Coluna Primeira Mão

Aposentadorias em SE

 

Muita gente está convencida de que há uma correria de servidores públicos rumo ao Sergipe Previdência para se aposentar, temento as mudanças que ocorrerão no sistema previdenciário. O presidente do Sergipe Previdência, José Roberto Lima avalia que o problema não é esse, mas sim o fato de o  pessoal que entrou no final dos anos 80 já está em tempo de se aposentar. “É o "ciclo' do trabalho no serviço público. Nos próximos 10 anos deverão se aposentar cerca de 29 mil servidores”.

 

Aposentadorias

 

Mas, ainda assim, as previsões feitas por economistas dão conta de que  em breve, se a reforma da previdência começar a tramitação pra valer, haverá uma grande corrida em pedidos de aposentadoria por funcionários públicos federais, estaduais e municipais. As novas regras são, dizem, para arrebentar o servidor público.

 

Nomes fortes

 

O PRB trabalha a ideia de eleger pelo menos quatro deputados estaduais. Os nomes mais cotados são os de Jairo de Glória, Adriana Leite (vice-prefeita de Estância), Monteirinho (vice-prefeito de Rosaáio do Catete) e o pastor Mardoqueu Bodano.

 

 Líder

 

Uma importante distinção fez um político atualmente sem mandato sobre o deputado federal André Moura, líder do governo no Congresso. Existiria uma diferença entre líder e liderança política. O deputado sergipano se movimenta e fala em nome de Eduardo Cunha e de Michel Temer. Assim seria uma liderança, mas não um líder. O líder tem seguidores. Que ascendência teria André Moura sobre deputados e senadores para chamá-los de seus seguidores? Ele seria mais um intermediário que passa mensagens dos que lhe dão ordens. Ciumeira política? Isso não parece importar. O fato é que o deputado federal consegue mesmo liberar verbas e tem dado passos visando a uma candidatura de senador ou de governador.

 

 Corujão

 

Foi noticiado ontem que as delegacias vão atender ao público por mais seis horas. Por que os postos médicos não fazem o mesmo? Em São Paulo foi criado um programa chamado "corujão da saúde", para pessoas que não têm tempo para procurar uma unidade de saúde.

 

Tapa-Buracos

 

A operação tapa-buracos tem surtido efeito. Mas terá muito trabalho pela frente antes que os motoristas comecem a admitir que melhorou mesmo a situação das ruas e avenidas de Aracaju. Os motoristas acham que a Emurb deve privilegiar as ruas e avenidas mais movimentadas. Mas, nos bairros, os moradores querem prioridade para as suas ruas.

 

 

 

Terceirização

 

A terceirização já tem mostrado um problema que a administração pública terá de enfrentar quando a nova medida for implementada em massa: descontinuidade da oferta dos serviços públicos. Até agora temos visto greves de terceirizados por falta de pagamento de seus salários. Os donos das empresas terceirizadas a isso respondem que não receberam o dinheiro dos governos.

 

 Laranjal

 

A Junta Comercial de Sergipe deverá registrar um grande número de novas empresas assim que a lei da terceirização entrar em vigência. A maioria delas será de empresas-laranjas. O Brasil vai se tornar um grande laranjal.

 

Falta trabalho

 

O serviço militar deveria ser transformado numa política social do Governo Federal, considerando que hoje em dia as guerras são feitas por profissionais. Aumentando o número de vagas para recrutas, boa parte da juventude de famílias carentes ficaria longe das drogas e aprenderia uma profissão – se cursos profissionalizantes forem oferecidos. O número de jovens desempregados em Sergipe cairia muito.

 

Autuações

 

A Secretaria da Fazenda autuou muitas empresas na semana que acaba neste sábado, 30. Pode ser que o caixa estadual ganhe algum alívio no pagamento da folha de pessoal. Vamos aguardar os números.

 

Voto caro

 

Existe consenso entre políticos governistas de que o custo do voto contra a segunda denúncia em desfavor de Michel Temer aumentará de preço. O motivo é simples: maior será o desgaste para quem votar contra a denúncia, já que a sua popularidade já está perto de zero.

 

Contra Edvaldo

 

O desabafo do ex-deputado Mendonça Prado foi um fato importante político da semana passada. Sua indignação com Edvaldo Nogueira pareceu justa. Edvaldo precisa pensar um pouco mais sobre a sua ética na política.

 

 Na Justiça

 

Parece que o vereador Elber Batalha já definiu como vai ser o seu desempenho como vereador na Câmara.  Enquanto minoria e bom conhecedor do regimento da Casa, o seu mandato pode ser dedicado a judicializar guerras políticas no parlamento municipal. Com ou sem razão.

 

Decepcionante

 

 A operação conjunta entre as forças armadas e as polícias do Rio de Janeiro na favela da Rocinha pareceu muito dinheiro e muita mobilização de homens para resultados magros em termos de prisões e de apreensão de armas das gangues criminosas da cidade maravilhosa.

Deixe um comentário

Seu nome (Necessário)
Seu E-mail (Necessário - Não será exibido)
Seu comentário
Código da imagem:

Enquete


Categorias

Arquivos