28/06
07:51

Forró Caju nos Bairros mantém vivas as tradições dos aracajuanos

Embora a praça de eventos Hilton Lopes esteja com a programação a todo vapor, o Forró Caju continua também nos bairros da capital sergipana. Na noite desta quarta-feira, 27, os bairros Aruana, São Conrado e conjunto Augusto Franco foram os contemplados com o arrastapé. Durante o evento, a população teve a oportunidade de receber quadrilhas e trios pé-de-serra para animar a noite inteira. O público aproveitou o novo formato do evento em 2018 para comemorar a classificação da Seleção Brasileira na Copa do Mundo junto aos tradicionais festejos juninos.


O presidente da Fundação Cultural Cidade de Aracaju (Funcaju), Cássio Murilo, ressalta a importância da inovação no Forró Caju para a cultura. “Fico muito feliz de fazer parte de uma gestão que aposta e investe na ideia de democratização dos nossos bens culturais e de ver as famílias aproveitando tudo isso. Nesta noite, ainda temos o diferencial da Seleção Brasileira ter vencido e a população estar nas ruas comemorando esse momento especial para o Brasil com música, comidas e vestimentas típicas. Temos visto nos bairros a celebração da nossa identidade e dos nossos valores e hoje não podia ser diferente”, comemorou Cássio.

O Forró Caju nos Bairros encerra a programação na próxima sexta-feira, 29, às 19h, no bairro Siqueira Campos, rua Sargento Lauro José, conjunto Lourival Batista, com Iracema do Forró e Jailson do Acordeon.

PMA



Variedades
Com.: 0
Por Eugênio Nascimento
25/06
21:00

Tobias Barreto completa um ano sem homicídios por arma de fogo

Desde junho do ano passado não há registro de homicídio por arma de fogo no município de Tobias Barreto, que fica a cerca de 130 quilômetros da capital sergipana. Além disso, o último crime cometido por arma branca foi em fevereiro de 2017. O trabalho em conjunto e a criação do Batalhão em 2016 são dois pontos de destaque para que os índices de criminalidade tenham reduzido nos últimos dois anos. 

"A diretriz básica é o combate ao tráfico de drogas e pistolagem. O trabalho em conjunto, a troca de informações entre a Polícia Civil e Militar tem sido fundamental para este resultado obtido. Em relação às drogas, em média são presos de cerca de 10 traficantes por mês. E com o trabalho integrado das delegacias de Itabaianinha, Poço Verde e Tobias conseguimos também essa boa marca no combate ao crime de pistolagem", afirmou o delegado de Tobias Barreto, Fábio Pimentel.

Em dois anos de existência, o 11º Batalhão de Polícia Militar que fica em Tobias Barreto já fez a apreensão de 48 armas de fogo. Além disso, o aumento do efetivo trouxe mais segurança para toda a população tobiense.

"Antes aqui era uma Companhia, eram poucas viaturas e poucos policiais. Com a criação do Batalhão em maio de 2016 nós aumentamos o efetivo e o número de viaturas circulando na cidade de Tobias. Então a ostensividade tem sido maior. O policiamento nas ruas impede que o crime aconteça, principalmente tráfico e homicídio, inibe os criminosos e traz mais segurança à população. A integração também tem sido muito importante, com as ações em conjunto nós conseguimos excelentes resultados", Tenente Coronel Alexsandro Ribeiro, comandante do 11º Batalhão de Polícia Militar. 



Variedades
Com.: 0
Por Eugênio Nascimento
25/06
20:34

Eleições 2018 - Patriota/SE lança pré-candidatos nesta terça-feira

O “Patriota” lança nesta terça-feira (26)  a pré-candidatura ao Senado de Emília Corrêa. O encontro que acontece a partir das 07:30h, no hotel Quality,  e marca também o lançamento das pré-candidaturas dos deputados federais e estaduais. “Será um encontro para unificar o grupo e declarar apoios”, disse o presidente do partido,  João Nascimento.

Emília Corrêa, um dos principais nomes da sigla, comentou que o Patriota em Sergipe tem crescido e essa confirmação das pré-candidaturas, para Estadual e Federal respaldam esse fortalecimento.

Segundo a pré-candidata ao Senado, “novos nomes chegando, pessoas com fichas limpas para concorrer a vagas importantes como deputado federal  e deputado estadual. Estamos aqui para contribuir e, verdadeiramente, fazer a história da política que se espera”.

