30/11
22:09

Magistrados elegem novo presidente para a Amase

O juiz Antônio Henrique Almeida Santos foi eleito ontem para presidir a Associação dos Magistrados de Sergipe (Amase), no biênio 2016/2018. Ele substituirá o juiz Gustavo Plech. Antônio Henrique obteve 113 votos favoráveis contra  79 da adversária, a juíza Iracy Mangueira.

A chapa vencedora tem  ainda a presença dos magistrados Fernando Luís Lopes Dantas (vice-presidente-Geral); Roberto Alcântara de Oliveira Araújo (vice-presidente); Rosa Geane Nascimento Santos (vice-presidente de Patrimônio e Finanças) e Sérgio Menezes Lucas (vice-presidente de Relações Institucionais). Apesar do acirramento na disputa, a eleição transcorreu dentro da normalidade.



Variedades
Com.: 0
Por Eugênio Nascimento
30/11
21:58

SMTT denuncia tentativa de fraude no Seguro DPVAT

A Superintendência Municipal de Transporte e Trânsito (SMTT) estará oficializando à Polícia Federal uma tentativa de fraude para recebimento do Seguro de Danos Pessoais Causados por Veículos Automotores de Via Terrestre (DPVAT). O órgão descobriu o esquema a partir de um documento falsificado recebido por uma empresa que presta serviços à Seguradora Líder, responsável pela administração do Seguro DPVAT no país.

O relatório de ocorrência, que possuía logomarca da SMTT, assinatura de autoridade de trânsito e autenticação do cartório, relata um suposto acidente onde as vítimas foram atropeladas, socorridas pelo Samu e encaminhadas para o Hospital de Urgência de Sergipe (Huse). No documento, é detalhado o local do acidente, dia e horário, nome das vítimas e identificação dos veículos. 

Ao pedir informações à SMTT, constatou-se que se tratava de uma fraude. Os acidentes nunca existiram e a pessoa que assina o relatório de ocorrência não trabalha no órgão. Até o momento três casos foram descobertos.
 
Segundo o superintendente da SMTT, Nelson Felipe, o órgão não emite relatório de ocorrência de trânsito e não faz registro de acidentes com vítimas. “O que nós emitimos é uma declaração, e não citamos vítimas, apenas fazemos o registro com a identificação dos veículos envolvidos. O registro da ocorrência, se existem vítimas fatais ou feridos, é feito pela Companhia de Policiamento de Trânsito (CPTran)”, informou.
 
Mediante a tentativa de fraude, Nelson Felipe comunica que estará oficializando o caso à Polícia Federal.  “O Seguro DPVAT é pago por todos os proprietários de veículos durante o licenciamento anual. Por se tratar de recursos oriundos do governo federal, então é a Polícia Federal que fará a investigação. Vamos encaminhar toda a documentação e pedir uma apuração rigorosa”, avisou Nelson.
 
O que é DPVAT
 O Seguro de Danos Pessoais Causados por Veículos Automotores de Via Terrestre, mais conhecido como Seguro DPVAT, é um seguro de caráter social que indeniza vítimas de acidentes de trânsito, sem apuração de culpa, seja motorista, passageiro ou pedestre. O DPVAT oferece coberturas para três naturezas de danos: morte (R$ 13.500), invalidez permanente (até R$ 13.500) e reembolso de despesas médicas e hospitalares (até R$ 2.700).  

Informações
Para obter mais informações sobre como dar entrada no Seguro DPVAT, a SMTT orienta a população a acessar o endereço eletrônico www.dpvatsegurodotransito.com.br. O procedimento para o recebimento do seguro pelas vítimas de trânsito é simples e não é necessário intermediário para dar entrada no pedido de indenização.

Da Assessoria


Variedades
Com.: 0
Por Eugênio Nascimento
30/11
20:38

Microcefalia faz Governo anunciar situação de emergência em SE

O governador de Sergipe, Jackson Barreto,  reúne secretários de saúde, profissionais e técnicos da área para discutir um plano de combate à microcefalia, bem como o atendimento aos pacientes e pais. A reunião Extraordinária do Colegiado Interfederativo Estadual (CIE) ocorre no auditório do Palácio dos Despachos, às 9 horas, quando deverá ser anunciada a situação de emergência.

