01/01
12:22

Marcelo Déda pede à oposição uma trégua cívica para resolver os problemas da pasta da Saúde

Discurso do governador Marcelo Déda no ato de posse, na Assembléia Legislativa do Estado de Sergipe

Discurso do governador Marcelo Déda no ato de posse, na Assembléia
Legislativa do Estado de Sergipe.

Sergipanas e Sergipanos,

No alvorecer da civilização ocidental, quando o chamado "milagre
grego" apresentava ao mundo a Filosofia, um homem chamado Heráclito,
nascido em Éfeso, na Jônia, e considerado o mais importante dos
filósofos pré-socráticos, pensava o mundo como expressão de mudança
contínua e o movimento como realidade última e verdadeira. No decorrer
das suas reflexões, Heráclito de Éfeso produziu um pensamento, dos
mais conhecidos e citados, que pode assim ser exposto: "Ninguém se
banha duas vezes no mesmo rio: suas águas não são as mesmas e nós
jamais seremos os mesmos."

Há quatro anos, num primeiro de janeiro como hoje, compareci a esta
casa para prestar juramento de fidelidade à Constituição e assumir o
Governo do Estado de Sergipe, eleito que fora, em primeito turno nas
eleições do dia 01 de outubro de 2006.

Hoje, retorno a esta Casa para, mais uma vez, prestar compromisso e
assumir, por mais um mandato o Governo do meu Estado, eleito que fui,
também em primeiro turno, nas eleições do dia 03 de outubro do ano que
ontem se findou.

Mas, o rio em que hora mergulho já não é mais o mesmo e eu, como homem
e político, carrego agora uma experiência pessoal e política que não
possuia naquela solenidadede outrora.

O Governo que assumo neste momento, já não é o mesmo que assumi há
quatro anos. Um processo complexo e difícil, mas, também , inexorável,
produziu mudanças na qualidade da gestão, nas práticas administrativas
e no conteúdo das políticas públicas que executa.

O Estado de Sergipe experimentou um período de transformações e
mudanças, cujos resultados se espalham em todo o seu território, se
fazem presente em todas as áreas da sua vida social e econômica e já
podem ser aferidos e mensurados, traduzindo-se em vida nova para
milhares de sergipanos.

No já distante primeiro de janeiro de 2007, adentrei este plenário
acompanhado deste extraordinário homem público sergipano que é
Belivaldo Chagas, companheiro fiel, vice governador leal, amigo
solidário, cuja competência e capacidade de trabalho, somadas às
qualidades do seu caráter, mereceram a admiração e o aplauso da nossa
gente.

Hoje, venho em companhia desta legenda da luta política e social de
Sergipe, o ex-prefeito, ex-deputado federal, ex-deputado estadual e
ex-vereador, Jackson Barreto, vice-governador do nosso estado, ora
empossado. Referência da luta contra o regime militar, nos mandatos
parlamentares que exerceu àquela época, Jackson foi o prefeito que
incorporou a periferia à geografia administrativa da Prefeitura de
Aracaju, tirando da retórica para a prática o compromisso efeitvo com
os mais pobres da nossa cidade. Não conheço quem o ultrapasse em
sincero e devotado amor ao nosso povo. Filho de uma família pobre de
Santa Rosa de Lima, Jackson Barreto, aprendeu com a sua mãe, a
professora Neuzice Barreto, o exemplo da resistência à opressão e as
lições de coragem cívica. Militante do antigo PSD, foi constantemente
perseguida pelos adversários e inúmeras vezes transferida para os
recantos mais longínquos do nosso estado. Mas não se dobrou aos
poderosos nem aceitou a sentença de um senhor de engenho que, ao
negar-lhe uma oportunidade para educar os filhos, lhe dissera que
ainda havia vagas no eito da usina para os seus meninos cortarem cana.
Neuzice, como aquela mãe coragem eternizada na personagem de Máximo
Górky, não aceitou que o futuro dos seus filhos fosse definido pelo
desprezo e pela insensibilidade do oligarca. Enfrentou-o. Engajou-se
na política e no trabalho e ao lado do seu querido esposo............,
conheceu as maiores privações, mas não cedeu à humilhação, criando a
sua família com amor e desvelo e legando a todos o seu exemplo de
mulher, de mãe, de cidadã brasileira.

É impossível não perceber no espírito rebelde e nas atitudes corajosas
de Jackson Barreto, as marcas da influência de Neuzice, transmitidas
pela genética e pelo exemplo.

A companhia de Jackson Barreto me honra, porque permite retomar o fio
da história, unindo o destino de duas gerações que , ao seu tempo e ao
seu modo, resistiram a uma Ditadura, lutaram pela Democracia e
ajudaram a erguer, sob o chão da pátria o estandarte imortal da
liberdade.

Já se vê, portanto, que mudou Sergipe e com ele mudamos nós. Mudanças
que podem ser percebidas nas mechas brancas que dominam os cabelos,
prateando com a neve do tempo o alto da minha cabeça; mudanças que
produziram no político um indiscutível amadurecimento e incorporaram
no seu patrimônio uma rica experiência, construída no difícil
cotidiano de governar um estado pobre.