Ela afirmou ainda que o partido estava sem rumo, mas  a condução zelosa do Patriota, feita  pelo presidente João Nascimento, tem mostrado a força de uma unificação em prol de um projeto que tem como foco a justiça para todos.

“A sociedade está cansada, frustrada.  Temos consciência do compromisso de mudanças  que pretendemos assumir. E o partido, avança nessa direção”, concluiu a parlamentar.

Política
Com.: 0
Por Eugênio Nascimento
25/06
20:22

Professores temem onda e violência em Socorro

 A violência corre solta em Nossa Senhora do Socorro. Os principais alvos são as escolas estaduais dos conjuntos Marcos Freire 1 e 2, João Alves e Albano Franco. Os professores e alunos temem a ação dos marginais, que circulam com revólveres, facas peixeiras e facões em busca de motos,  celulares e  dinheiro.



Variedades
Com.: 0
Por Eugênio Nascimento
25/06
14:45

Advogado sergipano apontado como bilionário desmente informação

O advogado sergipano Cezar Britto, ex-presidente do Conselho Federal da Ordem dos Advogados do Brasil, é o primeiro militante da esquerda brasileira à tornar-se bilionário, conforme divulgou o Diário do Poder, do jornalista Cláudio Humberto. Britto nega.


Segundo o jornalista, ele terá direito a receber de honorários de 10% a 30% (de R$ 1,5 bilhão a R$ 4,5 bilhões) da causa trabalhista contra a Petrobras e que rendeu R$ 15 bilhões aos trabalhadores, conforme decisão do Tribunal Superior do Trabalho (TST).


“Como fiz a defesa das ações no TST, na semana passada, isso pode ter gerado a confusão na avaliação do jornalista Cláudio Humberto, que me prometeu corrigir a informação”, explicou.

Esclarecimento

Cezar Britto disse que não há fundamento na informação. “A causa beneficia cerca de 19 mil trabalhadores, dos quais cerca de 500 do total de empregados da Petrobras em Sergipe, que conta com 1.000. Há centenas de advogados na causa. Portanto, a informação é descabida”, comentou.


Cezar, que é natural de Propriá, responde por trabalhadores de Sergipe, Alagoas e parte da Bahia. Ele lembra que a Petrobras vai recorrer da decisão do TST junto ao Supremo Tribunal Federal (STF).



Política
Com.: 0
Por Eugênio Nascimento
24/06
18:50

Coluna Primeira Mão

Falando com mortos

  

Não muito tempo atrás, quando as eleições eram demasiado fraudulentas, mortos votavam e ajudavam a eleger políticos. Agora, tem gente falando com mortos e transmitindo mensagens que visam a prejudicar candidatos. A Justiça Eleitoral não pode tolerar essa prática de banditismo eleitoral de pessoas que supostamente conversam com mortos. É preciso respeitar a memória do ex-governador Marcelo Déda.

 

100 mil empregos

 

Em entrevista ao programa Balanço Geral, da TV Atalaia,  o secretário de Estado da Fazenda, Ademário Alves, anunciou que pretende criar 100 mil novos empregos em Sergipe. Nos próximos dias vai anunciar um projeto para fazer o Estado voltar a crescer.

 

Os processados

 

A Justiça Eleitoral deveria fornecer listas de candidatos respondendo a processos na justiça. Isso, sim, ajudaria a melhorar a qualidade do voto do eleitor. Em todos locais de votação, os eleitores poderiam conferir os nomes dos políticos envolvidos com culpa no cartório, condenados ou não.

 

É preocupante


Alguns candidatos do PSL de Sergipe usam como slogan de campanha “Endireita, Brasil”. Alguns eleitores pensam que a proposta é endireitar, consertar o país. Mas parece se tratar de jogar o Brasil nas mãos de direitistas, alguns dos quais inconsequentes.


Sem estímulos

 

Os candidatos a mandatos eletivos terão dificuldades para levar os eleitores aos locais de votação. Os eleitores não terão estímulos para votar. Primeiro, a multa cobrada para quem não vota tem valor menor do que as passagens de ônibus. O transporte de eleitores, que é proibido, poderá ficar fortalecido. Segundo, um incentivo para ir votar poderá a compra-e-venda de votos, prática que pode aumentar no país inteiro.

