhes, clique aqui.

Fonte: Agência Brasil
Foto: Marcello Casal jr/Agência Brasil


Economia
Com.: 0
Por Redação
12/06
15:36

Arrecadação do ICMS em Sergipe foi de R$ 280,2 milhões em abril

No comparativo com a quantia arrecadada em março deste ano, verificou-se aumento real de 4,5%

Análise realizada pelo Boletim Sergipe Econômico, parceria do Núcleo de Informações Econômicas (NIE) da Federação das Indústrias do Estado de Sergipe (FIES) e do Departamento de Economia da UFS, com base nos dados do Conselho Nacional de Política Fazendária (Confaz), apontou que a arrecadação do Imposto sobre Circulação de Mercadorias e Prestação de Serviços (ICMS), em Sergipe, ficou em R$ 280,2 milhões, em abril deste ano.

Em termos relativos, verificou-se retração real de 3% na arrecadação do imposto, quando comparado à arrecadação de abril de 2018, considerando o efeito da inflação, medida pelo IPCA. Por outro lado, no comparativo com a quantia arrecadada em março deste ano, verificou-se aumento real de 4,5%.

Outros tributos recolhidos em abril/2019

A arrecadação do Imposto sobre a Propriedade de Veículos Automotores (IPVA), no mês analisado, totalizou mais de R$ 14,8 milhões. Em termos relativos, houve acréscimo de 1,8% sobre abril do ano passado. Em relação ao mês imediatamente anterior, março último, observou-se retração de 22%.

O recolhimento do Imposto sobre Transmissão Causa Mortis e Doação (ITCD) ficou em R$ 5,9 milhões, enquanto que as taxas pagas em função da contraprestação de algum serviço público recolheram mais de R$ 39,8 mil aos cofres do estado, no mês analisado.

Fonte: Unicom/FIES


Economia
Com.: 0
Por Redação
10/06
15:53

Royalties do petróleo e gás para Sergipe foi de R$ 5,8 milhões em maio

Royalties são uma compensação financeira devida à União pelas empresas que produzem petróleo e gás natural no território brasileiro

Análise realizada pelo Boletim Sergipe Econômico, parceria do Núcleo de Informações Econômicas (NIE) da Federação das Indústrias do Estado de Sergipe (FIES) e do Departamento de Economia da UFS, com base nos dados da Agência Nacional do Petróleo, Gás Natural e Biocombustíveis (ANP), mostrou que o pagamento de royalties ao Estado de Sergipe, referentes à extração de petróleo e gás natural do mês de março deste ano, ficou em pouco mais de R$ 5,8 milhões. O valor, segundo a ANP, foi creditado no mês passado.

Os royalties são uma compensação financeira devida à União pelas empresas que produzem petróleo e gás natural no território brasileiro. O pagamento é efetuado à Secretaria do Tesouro Nacional (STN), a qual é responsável por repassar aos Estados e municípios os recursos provenientes dos pagamentos, segundo critérios estabelecidos nas leis nº 9.478/1997 e nº 7.990/1989.

Em termos relativos, o montante recebido pelo estado, no mês analisado, situou- 5,5% abaixo do montante recebido em maio de 2018, cujo repasse havia ficado em torno de R$ 6,1 milhões. No comparativo com o mês imediatamente anterior, o último mês de abril, notou-se que o repasse foi 14,4% maior.

Royalties para os Municípios em Maio/2019

No quinto mês do ano corrente, o pagamento dos royalties aos municípios sergipanos totalizou R$ 17,2 milhões. Entre eles, o município que auferiu a maior fatia foi Japaratuba, com R$ 1,2 milhão, ou 7% do total.

Em seguida, figuraram os municípios de Carmópolis, com recebimento de quase R$ 1,1 milhão ou 6,3%, Divina Pastora e Aracaju com o mesmo percentual, cada um de 5,8%, percebendo valores pouco acima de R$ 1 milhão.

Outros municípios que se destacaram foram: Estância com total de repasses de R$ 875,8 mil (5,1%), Itaporanga D´Ajuda com R$ 859,7 mil (5%) e Siriri que recebeu R$ 836,3 mil (4,9%).