Mas, se o tempo embranqueceu os meus cabelos e acumulou experiências
na minha mente, promovendo mudanças significativas na minha vida, por
outro lado reforçou convicções que me acompanham desde o início da
minha militância no Partido dos Trabalhadores. Continuo acreditando
que o Governo deve ser de todos, jamais ficando refém de interesses
oligárquicos; que a ética pública é um imperativo irrenunciável; que
as ações governamentais devem priorizar os mais pobres; que não há
crescimento legítimo sem justiça social; que o Estado de Sergipe é
viável e que o seu povo tem o direito de construir uma vida melhor e
dar um salto de qualidade em direção a um futuro de crescimento
econômico e desenvolvimento social.

Hoje, como ontem, reafirmo as minhas credenciais de militante petista,
socialista e democrata, compromissado com a luta do meu povo e
incendiado pela mais nobre das idéias que já frequentaram o pensamento
político da humanidade: a igualdade social. Por isso, continuarei a
orientar o meu governo para as diretrizes estratégicas da inclusão
social, da redução das desigualdades, da erradicação da miséria, da
defesa do meio ambiente, da socialização do conhecimento e da
universalização dos direitos e da cidadania.

Republicano por convicção, continuarei a defender o conceito de "coisa
pública, visceralmente ligado à idéia de República e a combater o
sentido de "cosa nostra" que alimentou políticas socialmente perversas
e eticamente condenáveis. Permancerei afirmando o caráter laico do
estado, separando a esfera política dos dogmas religiosos e
sustentando a liberdade de expressão, a liberdade religiosa e,
inclusive, o direito daqueles que se afirmam ateus, agnósticos ou não
seguem nenhuma religião. No seu discurso para este primeiro de
janeiro, o papa Bento XVI, pontífice máximo da Igreja Católica,
religião majoritária em nosso país e em nosso estado, afirma de forma
incisiva: “[Nenhuma pessoa] deveria encontrar obstáculos, se quisesse
eventualmente aderir a outra religião ou não professar religião alguma.

Senhora Presidente,
Senhoras e Senhores Deputados,

Não há quem não admita que ainda temos muitos problemas a enfrentar e
resolver. Não fez parte do meu programa construir um novo Éden,
transofrmando o estado num paraíso na terra. O compromisso mudancista
que trouxe ao governo se sustentou num programa racional, comprometido
com Inclusão pelo Direito e pela renda e lastreado no planejamento
participativo.

Salvo aqueles armados de preconceitos, ou cegos pelas paixões da
política, ninguém em sã consciência pode negar os avanços obtidos pelo
Governo de Sergipe nos últimos 4 anos.

Antes de redigir este discurso, consultei aquele outro que proferi
aqui há quatro anos. Digo-lhes, com pureza dálma, que alegrou-me a
consciência constatar que a imensa maior parte dos compromissos que
assumi com o meu povo foi integralmente cumprida ou se encontra em
vias de sê-lo.

Recuperamos a regularidade fiscal do estado e, voltamos a acessar
operações de crédito com instituições financeiras nacionais e
internacionais.

O BANESE, vitimado por gestões temerárias, recuperou plenamente sua
saúde financeira, modernizou sua performance operacional, investiu em
tecnologia, ampliou de maneira extraordinária as suas operações de
crédito e se transformou num exemplo de banco público e num dos mais
destacados bancos comerciais do seu porte.

Em primeiro de janeiro de 2010, desta mesma tribuna eu manifestei o
meu compromisso de modernizar a administração estadual e valorizar os
servidores. Hoje eu posso lhes dizer que o nosso Estado vivencia um
novo paradigma administrativo, onde os esforços para qualificar a
gestão são reconhecidos por entidades como o Movimento Brasil
Competitivo, dirigido pelo empresário Jorge Gerdau e registrados em
revistas especializadas e no maior telejornal do Brasil, o Jornal
Nacional da Globo, que divulguou experiência pioneira de controle de
gastos e combate a desperdícios na área dos transportes. O concurso
voltou a ser a porta de entrada no serviço público, possibilitando que
contratássemos mais de 8.000 servidores, quase o triplo do governo
anterior.

Direitos históricos dos servidores foram resgatados, como é o caso do
FUNAPREV, cujos valores indevidamente recolhidos pelo governo passado
foram integralmente devolvidos no nosso governo.

O piso nacional do magistério é pago há mais de um ano e os
militares receberam em novembro e dezembro as últimas parcelas de um
acordo histórico que elevou a remuneração dos policiais e bombeiros
militares sergipanos a um dos três melhores do Brasil. Essas
categorias, ao lado de agentes penintenciários, policiais civis e
defensores públicos, tiveram a melhor política salarial da sua história.

Os investimentos em Segurança Pública alcançaram volumes jamais vistos
antes, garantindo a Sergipe o posto de Estado com o maior investimento
per capita em Segurança Pública do Nordeste. Esse trabalho tem se
refletido nas ações da nossa polícia, em especial nas operações de
combate às drogas e ao crime organizado e no elevado percentual de
elucidação de crimes e conclusão de inquéritos. Se é verdade que ainda
temos indicadores elevados para alguns delitos, não é menos verdade
que temos obtido melhoras consideráveis, como testemunham os números
de homicídios da cidade de Itabaiana, drásticamente reduzidos.

Diante do caos da superpopulação carcerária e da crise das delegacias
superlotadas, herança recebida há quatro anos, o nosso governo
respondeu com investimentos que suplantam os 50 milhões de reais,
construindo e inagurando 3 presídios, com destaque para o presídio
feminino, primeiro construído em nosso estado, inaugurado há três
dias. Com isso duplicamos o número de vagas no sistema prisional.

