Coluna Primeira Mão

Falando com mortos

  

Não muito tempo atrás, quando as eleições eram demasiado fraudulentas, mortos votavam e ajudavam a eleger políticos. Agora, tem gente falando com mortos e transmitindo mensagens que visam a prejudicar candidatos. A Justiça Eleitoral não pode tolerar essa prática de banditismo eleitoral de pessoas que supostamente conversam com mortos. É preciso respeitar a memória do ex-governador Marcelo Déda.

 

100 mil empregos

 

Em entrevista ao programa Balanço Geral, da TV Atalaia,  o secretário de Estado da Fazenda, Ademário Alves, anunciou que pretende criar 100 mil novos empregos em Sergipe. Nos próximos dias vai anunciar um projeto para fazer o Estado voltar a crescer.

 

Os processados

 

A Justiça Eleitoral deveria fornecer listas de candidatos respondendo a processos na justiça. Isso, sim, ajudaria a melhorar a qualidade do voto do eleitor. Em todos locais de votação, os eleitores poderiam conferir os nomes dos políticos envolvidos com culpa no cartório, condenados ou não.

 

É preocupante


Alguns candidatos do PSL de Sergipe usam como slogan de campanha “Endireita, Brasil”. Alguns eleitores pensam que a proposta é endireitar, consertar o país. Mas parece se tratar de jogar o Brasil nas mãos de direitistas, alguns dos quais inconsequentes.


Sem estímulos

 

Os candidatos a mandatos eletivos terão dificuldades para levar os eleitores aos locais de votação. Os eleitores não terão estímulos para votar. Primeiro, a multa cobrada para quem não vota tem valor menor do que as passagens de ônibus. O transporte de eleitores, que é proibido, poderá ficar fortalecido. Segundo, um incentivo para ir votar poderá a compra-e-venda de votos, prática que pode aumentar no país inteiro.

 

Cobrança

 

Quando o pré-candidato Eduardo Amorim (PSDB) anunciar que pretende construir o Hospital do Câncer e fizer críticas àqueles que não o construíram, os governistas vão lhe indagar por que não o fez quando foi secretário de Estado da Saúde.

 

Os desonestos

 

Os candidatos que se apresentarem como honestos parecerão mais suspeitos nas próximas eleições por causa de casos e mais casos de corrupção.. Se eles são honestos, por que precisam dizer que são diferentes dos desonestos, uma vez que os tornados desonestos um dia já disseram que eram honestos?

 

Cuidado!

 

Se antes o caixa 2 era proibido e era burlado, por quê os candidatos deixarão de fazê-lo agora? O financiamento empresarial continuará, só que com mais cuidados.

 

Em fuga

 

Os jovens de 16 a 18 anos tenderão a fugir das eleições. O impacto dos seguidos casos de corrupção tem mais abalado esse contingente de eleitores.

  

Promoção imediata


Policiais militares querem o fim do subsídio e a volta do posto imediato, mediante o qual, com aposentadoria, ganha uma promoção. Isso é retrocesso.

 

Uso indevido

 

Usuários dos serviços de saúde do IPES comentam que pessoas sem direito a tais benefícios estão recebendo autorização de funcionários do órgão  para fazer consultas, exames e cirurgias. O resultado disso é que os prazos para qualquer serviço requisitado foram aumentados. Efeito da proximidade das eleições?


Desagradou geral


Os caminhoneiros sergipanos não estão contentes com o preço do óleo diesel nas bombas dos postos de gasolina. Afinal, fizeram aquela greve pra que? Os motoristas que usam gasolina, que esperavam pegar carona na greve dos caminhoneiros e que por isso apoiaram a greve, também não estão satisfeitos com o preço da gasolina. O governo federal está conseguindo desagradar aos dois grupos de consumidores.

 

Terceiro turno


A ideia já foi experimentada em outras cidades e bem que poderia ser testada em Aracaju. Considerando que os trabalhadores do setor privado não têm tempo de cuidar de seu bem-estar, a Secretaria Municipal da Saúde bem que poderia introduzir o serviço público chamado de "terceiro turno" para atender essa população com consultas, exames, etc. Durante os dois turnos ordinários, são velhos, mulheres, velhos e crianças que frequentam os postos de saúde.

 

Grande trapalhão


Pelas informações conseguidas até agora, aparentemente não existem crianças sergipanas separadas de seus pais e custodiadas nos Estados Unidos. Durante a II Guerra Mundial, crianças eram separadas dos pais quando estes eram eliminados. Esse presidente norte-americano é realmente um grande trapalhão.

       

Só dá barão


Um levantamento sobre os títulos de nobreza de Sergipe detectou que o baronato no tempo do império era muito forte no Estado. Tínhamos Barão de Estância (Antônio Dias Coelho e Melo), Barão de Cotinguiba (Bento de Melo Pereira),  Barão de Maruim (João Gomes de Melo); Barão de Propriá (José da Trindade Prado), Barão do Rio Apa (Antônio Enéas Gustavo Galvão),  Barão de Traipu (Manuel Gomes Ribeiro), Barão de Itaporanga (Domingos Dias Coelho e Melo), Barão de Japaratuba (Gonçalo de Faro Rollemberg),Barão de Laranjeiras (Felisberto de Oliveira Freire), Barão de Aracaju (José Inácio Acciolli do Prado) e Barão de Itabaiana (Pedro Leopoldo de Araújo Nabuco). 

Deixe um comentário

Seu nome (Necessário)
Seu E-mail (Necessário - Não será exibido)
Seu comentário
Código da imagem:

Enquete


Categorias

Arquivos