Açaí da "Tia Augusta" abre negócios em Portugal

30/11/2017 23:57:13 por Kleber Santos em Economia
Empresária lançou duas lojas, nas regiões do Algarve e Porto, com o acompanhamento do Sebrae.

Para a empreendedora Míriam Augusta Ferreira, o sonho de ampliar os negócios e de ultrapassar as fronteiras do mercado nacional vêm se tornando realidade. A empresária, que comanda o Grupo Açaí Aju, em Aracaju (SE), resolveu levar a cultura do açaí para terras portuguesas, com o auxílio do Programa Portugal 2020. O programa oferece uma série de benefícios por meio da concessão de incentivos para empresários que planejam se instalar no país europeu.

Segundo Mirian, a ideia de explorar para o mercado internacional já não era novidade. Desde que conheceu o PP2020, a empresária enxergou a oportunidade de concretizar seus planos. Em Sergipe, o programa foi apresentado em evento promovido pelo Sebrae, em parceria com a Associação Comercial de Sergipe (Acese) e a Câmara Brasil Portugal, em julho de 2017.

A meta do Açaí Aju é criar uma indústria de processamento de açaí com fórmula própria, comportado em potes e barras, voltados para distribuidores, além de fundar mais duas lojas para o consumidor final, gerando 15 empregos diretos, com mão-de-obra local. Em recente viagem à Europa, a empresária lançou as duas lojas, nas regiões do Algarve e Porto, com o acompanhamento do Sebrae.

“O Açaí é um produto que ainda não tem muita força na Europa. A abertura das duas lojas nos dá mais segurança e respaldo para a abertura da indústria, além de ser um ponto positivo que pode ser considerado na avaliação do Programa Portugal 2020. Acredito que essa seja uma boa oportunidade para fazer negócio e incentivar a cultura do açaí em Portugal e nos outros países”, explica a empresária.

Um dos requisitos para o apoio do PP2020 às empresas é a internacionalização do produto no final, não se limitando ao mercado português. Nesse sentido, até o segundo ano de abertura do negócio, o produto poderá ser comercializado em países como a Espanha, França e em territórios da África e Ásia.

Para Emanoel Sobral, superintendente do Sebrae em Sergipe, o caso do Açaí Aju é um bom exemplo de empreendedores que aproveitaram a oportunidade para expandir os negócios e começaram a atuar em outros Países, continentes. “É importante que as micro e pequenas empresas possam explorar o mercado internacional, não somente exportando produtos e serviços, mas também levando seus negócios além das fronteiras do país e conquistando novas oportunidades comerciais”, explica.

Deixe um comentário

Seu nome (Necessário)
Seu E-mail (Necessário - Não será exibido)
Seu comentário
Código da imagem:

Enquete


Categorias

Arquivos