Coluna Primeira Mão

Sintese pede bloqueios


O Sindicato dos Trabalhadores em Educação de Sergipe (Sintese) pediu à Justiça o bloqueio das contas de 47 (quarenta e sete) municípios que, reiteradamente, atrasaram, parcelaram ou retiveram os salários dos Profissionais do Magistério Público, afrontando uma série de princípios constitucionais e, nos casos mais graves, gerando fome no seio de inúmeras famílias de trabalhadores, cujo único provento advém das suas remunerações enquanto docentes. Em nota divulgada ontem, a entidade sindical diz que ?diante de violação tão grave e da iminência de um calote generalizado nos salários dos professores, o Sintese solicitou o imediato bloqueio das contas do FUNDEB, da MDE e do Salário?Educação desses 47 municípios, com o objetivo de assegurar o pagamento dos salários dos meses de outubro, novembro e dezembro e 13º do ano em curso. Entre os municípios estão Canhoba, Canindé do São Francisco, Graccho Cardoso, Ilha das Flores, Monte Alegre de Sergipe, Muribeca, Neópolis, Nossa Senhora da Glória, Pacatuba, Pedra Mole , Pedrinhas, Pinhão, Porto da Folha, Propriá, Riachão do Dantas, Rosário do Catete, Salgado e Santa Rosa de Lima.


O interior na capital


Tanto Valadares Filho (PSB) como Edvaldo Nogueira mobilizaram lideranças políticas do interior para a caça ao voto na capital. De Nossa Senhora do Socorro, Fábio Henrique e Padre Inaldo e de Itabaiana Maria Mendonça e Luciano Bispo andaram procurando o eleitor de sua cidade que hoje vota em Aracaju Fábio e Inaldo atacaram os moradores dos conjuntos de Socorro. Por sua vez, Maria e Luciano saíram em busca dos bodegueiros e donos de armazéns de Aracaju, que, em sua maioria, são itabaianenses.


Recuperação de votos


A rápida recuperação que teve o prefeiturável do PC do B, Edvaldo Nogueira, teria sido motivada pela iniciativa do governador Jackson Barreto (PMDB) de recuperar votos dele que o deputado estadual Robson Viana estaria direcionando para Valadares Filho, o candidato à Prefeitura de Aracaju pelo PSB.


Só promessas


Durante a campanha política, Edvaldo e Valadares Filho prometem mundos e fundos aos eleitores. São investimentos na saúde, em educação em tempo integral, em educação profissional, investimentos em mobilidade urbana, segurança etc. Na verdade, esqueceram de dizer que quem assumir a prefeitura vai ter que cortar na própria carne, reduzir número de comissionados e implementar um grande programa de racionalização no uso dos recursos.


Tempo ruim em Aracaju


O mar não está pra peixe. O Fundo de Participação dos Municípios vai continuar encolhendo por muito meses. A pergunta é, Valadares Filho e Edvaldo Nogueira estão preparados para enfrentar essa situação. Estarão à altura dos desafios que vão se impor. Do novo prefeito de Aracaju vai se exigir fibra e muita disposição para contrariar interesses estabelecidos. Você eleitor, consegue identificar essas caracteristicas nos candidatos?

Prefeitos dominados


Tradicionalmente, os prefeitos da capital são reféns da empresa contratada para a coleta de lixo e das empresas de transporte coletivo. Sem falar das construtoras que têm grande influência na Câmara Municipal e dificultam a aprovação de normas de zoneamento e ordenamento do espaço urbano que contrariem seus próprios interesses. O ministério público e o TCE bem que poderiam dar suporte para que o futuro prefeito enfrente esses interesses estabelecidos e governe de fato para a população. João Alves foi um prefeito que fracassou nas três áreas e por isso não conquistou a reeleição. Teve gestão desastrosa na coleta de lixo, no transporte coletivo e não conseguiu gerenciar minimamente a ocupação do espaço urbano.