Foram registrados, até o dia 26 de novembro, 77 casos de microcefalia em 32 municípios sergipanos. O maior número de notificações é em Aracaju. O Estado é o terceiro em número de casos da doença, que estaria sendo provocada pelo aedes aegypti, transmissor da dengue, zika e chikungunya.



Variedades
Com.: 0
Por Eugênio Nascimento
30/11
11:58

Ecoturistas buscam caminhadas, ar puro e belos visuais em SE

A Cachoeira do Cacuruto, em Canhoba, é uma das áreas mais visitadas por quem gosta da prática do ecoturismo no Estado

Por Eugênio Nascimento*

Abusca de locais em que possam fazer caminhadas por trilhas  e relaxamento físico e mental, com direito a ar puro a belos visuais tem motivado o fortalecimento do turismo ecológico em Sergipe.   Alguns dos municípios mais procurados são: São Domingos, Macambira, Itabaiana, Areia Branca, Canindé de São Francisco, Lagarto, Laranjeiras, Tobias Barreto, Nossa Senhora De Lourdes, Estância, Pirambu, Riachuelo e Poço Redondo. 

Estes municípios possuem uma rica diversidade de atrativos naturais como poços, lagoas, rios, cachoeiras, grutas, cavernas, serras e cânions. Atrelado a estes temos as culturas tradicionais locais, que com seu vasto conjunto de lendas, modos de viver e ser, encantam os visitantes que buscam conhecer parte do patrimônio imaterial sergipano.

Dentre os visitantes que se deslocam para estes atrativos paisagísticos encontramos amantes da natureza em geral, famílias em busca de uma forma de lazer diferente aos finais de semana, praticantes de esportes radicais como rapel e escalada, atividades excursionistas como hiking (caminhada ao ar livre de curta duração), trekking (caminhada ao ar livre de longa duração) e camping. 

“Podemos citar também um público que vem crescendo, o de pesquisadores ligados ao meio acadêmico, que visitam tais locais a fim de conhecer a região em suas áreas de atuação como geologia, biologia, arqueologia entre outras áreas das ciências naturais”, destaca Leandro Oliveira, que faz parte de um grupo de voluntários que organizam visitas aos pontos que mais chamam as atenções de todos em Sergipe.

Fabrício Passos Fortes (Graduando de Geologia), Leandro Sousa de Oliveira  (Professor de História), Loren Suyane Rodrigues Santos (Graduanda de Direito) e Sofia Cerqueira Schettino (Professora e Mestre em Ecologia) conhecem bem os pontos que levam as pessoas e gostam do que fazem.  Isso tem motivado a procura por parte dos aventureiros, que, em sua grande maioria, são sergipanos que querem curtir fins de semana e feriadões diferentes.

Leandro garante que Sergipe possui grande potencial na área do Ecoturismo, pois “temos localizados em diversos municípios monumentos naturais que ainda não foram visitados para tal finalidade. Como exemplo, podemos citar a Serra Negra, no município de Poço Redondo. Temos também atividades pouco exploradas, como o grande potencial do turismo acadêmico, ligado as áreas de paleontologia, espeleologia e geologia. Como exemplo podemos citar alguns pontos que são visitados atualmente, mas sem muita divulgação e devida preservação e proteção, como as cidades de Riachuelo e Laranjeiras que possuem um acervo único de paleontologia já explorado sem objetivo turístico. Sergipe também possui uma série de pontos para estudos sobre a geologia de nosso estado, para aqueles interessados em conhecer e entender a origem de Sergipe”.

Ele explica a maior preocupação com o crescimento da atividade ecoturística, reside na falta de sensibilização dos visitantes no tocante a preservação ambiental, bem como do monitoramento dessas áreas com a finalidade de identificar possíveis danos à flora e fauna regionais.

OS LOCAIS MAIS CURTIDOS PELOS ECOTURISTAS SERGIPANOS SÃO:
Macambira – Cachoeira da Jacoca ou São Francisco; Pedra da Arara;
São Domingos – Serra da Miaba e Poço 17
Areia Branca – Parque Nacional Serra de Itabaiana
Capela – Refúgio da Vida Silvestre Mata do Junco
Itabaiana – Paredões da Ribeira
Nossa Senhora de Lourdes – Cachoeira Poção de Pedras
Canindé de São Francisco – Cânions do São Francisco
Poço Redondo – Grota do Angico
Laranjeiras – Gruta da Pedra Furada
Tobias Barreto – Serra dos Macacos
•       Lagarto – Cachoeira do Saboeiro

*Matéria publicada na edição deste domingo no Jornal da Cidade
 


Variedades
Com.: 0
Por Eugênio Nascimento
29/11
18:10

A indústria manufatureira em 2015

Ricardo Lacerda*
Professor do Departamento de Economia da UFS

Mesmo considerando todas as adversidades do cenário externo e a atuação dos fatores internos como a queda da renda e do emprego, as restrições do crédito, a elevação das taxas de juros e a instabilidade política, é difícil entender como a atividade industrial deteriorou-se tão intensamente ao longo de 2015.