No meu discurso de posse em 2007, afirmei que instituiria uma forma
republicana e solidária de relacionamento com os municípios, "olhando
em primeiro lugar o cidadão, sem perguntar a opção partidária do
prefeito". Hoje, posso dizer-lhes que não houve um único município, um
único prefeito que não recebesse investimentos e obras do Governo
Estadual. Todos sem exceção receberam clínicas de saúde, ônibus
escolares, ambulâncias e veículos de transporte para doentes crônicos,
além de investimentos do programa Sergipe Cidades, em parceria com o
BNDES, que tem levado obras de pequeno, médio e grande porte, nas
áreas de infra-estrutura urbana e social, desenvolvimento econômico e
educação aos municípios de Sergipe.

Ainda naquele discurso, eu assumi o compromisso de descentralizar o
desenvolvimento econômico, interiorizar a industrialização e
incentivar a implantação de empresas que gerassem empregos para os
Sergipanos. A presença da Estrela em Ribeirópolis, da Crown em
Estância, da West Coast em Aparecida e Salgado, da Pado em Itaporanga,
da Althenburg e outras dezenas de empresas em Socorro, são testemunhas
do compromisso cumprido. Isto sem falar na ampliação da Dakota, em
Simão Dias e da Azaléia em Frei Paulo. Ao todo implantamos mais de 100
empresas em Sergipe, mobilizando mais de 1 bilhão em investimentos
privados e gerando o recorde histórico de 25.000 empregos, só nos
últimos 12 meses. Por cinco meses seguidos este ano, Sergipe foi o
estado que mais gerou emprego formal na indústria de transformação no
Brasil.

A criação de uma legislação especial para a micro e a pequena empresa,
somada a uma política de compras públicas que priorizou o setor, criou
em Sergipe um dos melhores ambientes para os pequenos negócios,
rivalizado apenas pelo Estado do Paraná.

Mas, nem só de indústria vive o interior. Interiorizamos o ensino
superitor e a Universidade chegou em Laranjeiras, com o campus da
cultura, e em Lagarto com o campus da Saúde que levará pela primeira
vez, dentre outros, os cursos de medicina e de odontologia para o
interior.

A nossa agricultura, reverteu uma tendência que apontava para uma
redução constante de sua importância para a economia sergipana e viveu
momentos históricos, em especial na produção de milho e de leite e no
fortalecimento da agricultura familiar. Os investimentos no
agronegócio também cresceu, ampliando-se a produção da cana-de-açucar
e viabilizando a instalação de duas novas usinas que geram juntas mais
de 4 mil empregos com carteira assinada.

"Mudar é recuperar a nossa infra-estrutura viária e ampiar os
investimentos em saneamento básico" disse eu em 01 de janeiro de 2007.
Quem não se lembra da situação em que estavam as nossas estradas? Quem
não se recorda das promessas de novas rodovias repetidas por décadas?
O nosso governo efetivamente mudou essa realidade: mais de 1.800 km de
estradas recuperadas e implantadas. A rota do sertão se transformou
num eixo de progresso onde o desenvolvimento local, o turismo e a
integração regional acontece. A rodovia Lourival Baptista é um
verdadeiro tapete para os que trafegam na região centro-sul. A ponte
Joel Silveira já permite que milhares de sergipanos e turistas possam
passar o reveillon no litoral sul e voltem para dormir em casa, sem
balsas nem filas. A ponte Gilberto Amado completará, no final deste
ano a interligação do nosso litoral à linha verde baiana, dinamizando
o turismo regional. A rodovia que liga Vaca Serrada a Niterói, em
Porto da Folha, está pronta, bem assim a que liga a sede do município
à Ilha do Outro, resgatando promessas esquecidas de quase meio século.
Dezenas de outras novas rodovias estão sendo implantadas em todo o
estado.

No saneamento, a finalização da duplicação da adutora do S.Francisco e
a conclusão da baragem do Rio Poxim, baniram o fantasma do
racionamento da grande Aracaju. Com a finalização das obras de
ampliação e integração das Adutoras Sertaneja, do Semi-Árido, vamos
melhorar e ampliar o fornecimento de água tratada para mais de 120 mil
famílias do Sertão e do Agreste. As obras de esgotos sanitários em
Aracaju, Socorro, Barra dos Coqueiros e São Cristóvão vão ajudar a
despoluir nossos rios e dar saúde a nossa gente. A DESO, com todos os
seus problemas e dificuldades, que reconhecemos, saiu das páginas
policiais e abandonou a lista de escândalos com nomes estranhos e
cortantes.

Minhas Senhoras e meus Senhores,

Elencar todas as promessas cumpridas e as realizações deste governo,
consumiria um tempo gigantesco e estenderia desnecessariamente esta
solenidade.

Quero apenas acrescentar que não considero que está tudo resolvido.
Tenho consciência dos problemas que temos para enfrentar e dos avanços
que precisamos promover.

Concorri à reeleição porque sabia da grandeza da nossa obra, fruto do
denôdo da nossa equipe, da competência dos nossos técnicos e
servidores, do trabalho dos nossos operários e das legítimas
reivindicações do nosso povo. Tinha a convicção de que Sergipe não
queria voltar atrás, não iria trilhar o caminho do atraso, nem abdicar
da sua vocação de progresso.