 

Cobrança

 

Quando o pré-candidato Eduardo Amorim (PSDB) anunciar que pretende construir o Hospital do Câncer e fizer críticas àqueles que não o construíram, os governistas vão lhe indagar por que não o fez quando foi secretário de Estado da Saúde.

 

Os desonestos

 

Os candidatos que se apresentarem como honestos parecerão mais suspeitos nas próximas eleições por causa de casos e mais casos de corrupção.. Se eles são honestos, por que precisam dizer que são diferentes dos desonestos, uma vez que os tornados desonestos um dia já disseram que eram honestos?

 

Cuidado!

 

Se antes o caixa 2 era proibido e era burlado, por quê os candidatos deixarão de fazê-lo agora? O financiamento empresarial continuará, só que com mais cuidados.

 

Em fuga

 

Os jovens de 16 a 18 anos tenderão a fugir das eleições. O impacto dos seguidos casos de corrupção tem mais abalado esse contingente de eleitores.

  

Promoção imediata


Policiais militares querem o fim do subsídio e a volta do posto imediato, mediante o qual, com aposentadoria, ganha uma promoção. Isso é retrocesso.

 

Uso indevido

 

Usuários dos serviços de saúde do IPES comentam que pessoas sem direito a tais benefícios estão recebendo autorização de funcionários do órgão  para fazer consultas, exames e cirurgias. O resultado disso é que os prazos para qualquer serviço requisitado foram aumentados. Efeito da proximidade das eleições?


Desagradou geral


Os caminhoneiros sergipanos não estão contentes com o preço do óleo diesel nas bombas dos postos de gasolina. Afinal, fizeram aquela greve pra que? Os motoristas que usam gasolina, que esperavam pegar carona na greve dos caminhoneiros e que por isso apoiaram a greve, também não estão satisfeitos com o preço da gasolina. O governo federal está conseguindo desagradar aos dois grupos de consumidores.

 

Terceiro turno


A ideia já foi experimentada em outras cidades e bem que poderia ser testada em Aracaju. Considerando que os trabalhadores do setor privado não têm tempo de cuidar de seu bem-estar, a Secretaria Municipal da Saúde bem que poderia introduzir o serviço público chamado de "terceiro turno" para atender essa população com consultas, exames, etc. Durante os dois turnos ordinários, são velhos, mulheres, velhos e crianças que frequentam os postos de saúde.

 

Grande trapalhão


Pelas informações conseguidas até agora, aparentemente não existem crianças sergipanas separadas de seus pais e custodiadas nos Estados Unidos. Durante a II Guerra Mundial, crianças eram separadas dos pais quando estes eram eliminados. Esse presidente norte-americano é realmente um grande trapalhão.

       

Só dá barão


Um levantamento sobre os títulos de nobreza de Sergipe detectou que o baronato no tempo do império era muito forte no Estado. Tínhamos Barão de Estância (Antônio Dias Coelho e Melo), Barão de Cotinguiba (Bento de Melo Pereira),  Barão de Maruim (João Gomes de Melo); Barão de Propriá (José da Trindade Prado), Barão do Rio Apa (Antônio Enéas Gustavo Galvão),  Barão de Traipu (Manuel Gomes Ribeiro), Barão de Itaporanga (Domingos Dias Coelho e Melo), Barão de Japaratuba (Gonçalo de Faro Rollemberg),Barão de Laranjeiras (Felisberto de Oliveira Freire), Barão de Aracaju (José Inácio Acciolli do Prado) e Barão de Itabaiana (Pedro Leopoldo de Araújo Nabuco). 



Coluna Eugênio Nascimento
Com.: 0
Por Eugênio Nascimento
24/06
18:00

Dois fatos desconexos e absurdos

José Lima Santana - é padre, professor da UFS e advogado

Nos últimos dias, dentre tantos fatos acontecidos, ocorreram dois bem díspares, totalmente sem conexão um com o outro, mas, ambos estupidamente absurdos. Um deu- se na Rússia, que sedia a Copa do Mundo. O outro se deu aqui mesmo, nas terras de Serigy.

