Brasil vence Uruguai e segue para a final

26/06/2013 22:11:01 por Kleber Santos em Copa das Confederações 2013
Paulinho faz o gol da vitória do Brasil no finalzinho do segundo tempo (Crédito: Jorge Henrique / Jornal da Cidade)

Alguns podem até dizer que todos os prognósticos estavam contra o Uruguai desde o início. Afinal, a Celeste não vencia no Brasil há mais de duas décadas e a população da região metropolitana de Belo Horizonte, palco da primeira semifinal da Copa das Confederações da FIFA 2013, é superior à uruguaia. As chances charruas diminuíram ainda mais quando Fred abriu o placar para a Seleção: nas 22 partidas da equipe canarinho na história do torneio, os brasileiros nunca perderam quando marcaram o primeiro gol, vencendo 20 e empatando duas.

Mas todas essas estatísticas são apenas uma parte do que se viu em campo. Nem tudo esteve a favor dos donos da casa nos 90 minutos. Eles se depararam com uma aplicada e bem organizada seleção uruguaia que levou pressão à área brasileira assim que a bola deixou o círculo central. Diego Godín e Diego Lugano foram brilhantes na defesa, e o técnico Luiz Felipe Scolari merece crédito pelas entradas de Bernard e Hernanes no segundo tempo. A criatividade de ambos deu novo ímpeto à Seleção e recompensou a quatro minutos do apito final, quando Paulinho completou de cabeça um excelente escanteio de Neymar na segunda trave, classificando o Brasil para a final da Copa das Confederações da FIFA pela quinta vez.

O resultado
Semifinal
Brasil 2 x 1 Uruguai
Gols: Fred (41/1ºT) e Paulinho (41/2ºT) para o Brasil; Cavani (3/2ºT) para o Uruguai

O que está em jogo
Os brasileiros seguem para o Rio de Janeiro, onde enfrentarão Espanha ou Itália na final de domingo no Estádio do Maracanã. Já os uruguaios encaram o perdedor da semi de amanhã em Salvador, onde já venceram a Nigéria por 2 a 1. Esta será a segunda vez que o Uruguai disputará o terceiro lugar nos dois últimos torneios oficiais da FIFA de que participou. No Mundial de 2010, o país perdeu da Alemanha na decisão do bronze.

O gol do dia
Fred (BRA)
Pode ter sido um lance de sorte, como o próprio centroavante admitiu, mas a jogada que resultou no primeiro gol brasileiro foi da mais alta qualidade. Paulinho fez um lindo lançamento da intermediária para Neymar, que, dentro da área, dominou a bola no peito e chutou para a defesa de Fernando Muslera. No rebote, porém, o goleiro do Galatasaray colocou a pelota no caminho de Fred, que completou para as redes em um movimento acrobático. O atacante mineiro foi calorosamente ovacionado pelos póprios conterrâneos no Estádio do Mineirão depois de chegar a sete gols em nove jogos sob o comando de Felipão.

O número
4 — Dos últimos cinco pênaltis cobrados no Festival dos Campeões, quatro foram desperdiçados. O espanhol Fernando Torres carimbou o travessão contra o Taiti, o mexicano Javier Hernández teve a cobrança defendida pelo goleiro do Japão e o uruguaio Andrés Scotti também perdeu a sua contra os campeões da Oceania, antes de Abel Hernández converter a dele naquela mesma partida. Hoje, porém, o Craque do Jogo Júlio César frustrou as pretensões de Diego Forlán com uma soberba defesa. A importância do lance foi destacada pelo técnico da Celeste, Óscar Tabárez, na coletiva de imprensa depois do jogo. "Não gosto de falar em ses e poréns, mas o que posso dizer é que quando perdemos aquele pênalti, demos aos brasileiros a injeção de ânimo que estava lhes faltando até então", comentou o treinador do Uruguai.

A frase do dia
"A partida me lembrou daquele filme do Woody Allen, Match Point, com o jogo dependendo do lado da rede em que a bola cairia. (Edinson) Cavani teve uma chance no fim com o Júlio César totalmente exposto, mas a bola foi para fora, selando o nosso destino. Se tivéssemos marcado, o Brasil não teria tido tempo para reagir."
Óscar Tabárez, técnico do Uruguai

O que vem por aí?
As atenções voltam para Fortaleza nesta quinta-feira, onde a campeã mundial e europeia Espanha enfrentará a Itália no tira-teima da decisão da última Eurocopa. A grande pergunta é se a Azzurra poderá derrotar a antiga rival. Os espanhóis foram absolutos na posse de bola durante o torneio, mas cederam algumas chances à Nigéria. Contudo, o técnico Cesare Prandelli estará sem o atacante Mario Balotelli, que voltou para casa depois de lesionar a coxa na partida contra o Brasil. Será que Alberto Gilardino conseguirá substituí-lo à altura e se transformar no herói da classificação italiana?

Deixe um comentário

Seu nome (Necessário)
Seu E-mail (Necessário - Não será exibido)
Seu comentário
Código da imagem:

Enquete


Categorias

Arquivos