A vitória mais uma vez no primeiro turno - a sétima na minha carreira
política e a quarta para o executivo, contando as duas para prefeito
da capital, ganha sem na primeira volta - é a prova inequívoca de que
o povo quer a continuidade, apóia o nosso programa e confia no seu
governador. Mas, temos consciência de que não podemos dormir sobre os
louros da vitória, nem minimizar os problemas que ainda resistem,
cobrando soluções e encaminhamentos. Feliz de quem ouvindo a doce
música da vitória, é capaz de ler os recados que as urnas também lhe
mandam.

O principal desses recados é que o povo sergipano gostou do que teve
neste últimos quatro anos, manteve-nos no governo, mas quer ainda
mais. Não elegeu uma continuação conformista, mas apoiou uma
continuidade pro-ativa, com capacidade para avançar por sobre os
alicerces e paredes já erguidos e com coragem para identificar
possíveis erros e corrigi-los.

Por isso, o nosso novo governo não abrirá mão da inovação, de novos
programas e projetos, de novas obras e serviços.

Saúde, Segurança, Educação e Desenvolvimento Social serão políticas
prioritárias no novo governo, sem prejuízo de aumentar os
investimentos nas outras áreas. Melhorar a qualidade e universalizar o
acesso às políticas sociais será uma obsessão do meu novo governo.

Sei que a Saúde é um dos temas mais candentes da conjuntura, não
apenas aqui, mas em todo o Brasil. Tenho consciência que nosso povo
ainda não tem os serviços de saúde que merece e que é nossa
responsabilidade provê-los. A Saúde será a nossa prioridade número um.

Temos confiança na política de saúde que formulamos e estamos
executando. Tomamos decisões estratégicas que lançaram as bases e
fundaram os paradigmas de um novo sistema. Apoiamos os municípios na
qualificação e ampliação da atenção básica, construímos reformamos e
ampliamos 14 hospitais; investimos 300 milhões na nova rede; mudamos o
referencial de gestão, com a criação das fundações; e
institucionalizamos a relações entre o Estado e os gestores
municipais, consolidando a estrutura do SUS em nosso estado.

Grande parte das obras já foram entregues, mas ainda não concluímos a
construção da rede hospitalar. Quando ela estiver plenamente
implantada, acredito que vai possibilitar uma melhoria significativa
na atenção à saúde, reduzindo a superlotação do HUSE e aumentando a
resolutividade das unidades do interior.

Neste mandato, a grande tarefa será, portanto, fazer funcionar
plenamente o novo sistema, melhorando a qualidade do serviço,
aperfeiçoando a gestão, viabilizando o financiamento do custeio .
Vamos trabalhar duro para melhorar o acolhimento e o atendimento dos
pacientes e abriremos um amplo diálogo com os nossos servidores, as
entidades de classe, a sociedade sergipana e a oposição, se ela
aceitar o debate.

Aproveito este momento, para fazer um respeitoso convite à aguerrida
oposição: vamos debater de forma profunda, sistêmica e programática a
saúde do nosso estado. Façamos uma trégua cívica que nos permita
discutir o tema sem abordagens apriorísticas nem radicalismos
estéreis. Não tenho o monopólio das boas intenções. Não tenho
compromisso com o erro. Estou aberto a receber sugestões e não sou
imune a críticas. A única condição que imponho é que o debate se dê de
forma democrática e respeitosa, sem fazer da dor alheia bandeira
política, nem da morte estandarte eleitoral. Aliás, senhores
deputados da ilustrada bancada da oposição, sobre este ou qualquer
outro tema de interesse público esse será sempre o meu posicionamento,
seguindo a lição de Nélson Mandela: "mesmo quando o choque entre nós
tiver assumido a forma mais extrema, eu gostaria que combatêssemos de
acordo com os nossos princípios e idéias e sem ódio pessoal para que,
no final da batalha, qualquer que seja o resultado, eu possa apertar
orgulhosamente a sua mão, por sentir que lutei contra um oponente
correto e valoroso que observou o código de honra e decência.

Pretendo dar continuidade aos avanços já conquistados na segurança
pública. Para isso, continuaremos investindo na sua atualização
tecnológica, em armas e equipamentos. Nossa meta será reduzir
fortemente os indicadores de violência, em especial aqueles referentes
a homicídios. Vamos fazer concursos para ampliar o contingente da
polícia civil e militar, fortalecer suas presenças no interior e
investir na polícia técnica.

Na Educação a meta é a qualidade. Nossa participação nos vários exames
nacionais que aferem o a qualidade do ensino tem sido abaixo do que
esperávamos. Pretendemos introduzir mudanças pedagógicas e de gestão
que melhorem o aprendizado dos nossos alunos e recupere o prestígio do
ensino público estadual. Queremos evoluir para novos critérios,
democráticos e participativos, de escolha dos dirigentes escolares.
Mas, sem tornarmos a escola refém de interesses políticos ou
corporativos.

Outro objetivo deste novo governo será a expansão e consolidação da
rede estadual de ensino profissionalizante. Nossa meta é termos, em
2014, treze escolas técnicas estaduais em funcionamento, na capital e
no interior de Sergipe.

Na Assistência social, vista como direito do cidadão, jamais como
favor do governante, pretendemos ampliar o programa mão amiga, e
expandir as parcerias com o governo federal em programas como o de
aquisição de alimentos e a bolsa família. O Governo quer e vai se
fazer mais presente ao lado dos setores mais vulneráveis da nossa
sociedade, acolhendo-os, atendendo-os e ajudando-os a se incluirem
plenamente na sociedade. Iremos aos povoados do interior e às
periferias da capital construir laços de solidariedade com as famílias
mais pobres, construindo uma aliança que ajude a evitar a ruptura do
grupo familiar com o consequente avanço das drogas e da criminalidade.

