29/07
16:07

Em enquete, maioria prefere a saída de Déda para disputar o Senado

Em 2014, o governador Marcelo Déda deve sair do cargo para disputar o Senado. Pelo menos, está foi a resposta vencedora da enquete no Blog Primeira Mão.
 
Com 72,42%, 1775 votantes selecionaram a opção para o governador sair do cargo para disputar o Senado. 
 
Por sua vez, 676 votantes, ou seja, 27,58% dos participantes, escolheram a opção relacionada ao governador ficar até o último dia do mandato. 
 
 
A enquete do Blog Primeira Mão foi votada por 2451 internautas.


Colunas
Com.: 0
Por Kleber Santos
24/07
12:11

Coluna Primeira Mão

JB quer PMA e governo atendendo a periferia

O vice-governador Jackson Barreto (PMDB)  tem feito rasgados elogios à administração do prefeito Edvaldo Nogueira, em Aracaju, mas defende intensificação das ações da PMA e Governo do Estado na periferia da cidade. Segundo ele, é preciso “Voltar as ações de forma bem direcionada para a periferia. Precisamos de ações do Governo do Estado e da Prefeitura juntos. De forma específica, falo mais da Prefeitura que tem maior responsabilidade, mas como é um projeto político em que o governador e o prefeito são aliados, é necessário que juntem forças para resolver alguns problemas da periferia de Aracaju que estão criando dificuldades para o nosso povo. Diria que temos problemas na zona norte, em quase todos os bairros. A maioria, pequenos problemas e pequenas intervenções darão grandes soluções às angústias da nossa população. Gostaria de ver a Prefeitura pegar o mapa de Aracaju, ir do Porto Dantas, no Coqueiral, que é o extremo da zona norte, e seguir pelo Manoel Preto, Alto da Jaqueira, Getimana, Lamarão, Soledade, Santos Dumont, 18 do Forte. É preciso uma ação de presença permanente do poder público porque a população está acostumada a ter seus problemas solucionados. Nossa população está consciente de que se foi resolvido o problema do bairro São Carlos, tem que ser resolvido o do loteamento Planalto, que fica vizinho; se foi resolvido o problema do Jardim Centenário, quem está morando no loteamento Liberdade quer ter também seu problema resolvido. Seja canal, drenagem, pavimentação, porque isso já faz parte do consciente coletivo da nossa população. Por isso que Aracaju é a cidade da qualidade de vida. Não se cuidou apenas da zona sul, da região dos ricos, ou do centro; cuidou-se, acima de tudo, e investiu-se mais nos últimos anos na periferia, e é preciso continuar investindo nela.

 

Déda e Eliana vão ao lançamento do Brasil Sem Miséria em AL

O governador Marcelo Déda e a primeira dama Eliane Aquino, secretária de Estado da Inclusão Social, participam nesta segunda-feira da solenidade de lançamento do Programa Brasil Sem Miséria, ao lado da presidente Dilma Rousseff, em Arapiraca (AL). Sergipe é um dos Estados onde a aplicação do Censo de 2010, do IBGE, vem sendo aplicado no combate à miséria. Os municípios aonde há mais gente em condições de extrema pobreza são Poço Verde e Riachão do Dantas, no Centro Sul, e Santa Luzia do Itanhy e Indiaroba, no Sul. No Baixo São Francisco, a concentração acontece em Brejo Grande, Ilha das Flores, Pacatuba e Pirambu. Além deles estão aqueles do sertão

 

Prefeitura  criará a Casa da Cultura de Aracaju

Para viabilizar uma série de obras em Aracaju, entre as quais a melhoria da infraestrutura de alguns bairros da zona norte; a construção de escolas, creches e Centros de Referência da Assistência Social; a transformação do prédio da antiga Alfândega na primeira Casa da Cultura de Aracaju; e ainda a criação de um novo eixo viário ligando a zona de expansão à zona sul e ao Centro da capital sergipana, passando pela ponte sobre o rio Poxim, o prefeito Edvaldo Nogueira assinou convênio com o BID para receber empréstimo no valor de U4 30,25 milhões, algo em torno de R$ 50milhões.