Depois de cinco anos (2009-2013) sem apresentar crescimento sustentado, a atividade manufatureira caiu 4,3%, em 2014, e vem despencando em 2015. 

Nos nove primeiros meses do ano, o nível de atividade da indústria de tranformação encolheu extraordinários 9,2% em relação ao mesmo período de 2014. Não é pouca coisa. No passado recente, somente em 2009, em pleno furacão da crise financeira internacional, a atividade manufatureira apresentou retração tão expressiva (9,4%). 

O ritmo de queda da atividade industrial tem sido muito intenso ao longo de 2015 e vem se acentuando nos últimos meses (ver Gráfico 1). 
 
Ao longo desses nove meses, todas as atividades da indústria de transformação recuaram em comparação com o mesmo período do ano passado. Nenhuma atividade se apresentou para quebrar a unanimidade. No agregado Indústria Geral, que abrange a indústria extrativa mineral e a de transformação, o volume da produção física recuou 7,3% nos nove primeiros meses do ano, queda atenuada pelo crescimento de 7,3% da indústria extrativa mineral (ver Gráfico 2).

Quando são consideradas as atividades industriais por categoria de uso dos bens a retração também foi generalizada: a indústria de bens de capital caiu 32,6%, ou seja, em apenas um ano se apresenta 1/3 menor; a produção de bens intermediários, 14,2%; bens de consumo dúraveis, notáveis 25,3%; e as atividades de bens de consumo semiduráveis e não duráveis, 16,8%.

 

O componente externo
Do lado externo, o cenário de fato está sendo muito adverso em 2015, com a forte retração nos preços dos principais produtos de nossa pauta industrial de exportações. Mesmo com as vendas externas de produtos manufaturados e semimanufaturados tendo apresentado incremento em termos físicos nos dez primeiros meses do ano, de 4,2% e 6,3%, respectivamente, na comparação com igual período de 2014, os valores exportados apresentaram quedas muito expressivas, de 11,3% e 9,3%. Não houve portanto, um impulso positivo oriundo das exportações sobre o nível da atividade industrial, apesar da intensa depreciação sofrida pela moeda nacional. 
 
É verdade que a queda no valor importado (23,5%) foi superior à das exportações (16,4%), fazendo com o país voltasse a apresentar saldo comercial positivo, de US$ 12,2 bilhões, contra o déficit de US$ 1,9 bilhão entre janeiro e outubro de 2014.  

Todavia, os efeitos positivos que poderiam advir da substituição de importados pela produção doméstica no mercado nacional foram relativamente modestos até o momento, além de revelarem-se insuficientes para amortecer o desastre nas vendas internas. 

O componente interno
As vendas no varejo brasileiro vêm despencando ao longo de 2015 como resultado das medidas de contenção do poder de compra da população e das abruptas deteriorações do mercado de trabalho e do nível de atividade econômica, que foram potencializadas pelo ambiente político convulsionado. 

Entre janeiro e setembro, o volume de vendas do varejo ampliado caiu 7,4%, em relação ao mesmo período do ano anterior. Para certos segmentos industriais, as quedas nas vendas no varejo interno foram ainda mais acentuadas, atingindo 16,1% nos ramos de veículos e peças e 13% em móveis e eletromésticos. Também muito expressivas foram as retrações nas vendas de outros setores de grande peso na indústria de transformação: o varejo de material de construção, caiu 6,4%, e confecções e têxteis, 7,3%.

Com o cenário externo adverso e o mercado interno despencando, o nível de atividade industrial não deve se recuperar tão cedo. A estabilização e a retomada da atividade industrial vão ter que aguardar, em primeiro lugar, que passe a turbulência política interna. E os efeitos positivos da desvalorização cambial não serão tão automáticos quanto se pensava, diante da debilidade do mercado externa e da perda de vigor do setor decorrente do longo período em que vigorou de moeda apreciada.