Fonte e elaboração do gráfico: Unicom/Fies
Fonte do gráfico: ANP


Economia
Com.: 0
Por Redação
10/06
15:08

Em maio, cesta básica aracajuana ficou em R$ 408,16

Verificou-se aumento de 0,9% no valor da cesta quando comparado ao último mês de abril

Análise realizada pelo Boletim Sergipe Econômico, parceria do Núcleo de Informações Econômicas (NIE) da Federação das Indústrias do Estado de Sergipe (FIES) e do Departamento de Economia da UFS, com base nos dados da Pesquisa Nacional da Cesta Básica, realizada pelo Departamento Intersindical de Estatística e Estudos Socioeconômicos (DIEESE), apontou que no mês de maio deste ano, o valor da cesta básica aracajuana, ficou em R$ 408,16. O custo registrado foi o quarto menor entre as dezessete capitais pesquisadas.

Em termos relativos, na comparação com o mês imediatamente anterior, abril último, verificou-se aumento de 0,9% no valor da cesta. A elevação também foi verificada na comparação com maio do ano passado, porém maior, de 16,9%.

Com os dados de maio, a variação acumulada no custo da cesta em Aracaju, de janeiro a maio do ano corrente, situou-se 13,7% acima do verificado no mesmo intervalo de 2018.

Comparação com outras capitais

No mês analisado, levando-se em consideração a comparação com o mês anterior (abril/2019), dentre as dezessete capitais que atualmente são pesquisadas, apenas quatro delas registraram aumento no valor da cesta básica, os acréscimos ocorreram em Florianópolis (+ 1,2%), Aracaju (+ 0,9%), Recife (+ 0,2%) e Brasília (+ 0,1%).

Em relação ao mês de maio de 2018, observou-se que nenhuma das capitais analisadas apresentou queda no valor da cesta básica. As maiores altas ocorreram em Recife (+ 24,2%), Brasília (+ 20,4%), Salvador (+ 20%) e Natal (+ 19%). Nessa comparação, Aracaju registrou alta de 16,9%.

O menor valor da cesta básica, no mês de maio do ano corrente, foi observado em Salvador (R$ 392,97). Já os maiores valores foram registrados em São Paulo (R$ 507,07), Porto Alegre (R$ 496,13) e Rio e Janeiro (R$ 492,93).

Comportamento dos preços dos produtos em Aracaju

Dentre os produtos que compõem a cesta aracajuana, o feijão do tipo carioquinha caiu 4,69%. Além disso, a capital apresentou a queda mais expressiva no preço do óleo de soja (lata de 900 ml), de 6,72%, entre as cidades pesquisadas.

Fonte e elaboração do gráfico: Unicom / Fies


Economia
Com.: 0
Por Redação
10/06
14:36

Importações sergipanas destacaram-se na balança comercial no mês de maio

Elas somaram US$ 4,4 milhões, assinalando alta de 23,1% em relação a maio de 2018

Análise realizada pelo Centro Internacional de Negócios – CIN/SE, da Federação das Indústrias do Estado de Sergipe (FIES), com apoio do Núcleo de Informações Econômicas (NIE), com base os dados do Comex Stat, sistema para consultas e extração de dados do comércio exterior brasileiro, disponibilizado pelo Ministério da Economia, apontou que as exportações sergipanas, em maio deste ano, somaram US$ 4,4 milhões, assinalando alta de 23,1% em relação a maio de 2018. No entanto, quando comparado com o mês imediatamente anterior, abril último, verificou-se retração de 5,9% nas vendas externas.

Dentre os 28 produtos sergipanos destinados ao mercado internacional, no mês em análise, destacaram-se o suco (sumo) de laranja, não fermentado com US$ 2,6 milhões em vendas, seguido de outros calçados cobrindo o tornozelo, parte superior de borracha, plástico com US$ 311,1 mil e outras preparações alimentícias que somou US$ 294,3 mil. Esses três produtos compreenderam 73,9% da pauta de exportações do estado.

Em relação a destinação dos produtos, enviamos principalmente para Bélgica (US$ 1,5 milhão), Holanda (pouco mais de US$ 1 milhão) e China (US$ 334,6 mil).

Importações sergipanas em maio/2019

Foram adquiridos 151 produtos, através de importações, que totalizaram US$ 267,2 milhões. O Boletim averiguou que a causa do montante registrado, atípico na série histórica, foram as compras de apenas três produtos. São eles: outros grupos eletrogêneos no valor de US$ 161,6 milhões, caldeiras aquatubulares com produção de vapor com US$ 64,5 milhões e aparelhos para filtrar ou depurar água com US$ 22,1 milhões. Juntos eles representaram 92,9% das compras externas, no mês em análise.

Quanto à origem dos produtos adquiridos, os principais fornecedores foram os Estados Unidos com US$ 166,9 milhões, Suíça com US$ 86,8 milhões e Rússia (US$ 3,8 milhões).