 

AAU seleciona atletas para jogos universitários

A Associação Atlética Universitária informa que será realizada nos dias 29 e  30 de julho as peneiras das equipes universitárias de futebol e futsal (masculino e feminino) da Universidade Federal de Sergipe, com o objetivo de formar novas equipes para representar a instituição nos Jogos Universitários Brasileiros, que serão disputados nos meses de outubro e novembro no Estado de São Paulo Os interessados na modalidade futebol de campo devem comparecer no Centro de Treinamento do Fair Play, no Povoado Robalo, nos dias 29 a partir das 15h, e 30 a partir das 10h. Informamos que podem ser convocados até 06 atletas de outra instituição de ensino superior e 07 atletas acima de 24 anos.  Já aqueles que desejam optar pela  modalidade futsal devem comparecer na quadra do Colégio de Aplicação da UFS, sendo no dia 30, a partir das 13h, para o naipe feminino, e 15h para o naipe masculino. Poderão ser convocados até 06 atletas acima de 24 anos.

 

Almeida é o mais rico de SE no Congresso

O deputado federal José Almeida Lima (PMDB), conforme levantamento da ONG Congresso em Foco, é o mais rico representante sergipano no Congresso Nacional. Ele tem R$ 2.089,580,00 e é seguido pelo senador Antônio Carlos Valadares (PSB), com R$ 578 mil, Rogério Carvalho (PT) R$ 500 mil, Márcio Macedo (PT) R$ 428 mil, Laércio Oliveira (PR) R$ 340 mil,  Heleno Silva (PRB) R$ 285 mil, André Moura (PSC) R$ 225 mil, Eduardo Amorim (PSC) R$ 210 mil, Valadares Filho (PSB) R$ 204 mil e Mendonça Prado (DEM) 0,00. Os dados da senadora Maria do Carmo (DEM) não foram divulgados. Os dados foram feitos com base em declarações ao Tribunal Superior Eleitoral (TSE).

 

Mendonça quer fundo para a Segurança

A revista Época desta semana publica nota anunciando que o deputado federal Mendonça Prado (DEM-SE), presidente da Comissão de Segurança Pública do Congresso Nacional, quer aprovar emenda constitucional  destinando 5% da arrecadação do Imposto sobre Produtos Industrializados (IPI) e do Imposto de Renda (IR) para  criar um fundo de R$ 40 bilhões para pagar salários melhores para os policiais e bombeiros estaduais. “A medida pode não fazer sentido tributário, mas mostra a popularidade da ideia  de reforçar a segurança”, diz a revista.

 

Trânsito em Aracaju: 20 mortes em oito dias

Georlize Teles, delegada de Delitos do Trânsito de Aracaju, revelou que há um crescimento preocupante na violência  no trânsito na capital. Ela disse que em apenas oito dias aconteceram 20 mortes. “A sociedade não está percebendo que estamos perdendo jovens produtivos, que poderiam estudar e trabalhar, mas não fazem isso porque estão vegetando numa cama, inválidos ou mutilados, em razão de acidentes de trânsito”, disse Georlize. Ela acrescentou: “carro é para ser usado como utensílio doméstico, mas tem gente usando como instrumento de exibição de poder, força”.



Colunas
Com.: 0
Por Eugênio Nascimento
21/07
20:27

Governo do Estado quatro inaugura quatro obras em Tobias Barreto

 
Infraestrutura, esporte, inclusão social e saúde. Esses quatro pilares da sociedade foram representados nas inaugurações realizadas pelo governador Marcelo Déda nesta quinta-feira, 21, no município de Tobias Barreto. As obras em questão dizem respeito à pavimentação da rodovia Antônio Nery do Nascimento (SE-492), à inauguração da Quadra de Esportes do Colégio Estadual Maria Rosa de Oliveira, do Centro Regionalizado de Referência de Atendimento à Mulher em Situação de Violência ‘Emereciana Maria de Menezes’ e da Clínica de Saúde da Família (CSF) ‘Doutora Zilda Arns’.

Totalizando um montante de quase R$ 11 milhões - divididos entre investimentos estatais e federais - as quatro obras representam antigos anseios da população de Tobias Barreto, e demonstram o trabalho do Governo do Estado em benefício do Centro-Sul sergipano. Em apenas um dia, o município - localizado a 137 km da capital - passou a dispor de uma nova rota para o escoamento da produção, uma área coberta de lazer para os estudantes, uma estrutura especializada para o fortalecimento da cidadania da mulher, e um moderno e equipado centro de assistência à saúde.