*Assessor Econômico do Governo de Sergipe.
**Artigos anteriores estão postados em http://cenariosdesenvolvimento.blogspot.com/
 


Coluna Ricardo Lacerda
Com.: 0
Por Kleber Santos
29/11
18:02

O câncer, a dor, as lágrimas...

 José Lima Santana*
Professor do departamento de Direito da UFS

Todos devem compreender que a luta contra o câncer deve ser diuturna. Aliás, a luta por serviços de saúde de qualidade, especialmente dentro do Sistema Único de Saúde (SUS) deve ser contínua. Sem trégua. 

Existem, hoje, no país, mais de 270 hospitais habilitados no tratamento do câncer. Todos os Estados brasileiros têm pelo menos um hospital habilitado em oncologia, onde o paciente de câncer encontrará desde um simples exame até cirurgias mais complexas. Trata-se da rede credenciada para o atendimento aos portadores do câncer na rede do SUS. Para ser habilitado, o hospital não precisa tratar exclusivamente os pacientes dessa temível e terrível doença. É o que ocorre em Sergipe, por exemplo, onde ainda não há um hospital exclusivo para tratar os pacientes com câncer. Aliás, muitos Estados não possuem hospitais com essa exclusividade de tratamento. Os custos de manutenção são muito altos. Os recursos do SUS são limitados. 

Quando assumimos a titularidade da Secretaria de Estado da Saúde (SES), em 31 de dezembro de 2004, recebemos, algum tempo depois, para uma conversa, o Dr. Carlos Anselmo, médico oncologista do Hospital Governador João Alves Filho, transformado, simplesmente, em HUSE, sabe-se lá por quê. O Dr. Anselmo apresentou-nos a planta baixa de um Hospital contra o Câncer. Havia, inclusive, uma planta anterior, vinda da década de 1980. Tínhamos ouvido falar nessas plantas e solicitamos a sua presença. Ele prontamente nos atendeu. Naquela época, técnicos da área da saúde dividiam-se: uns eram a favor da construção do hospital exclusivo e outros eram contra, defendendo, estes, a tese da necessidade de melhoria e a ampliação dos serviços então prestados no setor de oncologia do Hospital acima citado. De qualquer forma, não havia dinheiro para a construção do hospital. O que havia era apenas a apresentação de uma emenda parlamentar ao OGU (Orçamento Geral da União) de R$ 2 milhões, destinada por um deputado federal. Oposicionista, dificilmente a emenda seria liberada pelo governo federal. E não foi mesmo. Aliás, colocar emendas individuais ou de bancada é sempre fácil. Conseguir a liberação é que é difícil. As emendas de bancada, então, são dificílimas. Há parlamentares que deitam falação quando colocam emendas. Isso não quer dizer dinheiro no caixa do Estado ou do Município a ser beneficiado, como alguns pensam. Longe disso. 

Precisamos de um hospital contra o câncer? Não será fácil construí-lo, equipá-lo, credenciá-lo junto ao Ministério da Saúde e mantê-lo de forma adequada. Porém, não se deve deixar de tentar, de levar à frente a sua construção. É evidente que não teremos um hospital do porte do Sírio Libanês ou do Einstein, ambos em São Paulo. Seria uma rasgada utopia pensar que teríamos. Por outro lado, o câncer aniquila pessoas em qualquer hospital, por melhor que ele seja. Inclusive, políticos e pessoas abastadas vão a óbito em grandes e reconhecidos hospitais, como nós sabemos. É certo, contudo, que oferecer um bom serviço no tratamento oncológico em Sergipe é preciso. É humano. É urgente. 

Na sexta-feira (20), o governador Jackson Barreto, que já viu o câncer atacar na própria família, mostrou-se emocionado ao lado do ministro da Saúde, Marcelo Costa e Castro, em face da instalação do segundo aparelho de radioterapia no Hospital João Alves Filho, prevista para o segundo semestre do próximo ano, após vários anos desde a instalação do primeiro aparelho. Nesses anos, a doença avançou e devastou. Ninguém fez nada? Ninguém construiu o hospital do câncer? Ninguém se comoveu com os pacientes acometidos por essa malfadada doença? Ninguém se importou com o sofrimento, com a dor dos pacientes? Com o desespero e as lágrimas dos familiares? Quantos governadores passaram nesses anos todos, desde a instalação do primeiro aparelho? Todos foram insensíveis? Ouço com pesar o que dizem certos políticos e pessoas outras, ao se referir à construção do hospital contra o câncer, como se isso, por si só, resolvesse os problemas advindos dessa doença. Entretanto, o que dói é saber que certas pessoas, políticos ou não, não passam de oportunistas, mesmo já tendo, algumas delas, a oportunidade de lançarem as mãos em prol de amenizar o sofrimento dos atingidos pelo câncer. Falar é fácil.

