30/09
11:19

CLÓVIS BARBOSA - O Açougueiro de Chicago



 

                  Clóvis Barbosa- Blogueiro e conselheiro do TCE-SE

 

 

 

Cesare Terranova foi o primeiro.  Magistrado italiano, ele foi assassinado no dia 25 de setembro de 1979 na cidade de Palermo, em seu carro, junto com o seu motorista e guarda-costas, o policial Lênin Mancuso. O mandante do crime foi o mafioso Luciano Leggio que foi absolvido por falta de provas. Terranova foi o mais ferrenho adversário da máfia siciliana e sua luta contra o crime influenciou outros juízes, como Giovanni Falcone e Borselino Paolo, que também foram mortos pela máfia em 1992. Para ele, “A Máfia é opressão, arrogância, ganância, auto-enriquecimento, poder e hegemonia acima e contra todos os outros. Não é um conceito abstrato, um estado de espírito ou um termo literário (...) É uma organização criminosa regida por regras não-escritas, porém férreas e inexoráveis (...) O mito de um ’homem de honra’ corajoso e generoso deve ser destruído, porque um mafioso é exatamente o oposto disso”.

 

 

 

Surgida na idade média na Sicília para proteger o seu povo dos invasores, dos assassinos locais e dos poderosos proprietários de terras que exploravam os trabalhadores camponeses, a máfia criou o mito que funcionava como uma espécie de Robin Hood, onde tirava dos ricos para dar aos pobres. Mas aos poucos ela começou a mostrar a sua verdadeira face, a da exploração e da prática de atos criminosos. Durante o período do fascismo estava espalhada por toda região. Toda cidade tinha um chefe, também chamado de capo. Como explorava atividades idênticas do fascismo, Mussolini, o Duce, não gostava dessa competição e perseguiu com faca nos dentes seus componentes.

 

 

 

Mas foi no outro lado do Atlântico, na América, que a máfia encontrou um ambiente propício para se desenvolver e escrever uma das páginas mais violentas da história dos Estados Unidos. A crise econômica que se abateu sobre a Itália, por volta de 1880, fez com que uma leva de italianos migrasse para aquele país à procura de uma vida melhor. Eles vinham principalmente da Calábria e da Sicília e essa invasão perdurou até o início do século XX. A esmagadora maioria era composta de camponeses analfabetos, de pobreza endêmica, ignorantes e supersticiosos. Estabeleceram-se pelo país a partir de Nova Iorque, mormente em bairros como Brooklin, na área leste do Harlem, Manhattan e Queens, juntando-se, ali, aos irlandeses e judeus. A cidade de Chicago também recebeu muitos imigrantes, fruto, talvez, do parque industrial que se implantava em seus arredores.

 

A situação econômica dos Estados Unidos nos anos 20 do século passado não era das melhores. Os bairros periféricos das grandes cidades se transformavam em escolas do crime, com o surgimento de gangues que dominavam suas ruas, becos e vielas, fascinando principalmente os jovens que viam na vida marginal as oportunidades de crescimento. Em 17 de janeiro de 1920 entrou em vigor a 18ª. Emenda à Constituição, também chamada de Lei Seca, que proibia a fabricação, venda, transporte e consumo de todas as substâncias que contivesse álcool. Achava setores conservadores da sociedade que a eliminação do consumo de bebidas alcoólicas iria contribuir para o declínio da criminalidade e melhorar a saúde da população. Ao contrário, a criminalidade ganhou grande impulso com o surgimento dos gângsteres e dos grandes chefes mafiosos que passaram a dominar o comércio clandestino das bebidas e daí diversificando para outras atividades ilícitas e algumas até lícitas. É dessa época, mafiosos da estatura de Joseph Bonanno, Lucky Luciano, Frank Costello, Vito Genovese, Joe Profaci, Carlo Gambino, Giuseppe (Joe the Boss) Masseria e Salvatore Maranzano.