Senhores e Senhoras,


O que dará sustentabilidade ao suporte social construído pelo governo
será um desenvolvimento econômico impregnado de distribuição de renda
e inclusão social. Por isso, os investimentos públicos em
infra-estrutura que geram emprego, melhoram a qualidade de vida,
integram territórios e dotam o estado de condições indispensáveis à
atração do investimento privado, continuarão.

Nada inclui mais que o emprego com carteira assinada e direitos
laborais respeitados, por isso vamos trabalhar muito para continuar
trazendo novas empresas para Sergipe, sem esquecer de estimular os
investidores sergipanos a acreditarem na nossa economia e no potencial
do nosso mercado.

Sra. Presidente,

Encerra-se hoje um dos mais belos momentos da vida política nacional.
O mandato do Presidente Lula conclui-se nesta data. Lula mostrou-se
capaz de liderar o seu povo e conduzir a nação brasileira para um
momento extraordinário e inédito, com crescimento econômico,
distribuição de renda e mobilidade social, criando uma nova classe
média que ancorou o desenvolvimento brasileiro, gerando um novo
mercado interno com altíssima capacidade de consumo.

O segredo de Lula foi confiar no povo e priorizar os mais pobres. Foi
entender a necessidade de um projeto nacional, integrador, capaz de
reduzir desigualdades, aumentar a auto-estima do brasileiro e inserir
de forma soberana o Brasil no mercado internacional e na política
mundial.

Sergipe deve muito à sensibilidade do presidente Lula: nenhum outro
investiu tanto em nosso estado, diretamente através de obras e
programas federais ou mediante parcerias com o Estado e os Municípios.

É meu dever registrar que em todos os avanços obtidos nos últimos
quatro anos há a marca da parceria republicana e da solidariedade
companheira do Presidente Lula com o povo sergipano.

A ele endereço os meus agradecimentos e destino as minhas orações.
Lula sai do palácio, deixa o governo, mas jamais deixará o coração do
povo brasileiro, este povo reconhecido que o transformou no estadista
mais popular da humanidade.

Hoje também se inaugura uma nova era: pela primeira vez na história da
República uma mulher assume a Presidência. Dilma Roussef vai presidir
o Brasil com a responsabilidade de continuar a obra de Lula e avançar
ainda mais no desenvolvimento socioeconômico do nosso país. Desejo-lhe
boa sorte, declaro meu apoio integral à sua luta e minha solidariedade
à sua liderança. Espero que as parcerias do mandato Lula sejam
ampliadas no governo da presidenta Dilma. Que Deus a inspire e proteja.

Caríssimos Sergipanos, Caríssimas Sergipanas,

Volto ao governo com o coração cheio de alegria e os ombros vergados
sob o peso da responsabilidade. Só vale a pena a reeleição se aquele
que foi reconduzido se dedicar de corpo e alma à construção de um
governo melhor do que o primeiro. Este, tenham certeza, será o meu
desafio: fazer mais e melhor por Sergipe e pelos sergipanos.

Eleito por uma coligação liderada pelo Partido dos Trabalhadores,
formada por.....Partidos, é meu dever reconhecer e agradecer o
contributo inestimável que todos tiveram na minha reeleição. A nossa
vitória foi completa: Os dois senadores eleitos, Valadares e Eduardo
Amorim, integraram a minha chapa; dos 08 deputados federais
sergipanos, 07 são da nossa coligação; dezoito dos 24 deputados
estaduais foram eleitos por partidos da nossa base. Venci no primeiro
turno e a Presidente Dilma Roussef ganhou em Sergipe nos dois turnos.

Quero, mais uma vez, desta tribuna, agradecer ao generoso povo
sergipano que me deu a honra de mais uma vez representá-lo à frente do
governo do estado. Peço a Deus que me dê inteligência, saúde e
coragem para honrar este mandato. Meu objetivo é o mesmo que me
trouxe aqui há quatro anos: fazer de Sergipe um grande estado e da
nossa gente um povo feliz.

Aos meus familiares aqui presentes, agradeço o amor incondicional, a
solidariedade ilimitada, o apoio ininterrupto, as orações cotidianas.

Aos integrantes do meu secretariado, servidores do estado e
integrantes da minha administração, agradeço o empenho, o trabalho e
a competência que emprestaram para o sucesso do nosso projeto.

A esta augusta Casa, ao agradecer o apoio que tive no primeiro
mandato, reitero o apelo pela continuidade desta parceria
republicana, que se estriba nos princípios constitucionais que
garantem a independência dos poderes, sem esquecer de cobrar-lhes a
harmonia.

Ao Poder Judiciário endereço os meus agradecimentos pela relação
institucional de altíssima qualidade que foi mantida ao longo destes
anos. Tenho certeza que, ao lado do Tribunal de Contas e do Ministério
Público, poderemos continuar atuando de forma colaborativa em prol do
sucesso da democracia e pela eficiente prestação de serviços aos
cidadãos.

Eis-me aqui de novo, caríssimos conterrâneos, tão igual e tão
diferente. A tarefa continua a mesma, mas o campo onde vou semear já
não é o mesmo. Está mais fértil, mais bem cuidado, há implementos
novos a auxiliar a semeadura e adubo de boa qualidade para alimentar a
semente.