O governador Marcelo Déda não escondeu a satisfação em poder entregar grandes obras ao município. “É com muita alegria que retorno a esta terra tão boa a quem devo tanto. E mais uma vez volto para inaugurar empreendimentos que o Governo do Estado realizou neste município. Me encontro mais uma vez com o povo de Tobias Barreto para inaugurar uma rodovia que era um antigo sonho, além de uma quadra de esportes coberta, uma Clínica e um Centro de Referência, ou seja, quatro empreendimentos de extrema importância para o município. Eu gosto de vir aqui com algo em mãos para entregar. Do mesmo jeito que soube vir pedir o apoio do povo de Tobias Barreto, estou sabendo vir agradecer entregando obras”, enfatizou.

Para o prefeito de Tobias Barreto, Dilson de Agripino, essas obras que estão sendo inauguradas representam cerca de R$ 10 milhões investidos no município. “São obras importantes para o nosso povo, todas aguardadas há muito tempo pela comunidade. Foram compromissos do governador assumidos em sua primeira campanha e que agora estão sendo cumpridos”, disse o prefeito. (Da assessoria)



Colunas
Com.: 0
Por Eugênio Nascimento
19/07
12:44

Adeus, craque das letras!


Crédito da foto: Jorge Henrique



Poderia escrever neste espaço sobre a derrota da seleção brasileira contra o Paraguai, mas prefiro me ater a outra perda: a do nosso amigo Cleomar Brandi, jornalista que tive o privilégio de conviver na redação do JORNAL DA CIDADE e fora de lá, em alguns momentos.

Dos mais de sete anos de JC, lembro-me bem da primeira semana de trabalho. Fui apresentado aos meus colegas, entre eles, Cleomar, que não conhecia pessoalmente, mas o nome dele já tinha feito eco na época da universidade.

Recém-escalado, quis entrosar-me no time entregando para alguns colegas a última edição de um jornal alternativo que editava, desde a época da faculdade, e que se encerraria por conta da admissão no JC. Para minha surpresa, uma semana depois, Cleomar encostou-se em mim e comentou: “Olha, li o jornal todo. Gostei bastante. Depois dei para minha mãe ler. Ela leu todo e gostou também. E olhe que ela é criteriosa para elogiar porque é acostumada a ler Fernando Pessoa e outros escritores. Parabéns!”.

O comentário exagerado de Brandi foi para mim como tivesse marcado um gol da vitória do meu time, aos 45 minutos do segundo tempo. Foi estimulante. Quando o encontrava na redação sempre vinha o “replay” do lance na minha cabeça. “E não é que o cara leu mesmo o meu jornal?”, pensava cá com os meus botões.

A atitude dele demonstrou consideração e doçura por um colega de profissão. Certamente, foi o único da redação que leu o meu jornalzinho de oito páginas, formato revista. E, sinceramente, sei que a minha publicação alternativa tinha erros comuns de um aprendiz na arte das letras. Só que Cleomar enxergava a vida de uma maneira otimista.

Boas conversas
Lembro-me que, às segundas-feiras, durante a confecção de uma pauta, Cleomar puxava conversa. Dois temas eram sempre corriqueiros: a rodada do futebol e suas aventuras do fim-de-semana. Não necessariamente nesta ordem. Foi assim que passei admirá-lo a cada dia.

O carinho e respeito aumentaram mais quando passei a conhecer um pouco da história de Brandi, através do meu amigo, Eugênio Nascimento, editor de política do JC. Não tinha dúvida: Cleomar é um milagre!

Com o passar do tempo, fui deslocado para outro setor do campo: a editoria de esportes. Lá, o contado diminuiu pelo fato de trabalhar à tarde, e Cleomar no turno matutino e no caderno de Cidades. Mesmo assim, conseguimos fazer algumas tabelas no meio-de-campo. De quando em quando, nos encontrávamos na redação e vinha ele na cadeira de rodas: “Ô, Klebinho, tenho uma pauta para você. Acho que rende uma matéria”, dizia. Não era sua função pensar em pautas para o esporte, mas nunca se furtou em ajudar. Afinal, pensava na equipe. Quando não era com pautas, a ajuda vinha em forma de artigos especiais, como o da despedida de Larissa Barata da ginástica. “Asa Quebra” foi o título do belíssimo texto, o qual tive o cuidado de guardar até hoje.