O primeiro, o da Rússia, tratou-se de um fato indigno de homens de bem, quando alguns marmanjos brasileiros fazendo uso de uma “musiquinha” sacana, machista, do tipo porcaria para os bons ouvidos masculinos ou femininos, levaram mulheres estrangeiras a repetirem palavras na língua portuguesa, que elas não sabiam nem compreendiam, indigestas para as mães, irmãs, avós, tias, primas, esposas, noivas, namoradas, filhas ou amigas dos tais marmanjos. Mas, eles não se deram conta disso. Um deles é oficial da Polícia Militar de um dos nossos estados; outro era (já foi afastado) empregado de uma grande Companhia aérea do país; outro é advogado, e a OAB Seccional do seu estado já se manifestou, repudiando o comportamento vil do que se diz causídico, enquanto outro é engenheiro. Disseram setores da imprensa que outros vídeos, além do que envolve esses tais, foram virilizados. Uma pena! Tudo isso é lamentável. O advogado de um deles adiantou-se em dizer que o sujeito é um bom homem e que teria agido num momento de extravasamento. Extravasou o quê? O que têm em mente sujeitos como esses? Um famoso apresentador televisivo saiu-se com essa: “Eles podem ser bons homens, mas a atitude deles foi de machos”. Ora, homens são machos, em tese. Mas, nem todo macho é homem. Alguns não passam de moleques.

Que coisa chata! Antipática. Aberrante. E, ainda por cima, ajuda a macular o nome já tão maculado do país. Já não chegam os tipos encastelados na vida política que envergonham o Brasil e os brasileiros de bem? Já não bastam as safadezas dos malversadores do dinheiro público, que se acham em quase todos os partidos políticos com representação nos Poderes Legislativo e Executivo, e nos três âmbitos da Federação? Já não chegam as dezenas de milhares de mortes anuais, como se vivêssemos numa guerra civil? Já não chegam...? Já não chegam...? Já não chegam...?

Algum leitor ou alguma leitora poderá dizer: “Ah, mas esse fato é tão desimportante diante dos casos graves que assolam o país!”. Ledo engano! Há gravidades no fato. Porém, seguramente, a maior delas é exatamente a exposição banal de mulheres inocentes, que, provavelmente, diante de tantos turistas que acorreram ao país da Copa, estariam se divertindo, como é tão comum em grandes eventos, estariam tentando ser gentis e acabaram sendo vilipendiadas de forma ridícula. Isso é, sim, muito grave. Não vale jogar lixo sob o tapete. Nem tentar tapar o sol com uma peneira.

Que a Seleção brasileira não tenha, nesta Copa do Mundo, uma atuação ridícula como a desses sujeitos, como a desses imbecis.

O outro fato ao qual me reportei lá em cima, o que transcorreu por aqui mesmo, /no nosso Sergipe tão carente de ajustes, refere-se a uma falsa notícia de que um famoso espírita kardecista da Bahia teria psicografado uma carta do governador Marcelo Déda. Fato desmentido. Ora, quem teve a baixeza de divulgar tal fato inverídico? Qual o propósito de quem o fez? Por que agir dessa maneira? Esperava algum ganho político com isso? Com a inverdade? Com a invocação do nome de uma pessoa falecida, que deve ser deixada em paz, assim como também em paz devem ser deixados os seus familiares. Essa foi uma atitude tresloucada. O mundo da política já está tão sujo! Precisa de mais sujeira? Decerto que não.

Lamentável sob todos os aspectos. Há políticos de vários segmentos partidários que estão sempre invocando o nome do governador Marcelo Déda. É como se cada um quisesse puxar para si um pedaço do seu espólio político. Com qual direito? Quem tem esse direito? Talvez o seu partido, o partido ao qual ele era filiado, o tenha. Talvez. Eu digo talvez porque os partidos não pertencem às pessoas, e, muito menos, as pessoas pertencem aos partidos. Todavia, com certeza, o espólio político do governador, que muito cedo nos deixou, pertence à sua família, e, mais de perto, a quem, dentre os seus familiares, tenha a bravura de avocar a si esse espólio, para com dignidade levá-lo avante. Aliás, parece que isso já está sendo feito pela viúva de Déda, e atual vice- prefeita de Aracaju, Eliane Aquino. É óbvio que outros familiares poderão fazê-lo também. Nada obsta. Deixemos, pois, que a família cuide disso como melhor lhe aprouver.