 

Com o passar dos anos outros nomes passaram a ter importância no mundo da Máfia: Johnny Torrio, Al Capone, Paul Castellano, John Gotti, Sammy Gravano, Meyer Lanski, George Moran, “O louco”, Dean O’Banion, Dutch Schultz, Benjamin Siegel e Sam Giancana, “O açougueiro de Chicago”. Esses homens mandaram durante muito tempo, ganharam muito dinheiro, matavam os que atravessavam o seu caminho, mataram-se entre si, sempre em busca da hegemonia e poder, subornaram policiais, políticos, jurados, testemunhas. A violência, para eles, era uma ocorrência diuturna. Para se ter uma idéia do seu poderio e influência, trazemos o exemplo de Sam (Momo) Giancana, filho de sicilianos, que mandou e desmandou durante muito tempo em Chicago. A ele é creditado o Massacre do Dia de São Valentim, os assassinatos do Presidente John Kennedy, do Senador Robert Kennedy e da atriz Marilyn Monroe.

 

O chamado Massacre do Dia de São Valentim, ocorrido em 14 de fevereiro de 1929, teve como vítimas sete pistoleiros ligados a George (Bugs) Moran, que foram assassinados friamente com mais de 150 tiros. O crime abalou a população de Chicago, forçando as autoridades policiais a empreender uma séria investigação em busca dos autores e mandantes. Sobre o assassinato dos irmãos Kennedy, diz-se que a história remonta à época da Lei Seca com o envolvimento do patriarca Joseph Kennedy com a máfia. Conta-se que Joseph foi pedir a Giancana que convencesse o capo de Nova York, Frank Costello, a desistir da idéia de assassiná-lo, chegando ao ponto de prometer que caso o seu filho, então candidato à Presidência da República pelo Partido Democrata, vencesse as eleições, as coisas seriam facilitadas para ele. A morte de Joseph foi cancelada e o acordo foi firmado. Mas o contrário aconteceu. Bobby Kennedy tornou-se o mais ferrenho defensor da Comissão McClellan, criada no Senado para investigar as atividades do crime organizado e que causou muito aborrecimento aos chefes mafiosos. O próprio Giancana foi ridicularizado quando prestou depoimento na Comissão sob a presidência do senador Bobby e diante das câmeras de televisão.

 

JFK foi eleito o trigésimo quinto Presidente dos Estados Unidos da América no dia 8 de novembro de 1960, derrotando Richard Nixon, numa disputa apertada e que teve o apoio de Sam “Momo” Giancana e seus homens e dos sindicatos sob a sua influência. Com o poder nas mãos e com as ações para derrubada de Fidel Castro fracassadas, a ira tomou conta dos Kennedy John e Robert, principalmente contra a CIA e contra o próprio Momo, passando a se distanciar cada vez mais dele e de seus amigos atores e atrizes de Hollywood, como Frank Sinatra, Natalie Wood, Peter Lawford, Sammy Davis Jr., Al Jolson, John Barrymore e tantos outros. O mundo do crime patrocinado pela Máfia, em determinados momentos, funcionou de mãos dadas com o governo norte-americano, como no caso da morte da atriz Marilyn Monroe, cujo assassinato foi solicitado pela CIA.

Com efeito, um trato com a Máfia pode ser comparado há um trato com o diabo. Não há retorno. Uma vez firmado o pacto, sangue haverá de ser derramado. Isso pode ser constatado, por exemplo, com a leitura de “Os Gângsteres mais Perversos da História”, da jornalista Lauren Carter. Ali, são dissipadas quaisquer dúvidas. Quem se alia ao crime organizado certamente corre o risco de ver seu sangue correr pela terra em razão da vingança de um chefão ou até mesmo de um açougueiro.     



Colunas
Com.: 0
Por Eugênio Nascimento
30/09
11:13

RICARDO LACERDA - Desenvolvimento regional para quê e para quem


Ricardo Lacerda-Professor do Departamento de Economia da UFS e Assessor Econômico do Governo de Sergipe

Em um país campeão de desigualdades regionais de desenvolvimento como o nosso devem-se louvar os esforços que vêm sendo feitos desde 2003 para retomar o planejamento regional. Naquele ano foi instituída a chamada Nova Política de Desenvolvimento Regional, que se encontra em processo de reformulação nesse momento. O caminho é árduo. Não tem sido fácil passar das intenções para as realizações e as questões atinentes ao desenvolvimento regional são muitas e de difícil encaminhamento no que tange construir consenso e angariar apoio social e político para que sejam disponibilizados recursos no montante exigido pelo desafio.

