Coluna Primeira Mão

Pichações em baixa

Nos anos de 1960, 70, 80 e parte de 90 as pichações em muros e paredes de casas e de repartições públicas eram intensas. Anarquistas e comunistas, sem espaços na mídia tradicional (rádio televisão e jornais), manifestavam seus protestos contra a ditadura militar instalada no Brasil em 1964 com pichações em que afirmavam o “ABAIXO A DITADURA” e outras palavras de ordem. Nos anos 2000, pelo menos até agora, as pichações parecem estar em baixa. Os velhos comunistas e os jovens militantes políticos ou cabos eleitorais têm se manifestado em redes sociais e, assim, evitado a irritação popular e os desgastes que as pichações provocavam. Agora a onda é o zap e o twitter.


Pesquisas apontam segundo turno


Os brasileiros vão às urnas neste domingo de 7 de outubro de 2018. Em Sergipe os eleitores somam pouco mais de 1,5 milhão. As pesquisas registradas e tornadas públicas mostram um empate técnico entre Valadares Filho (PSB) – 29% - e Belivaldo Chagas (PSD) – 28% - , na disputa pelo Governo de Sergipe, conforme o Ibope. Isso é um indicativo de que no dia 28 próximo teremos o segundo turno no Estado. Na esfera federal o segundo turno será entre Fernando Haddad (PT) e Jair Bolsonaro (PSL).


É demais


Ninguém entende porque no Brasil são necessários dois suplentes para o mandato de senador. A única explicação até agora encontrada é que, com dois suplentes, o financiamento das campanhas fica mais barato e os titulares podem deixar os suplentes assumir por curtos períodos nos oito anos do mandatos de senador. Isso é uma jabuticaba brasileira no meio de tantas outras.


Pouco espaço


Nos dois últimos debates na TV para governador e para presidente, o problema em Sergipe foi colocar tantos candidatos numa pequena sala. Belivaldo Chagas teve melhor performance que os outros: positivo, firme e com respostas de vencedor. No debate para presidente da Globo do Rio de Janeiro, de novo o problema de muitos candidatos. Fernando Haddad teve o seu melhor desempenho, posto que, caçado por quase todos candidatos, mostrou serenidade e sobriedade nas perguntas e nas respostas. O outro destaque foi Guilherme Boulos que, como franco atirador, pôde bater em quase todos os candidatos. Jair Bolsonaro alegou o estado de sua saúde para não ir ao debate da Globo, mas participou de "debate" sozinho na Record. Seus colegas presidenciáveis disseram que ele "amarelou".


Santinhos


O "santinho" é um material de propaganda eleitoral impresso do qual consta a foto e o número do candidato. O nome vem de prática da Igreja Católica de distribuir o mesmo tipo de material com nomes verdadeiros de santos. Ao ser levado para a política, a palavra "santinho" ganha uma dose de ironia, já que os políticos podem apelidados de tudo, menos de santos.


A surpresa


Muitos petistas apostam que Rogério Carvalho será a surpresa na disputa do Senado Federal, sendo o segundo mais votado. A turma do Reino de Deus garante que será Heleno Silva, tem advogado apontando Henri Clay e delegado que apostam em Alessandro. JB e seus correligionários têm a certeza de que ele será o “cara”.


Direitismo


Na história eleitoral brasileira nunca houve um presidenciável de extrema direita, como acontece agora com Jair Bolsonaro. A única exceção foi Plínio Salgado, do partido Ação Integralista Brasileira, que se lançou candidato a presidente em 1937 e retirou a sua candidatura ao saber que Getúlio Vargas daria o seu golpe no fim daquele ano. Mas que fique claro que o fascismo de Plínio Salgado era "fichinha" comparado com as ideias racistas, xenófobas, homofóbicas, antidemocráticas, dfos dias de hojeetc. Além disso, o fascista Plínio Salgado tinha leituras, escrevia livros, enquanto Jair Bolsonaro nada leu e nada escreveu e, para esconder a sua ignorância, manda as pessoas dar um pulo no Posto Ipiranga. O seu discurso é composto de frases de efeito ultra-conservadoras que agradam a massa ignara e um certo grupo de eleitores de classe média.


Segurança


Exército, PF, PRF e PM estarão atuando na segurança das eleições deste ano em Sergipe. Tem gente achando que é pouco.


Os queridinhos


Os empresários sergipanos, em sua maioria, simpatizam com as candidaturas de Geraldo Alckmin, Henrique Meirelles e João Amoêdo à Presidência da República. Todos eles aparecem mal nas pesquisas.


É barato


Cada mulher ou homem que segura bandeira de partido e candidato nas ruas e avenidas de Aracaju recebe diariamente R$ 30. Vale lembrar aos senhores candidatos que pelo sábado à tarde e todo o domingo, que são dias de descanso do pessoal, deve ser pago um pouco mais.


Boca de urna


Muitas pessoas dizem que o"boca de urna" (o pedido de voto de quem está na fila para votar") acabou. A abordagem dos cabos eleitorais é que ficou mais longe da sala de votação. Eleitores são assediados a uns 100 metros das escolas onde a votação ocorre.


Desatualisados


Não são poucos os sítios de órgãos públicos que ficam desatualizados. Isso é sinal de desleixo ou falta de preocupação com os contribuintes que pagam os salários dos servidores públicos em qualquer nível de governo. Em qualquer busca não objetiva por vários desses sítios, observa-se esse problema.


Comissão da Verdade


O governador Belivaldo Chagas prorrogou até agosto/2019 os trabalhos da Comissão Estadual da Verdade (CEV). Os trabalhos teriam que ser finalizados (com o relatório já pronto) até agosto deste ano. No momento, os membros da CEV estão catalogando fotos e documentos, bem como redigindo o Relatório final.


Fazenda Velho Chico


Na parte sergipana do rio São Francisco, foram formados, por conta da baixa vazão da Usina Hidrelétrica de Xingó (variando entre 550 m³s e 750 m³s), bancos de areia onde cresceu farta vegetação. Então, criadores de gado da região passaram a usar esses bancos de areia para alimentar as suas manadas. Fora do rio, o que se nota são os estragos provocados pela estiagem.


Exemplo francês


A França é o país onde a ameaça de vitória de candidata da extrema-direita reuniu a maioria dos partidos para barrar o fascismo representado por Jean-Marie Le Pen numa ocasião e por sua filha Marine Le Pen em outro momento. Nós não temos certeza de que o eleitorado brasileiro compreenderá o perigo social e político para a nossa democracia que Jair Bolsonaro significa se ganhar a eleição presidencial.


Itabaiana elegerá quatro estaduais ?


Com cerca de 60 mil eleitores, Itabaiana terá condições de eleger quatro deputados estaduais (Luciano Bispo, Talysson, Maria Mendonça e Vardo da Lotérica)?


Deixe um comentário

Seu nome (Necessário)
Seu E-mail (Necessário - Não será exibido)
Seu comentário
Código da imagem:

Enquete


Categorias

Arquivos