A possibilidade de mais um aparelho de radioterapia (acelerador linear) em funcionamento em Sergipe deve ser recebida com alívio e esperança. Outro desses aparelhos deverá ser cedido ao Hospital de Cirurgia. Não é tudo o que queremos e precisamos. Pode até ser apenas um arranjo, mas é algo a ser celebrado em nome dos que sofrem e precisam de alento. Logo, o governo do Estado tem, sim, que comemorar. E tem, igualmente, que continuar despendendo todos os esforços possíveis para que tenhamos um tratamento ampliado e melhorado. Que isso não demore. E que tudo se faça na conformidade legal e técnica. Esperamos que o governador Jackson Barreto esteja atento a isso. 

É preciso lembrar que, embora ainda não tenhamos um hospital exclusivo contra o câncer, a ala de oncologia do Hospital João Alves Filho pode prestar um serviço ainda mais adequado nessa área. As pessoas não conhecem e, portanto, não reconhecem os serviços relevantes prestados por esse hospital na oncologia, no trauma, nas questões relativas aos queimados etc. Normalmente, as pessoas voltam-se mais para a sempre complicada porta de entrada da urgência e emergência. Os serviços contra o câncer precisam melhorar e ser ampliados? Decerto que sim. Disso ninguém duvida. Esperamos isso. Queremos isso. Precisamos disso. 

Todo esforço que se possa fazer para mais e melhor atender aos pacientes com câncer há de ser sempre válido. Dizer o contrário é não dizer nada. 

Prestar melhores serviços. Amenizar a dor. Reduzir as lágrimas. Minorar a sensação de impotência das pessoas diante do quadro gravoso do ente querido que, aos poucos, vai-se embora. Mas, acima, de tudo, lutar, lutar muito, para a recuperação da saúde de quem se ama. 

* Advogado, membro da ASL e do IHGSE


Coluna José Lima
Com.: 0
Por Kleber Santos
29/11
15:08

Coluna Primeira Mão

 Presidente eleito do TCE-SE reduzirá cargos comissionados

 

O presidente eleito do Tribunal de Contas de Sergipe (TCE-SE), Clóvis Barbosa de Melo, simpatiza com a proposta do Ministério Público de convocar para o exercício das atividades profissionais os 30 aprovados e que estão na chamada lista de espera. A convocação já seria um passo importante para reduzir os Cargos Comissionados da Casa. Uma outra medida que já se tem como inevitável é a redução do número de profissionais de imprensa no TCE-SE. Barbosa estaria se convencendo de que dá para conduzir todas as atividades da Diretoria de Comunicação com apenas quatro ou cinco  jornalistas, isso já incluindo a parte de cerimonial. O presidente eleito será empossado no dia 14 de dezembro , mas somente assumirá o comando da corte no dia 2 de janeiro.

 

TRE-SE dá continuidade aos julgamentos do uso ilegal das subvenções

 

Nesta segunda-feira, 30, o Tribunal Regional Eleitoral de Sergipe (TRE-SE) dá continuidade aos julgamentos  dos casos de uso irregular dos recursos das subvenções da Assembleia Legislativa do Estado (Alese) de 2014.

Próximos julgamentos do TRE sobre as subvenções

Segunda-feira, 30 -  João Daniel (PT) e Luiz Mitidieri (PSD) - cassação, multa de R$ 106.410 e inelegibilidade por oito anos.

Terça-feira, 1º -  Adelson Barreto (PTB) e Gilson Andrade (PTC) - cassação, multa de R$ 106.410 e inelegibilidade por oito anos. Mundinho da Comase (PSL) - multa de R$ 106.410,00 e inelegibilidade por oito anos.

Quarta-feira, 2 -  Gustinho Ribeiro (PSD), Jefferson Andrade (PSD) e Zezinho Guimarães (PMDB) - cassação, multa de R$     106.410 e inelegibilidade por oito anos.