 

Partindo-se do princípio geral de que se deve promover a redução das desigualdades regionais emerge toda uma série de questões relativas aos objetivos e estratégias que devem ser priorizados. Destacamos dois tipos de questões: o primeiro diz respeito à necessidade de equilibrar as políticas voltadas para buscar a convergência no potencial produtivo das regiões e aquelas direcionadas a promover uma maior equidade na renda e no acesso às políticas públicas; o segundo refere-se às diversas escalas espaciais em que devem ser operadas as políticas.

 

O PIB e a renda

 

A publicação do IPEA “A década inclusiva (2001-2011): desigualdade, pobreza e políticas de renda” trouxe novamente à baila uma questão que julgo relevante no debate do desenvolvimento regional, que diz respeito à tendência acentuada nas últimas duas décadas de proceder à substituição dos indicadores de produção pelos indicadores de rendimento e de acesso ao consumo e às políticas públicas para avaliar o progresso de uma sociedade. A questão não é trivial, tem importantes implicações.

 

O PIB pode ser entendido como um indicador do desenvolvimento da capacidade produtiva de determinado sistema econômico e o PIB per capita, portanto, dessa capacidade média por habitante, sendo pouco indicado para medir a situação socioeconômica das populações. Esses indicadores devem ser considerados nas políticas que visam promover o potencial produtivo da região e não nas voltadas ao atendimento de suas carências sociais.

 

Os indicadores de renda e de acesso ao consumo e às políticas públicas a partir de pesquisas domiciliares têm sido cada vez mais empregados. Eles têm o mérito de desmitificar a arraigada percepção de que o desenvolvimento das forças produtivas é um fim em si próprio e servem para dimensionar as carências de renda e de serviços sociais de uma parcela muito ampla da população, o que tem auxiliado a focalizar as políticas sociais nos mais necessitados.

 

Escalas territoriais

 

As diferenças entre o PIB per capita e a renda per capita em recortes espaciais menores como município e microrregiões podem ser muito amplas. Municípios que sediam empreendimentos de grande porte costumam apresentar PIB per capita elevado que podem ou não carrear renda e acesso ao consumo para a maior parte da população residente.

 

Sediado em determinado município, grandes empreendimentos econômicos tendem a potencializar a capacidade produtiva em uma escala espacial maior, que pode ser mesorregional, macrorregional, ou até nacional. Defronta-se com uma questão da escala do empreendimento versus a escala espacial de seus fluxos e ligações econômicas, o seu domínio territorial. Naturalmente, empreendimentos de porte menor dizem respeito, em geral, ao potencial produtivo local.

 

Os investimentos em infraestrutura produtiva, como portos, aeroportos e eixos rodoviários ou ferroviários têm o condão de articular uma diversidade de produções locais a mercados mais amplos, e, na maioria dos casos, devem ser entendidos como ativos que extrapolam uma localidade específica. Políticas regionais voltadas para a ampliação da oferta de capacidade produtiva devem, portanto, levar em consideração as desigualdades de potencial produtivo na escala territorial condizente com essas estruturas e que podem estar refletidas no PIB per capita dessas dimensões espaciais relativamente maiores.

 

Harmonização

 

O desafio da política de desenvolvimento regional é harmonizar as políticas voltadas para potencializar a competitividade das economias regionais, em sua escala territorial relevante, e aprofundar a democratização por meio do acesso a renda e a políticas públicas. A figura apresentada sintetiza os dois eixos fundamentais dessa política e a discriminação de alguns dos seus componentes, pensados para a realidade da região Nordeste.

 

 Nas tarefas de eleger prioridades e monitorar os êxitos e as carências, a seleção de bons indicadores e a definição da dimensão territorial relevante fazem toda a diferença para que o progresso não se dê apenas “na média” do recorte espacial selecionado e que atinja de fato as populações e os territórios mais carentes.




Colunas
Com.: 0
Por Eugênio Nascimento
30/09
11:05

Para acabar com a violência nas campanhas, é preciso punir os políticos

A violência que tanto assusta a mídia e alguns segmentos políticos mais puristas na campanha eleitoral deste ano é a mesma dos últimos três ou quatro pleitos. Na capital, ouve-se provocações e ameaças de cabos eleitorais e fanáticos políticos. Já no interior, parte-se para a pregação do ódio, espancamentos e enfrentamentos dos grupos que se odeiam e não sabem conversar, fazer oposição pacificamente, no plano das ideias, das propostas.


