Coluna Primeira Mão

Políticos Fraquinhos

Os políticos sergipanos que dão apoio no Congresso Nacional ao presidente Jair Bolsonaro são muitos fracos e se contentam com um trator ou uma máquina escavadeira. Não vão além disso. Por esse motivo o governo federal desativa tudo o que bem quer e deseja no Estado, inclusive, agora, a Dataprev, estatal que vai funcionar apenas em São Paulo, Rio de Janeiro, Brasília, Ceará, Rio Grande do Norte, Paraíba e Santa Catarina. Em todo o país, serão demitidos 460 servidores, 28 dos quais daqui de Sergipe. E ninguém diz nada. É lamentável.

Listão de espera

No balanço total do país, cerca de 1,3 milhões de pessoas estão na lista de espera para se aposentar ou receber outros benefícios da Previdência Social (INSS). Mas não conseguem. A instituição previdenciária alega que, por conta das mudanças no sistema, as aposentadorias, contagem de tempo e pensões entre outros serviços, estão com consultas sem respostas. Em Sergipe tem muita gente sofrendo essas consequências. Mas os números não têm sido divulgados.


Esperança em excesso


Como o ex-governador Jackson Barreto (MDB) é mais lulista que muitos petistas, tem gente no PT avaliando a possibilidade dele decidir apoiar uma possível candidatura do agora pré prefeiturável Márcio Macedo. Isso, embora JB já tenha declarado o apoio à reeleição de Edvaldo Nogueira. É esperança demais.


ACV e JB ativos


Muitos políticos mais jovens com ou sem mandato gostariam de ver o ex-senador Antônio Carlos Valadares (PSB) e o ex-governador Jackson Barreto (MDB) aposentados e afastados da vida pública. Mas os dois são resistentes e vão estar nas campanhas eleitorais de 2020 e 2022. Ainda são fortes influenciadores políticos.


Continua no PSB


O vereador Lucas Aribé não deixou o PSB e não está priorizando essa decisão, apesar de já ter sido convidado a se filiar ao PSD, PDT, Cidadania, Rede e Patriota. Mas poderá discutir o assunto mais adiante. Dificilmente iria para o PDT, com Edvaldo Nogueira lá. Aribé está no PSB há 12 anos.


Pouco juízo


Lucas Aribé não considera Aracaju uma cidade inteligente, como propaga a Prefeitura. “Uma cidade que não respeita o direito de ir e vir, não trata a acessibilidade como prioridade não pode sequer ser chamada de sabidinha”


Tempos difíceis


Isso é só para refletir. Os altos escalões da administração pública municipal, estadual e federal fazem, anualmente, um estrago muito grande nas finanças do Estado brasileiro. O padrão a ser seguido deveria o dos CEOs da iniciativa privada em termos salariais que pagam menos que os altos administradores públicos. Além do mais, os entes federados não recebem duplos impostos para pagar o 13o. salário. É muito difícil honrar uma dupla folha de pagamento mesmo em tempos sem crise das finanças públicas.


Lado ruim


Os correspondentes de TVs nas capitais dos países do "primeiro mundo" passam a maior parte de seu tempo a enviar notícias sobre as maravilhas dessas terras distantes. O Japão é um desses países. A recente fuga de CEO brasileiro da Nissan, preso em Tóquio e atualmente foragido no Líbano, é tema para filme de Hollywood. Fugiu de avião. Com razão tem gente dizendo que, se ele estivesse recluso na Papuda ou em Bangu, ou ainda na prisão de Areia Branca, isso jamais aconteceria. Vamos e convenhamos, é muita incompetência dos japoneses!


Boa opção

 


Márcio Macedo é um alto funcionário da direção do PT, sendo atualmente seu vice-presidente. Antes disso, aceitou a tarefa espinhosa de cuidar das finanças (tesoureiro) do Partidos do Trabalhadores. Ele tem no seu currículo político, além de sua experiência como parlamentar federal, trabalhos como administrador na direção do PT estadual e como dirigente da Pró-Reitoria de Assuntos Estudantis da UFS. Sem dúvida, é um bom candidato para concorrer ao emprego de prefeito de Aracaju.


Recuperação de menores


Como recuperar menores infratores da lei e devolvê-los à sociedade? Indo além da retórica positiva, essa tarefa não parece fácil. Vejam só esses números: dos 122 meninos internados, somente 53 estudam e 49 não podem comprovar a sua sua escolaridade. Se o ensino público fora dos muros que não devem ser chamados de prisão continua sendo um problemão, o que dizer do serviço escolar prestado a essa população de gente fora da lei? Não basta acreditar que pessoas menores que transgrediram a lei podem ser recuperadas. É preciso investimento nessa garotada, do contrário suas famílias os perderão para o crime.


Privatizações


É preciso não exagerar quando se trata de falar sobre privatizações em Sergipe.Uma coisa é privatizar a DESO e o BANESE; outra coisa é privatizar Cehop, Cohidro, Codise, Emdagro etc. Essas empresas públicas são grandes cabides de empregos pagando altos salários e prestando "serviços" questionáveis à população sergipana. Agora, quanto à empresa de distribuição de águas e a instituição financeira, aí, sim, é necessário que haja muitos debates na Assembleia Legislativa e em outros espaços. Aquelas empresas cabides de empregos são tão irrelevantes que ninguém pensa nelas quando o assunto é privatização.


Encontro Cultural


Laranjeiras, terra dos Orixás, está realizando nesse fim de semana mais um encontro de cultura negra. Essa é a 45a. edição desse festival que reúne dança, música e palestras sobre a cultura popular negra. Vale a pena conferir.


Bons espíritos


A partir desse domingo a Federação Espírita de Sergipe (FEES) funcionará sob nova direção. O conceituado empresário e médico Carlos Alberto Melo Santiago é um dos principais nomes de sua diretoria. A todo novo grupo desejamos boa sorte

 


Avaliando fábrica


O quer vai acontecer, a coluna não sabe. Mas é fato concreto a visita de dirigentes de cimenteiras brasileiras e internacionais à fábrica de Cimento Nassau (Itaguassu), em Nossa Senhora do Socorro, que vai à leilão no dia 06 de fevereiro.


Jabá caro


O preço do quilo de charque custa entre R$ 32,00 e R$ 42,00 em Aracaju. O quilo de feijão está por R$ 8,00. A feijoada vai desaparecer da mesa do pobre. Há dois meses abrimos mão do churrasco de boi para a China.

Anauê


Questão de gosto não se discute. A pergunta é a seguinte: por que alguém colocaria a palavra Anauê como nome de sua empresa, sabendo que esse nome tem uma carga negativa, porque está associada à ideologia integralista brasileira? Vá lá entender as pessoas!

 

Deixe um comentário

Seu nome (Necessário)
Seu E-mail (Necessário - Não será exibido)
Seu comentário
Código da imagem:

Enquete


Categorias

Arquivos