A experiência adquirida e o amadurecimento conquistado envelheceram a
face, mas não subverteram o espírito. Ele ainda brilha de entusiasmo
juvenil, inspirando novos projetos e alimentando uma esperança
otimista no futuro de Sergipe e do Brasil. Não parei de sonhar, mas
aprendi como tornar pos sonhos em realidade.

Escreveu Fernando Pessoa, o maior dos poetas lusos depois de Camões:

"Deus quer,
o homem sonha,
a obra nasce."

Que os meus sonhos dialoguem com o querer divino, produzindo uma obra
que, edificada no terreno da história, traduza o meu amor por minha
terra e sirva à causa da felicidade do meu povo.

Que Deus proteja Sergipe e abençoe os sergipanos.

Vencemos e Venceremos!

Viva Sergipe!


Foto: Marcos Vieira/ASN


Política
Com.: 0
Por Eugênio Nascimento
01/01
12:21

Déda e JB vão a atos religiosos

O governador Marcelo Déda, a primeira-dama Eliane Aquino e o vice-governador eleito, Jackson Barreto, participaram da missa alusiva às comemorações da posse para a nova gestão que se inicia no dia 1º de janeiro. A celebração reuniu cidadãos e diversas autoridades civis e eclesiásticas, representantes dos poderes constituídos, lideranças políticas e membros da administração estadual na Catedral Metropolitana, na manhã desta sexta-feira, 31. Na quinta-feira eles foram para atos organizados por evangélicos.

A missa teve como celebrantes o arcebispo metropolitano de Aracaju, Dom José Palmeira Lessa, o bispo auxiliar Dom Henrique Soares da Costa e o pároco padre José Dácio. Também participaram os bispos das dioceses de Propriá, Dom Mário Rino Sivieri, da Diocese de Estância, Dom Marco Eugênio Galrão, dentre outros sacerdotes.“Este é um momento de oração, reflexão e agradecimento. É hora de voltarmos todos os nossos corações para Deus agradecendo por mais uma vitória e para pedir, com humildade, que ele nos ilumine e nos permita governar Sergipe com coragem, retidão e disposição de melhorar a vida do povo”, afirmou Marcelo Déda.


Política
Com.: 0
Por Eugênio Nascimento
01/01
12:17

Governador Marcelo Déda anuncia a lista de secretários

O governador Marcelo Déda reuniu a imprensa quinta-feira para fazer um relato do cumprimento das metas ficais para o final do mandato e anunciar novos nomes que irão compor parte do secretariado da nova administração. Os anúncios foram feitos no auditório do Palácio dos Despachos, contando com a participação de secretários de Estado, membros da administração e lideranças políticas.

Déda foi enfático ao evidenciar o fechamento do exercício do ano de 2010 na administração estadual com êxito, conforme previsto nas medidas de contenção anunciadas pelo governador ainda em outubro o pagamento da folha de servidores e décimo terceiro salário completamente em dia, no mês de dezembro. “Este é o décimo ano, desde que assumi um cargo no Poder Executivo, nunca atrasamos em um dia o pagamento dos servidores, seja durante o período em que fui prefeito da capital, ou agora como governador do Estado”, lembrou Déda.

Outro dado relevante lembrado pelo governador refere-se à antecipação do repasse da cota do ICMS pago aos municípios sergipanos, prevista para 4 de janeiro, e que foi paga dia 28 de dezembro. “Fizemos isso para ajudar aos municípios a fecharem suas contas no final do ano”, explicou o governador. Déda também anunciou o parcelamento para o pagamento do ICMS de dezembro, atendendo a uma reivindicação das entidades do comércio. “Dessa forma, ao invés de pagar tudo de uma só vez, os comerciantes pagarão 50% do valor devido em 10 de janeiro e os outros 50% no dia 20 de janeiro, possibilitando que eles movimentem o capital no período”, detalhou Déda.


Novos secretários

Ao iniciar o momento em que anunciou os nomes que vão compor a equipe da próxima 
administração, o governador explicou que esse é um processo que está sendo conduzido com tranquilidade e a partir do diálogo com diversas lideranças da base aliada. Déda também afirmou que as pastas que não foram anunciadas estão sendo objeto de estudos para a reforma administrativa que se dará no início da nova gestão, conforme projeto a ser enviado à Assembleia Legislativa, ou ainda objeto de discussão na base de governo.

O primeiro secretário anunciado foi Jorge Alberto Prado, o atual secretário de Estado da Administração, que responderá pela Secretaria de Estado da Casa Civil, onde será 
responsável pela implementação de um trabalho de caráter mais político, conforme o 
governador, para dar suporte a uma maior articulação com os municípios, com a Assembleia Legislativa e com a própria sociedade.


Em seguida, Déda confirmou a permanência dos secretários João Andrade (Fazenda), João 
Eloy (Segurança Pública), Benedito Figueiredo (Justiça e Cidadania), Belivaldo Chagas 
(Educação), Eloísa Galdino (Cultura), Valmor Barbosa (Infraestrutura), Maurício Pimentel (Esporte e Lazer), Carlos Cauê (Comunicação Social). Também permanecem nos atuais cargos Márcio Leite de Rezende (Procuradoria Geral do Estado), Adinelson Alves (Controladoria Geral do Estado) e o chefe do Escritório de Representação de Sergipe em Brasília, Pedro Lopes.