Os principais culpados pela discórdia entre os eleitores são os políticos, principalmente aqueles que são candidatos, que ensinam aos seus seguidores que aqueles que não votam neles são inimigos e como inimigos devem ser agredidos com xingamentos, boatos, esmurrados, pisoteados nas ruas, como forma de humilhação, de sobrepor um grupo sobre o outro. Para que isso ocorra, na linha de frente, bem próximo dos candidatos, estão os agressores.


Os políticos mostram força para a sociedade pelo número de pessoas identificadas como violentas, bandidos que estão ao seu lado. Em pleno século 21, quando se pensou que o povo teria respeitada a sua autodeterminação, vê-se o coronelismo presente na capital (ainda que de forma mínima) e no interior, onde cabos eleitorais e marginais invadem as casas das pessoas para rasgar cartazes dos candidatos preferidos dos moradores e colocar novos, impondo assim suas vontades.


A norma de punição aos clubes de futebol quando a torcida age de forma violenta nos estádios deveria ser adotada para os partidos e candidatos violentos. A punição mais rápida e mais justa seria a imediata cassação do registro da candidatura e levar o caso para que a Justiça adote punições maiores para partidos, candidatos, cabos eleitorais e aos marginais, que em muitos casos atuam como seguranças pessoais daqueles que pleiteiam cargos eletivos.


Nos últimos dias, em Sergipe, muitos enfrentamentos, ameaças e até pancadaria. Os juízes, induzidos pelo clima ruim gerado pelos “malfazejos”, têm optado por pedir o uso de tropas federais nas eleições municipais de 7 de outubro próximo. É justo fazer isso? É. Mas seria mais justo desarmar as pessoas, principalmente aquelas envolvidas em campanhas e prender os agressores. Sem duras punições, esse tipo de situação vai perdurar por longos e longos anos.

É preciso também punir os políticos. É preciso denunciar os agressores, aqueles que não gostam da democracia e insistem, ainda que inconscientes, em querer apostar no retrocesso, no abominável coronelismo.


Colunas
Com.: 0
Por Eugênio Nascimento
30/09
08:42

Balanço da rodada de sábado do Brasileirão: cariocas se dão bem

Só um time do Rio de Janeiro entrou em campo neste sábado na 27ª rodada do Campeonato Brasileiro, mas outros dois que só jogam no domingo tiveram seus motivos para comemorar.

O Vasco da Gama, em casa, deu um passo importante para se manter no G-4 e voltar à Copa Libertadores em 2013: com gols de Luan, do equatoriano CarlosTenorio e de Juninho Pernambucano, o time bateu o Figueirense de virada por 3 a 1, na primeira vitória sob o comando do técnico Marcelo Oliveira. Os vascaínos agora têm 47 pontos, cinco a mais do que o São Paulo, quinto colocado, que entra em campo no domingo contra o Coritiba.

"É bom vencer, fazer gol e dar passe, mas melhor ainda é reencontrar o bom futebol coletivo. Mesmo diante de um franco atirador, conseguimos impor nosso ritmo. Agora, é manter a pegada e se manter neste grupo dos quatro primeiro colocados", comemorou Juninho, referindo-se ao fato de a equipe, desde a chegada de Marcelo Oliveira, ter acumulado dois empates.

Mas outros dois resultados foram os que agradaram a Botafogo e, sobretudo, a Fluminense, que jogam no domingo. Primeiro, o empate sem gols entre Cruzeiro e Internacional – dois concorrentes diretos do Fogão na briga para se aproximar do G-4. E, principalmente, o 1 a 1 do Atlético Mineiro no Canindé contra a Portuguesa. O Galo, tanto tempo líder do Brasileirão, vai a 53 pontos e se vê sob a ameaça de ver o Flu disparar para 59, caso vença o clássico diante do Flamengo.

Outros jogos
No outro jogo da tarde deste sábado, como se fosse preciso, o Náutico tratou de dificultar ainda mais a vida complicada do lanterna Atlético Goianiense: de volta à equipe, Kieza marcou os dois gols da vitória do alvirrubro por 2 a 0. Os goianos se mantêm com apenas 20 pontos.

