17/03
10:49

Economia sergipana e o Censo Demográfico 2010

Elmer Nascimento Matos[1]

Divulgados os primeiros resultados do Censo Demográfico 2010, os mesmos indicam para Sergipe crescimento populacional intercensos superior ao Brasil e ao Nordeste e superado apenas pelos estados da região Norte (à exceção do Acre), do Centro-Oeste (inclusive o Distrito Federal) e do Maranhão e Santa Catarina. Deste fato é possível perceber correlações entre os indicadores populacionais e os da dinâmica econômica regional brasileira.

O crescimento da população sergipana a taxas maiores que a brasileira e nordestina sinaliza a tendência de melhoria de aspectos não apenas econômicos mas também sociais, simbolizados pela sensação de melhoria do bem-estar da população e pela possível maior atração do que expulsão de migrantes.

O processo de desconcentração produtiva regional brasileira tem na região Nordeste e em Sergipe grandes beneficiários. Tal desconcentração tem sido causada por um conjunto de fatores, entre eles, a competição entre as unidades federativas em atrair investimentos privados (guerra fiscal), a ampliação da fronteira agrícola, a maior utilização das reservas naturais nas distintas regiões, os investimentos federais dos últimos anos em infra-estrutura e de suas empresas estatais, que funcionam como disseminadoras de política de desenvolvimento regional (como é o caso da Petrobras), e em setores específicos, como é o caso do turismo, sobretudo nas capitais.

No caso de Sergipe, a mesma política de incentivos fiscais levada adiante pelos sucessivos governos, os investimentos do governo federal e a ampliação da utilização de sua base de recursos minerais têm sidos os principais fatores responsáveis pela sua dinâmica econômica.

Sua dinâmica econômica porém não tem conseguido reverter o elevado índice de população rural ainda presente em seu território, cerca de 26,5%, muito acima da nacional que é de 15,6%.

Fatores como baixa modernização do campo, relativa estrutura fundiária desconcentrada, reduzidas expectativas de oportunidades de ocupação na área urbana e questões metodológicas do Censo (como explicar que Lagarto tem apenas 51% de sua população na área urbana!) são hipóteses explicativas para tal fenômeno.

Enquanto isto, Aracaju, com a população totalmente urbana pelos critérios utilizados pelo IBGE, concentra 28% da população estadual e cresceu a taxas maiores que a médio do estado.

Seus municípios adjacentes também apresentam características populacionais idênticas, resultado do seu transbordamento econômico e populacional. A Região Metropolitana de Aracaju concentra cerca de 40% da população estadual, ante 38% no Censo Demográfico de 2000.

Com o crescimento de Aracaju, suas deseconomias urbanas e a política de incentivos fiscais do governo estadual têm moldado a migração de atividades industriais e de serviços para o interior, caracterizando o processo de desconcentração concentrada da atividade produtiva econômica estadual.

São as áreas próximas à da Região Metropolitana de Aracaju, às do entorno da BR 101 e as maiores das pequenas cidades do interior de Sergipe, como Estância, Lagarto, Itabaiana, Nossa Senhora da Glória e Propriá, as mais favorecidas.

Por outro lado, fenômenos distintos caracterizam duas zonas produtivas: com a perda da dinâmica da citricultura sergipana, a população dos municípios que tinham na produção de cítricos sua referência econômica apresentou crescimento irrisório ou mesmo regrediu, como foi o caso de Arauá; já a região produtora de petróleo apresentou crescimento populacional em todos os seus municípios, com grande destaque para Carmópolis.

Mesmo com o relativo processo de interiorização da atividade econômica produtiva sergipana para o interior, resultado, sobretudo, da concessão de incentivos fiscais e da atração espúria de investimentos baseado na baixa remuneração da mão-de-obra, Aracaju continua com sua centralidade econômica, sobretudo nas atividades de comércio e de serviços, administrativa e cultural.

Centralidade que toma maior vulto com a migração pendular em busca de serviços de saúde, de educação, administrativos e burocráticos, de comércio e demais serviços ali concentrados e facilitados pela sua singularidade geográfica -dada a sua pouca distância para os demais municípios sergipanos e também baianos e alagoanos- e pela ampliação da mobilidade do transporte rodoviário.