Quinta-feira, 3 -  Venâncio Fonseca (PP) - cassação, multa de R$ 106.410 e inelegibilidade por oito anos. Zeca da Silva (PSC) - multa de R$ 106.410 e inelegibilidade por oito anos.

Ainda sobre as subvenções -  Todas as condenações ocorridas, inclusive as cassações dos mandatos dos deputados estaduais Augusto Bezerra, Paulinho da Varzinhas e Capitão Samuel, são passíveis de recursos junto às instâncias superiores (TSE).

 

Seria um caso de exercício ilegal de CC?

 

De um advogado que encaminhou e-mail à coluna:  “Entrei em contato com a OAB-SE e fui informado  que a advogada Camila Lima de Oliveira - OAB 5467/SE, não se licenciou da advocacia para poder exercer a função de secretária de saúde de Frei Paulo. O artigo 28, III, do estatuto da OAB torna incompatível c a advocacia ocupar cargo de direção em órgãos da administração pública”.

 

Polícia Comunitária, uma boa experiência no bairro América


Nas décadas de 1970, 1980 e 1990 o bairro América era muito conhecido dos aracajuanos  pelas suas hortas de alface, coentro, cebolinha verde, couve, tomate e pimentões e pelos elevados índices de violência. Dizia-se sempre que eram mortos 5 ou seis por semana e deixava-se a mesma quantidade de pessoas amarradas para a semana seguinte. O bairro era o retrato da violência. Os religiosos capuchinhos, ligados à Igreja São Judas Tadeu, somaram esforços às dezenas de famílias que viviam amedrontadas na área e foram ao Governo de Sergipe, através da SSP,  buscar a criação de um Posto de Polícia Comunitária. A Polícia aproximou-se da população e afastou os marginais da área. O bairro América saiu do noticiário policial diário. O esforço popular e policial, que foi fortalecido com o fim da Penitenciária que ficava no bairro, construiu uma nova realidade. É uma experiência de sucesso que pode muito bem ser repetida em bairros como Santa Maria (toda a Zona de Expansão de Aracaju), Jardim Centenário, Santos Dumont, Bugio, entre outros.


Obrigatoriedade -  O presidente da Assembleia Legislativa de Sergipe, deputado Luciano Bispo, precisa buscar alguma forma de obrigar os seus colegas de parlamento se fazerem presentes às sessões especiais de entregas de títulos de cidadania, mérito parlamentar e audiências públicas. É esquisito a Casa aprovar esse tipo de sessão e no dia das homenagens ou dos debates não se ver um pé de deputado. Demonstra descaso com o homenageado.


PMDB discute sucessão em Aracaju e acaba polêmica


O deputado estadual Robson Viana avalia que as coisas no PMDB, agora, tomaram o rumo normal. “Garibalde (Mendonça) assumiu o comando das discussões sobre as eleições municipais de 2016, em Aracaju, e já conversou com o deputado federal Valadares Filho (PSB), vai ouvir os deputados, os vereadores, os demais pré-candidatos e pessoas interessadas no processo político. Se a eleição é municipal, o assunto precisa estar sendo encaminhado pelo Diretório Municipal do qual Garibalde é presidente. Agora o processo está em situação regular, sem atravessadores e a polêmica já acabou?.
Boa ideia ? É boa a iniciativa do ex-deputado estadual Jorge Araújo de sugerir ao Banco do Estado de Sergipe (Banese) que coloque em espaço externo visível o nome da pessoa que o empresta para a agência. Como é feito hoje, com uma plaqueta dentro e quase invisível, parece uma homenagem clandestina.


“SE tem muitas rezadeiras que curam”, diz João Daniel


Indagado se em suas andanças pelos municípios de Sergipe tem observado que existem no Estado muitas rezadeiras/benzedeiras/curandeiras, o deputado federal João Daniel (PT) disse de imediato: tem e eu acredito que elas curam. Já vi pessoas procura-las para resolver seus problemas e saírem livres deles. E casos em que as pessoas melhoraram na volta para casa, após a “consulta”. E acrescentou: não sei quantas elas são em Sergipe, mas são muitas em todo o Nordeste e são muito respeitadas pelo povo. O Grupo de Saberes Populares diz que ?os nomes variam  (rezadeiras, curandeiras, benzedeiras.), mas a importância é a mesma para as pessoas que as procuram em busca de uma oração para a cura de algum mal. Em comum, além da humildade e do olhar doce, as rezadeiras têm alguns modos de orar, benzendo os pacientes com as mãos ou com plantas, em uma linguagem própria, uma espécie de cochicho ininteligível que mantêm com Deus ou com  as (os) santas(os) que são devotas." Em Sergipe a procura ainda é muito grande, principalmente nos povoados do interior, onde o povo não sabe sequer o que é um médico.