Para a pasta da Saúde, Déda anunciou o médico sanitarista Antônio Carlos Guimarães, atual presidente da Fundação Hospitalar de Sergipe (FHS), e que tem experiência administrativa, pois foi secretário municipal de Saúde no município de Mogi Mirim (SP). “Ele é um técnico que vai cumprir uma tarefa muito especial de operar o sistema que nós criamos no primeiro governo. Um sistema exitoso e que coloca Sergipe na frente dos demais estados brasileiros, já que realizamos, no primeiro mandato, os investimentos que estavam reprimidos há décadas”, mencionou o governador, referindo-se aos R$ 300 milhões investidos para configuração de uma nova rede assistencial com maior apoio às prefeituras e interiorização do atendimento.

Déda também fez questão de agradecer publicamente ao trabalho realizado pelo então 
secretário e deputado eleito Rogério Carvalho, além de reconhecer a dedicação da atual secretária Mônica Sampaio, a quem também agradeceu pelo empenho durante os dez anos em que compôs a sua equipe de saúde, na prefeitura de Aracaju e no Governo do Estado.

O governador também anunciou a primeira-dama Eliane Aquino como a nova secretária de 
Estado da Inclusão, Assistência e Desenvolvimento Social. Para Déda, a partir da assunção de uma secretaria com estrutura administrativa e orçamentária, Eliane Aquino poderá ampliar a sua já importante participação na implementação das políticas sociais em Sergipe.

“Como é um cargo político, não se carrega nenhum impedimento conforme decisão do Supremo Tribunal Federal (STF)”, antecipou o governador, ao justificar a escolha diante do desempenho da primeira-dama na implantação e execução de diversos projetos a exemplo do Sergipe de Todos, Bem Mulher, Programa de Combate ao Crack, dentre outras iniciativas que atuam hoje em todo o estado. Déda também fez questão de agradecer ao trabalho desempenhado pela atual secretária Luci Silva, que permanecerá na equipe da secretaria.

Déda também anunciou a recriação da Secretaria de Estado do Turismo, atendendo aos anseios de todo o trade turístico e estudiosos do setor, nomeando para seu titular o engenheiro agrônomo e empresário do setor hoteleiro, Paulo Viana, que respondia pela Secretaria de Estado da Agricultura.

Para a pasta da Agricultura e Desenvolvimento Agrário, o governador anunciou o nome do engenheiro agrônomo e advogado José Macedo Sobral, que responde atualmente pela Secretaria de Estado do Trabalho e Promoção da Igualdade Social.


Novas demandas

Marcelo Déda fez questão de esclarecer que os secretários que por ventura não continuaram na equipe não estão sendo demitidos. Ele esclareceu que se finda um mandato e, naturalmente, surgem outras demandas a serem contempladas, necessidades de ampliação de atuação e construção de políticas públicas que motivam um processo natural de mudança para uma nova gestão.

Ainda segundo o governador, a administração estadual também recebe diversas reivindicações para a criação de pastas e órgãos para atribuições específicas que surgem das novas demandas sociais, exemplo da condução das políticas de gênero, políticas direcionadas à juventude, ações diretamente relacionadas à produção de energia, já que Sergipe hoje é um estado produtor e exportador, além das novas demandas criadas a partir da nova dinâmica que o Governo Federal implementou nas políticas de saneamento, com um volume de recursos que  aumentou sensivelmente a partir do Programa de Aceleração do Crescimento (PAC), dentre outras exigências.

“Essas são demandas novas que a nova realidade nos impõe. Então há uma discussão no governo para definir se criamos pastas específicas ou funções agregadas a pastas já existentes”, explicou o governador em relação à definição das demais secretarias que deve ocorrer no início de janeiro.

Acompanharam o governador no anúncio dos novos integrantes de governo, a primeira-dama, Eliane Aquino, o vice-governador  e secretário de Educação, Belivaldo Chagas, o prefeito da capital, Edvaldo Nogueira e o secretário de Estado da Comunicação, Carlos Cauê.  

(SECOM-Estado)


Política
Com.: 0
Por Eugênio Nascimento
30/12
09:47

Déda anuncia secretariado hoje à tarde

O governador Marcelo Déda só anunciará os nomes definidos do primeiro escalão no final da tarde de hoje.

Déda passou o dia de ontem conversando com os dirigentes e principais lideranças dos partidos da base aliada.

Os assessores ficaram até umas 22h aguardando o anúncio do horário da entrevista. Hoje, as negociações continuam no Palácio de Veraneio.

Política
Com.: 0
Por Eugênio Nascimento
30/12
09:10

Prefeitura define data para inscrições de comerciantes no Pré-Caju 2011

A Prefeitura de Aracaju, por meio da Empresa Municipal de Serviços Urbanos
(Emsurb), informa que as inscrições para comercialização no Pré-Caju 2011
acontecerão nesta próxima terça-feira, dia 4, das 8h30 às 17h. O cadastro
para os vendedores será realizado no prédio da Diretoria de Espaços
Públicos, que fica localizado no Parque da Sementeira, no endereço Av.
Jornalista Santos Santana, s/n. "As inscrições ocorrerão em um único dia",
salienta Antônio Carlos Mota, diretor de Espaços Públicos.

Para efetivar a inscrição o comerciante interessado deverá apresentar o
documento original da carteira de identidade e do CPF e o comprovante de
residência no Estado de Sergipe. "Não serão aceitas inscrições de residentes
em outros Estados. Também não será permitida a inscrição de menores de 18
anos", ressalta Antônio Carlos. O sorteio dos pontos para comercialização
ocorrerá no dia 6 de janeiro, a partir das 8h30, no mesmo local das
inscrições.