Quem deu mais um passo na dura batalha para escapar do rebaixamento foi o Palmeiras, graças em grande parte ao atacante Hernán Barcos: sem marcar havia sete jogos, o argentino apareceu, marcou duas vezes e comandou a vitória por 3 a 0 dos palmeirenses no reencontro de seu novo técnico, Gilson Kleina, com sua ex-equipe, a Ponte Preta. Os palmeirenses subiram, então, para 26 pontos e seguem na zona de rebaixamento, em 18º lugar. No domingo, o time torce contra o Sport, que tem 27 pontos, e o Coritiba, que tem 28, para ter uma rodada ideal.

Neste domingo:
Flamengo x Fluminense – 16h
Corinthians x Sport – 16h
Coritiba x São Paulo – 16h
Bahia x Botafogo – 16h
Grêmio x Santos – 18h30




Esportes
Com.: 0
Por Kleber Santos
30/09
07:00

Coluna Primeira Mão

 

 

PT convoca a militância para ato nesta 2ª no Iate



O Movimento da militância do Partido dos Trabalhadores promove nesta segunda-feira, às 18h, no Iate Clube de Aracaju um ato para discutir a mobilização para garantir a presença do prefeiturável do PSB, deputado federal Valadares Filho, no segundo turno das eleições municipais na capital sergipana. Os líderes do movimento, que chamam o ato de “Arrancada da vitória” querem promover intensas atuações na cidade durante toda esta semana. O deputado Valadares Filho acredita que “a eleição para prefeito de Aracaju terá segundo turno e na fase final nós vamos ganhar”.




Juiz proíbe carreatas, comícios e passeatas em 3 cidades de SE


Atendendo a uma ação civil pública do Ministério Público Eleitoral da 26ª zona, o juiz Paulo Roberto Fonseca Barbosa proibiu a realização de carreatas, comícios e passeatas nos municípios de Ribeirópolis, Nossa Senhora Aparecida e São Miguel do Aleixo. Esses eventos de campanha política tem provocado algazarras por parte dos participantes aliados às coligações, gerando tumultos, ameaças e agressões entre adversários políticos desses municípios.



Comunidades de Poço Redondo conquistam projeto de abastecimento de água - 1



Uma parceria inédita entre órgãos federal, estadual e municipal garantirá o abastecimento de água em mais três comunidades rurais de Poço Redondo, sertão sergipano. Idealizada pelo MST (Movimento dos Trabalhadores Rurais Sem Terra) e pelo Território da Cidadania do Alto Sertão, a proposta é que o Incra (Instituto Nacional de Colonização e Reforma Agrária), a Funasa (Fundação Nacional de Saúde), a Deso (Companhia de Saneamento de Sergipe) e a Prefeitura de Poço Redondo garantam a elaboração dos projetos e os recursos para a execução das obras. O Incra e a Deso já elaboraram os projetos, e os recursos financeiros – cerca de R$ 3 milhões - já estão garantidos pela Funasa, que juntamente com o município, executará as obras.

 


Comunidades de Poço Redondo conquistam projeto de abastecimento de água - 2



Serão três redes de pontos diferentes, que alcançarão a comunidade quilombola Serra da Guia, com 570 habitantes, e os assentamentos Novo Paraíso, com 210 habitantes, e Flor da Serra, com 255 habitantes. “Essas são as comunidades mais distantes da sede do município, duas delas já na divisa com a Bahia. Eram locais de difícil acesso para o abastecimento de água, daí a importância da parceria entre os órgãos públicos federal, estadual e municipal, que assumiram esse compromisso e que estão realizando o sonho dessas famílias de terem em breve água de qualidade em suas residências”, argumenta o deputado estadual João Daniel (PT)

 



Valadares Filho pede uma oportunidade para governar Aracaju



O candidato a prefeito da coligação liderada pelo PSB, Valadares Filho, de 31 anos, pediu "uma oportunidade" para administrar Aracaju, lembrando que outros políticos sergipanos já tiveram essa chance e que, errando ou acertando, tiveram a sua importância para o desenvolvimento da cidade. Valadares Filho voltou a defender uma relação administrativa entre os governos municipal, estadual e federal para alavancar o desenvolvimento de Aracaju, "sem os ranços ou brigas do passado", que só resultam em perdas para a população. Valadares Filho reeditou o bordão que marcou uma das campanhas do ex-presidente Lula: "Em Aracaju, a esperança vai vencer o medo mais uma vez".