Quanto a quem fez divulgar o fato mentiroso da tal carta psicografada, que tenha juízo. Que tenha vergonha na cara. Que procure trilhar o seu caminho, se é que tem um a trilhar.

Peço desculpas aos leitores se mudei completamente o rumo dos meus escritos neste fim de semana. Não lhes trouxe nenhum “causo” ou conto provinciano, como eu gosto de chamar os meus simplórios escritos, publicados no JORNAL DA CIDADE e republicados no site Click Sergipe, no blog Primeira Mão e na minha página do Facebook. É que, calado, eu não suportei a divulgação dos dois fatos mencionados. Não deu para suportar.




Coluna José Lima
Com.: 0
Por Eugênio Nascimento
24/06
16:55

A Balada do Velho Marinheiro

Clóvis Barbosa – É conselheiro do Tribunal de Contas de Sergipe, advogado

 

Já falei muito sobre o sentido da vida. Ele decorre, como já disse, seja política ou não, de estabelecermos metas. Um homem sem objetivos, sem norte, ganha a tonalidade de espectro. É necessário frisar, no entanto, que nenhum esboço de conduta alcançará êxito se não for bosquejado segundo dois princípios elementares: o da edificação da felicidade e o da caminhada realista. Um exemplo. Atribui-se ao físico Albert Einstein a seguinte alegoria: há um barco no mar; os ares, contudo, não são, em princípio, favoráveis ao timoneiro. O que faria o pessimista? Desistiria de navegar. Que postura adotaria o indivíduo utópico? Esperaria que o vento passasse a soprar na direção que lhe interessasse. Como agiria o realista? Ora, esse ajustaria as velas e prosseguiria na sua viagem. Enxerga-se, por conseguinte, que o realismo encorajador deve ser o verdadeiro combustível – que não poderá, jamais, faltar àquele que desenvolve a pretensão de gerir a coisa pública. Diante disso, a carta de recomendação de um político comportará mensagens de realismo e propostas de felicidade. A mensagem de realismo tem premissas. Todas elas trafegam pela noção que o gestor público deve ter das contas que precisa prestar da sua administração e, também, do enquadramento da sua vontade pessoal ao querer abstrato da lei. Thomas Hobbes leciona que a única coisa igual entre os homens é que todos eles são diferentes. E nem todos os políticos são advogados, ou contadores, ou economistas. Muitos não tiveram a efetiva oportunidade de saborear os manuais científicos que ditam regras nas academias de ciência. E, honestamente, os políticos não devem ser doutores da lei, mas mestres da lógica e do bom-senso, sempre procurando njustar as velas do barco ao vento da realidade cotejada. Por quê? Porque as massas elegem seus líderes para representa-las em suas fantasias e sonhos de felicidade.

A propósito, no fim do ano passado, em conformidade com os princípios da anualidade, da exatidão orçamentária, da eficiência e da solidariedade entre Órgãos e Poderes da Administração Pública, o Tribunal de Contas do Estado e o Estado de Sergipe, firmaram um Termo de Compromisso onde o TCE comprometeu-se a restituir ao tesouro do Estado o superávit financeiro do exercício anterior, no montante de R$ 11.663.234,51 (onze milhões, seiscentos e sessenta e três mil, duzentos e trinta e quatro reais e cinquenta e um centavos), por meio da dedução dos duodécimos a serem repassados nos meses de novembro e dezembro de 2017, visando, com a anuência do Poder Executivo, atender os requerimentos oriundos das Secretarias estaduais, que pleitearam parceria com aquela Corte de Contas para concretização de investimentos nas respectivas áreas de atuação, nos termos dos Ofícios que integraram um processo administrativo. O Termo foi assinado pelo presidente do TCE e pelas seguintes autoridades do Estado de Sergipe: Jackson Barreto de Lima, Governador do Estado de Sergipe; Cristiano Barreto Guimarães, Secretário da Justiça e de Defesa ao Consumidor; os Membros do Conselho de Reestruturação e Ajuste Fiscal de Sergipe (CRAFi), Josué Modesto dos Passos Subrinho, Secretário da Fazenda; Rosman Pereira dos Santos, Secretário do Planejamento, Orçamento e Gestão; Benedito de Figueiredo, Secretário de Governo; Eliziário Silveira Sobral, Secretário Chefe da Controladoria Geral do Estado; Maria Aparecida Gama, Procuradora Geral do Estado; Guilherme Maia Rebouças, Superintendente-Geral de Planejamento e Orçamento da Secretaria de Estado do Planejamento, Orçamento e Gestão; e Antoniel Barboza Teles, Superintendente-Geral de Finanças Públicas da Secretaria da Fazenda.