Fonte e elaboração do gráfico: Unicom/Fies
Fonte do gráfico: Comex Stat/Ministério da Economia


Economia
Com.: 0
Por Redação
06/06
21:49

693 mil vão presentear no Dia dos Namorados em Sergipe, informa Dieese

O Departamento Intersindical de Estudo e Estatísticas Sócioeconômicos (Dieese) divulgou neta quinta-feira, 06,  que  em Sergipe trabalha com a  estimativa de que o dia dos namorados movimentará  R$ 88 milhões e que 693 mil pessoas pretendem presentear o parceiro. Segundo Luís Moura, o economista do órgão em Sergipe, os  shoppings despontam como principal destino de compras. Tíquete médio será de R$ 127. 



Economia
Com.: 0
Por Eugênio Nascimento
06/06
16:45

Inflação para famílias com renda mais baixa fica em 0,26% em maio

Segundo a Fundação Getulio Vargas (FGV), a taxa é inferior à observada em abril (0,73%

O Índice de Preços ao Consumidor – Classe 1 (IPC-C1), que registra a variação da cesta de compras de famílias com renda até 2,5 salários mínimos, teve inflação de 0,26% em maio deste ano. Segundo a Fundação Getulio Vargas (FGV), a taxa é inferior à observada em abril (0,73%). O IPC-C1 acumula taxas de inflação de 2,79% no ano e de 5,5% em 12 meses, de acordo com a FGV.

As taxas registradas pelo IPC-C1 ficaram acima das observadas no Índice de Preços ao Consumidor – Brasil (IPC-BR), que mede a inflação para todas as faixas de renda, e que ficou em 0,22% em maio e em 4,99% em 12 meses.

De abril para maio, sete das oito classes de despesa componentes do índice registraram queda em suas taxas de variação: alimentação (de 0,76% em abril para 0,26% em maio), transportes (de 1,67% para 0,28%), saúde e cuidados pessoais (de 1,08% para 0,75%), vestuário (de 0,71% para 0,13%), educação, leitura e recreação (de 0,35% para 0,03%), despesas diversas (de 0,24% para 0,08%) e comunicação (de 0,02% para 0,12%). Por outro lado, o grupo habitação foi o único a apresentar aumento da taxa de inflação na passagem de abril (0,31%) para maio (0,79%).

Fonte: Agência Brasil
Foto: José Cruz/Agência Brasil


Economia
Com.: 0
Por Redação
06/06
16:38

Retorno do Centro de Distribuição do G Barbosa para Sergipe é garantido pelo Governo do Estado

O retorno do centro de distribuição foi graças à assinatura de Termo de Acordo de adoção de Regime Especial de Tributação do ICMS, do Estado com a Empresa Cencosud, que administra o Grupo Barbosa

O governador Belivaldo Chagas assinou, nesta quinta-feira(06), na Secretária de Estado da Fazenda (Sefaz), Termo de Acordo de adoção de Regime Especial de Tributação do ICMS, com a Empresa Cencosud, que administra o Grupo G Barbosa. O termo possibilita o retorno, após alguns anos, do Centro de Distribuição do G. Barbosa para Sergipe.

Participaram da reunião o presidente do Grupo Cencosud, Sebastian Los; o novo secretário da Fazenda, Marco Antonio Queiroz; o secretário de Comunicação, Sales Neto; a superintendente Executiva da Sefaz, Ana Cristina Prado; e a superintendente de Gestão Tributária e Não Tributária da Sefaz, Silvana Maria Lisboa Lima.

O Termo de Adoção de Regime Especial de Tributação do Imposto sobre Circulação de Mercadorias e Serviços (ICMS) no âmbito do Estado de Sergipe, está em conformidade à Portaria Sefaz n° 447/214. Por meio do Termo de Acordo, o governo do Estado formaliza a ampliação da parceria com a empresa no desenvolvimento econômico estadual, oferecendo condições para expansão de suas atividades em Sergipe, o que proporciona a intensificação das operações de venda de mercadorias ao comércio interno e interestadual. O termo possibilita a retomada das atividades anteriormente deslocadas para unidades da empresa em outros Estados, ampliação da operacionalização do Centro de Distribuição em Sergipe e a geração de novas parcerias com empresas fornecedoras de equipamentos e prestadoras de serviços, como transportadoras.

Fonte: ASN
Foto: Marco Vieira/ASN


Economia
Com.: 0
Por Redação
1 2 3 4 5 6 » Próxima » Última

Enquete


Categorias

Arquivos