João projeta ações para resolver problemas atuais de Aracaju



O candidato a prefeito pela coligação “Aracaju não pode esperar”, João Alves Filho (DEM), foi recebido em reunião por arquitetos, engenheiros agrônomos, civis e elétricos, em debate realizada no auditório da Associação de Engenheiros Agrônomos de Sergipe (AEASE). Na ocasião, João Alves falou sobre os projetos previstos em seu plano de governo, que visam a resolução de problemas da mobilidade urbana, trânsito, transporte público, áreas verdes, entre outros, nos quais a categoria dos engenheiros está diretamente envolvida. “Hoje nós temos o desafio de voltar a administrar uma cidade que tive a oportunidade de gerir há 37 anos”, afirmou o candidato, ressaltando que naquela época Aracaju já enfrentava problemas e um dos seus desafios foi contratar um projeto que resolvesse os problemas de drenagem da cidade. “Todo mundo lembra da construção das 14 avenidas de Aracaju como um marco, mas a grande obra feita nessa minha administração foi o sistema de drenagem, no qual foram investidos 60% dos recursos da gestão”, disse João Alves.



UFS promove encontro de pró-reitores de extensão



A UFS estará sediando nos dias 04 e 05 de outubro o XXXIX Encontro de Pró-Reitores de Extensão da Região Nordeste. O Evento, que será realizado no Hotel da Costa, em Aracaju, contará com a participação de Pró-Reitores, Diretores e Coordenadores de Extensão das Universidades Públicas da Região Nordeste. O Encontro conta com o apoio da FECOMERCIO, SESC e SENAC. Na sexta-feira, dia 04, os participantes visitarão algumas ações de extensão no Campus de Laranjeiras, onde a Prefeitura deste município confirmou a apresentação do samba de Pareia (o grupo se apresentará no Campus de Laranjeiras).



Ricardo Múcio assume a vice-presidência do TRE-SE



O desembargador Ricardo Múcio Santana de Abreu Lima teve o seu nome aprovado pelo Pleno do Tribunal de Justiça do Estado para a vice-presidência e Corregedoria do Tribunal Regional Eleitoral (TRE/ SE). Ele foi eleito por unanimidade como membro titular do TRE/SE, substituindo a desembargadora Marilza Maynard, que renunciou os cargos após ser convocada como desembargadora substituta do Superior Tribunal de Justiça. Também foi eleito, como membro suplente do TRE, o Desembargador Edson Ulisses de Melo. Ricardo será empossado depois do Pleito Municipal de 7 de outubro.



1500 crianças participam de maratoninha da Caixa em Aracaju



O Circuito CAIXA de Maratoninha, a maior competição de corrida infantil do país, estará , nesse domingo (30), em Aracaju (SE). A prova será realizada na praça de eventos da Orla de Atalaia e terá largada a partir das 8h. O evento contará com a presença do ex-atleta olímpico Cláudio Roberto Souza, como padrinho da prova. Cerca de 1.500 crianças de escolas públicas e particulares, além de integrantes de projetos sociais, serão recepcionadas pelos Poupançudos e pelo atleta. No local, será montada uma arquibancada para pais e familiares das crianças que participarão ou que assistirão às provas. Podem participar da competição crianças de 6 a 12 anos, dividas em três categorias que levam em conta o sexo e a idade: 6 a 8 anos, 9 e 10 anos e 11 e 12 anos. Haverá também uma bateria com crianças portadoras de necessidades especiais. Todos os participantes receberão um kit da competição, composto por camiseta, boné, poupançudo e lanche. Os que completarem a prova receberão medalhas de participação. Também serão distribuídas cerca de setenta bicicletas, de 18 marchas, entre os vencedores das baterias.