"Todos os contemplados terão até o dia 10 de janeiro para efetuar o
pagamento da taxa na rede Banese ou Casas Lotéricas, devendo até o dia 11 de
janeiro apresentar o boleto pago na Emsurb e entregar foto 3x4 do
permissionário sorteado", informa o diretor de Espaços Públicos. Em toda a
extensão da avenida onde é realizada a festa (Beira Mar) serão
disponibilizados espaços para o comércio de lanches, bebidas, bares, capeta,
acarajé, towner de lanches, pipoca, milho cozido e adereços para carnaval.

Bebidas

"Informamos também que somente poderão ser comercializadas bebidas dos
fabricantes patrocinadores, sendo passível de apreensão aquele
permissionário que for flagrado comercializando outra marca", registra
Antônio Carlos. "É terminantemente proibido a venda de churrasquinho no
espeto, devendo o comerciante grelhar a carne e servir em recipiente
descartável, bem como bebidas de qualquer tipo em recipiente de vidro
circulando pela avenida", acrescenta.

Para os que forem sorteados no comércio de alimentos, é obrigatória a
participação no curso sobre higienização e manipulação de alimentos que será
ministrado pela Coordenadora de Vigilância Sanitária (Covisa), ligada à
Secretaria Municipal de Saúde (SMS).


Política
Com.: 0
Por Eugênio Nascimento
29/12
13:45

Cauê diz que Déda já está conversando com partidos

O governador Marcelo Déda está conversando com algumas lideranças, mas tem dado atenção especial aos partidos e não a pessoas isoladamente. Talvez seja por isso que tem gente reclamando de não ter sido ouvida. O comentário foi feito pelo secretário de Estado da Comunicação, Carlos Cauê.

Ele lembrou que a aliança foi feita entre partidos e não entre indivíduos. Portanto, os insatisfeitos devem conversar com os dirigentes de seus partidos. Eles sabem de tudo que está para acontecer. O governador discutiu seu segundo com Valadares (PSB), Jackson Barreto (PMDB) e Eduardo Amorim (PSC).


Política
Com.: 0
Por Eugênio Nascimento
29/12
13:24

Déda anuncia secretariado amanhã e projeto de reforma

O governador Marcelo Déda (PT) anuncia amanhã parte significativa do primeiro escalão de seu segundo mandato e os que ainda faltarem terão seus nomes tornados públicos em janeiro próximo.

Em fevereiro, o governador encaminha projeto de reforma administrativa a Assembleia Legislativa e logo depois anunciará os ocupantes dos cargos que serão criados. Há a possibilidade de exclusão de pastas.


Política
Com.: 0
Por Eugênio Nascimento
29/12
13:20

Reforma do secretariado estadual será mínima

 Quando o governador Marcelo Déda (PT) anunciou a sua pretensão de promover uma reforma no seu primeiro escalão, para melhor ajustar a equipe ao projeto que trabalha, muita gente pensou em mudanças profundas, chegou até a apostar na queda de mais de 50% da equipe que forma o primeiro escalão.

Ledo engano. Não é que o governador não deseje dar amplitude às mudanças, mas sim há falta de bons quadros técnicos e políticos para encaminhar o projeto de governo. Quando o técnico é bom, lhe falta habilidade política, capacidade de conversar e tentar fugir do puro tecnicismo.

E quando o político é hábil e ágil lhe falta conhecimento técnico. Isso é muito comum em todo o Norte e Nordeste do país

Sem querer desmerecer o governador e qualquer um outro membro da sua equipe, aqueles que pensavam numa reforma ampla isso desejam no afã de ver a máquina administrativa mais atuante, realizadora e longe dos efeitos malignos da estrutura viciada do aparelho do Estado.

Marcelo Déda há de entender que não teve crescimento eleitoral nas urnas em outubro último, embora tenha vencido o pleito no primeiro turno, justamente por que o Estado esteve parado, com poucas e pequenas realizações e por causa do intenso festival de críticas da oposição, que conseguiu mostrar isso para o eleitorado.

Há muitas críticas da população ao governo. Elas são mais intensas na classe média, principalmente daqueles setores que estavam no poder e ficaram desabrigados e desapracatados com a derrota de João Alves Filho (DEM) nas eleições de 2006. Mas as críticas do cidadão comum têm seu valor. 

Ele (o cidadão comum) reclama de problemas na saúde e na educação e da falta de atenção do  governo para com os mais pobres, embora sejam apontados como prioridade número um. A oposição – numericamente insignificante - dá 
eco aos reclamos.

Mas fato é que Marcelo Déda vai para o seu segundo governo com disposição para marcar a administração pública estadual  e, quem sabe, sair do Palácio de Despachos em 2014 como candidato a senador em condições de vitória.

Por isso, ele já anunciou que será mais exigente nas cobranças ao seu secretariado, que terá um 2011 de dificuldades, com contenção de gastos e sem o direito a pequenas mordomias do dia-a-dia das repartições. 

Caberá aos secretários mostrar competência, ter zelo pela coisa pública e realizar projetos que chamem a atenção para o governo que se propõe a ser o governo das mudanças.


Política
Com.: 0
Por Eugênio Nascimento
Primeira « Anterior « 692 693 694 695 696 697 698 699 700 701 702 » Próxima » Última

Enquete


Categorias

Arquivos