Subscreveram ainda o documento: Valmor Barbosa Bezerra, Secretário da Infraestrutura e do Desenvolvimento Urbano; José Almeida Lima, Secretário da Saúde; Wellington Dantas Mangueira Marques, Diretor-Presidente da Fundação Renascer; João Eloy de Menezes, Secretário de Segurança Pública; Danielle Garcia, Diretora do Laboratório de Tecnologia da Polícia Civil; Katarina Feitoza Lima Santana, Delegada-Geral da Polícia Civil; e Angelo Santos Bezerra, Chefe da Assessoria de Tecnologia da Informação do Corpo de Bombeiros Militar. Os recursos, pelo ajuste firmado, teriam as seguintes destinações: 1) Secretaria da Saúde: implemento do “Programa Saúde Já”, a partir do investimento total estimado de R$ 6.000.000,00 (seis milhões de reais), sendo R$ 3.678.803,00 (três milhões, seiscentos e setenta e oito mil, oitocentos e três reais) para duas carretas, dois cavalos mecânicos, aparelhos e equipamentos oncológicos instalados e R$ 2.321.197,00 (dois milhões, trezentos e vinte e um mil, cento e noventa e sete reais) relativos à estrutura de toldos, computadores, mesas, cadeiras, custo operacional e de retaguarda por um ano; 2) Secretaria da Infraestrutura: aquisição e instalação de usina de asfalto para implantação e manutenção da malha viária estadual e aquisição de rolo compactador, equipamento compacto para demarcação/sinalização horizontal de vias e sarjetas e fechamento da área, ao custo total estimado de R$ 3.516.000,00 (três milhões, quinhentos e dezesseis mil reais); 3) Corpo de Bombeiros Militar: aquisição de estações de trabalho, área da tecnologia da informação, com estimativa orçamentária de R$ 60.000,00 (sessenta mil reais); 4) Controladoria Geral do Estado: aquisição de até 15 (quinze) computadores de mesa novos, objetivando ampliar a efetividade dos trabalhos realizados, com o custo estimado de R$ 39.450,00 (trinta e nove mil, quatrocentos e cinquenta reais).

Para a Secretaria de Estado da Justiça e de Defesa ao Consumidor, a 5ª pasta beneficiada, seria adquirido um scanner corporal (visando impedir a entrada de artigos proibidos, como drogas e armas) destinado à Fundação Renascer, no valor estimado de R$ 706.000,00 (setecentos e seis mil reais) e, ainda, a colocação de telas de proteção na área do banho de sol (solário) das unidades prisionais “Copemcan” - Complexo Penitenciário Dr. Manoel Carvalho Neto - Presídio São Cristóvão e “Cadeião” - *Cadeia Territorial de Nossa Senhora do Socorro, visando dar maior segurança, bem como evitar o arremesso de objetos e tentativas de fugas dos internos das referidas unidades, despesa orçada no montante de R$ 791.784,51 (setecentos e noventa e um mil setecentos e oitenta e quatro reais e cinquenta e um centavos); 6) Laboratório de Tecnologia de Combate à Lavagem de Dinheiro (LAB-LD/SE), da Superintendência-Geral da Polícia Civil: aquisição de 05 (cinco) IBM i2 Analyst’s Notebook, com garantia e assistência técnica em 12 (doze) meses, 05 (cinco) IBM i2 iBase User, com garantia e assistência técnica em 12 (doze) meses, e 01 (um) IBM i2 iBase Designer, com garantia e assistência técnica em 2 (doze) meses, além de licenças para diversos softwares (Windows Server, Google Maps, SQL Server Standart, Certificados Digitais de Servidor, Visual Studio), e equipamentos de informática (webcam, impressoras, computadores, scanner, etc.), totalizando o valor de R$ 550.000,00 (quinhentos e cinquenta mil reais). Urge reiterar que, ao final da gestão 2016/2017, a Corte de Contas, raças a uma rígida gestão financeira, conseguiu economizar um expressivo valor, resultando em superávit financeiro. A economia foi necessária para compensar o orçamento, praticamente congelado em relação ao ano anterior, e a elevação de algumas despesas, como revisão de salários e nomeação de 37 (trinta e sete) servidores concursados.