 



A Deso conquista destaque entre as melhores do Brasil


A Companhia de Saneamento de Sergipe (Deso) está entre as 15 maiores empresas públicas do setor no Brasil. A informação, que tem como indicador a receita operacional líquida, faz parte da pesquisa "As Maiores do Saneamento 2012", foi divulgada em edição especial da revista Saneamento Ambiental esta semana. A estatal sergipana também é citada entre as dez principais em volume de investimentos anunciados este ano. Foram R$ 376 milhões planejados em melhorias de abastecimento hídrico e esgotamento no Estado.



Militares começam a reforçar segurança no interior nesta 2ª


A Secretaria da Segurança Pública de Sergipe inicia nesta segunda-feira o envio de tropas para o interior, para garantir a normalidade nas eleições de 07 de outubro próximo. Terão a segurança reforçada por militares do Batalhão de Choque, do Comando de Operações Especiais (COE), do Grupamento de Ações Táticas no Interior (Gati) e do Grupamento Tático Aéreo (GTA) as cidades onde já foram registradas ações violentas ligadas à disputa eleitoral. O secretário João Eloy Menezes, da Segurança Pública, também determinou a transferência da delegacia de Maruim para Capela, para responder mais rapidamente aos chamados. Os militares ficam até a segunda-feira seguinte, dia 8, após o 1º turno do pleito. Na sexta-feira, dia 5, a partir das 18h, a operação terá esquema de plantão.



Em Muribeca, Fernandinho tem 63,4% dos votos válidos




Se a eleição para prefeito de Muribeca fosse hoje, o prefeito eleito seria Fernandinho Franco (PDT), com 63,4% dos votos válidos, conforme pesquisa estimulada realizada pelo Instituto w1. A sua única concorrente, Sandra (PSC), obteria 36,6% dos votos. A pesquisa, que está registrada no TSE sob nº de protocolo SE-00085-2012, foi realizada no período de 23 a 26 de setembro, ouviu 400 eleitores e tem uma margem de erro estimada em 5% . Essa pesquisa confirma o cenário do que se vê e ouve nas ruas de Muribeca. O w1 também fez a consulta ao eleitorado para se manifestar espontaneamente e neste quesito detectou que Fernandinho Franco teria 47,7% dos votos contra 27,1% de Sandra. Foi registrado na amostragem que 22,4% estão indecisos ou não sabem em quem votar e 2,7% votariam nulo/branco. O instituto apurou ainda a rejeição dos dois candidatos a prefeito de Muribeca e detectou nesta questão que Sandra tem 43,8% e Fernandinho Franco 32%. Exatos 19,5% poderiam votar em todos (os candidatos), 3% não saberiam em quem votar e 1,8% optou por não responder ao questionamento.



TV Sergipe realiza debate no próximo dia 4 com prefeituráveis de Aracaju




A TV Sergipe promove debate ao vido com os candidatos à Prefeitura de Aracaju no dia 4 de outubro, às 23h, às véspera do 1° turno das Eleições Municipais 2012. Almeida Lima (PPS), João Alves Filho (DEM), Reynaldo Nunes (PV), Valadares Filho (PSB) e Vera Lúcia (PSTU) terão a última oportunidade, na televisão, de aprofundar alguns pontos de seus planos de governo para o telespectador, além de confrontar ideias com os adversários. Na reunião realizada para falar sobre as regras do debate, todos os cinco candidatos mandaram representantes. Se algum candidato falar ao debate, o seu lugar permanecerá vazio, com uma placa que o identifique pelo nome. A mediadora será a jornalista Poliana Abritta.


Tartarugas marinhas começam fase de reprodução em Sergipe


Começou agora a temporada de reprodução das tartarugas marinhas. Técnicos do Projeto Tamar estão a prontos para intensificar o trabalho em áreas de desovas nos litorais da Bahia, Sergipe, Rio Grande do Norte, Espírito Santo e Rio. Até março do próximo ano, fêmeas de quatro de cinco espécies vão voltar às praias em que nasceram para depositar seus ovos. A única exceção, a tartaruga verde Chelonia mydas, se reproduz entre os meses de dezembro a julho.



Colunas
Com.: 1
Por Eugênio Nascimento
29/09
19:39

Índice de Confiança de Serviços sobe em setembro

O Índice de Confiança de Serviços (ICS) da Fundação Getulio Vargas avançou 2,9% entre agosto e setembro de 2012, na série com ajuste sazonal, ao passar de 117,5 para 120,9 pontos.