  [1] Professor da Universidade Federal de Sergipe



Variedades
Com.: 0
Por Eugênio Nascimento
16/03
10:39

Vazamento de combustível? - Avião suspende pouso em Aracaju

O vôo 3520, da TAM, que aterrissaria às 2h da madrugada de hoje em Aracaju, foi direto para o aeroporto de Guararapes, no Recife (PE). Mais de 60 passageiros que ficariam na capital sergipana, dormiram no aeroporto do Recife. Segundo passageiros contactados, a informação do vazamento foi dada pela equipe de vôo.

Para evitar a perda grande do combustívelk, a tripulação, por orientação técnica, teria decidido itr para PE. Logo cedo surgiu a suspeita de que a falta de energia na região do Aeroporto de Aracaju e bairros vizinhos poderia ter motivado a suspensão da descida. Mas a Infraero desmentiu essa informação, pois o fornecimento de energia, que foi interrompido às 20h, foi normalizado às 23h. Um outro vôo da TAM , o 9396, pegou os passageiros na madrugada em Aracaju, exatamente às 3h57.


Variedades
Com.: 1
Por Eugênio Nascimento
14/03
15:22

Meteorologia prevê chuva com trovoadas até maio

Segundo o meteorologista da secretaria de Estado do Meio Ambiente e dos Recursos Hídricos, Overland Amaral, essas chuvas são de grande impacto e perigosas

Até maio deste ano, os sergipanos vão conviver com chuvas e trovoadas no Estado.  É o que prevê o Centro de Meteorologia da Secretaria de Estado do Meio Ambiente e dos Recursos Hídricos (Cemese/Semarh).

Segundo o meteorologista da Semarh, Overland Amaral, essas chuvas são de grande impacto e perigosas, pois são chuvas com predominância de rajadas de ventos, trovoadas e raios. “Como um raio pode matar uma pessoa, como ocorreu no último final de semana em Nossa Senhora da Glória, as pessoas precisam adotar alguns cuidados como não se abrigar embaixo de árvores quando ocorrer  chuva com trovoada, ficar longe de cerca elétrica e arame farpado, e procurar não utilizar equipamentos eletrônicos”, orienta  Overland.

De acordo com o meteorologista, a intensidade de um raio é elevada, pois ele procura focalizar nos pontos mais altos, antes de chegar ao solo, para o fechamento da descarga elétrica. “Por isso, é importante que as pessoas não se abriguem próximo a árvore e evite andar em campo aberto. E se estiverem dentro de casa, ainda assim devem manter as janelas fechadas para evitar qualquer possibilidade de contato com a descarga com materiais metálicos que existem na residência”, recomenda.

Conforme a previsão da Semarh, as chuvas que caíram no Estado no final de semana foram de acordo com o previsto pelo Centro de Meteorologia. Em Canindé do São Francisco, por exemplo, choveu 80 milímetros; em Poço Redondo 55 milímetros; Simão Dias, 50 milímetros; e Tobias Barreto, 50 milímetros. Segundo Overland, a média normal de chuva é de 50 milímetros. (Da assessoria)



Variedades
Com.: 0
Por Eugênio Nascimento
03/03
09:34

UFS divulga análise sobre impacto da adoção das cotas



O Programa de Ações Afirmativas (Paaf) divulgou o primeiro relatório sobre os impactos da adoção das cotas na UFS. Com o título “As cotas da UFS não provocam degradação do ensino”, o estudo analisa a taxa de abandono dos alunos, reprovação por falta e desempenho acadêmico (média geral ponderada). Os dados coletados do sistema acadêmico referem-se a 2010.1, período de inauguração das cotas na instituição. As informações de 2010.2 ainda encontram-se em análise.

“Ainda é cedo para tecermos comentários definitivos ou embasados por uma base de dados mais sólida e temporalmente mais longeva, contudo, os dados disponíveis indicam claramente que a implantação do sistema de reserva de vagas para alunos de escolas públicas e não-brancos não teve impactos significantemente negativos (exceto em certos cursos específicos, como em geral nos cursos das áreas de exatas) no desempenho acadêmico do conjunto da universidade”, consta, em sua conclusão, o relatório elaborado pelo professor Paulo Neves, coordenador do Paaf.