Contudo, como todo craque de raciocínio rápido, “Leonam” – era assim que era conhecido na época de peladeiro – tinha um zagueiro que o perseguia há muito tempo: o câncer. Sempre quando estava encurralado, prestes a perder a bola, ele tirava da cartola uma jogada fenomenal e deixava o adversário no chão. “Olé”, poderia gritar a torcida. “Como conseguiu sair desse lance?”, ficava o questionamento. Cada ano de vida, simbolizava um título conquistado.

Nesse domingo, o craque das letras não foi vencido pelo zagueiro, apenas o juiz apitou o final dos 90 minutos da sua vida. Pendurou as chuteiras, deixou o gramado e foi aplaudido de pé.


***

No último texto que escreveu, Cleomar Brandi recordou alguns momentos vividos no esporte. Os que se destacaram foram ver o “Bahêêêa” ganhar para o escrete do Santos e Waldemar Santana encher Hélio Gracie de porrada. Além de jogar bola, contou que foi recordista de natação e nadou nas águas mornas de Arembepe.

PS: Texto publicado no JORNAL DA CIDADE desta terça-feira.


 


Colunas
Com.: 0
Por Kleber Santos
18/07
12:59

Clóvis Barbosa escreve: Assim caminha a humanidade

 

Clóvis Barbosa (*)

 

No ano passado foi lançado em Paris um livro que causou a maior polêmica. Tratava-se de uma obra de Michel Onfray, doutor em filosofia, defensor do hedonismo, do ateísmo e da anarquia, autor de mais de 40 livros publicados. A obra, “Le Crépuscule d’une Ídolo – L’affabulation Freudienne” é tida como um morteiro de alto calibre direcionado à vida e obra freudiana. Após passar o sarrafo na psicanálise, acusando-a de ser uma ciência nazista e fascista, entra na vida pessoal de Freud, acusando-o de se apropriar de textos de Schopenhauer e Nietzsche, de ser um burguês inveterado pela celebridade e até de manter uma relação adúltera com uma cunhada que vivia em sua casa. Por fim, taxa-o de falocrata, misógino e homofóbico. A reação ao escrito de Onfray, segundo matéria publicada na Folha de São Paulo, edição de 25 de abril de 2010, Caderno Mais, vieram de dois intelectuais: Elisabeth Roudinesco, psicanalista, nascida em 1944, professora de História da Universidade de Paris, autora de “Em defesa da Psicanálise” e a “A Parte Obscura de Nós Mesmos”; e John Forrester, Chefe do Departamento de História e Filosofia da Ciência na Universidade de Cambridge, no Reino Unido, autor de “Seduções da Psicanálise”. Roudinesco, inclusive desafiou Onfray para um debate e ele não aceitou. Interessante, tanto o nazismo como o fascismo não morriam de amores pela psicanálise. E sabem de uma coisa: não estou nem aí para o que dizem de Freud. O que interessa é o legado que ele deixou para a humanidade, como, por exemplo, quando ele enfoca a questão do desenvolvimento humano.        

 

A propósito, a civilidade pressupõe três elementos essenciais para sua desenvoltura: beleza, limpeza e ordem. Isto é de Sigmund Freud (1856-1939), o pai da psicanálise. Não só isso, mas o homem que reinventou tudo o que se sabia até então sobre a alma humana. Tudo o que é “civilizado” é limpo e, portanto, ordenado. Zigmunt Bauman, sociólogo polonês, professor da Universidade de Varsóvia, na sua obra “O mal-estar da pós-modernidade”, afirma que o estado de “limpo” ou “sujo” relaciona-se ao estado de “ordenado” ou “desordenado”. A limpeza em sua concepção é o estado de ordenamento das coisas. O que está no lugar certo está limpo e não está “sujando” outras coisas. Ele diz: “O oposto da ‘pureza’, o sujo, o imundo, os ‘agentes poluidores’ – são coisas ‘fora do lugar’. Não são as características intrínsecas das coisas que as transformam em ‘sujas’, mas tão-somente sua localização e, mais precisamente, sua localização na ordem das coisas idealizada pelos que procuram a pureza. As coisas que são ‘sujas’ num contexto podem tornar-se puras exatamente por serem colocadas num outro lugar – e vice-versa. Sapatos magnificamente lustrados e brilhantes tornam-se sujos quando colocados na mesa de refeições. Restituídos ao mundo dos sapatos, eles recuperam a prístina pureza. Uma omelete, uma obra de arte culinária que dá água na boca quando no prato de jantar, torna-se uma mancha nojenta quando derramada sobre o travesseiro”. A concepção de limpeza, nesse contexto de elo com a civilização, ou na cultura, como queria Freud, importa na análise de uma questão abordada por Bauman.