Cabo eleitoral armado


Nos velhos tempos de rivalidades entre PSD e UDN, os deputados iam para o plenário da Assembléia Legislativa de Sergipe armados e andavam armados pelas ruas de Aracaju e do interior, além de terem a proteção de capangas ou seguranças. Na noite de quarta-feira circulou na internet uma foto em que o ex-capitão da PM e atual deputado estadual Samuel estava fazendo campanha com uma pistola na cintura. No início, sem que fosse reconhecido, comentou-se que se tratava de um pistoleiros atuando como segurança.; Momentos depois, alguém anunciou: é o Capitão Samuel. Felizmente, o capitão Samuel disse que vai para a Alese armado, mas deixa sua arma no carro antes de entrar no plenário. Resta saber se o porte do policial é mantido mesmo depois de sua aposentadoria ou se ele tira novo porte agora como aposentado. Outra coisa: admitindo que pode, é preciso saber se a arma é de uso exclusivo de policiais militares ou é arma que pode ser comprada por qualquer pessoa.


De olho na compra de votos


É comentário frequente entre os políticos que a compra de votos acontece na véspera do pleito. Portanto, nada noite do sábado para o domingo deste final de semana que a ?malandragem? corre solta. Os candidatos desaparecem das ruas, ficam em casa com a família, e os assessores e aliados entram em campo na compra de lideranças, os responsáveis diretos pelo contato com eleitor vendedor de voto. Mesmo isso acontecendo em todas as eleições, os serviços de inteligência da Polícia Civil e da Polícia Federal não possuem até hoje uma listão desses cabos eleitorais que intermediam esse comércio de votos. A compra de votos poderá ser fator decisivo na escolha do futuro prefeito de Aracaju.

O voto da juventude


Os dois candidatos têm buscado ganhar os votos de adolescentes e de jovens de diversas maneiras. O PC do B tem uma longa história de proximidade com o movimento estudantil secundário e universitário, sendo o próprio Edvaldo um produto dessa ligação. Já Valadares Filho tem se aproximado dos eleitores jovens através do financiamento de festas e de esportes. Mesmo Valadares, o pai, já destinou dinheiro do orçamento para financiar essas festas. Os candidatos colocaram em seus programas eleitorais jingles para tentar alcançar a juventude da periferia.

Julgamentos adiados em Aracaju

“Em nossa área, júris e audiências de réus presos não têm sido realizadas. Há quase 60 dias, praticamente não temos júri em Aracaju. O sistema prisional está emperrado. Os réus presos não são conduzidos para as audiências e para os júris”. O comentário é do promotor Deijaniro Jones. O que será que está havendo?

Pesquisas - Se as pesquisas realizadas e divulgadas no decorrer desta semana que agora se encerra e que apontam empate técnico entre Edvaldo Nogueira e Valadares Filho estiverem corretas, o melhor que se faz é ir votar e esperar o resultado oficial, a ser divulgado na noite deste domingo pelo Tribunal Regional Eleitoral de Sergipe (TRE-SE).


A disputa - Se Edvaldo Nogueira perder essa eleição, essa será a sua primeira derrota como candidato a prefeito de Aracaju. Se Valadares Filho perder, contabilizaraá a segunda derrota. Os dois estão nas mãos dos 397 mil eleitores com direito e que poderão ir às urnas neste domingo, 30 de outubro.


Desativação - O fórum de Nossa Senhora Aparecida, Moita Bonita e mais outros 8 municípios de Sergipe serão desativados.

 

2º turno - Nas redes sociais, há anarquia numérica

 

 

Como não dá para confiar em números que andam sendo  divulgados como reais e referentes a pesquisas eleitorais realizadas nos últimos dias em Aracaju, a coluna prefere seguir os dados que apontam a existência de um empate técnico e que o desempate está nas mãos dos eleitores. Nas redes sociais, há uma anarquia numérica. Os grupos dos candidatos forjam pesquisas,  lançam à todo instante números novos e propagam muitos boatos atingindo uns aos outros.  O eleitor não deve levar isso à sério. Desempate!

Deixe um comentário

Seu nome (Necessário)
Seu E-mail (Necessário - Não será exibido)
Seu comentário
Código da imagem:

Enquete


Categorias

Arquivos