O sistema de reserva de vagas da UFS destina 50% das cadeiras a estudantes de escolas públicas municipais, estaduais ou federais. Destas, 70% são reservadas a estudantes que se auto-declaram pardos, índios ou afro-descendentes, correspondendo a 35% do total de vagas.

Cada curso de graduação oferta, ainda, uma vaga para candidatos portadores de necessidades educacionais especiais. No vestibular de 2011, ocorrido em dezembro de 2010, a UFS ofertou 5.260 vagas em 102 opções de cursos.

Veja abaixo alguns trechos do relatório:

- Taxa de abandono dos alunos

“Um dos principais argumentos avançados contra a introdução do Paaf era que os alunos oriundos do sistema de cotas, por contingências materiais muito mais prementes, seriam obrigados a abandonar os cursos em maior número que os alunos não cotistas. O que os dados analisados nos mostram é que esse fenômeno não se verificou, sendo que no geral a tendência para o abandono dos cursos é ligeiramente superior entre os alunos não cotistas, tanto no que se refere à UFS como um todo quanto em relação aos cursos mais concorridos, a exemplo dos cursos do Centro de Ciências Exatas e Tecnológicas (CCET), onde os não cotistas, embora sejam um pouco menos que 50% dos alunos aprovados no vestibular, foram responsáveis por 54% dos abandonos de cursos”.

- Reprovação por falta

“Também no quesito reprovações por falta os alunos não cotistas apresentaram taxas superiores aos alunos cotistas, com cerca de 56% do total de reprovações por falta na universidade. Isso se deu provavelmente pelas mesmas razões que explicam as maiores taxas de abandono dos cursos pelos não cotistas. De todo modo, o que se pode afirmar é que eles também foram os que mais tiveram reprovações por falta no primeiro período de 2010. Aqui, as exceções ficariam por conta de alguns cursos tecnológicos. Nos cursos de engenharias, por exemplo, em geral os alunos cotistas reprovam mais por faltas que os não cotistas”.

- Desempenho acadêmico

“Se tomamos como parâmetro as médias gerais ponderadas de todos os alunos da UFS, percebe-se que em um contexto de médias ponderadas relativamente baixas para todos os grupos de entrada no vestibular, as diferenças entre a média de todos os alunos e os alunos das cotas para escolas públicas são inferiores a 0,4 pontos. Assim, por exemplo, enquanto a média ponderada de todos os alunos que ingressaram em 2010 (cerca de 3.443) era de 5,8, a dos alunos que ingressaram pelas cotas C (alunos afro-descendentes oriundos de escolas públicas) era de 5,7 (apenas um décimo abaixo da média geral). Já os alunos da cota B (alunos oriundos de escolas públicas independente de origem racial) tiveram média de 5,5 e os da cota D (deficientes) 4,3. Como se vê, os alunos das cotas B e C não apresentam uma grande diferença em relação à média do conjunto do alunado e nem mesmo em relação aos alunos que entraram sem cotas (A), cuja média foi de 5,9. O grupo que apresenta maiores distâncias em relação à média geral é o grupo oriundo das cotas D (para portadores de deficiências), o que, em parte, pode estar relacionado à adaptação necessária da UFS e de sua comunidade acadêmica às necessidades especiais desse grupo”.

- Desempenho em cursos competitivos

“Na maioria dos cursos da UFS não houve grandes disparidades entre as notas obtidas entre cotistas e não cotistas. Mesmo em cursos altamente competitivos, como Medicina e Odontologia, as diferenças foram menores do que previstas pelos críticos mais acerbos: em Medicina, os não cotistas tiveram média de 8,2 enquanto os cotistas B obtiveram a média de 8,1, enquanto que em Odontologia os alunos da cota B tiveram média 7,2 , superior à média dos não cotistas (6,5). Ainda aqui, a exceção ficou por conta dos cursos da área de exatas, no CCET, onde em geral as diferenças das médias ponderadas entre cotistas e não cotistas foram relativamente mais importantes que nos outros centros, os não cotista obtendo em alguns cursos médias superiores a 1 ponto às médias dos cotistas”. (Da assessoria)