 

Veja: “Há, porém, coisas para as quais o ‘lugar certo’ não foi reservado em qualquer fragmento da ordem preparada pelo homem. Elas ficam ‘fora do lugar’ em toda parte, isto é, em todos os lugares para os quais o modelo de pureza tem sido destinado. Mais freqüentemente, estas são coisas móveis, coisas que não se cravarão no lugar que lhes é designado, que trocam de lugar por livre vontade. A dificuldade com essas coisas é que elas cruzarão as fronteiras, convidadas ou não a isso. Elas controlam a sua própria localização, zombam, assim, dos esforços dos que procuram a pureza ‘para colocarem as coisas em seu lugar’ e, afinal, revelam a incurável fraqueza e instabilidade de todas as acomodações”. Conceber-se civilizado é, portanto, não sujar nem estar sujo, ou, ainda, não desordenar a ordem exigida pela civilização. Ante essa proposição, configurada e até um tanto intrínseca à mentalidade do homem civilizado, obtemos resposta para as atitudes individuais e coletivas de rejeição ao estranho e ao estrangeiro. Noutra quadra, o homem deseja obter felicidade. Todos querem ser e permanecer felizes. Para atingir esse objetivo, a ação humana deve visar não apenas a supressão do sofrimento e do desprazer, mas também a experimentação de sentimento de prazer, intensa e permanentemente. As experiências de prazer podem ser intensas, mas permanentes não. Qualquer prazer permanente deixa de ser prazer. Freud cita Goethe: “nada é mais difícil de suportar do que a sucessão de dias belos”. Assim, a felicidade resume-se a momentos, a experiências passageiras.

 

A infelicidade, por sua vez, não perde sua força nem vigor se perseverar. Pode até se tornar crônica no indivíduo. E quais são os motivos da infelicidade, senão o sofrimento? Freud reflete sofrimento a partir de três direções: de nosso próprio corpo, do mundo externo e de nossos relacionamentos com os outros homens. Nosso corpo envelhece, adoece e nos ameaça constantemente de dissolução. A decadência natural de nosso corpo sempre foi motivo de profundo sofrimento e, nos tempos atuais, tem sido francamente combatida por processos médicos de todo o gênero. A medicina desenvolve, testa e aplica dezenas de métodos de manutenção e conservação do corpo utilizando medicamentos e cirurgias – como a plástica – que rejuvenescem. Contudo o tempo é implacável e todos sabem que o corpo não resistirá. A segunda fonte de sofrimento advém do mundo externo, “que pode voltar-se contra nós com forças de destruição esmagadoras e impiedosas”. Essa ameaça é tão evidente quanto o da dissolução do corpo. Semanalmente, sabemos da ocorrência de catástrofes e a cada ano elas se aproximam de nossas casas, como resultado de nosso  saque à natureza. Finalmente, nosso relacionamento com outros homens é a fonte mais penosa do sofrimento que qualquer outra. Podemos nos conformar com a fatalidade da morte e das catástrofes por estarem além de nossas possibilidades de evitá-las; mas sucumbir à vontade, ao capricho ou à ganância de outro homem não nos é dado resignar. Enfim, Sr. Michel Onfray, como diria Winston Churchill, “é melhor fazer história do que se submeter a ela; ser um ator em vez de um crítico”.        

 

(*) É Conselheiro do Tribunal de Contas do Estado de Sergipe.



Colunas
Com.: 0
Por Eugênio Nascimento
16/07
11:12

Coluna Primeira Mão

A praça S. Francisco é patrimônio de quem?

Há um questionamento em andamento no município de São Cristóvão. Com quem deve ficar o diploma de reconhecimento da praça São Francisco como patrimônio da humanidade? O pessoal que atua no Estado diz que praça é um patrimônio estadual. Mas há pessoas ligadas ao prefeito de São Cristóvão, Alex Rocha, dizendo que a praça é um patrimônio do diploma e que, portanto, o diploma deve ficar com a Prefeitura.