Com isso, após cinco quedas consecutivas, o índice mantém-se em patamar inferior ao da média histórica, sinalizando um ritmo ainda moderado de atividade do setor. Mas a melhora significativa das expectativas aponta para a aceleração do setor neste final de ano.

Diante deste cenário, o aumento do ICS foi inteiramente determinado pela melhora das expectativas para os próximos meses. Enquanto a percepção do setor em relação ao momento atual ficou praticamente estável, o Índice de Expectativas (IE) subiu 5,1% em setembro, para 137,9 pontos, uma alta expressiva que leva o índice ao maior nível desde maio passado, após seis meses em queda. O Índice da Situação Atual (ISA-S), que mede o grau de satisfação dos empresários em relação ao momento presente, atingiu 103,9 pontos; o aumento discreto de 0,2% frente a agosto interrompe sequência de cinco meses de queda. (IN)



Economia
Com.: 0
Por Eugênio Nascimento
29/09
17:23

SERGIPE É BENEFICIADO - Integração Nacional e BNDES liberam R$ 114 milhões para agricultores afetados pela estiagem

Recife (PE) - O Ministério da Integração Nacional, em parceria com o BNDES, disponibiliza R$ 114 milhões para agricultores familiares afetados pela estiagem na região do semiárido. O recurso, a fundo perdido, deverá ser utilizado para aquisição de kits de irrigação, construção de barragens subterrâneas e de biofábricas de sementes e mudas.

Serão beneficiadas famílias de Alagoas, Bahia, Ceará, Maranhão, Minas Gerais, Paraíba, Pernambuco, Piauí, Rio Grande do Norte e Sergipe. O acordo foi assinado pelo ministro da Integração Nacional, Fernando Bezerra Coelho, e pelo presidente do BNDES, Luciano Coutinho, nesta sexta-feira, dia 28, em Recife (PE), durante as comemorações dos 60 anos do banco.

A parceria prevê a implantação de cinco biofábricas (AL, PB, PE, PI e RN), 2.775 barragens subterrâneas, que armazenam água da chuva no subsolo, e de 2.551 kits de irrigação - usados em terrenos de 2 hectares, compostos por mangueiras, tubos de PVC, tubo gotejador, bombas, válvulas e caixas d'água.

Os beneficiados devem constar no Cadastro Único de Programas Sociais do Governo Federal (CadÚnico). A seleção será feita por equipes da Companhia de Desenvolvimento dos Vales do São Francisco e Parnaíba (Codevasf) e do Departamento Nacional de Obras Contra as Secas (Dnocs).



Variedades
Com.: 0
Por Eugênio Nascimento
29/09
17:07

Sergipe deve receber mais de R$ 44 milhões do Fundo de Participação dos Municípios

Segundo a CNM, a estimativa em todo o país é de R$ 2,9 bilhões este ano


A Confederação Nacional de Municípios (CNM) fez a estimativa de quanto será o adicional de 1% do Fundo de Participação dos Municípios (FPM) para este ano. Segundo cálculos da entidade, o montante deve ser de R$ 2,9 bilhões. O 1% do FPM será creditado junto à primeira parcela de dezembro, no dia 10, nas contas das prefeituras.

Se esse número se confirmar, o adicional será 8,7% maior em relação a 2011. "Esse acréscimo pode auxiliar imensamente os atuais gestores a encerrarem seu mandato com as contas em dia", disse o presidente da CNM, Paulo Ziulkoski. O 1% do Fundo foi conquistado em 2007, após luta do movimento municipalista, liderado pela Confederação.

Para chegar a esse valor, a CNM utilizou o relatório de avaliação fiscal do 4º bimestre do Ministério do Planejamento, que indica a arrecadação total do Imposto Sobre Produtos Industrializados (IPI) e do Imposto de Renda (IR). O montante este ano deve chegar a R$ 296,6 bilhões. O 1% do FPM é calculado sobre a arrecadação total de IPI e IR de dezembro de 2011 a novembro de 2012.

Confira anexo quanto seu Município pode receber:




Economia
Com.: 1
Por Eugênio Nascimento
1 2 3 4 5 6 » Próxima » Última

Enquete


Categorias

Arquivos