Variedades
Com.: 0
Por Eugênio Nascimento
02/03
18:17

Justiça Estadual concede liminar para que menor com deficiência seja matriculada em Escola Pública de SE

 
Em decisão liminar proferida no último dia 16.02, o Juizado da Fazenda Pública - JEFaz determinou que o Estado de Sergipe, através da Secretaria de Educação, matricule menor portadora de paralisia cerebral na Escola 11 de agosto. A ação foi ingressada pelo fato da diretora da referida escola ter negado a renovação da matrícula da menor com o argumento de que não mais aceitaria a matrícula de pessoas portadoras de deficiência física.

Em sua decisão, o juiz substituto Carlos Rodrigo de Moraes Lisboa, explicou que neste momento processual, a negativa em renovar a matrícula da requerente está a ferir dispositivos Constitucionais que preveem a educação como direito de todos e dever do Estado. "Analisando a documentação trazida nos autos, percebo, mesmo em sede de juízo de cognição sumária, que a Administração Pública Estadual através da Diretoria do Colégio Estadual 11 de Agosto, está ferindo o direito da requerente à educação, em rede regular der ensino, mesmo sendo portadora de deficiência física, ao negar a renovação de sua matrícula", concluiu o magistrado.

Para fundamentar o seu entendimento, o juiz utilizou o que diz os arts. 205, 206 e 208 da Constituição Federal, que entre outros comandos afirma que a educação é um direito de todos e dever do Estado e da família, que o ensino será ministrado com base nos princípios da igualdade de condições para o acesso e permanência na escola; da liberdade de aprender, ensinar, pesquisar e divulgar o pensamento, a arte e o saber e que devem ter atendimento educacional especializado os portadores de deficiência, preferencialmente na rede regular de ensino. "Com relação ao periculum in mora, este se encontra presente na negativa de renovação matrícula, que impede a autora de continuar estudando no colégio que já frequenta, bem como no fato de que o período letivo já se encontra em curso", finalizou o magistrado, deferindo a liminar para que a menor seja devidamente matriculada em até cinco dias, sob pena do pagamento de multa diária no valor de R$ 5 mil, em caso de descumprimento, até o limite de R$ 70 mil.


Celebridade

Implantado no dia 31.01 de 2011, com o objetivo de tornar mais simples o acesso à jurisdição para causas que tenham como parte Ré o Estado de Sergipe e o Município de Aracaju, bem como as autarquias e fundações e empresas públicas e eles vinculados, o Juizado da Fazenda Pública totalmente virtualizado nesse caso cumpriu a sua finalidade. O processo foi distribuído no dia 16.02.2011 e a liminar concedendo a antecipação da tutela foi proferida no mesmo dia.

De acordo com o Juiz Substituto, Carlos Rodrigo de Moraes Lisboa, o JEFaz trará mais celeridade às demandas de pequena monta contra o Estado e o Município de Aracaju. "No juizado os prazos das partes são comuns. Aqui o Estado e o Município de Aracaju não terão prazos privilegiados para contestar e recorrer", explicou o juiz, acrescentado que nas ações de competência do JEFaz não existe o instituto do reexame necessário.


Variedades
Com.: 0
Por Eugênio Nascimento
28/02
20:46

Zé Franco e Gustinho defendem criação de campus da UFS no sertão


"Este é um projeto economicamente e politicamente viável. Com o apoio do governador Marcelo Deda, que certamente abraçará esta causa, dos deputados estaduais e de toda bancada sergipana em Brasília, não tenho dúvidas que o campus da Universidade Federal de Sergipe (UFS) será expandido para o sertão". Esta foi a opinião do deputado Zé Franco (PDT), em pronunciamento realizado na tarde desta segunda-feira, 28, após a palestra do engenheiro florestal Fábio Andrey, integrante do movimento Coletivo de Juventude do Alto Sertão,.