Fuja disso - Cobranças e advogados por e-mail
 

Cobranças de multas do online de bancos e do Detran e advogados on line estão aparecendo diariamente nos e-mails encaminhados aos aracajuanos. Por causa disso, andas também pela rede os advogados on line. Pode ser vírus ou malandragem. Não dê atenção.


Poço Verde pode perder 30% da safra agrícola

O  frio e a falta de chuva que atingem Poço Verde (localizado no polígono da seca de Sergipe) podem provocar a perda de 30% da safra agrícola der grãos do município, que está entre os maiores produtores do Estado. “Se não chover por estes dias a coisa vai ficar  feia”, diz o prefeito Antônio Dória, mais conhecido como “Tonho de Dorinha." A temperatura média do município neste inverno é de 16º e no verão chega próximo dos 40º.
 

Governador Marcelo Déda empossa auxiliares

O governador Marcelo Déda empossou ontem (sexta-feira)  Luiz Eduardo Oliva (ex-presidente do Departamento Estadual de Serviço Gráficos de Sergipe - Segrase), como secretário de Direitos Humanos e da Cidadania, Jorge Carvalho, como presidente da Segrase e de Luciano Correia dos Santos, como presidente da Fundação Aperipê. O ato aconteceu no auditório da Codise e foi prestigiado por familiares, amigos, secretários e políticos.

 

Nilson Lima está disposto a disputar a Prefeitura 

O PPS quer que eu dispute. Estou analisando criteriosamente a possibilidade de disputar a Prefeitura de Aracaju pelo PPS. Já venho conversando sobre isso com aliados. O comentário é do ex-secretário de Estado da Fazenda, Nilson Lima, que atua também no sentido de atrair para os quadros do PPS o ex-deputado federal João Fontes.
 

Aeroporto: Não há espaço para a instalação do finger 

Há mais de seis anos jogado no aeroporto de Aracaju o finger pelo qual Sergipe tanto brigou para dar uma aparência mais moderna para o seu aeroporto não poderá ser instalado. O motivo? Se ele for colocado em operação, vai atrapalhar a movimentação das aeronaves na pista de pouso e decolagem. O jeito vai ser esperar a construção do novo espaço do aeroporto Santa Maria, que alguns chamam de aeroporto “internacional” (parece piada) de Aracaju.


Vestibular da UFS: inscrições começam nesta 2ª feira

 A Universidade Federal de Sergipe (UFS) começa a receber nesta segunda-feira, 18,  a inscrição para o processo seletivo 2012 das 8h de 18 de julho às 18h de 5 de agosto de 2011. Quem quiser participar deve acessar a página www.ccv.ufs.br com os números do RG e do CPF em mãos. Estão sendo oferecidas 5.490 vagas em 106 opções de cursos distribuídas nos campi de São Cristóvão, Itabaiana, Laranjeiras e Lagarto.   No período de 3 a 14 de outubro o candidato acessará o mesmo endereço eletrônico da CCV para imprimir o cartão de identificação, o qual lhe dará conhecimento e acesso ao local de realização das provas. Neste cartão o candidato cola uma foto (papel fotográfico), tamanho 3x4, recente e em condições de identificar o candidato, preferencialmente com data do ano de 2010 ou 2011. Este documento será retido pelo fiscal de sala no primeiro dia de prova.


Déda inaugura a restauração de rodovia

O  governador Marcelo Déda inaugurou a restauração da Rodovia ‘Delmiro Gouveia’, a SE-240, que liga o Porto de Sergipe à BR-101. O ato solene que marcou a entrega da melhoria ocorreu na tarde da sexta-feira, 15. "Esta rodovia tem também o papel de integração do litoral, dessa área entre Aracaju e Pirambu, para turistas que vêm pela BR e para sergipanos que moram em outras regiões", disse o governador. A SE-240 é usada para escoamento de produção industrial e agrícola.