Mas essa economia não veio à deriva em um mar calmo. Foi preciso, por exemplo, reduzir o número de servidores requisitados do Governo do Estado e das Prefeituras municipais. De 65 requisitados, foram devolvidos 15 e isso resultou numa economia anual de cerca de R$ 1,1 milhão. Da mesma forma, a redução do número de cargos comissionados ocupados resultou numa economia de R$ 780 mil. Com a extinção de todas as comissões, mantida apenas a Permanente de Licitação, a economia totalizou R$ 1,5 milhão. Após revisão de toda a folha e ajustes no pagamento dos auxílios e encargos patronais, houve uma economia de mais R$ 1,1 milhão. No custeio, somados os anos de 2016 e 2017, o TCE economizou cerca de R$ 3 milhões na renegociação dos contratos com fornecedores e prestadores de serviços. Também houve grande economia, de R$ 500 mil, no consumo de água, energia elétrica, telefonia e combustíveis. E o TCE ainda conseguiu arrecadar R$ 360 mil com o leilão de 20 veículos, reduzindo assim sua frota sem prejuízo do andamento dos serviços. Aliada à significativa economia, válido salientar que ao longo do biênio passado o Tribunal obteve êxito na realização de vultosos investimentos e implementos patrimoniais, com notáveis realizações em áreas vinculadas ao controle externo, modernização dos sistemas, promoção de capacitações, além de melhorias em infraestrutura. Portanto, unia-se o útil ao agradável. O TCE, que conseguiu em dois anos economizar essa vultosa soma, não pestanejou em colaborar com a sociedade sergipana, a verdadeira beneficiária das ações pactuadas, indo buscar na jurisprudência do Excelso Supremo Tribunal Federal a base para a consecução do ajuste com o Estado.

Mas nem tudo são flores! Apesar do ineditismo da medida, formalizada através de um Termo de Compromisso firmado com o chefe maior do Poder Executivo - com os pedidos registrados por Secretários de Estado, a anuência do órgão autorizador de despesas (o CRAFi), licitações realizadas, e alguns equipamentos já adquiridos – frustrou-se toda e qualquer tentativa de dar uma resposta ao cenário crítico que vive o nosso Estado, como visto nos dados do Anuário Socioeconômico, no levantamento da Firjam e no Ranking de Competitividade dos Estados. Há de se perquirir: Valeu a pena tanta economia do TCE e assistir estupefato seus recursos esvaírem-se pelo esgoto da ineficiência, insensatez, mediocridade e incompetência? Valeu a pena todo esse esforço para ver projetos que melhorariam a qualidade de vida serem rasgados, ainda que o Estado tenha recebido mais de 11 milhõe= para isso? Pois bem! Dizia Albert Einstein que “o mundo é um lugar perigoso para se viver, não por causa daqueles que fazem o mal, mas por causa daqueles que observam e deixam o mal acontecer”. Por isso, urge que os homens e mulheres de bem deste Estado comecem a assumir a responsabilidade de ter olhos quando os outros os perderam. Estamos vivendo um momento crítico, quando Sergipe, paulatinamente, se transforma num deserto de homens e ideias. A tese de Levi Strauss - de que o Brasil vai sair da barbárie para a decadência sem conhecer a civilização - cada vez mais se torna realidade, diante da capacidade que temos de absorver a mediocridade como pano de fundo de nossas ações. Infelizmente, quem não tem mérito para exercer uma função, termina preenchendo o vazio deixado pela falta de serenidade com o enchimento do puro arbítrio. É verdade. Autoridade sem mérito não merece confiança mesmo. E eu falei no início sobre os dois princípios elementares para que se tenha êxito em qualquer empreitada, o da edificação da felicidade e o da caminhada realista. No caso dos recursos do TCE, nem um, nem outro. Um dos lados não era realista. Se fosse, como o velho marinheiro, no meio nevoeiro, ajustaria as velas e levaria o barco devagar.

 Clóvis Barbosa escreve aos domingos, quinzenalmente.



Coluna Clóvis Barbosa
Com.: 0
Por Eugênio Nascimento
1 2 3 4 5 6 » Próxima » Última

Enquete


Categorias

Arquivos