 

De acordo com Zé Franco, será necessária uma avaliação técnica para saber qual o melhor município a receber o campus da UFS, que já tem vários interessados. ?Vejo aqui o prefeito Enoque Salvador, de Poço Redondo, que sabe como ninguém como é a realidade do sertão, entre outros que se encontram conosco nesta tarde, e sei que o que for necessário as prefeituras dos municípios do alto sertão vão colaborar, porque eles sabem que este projeto é importantíssimo para o desenvolvimento da educação na região?, disse o parlamentar.

Gustinho ---

"Como representante da população sergipana, quero me somar a essa causa e tenho certeza que todos os parlamentares também estarão a favor da implantação do campus do sertão. Estou à disposição dos movimentos sociais e lideranças que lutam por este projeto, que trará mais dignidade para o povo do sertão sergipano", enfatizou Gustinho.

O parlamentar destacou, ainda, que a chegada do campus resolverá um problema que aflige a população da região: a dificuldade de deslocamento dos estudantes . "Muitos jovens estão tendo dificuldades para freqüentar a universidade por que saem das suas cidades como Poço Redondo, Canindé e Monte Alegre, e deixam suas famílias viajando para cidades que possuem pólos da UFS, arriscando suas vidas nas rodovias, em busca de uma melhor educação", disse o parlamentar.




Variedades
Com.: 0
Por Eugênio Nascimento
28/02
16:34

Novos fotossensores e lombadas serão ativados amanhã



A Superintendência Municipal de Transportes e Trânsito (SMTT) acaba de confirmar que os novos equipamentos de fiscalização eletrônica instalados em Aracaju passarão a funcionar amanhã, terça-feira, 1° de março. As regras de trânsito, conforme a SMTT,  devem ser obedecidas a qualquer hora do dia ou da noite, segundo a legislação vigente. Contudo, os equipamentos mistos de fiscalização eletrônica (fotossensores) não registrarão o avanço do sinal vermelho no horário compreendido entre 22 e 6 horas. (C/assessoria)


Variedades
Com.: 0
Por Eugênio Nascimento
28/02
03:25

André Lellis reclama da forma que foi tratado no trio pela polícia

Depois de prestar depoimento por mais de uma hora ao delegado plantonista, Washington Okada, o cantor André Lellis classificou a ação dos policiais da Rádio Patrulha e da Polícia ambiental de 'despreparada, arrogante e truculenta'. "Foi um absurdo o que foi cometido", disse.

Por outro lado, ele agradeceu a forma que foi tratado na plantonista, apesar de ter ficado mais de três horas na sala de triagem. "Quero agradecer a Policia Civil e também ao povo de Aracaju por estar ao meu lado".

Os policiais o levaram à delegacia plantonista, segundo o cantor, por terem alegado que o som estava muito alto. "Eu não tenho nem como julgar isso porque estou em cima do trio elétrico. Quem tem que julgar isso são os poderes que estão ali para julgar ou o público também".

Quando questionado se tinha acontecido algo parecido na carreira, André disse que não. "ACho que não, foi a primeira vez, mas acontece", falou em tom de risos. "Estou tranquilo, sou um músico muito experiente, maduro, e isto tudo vai ser resolvido no âmbito legal".

Nesta segunda-feira, às 10 horas da manhã, o cantor irá prestar outro depoimento, mas agora na Delegacia de Turismo, onde o inquérito foi encaminhado.

Quem se deu bem nessa história foram algumas pesssoas que estavam na delegacia prestando depoimento ou fazendo acusação, é que muitos receberam Cds promocionais do cantor, enquanto aguardavam na sala de triagem.

Prisão
Pouco mais de uma hora de ter subido no trio elétrico para cantar na festa da Lavagem do Subúrbia, o cantor André Lellis recebeu a ordem da Rádio Patrulha e da Polícia Ambiental de que deveria encerrar o show. Depois que ele avisou ao público que não tocaria mais, os policiais não gostaram da forma como foi passado o aviso então o encaminhou para a delegacia plantonista.



 


Variedades
Com.: 0
Por Kleber Santos
Primeira « Anterior « 613 614 615 616 617 618 619 620 621 622 623 » Próxima » Última

Enquete


Categorias

Arquivos