 

Prefeito procura assassino do Pau Brasil em Poço Verde

Uma noticia triste e lamentável. No dia de hoje mataram uma árvore da espécie Pau Brasil em Poço Verde, próximo ao restaurantes de Rita e de Tonho. Estou indignado e revoltado com atitude deste assassino frio e calculista. Vamos fazer um campanha descobrir quem fez isso”. O desabafo foi feito pelo prefeito Tonho de Dorinha hoje (sábado,16) de manhã. Alan Esdras Silva Soares completou:  é o segundo Pau Brasil que mataram em Poço Verde, a cerca de 1 mês mataram o da Praça no Triangulo em frente a Escola Sebastião da Fonseca.

Bancos atacam aposentados por telefone

Desde o início deste mês os bancos que fazem empréstimos consignados não param ligar para as casas de aposentados e pensionistas. Quem cair na armadilha vai ter dificuldades para pagar. Só se pega empréstimo em bancos e agiotas não oficias em momento de desespero. Os juros são elevados.

 



Colunas
Com.: 0
Por Eugênio Nascimento
12/07
15:44

Desenvolvimento regional e conflito federativo no Brasil (1)

Ricardo Lacerda*


As disparidades econômicas e sociais entre as regiões e, nas regiões, entre os estados, são uma das questões mais recorrentes no debate sobre o desenvolvimento brasileiro. O dado mais eloqüente sobre as desigualdades entre as regiões é o de incidência da pobreza elaborado pelo Ministério do Desenvolvimento Social e Combate à Fome, com base nas informações do censo demográfico de 2010. Na média do país, 8,5% da população em 2010 encontravam-se abaixo da linha de extrema pobreza, estabelecida com base em dois critérios: rendimento mensal per capita dos domicílios até R$ 70 e a falta de acesso a serviços básicos ou presença de pessoas em situação vulnerável.

As regiões Nordeste e Norte apresentavam uma proporção muito mais elevada de famílias nessa situação, 18,1% e 16,8%, respectivamente, ou seja, cerca de uma em cada cinco famílias no Nordeste e uma em cada seis famílias no Norte não atendem as necessidades mais fundamentais de sobrevivência. O contingente de famílias que se encontram na pobreza extrema alcançava 2,6% na região Sul , 3,4% no Sudeste (3,4%) e 4% no Centro-Oeste (4,0%), índices significativamente mais baixos; respectivamente, uma em trinta e oito famílias, uma em vinte e nove famílias, e uma em vinte e cinco famílias. No meio rural das regiões Norte e Nordeste, mais de 1/3 das famílias encontravam-se abaixo da linha da extrema pobreza. Internamente no Nordeste, a incidência da pobreza extrema alcança níveis mais altos no Maranhão, Piauí e Alagoas.

Não se está afirmando que a linha da extrema pobreza delimita toda a população vulnerável e que requer uma atenção especial das políticas públicas que Estados de todas as regiões devem prover. Todavia, não se pode desconhecer que indicadores de infraestrutura urbana e produtiva, de renda e PIB per capita, educação, ciência e tecnologia e saúde apontam para uma mesma realidade; mesmo com as regiões e Estados menos industrializados tendo, em média, avançado mais rapidamente do que os mais ricos, estreitando o hiato nos últimos anos, o grau de disparidade, em todas essas dimensões, permaneceu inaceitavelmente elevado.

Anos 2000
O conjunto de políticas públicas formuladas nos último 15 anos e ampliadas na última década para amparar as famílias mais vulneráveis, em obediência aos princípios estabelecidos na constituição cidadã de 1988, propiciou a emergência de milhões de brasileiros da situação de pobreza e formou um novo mercado de consumo, processos que, segundo alguns especialistas, teriam levado a ascensão de um novo segmento social, a chamada classe C.

Os Estados com piores indicadores econômicos e sociais, situados nas regiões Norte e Nordeste, receberam atenção especial dessas políticas e resultados concretos foram alcançados.

A figura a seguir, extraída da edição da Folha de São Paulo de 19/06/2011, que sintetiza a evolução da renda per capita nos Estados brasileiros entre 2000 e 2010, com dados dos censos demográficos corrigidos pelo INPC do período, mostra como os Estados mais pobres alcançaram elevação mais rápida nos rendimentos do que os Estados mais ricos, ainda que a renda per capita do Distrito Federal permaneça mais de três vezes superior à do Estado do Maranhão.




 
Figura: Taxa de crescimento da renda per capita entre 2000 e 2010 dos Estados.
 