Passarelas -  Por que não construir logo uma passarela ligando o ponto de ônibus em   frente ao Campus da UFS à área interna da instituição de ensino superior, no bairro Rosa Elze (São Cristóvão)? Estão esperando acontecer um acidente de graves proporções? Ocorrem atropelamentos com muita frequência no local. O custo de uma passarela não é elevado. Dá para fazer essa pequena obra.


Está de volta - O ex-presidente da OAB/SE, Henri Clay Andrade foi eleito na sexta-feira passada, 27, para o exercício do terceiro mandato à frente da entidade. Ele era aliado de Carlos Augusto, atual presidente, rompeu, formou sua chapa e saiu vitorioso das urnas.


Inauguração - A Secretaria de Estado da Segurança Pública (SSP/SE) inaugura nesta segunda-feira, 30, às 10h,  o Centro Integrado de Segurança Pública (CISP) no município de Pedra Mole. O novo CIPS, que vai concentrar policiais militares e civis, pretende propiciar mais eficiência na prestação de serviços à população, além de oferecer mais conforto e comodidade aos profissionais de segurança.



Coluna Eugênio Nascimento
Com.: 0
Por Eugênio Nascimento
28/11
11:57

Secretaria e entidades combatem fraudes nos acessos aos deficientes no Batistão

O acesso de deficientes físicos à Arena Batistão este ano foi um problema polêmico que envolveu os esforços da Secretaria de Estado do Turismo e do Esporte (Setesp), gestora daquela praça de esportes, o Ministério Público Estadual (MPE), entidades representativas dos deficientes físicos, federação e os clubes de futebol da capital.  

Para solucionar o problema e definir ações que facilitem o trabalho de todos os envolvidos no assunto, o secretário de Estado do Turismo e do Esporte, Adilson Júnior, recebeu na manhã desta quinta-feira 27, os representantes da Associação dos Deficientes de Sergipe (ADEVISE), do Conselho Estadual dos Direitos da Pessoa com Deficiência (CEDPeD), da Associação Desportiva Confiança (ADC), do Club Sportivo Sergipe (CSS) e Federação Sergipana de Futebol (FSF). Representando a Setesp, além do secretário Adilson Júnior, participou da reunião, o diretor de esportes Gilson Dória.

O secretário Adilson Junior disse que o objetivo era que todos deixassem aquela reunião satisfeitos com os resultados e motivados com o que ficar definido, pois acreditava que o assunto seria de uma vez por toda resolvida.

"Nosso objetivo é facilitar o trabalhos das partes envolvidas, especialmente o acesso dos deficientes físicos à Arena Batistão, nos dias de jogos, fazendo-se cumprir o que determina a legislação pertinente. Esse é o nosso propósito", disse o secretário Adilson Junior.

Durante a reunião, foram discutidos aspectos que dizem respeito à localização, número de espaços destinados aos deficientes,  acessibilidade e principalmente, a fiscalização no que diz respeito à utilização de carteiras, por pessoas que não tinham direito à gratuidade e outras que estavam vendendo os ingressos, destinados à essa categoria, constatando-se uma fraude flagrante. Um aspecto importante que deve ser ressaltado é que em dias de jogos, os estádios são cedidos a Federação Sergipana de Futebol e ao clube mandante do jogo, cabendo a estes, a organização de acesso ao espetáculo.

"Estão garantidos os 312 espaços para os deficientes, que é o que determina a legislação e uma participação mais efetiva das associações na fiscalização e orientação. Acreditamos que tudo o que foi discutido e aqui e definido pelas partes envolvidas, seja colocado em prática na próxima temporada e não tenhamos os problemas que foram registrados este ano", avaliou Gilson Dória.


Esportes
Com.: 0
Por Kleber Santos
1 2 3 4 5 6 » Próxima » Última

Enquete


Categorias

Arquivos