Fonte: Censos demográficos do IBGE, dados corrigidos pelo INPC, extraído da edição da Folha de São Paulo de 19/06/2011.



Conflitos federativos
O crescimento mais favorável dos Estados mais pobres nos últimos anos foi resultado de um conjunto muito amplo de fatores: investimentos do PAC, programas de transferência de renda, elevação real do salário mínimo, novos investimentos do setor produtivo em busca de oportunidades no mercado local ou para exploração de recursos naturais em uma conjuntura de valorização das commodities agrícolas e minerais.


Nessa equação, os gastos federais nas áreas pobres e a distribuição do bolo tributário nacional entre Estados, Municípios e União, bem como a sua distribuição interregional têm sido fundamentais. Todavia, vem se desenhando nos últimos meses uma escalada muito preocupante de conflitos na repartição de receitas entre os entes federativos, que pode gerar impasse em relação às regras de distribuição desses recursos.

A guerra fiscal em torno da cobrança do ICMS é apenas uma das faces da disputa: igualmente graves têm sido a cobiça pela distribuição dos recursos dos Fundos de Participação dos Estados e Municípios (FPE/FPM) e pelo royalties da exploração de petróleo e gás natural.

Premidos entre as crescentes demandas sociais e as limitações das finanças públicas, Estados, Municípios e União encontram-se em um momento especialmente sensível na sempre conflituosa relação federativa, o que, frequentemente, tem levado a uma confusão de idéias em que o sentido de prioridade é a primeira vítima. Na próxima semana, será examinado como os conflitos federativos se manifestam em cada um dessas disputas.



*Professor do Departamento de Economia da UFS e Assessor Econômico do Governo de Sergipe.
Artigos anteriores estão postados em http://cenariosdesenvolvimento.blogspot.com/
 


Colunas
Com.: 0
Por Kleber Santos
11/07
13:03

Rádio UFS - Emissora seleciona propostas de professores e técnicos do quadro

Emissora seleciona propostas de professores e técnicos do quadro Interessados em desenvolver programa educativo devem se inscrever até 15 de agosto

 

Professores e técnicos-administrativos interessados em desenvolver projeto de programa educativo para a Rádio UFS FM podem efetuar inscrição até às 17h de 15 de agosto. O edital contempla propostas desses servidores desde que sejam do quadro efetivo da UFS e, no caso dos técnicos, possuam nível superior. A participação dos técnicos, aliás, é uma das novidades da seleção deste ano.

As outras são as seguintes: simplificação das propostas para inscrição - basta apresentar sinopse do programa proposto (antes precisava apresentar proposta completa) –, emissão de certificado pela Proex e Rádio UFS ao final da execução da proposta e impedimento de participar da seleção do ano seguinte de coordenador cujo programa foi aprovado e não executado.

Segundo a diretora da emissora, Messiluce Hansen, “o objetivo dessas modificações é ampliar os setores participantes com a inclusão dos servidores técnicos e sistematizar o edital, adequando-o aos parâmetros já estabelecidos pela Proex”.

Seleção

Serão escolhidos até cinco propostas por categoria: spot/serviço, quadro/conhecimento, quadro/cultura e musicais. As duas primeiras etapas da seleção compreendem a análise preliminar pela Diretoria Geral da Rádio UFS/Proex quanto às condições e exigências do edital e julgamento do mérito das propostas pela Comissão Coordenadora da Rádio UFS, que poderá se valer de consultores ad hoc.

Essa comissão é composta por dois representantes do Departamento de Comunicação Social (DCOS), um da Pró-Reitoria de Extensão e Assuntos Comunitários (Proex), um do conjunto dos centros de ensino, um do Diretório Central dos Estudantes (DCE) e um da sociedade civil.

A Diretoria Geral da Rádio UFS responderá a esclarecimentos através do e-mail radio@ufs.br (com a indicação do assunto: EDITAL RÁDIO UFS) ou pelo telefone 2105-6912.

O resultado sai em 5 de setembro. O período de execução da proposta compreende um ano (12 de setembro de 2011 a 12 de setembro de 2012). - Da assessoria


Colunas
Com.: 0
Por Eugênio Nascimento
Primeira « Anterior « 81 82 83 84 85 86 87 88 89 90 91 » Próxima » Última

Enquete


Categorias

Arquivos